Você está na página 1de 8

CULTO INFANTIL - GRANDES ADORADORES

Culto = Escola Bíblica Dominical? Não! O culto é diferente da Escola Dominical, como o próprio nome diz uma escola onde a criança irá estudar sobre Deus e Sua Palavra. No culto infantil, ela cultua a Deus, apresentando todo o seu ser em atitude de adoração. É claro que também há estudo e aprendizagem, porém com ênfase no louvor, na oração, na adoração, no testemunho e no ensino. Tudo isso feito numa linguagem que a criança entenda.

QUAL SUA VISÃO DE CULTO INFANTIL?

1. Uma mera reprodução mirim do que acontece no culto dos adultos.

2. Um lugar onde as crianças brincam de cultinho e igrejinha.

3. Uma segunda Escola Bíblica Dominical.

4. Um lugar onde crianças se distraem enquanto os pais cultuam a Deus.

5. Não precisamos de Culto Infantil, todas as crianças devem ficar no

templo ao lado de seus pais em silêncio, esforçando-se para entender o sermão e participar de todas as partes do culto. Não concordamos com o modelo de Culto Infantil implantado na maioria das igrejas. Afinal retirar as crianças na hora da pregação e levá-las para

passar o tempo nas salinhas, contar uma historinha e entupi-las de brinquedos

e desenhos para pintar, isso não é culto. Nesse sistema as crianças estão

sendo retiradas para não atrapalharem o andamento do culto dos adultos. Para

não distraírem seus pais, os demais presentes. Criança é criança e não podemos exigir que uma criança se comporte como um adulto. Ela não vai ficar sentada, olhando firmemente para o pregador

a noite toda. Vai querer ir ao banheiro, beber água, sair do banco e conversar

um pouco. Mas cabe aos pais assumirem o controle para não quebrar a reverência. È melhor ela ficar sentadinha junto com os pais ouvindo a pregação, pois com o tempo a mensagem penetrará em seu coração, e ela aprenderá a ter amor e respeito ao Senhor. Se ela for retirada do culto e levada para uma sala onde brincará como se estivesse em casa, isso não acrescentará nada à sua vida espiritual. Pelo contrário, será formada nas igrejas uma geração que não sabe o verdadeiro sentido de adoração e culto a Deus. Uma geração que achará muito legal estar no templo cantando, batendo palmas e dançando, porem muito chato ouvir o pregador lendo a Bíblia e

trazendo uma mensagem que para eles é enfadonha, que não prestam atenção

e nem têm paciência para ouvir. Infelizmente nossas crianças não têm sido

ensinadas a participar do louvor, ter quietude, ficar sentadas e ouvir com atenção a palavra de Deus. O grande temor com este modelo atual de “retirada infantil” é que toda uma geração (crianças, futuros adolescentes e adultos) não compreenda que a pregação da Palavra de Deus é um momento muito importante do culto. É quando o próprio Deus, nosso amado Pai, fala conosco através da Sua Palavra usando a boca do pregador. Então qual é a solução? Organizar o Culto Infantil. Afinal ele existe para ensinar a criança a prestar culto Deus. É o tempo onde se

aprende a orar, a cantar, ter comunhão com outras crianças e ouvir a Palavra de Deus, numa linguagem simples, mas que toca suas vidas.

IMPLANTANDO O CULTO INFANTIL

E se minha igreja já possui culto infantil, mas no modelo de “tirem as crianças do templo porque elas estão atrapalhando”?

1. O que fazer para melhorar?

2. Como não cair na armadilha de juntar algumas irmãs e irmãos na hora

do culto, recolher as crianças e levá-las para brincar enquanto durar o culto dos adultos? Primeiramente: ore! Ore muito e depois que você orar muito, ore mais. Peça a Deus sabedoria e que levante pessoas responsáveis e comprometidas.

Peça também para que Ele coloque no coração do pastor, da liderança e dos irmãos a mesma visão, de como é importante levar as crianças a oferecerem culto de adoração a Deus. Pontos importantes:

1. Determinar a faixa etária que participará dos cultos:

Ideal: de dois a sete anos. Ao completar oito anos deixa de participar, pois as crianças desta idade já estão alfabetizadas e possuem plenas condições de permanecerem junto com os adultos e cultuarem juntas.

