Você está na página 1de 3

UFPR - SE - DTFE - Curso de Pedagogia Disciplina: FUNDAMENTOS DA EDUCACAO ESPECIAL Professora: Maria Augusta Bolsanello

INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ou ESCOLA Inclusiva

ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO ESCRITA e ORAL

1. ESCOLA / INSTITUIÇÃO: descrição RESUMIDA das características da instituição/escola (no máximo em 10 linhas): localização, filosofia, convênios.

2. DADOS SOBRE A CLIENTELA DA ESCOLA:

- Quem são os alunos: qual sua necessidade especial, idade, escolaridade.

- Atividades realizadas pelos alunos: estudo, esportes, brincadeiras, lazer, etc.

3. ABORDAGENS DE INTERVENÇÃO/REABILITAÇÃO E ENSINO ESCOLAR:

- Modelos de Intervenção. - Metodologia educacional utilizada. - Exemplos de atividades educacionais.

4. RELAÇÃO ESCOLA x FAMÍLIA x ESCOLA REGULAR

-De que forma os pais e familiares participam da escola. -De que maneira a escola interage com a escola regular.

- O que a escola pensa sobre a Inclusão.

5. CONCLUSÃO (REFLEXÃO de cada membro da equipe SOBRE O ESTUDO EFETUADO)

ORIENTAÇÕES PARA A APRESENTAÇÃO DA VISITA À INSTITUIÇÃO

1. A equipe deve contatar com a instituição que oferta ensino especial ou escola inclusiva, a fim de conhecer suas características e finalidades.

2. O estudo deve ter uma parte escrita (relatório) e uma parte oral. A parte oral será avaliada de forma individual, assim cada membro da equipe deverá apresentar-se. Leitura não será permitida.

3. O estudo deve ser feito em equipe, que o apresentará em forma de seminário. Após a apresentação pela equipe, será realizado um debate.

4. No caso de trazer pessoas com NEE para depoimentos, a equipe deverá apresentar o trabalho no início da aula.

5. O roteiro acima poderá ser modificado de acordo com as necessidades da equipe.

6. Os recursos didáticos podem ser variados e devem ser marcados com antecedência, no segundo andar, com o Sr. Márcio.

7. Critérios da avaliação oral: conteúdo; apresentação didática; recursos; reflexão de cada membro da equipe sobre o estudo realizado.

8. Critérios da avaliação escrita: conteúdo; apresentação didática do conteúdo; reflexão de cada membro da equipe sobre o estudo realizado.

UFPR - SE - DTFE - Curso de Pedagogia Disciplina: FUNDAMENTOS DA EDUCACAO ESPECIAL Professora: Maria Augusta Bolsanello

ESTUDO DE CASO 1 (até idade adulta)

ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO ESCRITA e ORAL

1. DEFICIÊNCIA ou TGD: descrição RESUMIDA da deficiência ou TGD da pessoa que participará do estudo de caso. Por exemplo: se a pessoa for cega devido ao glaucoma definir o glaucoma, principais causas e sintomas (no máximo em 10 linhas).

2. DADOS SOBRE A PESSOA, sujeito do Estudo de Caso:

- Nome (iniciais), sexo, idade.

- Características psicológicas: temperamento, humor, afetividade, habilidades, etc.

- Atividades: estudo, esportes, brincadeiras, lazer, etc.

3. SE A PESSOA TIVER CONDIÇÕES DE RESPONDER:

- Atitudes da família (ver abaixo)

- De que forma tomou conhecimento de sua deficiência ou TGD e como reagiu?

-Que dificuldades enfrentou e ou enfrenta em relação à sua condição (incluindo a escola?)

-Que sentimentos tem frente à sua condição? Como se sente em relação a si e em relação aos outros?

- Qual sua opinião sobre a educação inclusiva? - Que mensagem daria para futuros pedagogos?

4. ATITUDES DA FAMÍLIA (pais ou cuidadores principais)

-De que forma tomaram conhecimento da necessidade especial do filho? -Que sentimentos esta descoberta gerou nos membros familiares? -Que atitudes tomaram frente à situação?

-Receberam ou procuraram apoios: médico, psicológico, religioso? Quais os resultados?

- Que dificuldades tiveram que enfrentar (incluindo o ambiente escolar)? -Atualmente como se relacionam com o filho? -Como enxergam a escola do filho e o que pensam sobre a INCLUSÃO?

- Que mensagem dariam para futuros pedagogos?

