Você está na página 1de 36

INSTITUTO BÍBLICO EM TEOLOGIA DO MARANHÃO

JOCLESFRAN ALEXANDRE DA SILVA

A PRÁXIS PASTORAL DOS JOVENS OBREIROS DA ASSOCIAÇÃO BATISTA NA REGIÃO DOS COCAIS NOS CINCO PRIMEIROS ANOS DE MINISTÉRIO NA LIDERANÇA DA IGREJA LOCAL

BACABAL – MA 2014

JOCLESFRAN ALEXANDRE DA SILVA

A PRÁXIS PASTORAL DOS JOVENS OBREIROS DA ASSOCIAÇÃO BATISTA NA REGIÃO DOS COCAIS NOS CINCO PRIMEIROS ANOS DE MINISTÉRIO NA LIDERANÇA DA IGREJA LOCAL

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado junto à banca de avaliação do curso de Formação Teológica e Ministerial do Instituto Bíblico em Teologia do Maranhão como um dos prérequisitos para a obtenção do grau de Bacharel em Teologia. Orientador: Profº. Rafael da Silva Sá

BACABAL – MA 2014

INSTITUTO BÍBLICO EM TEOLOGIA DO MARANHÃO

A PRÁXIS PASTORAL DOS JOVENS OBREIROS DA ASSOCIAÇÃO BATISTA NA REGIÃO DOS COCAIS NOS CINCO PRIMEIROS ANOS DE MINISTÉRIO NA LIDERANÇA DA IGREJA LOCAL

JOCLESFRAN ALEXANDRE DA SILVA

Aprovado em: ___/___/___

BANCA EXAMINADORA

________________________________________ 1º Examinador

_______________________________________ 2º Examinador

______________________________________ 3º Examinador

DEDICO. .A minha esposa Josélia e a minhas filhas Ana Júlia e Josiane Acsa que tanto amo.

professores. .  Ao meu primeiro pastor.AGRADECIMENTOS  Ao Deus Supremo. que me fortalece e está no controle da minha vida todo o tempo. Josefran.  Aos meus irmãos de sangue. herança do Senhor pra mim.  À minha amada esposa Josélia. autor e conservador da vida.  Aos irmãos em Cristo do Curso de Formação Teológica. coordenadores e cozinheiros.  À minha mãe Lucilene. obrigado pela força e incentivo na elaboração deste trabalho. O tio ama vocês.  Ao meu tio Adonias. que ao ouvir que eu desejava ser pastor não me apoiou. que sempre me incentivou. Senhor de todas as coisas. o rebanho que Deus me permitiu pastorear neste tempo. que de forma especial e carinhosa me deu força e ânimo.  Aos meus sobrinhos. Cleirislene e Walderlayne. Manuela. mas depois de reconhecer meu Chamado.  A 1ª Igreja Batista de Gonçalves Dias. Kayla e Laís.  Sou grato ao pastor Rafael da Silva Sá pela orientação neste trabalho. que sempre me inspirou por seu exemplo de cristão. por terem acreditado em mim e me apoiado nessa missão. Eutimídio Júnior. Neyderman e Claudeílton. pelos quatro maravilhosos anos nos quais trabalhamos juntos.  Aos irmãos da Igreja Batista Betel em Dom Pedro – MA. pelo amor e educação que recebi.  À minhas filhas Ana Júlia e Josiane Acsa. Otoniel. e por investirem financeiramente na minha formação teológica. bênçãos do Senhor na minha vida. Eu amo vocês. Adiel.  Aos meus grandes amigos. é um dos meus maiores incentivadores. me conduziu a Cristo no ano de 1998.  Ao meu Pai Valdir Oliveira. que por sua perseverança.  Não posso deixar de agradecer ao meu querido primo Adaílton Martins. Jadson.  Ao meu amigo e colega de ministério Antônio Fábio Lemos Batista. Waldilene. Raimundo Reis Campos e sua esposa Aline Brandão. que me ilumina e orienta. Valdiney. me ajudando nos momentos mais desafiadores.

Anaximandro Rolins. Francisco Santos. A TODOS O MEU AGRADECIMENTO.  Aos amigos destes quatro anos de estudo. Rossemilton.  Desde já peço perdão aos que no momento não me lembrei de agradecer. Clayton. Edmar e Anízio. saibam que vocês tiveram participação nesse trabalho. José Carlos. Aroldo. em especial Emanuel. Obrigado pelos momentos de alegria e amizade. que foi a “ponte” para que isso se tornasse possível. Ramilson. Carlos Finney. Anairruximandro Carneiro. À Associação Batista na Região dos Cocais por me receberem de volta. após quase três anos ausente. . especialmente ao pastor Gilmar. Cosme Alexandre.

” . Nisso consiste seu ônus e seu privilégio.“Sua tarefa é o trabalho de Deus. Por ela é você responsável.

mas que em breve dirão sim ao Chamado do Mestre. serviço do Reino. como também um formidável material para pastores. jovens ou não. Outro aspecto que não deve passar desapercebido. que se preocupam em dar o melhor de si mesmos para o avanço da obra de Deus e da saúde do rebanho de Cristo Jesus. práxis pastoral. tende a enfrentar as oposições de formas igualmente ousadas e. é a práxis pastoral destes jovens obreiros. somada a um grande desejo de servir ao Senhor e à Sua igreja.RESUMO A vida de um pastor é cercada de bastantes desafios. Palavras-chaves O jovem pastor. . até inconsequentes. Estes desafios são muito mais evidentes quando a pouca idade deste obreiro torna-se um peso extra. Chamado do Mestre. O jovem pastor é extremamente dinâmico e assaz determinado com respeito ao seu serviço no Reino. por isso. que nada mais é que uma mescla de boa vontade precipitada e inexperiência. atitudes estas. às vezes. Este trabalho se propõe a ser uma importante ajuda para os futuros pastores que ainda não engrossam as fileiras de obreiros da grande Seara do Senhor. que acarretam a muitos destes pastores jovens abandonarem a estrada ministerial antes de cumprirem a carreira.

and this is an attitude that leads many of those young pastors to leave the path of ministry before finishing their career. it is as well a outstanding material for pastors. . and sometimes it is an inconsequent way. who care about giving the best of themselves to the prosperity of God’s work. Another aspect that should not be ignored is the pastoral praxis of those young workers. pastoral praxis. may they be young or not. Keywords The young shepherd. These challenges are more evident when this worker’s youth becomes an extra burden. Calling of the Master. This work intends to be an important aid to future pastors who have not yet taken part in the great lines of workers of the Lord’s Field. service of the Kingdom. but who will soon say yes to the calling of the Master.ABSTRACT A pastor’s life is surrounded by plenty of challenges. and about the health of the flock of Christ Jesus. stressed by a strong desire to serve the Lord and His church. which is nothing but a mixture of good will and precipitated inexperience. The young shepherd is extremely dynamic and rather obstinate regarding his service in the Kingdom. hence he tends to face opposition in a similar way.