2. Tratar da equipe que trabalhará nos culto infantil; Monte uma equipe de irmãos comprometidos com Senhor e que desejem abraçar essa causa tão importante. Que tenham disponibilidade para trabalhar com crianças pelo menos durante um semestre. Não é interessante que se mude constantemente, pois assim não formarão vínculo com as crianças e não terão uma visão geral do que está sendo ensinado, nem poderão traçar objetivos de longo prazo. Providencie treinamento e capacitação sempre, pois quem trabalha com crianças deve gostar muito de aprender e se atualizar.

3. Elabore a metodologia a ser utilizada durante as ministrações para

as crianças; Envolva as crianças na participação do culto: Elas estão adorando a Deus e prestando culto a Ele. Deixe que ajudem no louvor, que orem, testemunhem, dê tarefas para casa (como orar por outra criança, ler passagem bíblica, decorar versículos, fazer culto doméstico com a família, etc.). Ensine a mensagem bíblica através de historinhas, gravuras, material para pintar, etc. Estas diretrizes são um norte para que você possa implantar o culto infantil, ou até mesmo avaliar como está sendo executado. Mas lembre-se, não existe o modelo ideal. O melhor modelo é o que se encaixa na realidade de sua igreja local e aquele que Cristo colocou em seu coração. “Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque no além, para onde tu vais, não há obra, nem projetos, nem

conhecimento, nem sabedoria alguma” (Ec 9.10)

DEFININDO A VISÃO E MISSÃO DO CULTO INFANTIL Precisamos definir qual a missão e a visão do Culto Infantil, para planejá-lo de maneira criativa e dinâmica.

1.

Missão - Levar as crianças reunidas na presença de Deus a adorá-lo com

todo o seu ser. Ensinando-as a ter reverencia durante esse tempo e prepará- las para reunir e cultuar com os adultos.

2. Visão - Se a missão do Culto Infantil é a adoração, então toda a equipe

envolvida deve ter a visão de levar a criança a desenvolver comunhão com Deus através da oração, do louvor, do ensino da Palavra, e das atividades complementares.

A IMPORTÂNCIA DO CULTO INFANTIL

Desejo sublinhar a importância do ensino da palavra de Deus para a vida das crianças. É bem verdade que ainda existem famílias que se preocupam com a formação cristã e o ensino biblico dos seus filhos, mas a grande maioria deixa a desejar. Vamos medir quanto tempo as crianças têm contato com o ensino verdadeiramente bíblico. A semana tem 168 horas, e digamos que elas durmam 8 horas por dia

totalizando 56 horas, ainda restam 112 horas semanais. Considerando que elas participem da Escola Dominical, dos Grupos Caseiros e do Culto Infantil, o tempo máximo que terão contato com o ensino bíblico será de 5 horas semanais. Sonhemos que todas as famílias façam devocional com os filhos, ou culto doméstico de mais 1 hora semanal. Qual o resultado? Teremos então 6 ou 7 horas semanais para formação cristã, para ensinar a criança os princípios de Deus. Se essas 7 horas existissem de fato, nos alegraríamos, mas o que realmente acontece é que a grande maioria das crianças não tem nem 3 horas para isso. Seria isto suficiente? Cremos que não, é muito pouco perto das 109 horas que elas tem debaixo de outras influências. O certo é que as crianças, hoje, recebem mais influências dos programas de televisão, jogos eletrônicos, internet e colegas de escola do que dos pais ou da Igreja. Em geral muitos pais além de permissivos entregam o que é sua responsabilidade, a formação das crianças, a terceiros que muitas vezes não têm temor de Deus. A cultura e a mídia está corrompendo os valores morais e bíblicos e muitos assistem a isto sem reação alguma. Diante de tudo o que o mundo oferece as nossas crianças, é surpreendente que ainda existam irmãos que não se envolvem no Ministério Infantil de nossas igrejas. Uma área tão carente e necessitada de colaboradores. Considerando a realidade deste mundo , nós “igreja” e “família” precisamos agir com a máxima urgência, investindo mais no processo de crescimento e formação cristã das crianças. Assim como, a Escola Dominical é

a maior escola de educação cristã, o Culto Infantil é mais uma porta para o crescimento espiritual das crianças. Devemos preencher todo o espaço possível na vida das crianças, tanto no ambiente familiar como no

congregacional, com atividades edificantes, e ganhá-las para Cristo. Antes que

o inimigo através do seu mundo mentiroso e atrativo trague-as.

