Você está na página 1de 8
CAPíTULO
CAPíTULO

A metodologia e a universidade

Metodologia científica

Vamos começar pela 'lprese nca ção de um problema ;iquele que acaba d e in gressa r

no c ur so sup e rior : O que é m e todologia? Qu e rel aç ão hcn tre ciência c m e todolo-

gia científica? Q u al sua impordncia e utilidad e para o

universitário?

Muitos est udant es que desejam cursar Lim a 6.c uld ade espec ífi c a ge ra lm en t e che-

ga m aos bancos esco lar es es p erando t e r de im ediato o conheci me nto so bre disci - plina s c cont eúdos que cons id eram pertinentes c n ecessá rio s à sua futura prát i ca

profissiona l. E ssa e xp ect ati va n e m se mpre é enc ontrada com relação à d isciplina de meto d o lo gia científica. Cont ud o, aos pou cos procuraremos demon strar a sua impor- tánc ia c abrir es pa ços c mo ti vação s ufici e nt es p ara o seu bom dese nvolv im ento, con- si d era nd o qu e ess a disciplina, contcmporaneal11ente, está consoli da da nos c u rsos su- p er ior es, d e g radua ção e pós-graduação, para reforçar a aqui sição do c onh ec im e nto por m e i o da pesqu isa . Ne sse sent ido , a m etodo lo g ia cientí fi ca é a d iscip lina qu e confere os ca mi nhos ne- cess<Í r io s para o amo-aprendizado, em qu e o a l uno é suj eito d o processo, ap renden do a pesquisar c difun d i r o con h ecimento obtido.

Conceituação

Partindo da definição et imo lógica do tc rmo , t e mo s qu e a palavra ' m ctodo log ia' vem do g rego: meta, que sib'11ifi ca ' ao larg o'; onos, 'c aminh o'; logos, ' di sc u rso', 'est u do' .

A m eto dologia é cntendida como uma discip lin a q u e se r e laciona co m a

epis t e-

mo logia. Co n sist e em es tudar e av,d iar os vár ios mé t odos dispon íve is, iden tifi c ando

1: FUNDAMENTOS DE METODOLOGIA CIENTIFICA

CAPiTULO 1

suas limitações ou não no que diz respeito às implicações de suas utilizaçõe s. A meto - dolog ia, quando a p licada, e xamina e ava lia os métodos e as técnicas de pesquis a , b em co m o a geração ou verificação d e novos métodos que conduza m à captação e ao

processamento de informa ções com v ist as à re so lu ção de problema s de inve stiga ção. Co m o se v ê, ela co rr es p o nd e a um conjunto d e proce dim e n tos ut i lizad os p o r

urna técnica, ou visão abstrata da

di sc iplina , e sua

teoria ge ral. O

m étodo pode ser

co nsid e rado l1lnil

ação, e a metodo log ia, a visão concreta da op e ra c i onaliza çã o.

Segu n do Pedro Demo (1 996 :5),;t propo sta atual da m eto do logia tem como pres-

supo sto crucial a convicção de que o apre nd i zado pela pesquisa é a es pecializa çã o mais próp r ia da educação esc olar e aca d ê mica e d :1 n ecess idade d e faz e r d a p es qui sa atitude coti di a na para professor e al un o. Ass i m, a mcc o dolo g ia co rresponde a um co njunt o d e procedimentos a se r ut i liza- do n a obtenção do conhecimento. E a ap li cação do m é tod o , por m e io de pro cessos

,

e técnica s, que g:lr ant e a legitimidade c i e nt í fica

do saber obtido .

A me t odologia no quadro gera l da c i ê ncia é uma 'metaciênc ia', isto é, um est u do que tem po r objeto a própria ciência e as téc n ica s específicas de cada c i ê n c ia. Pode -

se p e r g untar: d e qu e forma ela est uda o m éto do ge r al da ciênc ia? Sabe mo s que ela estud a os m éto do s c ient ífi cos sob os aspectos descrit i vo e da

análise c rític o-re fl ex iva . Ass im é qu e, ao abordar o pr ocesso c i e ntífi co, a meto- dologia da ci ê ncia, a l ém de descrever o q ue são os m é todo s indutivo , dedutivo

e h i pot é ti co - dedut ivo, i ncl ui outro s pro ce dirnentos que leva m à formu

laç:'io de

hipót eses, elabo r ação d e le i s, e xplica ções e teor ias cient í flcas, faz en do tam b ém

uma an:í lise c ü c a deles.

