Você está na página 1de 5

Depto. de Física Física I

Lista do capítulo 8

é pressionada contra uma mola vertical, comprimindo-a de

2,0 cm. A constante elástica da mola vale 50 N/m. Até que altura a moeda se elevará

quando a mola for solta? R: 0,25 m

1) Uma moeda

de 4,0 g

2) Uma bolinha de gude de massa m, inicialmente em repou- so no ponto A da figura, desliza sobre uma canaleta semicir- cular de raio R, com atrito desprezível. Determine a veloci- dade da bolinha no ponto B.

R: v

2 g R cos
2 g R cos
a veloci- dade da bolinha no ponto B. R: v 2 g R cos 3) Um

3) Um bloco de massa igual a 2,0 kg é largado de uma altura h = 40 cm sobre uma mola, cuja constante elástica é k = 2.000 N/m. Determine o valor máximo da com- pressão da mola. R: 0,1 m

Determine o valor máximo da com- pressão da mola. R: 0,1 m 4) Os blocos de

4) Os blocos de massas m 1 e m 2 são mantidos fixos na posição mostrada na figura. O sistema é, então, libe- rado. Determine a velocidade do conjunto no momen- to em que m 1 tiver se deslocado de uma distância d ao longo do plano inclinado, para cima, supondo que o plano inclinado é liso, a corda ideal e o atrito na polia desprezível.

R:

é liso, a corda ideal e o atrito na polia desprezível. R: 2 g d m

2 g d

m

2

m sen

1

2 g d m 2 m sen 1
 

m

1

  m 1 m 2

m

2

R: 2 g d m 2 m sen 1   m 1 m 2 5) O

5) O fio indicado na figura tem comprimento L. Ao se soltar a esfera, ela percorrerá o arco pontilhado. a) Calcule o módulo da sua velo- cidade ao atingir o ponto mais baixo da sua trajetória. b) Um prego está colocado à dis- tância d abaixo do ponto de suspensão do pêndulo. Mostre que d deve valer pelo me- nos 0,6 L para que a esfera descreva um cír- culo completo tendo o prego como centro.

R: a)

2gL
2gL
d deve valer pelo me- nos 0,6 L para que a esfera descreva um cír- culo

6) Um carrinho de 1 kg, comprimindo de 20 cm uma mola de constante elástica 400 N/m, é liberado a partir do repouso, percorrendo a trajetória mostrada na figura. O

atrito entre as rodas e o trilho é desprezível apenas entre os trechos A e C. O coefici- ente de atrito cinético entre C e E é 0,5. O móvel pára em E. Calcule: a) as velocida- des em B e C; b) a distância d; c) a velocidade do carrinho a 0,6 m antes de chegar em

E (no ponto D).

do carrinho a 0,6 m antes de chegar em E (no ponto D). R: a) 4m/s

R: a) 4m/s

b) 1,6 m

c) 2,45 m/s

7) O bloco de 2 kg comprime de 30 cm uma mola de constante elástica 400 N/m. Determine a distância que

o bloco se deslocará ao longo do plano inclinado su-

pondo que: a) o plano é liso; b) o coeficiente de atrito cinético entre o bloco e o plano é 0,3.

R: a) 1,5 m b) 1,1m

8) Um bloco de 1 kg, partindo do repouso, desce um plano inclinado liso e comprime uma mola de 0,4 m. A constante elástica da mola é 100 N/m. Determine: a) a distância percorrida pelo bloco até o ponto de com- pressão máxima da mola; b) a velocidade do bloco no instante em que atinge a mola. R: a) 1 m b) 3,1 m/s

bloco no instante em que atinge a mola. R: a) 1 m b) 3,1 m/s 9)
bloco no instante em que atinge a mola. R: a) 1 m b) 3,1 m/s 9)

9) Uma haste leve e rígida, de comprimento l, tem uma massa m ligada à extremidade, formando um pêndulo simples. Ela é invertida e, largada. Determine: a) o módulo da velocidade no ponto mais baixo; b) o módulo da tração na suspensão, neste instante. c)

a que ângulo da vertical a tração na suspensão será igual ao peso (em módulo) se o pêndulo é colocado em posição horizontal e abandonado.

R: (a) 2

gl
gl

b) 5 mg

c)70,5º

10) 5. Determine a menor velocidade que a massa m deve ter no ponto A da figura para que o fio atinja a posição vertical (ponto B). Considere o fio ideal.

R:

2g (1 cos )
2g (1
cos
)
ter no ponto A da figura para que o fio atinja a posição vertical (ponto B).

11) Um pêndulo é constituído por uma pedra de 2,0 kg amarrada na ponta de uma cor-

da de 4,0 m. A pedra passa pelo ponto mais baixo da trajetória com uma velocidade de

8,0 m/s. Tomando a energia potencial gravitacional como igual a zero no ponto mais baixo da trajetória, calcule: a) a energia mecânica total do sistema; b) a velocidade da pedra quando a corda faz um ângulo de 60º; c) o maior ângulo que a corda faz com a vertical durante o movimento.

R:

a) 64 J

b) 4,9 m/s

c) 78,5º

12) Um pêndulo é liberado, a partir do repouso, no ponto

A da figura. Como existe atrito entre o fio e o eixo de

suspensão, o pêndulo chega só até o ponto D, depois de

percorrer a trajetória ABCD. Calcule o trabalho realizado pelo atrito entre os pontos: a) A e D; b) A e o ponto onde o pêndulo irá parar definitivamente (ponto C).

R: a)

mg

; b)o pêndulo irá parar definitivamente (ponto C). R: a) mg 2 mg 13) Uma partícula de

2 mg

irá parar definitivamente (ponto C). R: a) mg ; b) 2 mg 13) Uma partícula de

13) Uma partícula de massa m move-se em um círculo vertical de raio R dentro de um trilho. Não há atrito. Quando m está na posição mais baixa, sua velocidade é v. a) Calcule o valor mínimo de v para o qual m percor- rerá todo o trilho sem perder contato com ele. b) Supo- nha v igual a 0,7 v m . A partícula subirá pelo trilho até o ponto P, no qual ela perderá contato com ele e percorre- rá uma trajetória representada aproximadamente pela linha pontilhada. Ache a posição angular do ponto P.

R: (a)

pontilhada. Ache a posição angular do ponto P. R: (a) (b) = 8,6º v m 14)

(b)pontilhada. Ache a posição angular do ponto P. R: (a) = 8,6º v m 14) Um

pontilhada. Ache a posição angular do ponto P. R: (a) (b) = 8,6º v m 14)

= 8,6º

v

m

Ache a posição angular do ponto P. R: (a) (b) = 8,6º v m 14) Um
Ache a posição angular do ponto P. R: (a) (b) = 8,6º v m 14) Um

14) Um macaco de 80 kg salta de um rochedo segurando a extremidade de um cipó de 18,0 m de comprimento, que suporta, no máximo, 1002 N de esforço. Ele sofre um deslocamento na vertical de 2,0 m, contando desde o topo do rochedo até o ponto mais baixo de sua trajetória. Despreze a altura do macaco (isto é, considere como se ele fosse um ponto material). O cipó arrebenta?

R: Não, pois o valor da tensão no ponto mais baixo da trajetória do macaco (que é o

ponto onde a tensão tem o maior valor) é igual a 977,8 N, portanto menor que a tensão máxima que o cipó pode suportar.

15) Um bloco de massa m é solto em um ponto (P)

de um trilho liso vertical e desliza por ele. Determine:

a) de que altura h o bloco deve cair para que a força

que o trilho exerce sobre ele, no ponto S, seja igual ao seu peso: b) o módulo da força resultante que atua nele, em Q, se ele sai do repouso em P.

R:

a) 3 R

b) 4,1 mg

igual ao seu peso: b) o módulo da força resultante que atua nele, em Q, se

16) Duas crianças estão brincando com um jogo no qual elas tentam atirar bolas de gu- de dentro de uma pequena caixa no chão. Elas usam um brinquedo que lança as bolas de uma mesa sem atrito. A primeira criança comprime a mola 1,2 cm e a bola cai 18 cm antes do alvo, que está a 2,0 m horizontal- mente da borda da mesa. De quanto deve a segunda criança comprimir a mola, de modo que a bola atinja o interior do alvo? R: 1,3 cm

de modo que a bola atinja o interior do alvo? R: 1,3 cm 17) Um objeto

17) Um objeto de 1 kg, com energia cinética de 10 J, colide com uma mola de constante elástica igual a 40 N/m. O coefici- ente de atrito entre o objeto e o plano é 0,2. Calcule de quanto a mola é comprimida. R: 0,66 m

é 0,2. Calcule de quanto a mola é comprimida. R: 0,66 m 18) 18. Um corpo

18) 18. Um corpo de massa m desloca-se uma distância d ao longo de um plano inclinado de um ângulo , a partir do repouso. O coeficiente de atrito entre o corpo e o plano é c . Obtenha: a) a velocidade do corpo na base do plano; b) a distância x que ele percorre até parar no plano horizontal, depois de descer o plano inclinado. Suponha que o coeficiente de atrito entre o corpo e a superfície horizontal é também igual a c .

R: a)

e a superfície horizontal é também igual a c . R: a) d sen cos c
e a superfície horizontal é também igual a c . R: a) d sen cos c
e a superfície horizontal é também igual a c . R: a) d sen cos c

d

sen cos c
sen
cos
c
2 g d sen cos c
2
g d
sen
cos
c

b) x

19) Um projétil de massa igual a 10 kg é lançado verticalmente de baixo para cima com velocidade de 400 m/s. A resistência do ar produz a dissipação de uma quantida- de de energia igual a 6x10 3 J. Calcule: a) a altura máxima que será atingida pelo projé- til, desprezando a resistência do ar; b) a altura atingida pelo projétil supondo a dissipa- ção mencionada. c) o módulo da sua velocidade ao retornar ao solo, supondo que na descida ocorra a mesma dissipação de energia que na subida. R: (a) 8000 m (b) 7940 m (c) 397 m/s

20) Um bloco de 1,0 kg colide com uma mola horizontal sem massa, cuja constante elástica vale 2,0 N/m. O bloco comprime a mola 1,0 m a partir da posição de repouso. Supondo que o coeficiente de atrito cinético entre o bloco e a superfície horizontal se- ja 0,25, calcule o módulo da velocidade do bloco no momento da colisão. R: 2,6 m/s

21) 17. Um bloco de 2 kg é lançado para cima ao longo de um plano inclinado de 37º com uma energia cinética de 100 J. O coeficiente de atrito entre o bloco e o plano é 0,2. Calcule: a) a altura que subirá; b) a energia cinética que terá ao voltar à base do plano.

22) Um trilho tem a forma mostrada na figura. Um bloco de 1 kg, partindo do repouso do ponto P, desliza ao longo da pista. O coeficiente de atrito cinético entre o bloco e a parte plana é 0,2, mas as partes curvas têm atrito desprezível. Obtenha: a) a altura má- xima y que o bloco subirá na pista curva à direita; b) a posição em que o bloco irá pa- rar definitivamente.

b) a posição em que o bloco irá pa- rar definitivamente. R: a) y = 1,4

R: a) y = 1,4 m; b) o bloco irá parar em um ponto a 1 m à esquerda do ponto S.

23) Um bloco de 1 kg, inicialmente em repouso, escorrega por um plano inclina- do de 45 o , cuja altura é 5 m. O coeficiente de atrito entre o bloco e a rampa é 0,3. No plano horizontal, existe uma mola de constante elástica k =1750 N/m. O atrito no plano horizontal é desprezível. Calcule a compressão máxima da mola. R: 0,2 m

Calcule a compressão máxima da mola. R: 0,2 m 24) Um menino está sentado no alto

24) Um menino está sentado no alto de um monte semicircular de gelo de raio R. Calcule a altura em que o menino deixa a superfície ao escorre- gar, partindo do repouso, supondo que: a) o atrito entre o menino e o gelo é desprezível; b) a ener- gia dissipada pelo atrito é igual a um quinto da variação da energia cinética desde o topo até o ponto onde ele abandona a superfície.

R: a)

2 R

3

5 R

8

b)

da variação da energia cinética desde o topo até o ponto onde ele abandona a superfície.