“Instrui a criança no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele. (Provérbio 22:6)” "Cuidado, não desprezem um só destes pequeninos (Mt. 18:10-NVI).

O culto Infantil muitas vezes é chamado de cultinho, a expressão surgiu para denotar o trabalho com pequenos. Entretanto, a palavra cultinho também

dá uma impressão de culto menor, inferior, o que não ocorre de fato.

Dessa
Dessa

forma, entendemos que o termo 'cultinho' é extremamente pejorativo e não tem

razão de ser.

Erramos ao dizer "cultinho", pois como não existe alminha,

ceuzinho, pecadinho, também não existe cultinho. Veja bem: A criança não tem uma alminha, e sim uma alma. Não apresentamos a ela um deusinho, e sim um Deus todo poderoso. Ela não presta um cultinho a Deus, e sim um culto de louvor e gratidão. Um culto onde ela participa ativamente, pois tudo é planejado para sua faixa etária, os cânticos, as orações, os testemunhos, a mensagem bíblica, o ambiente e as atividades. “Jesus lhe disse ‘Adore o Senhor, o seu Deus e só a ele preste

culto’". (Mt 4:10 NVI) Uma observação importante: as crianças estavam presentes nas principais celebrações do povo de Israel (Js 8:35; IICr 20:13; Ne 12:43). Elas louvaram a Jesus em Sua entrada triunfal em Jerusalém (Mt 21:15).

SUA FINALIDADE

1- Enquanto os adultos ouvem a pregação, o culto infantil acontece paralelo. As crianças participam ativamente, com louvor, oração, lendo a Bíblia, ouvindo uma mensagem em sua linguagem e fazendo atividades que reforcem o que foi ensinado na mensagem. Tudo feito com reverência, carinho, respeito. 2- Ensina a criança compreender e desfrutar de cada parte da programação do culto. Aprendem a aquietar-se e ouvir, preparando-se para integrar-se, futuramente, ao corpo de adoradores adultos. Permitindo uma integração mais fácil das crianças no culto com adultos; 3- cria uma interação maior entre líderes e crianças e elas aprendem mais ao ouvirem uma menssgem numa linguagem que entendam. Dá a criança senso de auto-valorização, tal qual Jesus fez quando pegou as no seu colo e disse aos discípulos que não as impedissem de virem a Ele. 4- é mais uma oportunidade de ensinar as crianças princípios importantes, tais como orar, adorar, servir, comunhao, amor, honestidade, confiança entre outras. Devemos também estimular as crianças a convidar outras para o culto.

SUA IMPLANTAÇÃO

Debaixo de muita oração e sempre na dependência do Espírito Santo. “Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara.” (Mt. 9.38). Forme uma equipe com irmãos comprometidos com o Senhor, que mantenham um bom testemunho dentro e fora de casa. Desenvolvam uma vida

de oração, consagração. O preparo começa de dentro para a fora! Irmãos preparem-se não apenas com conhecimento bíblico, mas tenham em primeiro lugar uma vida intima com Deus. A intimidade passa por:

1. Comunhão, Aprendizado e Obediência.

- Ouça: mensagens, estudos bíblicos e treinamentos.

- Leia: a Bíblia siga uma leitura programada por assuntos ou por livros

- Estude: Buscando uma leitura mais aprofundada da Bíblia, conhecimentos em livros e comentários bíblicos.

- Decore: Memorize aquilo que lê (Salmos 119:11), para não pecar.

- Medite e Pratique: O que a Escritura está dizendo e como isto se aplica a você! (Sl.1:2) – O que pratica será feliz no que realizar.(Thiago. 1. 22-25)

2. Vida de oração. Nossa oração precisa ter:

- Confissão: Arrependimento e confissão de pecados.(I João 1:9; Sl 51; Mt6:12)

- Adoração: Cultuando a Deus pelo que Ele é. (Sl 145; Mt 6:9)

- Louvor: Agradecendo pelo que Ele tem feito. (Sl 107:1-9)

- Intercessão: Pedindo em favor das crianças e familiares. (Ef 1:16 -19; 6:18)

- Petição: Expondo a Deus nossas necessidades. (Mt 6:11-13) A equipe que atuará terá três funções diferentes, cada um com suas tarefas. Terão em comum o encargo de orar sempre pelas crianças, suas famílias e o Ministério Infantil. COORDENADOR

- Organiza e orienta a equipe.