Por 111(.' io da metodologia cient ífi ca, aluno, professo r e pesquisador co n seg u em um co ntato m e di ador d o co nh ec im ento pelo questionamento cons truti vo e r eco n s- trut ivo do obj e t o de pesquisa, pos sibilitando a co lo caç5 0 do sab er no plan o sóci o -

hi

stó ri co c é tico -po lítico.

bl

A me t odologia é, pois, o e st u do d a mel h or mane ira de aborda r de t e rminados pro- e mas no es tado atua l de nos sos c onhe c imentos. Não procura so l u ções, ma s escolhe

man e ira s de enc ontrá-las, integrando o q u e se sa b e a r es p eito do s métodos em vigor JU S dife r e nt es disciplin:1s científicas o u filo fi c:ls.

E ssa 'me ta c iê ncia' t e m int e r esse pelo es tudo , d esc ri ção e

análise d os m é todo s e

lan ç a escla r eci m e ntos sobre seus objeti vos , uti l idad es e conse ê n c ias, ajudando-nos a compree n der o p r óprio proces so da pe squ isa científica. Isso porque , quando :mali - sa da c m t e r m o s de construção t eór ica, ela pod e se r vista como u m a abstração , p orém é necess;ír io r essa ltar a proxi mi dad e e ntre' conhecer' e 'intervir', dim ensão qu e a me- todo logia o p erac ionaliz a por meio d as m edi ações com a r ea lid ad e e a detivação do s m é to d os, técnicas c proce ssos .

CAP iT U LO1

A metodologia e a univ e rsidade 3

Como s uport e da p e sq uisa, e ss a d isc iplina se formaliza na postura do p es qui -

sador à m e dida que

permit c o qu es tio n am c nto s ist e m á tico da

r e alid a d

e . N essc

ponto , tor n a -se n ece ssário es clare c e r qu e ess a p e rc e pção som e nt e t e rel ev ância

q uando ali ce r ç ada

na s c

on ce p ç õ es

d a é tica

e

do s va lo re s, n o

se ntid o

de

romp e r

o t ec nici sm o c i ê n c ia. Tra duzindo

e m

c om

da

em p í ri co, m uit as vezes pre d o minant e n o uni ve r so ac ad ê mi co

u m a lin g u agc m mai s si mpl es, o m é todo c onst i tui -se do s pa ss o s a

se r dado s na bu sc a d e um conh ecim e n t o, uma aná lise d e dada r e alidad e so cia l.

De man eira op e racional, a m e todo lo g

ia se d e fme

c o m o o

estudo criti c o do m é-

todo e tamb é m como a ló g ic a p articula r d e u m a dis cip lina . Os es qu e ma s a seg u i r r e prese ntam melh or o c on ce it o :

/" Processos

CiênCi a --

...

Metodo log ia ----o•• todos

~

Téc nica s

Conh ecer - agir _~•• e in te rvi r na reali dade

CiênCia ---- ...

Fo rma espeCia l de conh ecimen to da real idad e em pírica . t um conhecimento racional, m etódico e siste mático, ca paz de se r sub metido à ver ifi cação. Busca o con heci m ento sistemát ico do universo . Não é produto de um process o me ramente técnico, mas do espír ito humano.

M et odologia

Est uda Descr eve Exp li ca Int erp ret a Co mpree nd e Avalia

Os Métodos

M étodo

Fo rma ordenada de proceder ao longo de um camin ho. Conjunto de processos ou fases em p rega das na in vest igaçã o, na busca do conhecimento.

A ss im , o

m é todo

é

o

c am i nho

orden ad o e si st e mát ic o

p ara

se

c h eg a r

a

um

fim.

