Você está na página 1de 2

OS MAIAS

«Episódios da Vida Romântica»

Os Maias problematizam a vida da sociedade portuguesa da segunda metade do


séc.XIX, definindo-a pela negativa, propondo deste modo, não um modelo a seguir mas
uma reflexão crítica e desapaixonada, primeiro passo que leva à transformação.

A IMPORTÂNCIA DO TÍTULO E DO SUBTÍTULO

OS MAIAS

I. A história da família Maia contada ao longo de três gerações

1ª geração – Afonso da Maia (representante dos antigos valores, assinalada pela


reacção contra o absolutismo)
2ª geração– Pedro da Maia (representante da fase de instauração do
liberalismo)
3ª geração– Carlos da Maia (simboliza a decadência dos ideais liberais)

«Episódios da Vida Romântica»

II. A vida lisboeta da segunda metade do séc. XIX


Jantar do
Hotel
Central
(politica e
cultura)

Chás e Corrida no
Bailes Hipódromo
(vida (Ser e
social) parecer)

Acção
Principal

Passeio pela Sarau da


baixa
Trindade
(fim da
(oratória)
acção)

1
ESTRUTURA DO ROMANCE

Chave:

1. Introdução (5 pp.): marco inicial da acção; o Ramalhete; Afonso.


2. Preparação (cerca de 85 pp.):
a. juventude de Afonso;
b. infância de Pedro;
c.juventude, amores e suicídio de Pedro;
d. infância e educação de Carlos;
e. Carlos estudante em Coimbra;
f. primeira viagem de Carlos.
3. Acção (cerca de 590 pp.).
4. Epílogo (cerca de 27 pp.):
a. viagem de Carlos e do Ega (1877-78);
b. cenas da estada de Carlos em Lisboa, oito anos depois (1887).

As setas ascendentes: indicam a cronologia do narrado.


As curvas a tracejado: indicam as analepses

O narrador procura esclarecer acerca dos antecedentes e ascendentes das personagens


para que melhor se entendam as ideologias e os comportamentos, para tal recorre à
analepse, que se situa entre o final do primeiro e do quarto capítulos.
A partir do terceiro capítulo, quando a família Maia se encontra reduzida a Afonso e a
Carlos, há um abrandamento da acção e uma quase imobilização da categoria tempo.

Você também pode gostar