- Faz escalas dos dirigentes e auxiliares.

- Providencia material didático , apoia e avalia o desenvolvimento. DIRIGENTE

- Monta o programa de ensino baseado no material recebido. Transmite a mensagem e orienta as atividades.

- Coordena as tarefas do auxiliar.

- Dirige o louvor ou delega essa função ao auxiliar. Na ausência de um

instrumentista use play back, cd ou dirige o louvor sem instrumento. AUXILIAR

- Ajuda na disciplina e cuidado das crianças, nos cânticos, oração, trabalhos manuais e atividades. Também pode transmitir a mensagem se desejar.

"Portanto, meus amados irmãos, mantenham-se firmes, e que nada os abale. Sejam sempre dedicados à obra do Senhor, pois vocês sabem que, no Senhor, o trabalho de vocês não sera inútil." 1 Coríntios 15:58

PREPARO DO CULTO INFANTIL

- Preparo bíblico eficaz – Assim como em qualquer escola secular, quem ensina deve sempre estar muito bem preparado. Nós devemos estar mais preparados ainda para o ensino bíblico. O dirigente não tem a obrigação de saber tudo, e quando perguntado sobre algo que desconheça ou tenha dúvida, seja humilde e diga que vai pesquisar e depois trará a resposta. Sempre aprenda bem o que será ensinado, se possível não fique apenas na leitura do material escolhido, busque outras traduções bíblicas e outras referências. Ter uma Bíblia na Linguagem de Hoje, seria muito bom, pois a leitura nunca deve ser feita de maneira complicada e sim com palavras conhecidas das crianças. - faça diversas leituras do texto bíblico que será ensinado, comparando as diferentes versões; - faça perguntas ao texto para identificar promessas, ordens, princípios, doutrinas e orientações. O descuido com a pesquisa traz inúmeros prejuízos ao ensino, e contribui para desmotivar as crianças; - selecione as idéias mais importantes do texto, a Bíblia é como um poço de

águas cristalinas que saciam a nossa sede, é como uma caverna com inúmeros tesouros para serem encontrados, que requer tempo e empenho . - Estudo com antecedência - o ideal seria reservar pelo menos, meia hora a cada dia, para estudar o texto bíblico da mensagem, e orar pelo tempo que passarão juntos, por você e pelas crianças. - ajunte material extra para o culto, no intuito de inspirar as crianças, sempre relacionado à mensagem a ser transmitida - estude o texto e o contexto de forma detalhada, isso pode resolver aquelas dúvidas que podem surgir nas crianças; - Lembre-se que por meio da oração é possível estimular sobrenaturalmente as nossas faculdades mentais. ‘“Ele os guiará em toda verdade’, diz-nos Cristo, note que a palavra ‘guiar’ mostra que devemos estar procurando a verdade, ou em outras palavras:

estudando. - Na apresentação - Elabore estratégias que façam as crianças pensar, despertem o seu interesse, explicando verdades novas com o auxílio de verdades já conhecidas. - esteja atento ao limite de tempo que possui para ensinar. O ensino pode ser comparado à edificação de uma casa: Dominar a matéria corresponde, a fazer um desenho da casa pronta. A introdução representa os alicerces. O resumo corresponde a levantar as estruturas de concreto. As ilustrações representam às janelas e lâmpadas que iluminam a casa, elas esclarecem o tema, ajudam na compreensão e mantém o interesse. Ilustrações são de suma importância para a criança. As perguntas seriam às paredes divisórias, peça as crianças para que respondam a algumas perguntas sobre o assunto. E por fim os trabalhos práticos darão o acabamento à obra. - A conclusão - é o momento no qual você vai trabalhar para despertar na criança o firme desejo de colocar em prática tudo o que ela aprendeu, dando oportunidades para memorizar a mensagem principal e amar a verdade ali ensinada. O que mais importa é que ela pratique o que foi ensinado. “Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti” (Sl.

119.11).

É importante mostrar as crianças que Deus se agrada quando elas se reúnem para adorá-lo. Façam com que a liturgia do culto seja interessante, cativante e séria, ensinando-as como crianças que são. Até mesmo uma brincadeira que parece não ter seriedade pode ser usada para ensinar coisas sérias e importantes.

O QUE NÃO PODE FALTAR NO CULTO INFANTIL

a) Oração – Estimule as crianças a falarem com Deus. É importante variar com oração de gratidão, de intercessão, de confissão, de petição e também variar os motivos de oração. Seja criativo, ex. mural de oração, oração em duplas, oração de joelhos (em pouco tempo), em grupos, orar por países, etc. É importante desde cedo incentivar as crianças a manter o hábito da oração. Hábito esse que será um forte aliado em seu desenvolvimento á maturidade.

b) Leitura Bíblica – Incentive cada criança a usar a sua Bíblia, ela deve ficar em lugar de destaque. Leia os versículos da mensagem na biblia, procure sempre motivos para abrir a biblia, ensine-as a achar os textos. Ensine também aos menores que ainda não sabem ler, assim vão se familiarizando. Se alguma criança não possui Bíblia sugira a seus pais para comprarem.

- Use sua criatividade para dinamizar o culto infantil. A leitura deve ser sempre com textos curtos e simples para que as crianças acompanhem e entendam. Também faça a leitura de forma diversificada, exemplo: ler somente os meninos, só as meninas, leitura alternada, etc.(para os que já sabem ler). Nunca deixe de usar a Bíblia no Culto Infantil. c) Música – Não use esse momento como um passatempo, fale sobre louvor e adoração a Deus. Use cânticos apropriados à idade das crianças e que contenham mensagens relevantes. Ensine as letras e explique seu significado, pois muitos cantam o que entendem e não o que é de fato. Estimule-as as expressar gratidão e adoração ao Criador do louvor . d) Testemunho – é uma oportunidade para que as crianças compartilhem o que Deus já fez por elas, com a finalidade de edificar, e glorificar a Deus Mensagem: A mensagem bíblica é o período em que a criança vai ouvir o que Deus tem para ela. Deve ser ministrada de forma dinâmica e criativa. Nessa hora, o dirigente deve diversificar pra atrair a atenção da criança. Use livrinhos, cartazes, fantoches, flanelógrafos, gravuras, etc. e) Atividades complementares – são atividades que reforçam o que foi ensinado. Não é necessário colocar todas as atividades descritas, cada responsável define o que usará. Exemplos: pintura, colagem, desenho livre, joguinhos, teatro, etc. Sendo para edificação sempre que possível procure trazer algo novo para o culto, pois elas gostam de novidades. f) Envolva os pais – É muito importante as crianças receberem atividades para serem feitas com a família, reforçando a mensagem do culto. Diga-lhes para contarem aos pais o que ouviram. Planeje atividades para fazerem com os pais, tais como ler o texto ensinado ou outro texto da bíblia, decorar um versículo, orar por um algum pedido anotado num pedaço de papel. O coordenador deve fazer reuniões com os pais com o objetivo de mostrar a importância da participação deles na realização das atividades que seus filhos levarão para casa. Mostre também a importância da família no crescimento espiritual da criança e incentivem os pais a fazerem o culto domestico.

DISCIPLINA DO CULTO INFANTIL

A disciplina no Culto Infantil é muito importante, mas, como os lideres devem mostrar autoridade e manter a disciplina? Crianças necessitam de disciplina, mas não deve ser severa nem hostil. Existem algumas características para uma autoridade eficaz:

Firmeza – a autoridade não pode ser sujeita a mudanças, “Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não; pois o que passa daí, vem do Maligno.” (Mt 5:37). Deve ser falado em voz baixa , mas a sua firmeza significa decisão tomada. Razoabilidade – a autoridade deve ser justa, sem exigências desproporcionais e sem excessos. Por esta razão é importante que o dirigente conheça as

características da faixa etária que está ministrando. Delicadeza – a autoridade deve ser exercida de forma delicada, com atitudes e gestos naturais e não de forma bruta e com

O CULTO INFANTIL É:

Um desafio: moldando a vida das crianças e a visão de nossa igreja. Uma oportunidade: de preparar as crianças para serem adoradores mais conscientes e ouvintes da palavra mais atuantes. Um privilégio: de servir ao Senhor em um ministério tão necessário e carente. Deus não te colocou a frente das crianças para se babá e nem para olhar elas pintando a arca de Noé. Deus te colocou para instruí-las. Então mãos a obra.

“Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor, e não para os homens, sabendo que receberão do Senhor a recompensa da herança. É a Cristo, o Senhor, que vocês estão servindo.” (Cl 3:23-

24)