................... 13 1............................................. 36 ......................................... 21 CONSIDERAÇÕES FINAIS ...... 15 1.......3 Pr................. VALE A PENA SER PASTOR! ................................................. 28 ANEXO D: Entrevista com o Pr.... 32 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ...................................................... 16 2.....................................................4 Pr............................1................................1 ANÁLISE COMPARATIVA DE CINCO OBREIROS QUE INGRESSARAM BEM JOVENS NO MINISTÉRIO PASTORAL BATISTA ....................................... 15 1......................1............. Francisco Santos ...............................................1......................................................................... Rossemilton ....................................... Rossemilton ...................................... O PERFIL DO JOVEM PASTOR NA REGIÃO DOS COCAIS .....10 SUMÁRIO INTRODUÇÃO ................................................... Francisco Santos .............. 24 ANEXO B: Entrevista com o Pr............................... 12 1...........2 Pr..............................................1.......................................................................... INICIATIVA VERSUS INEXPERIÊNCIA .......... 23 ANEXOS ............... Edmar Sousa Maia .............................. 24 ANEXO A: Entrevista com o Ev......................................................................... Clayton Marcelino ............................................................1............ Clayton Marcelino ......................................... Antônio Fábio Lemos Batista ...................... 30 ANEXO E: Entrevista com o Pr...........5 Pr... 26 ANEXO C: Entrevista com o Pr........................ 14 1.. Antônio Fábio Lemos Batista ..................... Edmar Sousa Maia .. A CRISE DOS PRIMEIROS CINCO ANOS DE PASTORADO .................................................... 11 1.................... 13 1..1 Ev...................... 17 3............................... 19 4........

que tudo fazem para alcançar fama. . quantidade e a arrecadação financeira são os alvos principais. Na contramão deste procedimento contemporâneo difundido por uma grande faixa de pastores “superstar’s”. Será. Esta pesquisa abordará este tema delimitando-se na opinião expressada por alguns dos jovens pastores da Associação Batista Maranhense na Região dos Cocais (ao final nomeados). São jovens ministros que não tem dúvida do seu chamado. e de algumas obras que tratam com profundidade do assunto. O exercício do Ministério da Palavra tem sido implacavelmente influenciado pelo secularismo que visa corromper a verdadeira vocação pastoral. sem dúvida. reclamando para si o direito de dizerem que todos os outros estavam errados e que eles é que estão certos. mas que. A procura por uma vida de sucesso e segurança financeira tem feito dos jovens vocacionados meros profissionais de púlpito. poder e status. que no ímpeto de fazê-la com a dedicação que ela exige. há um Remanescente que anseiam serem os pastores segundo o coração de Deus. reiterando que a obediência ao chamado de Deus é a melhor decisão dos jovens vocacionados. uma obra que auxiliará os futuros pastores a entrarem no ministério sem uma falsa noção do que é o pastorado. Tão excelente. onde os números. O presente trabalho se propõe a ser uma contribuição valiosa aos jovens pastores em início de pastoreio e àqueles que pretendem ingressar na vida pastoral. que sabem que o Ministério da Palavra é sim uma obra mui excelente.11 INTRODUÇÃO A razão pela qual o referido tema é extremamente relevante baseia-se no ímpeto demonstrado pelos jovens obreiros que ingressam no ministério pastoral batista com um sentimento de reforma do sistema eclesiástico tradicional e que até anseiam “reescrever” a história da igreja. se precipitam e acabam por se deixarem iludir por um sentimento de que eles são a resposta para todos os problemas da igreja. aprendem que a aventura do ministério pastoral exige mais do que apenas empolgação. que voluntariamente responderam a um questionário sobre sua experiência pastoral em seus cinco primeiros anos à frente de igrejas ou congregações. após os primeiros anos.

Existem pessoas de quem se espera. um pastor mais experiente. mas tem sido frequente na vida dos jovens ministros. mas não atinaram que seria tão difícil como é. Ser pastor é uma tarefa difícil. E um agravante: A maioria não tinha um tutor. queremos aliados. 2000. porque se sentem abandonados. A este respeito. 10) _________________________________________ ¹A íntegra das entrevistas para esta pesquisa está nos Anexos. com toda razão. John Wilder. diagnosticou esta ocorrência: “De muitos e variados problemas se entretece a vida do pastor. para nos fazer companhia e nos aconselhar. compartilhou a sua própria experiência: Alguns. aos quais você se dirigirá e em cujo meio viverá”. somente 2 assumiram uma igreja já organizada como primeiro ministério. ordenaram-me e colocaram-me como pastor de uma congregação. Os entrevistados falaram abertamente sobre seu início à frente de suas primeiras igrejas e das impressões que passaram a ter após os seus cinco primeiros anos como pastores. para mentoreá-los. Eugene Peterson. dizendo ter interesses mais urgentes. sendo que os demais iniciaram sua vida pastoral à frente de congregações. Aqueles que eu pensei que seriam os meus companheiros na carreira desapareceram quando o trabalho começou. Em se tratando das características que são peculiares aos entrevistados. todos assumiram o desafio de pastorear sua primeira congregação ou igreja sem antes terem passado por um seminário teológico. sabiamente. (WILDER. que compartilhem a aventura e os compromissos do trabalho pastoral.12 1 O PERFIL DO JOVEM PASTOR NA REGIÃO DOS COCAIS A pesquisa ora apresentada é referendada por um questionário¹ respondido por cinco representantes dos poucos obreiros que ingressaram no ministério pastoral batista recentemente com idade entre 22 e 28 anos. (PETERSON. e me incluo entre estes. como complexo é o coração dos homens. p. Pouco tempo depois. A impressão que todos tinham antes de abraçarem a vida pastoral era que a obra do ministério é um grande privilégio e desafio maior ainda. Deverá você sabê-lo desde já. afastaram-se de mim. 5) Dos 5 pastores escolhidos para a pesquisa. estão irados com essa situação. São problemas complexos. . 1989. a partir da página 24. mediram minha capacidade. Isto é muito prejudicial. p. Por isso. Meus colegas me ensinaram o que é o ministério.

1 ANÁLISE COMPARATIVA DE CINCO OBREIROS QUE INGRESSARAM BEM JOVENS NO MINISTÉRIO PASTORAL BATISTA 1. para que estes não sofram como ele sofreu. enxergar as dificuldades de um ministério na própria “casa”. Seus ideais para o princípio do seu pastoreio era restaurar a imagem daquela igreja. . aceitou o convite para pastorear a Igreja Batista Betel na cidade de Dom Pedro MA (igreja esta da qual é membro desde a adolescência). copiar bastante o estilo de outros pastores. mais conhecido como Fábio Lemos. Em outro momento da entrevista. Disse sim a solicitação da igreja sem. O entrevistado alegou em sua fala que. Antônio Fábio Lemos Batista O evangelista Antônio Fábio Lemos Batista. o evangelista Fábio falou que alguns erros dos cinco primeiros anos ainda existem em seu ministério atual. pois. depois das dificuldades e experiências que vivenciou. tem se dedicado o máximo que pode para ajudar os novos obreiros. quando tinha a idade de 28 anos. Ao surgirem as primeiras críticas ao seu ministério. segundo o que declarou. conhecida como uma igreja contenciosa.13 1. resolver problemas. sendo 9 destes pastoreando a mesma igreja. Outro aspecto salientado pelo entrevistado foi o fato de. contudo. hoje com 37 anos. mas em contrapartida. O evangelista Fábio. muitas das virtudes que possuía antes. ele se considerava a solução para os problemas daquela igreja. percebendo assim que não era um “super-homem”. Fábio não as recebia bem. como era um pastor ainda em formação. O entrevistado confessou que ao longo do seu ministério pensou várias vezes em desistir de ser pastor.1. não o fez com a intensidade que era necessária. Porém. apesar de ter buscado conselhos de pastores mais experientes. até hoje são características inerentes nele: Ajudar as pessoas. notou as falhas que cometera no pastoreio.1 Ev. ser pontual. etc. após completar 6 anos na liderança da IB Betel. a sua primeira igreja.

na mesma cidade. este método serviu até para sanar as primeiras objeções as seu pastoreio. Rossemilton entendeu que não era um “super-homem” e. o trabalho seria extremamente fácil. não desviou seu foco que era ganhar muitas pessoas para Jesus. Ao surgirem sérios problemas na área familiar. o ajudariam a realizar seu trabalho. Segundo ele. o pastor Rossemilton de hoje disse que orientaria o pastor Rossemilton de ontem a não permitir que a ansiedade controlasse a sua vida e também para que não agisse sozinho. está a assistência à família. orava. por uma ou duas vezes. porque as ovelhas. amabilidade e compreensão. como um todo. Mas.14 1. porém determinado. O entrevistado não tinha o hábito frequente de pedir conselhos aos pastores mais experientes. e para isso. Rossemilton esperava que a vida do pastor fosse tranquila e sem preocupações. apesar de ter melhorado um pouco. igreja esta que tem como Igreja-Mãe a Igreja Batista Pioneira. sobre que conselhos daria a si mesmo. . há de igual modo ainda hoje virtudes de outrora como sinceridade. preferia agir sozinho. Dos erros remanescentes do início de ministério que ainda possui. Logo. pois.2 Pr. ingressou no ministério pastoral aos 27 anos de idade à frente da Congregação Batista do Bairro Mutirão em Bacabal – MA. por isso não olhou para trás. Indagado acerca da impressão que tinha do ministério pastoral antes de entrar efetivamente no mesmo. construir o Templo e formar ministérios que funcionassem bem. ansioso. Ele se via imaturo. constatou que este pensamento era equivocado. segundo ele. atual presidente da subsecção da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil – Seção Maranhense. Quando perguntado se pudesse voltar no tempo com a experiência adquirida ao longo destes anos. mas que tivesse cooperadores.1. pensou em desistir do ministério pastoral. porém ainda assim. Rossemilton Alencar Rossemilton Nascimento Alencar.

