Você está na página 1de 12

Tanara Ano 1 - Número 1 - Setembro/2009 Carol Neves

Noveanos
Nove anosde
de

Resex Corumbau
Palavra da turma

A nova voz da Resex


Tanara chegou para ser
voz; informando, dando a
oportunidade de pensarmos
juntos sobre os anseios e
necessidades de uma
comunidade dona de uma
reserva extrativista.
Nosso objetivo é trazer
para as comunidades que
formam a Resex Corumbau,
uma oportunidade de infor-
mar, refletir, mostrar os
problemas e se possível
apontar caminhos para
achar soluções; apoiar e
incentivar atitudes que tra-
gam melhoramentos para
nossas comunidades.
A primeira edição deste que é a própria Resex. CORUMBAU, estamos aqui
jornal foi feita por uma Estamos aqui para incen- para unir aqueles que
equipe com gente de tivar a pesca artesanal e desejam o bem para as
Cumuruxatiba, Imbassua- sustentável, e que nossas nossas comunidades, para
ba, Veleiro, Corumbau e comunidades continuem se os nativos, e para apoiar
Barra Velha, que se reuni- orgulhando de serem vilas esta idéia...
ram em oficinas promovidas de pescadores, sem degra-
pelo ICMBio – Instituto dar a natureza, permitindo Participe com a gente!
Chico Mendes Para a tudo isso aos nossos filhos,
Biodiversidade. netos , bisnetos.
Nesse número, o desta- Somos a voz da RESEX- Equipe Tanara

Tanara Ano 1 - Número 1 - Resex Corumbau


Distribuição inicial: 500 exemplares
Equipe Tanara: Jaqueline e Issara Conceição do Carmo (Corumbau), Maria Braz Bonfim e Renata
Ferreira Nascimento (Barra Velha), Marciel Ferreira de Souza, Ufredes Nascimento, Shaldson de
Jesus, Juliana Sakagawa Prataviera, Welton Reis de Souza, Fernanda Azevedo, Elizabete da Cruz
Marinho, Naruan Liro Saraiva Pinto, Alcione Pereira Simão, Pedro Fidel Batista Leão Cangussu,
Eliane de Castro Brandão, Emerson Nascimento Matos Neves, Janderson F. Neves (Cumuruxatiba)
e Ana Carolina C. Neves (Imbassuaba), Sérgio S. de Jesus e Zeca do Veleiro (Veleiro)
Ilustrações capa e motivos pataxós: Vazigton Oliveira Guedes
Diagramação: Débora Menezes

2 - TANARA
De olho no ambiente

Ao invés de poluir, óleo vira sabão Nanda Azevedo


Fernanda Januário de Azevedo e
Juliana Sakagawa Prataviera

Depois de fritar aquele peixe suculento


ou aquela batata frita, o que você faz com o
óleo usado? Joga na pia? No ralo ou no
quintal, certo? ERRADO! Você sabia que
um único litro de óleo usado pode
contaminar milhares de litros de água?
O óleo quando cai no solo pode impedir Acima, Binho
a passagem de água causando mostra a
entupimentos e enchentes. Se chega aos produção de
rios, esse óleo não deixa entrar luz e sabão líquido e
de sabão em
atrapalha a circulação de oxigênio, o que pasta. Ao lado,
pode causar a morte de diversas espécies. ele começando o
Então, o que podemos fazer com esse preparo do sabão
óleo? com o óleo
reutilizado
Em Cumuruxatiba, o cabeleireiro Fábio
Ferreira da Silva, conhecido como Binho,
há quatro anos resolveu brincar de fazer
Quem quiser
sabão com óleo usado. “Foi um meio de
distração que eu encontrei para passar o doar óleo e garrafas plásticas para embalar
tempo e também com a intuição de o sabão, comprar ou até mesmo aprender a
reciclar”, explica ele, que vende o sabão em fazer pode entrar em contato com Binho
pasta e líquido. pelo tel. (73) 8837-3684.

