Você está na página 1de 3

1

O DELTA DE KRONECKER - PARTE 1 - APLICAÇÕES

Antes de abordarmos o delta de Kronecker recordaremos vários tópicos do cálculo


vetorial, especialmente conhecimentos de produto vetorial, versores, sistema de
referência ortogonal, bases negativas e positivas, vetores paralelos, ortogonais e
produto escalar. Tento usar uma notação matemática básica e de fácil entendimento.
Você gosta de fazer contas? Visite o meu blog:http://elisiofisica.blogspot.com/ e
divirta-se. Bons estudos!

DEFINIÇÃO DE PRODUTO VETORIAL

O produto vetorial de dois vetores e é um novo vetor , cujo módulo é dado pela
relação:
. 1

O vetor é ortogonal simultaneamente a e a ·. Como saber o sentido do vetor ?

Usando o sistema de referência indicado na


figura à esquerda podemos notar que os versores
(vetores unitários) e indicam, respectivamente, a
direção e o sentido dos eixos Para
determinar o sentido de um produto vetorial vamos
imaginar um parafuso, centralizado na origem (O) do
sistema de referência, por exemplo, e . Imagine
que o parafuso (na origem) vai girar no sentido do
versor para o versor . Nesse caso o parafuso vai se
deslocar no sentido do versor ou seja, no sentido
anti-horário. Considerando o giro do nosso parafuso
imaginário e usando a definição de produto vetorial, verificamos que

. 2

Continuando a mesma imaginária operação de giro, ou seja, que o parafuso agora


vai girar no sentido do versor para o versor Nesse caso o parafuso vai se
deslocar no sentido do versor Portanto, é fácil verificar que

Portanto, , e são bases positivas (sentido anti-horário) do


sistema de referência .

Imagine, agora, que o parafuso (na origem) vai girar no sentido contrário, ou seja,
do versor para o versor . Nesse caso o parafuso vai se deslocar no sentido do

elisiofisico@gmail.com.br
2

versor ou seja, no sentido horário. Considerando o giro em sentido horário e


usando a definição de produto vetorial, verificamos que

, 5

6
6
e
7
6
Portanto, , e são bases negativas (sentido horário) do sistema
de referência .

DEFINIÇÃO DE PRODUTO ESCALAR

O produto escalar entre dois vetores é o escalar definido pela equação:

. 8
6
Como, na figura acima, são vetores unitários ortogonais e pela definição de
produto escalar, temos que:

9
6
Portanto,

10
0
Quando vetores são paralelos (na origem O), no caso e , temos

, 11
00
ou seja, 6
. 12

PRODUTO ESCALAR ALGEBRICAMENTE

Vamos designar os eixos coordenados ortogonais por 1, 2 e 3 e os vetores unitários


por , onde corresponde ao eixo ( . O produto escalar entre pode
ser escrito como

, 13

onde é o delta de Kronecker, chamada assim graças ao matemático alemão


Leopold Kronecker (1823-1891). A quantidade é definida assim:

elisiofisico@gmail.com.br
3

14

Por exemplo, calcule usando o delta de Kronecker os seguintes produtos vetoriais:

Usando o delta de Kronecker temos que,

, pois ;
, pois ;
, pois ;
, pois ,

que equivale aos resultados já estudados

15

16

ou seja,

17
6

Na próxima etapa faremos mais exercício elementares do delta de Kronecker, tensor


de Levi-Civita e convenção de Einstein.

elisiofisico@gmail.com.br