Esta prática o ajudou a agir com naturalidade quando surgiram as primeiras objeções à sua liderança.15 1. nem o fez pensar em abandonar o ministério pastoral. diferente dos demais pastores entrevistados por este autor. Edmar Sousa Maia O pastor Edmar Sousa Maia saiu de Bacabal – MA para pastorear sua primeira congregação. devido crescimento da igreja. Quando perguntado sobre sua busca ou não de conselhos dos pastores mais experientes.1. . Edmar disse que teve que agir à sua maneira por não conseguir a atenção deles. aos 23 anos de idade. Clayton aspirava para sua primeira igreja que ela fosse relevante para a sociedade na qual estava inserida e que fosse fiel cumpridora da Grande Comissão de Jesus. o jovem pastor Clayton logo percebeu que sua capacidade era limitada e que não poderia mais acompanhar a tudo e a todos. sabendo que seria um grande desafio. pois sua meta era emancipá-la da Primeira Igreja Batista de Caxias. Nos cinco anos que passou à frente de sua primeira congregação. Clayton Marcelino O pastor Clayton Marcelino Fortuna abraçou o ministério pastoral com a idade de 23 anos ao assumir a Congregação Batista Betel em Aldeias Altas – MA. o entrevistado declarou não haver vivenciado nenhuma objeção ao seu ministério.1. Ele. 1. sabendo que seria um grande desafio. mas que Deus o orientaria. Mas ainda assim. E afirmou que aqueles anos constituíram um firme alicerce para sua vida como pastor. De estilo próprio. buscou e recebeu orientações de pastores mais experientes. isto não o desanimou.4 Pr.3 Pr. estando no controle de tudo. a Congregação Batista no bairro Volta Redonda na cidade de Caxias – MA.

o pastor Francisco Santos aceitou a incumbência de apascentar o rebanho da Primeira Igreja Batista em Angical (Povoado de Presidente Dutra . sempre me via mais sábio e capaz que todos os que. e as crises ministeriais enfrentadas por eles. À priori. na vida do jovem pastor Francisco não foi diferente.16 A avaliação que ele fazia de si mesmo quando iniciou o pastoreio é que era inexperiente e que agia por impulso. tudo isso por agir por conta própria. transparência. coragem. pois segundo o que declarou. com relação a sua busca ou não de conselheiros para seu início de ministério. com maestria se sairia muito bem. algumas virtudes do passado daquele jovem no começo de ministério como: Honestidade. pensava consigo mesmo que. continuam até hoje em sua práxis pastoral.5 Pr. assim como esta prática indesejada permanece até hoje em sua vida. pastor Francisco declarou o seguinte: À princípio. Francisco via o ministério pastoral como algo fácil de se viver. Francisco Santos Aos 22 anos de idade. revelou que um dos equívocos que cometia no início de seu ministério e que ainda possui. ele agia satanizando tudo e todos de forma às vezes muito infantil e despreparada. pois ao observar a prática de seus pastores ao longo de muitos anos. amor. 33) Como as objeções ao ministério são praticamente inevitáveis.MA). Francisco nunca pensou em abandonar seu chamado e desistir de ser pastor. Porém. Assim. inclusive rever seus conceitos. 1. como todo iniciante. etc. da palavra haviam sido ministros antes de mim. o mesmo.1. . perdi muitas chances de resolver em menos tempo e sofrer menos desgastes com problemas que hoje vejo muito pequenos. O que o jovem pastor almejava para sua primeira igreja era desenvolver seus projetos na área da Apologética e do Evangelismo. caso estivesse no lugar deles. p. pois. o que o levou a repensar seu ministério. Sua ação foi a mais dura apresentada até aqui. Esta impulsividade ainda persiste em incomodá-lo. (ANEXO E. Mas. Apesar destes contratempos. é falar mais do que ouvir.

fazendo os jovens buscarem outros. o ministro de Deus deverá suspender seu julgamento até que esteja em condições de deliberar serenamente. E nesse estado pode ser levado a fazer promessas efusivas. Da mesma maneira o pastor jovem é também muito impetuoso. a felicidade de uma surpresa agradável. Havendo dúvidas quanto ao modo de agir. É inerente ao jovem o movimento. Este pensamento foi o causador de sua resposta à pergunta referente as coisas que ele mais sente falta desde que começou a pastorear. assim como aqueles declarou que muito se alegraria se um dos seus filhos (ou futuros filhos) quisesse abraçar a carreira ministerial. 1989. as boas oportunidades que desperdiçou. difíceis de serem cumpridas. deveras surpreendente o que um momento de oração ou uma noite de sono pode fazer em relação a suas opiniões. o alívio que se segue a uma angústia prolongada. John B. são facilmente postas de lado em detrimento de outras “melhores” que vão surgindo. Uma experiência grandiosa. cheio de ideias e com extrema vontade de “mostrar serviço”. o pastor que começou a pastorear mais cedo do que os outros pastores entrevistados para este trabalho. a notícia de uma vitória inesperada. ele e os demais entrevistados ainda acreditam no ministério pastoral.17 Durante os primeiros anos do pastorado de Francisco Santos. (WILDER. ou seja. Uma hora de exaltação pode esconder sérios perigos para o pensamento do homem. a despeito das lutas e desafios impostos ao pastor. como os objetos mencionados anteriormente. depois que tudo passar. só para citar alguns) são rapidamente dominados e logo logo superados. mais ou menos por julgar a todos por causa de um. Essas ideias são bastante maleáveis e. 2 INICIATIVA VERSUS INEXPERIÊNCIA As atitudes correlacionadas aos jovens são continuamente de iniciativa. ação.. a impetuosidade. Um exemplo disso é a velocidade com a qual os objetos usados por eles (os eletrônicos. Wilder escreveu sabiamente: Poucas coisas serão tão urgentes que exijam ação imediata. são todas causadoras de estados de alma que podem fazer que o homem perca seu equilíbrio emocional. Pastor Francisco. p. Sobre esse assunto. 34) . este se via como vítima dos irmãos da igreja local e dos colegas pastores. Isto demonstra que.. e outros. a rapidez.

p. sua inexperiência acaba sendo um tremendo empecilho. porque nela pode estar a chave desejada para resolvê-los com sabedoria. a opinião de John B. 1989. É conhecimento indispensável a quem vive entre grupos humanos (. devido ao tempo e a bagagem que adquiriram ao longo dos anos. 27) Assim. Seja humilde para aprender com eles. Esses já passaram pelo caminho em que você vai agora tateando. que indiscriminadamente são cometidos e já tornaram-se um lugar comum aos “pastores de primeira viagem”. por outro lado. a experiência desses velhos lutadores deverá ser tida em conta por você.. pois já viram muita coisa que o jovem pastor ainda não viu: Para muitos problemas ordinários as soluções já estão dadas de antemão por pastores que. Porém. Wilder é assaz relevante: O pastor deve ser homem preparado em relações humanas. já toparam com eles. e sobre a vida. poder-se-iam evitar erros crassos. (WILDER.) Valha-se. pois nessa fase. para os quais você talvez não encontre imediata solução. de qualquer modo. o pastor jovem é frequentemente vencido pela vanglória e orgulho. . Outros. antes de você. (WILDER. pensando de si mesmo. Por isso. Mas. da experiência dos velhos pastores. mas também no convívio com irmãos idôneos que. 1989. contra eles se arremeteram e os resolveram. p. ser mais dedicado do que os outros. também tem muito para ensinar com relação à igreja. Tiram-se acertos de erros. se lhe depararão. Se assim o fizessem. Há neles um conhecimento de experiências tidas. Esses auxílios encontram-se principalmente no contato com pastores mais experientes. 10) Este conselho de John Wilder deveria ocupar um lugar de destaque no coração e na práxis pastoral dos jovens ministros. deve buscar o máximo de subsídios que puder. esquecendo-se que um dos principais requisitos para um ministro do evangelho é a humildade. apesar de estarem debaixo de sua liderança.. e que portanto.18 O jovem pastor possui um grande desejo de agradar a Deus e se esforça para obter êxito nesta empreitada. os enfrentaram. como também pastores mais velhos não a encontraram de pronto ou talvez nunca. novos. o que todo pastor jovem deve ter em mente é que ele é um ministro em formação.

local de atuação e comportamento. p. METAS . mas uma ajuda. porém. esta crise pode ser bem mais cedo do que os primeiros cinco anos. consequentemente muda de estratégia. Sobre este perigo. 2013. muitas coisas mudam. 3) FILOSOFIA DE TRABALHO – Ainda em formação. Alguns após longos anos de ministérios fracassados dividem Igrejas. dentre estes. 15) . percebe que é melhor “partir pra outra” meta ainda mais revolucionária ou o contrário. seja ela batista ou de qualquer outra denominação evangélica. para todo aquele que sente o chamado para apascentar o rebanho de Deus. 2008. Sobre este fato. E como isso não é garantia de êxito igual na igreja que preside. a título de pesquisa.19 3 A CRISE DOS PRIMEIROS CINCO ANOS DE PASTORADO É evidente que.Um obreiro em início de ministério tende a ser muito agressivo (no bom sentido da palavra) com relação a seus objetivos. os cinco anos iniciais de um obreiro na liderança de uma congregação. afinal este trabalho não pretende ser a resposta definitiva para um assunto tão abrangente. assim sendo. entre elas podem-se destacar as seguintes: Metas. e a razão deste ímpeto extremado é o fato de crer que estes alvos são aplicáveis naquela igreja. porém. No afã da eficácia e dos resultados rápidos. (SANCHES. Em cinco anos. como ainda não possui uma filosofia de trabalho particular. o pastor jovem está à procura de um estilo próprio. muitos princípios caros dos batistas estão sendo sacrificados. são razoavelmente suficientes para termos uma visão panorâmica do tema. As igrejas se multiplicam por divisões e não por gestação normal. Júlio Oliveira Sanches salienta: Entregue à própria sorte o novo pastor não sabe o que fazer e como fazer. a prática democrática das igrejas de tomar suas decisões. (ESPÍRITO SANTO. depois de muito insistir. filosofia de trabalho. p. pastores e pastoras estão recebendo de forma acrítica ideias de autores evangélicos norte-americanos. em casos excepcionais. separam famílias e excitam o ódio entre as ovelhas do Senhor. acaba seguindo o que é tendência em outros ministérios mundo à fora. Eliseu Roque do Espírito Santo declarou acertadamente: Fascinados e fascinadas pelo crescimento explosivo de algumas igrejas norte-americanas. ainda que ínfima.

A direção deste comentário é crítico e é uma questão de integridade teológica. a instabilidade não é apenas na vida do pastor. Em resumo. mas também na vida da família do pastor. muda de cidade. iniciando o mesmo com a idade de 19 anos. sem falar que acarreta sérios traumas para o jovem pastor e seus familiares. Isso tem implicações sérias. p. Como. porém estas que foram apresentadas são fruto de conversas informais com obreiros que se encaixam no perfil desta pesquisa e experiências particulares deste autor². 69) Como já explicitado acima. o que prejudica imensamente a maturação do jovem ministro. etc. afim de que evite deslizes nesta área. rearranjar tudo na nova residência. muda de ambiente. necessitam mudar de escola e passam a ter dificuldades em sua formação pessoal e futura. e isto. se não for feito com sabedoria. deveria ser o retrato da igreja? Essa é a pergunta certa e exige o devido ponto de partida. Sem contar com os novos problemas que vão surgir. pois cria instabilidade nos filhos que não conseguem ter amizades estáveis. ________________________________________ ²Pastor Joclesfran Alexandre da Silva – Atua no ministério pastoral desde 2001. portanto. Observe a informação levantada por Lourenço Stelio Rega: Tenho sido informado que a média de “turnover” (período do tempo de atuação) ministerial numa igreja é cerca de 3 a 5 anos. busca pela compreensão de nova cultura da igreja ou organização que vai assumir. duas e até três vezes de igreja. Isto é. Para prover subsídios para o jovem pastor. com uma eclesiologia poderosa e transformadora. p. pode acarretar sérios prejuízos para o pastor jovem e para igreja em que atua. a cada 3 ou 5 anos o pastor muda de igreja. É claro que podem existir mais crises. Discussões e conclusões dependem de pontos de partida adequados. as esposas de pastores precisam se reambientar em nova moradia. a proposta deste trabalho não é ser um fim em si mesmo. 1999. David Fisher dá um excelente conselho: O ministério pastoral. (FISHER. 14) COMPORTAMENTO – Em cinco anos (este período pode ser mais breve ainda) o obreiro pode ter passado de uma atitude moderada liturgicamente para uma mais “avivada”. então.20 LOCAL DE ATUAÇÃO – Pode parecer absurdo. mas em cinco anos há obreiros que mudam uma. buscar por novas amigas por ter perdido as do ministério anterior. (REGA. 2013. . deve começar de maneira adequada.

Nossa identidade encontra-se em seu Filho. Um mix de situações permeou este primeiro ano: Fui amado. com frequência alarmante”. Este fato é notório no relato de um jovem pastor chamado Roberto Meireles Rodrigues. p. Descobri que ser pastor é algo que está muito além da minha miserável pessoa. mas também fui mal quisto. Nossa maior dificuldade é mantermos o delicado equilíbrio entre a descoberta de nossa identidade e as ordens de avançar em Cristo e amar a igreja com a sensibilidade adequada. mas também fui caluniado. Fui bem falado. 5). (RODRIGUES. em todas estas situações. 1999. 1) Apesar de. mas também fui esquecido. A afirmação de . Mais a prática requer Graça e Misericórdia da parte de Deus para o sustento. Fui lembrado. desviando-se para a direita e para a esquerda. revelou sua experiência pessoal: Minhas teses e teorias sobre o ministério muitas delas foram desbancadas pelo cotidiano eclesiástico. Que o diga David Fisher: Portanto. que nos chamou para o seu serviço. Inclusive alguns dos pretensos candidatos a pastores. saibamos que nossas principais orientações vêm de Deus. ser pastor é desfrutar de uma vida sem dificuldades e de status quo. em seu artigo intitulado “O ministério pastoral sobre a cosmovisão de um jovem pastor”. quando o candidato torna-se legitimamente pastor. Porém. Pois este dom me foi entregue pela imposição de mãos dos profetas de Deus. Mas. Comecei a entender na pele o que muitas vezes. Aprendamos a viver sob o sorriso de Deus.21 4 VALE A PENA SER PASTOR! Para quem observa de fora. esta visão distorcida da realidade pastoral é imediatamente lançada por terra. aprendi com Jesus a. mas também fui desonrado. mas também fui rejeitado. ser ministro do Evangelho ainda é o maior encargo que um homem pode receber. p. aparentemente. 23) “Os pastores estão abandonando seus postos. Que o fizeram pelo consentimento do Supremo Pastor. p. Fui honrado. as descrições de alguns ministros sobre o “ser pastor” parecerem apocalípticas. (FISHER. A teoria é boa. Fui bem quisto. exercer o dom que há em mim. Nosso senso de propósito e sucesso deve vir de nossa identidade como servos de Cristo. cientes que a alegria humana não passa de glacê no bolo divino. A grande maioria das pessoas que estão nas igrejas pensam assim. entendia na teoria. 2000. quando o mesmo. (PETERSON. 2012.

ou pelo menos aquelas com quem convivemos mais estreitamente. na realidade. o bem e o mal. conhecedores de mistérios: ter um porte reverente. o sofrimento e a alegria. muitos ministros do Evangelho tem se afastado do real propósito do seu chamamento. ainda que haja um sem número de pseudo-pastores. introduzir em nossas conversas e palestras palavras eruditas em quantidade suficiente apenas para convencer os outros de que nosso treino mental está um pouco acima do que o da congregação. págs. vale a pena ser pastor! . Peterson acrescenta: Não conheço outra profissão em que seja tão fácil fingir como a nossa. cultivar uma voz empostada. De fato. em relação a obra e o rebanho de Deus. em resposta a essas petições. estamos cercados por enormes mistérios. esses ceifeiros. Porém..22 Eugene Peterson.. perdão. consequentemente. como a vida e a morte.) Os aspectos públicos e. Finalmente. ou seja. (PETERSON. outros devido à leviandade. suspiros cheios de simpatia ou toques repletos de compaixão (. Portanto. Por essas e por outras. alguns por causa das lutas que são próprias da missão pastoral. não é nem um pouco exagerada. Podemos insinuar familiaridade com esses assuntos profundos com gestos. Existem comportamentos que podemos adotar para sermos considerados. o Senhor da Seara ainda está a ouvir as orações dos seus servos e. continua a enviar trabalhadores para Sua seara. 9 e 10) É claro que ter conhecimento destes fatos pode ser desmotivador para o jovem que aspira ser pastor. ou de pastores que declinaram suas armas espirituais. Copiar trechos das Escrituras adequados para visitas domiciliares ou hospitalares e colocá-los discretamente no punho da camisa para uma rápida olhadinha no momento da necessidade também não é difícil. são os pastores segundo o Seu coração. sem nenhum questionamento. sabe que. E para ratificar o que tem sido dito deste o princípio deste capítulo: Sim. 2000. misericórdia. se há um ardor em seu peito. graça. apesar de permanecerem no pastorado. não o fazem com a dedicação e lealdade que este encargo exige. A maioria das pessoas. é possível aprender como fazer parte de algum comitê indo a algumas reuniões e anotando o que funciona e o que não dá certo. É possível plagiar sermões dos mestres e aprender a dirigir uma liturgia maquinalmente. é porque você também é vocacionado para esta grande missão. menos pessoais de nossa vida podem ser simulados com igual facilidade. Ainda podemos decorar meia-dúzia de orações que atendam a ocasiões em que nos pedem para fazer uma "oraçãozinha" para dar início a alguma reunião de forma apropriada.

E é essa responsabilidade que tem sido completamente abandonada. um é chamado pastor e se torna responsável por manter todos atentos a Deus. Edmar Maia. reunidos semana após semana perante Deus em cidades e vilarejos por todo o mundo. hão de impactar este Maranhão.. fazem parte de uma nova geração de ministros zelosos que o Senhor está levantando na Associação Batista na Região dos Cocais. 6) Não se pode fugir da realidade degradante na qual está atrelada a vida do pastor na atualidade.23 CONSIDERAÇÕES FINAIS Para concluir este trabalho. Estes cinco jovens homens de Deus. Os púlpitos das igrejas estão sendo utilizados por “homens amantes de si mesmos. e também com os mais experientes. Rossemilton Alencar. Remando contra esta maré revolta que se tornou o ministério pastoral nos dias que correm. p. Pelo contrário. (PETERSON. soberbos. o pensamento de Eugene Peterson sobre o ministério pastoral é extremamente pertinente: A verdade bíblica é que não existem igrejas cheias de sucesso. avarentos. o que há são comunidades de pecadores. que juntos com os outros pastores jovens como eles. blasfemos” . existem jovens pastores que não se deixam influenciar por estes ventos sedutores e que não negociam o seu Chamado. mas negam a eficácia dela”. que tem “a aparência de piedade. Clayton Marcelino e Francisco Santos. 2000. seduzi-lo a adotar estas mesmas práticas reprováveis. impedindo-o de ingressar no ministério pastoral efetivamente ou. Estes pastores foram representados aqui por Antônio Fábio. e estas atitudes podem minar as bases de um pretenso vocacionado. como fonte de enriquecimento e opressão ao rebanho. na pior das hipóteses. O Espírito Santo os reúne e trabalha neles. Nessas comunidades de pecadores. .. (2 Timóteo 3: 2 e 5). presunçosos.

mas não o suficiente. . na verdade. 2 – O QUE VOCÊ IDEALIZAVA PARA SUA PRIMEIRA IGREJA. ASSIM QUE A ASSUMIU? R= Crescimento e restauração em relação a imagem de igreja contenciosa. ANTÔNIO FÁBIO LEMOS BATISTA PASTOR ENTREVISTADO: Antônio Fábio Lemos Batista IGREJA ONDE INICIOU O PASTORADO: Igreja Batista Betel (Dom Pedro . reagia com dureza. Não enxergava as dificuldades do ministério. 3 – VOCÊ BUSCOU CONSELHOS DE PASTORES MAIS EXPERIENTES. 4 – COMO VOCÊ LIDOU QUANDO OCORRERAM AS PRIMEIRAS OBJEÇÕES AO SEU PASTOREIO? R= Sempre tive dificuldades em lidar com críticas. um questionário de 15 perguntas que serviram para nortear a pesquisa para conclusão deste trabalho.MA) IDADE QUE TINHA QUANDO INICIOU O MINISTÉRIO: 28 anos 1 – QUE IMPRESSÃO VOCÊ TINHA DO MINISTÉRIO PASTORAL ANTES DE INGRESSAR NELE EFTIVAMENTE? R= Como um privilégio. OU PREFIRIU AGIR POR CONTA PRÓPRIA NO INÍCIO DE SEU MINISTÉRIO? R= Sim busquei. ANEXO A: ENTREVISTA COM O EV.24 ANEXOS Este material é. Então.MA) IGREJA ATUAL: Igreja Batista Betel (Dom Pedro . mas o via como um chamado de Deus para servi-lo. sem ouvir a crítica antes. Os cinco pastores entrevistados responderam livremente às indagações sobre as questões que cercaram o início de seus respectivos ministérios e sua práxis pastoral nos primeiros 5 anos à frente de congregações e igrejas batistas localizadas na Região dos Cocais. no Estado do Maranhão.

quando comecei a perceber minhas falhas ministeriais. seja fiel”. VOCÊ PENSOU EM DESISTIR DO MINISTÉRIO PASTORAL? R= Muitas vezes. QUE CONSELHOS VOCÊ DARIA A SI MESMO. AO LONGO DESTES CINCO PRIMEIROS ANOS. 8 – NO INÍCO DE SEU MINISTÉRIO QUE AVALIAÇÃO VOCÊ FAZIA DE SI MESMO? R= A “Solução para os problemas da igreja”! 9 – QUE ERROS VOCÊ COMETEU NO INÍCO DE SEU MINISTÉRIO QUE AINDA SÃO FREQUENTES ATUALMENTE EM SUA VIDA? R= O cuidado com o Rol de membros. resolução de problemas e reconhecimento de meus erros.25 5 – VOCÊ TINHA UM ESTILO PRÓPRIO QUANDO COMEÇOU A PASTOREAR. MAS QUE AS MANTÊM ATÉ HOJE EM SEU MINISTÉRIO? R= Ajudar pessoas. OU DEIXA QUE DESCUBRAM POR SI MESMOS COMO FOI COM VOCÊ? . AQUELE JOVEM NO INÍCIO DA CARREIRA PASTORAL? R= “Nunca machuque ninguém. ENFIM. 6 – EM QUE MOMENTO VOCÊ. QUAL É A SUA ATITUDE PARA COM ELES? VOCÊ OS ADVERTE QUANTO AOS PERIGOS DO CAMINHO. 12 – SE PUDESSE VOLTAR NO TEMPO COM A EXPERIÊNCIA E BAGAGEM QUE AGORA POSSUI. AO VER JOVENS INGRESSANDO NO MINISTÉRIO. NO QUE SE REFERE AO SEU MINISTÉRIO? R= Da energia de todas as formas e das pessoas que foram embora ou se desviaram. 7 – QUANTAS VEZES. COMPREENDEU QUE NÃO ERA UM “SUPER-HOMEM”? R= Depois de 6 anos de ministério. pontualidade. planejamento financeiro anual e capacitação de líderes. OU “PLAGIOU” OUTROS PASTORES QUE VOCÊ ADMIRAVA? R= As duas coisas. 11 – QUE VIRTUDES VOCÊ TINHA ANTES. mas copiava bastante outros pastores. mantenha sua devocional a todo o custo. seja um estudioso. 10 – ALÉM DA JUVENTUDE DE OUTRORA DE QUANDO VOCÊ COMEÇOU A PASTOREAR. evite conflitos desnecessários. DO QUE MAIS VOCÊ SENTE FALTA. 13 – HOJE.

SE UM FILHO SEU QUISESSE SER PASTOR... ASSIM QUE A ASSUMIU? R= Ganhar o máximo possível de pessoas para Cristo.MA IDADE QUE TINHA QUANDO INICIOU O MINISTÉRIO: 27 anos 1 – QUE IMPRESSÃO VOCÊ TINHA DO MINISTÉRIO PASTORAL ANTES DE INGRESSAR NELE EFTIVAMENTE? R= Uma vida mais tranquila. 2 – O QUE VOCÊ IDEALIZAVA PARA SUA PRIMEIRA IGREJA. 3 – VOCÊ BUSCOU CONSELHOS DE PASTORES MAIS EXPERIENTES. 14 – DEPOIS DE VIVENCIAR DIVERSAS EXPERIÊNCIAS QUE MESCLAM VITÓRIAS E DERROTAS. sem muitas preocupações.26 R= Procuro ajudar e conversar o máximo que posso. . OU PREFIRIU AGIR POR CONTA PRÓPRIA NO INÍCIO DE SEU MINISTÉRIO? R= Em alguns momentos pedi conselhos. Achava que o pastor tinha a ajuda de todos da igreja para realizar seus trabalhos. 15 – EM SUMA: SEUS PRIMEIROS CINCO ANOS FORAM UM ALICERCE PARA O SEU MINISTÉRIO OU FOI UMA TEMPORADA DESASTROSA QUE VOCÊ GOSTARIA DE ESQUECER? R= Foi um alicerce e uma época de muito aprendizado. sempre orando a Deus. construir o templo e formar os ministérios para um bom funcionamento da Casa do Senhor. COMO VOCÊ REAGIRIA? R= Com muita alegria e cuidado. ANEXO B: ENTREVISTA COM O PR. ROSSEMILTON PASTOR ENTREVISTADO: Rossemilton Nascimento Alencar IGREJA ONDE INICIOU O PASTORADO: Congregação Batista no bairro Mutirão (Bacabal – MA) IGREJA ATUAL: Congregação Batista em Lima Campos . ALEGRIAS E DECEPÇÕES. mas na maioria das vezes agi por conta própria.

9 – QUE ERROS VOCÊ COMETEU NO INÍCO DE SEU MINISTÉRIO QUE AINDA SÃO FREQUENTES ATUALMENTE EM SUA VIDA? R= A assistência à família (presença). NO QUE SE REFERE AO SEU MINISTÉRIO? R= Dos relacionamentos mais pessoais. VOCÊ PENSOU EM DESISTIR DO MINISTÉRIO PASTORAL? R= Acredito que umas duas vezes. amabilidade e compreensão. sem a necessidade dos meios tecnológicos. Faça as coisas com alguém. AQUELE JOVEM NO INÍCIO DA CARREIRA PASTORAL? R= “Não permita que a ansiedade controle sua vida. MAS QUE AS MANTÊM ATÉ HOJE EM SEU MINISTÉRIO? R= Sinceridade. DO QUE MAIS VOCÊ SENTE FALTA. mas procurei em alguns momentos o estilo de outros pastores. AO LONGO DESTES CINCO PRIMEIROS ANOS. pois isto é muito importante para compreender o outro lado. ENFIM. 12 – SE PUDESSE VOLTAR NO TEMPO COM A EXPERIÊNCIA E BAGAGEM QUE AGORA POSSUI.: Isso já diminuiu bastante. OU “PLAGIOU” OUTROS PASTORES QUE VOCÊ ADMIRAVA? R= Fui eu mesmo. e não sozinho!” . 6 – EM QUE MOMENTO VOCÊ. 8 – NO INÍCO DE SEU MINISTÉRIO QUE AVALIAÇÃO VOCÊ FAZIA DE SI MESMO? R= Imaturo. porém determinado. COMPREENDEU QUE NÃO ERA UM “SUPER-HOMEM”? R=Quando enfrentei sérios problemas na área familiar. OBS. 5 – VOCÊ TINHA UM ESTILO PRÓPRIO QUANDO COMEÇOU A PASTOREAR.27 4 – COMO VOCÊ LIDOU QUANDO OCORRERAM AS PRIMEIRAS OBJEÇÕES AO SEU PASTOREIO? R= Orei ao Senhor pedindo sabedoria e utilizei o diálogo. 7 – QUANTAS VEZES. QUE CONSELHOS VOCÊ DARIA A SI MESMO. 10 – ALÉM DA JUVENTUDE DE OUTRORA DE QUANDO VOCÊ COMEÇOU A PASTOREAR. ansioso. 11 – QUE VIRTUDES VOCÊ TINHA ANTES.

3 – VOCÊ BUSCOU CONSELHOS DE PASTORES MAIS EXPERIENTES. SE UM FILHO SEU QUISESSE SER PASTOR... orientá-los. COMO VOCÊ REAGIRIA? R= Com muita alegria. ANEXO C: ENTREVISTA COM O PR. EDMAR SOUSA MAIA PASTOR ENTREVISTADO: Edmar Sousa Maia IGREJA ONDE INICIOU O PASTORADO: Congregação Batista Volta Redonda (Caxias . ASSIM QUE A ASSUMIU? R= Que a Congregação se tornasse igreja. OU DEIXA QUE DESCUBRAM POR SI MESMOS COMO FOI COM VOCÊ? R= Fico muito feliz e procuro. ALEGRIAS E DECEPÇÕES. 14 – DEPOIS DE VIVENCIAR DIVERSAS EXPERIÊNCIAS QUE MESCLAM VITÓRIAS E DERROTAS. 15 – EM SUMA: SEUS PRIMEIROS CINCO ANOS FORAM UM ALICERCE PARA O SEU MINISTÉRIO OU FOI UMA TEMPORADA DESASTROSA QUE VOCÊ GOSTARIA DE ESQUECER? R= Um alicerce. QUAL É A SUA ATITUDE PARA COM ELES? VOCÊ OS ADVERTE QUANTO AOS PERIGOS DO CAMINHO. 2 – O QUE VOCÊ IDEALIZAVA PARA SUA PRIMEIRA IGREJA.MA) IDADE QUE TINHA QUANDO INICIOU O MINISTÉRIO: 23 anos 1 – QUE IMPRESSÃO VOCÊ TINHA DO MINISTÉRIO PASTORAL ANTES DE INGRESSAR NELE EFTIVAMENTE? R= Que seria um grande desafio. OU PREFIRIU AGIR POR CONTA PRÓPRIA NO INÍCIO DE SEU MINISTÉRIO? . na medida do possível. AO VER JOVENS INGRESSANDO NO MINISTÉRIO.MA) IGREJA ATUAL: Igreja Batista Pioneira (Bacabal .28 13 – HOJE.

Aprendi que isso é utópico 10 – ALÉM DA JUVENTUDE DE OUTRORA DE QUANDO VOCÊ COMEÇOU A PASTOREAR. praticamente sozinho. 6 – EM QUE MOMENTO VOCÊ. 9 – QUE ERROS VOCÊ COMETEU NO INÍCO DE SEU MINISTÉRIO QUE AINDA SÃO FREQUENTES ATUALMENTE EM SUA VIDA? R= Buscar unanimidade nas decisões da congregação. OU “PLAGIOU” OUTROS PASTORES QUE VOCÊ ADMIRAVA? R= Se eu fosse de uma denominação neopentecostal. 8 – NO INÍCO DE SEU MINISTÉRIO QUE AVALIAÇÃO VOCÊ FAZIA DE SI MESMO? R= Que teria muita coisa a aprender. MAS QUE AS MANTÊM ATÉ HOJE EM SEU MINISTÉRIO? R= Seriedade. ENFIM.29 R= Agi por conta própria. 4 – COMO VOCÊ LIDOU QUANDO OCORRERAM AS PRIMEIRAS OBJEÇÕES AO SEU PASTOREIO? R= Não me lembro de nenhuma objeção ao meu ministério. DO QUE MAIS VOCÊ SENTE FALTA. tenho meu próprio estilo. AO LONGO DESTES CINCO PRIMEIROS ANOS. 12 – SE PUDESSE VOLTAR NO TEMPO COM A EXPERIÊNCIA E BAGAGEM QUE AGORA POSSUI. creio que plagiaria. VOCÊ PENSOU EM DESISTIR DO MINISTÉRIO PASTORAL? R= Nenhuma. QUE CONSELHOS VOCÊ DARIA A SI MESMO. porque não consegui a atenção e o tempo dos mais experientes. NO QUE SE REFERE AO SEU MINISTÉRIO? R= Dos momentos de passeio com os jovens. 11 – QUE VIRTUDES VOCÊ TINHA ANTES. compromisso e fidelidade à Palavra de Deus. felizmente. 5 – VOCÊ TINHA UM ESTILO PRÓPRIO QUANDO COMEÇOU A PASTOREAR. AQUELE JOVEM NO INÍCIO DA CARREIRA PASTORAL? . Mas. 7 – QUANTAS VEZES. COMPREENDEU QUE NÃO ERA UM “SUPER-HOMEM”? R= Nunca tive esse pensamento.

. ALEGRIAS E DECEPÇÕES. 15 – EM SUMA: SEUS PRIMEIROS CINCO ANOS FORAM UM ALICERCE PARA O SEU MINISTÉRIO OU FOI UMA TEMPORADA DESASTROSA QUE VOCÊ GOSTARIA DE ESQUECER? R= Sem dúvida. SE UM FILHO SEU QUISESSE SER PASTOR.MA) IDADE QUE TINHA QUANDO INICIOU O MINISTÉRIO: 23 anos 1 – QUE IMPRESSÃO VOCÊ TINHA DO MINISTÉRIO PASTORAL ANTES DE INGRESSAR NELE EFTIVAMENTE? R= Sabia que iria ser um ministério com muitos desafios. AO VER JOVENS INGRESSANDO NO MINISTÉRIO. 2 – O QUE VOCÊ IDEALIZAVA PARA SUA PRIMEIRA IGREJA. ANEXO D: ENTREVISTA COM O PR. QUAL É A SUA ATITUDE PARA COM ELES? VOCÊ OS ADVERTE QUANTO AOS PERIGOS DO CAMINHO. CLAYTON MARCELINO PASTOR ENTREVISTADO: Clayton Marcelino Fortuna IGREJA ONDE INICIOU O PASTORADO: Congregação Batista Betel (Aldeias Altas) IGREJA ATUAL: Congregação Batista Betel (Aldeias Altas . 14 – DEPOIS DE VIVENCIAR DIVERSAS EXPERIÊNCIAS QUE MESCLAM VITÓRIAS E DERROTAS.20).30 R= “Pregue a Palavra no poder do Espírito. . mas que Deus estaria no controle de tudo. foram um alicerce para meu ministério.. 13 – HOJE. COMO VOCÊ REAGIRIA? R= Seria o seu mentor. OU DEIXA QUE DESCUBRAM POR SI MESMOS COMO FOI COM VOCÊ? R= Dou conselhos para ajudá-los no decorrer do ministério. ASSIM QUE A ASSUMIU? R= Que fosse relevante para a sociedade e cumprisse a Grande Comissão (Mt 28:19. estude principalmente a Bíblia e não apartese da Doutrina”.

VOCÊ PENSOU EM DESISTIR DO MINISTÉRIO PASTORAL? R= Nunca parei para pensar nisso. NO QUE SE REFERE AO SEU MINISTÉRIO? R= Paciência. amor. etc. 8 – NO INÍCO DE SEU MINISTÉRIO QUE AVALIAÇÃO VOCÊ FAZIA DE SI MESMO? R= Pouco experiente e que agia por impulso. ENFIM. AO LONGO DESTES CINCO PRIMEIROS ANOS. 10 – ALÉM DA JUVENTUDE DE OUTRORA DE QUANDO VOCÊ COMEÇOU A PASTOREAR. 5 – VOCÊ TINHA UM ESTILO PRÓPRIO QUANDO COMEÇOU A PASTOREAR. transparência. 7 – QUANTAS VEZES. . DO QUE MAIS VOCÊ SENTE FALTA. coragem. OU “PLAGIOU” OUTROS PASTORES QUE VOCÊ ADMIRAVA? R= Próprio. AQUELE JOVEM NO INÍCIO DA CARREIRA PASTORAL? R= Para aprender a descansar mais em Deus. COMPREENDEU QUE NÃO ERA UM “SUPER-HOMEM”? R=Quando a Igreja cresceu e já não dava para acompanha a tudo e a todos. MAS QUE AS MANTÊM ATÉ HOJE EM SEU MINISTÉRIO? R= Honestidade.31 3 – VOCÊ BUSCOU CONSELHOS DE PASTORES MAIS EXPERIENTES. 6 – EM QUE MOMENTO VOCÊ. 11 – QUE VIRTUDES VOCÊ TINHA ANTES. QUE CONSELHOS VOCÊ DARIA A SI MESMO. OU PREFIRIU AGIR POR CONTA PRÓPRIA NO INÍCIO DE SEU MINISTÉRIO? R= Busquei conselhos de pastores mais experientes. 4 – COMO VOCÊ LIDOU QUANDO OCORRERAM AS PRIMEIRAS OBJEÇÕES AO SEU PASTOREIO? R= De forma normal e com naturalidade. 12 – SE PUDESSE VOLTAR NO TEMPO COM A EXPERIÊNCIA E BAGAGEM QUE AGORA POSSUI. 9 – QUE ERROS VOCÊ COMETEU NO INÍCO DE SEU MINISTÉRIO QUE AINDA SÃO FREQUENTES ATUALMENTE EM SUA VIDA? R= Falar mais do que escutar.

Dutra .MA IDADE QUE TINHA QUANDO INICIOU O MINISTÉRIO: 22 anos 1 – QUE IMPRESSÃO VOCÊ TINHA DO MINISTÉRIO PASTORAL ANTES DE INGRESSAR NELE EFTIVAMENTE? R= Me parecia que era algo muito fácil de viver. uma vez que ao longo de muitos anos acompanhei meus pastores enfrentando suas crises ministeriais. ALEGRIAS E DECEPÇÕES.. COMO VOCÊ REAGIRIA? R= Com Muita felicidade. OU DEIXA QUE DESCUBRAM POR SI MESMOS COMO FOI COM VOCÊ? R= Sempre aconselho sobre os perigos. AO VER JOVENS INGRESSANDO NO MINISTÉRIO. QUAL É A SUA ATITUDE PARA COM ELES? VOCÊ OS ADVERTE QUANTO AOS PERIGOS DO CAMINHO. caso estivesse no lugar deles. ASSIM QUE A ASSUMIU? R= Desenvolver todos os projetos que eu tinha em mente no que diz respeito tanto a apologética quanto ao evangelismo. FRANCISCO SANTOS PASTOR ENTREVISTADO: Francisco Santos IGREJA ONDE INICIOU O PASTORADO: PIB em Angical (Pres. confortando-os de que maior é o que está em nós do que o que está no mundo. 14 – DEPOIS DE VIVENCIAR DIVERSAS EXPERIÊNCIAS QUE MESCLAM VITÓRIAS E DERROTAS. .. SE UM FILHO SEU QUISESSE SER PASTOR. 15 – EM SUMA: SEUS PRIMEIROS CINCO ANOS FORAM UM ALICERCE PARA O SEU MINISTÉRIO OU FOI UMA TEMPORADA DESASTROSA QUE VOCÊ GOSTARIA DE ESQUECER? R= Um alicerce para meu ministério. 2 – O QUE VOCÊ IDEALIZAVA PARA SUA PRIMEIRA IGREJA. ANEXO E: ENTREVISTA COM O PR.MA) IGREJA ATUAL: PIB em Esperantinópolis .32 13 – HOJE. com maestria me sairia muito bem. Aí pensava comigo mesmo que.

