AVALIAÇÃO DE MODELOS PARA ESTIMATIVA DA RADIAÇÃO SOLAR GLOBAL DECENDIAL EM IGUATU-CE1

A. C. Oliveira2; J. B. Oliveira3; I. N. Silva4; L. O. Fontes4

RESUMO: O trabalho teve por objetivo estimar a Radiação Solar Global, através da temperatura no período decendial utilizando-se de dados da Estação Automática de Iguatu - CE. Foram analisados os modelos de Hargreaves-Samani, Annandale, Hargreaves-Samani modelo linear e potencial, Richardson, Weiss, Bristow e Campbell, Goodin e Múltipla Regressão. O desempenho de cada modelo, em relação a radiação solar global medida, foi avaliado através dos testes de porcentagem , erro médio , erro-padrão de estimativa e erro-percentual médio. O modelo de Hargreaves e Samani não apresentou bom ajuste como esperado e o KRs calculado

foi para esse modelo foi a 0,19, diferindo do recomendado para área interioranas que é 0,16. O modelo de estimativa de Múltipla Regressão apresentou o melhor ajuste, entre os
modelos avaliados para Iguatu - CE. PALAVRAS-CHAVE: balanço de energia, radiação solar, modelos de estimativa.

EVALUATION OF MODELS FOR ESTIMATION OF GLOBAL SOLAR RADIATION IN SACALE OF TEN DAY FOR IGUATU CITY IN CEARÁ STATE, BRAZIL
SUMMARY: The study aimed to estimate the Global Solar Radiation – Rs, by temperature in period ten days using data from the Automatic Station Iguatu - CE. We analyzed the models of Hargreaves-Samani, Annandale, Hargreaves-Samani linear and potential models, Richardson, Weiss, Bristow and Campbell, Goodin and regression multiple. The performance of each model in relation to solar radiation measurement, was assessed through tests of percentage, mean error, standard error of estimate and men average percentage error. The Hargreaves and Samani model did not show good fit as expected and KRS was calculated for this model was 0.19, differing from recommended for interior area is 0.16. The estimation model of regression multiple showed the best fit among the models evaluated for Iguatu - CE. KEY WORDS: energy balance, solar radiation estimation models
1

Trabalho extraído da Monografia apresentada ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - Campus Iguatu como requisito parcial para obtenção de grau de Tecnólogo em Irrigação e Drenagem do primeiro autor. 2 Discente do Curso de Tecnólogo em Irrigação e Drenagem, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - Campus Iguatu, Caixa Postal 38, CEP 63500-000, Iguatu, CE. (88) 9901-8139. e-mail: alysson_igt@hotmail.com. 3 Professor, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará - Campus Iguatu, IFET, Iguatu, CE. 4 Mestrando (a) do Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia, Departamento de Ciências Vegetais, UFERSA, Mossoró, RN

Goodin e o modelo de múltipla regressão com dados de temperatura máxima. quando comparado com o número daquelas que registram temperatura e precipitação (LIMA & SEDIYAMA. na hidrologia (Ball et al. . 1996).A. 1989) calculados conforme Souza (1996). O desempenho dos modelos foi avaliado através da porcentagem. 1996). MATERIAL E MÉTODOS Os elementos climáticos utilizados foram obtidos da estação meteorológica automática. Richardson.. Rs é feita por sensores que transformam a energia radiante em algum tipo de resposta (SOUZA. germinação das plantas (Spokas & Forcella. 1994). localizada a 6º 24’ S. 2006) e na decomposição da matéria orgânica (Dornelas et al. altitude 233 m. conhecida como transmissividade atmosférica (Tt). 2001. INTRODUÇÃO A utilização da radiação solar no estabelecimento do potencial agrícola de uma região tem sido destacada por muitos pesquisadores por sua influência na fotossíntese (Baldocchi.86 MJm-2d-1) e Stoneville (EM = 0. de formulações empírica. na produtividade das culturas (França et al. 1929). O trabalho teve por objetivo estimar a Rs para a cidade de Iguatu .. Os valores de Rs horários foram convertidos para diários e feitas as médias decendiais entre junho de 2007 e dezembro de 2008. em Iguatu-CE. no crescimento das plantas (Pereira.19 e 0. utilizando diferentes elementos do clima como temperatura máxima e mínima do ar e insolação (Liu & Scott. na eficiência do uso da água. na secagem de grãos e cereais (Souza. RESULTADOS E DISCUSSÃO O coeficiente (KRs) calculado do modelo de Annandale. 2006).15 MJm-2d-1) nos Estados Unidos trabalhando com valores diários. oscilou entre 0. entre a radiação incidente (Rs) e a radiação solar no topo da atmosfera (Ra). Bristow e Campbell. Entretanto o número de instalações que fazem o registro diário de radiação na superfície terrestre é pequeno. Os modelos mais simples. 36º 16’ W.. Hargreaves-Samani modelo linear e potencial. 1997).21. erro médio (EM) como um indicador sistemático de erro. 2006). A medição da Radiação Solar global. na evapotranspiração (Assis. Resultado semelhante foi encontrado por Ball et al.superior ao recomendado para áreas interioranas que é 0. Para a estimativa de Rs utilizou-se os modelos de Hargreaves-Samani. Annandale. Weiss.CE através da utilização de temperatura máxima e mínima do ar em períodos decendiais. 2004). A Rs calculada por Annandale subestimou os valores de Rs observada na estação automática em todos os decêndios. 1995). 1997). Há vários métodos para calcular radiação solar.16. . em Saskatoon (EM = 1. pertencente a rede de observações meteorológicas de superfície do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). desenvolvidos são baseados na relação. Oliveira et al. Mota. erro-padrão de estimativa (EPE) e erro-percentual médio (EPM) para qualquer elasticidade ou magnitude no sistema de erros (Davies & Mckay. mínima e precipitação. C. (2004).

