Você está na página 1de 6

O VINHO E A BÍBLIA

A medicina natural considera a uva no seu estado natural como um dos


principais medicamentos, para cura de algumas infecções estomacais.
A farmacopéia homeopática recomenda o uso da uva, como um medicamento
muito importante quando consumido os seus frutos ao natural.
A medicina reconhece que o suco de uva, ou sangue das uvas, como um
medicamento a ser recomendado para o tratamento das dispepsias; quando as pessoas
têm dificuldades para digerir os alimentos: bem como infecções crônicas do fígado e até
mesmo nos cálculos biliares.
Porém a versão do verdadeiro vinho que hoje se oferece no mercado para ser
consumido é prejudicial à saúde por conter álcool.
O ministério da saúde de nosso país reconhece que o álcool, em qualquer que
seja a quantidade ingerida, altera o funcionamento do sistema nervoso, a pessoa passa
sentir a sensação de bem estar euforia, ocasionando alterações na fala, no caminhar e na
visão.
As pessoas que tem o hábito de beber bebidas de álcool, como o vinho, cerveja e
similares, têm seu organismo debilitado, nas internações psiquiátricas e atendimentos
ambulatoriais, o álcool responde pela imensa maioria dos casos (90%) contra (2%) de
outras drogas.
Hoje, o alcoolismo é a 8º causa de concessão de auxilio - doença no país,
responsável por 54% dos acidentes de trabalho. Cerca de 10% da população no mundo,
sofre de alcoolismo. No Brasil 19% da população tem uma embriagues por semana. O
álcool é a droga que causa mais morte no mundo.
Estudos revelam que 95% dos cosos que chegam ao IML de São Paulo, ou seja,
vítimas de mortes não naturais, continham álcool no sangue.
As pessoas que são dependentes do álcool possuem as taxas mais altas de câncer
de fígado, de mama e do sistema digestivo.
A maioria dos pacientes que sofrem com este problema, é do sexo masculino,
por isso, lembre-se, o correto é um sistema de vida evangélico, onde o homem crente na
palavra de Deus, não bebe nenhum tipo de bebida alcoólica.
Lucas 1-15-16
15 Pois ele será grande diante do Senhor, não beberá vinho nem bebida forte e será
cheio do Espírito Santo, já do ventre materno.
16 E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor, seu Deus.

As muitas passagens da Escritura, que encontramos no novo testamento e que


nos falam do vinho, são semelhantes quando mostram os aspectos bons e maus do
vinho.
É preciso, no entanto, observar as definições da Palavra de Deus, sobre o que é
de fato o verdadeiro vinho usado por Cristo.
Existe, é verdade, entre os homens, uma variedade muito grande de opiniões
acerca da origem e natureza do vinho. Mas a verdadeira, é distintamente apresentada
nas escrituras da Palavra de Deus ao seu povo; (é o vocábulo tirôsh), traduzido como
novo ou mosto; sangue da uva antes da fermentação natural, que ocorre logo após ser
tirado das uvas o seu suco natural, que por conseqüência não embriaga.
Porém seu uso em uma passagem como a do profeta Oséias 4/11: “A
sensualidade, o vinho e o mosto tiram o entendimento.” Deixando claro o profeta do
Senhor, que até mesmo o mosto pode ser usado em mau sentido.
Além disso, existem exemplos simbólicos de uvas sendo exprimidas numa taça,
como relata Gênesis 40/11: “O copo de Faraó estava na minha mão; tomei as uvas, e
as espremi no copo de Faraó, e o dei na própria mão de Faraó.” Assim de fato, o
termo vinho novo, indica o sangue das uvas antes da sua fermentação; isso porque o
processo de fermentação tem inicio rápido. Daí surge à dificuldade de conservá-lo em
seu estágio inicial de pureza por muito tempo após a colheita.Sendo que, nossa época
hoje é favorecida por modernos processos e equipamentos, que possibilitam as
indústrias do setor oferecer ao público o verdadeiro sumo das uvas, por longo tempo
mantendo a sua qualidade.
Embora vejam que Jesus mostrou prontidão em atender o convite feito por um
publicano para comer a mesa, junto aos pecadores, não se pode confirmar a acusação
que lhe era feita por seus inimigos espirituais, de que era um glutão e bebedor. Pois
vemos claramente a recusa de Cristo, quando lhe foi oferecido vinho, no caminho via
cruzes para que ele tomasse.
Marcos 15/23
Deram-lhe a beber vinho com mirra; ele, porém, não tomou.