perdi muitas chances de resolver em menos tempo e sofrer menos desgastes com problemas que hoje vejo muito pequenos. busquei com igual intensidade está pronto a abandonar. tudo isso por agir por conta própria. o que não me impede ainda hoje de admirar muitos colegas pastores. COMPREENDEU QUE NÃO ERA UM “SUPER-HOMEM”? R= Veja a 4ª resposta. mais ou menos por julgar a todos por causa de um. 7 – QUANTAS VEZES. costumava atribuir o insucesso à igreja. tão logo os identifiquei.33 3 – VOCÊ BUSCOU CONSELHOS DE PASTORES MAIS EXPERIENTES. 8 – NO INÍCO DE SEU MINISTÉRIO QUE AVALIAÇÃO VOCÊ FAZIA DE SI MESMO? R= Por ingenuidade sempre me vi com vítima dos irmãos da igreja local e dos colegas pastores. quando ficava a desejar ou não dava certo. OU PREFIRIU AGIR POR CONTA PRÓPRIA NO INÍCIO DE SEU MINISTÉRIO? R= A princípio. VOCÊ PENSOU EM DESISTIR DO MINISTÉRIO PASTORAL? R= Graças a Deus que nenhuma vez. como todo iniciante. ENFIM. AO LONGO DESTES CINCO PRIMEIROS ANOS. o que me proporcionou repensar meu ministério. e isso me assegura que é um eterno remar contra a maré. da palavra. 5 – VOCÊ TINHA UM ESTILO PRÓPRIO QUANDO COMEÇOU A PASTOREAR. pois sempre encarei com muita persistência as oposições. e sempre entendi que o ministério. sempre me via mais sábio e capaz que todos os que. bem assim como o ser um cristão sempre foi o que eu quero. A solução foi assumir que tudo que deu errado foi culpa/erro meu como líder. ou o sucesso foi acerto meu e da igreja). 9 – QUE ERROS VOCÊ COMETEU NO INÍCO DE SEU MINISTÉRIO QUE AINDA SÃO FREQUENTES ATUALMENTE EM SUA VIDA? R= No geral erros gramaticais no que diz respeito à verbalização dos meus raciocínios (Risos). inclusive rever meus conceitos. 4 – COMO VOCÊ LIDOU QUANDO OCORRERAM AS PRIMEIRAS OBJEÇÕES AO SEU PASTOREIO? R= Satanizando tudo e todos de forma às vezes muito infantil e despreparada. até mesmo aqueles que só conheço por livros. costumava atribuir isso ao meu trabalho. haviam sido ministros antes de mim. . (Ex: Quando alguma coisa dava certo no ministério. Pois erros de caráter pastoral. OU “PLAGIOU” OUTROS PASTORES QUE VOCÊ ADMIRAVA? R= Tinha e ainda tenho um estilo muito pessoal de trilhar como muita fé e esperança o caminho das pedras. 6 – EM QUE MOMENTO VOCÊ. vídeos e etc. Assim.

pois estes tais não servem a Cristo. é honesto e sincero etc. QUAL É A SUA ATITUDE PARA COM ELES? VOCÊ OS ADVERTE QUANTO AOS PERIGOS DO CAMINHO. MAS QUE AS MANTÊM ATÉ HOJE EM SEU MINISTÉRIO? R= A avaliação ministerial que faço com a igreja anualmente.: Nunca diga que existe crente Raimundo. Se dê ao trabalho de buscar e cultivar as virtudes de Filipenses 4:8 e 9 em você e em seus colegas do colegiado pastoral”. seja amável. SE UM FILHO SEU QUISESSE SER PASTOR. Francisco não use o púlpito para resolver problemas internos com indiretas. meu irmão. Francisco Saiba fazer diferenciação entre os que servem a Deus e os que não servem a Deus. crentes só existe um tipo e esse é verdadeiro. AO VER JOVENS INGRESSANDO NO MINISTÉRIO. Francisco. 12 – SE PUDESSE VOLTAR NO TEMPO COM A EXPERIÊNCIA E BAGAGEM QUE AGORA POSSUI. Pr. Pr.. 13 – HOJE. seja firme na doutrina.34 10 – ALÉM DA JUVENTUDE DE OUTRORA DE QUANDO VOCÊ COMEÇOU A PASTOREAR. NO QUE SE REFERE AO SEU MINISTÉRIO? R= As muitas e boas oportunidades que desperdicei.. seja cativante. onde os irmãos tem oportunidade de me escrever dizendo onde deixei à desejar e não atendi às necessidades da igreja. 14 – DEPOIS DE VIVENCIAR DIVERSAS EXPERIÊNCIAS QUE MESCLAM VITÓRIAS E DERROTAS. Francisco se ocupe em apreciar o que seus colegas têm de melhor.. são bodes e joio. (Ex. seja doce. DO QUE MAIS VOCÊ SENTE FALTA. A virtude me parece especialmente sendo vista quando os ouço me fazendo críticas severas e ainda assim não levo nada para o lado pessoal e sempre agir sem indiferença ou receio algum. sempre exijo que faça um pré-concilio para me prover das necessidades básicas do mesmo e poder indicar os melhores pontos nos quais o jovem pastor deve buscar um melhor preparo para sua vida ministerial. seja atraente em suas ministrações e sempre seja muito verdadeiro nisto tudo. QUE CONSELHOS VOCÊ DARIA A SI MESMO. AQUELE JOVEM NO INÍCIO DA CARREIRA PASTORAL? R= “Pr. sorvete e etc.) Pr. faça isso em particular e apenas com a pessoa em especifico. 11 – QUE VIRTUDES VOCÊ TINHA ANTES. COMO VOCÊ REAGIRIA? . também de escrever onde acertei ou supri com maestria as necessidades da igreja e de ouvi-los me oferecendo suas sugestões. OU DEIXA QUE DESCUBRAM POR SI MESMOS COMO FOI COM VOCÊ? R= Se for da igreja que pastoreio. ALEGRIAS E DECEPÇÕES.

. Continuaria a instruir em cada momento/situação a sua vida diária para viver com prazer a vida ministerial.35 R= Como o homem mais feliz dessa terra. 15 – EM SUMA: SEUS PRIMEIROS CINCO ANOS FORAM UM ALICERCE PARA O SEU MINISTÉRIO OU FOI UMA TEMPORADA DESASTROSA QUE VOCÊ GOSTARIA DE ESQUECER? R= Foi um misto de boa vontade precipitada com bom senso e prudência que acabaram por sedimentar as bases que alicerçaram minha fé e meu fundamento ministerial. pois ainda hoje vejo o ministério como a “excelente obra” que alguém pode almejar.

São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil. 14.blogspot. Observatório Batista. REGA. 2013. In: A Bíblia Sagrada: tradução revista e corrigida fiel. set. 1989. Volume 17.36 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 2 TIMÓTEO. 27 out. A Práxis Pastoral Batista à luz de uma pedagogia libertadora. Rio de Janeiro: Junta de Educação Religiosa e Publicações. John B. O ministério pastoral sobre a cosmovisão de um jovem pastor. 1999. 2013. 2000. Imposição de Mãos. 27 out. 2006. . Eugene H. O pastor do século 21: uma reflexão bíblica sobre os desafios do ministério pastoral no terceiro milênio. Roberto da Silva Meireles. WILDER. 4ª ed.-dez. Acesso em 17/12/2013. São Paulo: Vida. David. Lourenço Stelio. O Jovem Pastor. Bilhete de Sorocaba. 1ª ed. Rio de Janeiro: Textus. Júlio Oliveira. SANCHES. O Jornal Batista. O pastorado pode fazer mal à saúde (parte 3). Revista Eletrônica do Núcleo de Estudos e Pesquisa do Protestantismo (NEPP) da Escola Superior de Teologia.br/2012/06/oministerio-pastoral-sobre-cosmovisao. Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. FISHER.html. ESPÍRITO SANTO. O Jornal Batista. RODRIGUES. PETERSON. Um pastor segundo o coração de DEUS. p. In: http://prrobertomeireles. p. de 2008. 3. Eliseu Roque do.com.