1995.06 MJm-2d-1) em relação aos outros modelos baseados no método de Hargreaves-Samani e Bristow e Campbell. Agronomy journal. L. sendo que o KRs calculado foi igual a 0. C. D. Goodin e Múltipla Regressão para o primeiro. v. 1995. CO2 exchange end water use efficiency. Baldocchi. MCKAY. C. v. D. Evaluation of selected models for estimating solar radiation on horizontal surfaces.05 e -0. n. ago. 2004. Pesquisa Agropecuária Brasileira.Prescott. e CAREY. (2004) e OLIVEIRA (2010) obtiveram resultados semelhantes para o período de sete e cinco dias. K. Evaluation of Solar Radiation Prediction Models in North America. OLIVEIRA. O modelo de múltipla regressão obteve uma Rs média de 23. Agricultural and Forest Meteorology. L. O modelo de estimativa de múltipla regressão foi o que apresentou os melhores resultados para Iguatu . Comparative study of mass and energy exchange rates over a closed C3 (wheat) and open C4 (corn) crop: II.. A. 8. A. 9. 1989. Richardson. Annandale. C. sugere que a calibração do modelo de Bristow & Campbell. Weiss. tem precisão apenas para regiões mais úmidas. Para o modelo de Hargreaves-Samani pelo método Linear obteve Rs próximos da observada nos dois primeiros decêndios. f. com EM zero. O resultados dos modelos de Hargreaves-Samani.32. BALL. Campina Grande. A. valor semelhante ao observado na estação automática. Oliveira et al. 2 e 3. p.1213-1219.A. (2004) trabalhando com modelos de estimativa de Rs para o Norte dos Estados Unidos. Solar Energy. S. v.19. p. O modelo de Goodin. PURCELL. Validação da equação de Penman-Monteith para estimar a evapotranspiração de referência em condições brasileiras. radiação solar e evapotranspiração de referência em Brasília.391-397. R. A. p. K. Em estudo realizado com a avaliação Rs para América do Norte. respectivamente. apresentando um menor EM (0. Grant et al. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROMETEOROLOGIA. S. Hargreaves-Samani modelo linear e modelo potencial. 1994. USA. CONCLUSÕES O modelo de Hargreaves e Samani onde recomenda-se a adoção do KRs de 0. SILVA. aplicar os coeficientes do local onde o modelo foi parametrizado para outro. S.153-168. esncontram-se nas Tabelas 1. não apresentou bons ajustes como o esperado. segundo e terceiro decêncios. d. C. DORNELAS..C. já que ambos foram estimados para regiões da America do Norte. março–abril. 67. 291-321. . podendo esse modelo ser usado para substituir a ausência de dados quando os sensores de radiação forem inoperantes. 96. 2006. Bristow e Campbell. EPE 1. p.CE. 41. DAVIES. Campina Grande: Sociedade Brasileira de Agrometeorologia. Brasília.. não apresentou bom desempenho em nenhum dos decêndios de acordo com Liu e Scott (2001) não há nenhuma base. 43. v.30 MJm-2d-1...34 MJm-2d-1 e EPM 0. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ASSIS. n. justificando assim a não recomendação para Iguatu . (CD-ROM). J. Ball et al.16 para cidades do interior. O mesmo vale para o modelo de Weiss. Anais. Coeficientes médios da equação de Angström .CE. USA.