Como vemos, era infundado o titulo que seus adversários queriam lhe impor
(Jesus não era glutão e nem bebedor de vinho).
Marcos 15/36
36 E um deles correu a embeber uma esponja em vinagre e, pondo-a na ponta de um
caniço, deu-lhe de beber, dizendo: Deixai, vejamos se Elias vem tirá-lo!

Este ultimo, como vemos nas escrituras, é diferenciado do vinho que Jesus
recusava na passagem anterior, entretanto, encontramos na lei de Deus, que tanto vinho
como o vinagre, está vedado o seu uso aos Nazireus.
Números 6/3
abster-se-á de vinho e de bebida forte; não beberá vinagre de vinho, nem vinagre de
bebida forte, nem tomará beberagens de uvas, nem comerá uvas frescas nem secas.

Assim, pois, se acentua a gravidade e a ofensa que se constituem por meio de


certas distorções apresentadas pelos homens, acerca deste assunto.
Amós 2/11-12
11 Dentre os vossos filhos, suscitei profetas e, dentre os vossos jovens, nazireus. Não é
isto assim, filhos de Israel? -diz o SENHOR.
12 Mas vós aos nazireus destes a beber vinho e aos profetas ordenastes, dizendo: Não
profetizeis.

Como vemos, há vários aspectos no uso do vinho que temos de considerar antes
de os empregarmos em alguma finalidade, para não incorrer nos seus abusos, que são:
• O vinho acrescido de álcool não tem aceitação perante Deus.
• No vinho como se pode ver, poderá haver benção ou maldição.
• Quanto ao seu mau uso, é claro o que nos mostra as Escrituras sagradas, que só serve
para descobrir-lhes as vergonhas.
Gênesis 9/20-21
20 Sendo Noé lavrador, passou a plantar uma vinha.
21 Bebendo do vinho, embriagou-se e se pôs nu dentro de sua tenda.

Despertando de sua embriagues, provocada pelo vinho, o que fez o velho


profeta de Deus?
Gênesis 9/25
25 e disse: Maldito seja Canaã; seja servo dos servos a seus irmãos.
Porém, o produto da videira, quando nas mãos de Melquisedeque , rei de
Salém, trouxe pão e vinho; era sacerdote do Deus Altíssimo; abençoou ele a Abraão
pelo Deus Altíssimo, que possui os céus e a Terra.
E não faltam evidências que demonstram a grande semelhança do sacerdote
de Cristo com a ordem de Melquisedeque, trazendo como símbolo de benção o sangue
de uvas que representativo do sangue de Cristo, e a nova aliança.
O que ocorreu com Noé, serve também de prova até mesmo para aqueles que
aceitam a vida agrícola como seu modo de viver, que o perigo apresentado pelas bebidas
fortes é patente.
Jeremias 35/4-8
4 e os levei à Casa do SENHOR, à câmara dos filhos de Hanã, filho de Jigdalias,
homem de Deus, que está junto à câmara dos príncipes e sobre a de Maaséias, filho de
Salum, guarda do vestíbulo;
5 e pus diante dos filhos da casa dos recabitas taças cheias de vinho e copos e lhes
disse: Bebei vinho.
6 Mas eles disseram: Não beberemos vinho, porque Jonadabe, filho de Recabe, nosso
pai, nos ordenou: Nunca jamais bebereis vinho, nem vós nem vossos filhos;
7 não edificareis casa, não fareis sementeiras, não plantareis, nem possuireis vinha
alguma; mas habitareis em tendas todos os vossos dias, para que vivais muitos dias
sobre a terra em que viveis peregrinando.
8 Obedecemos, pois, à voz de Jonadabe, filho de Recabe, nosso pai, em tudo quanto
nos ordenou; de maneira que não bebemos vinho em todos os nossos dias, nem nós,
nem nossas mulheres, nem nossos filhos, nem nossas filhas;
Jeremias 35/16-19
16 Visto que os filhos de Jonadabe, filho de Recabe, guardaram o mandamento de seu
pai, que ele lhes ordenara, mas este povo não me obedeceu,
17 por isso, assim diz o SENHOR, o Deus dos Exércitos, o Deus de Israel: Eis que
trarei sobre Judá e sobre todos os moradores de Jerusalém todo o mal que falei contra
eles; pois lhes tenho falado, e não me obedeceram, clamei a eles, e não responderam.
18 À casa dos recabitas disse Jeremias: Assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de
Israel: Pois que obedecestes ao mandamento de Jonadabe, vosso pai, e guardastes
todos os seus preceitos, e tudo fizestes segundo vos ordenou,
19 por isso, assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Nunca faltará
homem a Jonadabe, filho de Recabe, que esteja na minha presença.

No Novo Testamento, á uma descrição dada sobre a grande prostituta que se


acha sentada sobre muitas águas da Terra. O vinho exemplifica a libertinagem
destruidora de sua obra sobre a face da Terra. Esta obra forma a má conduta dos homens
embriagados com as fornicações da mãe das meretrizes da terra.
Apocalipse 17/1-2
1 Veio um dos sete anjos que têm as sete taças e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-
te-ei o julgamento da grande meretriz que se acha sentada sobre muitas águas,
2 com quem se prostituíram os reis da terra; e, com o vinho de sua devassidão, foi que
se embebedaram os que habitam na terra.

Naturalmente, esta expressão é figurada para descrever a real situação da terra,


em contraste com os ensinamentos dados a Israel; como foi no caso do período em que
Deus tirou os hebreus para fora do Egito, e constituiu como Nação Santa, povo
exclusivo de Deus.
Deuteronômio 32/31-33
31 Porque a rocha deles não é como a nossa Rocha; e os próprios inimigos o atestam.
32 Porque a sua vinha é da vinha de Sodoma e dos campos de Gomorra; as suas uvas
são uvas de veneno, seus cachos, amargos;
33 o seu vinho é ardente veneno de répteis e peçonha terrível de víboras.

Como vemos jamais os profetas bíblicos deixaram de mostrar a diferença entre o


vinho no seu estagio original, natural, e o vinho após tornar-se uma bebida forte (água
ardente de uva). É, portanto necessário que se observe o verdadeiro ensinamento da
Palavra de Deus.
Provérbios 23/30-32
30 Para os que se demoram em beber vinho, para os que andam buscando bebida
misturada.
31 Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e
se escoa suavemente.
32 Pois ao cabo morderá como a cobra e picará como o basilisco.

*(Basilisco: serpente fabulosa, que segundo se acreditava, matava ao cuspir nos olhos
de sua presa, tirando-lhe a visão; afirmavam os antigos israelitas no deserto que até
mesmo o seu bafo matava).
Quanto à prostituição dos tempos do fim, pode ser representada por Babilônia, o
texto da revelação da palavra de Deus, a apresenta como mulher embriagada com o
sangue dos crentes fiéis ao seu Deus.
De fato, as escrituras Bíblicas nos indicam qual foi o verdadeiro vinho usado por
Cristo.
Deuteronômio 32/14
14 coalhada de vacas e leite de ovelhas, com a gordura dos cordeiros, dos carneiros
que pastam em Basã e dos bodes, com o mais escolhido trigo; e bebeste o sangue das
uvas, o mosto.

Por essa razão, é que se recomenda em conformidade com as doutrinas de


Cristo, uma cuidadosa escolha dos alimentos, como a qualidade do vinho, quando
ministrado para cura de enfermidades estomacais. Pois como é do conhecimento
científico, que o álcool, em caso de enfermidades estomacais, tem a tendência de
agravar a situação do quadro clínico do paciente. Porém o verdadeiro vinho, usado por
Jesus, que é o sangue das uvas, este de fato é recomendado nas escrituras como
medicinal, nas enfermidades do estômago.
1º Timóteo 5/23
23 Não continues a beber somente água; usa um pouco de vinho, por causa do teu
estômago e das tuas freqüentes enfermidades.

Devemos também, lembrar que o apóstolo de Cristo, exortou os seus leitores a


deixar-se controlar pelo Espírito de Jesus, para a obra de Deus.
Efésios 5/18
18 E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do
Espírito,
Entretanto, vemos nas cartas do Apóstolo Paulo, o reconhecimento do perigo do uso
do vinho comum no meio da irmandade, especialmente entre aqueles que tem oficio
cristão, isto é, ocupam encargos dentro das congregações, tanto homens como mulheres,
por exercerem liderança entre os demais.
1º Timóteo 3/8
8 Semelhantemente, quanto a diáconos, é necessário que sejam respeitáveis, de uma
só palavra, não inclinados a muito vinho, não cobiçosos de sórdida ganância,

Tito 2/3-4
3 Quanto às mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias em seu proceder, não
caluniadoras, não escravizadas a muito vinho; sejam mestras do bem,
4 a fim de instruírem as jovens recém-casadas a amarem ao marido e a seus filhos,