Pod e se r

es tud ,l d o

c om o

proce ss o int elect ual e com o

pro cesso op e ra c i o-

n a l. C o m o

pro cesso

int e l ec tual , é a a b

an :íli se p r év ia

e si s t e nüti ca d e

toda s as

o rda ge m d e qu alqu e r pr ob lema m ed ia nt e v ia s p oss íve is d e a cess o :1 so lu ç:i o . C om o

pro c e ss o

op e ra c ional, é a man e ira

ló g ica

d e or ga niz a r

a se qU ê ncia

da s di ver sas

ati v id ad es para c h eg ar a o fim alm ejado ; é a própria ord e na çã o da aç ão d e p es qui -

sar. O proc ess o corr e spon de às e tapa s d e op e ra ç õ es limitadas, li g ada s a el e m e ntos

práti cos. co n cre t os e ada p ta d os a do ' pr ocesso ' :

um

o bj e ti vo

d e fini do . Di s tin g u e-se o ' m étod o'

4

FUNDAMENTOS DE METODOLOGIA CIENTIFICA

CAPi T U LO1

o primeiro

é um plano gera l abrangente;

o seg undo , uma aplicação específica do plano metodológ ic o , composto de se-

ê n c ia ordenada de acividade -

é o método operacionalizado.

o ' processo' co rr esponde à dinamização do cam inh

o do 'método'. Consti tui -se

normalmente da ;lção obtid a por I'lleio da apli cação de normas c técnicas na busca de determinado fim. A t écn ica é uma resposta à qu estão: por quai s meios se c h ega ao conheci m e nto x ou y? Com re la ção às eta pas , ela é estritamente ligada ao m étodo e ao pro cesso em pregad o.

As técnicas

representam a ma n eira de atingir um propósito be m d efinido, a partir d e

uma u m a

or ien t ação bâsica dada pelo método. D e ssa forma, pode-se cons id erar este último

es tl ';.l tégia dclinead;l, e as técnicas , tâticas necessárias para a sua ope racion

aliza ção.

No plan o da m etodo lo gia científica, métodos, procedimentos técnicos e referen-

  • c iai s e pi stemo gicos

s;10 compo n entes inseparâveis na investiga ção.

O p es qui sado r , ao se defm i r por um ou mais m étodos no processo da p es qui sa, t e m presente a co n ce p ção d e que es t es po ss u e m uma dimensão históri ca e depen-

dem da es p ecificidade do objeco a ser investigado. Dessa forma, selecio n a m -se os

  • m e io s e os p roc es sos mais adequados , ro m pendo c om a visão lin ear, e st ;íti ca c hom o-

n ea da i n vest i gação científica. Portanto, a m e tod o lo g ia não pod e ser r ed uzi da a uma simples aplicação de t écni-

cas, co mo se , e m d eco rr ência do rigo r da aplicação d e la s, pudéssemos te r pesquisas

'bo a s' e 'r n ás'. Isso só pode ser s up erado concebendo-se o método co mo

t eo ria ex-

plicativa, abrangendo os caminhos que as c i ências pe r correram e p e rcorr e m para a

produç :10 do conhec im ento. Esqu e m atizando :

PESQUISADOR

  • ---------------- +..

__

Co ncepção

fil osó fi ca de

j.

ho me m e mundo

CONSTRUÇÃO DE CATEGORIASTEO RI CAS

De li mitação de objetos de pesquisa - PESQUISA

M~TODOS -

REALIDADE SOCIAL

Procedimentos -I nvest igação Técni cas

--------- ...

As técn icas são apli cadas em obed iê ncia ao m étodo e com sua orientação geral, so lu cio nando os problemas para que s ua s diversas eeapas sejam alcançadas.

CAP iT U LO1

A metodologia e a univ e rsidade

S

Não se pode confundir 'método' e 'téc n ica'. A técnica assegura e inst rul ue n taliza

a ação d as fases metodológ icas . O m étodo es tabel ece d e modo ge r al 'o que faz e r', e a

técnica nos dá 'o como fa z e r ', isto é, a man e i ra ma is uma açao.

-

hábi l , mais perfeita de executar

Esses elementos mere ce

rão mai o r at e nção no Cap ítul o 5.