Cumuru terá festival cultural em 2010


Os grupos Abada (Associação O objetivo é fortalecer e desenvolver
Brasileira de Apoio e Desenvolvimento da um trabalho junto à comunidade local e
Arte-Capoeira) e Ser Movimento (Grupo turistas, mostrando e enriquecendo nossa
de Estudos Afro-Indígenas de Cumu- cultura. Os organizadores precisam de
ruxatiba) promoverão cursos de capoeira, apoio para as atividades e quem quiser
dança afro-indígena e outras atividades ajudar pode entrar em contato pelo tel.
no verão do próximo ano. (73) 8825-2988.
TANARA - 03
A comunidade de olho

Haja paciência com nossas estradas!


Pedro Fidel, Ufredes Nascimento e pela prefeitura de Prado em função da
Eliane Brandão, de Cumuruxatiba, e recuperação da Ponte do Japara, na
Zeca do Veleiro, de Veleiro
estrada de Cumuruxatiba: um da própria
ponte e outro de redução do impacto
As estradas que ligam as comunidades causado no mangue. Quando questionado,
que fazem parte da Resex Corumbau estão o Secretário de Obras do município de
em péssimas condições. Prado, Luis Ramos, informou: “o
importante é construir a ponte. Já o
Todos perdem: o turista deixa de vir por
medo de entrar e não sair, além dos danos mangue...” A previsão é que as obras sejam
causados em seu veículo; o comerciante entregues em dezembro.
deixa de comprar e vender; se alguém Depois de entrevistar todos os órgãos
adoece e precisa de atendimento, corre o envolvidos, percebemos que existe um
risco de não chegar ao socorro. “jogo de empurra”. É fato que a
Além de todo esse transtorno, temos um manutenção dessas estradas na Resex
outro problema grave: os estudantes são de responsabilidade do município e o
perdem em média 40% do ano letivo, não DERBA - Departamento de Estradas e
só por causa das chuvas, mas também Rodagem, do Estado, precisa repassar
pelas constantes faltas dos ônibus, que severbas para garantir essa manutenção.
desgastam e quebram além do normal - e Vale lembrar que uma parte do IPVA –
Imposto sobre Veículos Automotores, é
infelizmente não dá para repôr essas aulas.
destinada ao município para as estradas.
Segundo informações das escolas de
Cumuruxatiba, em torno de 250 alunos são Precisamos de decisões rápidas para
prejudicados e,como foi lembrado pelo melhorar as estradas, sem esquecer de
promotor, Wallace Carvalho Mesquita de preservar o ambiente em volta!!
Naruam Pinto
Barros, a educação é um direito previsto na
Constituição e é dever da família, do estado
e dos municípios garantirem o acesso.
Ele orienta: se a patrola não passa há
anos em uma estrada e sequer colocam
cascalho nas ladeiras, e as crianças ficam
sem aula por isso, reclame, reivindique e
acione o Ministério Público, caso a
Prefeitura não responda adequadamente.
Dois projetos deverão ser implantados O estado da ponte sobre o Japara

4 - TANARA
Especial Resex

Conheça a
Resex Corumbau
Eliane Brandão e Juliana S. Prataviera, de Cumuruxatiba

Você sabe o que é Resex? Unidade de conservação? E


conselho deliberativo? Já ouviu falar desses termos?
Segundo a legislação, uma unidade de conservação é o
“espaço territorial e seus recursos ambientais com
características naturais de relevante importância”. Entendeu?
Isso quer dizer que é um lugar que tem muitas riquezas naturais e
passa a ser protegido por lei.
A Reserva Extrativista Marinha de Corumbau foi criada em
2000 e abrange uma área de aproximadamente 89 mil hectares. A
Resex possui cerca de 420 extrativistas cadastrados, moradores
das comunidades de Cumuruxatiba, Imbassuaba, Veleiro e
Corumbau – município do Prado e das comunidades de Barra
Velha, Caraíva e Curuípe – município de Porto Seguro.
A Resex está no grupo das unidades de conservação de uso
sustentável - ou seja, a orientação é usar os recursos naturais de
maneira que não faltem para as gerações futuras. O objetivo
principal é o de proteger os meios de vida e a cultura das
populações extrativistas.
Para alcançar esse objetivo é necessária a elaboração de um
plano de manejo para regularizar as atividades dos mais de 400
extrativistas cadastrados na unidade. Um exemplo de como o
plano de manejo atua são as orientações sobre o período de
defeso, ou ainda o ordenamento das atividades de embarcações
turísticas.
O Conselho Deliberativo da reserva é seu principal
instrumento de gestão. Os conselheiros participantes devem
saber a importância do seu papel e sempre repassar informações
e decisões de reuniões. A Resex é a comunidade, não tem como
separar. E só vai dar certo para atender às demandas dos
pescadores se toda a comunidade participar.
TANARA - 5
Especial Resex

Queremos uma reserva


participativa e sustentável
Juliana S. Prataviera, Welton Reis de Então, como essa situação pode mudar?
Souza, Naruan Pinto, Ufredes A criação da Resex veio também para
Nascimento, Pedro Fidel, Eliane incentivar os pescadores a se unirem e
Brandão e Emerson Nascimento Matos organizarem as comunidades para e
Neves, de Cumuruxatiba buscarem incentivos, meios e recursos
para valorizar o seu pescado e sua
A Resex Corumbau serve para proteger profissão.
nossa costa de pessoas que querem extrair
Carol Neves E tem mais: “temos que
nossas riquezas naturais,
cobrar nossos direitos e
sem se preocupar com os
políticas do governo para
recursos para as gerações
a área; usar os recursos
futuras.
sustentavelmente; e lutar
Tudo começou com a contra grandes empreen-
mobilização de pescadores dimentos que destróem o
do Corumbau, que se ambiente” – diz o repre-
sentiam ameaçados por sentante do ICMBio,
barcos de outras regiões. Da Ronaldo Oliveira, afir-
união e mobilização surge a mando que tudo isso
Resex, e os responsáveis ajuda a manter as rique-
por ela são os próprios zas de nossa região.
pescadores, que sustentam
Vale lembrar que tudo
suas famílias há várias
depende de vontade e
gerações.
compromisso, e que um dos maiores
Porém, faltam políticas públicas de apoio à problemas da reserva é a fiscalização
pesca artesanal e sustentável. Segundo precária sobre as atividades, seja de
Valreis Sabino Rodrigues, conhecido por pesca, seja do turismo, e não cabe ao
Dureis, pescador de Cumuruxatiba, “como governo apenas, mas a todos os que fazem
que o nosso filho seguirá a mesma parte da Resex Corumbau, chamar a
profissão se o que ganhamos mal dá para atenção e denunciar pessoas que
nos sustentarmos? Ele vai ficando cometem agressões e destruição - mesmo
‘sabedor’ de que ser pescador não é a que elas sejam de nosso próprio meio.
melhor solução para o futuro.” Tudo isso é para garantir nosso sustento!
6 - TANARA
Especial Resex

Pescador: retroceder ou mudar?


Eliane Brandão, de Cumuruxatiba deixar de reclamar, culpar e ir à luta,
participar, ir a reuniões, encontros, cursos,
A Resex está completando nove anos de afinal são nessas ocasiões que podemos
existência e atuação, trazendo, na maioria pensar juntos como conseguir o que
das vezes, benfeitorias indiretas. precisamos - quem sabe o que o pescador
Muitos dirão que não vêem benefícios; precisa é ele, não quem está fora de sua
questionam, ficam injuriados, porém, realidade.
vamos pensar juntos... Não se pode ter vergonha de falar, de
A unidade tem dono e o dono é o conhecer e brigar pelos seus direitos.
pescador, que deve ser o beneficiado. Os Aquele que se cala está fadado a ser
que estão no entorno são bem vindos, mas explorado e a ficar com o que sobra.
devem seguir regras do plano de manejo. É preciso pressionar o ICMBio, órgão
Quando existe um curso, uma oficina, responsável pela Resex, para que a revisão
são sempre as mesmas pessoas que vão. do plano de manejo seja terminada. E
Ou porque os interessados que deveriam quando vierem consultores contratados,
ser todos os pescadores têm outro que muitas vezes não conhecem a região,
compromisso, ou não viajam para tão longe só com a participação do pescador é que o
ou ainda acham que não vão saber falar. plano terá a cara da comunidade.
Quando o plano de manejo foi A você, pescador, dono desta reserva,
construído, ficou claro e está registrado que um pedido do futuro: pesca é cultura.
dali a três anos deveria ser revisto para se Permitam e incentivem seus filhos a não
adequar à realidade da unidade, para ver deixarem esta cultura morrer. Que eles
as necessidades, tirar o que não serve, tenham outros conhecimentos para se
colocar o que e como os pescadores virarem na vida, mas que saibam que
precisam, sem destruir o ambiente. pescadores unidos podem trazer muitos
Não só os três anos, mas sete anos se benefícios não só para si e sua família, mas
passaram e ainda não conseguiram fazer a para a comunidade.
revisão.
Ouvimos dizer: “fecham a pesca,
seja do robalo, da lagosta ou
camarão quando já está na hora de
abrir”; “antigamente, as canoas não
precisavam ir tão longe para
conseguir o peixe.”
Para mudar isso, está na hora de
TANARA - 7
Especial Resex

Comida e cultura: é festa!!!


Jaqueline e Issara Conceição do da Resex 2009: Prefeitura Municipal de
Carmo, de Corumbau Prado, Farmácia do Povo, Pousada Xauá,
Look Gás, Portugal, Jubarte Limpeza
O dia 21 de setembro de 2000, data de Pública, Vereador Cona, Pousada
publicação da criação da Resex Corumbau, Robertinho Brito, Bebete,
Corumbau, é um marco em nossa região. Martine, Associação dos Nativos e Amigos
A conquista da Resex foi uma vitória e de Caraíva (ANAC), pescadores de
uma luta dos pescadores que merece não Corumbau, ICMBio, Claudiomar e Itamar.
Fotos: Rodrigo Moura
passar em branco. Dessa forma, os
primeiros quatro anos das comemorações
se deram na comunidade de Corumbau,
passando depois para outras comuni-
dades, como Caraíva e Cumuruxatiba, que Momentos da
festa de 2008,
foi palco da festa no ano passado. em Cumuru:
Isto favoreceu a interação das puxada de
comunidades e conhecimento das diversas rede e bolo
culturas que fazem gigante são
atrações
parte da reserva.
Realizada em dois
dias (sábado e domin-
go), o destaque para a
noite do primeiro dia
são bandas da região.
No segundo dia há a-
presentações de cada
comunidade presente: puxada de rede,
capoeira, o awê dos Pataxó, dança
afroindígena e o Curumim Batuque, grupo
de percussão de Cumuruxatiba.
Os pataxós
Há também comidas típicas como as sempre
moquecas e bobó de camarão, e eventos apresentam
esportivos - corrida de canoa, pescaria e seus rituais de
campeonato de futebol. Ainda há um dança e de
concurso Garoto e garota Resex. música