De fato, caro amigo leitor, para que seve os hábitos da bebida forte do vinho nos
lares, no dia-a-dia da vida do cristão, senão para os tornarem incapacitados para assumir
as tarefas da obra do Senhor.
Para dar uma visão clara ao leitor, do efeito negativo do hábito de bebidas fortes
na vida das pessoas, citamos o recente caso que ocorreu nos Estados Unidos, publicados
em jornais de todo o mundo:
O presidente George Bush, indicou para ocupar o cargo de ministro da defesa de
seu país, o senador republicano John Tower, que teve o seu nome rejeitado pelo
congresso americano, por ser chegado ao copo de cerveja e de vinho. Embora tenha
prometido, perante a comissão que investigava o assunto, abandonar o hábito da cerveja
e do vinho, não foi aceito. Consideraram os senadores e deputados americanos que no
caso de tensão e conflitos em seu país, se o ministro estivesse sobre o efeito do álcool,
poderia aconselhar o presidente à guerra.
Como vemos, o álcool é prejudicial à saúde e a personalidade das pessoas,
tornando-as incapacitadas, não só para cargos públicos, como para o desempenho das
tarefas e obras da Igreja de Cristo.
Também é preciso notar, que as bebedeiras somam prejuízos incalculáveis, para
as famílias, desde a antiguidade, tanto material, como moral e espiritual.
Gênesis 19/30-36
30 ¶ Subiu Ló de Zoar e habitou no monte, ele e suas duas filhas, porque receavam
permanecer em Zoar; e habitou numa caverna, e com ele as duas filhas.
31 Então, a primogênita disse à mais moça: Nosso pai está velho, e não há homem na
terra que venha unir-se conosco, segundo o costume de toda terra.
32 Vem, façamo-lo beber vinho, deitemo-nos com ele e conservemos a descendência de
nosso pai.
33 Naquela noite, pois, deram a beber vinho a seu pai, e, entrando a primogênita, se
deitou com ele, sem que ele o notasse, nem quando ela se deitou, nem quando se
levantou.
34 No dia seguinte, disse a primogênita à mais nova: Deitei-me, ontem, à noite, com o
meu pai. Demos-lhe a beber vinho também esta noite; entra e deita-te com ele, para
que preservemos a descendência de nosso pai.
35 De novo, pois, deram, aquela noite, a beber vinho a seu pai, e, entrando a mais
nova, se deitou com ele, sem que ele o notasse, nem quando ela se deitou, nem quando
se levantou.
36 E assim as duas filhas de Ló conceberam do próprio pai.
O alcoolismo é na verdade em geral, reputado como sinal de surdez, para os
assuntos que dizem respeito ao entendimento Espiritual, tornando-se sono mental, e
cegueira visual, de ambos os sentidos do corpo.

Romanos 13/11-13
11 E digo isto a vós outros que conheceis o tempo: já é hora de vos despertardes do
sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto do que quando no princípio
cremos.
12 Vai alta a noite, e vem chegando o dia. Deixemos, pois, as obras das trevas e
revistamo-nos das armas da luz.
13 Andemos dignamente, como em pleno dia, não em orgias e bebedices, não em
impudicícias e dissoluções, não em contendas e ciúmes;

Por causa destas verdades que nos apresenta a palavra de Deus, quero deixar um
aviso muito claro aos que são apegados ao copo de vinho , cerveja ou qualquer que seja
a bebida forte.
Mesmo que muitos se reputem fortes, para enfrentar o perigo destas bebidas,
seriam ainda mais fortes se sabiamente se afastassem das bebidas fortes e misturadas,
mas se ainda assim for argumentado, por causa dos maus hábitos, que existem muitas
outras cousas que são usadas com abuso, além do vinho e da cerveja, podemos admitir
prontamente esta verdade, pois os assuntos e doutrinas bíblicas não se esgotam ou se
resumem apenas nesses fatos, mas o que nos afirma o apóstolo do Senhor?
Romanos 14/21
21 É bom não comer carne, nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa com que
teu irmão venha a tropeçar {ou se ofender ou se enfraquecer}.

Como vemos, nas escrituras bíblicas, que o vinho é frequentemente mostrado,


quando está acrescido de álcool, é veneno mortífero
(Provérbios 23/31-31), semelhante veneno da serpente, torna-se necessário termos em
mente, o principio regulador de toda fé e de toda liberdade verdadeira (que é o amor).
Com isso, sim, estaríamos fora de toda disputa e nos colocaríamos ao lado
daqueles que assumem seriamente as suas responsabilidades para com Cristo, em
primeiro lugar, mas também para com a família e para com a própria sociedade civil.

Evangelista: José Vitor M. Lopes