6. CONCLUSÃO (REFLEXÃO de cada membro da equipe SOBRE O ESTUDO EFETUADO)

ORIENTAÇÕES PARA A APRESENTAÇÃO DO ESTUDO DE CASO

1. A equipe deve contatar com pessoa (na faixa etária até 18 anos, sem estar trabalhando) que apresente uma deficiência ou um membro familiar quando a pessoa não puder se comunicar. Entrevistas com familiares sempre que possível são complementares.

2. O estudo deve ter uma parte escrita (relatório) e uma parte oral. A parte oral será avaliada de forma individual, assim cada membro da equipe deverá apresentar-se. Leitura não será permitida.

3. O estudo deve ser feito em equipe, que o apresentará em forma de seminário. Após a apresentação pela equipe, será realizado um debate.

4. No caso de trazer pessoas com NEE para depoimentos, a equipe deverá apresentar o trabalho no início da aula.

5. O roteiro acima poderá ser modificado de acordo com as necessidades da equipe.

6. Os recursos didáticos podem ser variados e devem ser marcados com antecedência, no segundo andar, com o Sr. Márcio.

7. Critérios da avaliação oral: conteúdo; apresentação didática; recursos; reflexão de cada membro da equipe sobre o estudo realizado.

8. Critérios da avaliação escrita: conteúdo; apresentação didática do conteúdo; reflexão de cada membro da equipe sobre o estudo realizado.

UFPR - SE - DTFE - Curso de Pedagogia Disciplina: FUNDAMENTOS DA EDUCACAO ESPECIAL Professora: Maria Augusta Bolsanello

ESTUDO DE CASO 2 (adulto inserido mercado de trabalho) ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO ESCRITA e ORAL

5. DEFICIÊNCIA ou TGD: descrição RESUMIDA da deficiência ou TGD da pessoa que participará do estudo de caso. Por exemplo: se a pessoa for cega devido ao glaucoma definir o glaucoma, principais causas e sintomas (no máximo em 10 linhas).

6. DADOS SOBRE A PESSOA, sujeito do Estudo de Caso:

- Nome (iniciais), sexo, idade.

- Características psicológicas: temperamento, humor, afetividade, habilidades, etc.

- Atividades: estudo, esportes, brincadeiras, lazer, etc.

7. SE A PESSOA TIVER CONDIÇÕES DE RESPONDER:

- Atitudes da família (ver abaixo)

- De que forma tomou conhecimento de sua deficiência ou TGD e como reagiu?

-Que dificuldades enfrentou e ou enfrenta em relação à sua condição (incluindo a escola e o trabalho?)

- Como foi sua formação e a preparação para o trabalho? Que elementos considera os mais importantes para a inserção da pessoa com NEE no mercado de trabalho?

-Que sentimentos tem frente à sua condição? Como se sente em relação a si e em relação aos outros?

- Qual sua opinião sobre a educação inclusiva? - Que mensagem daria para futuros pedagogos?

8. ATITUDES DA FAMÍLIA (pais ou cuidadores principais)

-De que forma os pais tomaram conhecimento da necessidade especial do filho? -Que sentimentos esta descoberta gerou nos membros familiares? -Que atitudes tomaram frente à situação?

-Receberam ou procuraram apoios: médico, psicológico, religioso? Quais os resultados?

- Que dificuldades tiveram que enfrentar (incluindo o ambiente escolar)? -Atualmente como se relaciona com os pais?

7. CONCLUSÃO (REFLEXÃO de cada membro da equipe SOBRE O ESTUDO EFETUADO)

ORIENTAÇÕES PARA A APRESENTAÇÃO DO ESTUDO DE CASO

9. A equipe deve contatar com pessoa com NEE (que esteja incluída no mercado de trabalho) que apresente uma deficiência ou um membro familiar quando a pessoa não puder se comunicar. Entrevistas com familiares sempre que possível são complementares.

10. O estudo deve ter uma parte escrita (relatório) e uma parte oral. A parte oral será avaliada de forma individual, assim cada membro da equipe deverá apresentar-se. Leitura não será permitida.

11. O estudo deve ser feito em equipe, que o apresentará em forma de seminário. Após a apresentação pela equipe, será realizado um debate.

12. No caso de trazer pessoas com NEE para depoimentos, a equipe deverá apresentar o trabalho no início da aula.

13. O roteiro acima poderá ser modificado de acordo com as necessidades da equipe.

14. Os recursos didáticos podem ser variados e devem ser marcados com antecedência, no segundo andar, com o Sr. Márcio.

15. Critérios da avaliação oral: conteúdo; apresentação didática; recursos; reflexão de cada membro da equipe sobre o estudo realizado.

16. Critérios da avaliação escrita: conteúdo; apresentação didática do conteúdo; reflexão de cada membro da equipe sobre o estudo realizado.