A importância da metodologia científica

Com rela ção à importância da di scipl in a metodologia científi ca, e la é baseada na apresentação e no exame d e dir e tr i zes apta s a instrumenta r o uni ve r si tário no que ta nge ao es tud o e ao aprend i zado. P ara nós, ma is valem o con h ecime nto e o manejo dessa instrumentação para o traba l h o cient í fico do que o co nh ec im ento de uma ri e d e problemas o u o a um en to d e informaçõ es ac umulada s sis t em ati- ca mente . Estamos, pois, voltados pa r a assessorar e co laborar com o cresci mento intelect ua l do aluno e para a form a ção de um co mprom isso c ie ntífi co diant e da realidade e mpírica . Como os obje civos precíp u os da uni ve rsi dad e são ensina r e divul ga r o procedi-

mento c i e ntífi co, formar cient istas e desenvolver o conhecime nt o, leva-se em conta o estí mul o d o pe n sa m e nt o produtivo ao co nh ecimento sistemá t ico, à cria t iv id ade e

ao es plflto Estudar dos, relaçõ es

,

.

CfltIC O. é c on ce ntrar todos os recur sos pessoa is na cap taç ão e assi mila ção do s da- e téc ni c as que co n duzem ao d o mínio de um problema.

,

.

Ap r en d e r é obter o r es ultado d esejado na atitude do estu d o . Essa s definições, breves e m s i , pr eci sa m se r im ed iatam en t e completa d as por es t as sentenças escb rcce dora s :

  • a) pode-se est udar e não aprender (es fo r ço inefic iente);

  • b) pod e-se ap r e nd e r sem es tudar (e sfor ço d es n ecessá ri o) .

Te m os então:

Estuda nte

Profissio n al

Pesq uisa do r

Investigação =

BUSCA DE

=

CONHECI MENTOS

At o de est uda r

~-- ---v---- ~

Processo científico

  • 6 FUNDAMENTOS DE METODOLOGIA CIENTIFICA

CAPi T ULO 1

Estudar é o ato metódico, sistemático e objetivo de perscrutar a realidade, por meio da investigação e reflexão, conseguindo conhecer o que o objeto insinua. então uma relação interdepend en t e en tre o aluno pesquisador e o objeto pe squ isado.

,

Estudamos para co mpr eender e ente nd er as coisas que nos cercam. A m edida que

você aprender a estudar e adq uirir bons esta est udand o mais. A 'organização' e

hábitos de estudo, gastará meno s te m po e a 'sis t e matiza ção' são dois aspectos funda-

mentais para o bom d ese nvolvim ento do est udo. Existe grande c uriosidade e ntr e os alunos sobre o método mais perfeito ou efi- caz para estudar e aprender com pou co esforço e maior aprove i tamento do t em- po. Espera-se que, a partir da utiliza ção do conteúdo instrumenta l da m etodo logia científica, n:l0 seja dificil reconhecer o método mais adequado, melhorando sua capaci dad e de co mpreensão e f;tcilitando a ass imil ação e a retenção. E preciso, con- tudo , que você, ao pretender modificar seus hábitos de estudo, bu scan d o met od iz a r o ato d e es tudar, parta da análise da su a situ ação atua l, procurando configurar o seu 5((/1//5 q//o e co m o você está e m relação ao est u do, às avaliaçôes e :ls realizaçôes da aprendizagem. Posteriorment e a essa auto - análise, o aluno deverá se motivar a

,

elabora r um in ve ntário de hábitos de es tudo , obse rva r o lo ca l onde estuda e sua atit ud e e m sala de aula, a mp liar sua s leituras e participar ativamente na apre ndiza - gem. Estudando é que se apre nd e, e é por m eio do estudo que os jovens se tornam profissionais hábei s e capa z es.

Portamo, você precisa adquirir u m m étodo de estudo, e isso

significa descobrir a

maneira mais e fici e nt e e rápida d e aprender as coisas . O ser humano é muito fl e xí- vel; ass im , bast a que o estuda m e se motive a qu erer agir e bus car o que p re ci sa para

d escobr ir o lado ag rad:\vel do estudo.

A m etodologia auxilia toma r d ecisões oportunas

e o ri enta o uni versi tári o no processo de in ves ti gação

para

na bu sca do sa b e r e na formação do es tado de esp írito c r í-

tico e de hábitos co rr esponde nt es necessários Resumi n do:

ao processo d e investigaç;10 científica.

ESTUOO --.~ BUSCA DE INFORMAÇOES

=

-.:::::::_

<.

_

Co n h ecim en to si st e m át ico

Re soluçã o d e pr o bl emas

Co ntribu e m <lincb. para o bom desenvolv im ento intelectual do aluno algurnas coor-

demdas próprias e funda mentai s, que o tuem es tucbr com a disposição de observar, re- fleti r e atuar cie ntificament e em qualquer campo da s preocupa ções hu manas . São ela s:

  • a) possuir c apa c id ade de apreensão e de e n saio c ríti co;

  • b) dominar o objeto ou constru í- lo;

  • c) conhecer pela metodolog ia da pesquisa;

CAPiTULO 1

A metodologia e a univ e rsidade 7

  • d) ape r feiçoar o conhecimento pela fonna ção e informaçã o té c ni co - cient í fi ca;

  • e) criar a partir d e um co nh ecime nto o btido;

f) participar na busca , na a pli cação e na socializa çã o dos c onh ecimentos obtido s.

Paral e lamente ao convívio acadêmico e socia l tão apraz ível q u e a vida un iversitá- ria ofe rece, ex ist e a n ecess id ade de que se cr ie co nfi a n ça na va lidad e do es tudo e d e que,juntos, professores e est udant es c ri em um proje to d e fi n ido, coe r ente e i nt encio-

nado

para uma at iv id ad e d e es tudo , co m ex i n cias, p esq ui sa e r e flexão .

O

li SO co ntrolado de proce sso s metodológicos p e rmi tirá ao est u dante

o d ese n vol-

vim e nto de seu rac iocínio lóg ico

e d e sua cr iati v idad e .

Por co n segu in te, é fundam en t a l co m e r em se u proj eto d e es tud o e de fo r ma ção

ce rto s recu r sos tidos como i m prescind íveis ao seu c r escimento, tais como: a ado ção d e m at e ri ai s técnicos e a ca pacidad e d e domínio ope r ac ional do s m es m os, a for ma- ção d e UI11 acervo de c on cei to s fundamenta is e infor m ações precisas, além do donú -

nio d e

t é cni cas bas eado e m um rigoro so con trol e de ló g ica .

Objetivos da disciplina metodologia científica

Um curs o de m etodo log ia c ie ntífica deve se propor a d ese nv o lver a c apacida d e de ob se r var, se lec i o nar e organizar c i e nti fica m ente os fatos da r eal ida de.

O conteúdo prog ram át ico t em de se basea r no e nt en d i m e nto da c iê ncia C0l110 um termo qu e d es igna funda m e nta lme n t e o t raba lho de q u e m u sa, no pro cesso d e c on h ecer, o princípio d o co m ro le e da ve rifi caçã o.

A di scip lina

m e t o d o log ia

c ie ntífica, q u e

se exp r ess a

na

compos i ção da

meto-

dolog ia d o crab;llh o c ien tífi co e da m e todologia d;l pe squisa, dev e se r uma matéria in s trum ental a serv i ço de uma propo st a de trabalho universitário . A uni versida d e precisa se r e n tendi da como lo ca l c ríti co p o r excelência do proj e t o d ess a própria co-

lllun id ade un

iversitária.

Por m e io da m e todolo gia c ie ntífi ca c ri a-se ou es t im u la-se o d ese n volv i m e nto do

es pírito c ríti c o e observador do a lun o, a lé m d a disciplina nos es tudo s, para que ele p ossa ve r a realidade C0 111 toda sua nudez , anal isando-a e reAe tind o sobre e la à luz d e co n cepções filosóficas e t ri cas. Segundo Antôn i o J oaquim Severino , na i ntrodução de se u li vro Me todologia do trahalho ciCIIf(fiCO (1984), "toda at iv id ad e d ese nvolv ida no co nt e xto da v ida d e es t udos un ivers itár i os d eve fund a r - se num a disc iplin a ló gic a ri gorosa". As sim , p e lo es cudo da metodo lo g ia científica, vão se ndo a pr ese nt ad as dir et ri zes parJ a forma ç;10 pau latina d e lúbito s de es cu dos científicos, uma vez q u e a p es quisa e ;l r e fl e x ão sã o obj e t ivos relevantes na vida llniv e rsitúria. A proposta da qu el es qu e mi litam na unive r sida d e