Agradecemos aos apoiadores da festa


8 - TANARA
Eventos

Calendário de Festas na Barra Velha


Marciel Ferreira de Souza cada casa um pouco da casca do pau.
Cada vez que se deixa essa casca em uma
Festas como essas da Barra Velha casa, aquela família ganha energia
juntam os amigos e movimentam o positiva, para que a paz possa reinar cada
comércio local. Venha participar! vez mais naquele lar.
Fonte: Livro, Leituras Pataxó (Raízes e
Festa de São Braz - Barra Velha Vivências do povo Pataxó nas Escolas)
3 de fevereiro
Festa de Reis - Barra Velha
Essa festa é recente na comunidade
indígena de Barra Velha, surgiu mais ou 08 de dezembro a 06 de janeiro
menos na década de 1980, quando a Uma das atrações da festa são os
família Braz se Arquivo Barra Velha f o l i õ e s , q u e
reuniu e decidiu vestem máscaras
comemorar essa c antando e
data em sua tocando instru-
homenagem. mentos musicais.
Logo nas No dia de
primeiras festas, Natal as másca-
cada família ras são vestidas
colabora como pelas crianças.
pode. Arrecadam "É uma ma-
kaiambá (dinhei- neira de tirar a
ro) e compram O mastro de São Bráz entra nas casas garotada do mau
porcos, vacas. caminho”, explica
Tudo é dividido pela comunidade, nenhuma Pedro Assunção Miranda, também
família fica sem comida. conhecido como Pedro Piroca, um dos
Os festejos começam no dia 1º de coordenadores da festa.
fevereiro, com um samba na casa dos A Festa de Reis é um evento humilde,
festeiros.No dia 3 encerram-se os festejos. mas que retrata fielmente a cultura do seu
É quando todos vão para a mata buscar um povo na época da apresentação.
mastro de madeira que simboliza o santo. As músicas entoadas transmitem a luta
Chegando à aldeia com o mastro, saem de um povo sofrido por dias melhores para
visitando todas as casas, deixando em sua gente.

TANARA - 9
Cultura indígena

A beleza do artesanato pataxó


Marciel F. de Souza, de Cumuruxatiba, plantadas nos quintais dos artesãos. A
Maria da Penha Braz Bomfim e Renata maioria têm nomes de origem indígena:
F. Nascimento, de Barra Velha
pacari, mauí, pariri, tingui, salsa de olho,
olho de pombo, entre outras.
A aldeia de Barra Velha, no município de
Porto Seguro, é uma das comunidades da Depois de colher as sementes, as
melhores são selecionadas pelo tamanho,
Resex que mais trabalha com artesanato.
e pela qualidade. Antes de produzir o
Grande parte de Fotos: Peninha artesanato elas são tratadas
seus três mil habitan-
tes vive basicamente
da produção de
colares, brincos e pul-
seiras feitos com
sementes. Antiga-
mente a aldeia produ-
zia muito artesanato
em madeira. Só que
como hoje está difícil de consegui-la, para ficarem livres
e a mata precisa ser preservada, de pragas e de
vários trabalhos de conscientização bolor. Os artesãos
foram realizados e a comunidade usam para isso
está adotando as sementes como uma fórmula com-
principal matéria-prima. posta de óleos
vegetais, que per-
Cada modelo de artesanato tem Um pouco do artesanato mite a durabilida-
cores com significados diferentes. Verde e
de por pelo menos dois anos.
amarelo trazem sorte; o vermelho, proteção
espiritual - essa cor é a mais usada nos Barra Velha recebe turistas que querem
colares que os pataxós utilizam em rituais. conhecer sua cultura. A aldeia fica entre as
As sementes são colhidas na mata e comunidades de Corumbau e de Caraíva.
ECODRINHOS Por Nanda Azevedo

TANARA - 11
Nossos empresários apóiam
o lançamento do jornal.
Obrigado pela confiança!
Jocana
Clínica de Estética
Prado - (73) 3298-1830

Comercial
Cumuru

FARMÁCIA Padaria
M. Rodrigues K´SARA Cumuru

Cumuru e IMNIANSA S
d edM
T RTERME M
EspaSU
Artes Morro da Fumaça - Cumuruxatiba

TELE-PIZZA - 3573 1350 / 8827 8986