Erro Médio. v. Piracicaba: Sociedade Brasileira de Agrometeorologia 1997.. Tabela 1. (CD-ROM). B. Viçosa. HUBBARD.90 23. GRANT. USA.46 1. Oliveira et al. E. Modelo Radiação Solar Global observada Modelo de multipla regressão Hargreaves-Samani modelo linear Hargreaves-Samani modelo potencial Annandale (KRs = 0.04 18. Modelo Radiação Solar Global observada Modelo de multipla regressão Bristow e Campbell Hargreaves-Samani modelo linear Annandale (KRs = 0.30 23. Estimativa da radiação solar global a partir de dados de temperaturas máxima e mínima.90 103.J. A. Avaliação de modelos para estimativa da radiação solar global pentadial em Iguatu-CE. In: III Workshop Internacional de Inovações Tecnológicas na Irrigação & II Conferência sobre Recursos Hídricos do Semiárido Brasileiro. ROSA.83 -1.A.59 -4. 2010.30 3.94 81.m-2.00 91.73 % 100 97. Crescimento e desenvolvimento da cultura de soja {Glycine Max (L. Estimating hourly incoming solar radiation from limited meteorological data.72 80.81 -10.54. SPOKAS.. s.30 22. Modelo para estimativa da produção de matéria seca de milho em função da radiação fotossinteticamente ativa.30 21. 115 p..21 Tabela 2. 1996.99 114.40 3. 2006.H.11 . UFV.15 5.50 4.33 -1. 2006.55 3.06 -20.G.90 26. 106. OLIVEIRA.32 1. C. C. bergamaschi. J. P. G.73 21. g.86 EPM 0. UFV.93 0. FORCELLA. (CD-ROM). e sua distribuição espacial e temporal para o Estado de Minas Gerais. VANDERLIP. OLIVEIRA. avaliados pela Porcentagem.70 2. Agricultural and Forest Meteorology..52 EPE 1.J.98 0. PEREIRA.62 -1. HOLLINGER. SOUZA..72 100. 41-59. Erro Padrão de Estimativa e Erro Percentual Médio. 65–75. R. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROMETEOROLOGIA.33 -0.95 18. Desempenho dos modelos de Rs em escala de 2º decêndio para Iguatu-CE. D. Irradiância solar direta: desenvolvimento e avaliação de modelos.m-2. c. 127.25 -6.47 91. G..39 -19.90 23.91 4. MOTA. S. Florianopolis: Sociedade Brasileira de Meteorologia 2006. 2001. F.29 78.d-1) 23. EUA.26 0. 1997. S. 2004.61 2. l.95 -5. SCOTT. Anais.37 EM 0 -0.53 -1.68 -3. Meteorologia Agrícola. USA. N.17 101.60 EM 0. Viçosa.97 21.. sob diferentes condições hídricas. LIMA. Weed Science.87 2.. HOOGENBOOM. Ability to predict daily solar radiation values from interpolated climate records for use in crop simulation models. F.L. K. R. K. avaliados pela Porcentagem. m. G. h. R.76 89. Erro Médio..18 EPE 1.92 24. Fortaleza.d-1) 23.E..94 3.54 2.97 -2. LEDO. Piracicaba: Anais.r. v.78 % 100. 10.. B. 1997.. Anais.49 18. LIU. 14.08 110. p.76 -18. 128p. São Paulo: Nobel. F.29 26. v. 176 p.35 -21.93 21.08 12.05 0. Dissertação (Mestrado em Meteorologia Agrícola) – Universidade Federal de Viçosa. p 182-189.78 19.31 3.94 5. Florianopolis. E.37 23. p.00 -1. 1929.49 4.48 -4.) Merrill} sob deficiência hídrica.L.60 -0. Estimation of solar radiation in Australia from rainfall and temperature observations.62 22.34 1.19 -7.37 98.03 15.H.84 79. M.21) Richardson Bristow e Campbell Weiss Goodin Hargreaves-Samani Média (MJ. FRANÇA. Erro Padrão de Estimativa e Erro Percentual Médio. M. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE METEOROLOGIA. Desempenho dos modelos de Rs em escala de 1º decêndio para Iguatu-CE..05 4.20) Hargreaves-Samani modelo potencial Richardson Weiss Goodin Hargreaves –Samani Média (MJ.63 1.00 EPM 0.26 -4. I. Agricultural and Forest Meteorology.94 5. Fortaleza (CR-ROM). SILVA.34 23. C.56 3.58 93. SEDIYAMA.49 95.

94 % 100 94.63 22.02 23.49 83. Modelo Radiação Solar Global observada Modelo de multipla regressão Bristow e Campbell Hargreaves-Samani modelo linear Annandale (KRs = 0.74 3.18 2. Tabela 2. Oliveira et al.97 -14.61 -0.09 102.41 5.m-2. avaliados pela Porcentagem.50 -4.d-1) 23. C.11 4. Erro Médio.75 117.56 19.24 0.A.78 23.04 100. Erro Padrão de Estimativa e Erro Percentual Médio.25 0.35 2.72 19.62 4.65 98.90 3.04 23.01 0.70 0.39 -0.49 2.76 4.92 EPE 1.42 -15.61 103. Desempenho dos modelos de Rs em escala de 3º decêndio para Iguatu-CE.22 EPM 0.23 .68 19.03 EM 0 -1.72 23.53 2.70 85.30 -3.60 2.19) Hargreaves-Samani modelo potencial Richardson Goodin Hargreaves-Samani Weiss Média (MJ.34 -3.28 26.02 21.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful