Você está na página 1de 30

Ano 1 - Nº 1 comciência 1

VAL EOM - A Codificação


em Berço Africano
comciência 2 comciência 3

N
asceste no lar que precisavas, vestiste o corpo físico que merecias.
Moras onde melhor Deus te proporcionou, de acordo com teu adiantamento.
Possuis os recursos financeiros coerentes com as tuas necessidades,
nem mais, nem menos, mas o justo para as tuas lutas terrenas.
Teu ambiente de trabalho é o que elegeste espontaneamente para a tua realização.
Teus parentes, amigos são as almas que atraíste, com tua própria afinidade.
Portanto, teu destino está constantemente sob teu controle.
Tu escolhes, recolhes, eleges, atrais, buscas, expulsas,
modificas tudo aquilo que te rodeia a existência.
Teus pensamentos e vontades são a chave de teus atos e atitudes...
São as fontes de atração e repulsão na tua jornada.
Não reclames nem te faças de vítima. Antes de tudo, analisa e observa.
A mudança está em tuas mãos.
Reprograma tua meta, busca o bem e viverás melhor.
Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo,
qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.

Chico Xavier “Só existe uma casta, a casta da humanidade.


Só existe uma religião, a religião do Amor.
Só existe uma linguagem, a linguagem do coração.
Só existe um Deus e este é Onipresente”.
SATHYA SAI BABA
comciência 4 comciência 5

Expediente Com Ciência A Revista


Editora:
Seguramente, jamais existiu uma época na história da humani- O senso de prudência nos inclina a refutar verdades pessoais
Lúcia Roberta Mello
dade como a que estamos vivendo, em que tantos esclarecimentos expostas por palavras, pois vivemos numa realidade ilusória em
Conselho Editorial: e informações foram disponibilizados para as pessoas. Paradoxal- que a “verdade verdadeira” sempre se coloca além do nosso es-
Rogério de Almeida Freitas, Jether Jacomini Filho, Carlos Cruz, mente, parece que, apesar disso, muito ainda está para ser dito, treito círculo de percepção.
Tadashi Murakoshi, Margit Wunderlich e Rodrigo Freitas. mormente o que já está sinalizado como sendo os assuntos im- Assim é que grandes nomes do passado refletiram prudente-
portantes de um novo tempo, de uma nova era que já se iniciou, mente sobre os aspectos isolados, nem sempre fundamentais, e
Criação e diagramação: mas que não foi devidamente percebida como tal. Talvez porque deles se despojaram, em seguida, para então assumirem a busca
os ataques terroristas, os de Estado e os do desespero, todos des-
prezíveis, parecem ter atraído a atenção das cabeças pensantes do
amorosa pela verdade única.
Percebemos, contudo, que ao tempo de buscar novas verda-
Associe-se:
Adaptação para internet:
planeta a ponto de alguns afirmarem que o século 20 ainda não
terminou. Isso, dizem, com certa dose de compreensão e resignação
des e vivências elucidativas, homens e mulheres que se dedicam
à pesquisa do conhecimento interior freqüentemente se perdem
www.anavisa.com.br
Glauco De Bellis. intelectual da opinião pública, porque os problemas do século 20 em devaneios, dando muita importância a fatos e teorias que, se
continuam presentes e, portanto, continuam a ser fatores determi- olhados sob o ponto de vista da totalidade cósmica, não passam
Apoio:
www.orbum.org / Krysamon Cavalcante e Fernando Moskovics
nantes no início do século 21. Que sejam! Contudo, existem outros de meras e limitadas porções de visão pessoal. Contatos:
fatores que, por sobre a fumaça dos escombros dos atentados, já É comum a todos os habitantes da Terra perder-se em deva-
www.consciencia.org.br / Eros Salermo
se fazem presentes no cotidiano terrestre e, os percebamos ou não, neios vãos, mesmo que com boa intenção. Como diria Kardec, anavisa@anavisa.com.br
Contatos: independente mesmo de serem compreendidos, apontam para uma aqui se dá mais importância aos assuntos acessórios do que à
Lúcia Roberta Mello mudança significativa e de todo surpreendente para os dias breves parte pessoal da filosofia que orquestra a vida. Tel: (11) 32313735 / 32370315
luciaroberta@gmail.com que nos esperam. O tempo urge. É hora de reconhecer a própria ignorância, li-
Tel.: (11) 7426-0159 A revista ComCiência surge com a pretensão de assumir a res- vrar-se das crenças que limitam à condição mental inferior que
Estúdio Z3 ponsabilidade na abordagem desses temas, dos assuntos e dos painéis marca esta humanidade. Porque somos partícipes do mesmo
Tel.: (11) 6979-1465
que formam o novo cenário que envolve a vida no nosso planeta: o contexto cósmico que esteve até então às escuras e que agora
contexto espiritual-extraterreno. nos chega ainda aos fragmentos, dada a resistência orgulhosa e
Ao longo das próximas décadas, as matérias implícitas nessas vaidosa dos egos que sustentamos.
duas componentes (a espiritual e a extraterrestre) que respondem Despoje-se o homem de toda arrogância e vaidade intelectual
Conteúdo
Aviso ao leitor: pelo aparecimento da vida no planeta como também — e mais
especificamente — pela origem do ser humano neste mundo, serão
e ainda assim não se porá à frente da verdade que rege e guia a
vida terrena por trás dos bastidores da luz que do cosmos emana, Capa - Brasil, terra de quê? 06
a tônica dos estudos acadêmicos. Na atualidade, porém, parecem pois a verdade absoluta é do Criador, jamais da criatura. Opinião A ética perdida 11
Comciência é um projeto editorial de Lúcia Roberta Mello em ser ainda temática apócrifa para os que editam e ditam os assuntos Porém, em face aos ensinamentos dos mestres e avatares,
parceria com Rogério de Almeida Freitas (Jan Val Ellam), cujo títu- Terceiro Setor Riqueza espiritual 13
“realmente” importantes para a opinião pública. consegue-se chegar, com simplicidade e abertura mental, medi-
lo foi registrado pela Zian Editora. A nossa ligação direta é com o leitor que, provavelmente, tem tação e esforço continuado no melhoramento íntimo, a um pata- Ação Social Bom exemplo 14
buscado o esclarecimento quanto ao que espera esta humanidade, mar diferenciado da massa crítica que dorme embalada por suas Depoimento Meu céu além do infinito 18
Devido a inúmeras solicitações de mudanças na distribuição mas nada encontra, a não ser o que já está posto como sendo as ilusões.
da revista e outros pormenores, a revista deixou temporariamente
Consciência espírita Espiritos e ETs, qual o problema? 21
“verdades religiosas” impostas através da “fé”. O problema pla- Mesmo os que se destacam e hoje atuam como repórteres
de ser impressa para ser reestruturada e poder voltar a circular netário é que o tempo urge e essas verdades têm servido apenas
Trip Capadócia 24
do mais alto necessitam rever suas posturas e buscar o melho-
obedecendo a um novo modelo. como fatores de crença, de manipulação de opinião, de domínio ramento pessoal, evitando repetições de erros e corrigindo-os Terra, urgente ! 2005, o final de uma era 26
Assim, passaremos a veicular suas matérias principais pela emocional e psicológico, e nada mais. sinceramente. Perspectiva para o grande dia da renovação 28
internet, em forma especial, e voltará às bancas através da nova ComCiência convida você a dar um passo mais largo na dire- Tal é o tamanho da responsabilidade sobre o que se diz e faz,
parceria com a empresa ANAVISA. Comportamento A violencia do outro 32
ção da busca intelectual que promove a necessária compreensão e o mesmo tamanho da coerência que é exigida pela consciência
Contataremos individualmente cada assinante que firmou que serve como base para o verdadeiro progresso moral e espiritual cósmica que ressoa na mente espiritual que se busca despertar.
Além do horizonte A volta de Jesus 36
contrato com a revista no período de outubro 2005 a maio de dos cidadãos livres deste planeta, único modo que temos de pensar Assim, evite-se aqui a postura crédula ou seguidora, mas ele- Educar é Novos rumos para a educação 42
2006, oferecendo opções de acordo que possam sanar os prejuí- e trabalhar pelo amanhã, sonhando com dias melhores para todos vem-se as almas buscadoras com o exercício sincero da reflexão
zos causados pela suspensão temporária do título.
Ponto de vista Antes de crer, compreender 44
os que vivem na Terra. sobre os assuntos aqui tratados.
Espero, dessa forma, ampliar os horizontes da revista, esten- Entrevista com Val Eom 46
dendo para o mundo nossa capacidade de alcance e encontrando Jan Val Ellam Lúcia Roberta Mello Entrevista com Rogério de Almeida Freitas 52
meios sempre maiores de permitir que Comciência chegue a mais
Impressões sobre livros 55
e mais pessoas.
Humor 57
Lúcia Roberta Mello

comciência comciência Cidadania planetária Projeto Orbum 58


6 7
CAPA comciência comciência

Naus portuguesas cingindo atlânticas águas rumo às Índias.


Perdem-se nos ventos e ó, Santa Maria, Pinta e Nina!
Caravelas à frente, avistam índios e índias.
Terra nova, gigantesca ilha, nova e lusa América. Terra fresca, varonil.
— Ó, meu bom Dom João, descobrimos o Brasil!

Este Brasil, terra de quê?


Caminha, junto à pátria amada, pra não sei onde, ninguém viu,
Nem eu mesma... E nem você.

terra de quê?
P
OR OCASIÃO DO ADVENTO DO ESPIRITISMO, prosperamente a doutrina semeadora das leis maiores
havia sobre os céus da França um conglome- — não apenas para alguns, mas para todos, já que o
rado de espíritos escolhidos para desempe- Espiritismo jamais pretendeu ser uma religião, mas sim
nharem, em mútuo apoio, papéis estratégicos. o anunciador das leis cósmicas, bem como suporte da
As medidas que deveriam tomar não só aju- moral a ser praticada por todas as religiões.
dariam Kardec, em seu próprio tempo, como Dessas notícias pouco se sabia até pouco tempo. Po-
também preparariam, antes de seu nascimen- rém, o Espiritismo mesmo, através do livro Brasil, Coração
to, o terreno para que quando ele iniciasse sua obra do Mundo, Pátria do Evangelho, de Humberto de Campos
o Espiritismo se espalhasse numa Europa unificada e através da mediunidade magnífica de Francisco Cândido
partir dali, para o mundo. Xavier, pela própria abordagem do tema, nos remete à re-
Das pessoas envolvidas com a preparação para o ad- flexão acerca da renovação estratégica da Espiritualidade
vento do Espiritismo — entre elas Issac Newton, Imma- que tentava, então, transformar o Brasil no novo palco para
nuel Kant e Freud —, foi justamente o imperador Napo- as ações em prol da propagação do Espiritismo.
leão Bonaparte quem assumiu para si a responsabilidade Ao contrário do que se possa pensar, os grupos de
de unificar, diplomaticamente, a Europa. No lugar disso, espíritos que se inscrevem para trabalhos na senda crísti-
contudo, Napoleão usou da força para promover tal uni- ca são sempre os mesmos, com pouquíssimas variações.
ficação, o que resultou em completo descrédito da França O insucesso dos espíritos que se comprometem
por parte dos demais países europeus. deve-se ao fato de eles se submeterem, depois de re-
Se antes de Napoleão tudo o que vinha da França era encarnados, ao esquecimento compulsório do passado
admirado e respeitado, após sua investida pela conquis- espiritual e ao envolvimento do psiquismo tendencioso
ta, tudo o que surgia ou partia da França era prontamen- que interfere em suas decisões, tomadas no passo a
te rejeitado e antipatizado por todos. passo do caminho. Esta é uma característica da transi-
Foi no mesmo dia em que Kardec nasceu que, sabe- toriedade terrena.
se lá por que tipo de coincidência, Napoleão Bonaparte Não obstante a oferta sempre renovada de uma
se proclamava imperador, dando, assim, sinais de que terra também nova ou de um novo panorama, a cada
não haveria de cumprir com sua parte o compromisso missão terrena vêem-se os grupos de trabalho fracas-
conjunto assumido na espiritualidade. sarem individualmente frente à promessa de renovação
Nesse mesmo dia a Espiritualidade Maior, organiza- espiritual para o cumprimento do Evangelho em nosso
dora da estratégia crística de lançar no mundo a mensa- mundo. Isso se tornou tão comum que chamamos a
gem consoladora, percebeu que o Espiritismo não have- atenção para o fato de precisarmos nos tornar, mais e
ria de alcançar seus objetivos. mais, vigilantes e comprometidos com causas nobres.
Vendo, pois, a França corrompida e não só Napo- E foi assim que, a partir da codificação espírita, os
leão, mas também todos os demais escolhidos desvia- mesmos cidadãos que haviam se comprometido com a
dos de suas missões particulares para aquele mister, a tarefa na França, depois do Espiritismo começaram a
Espiritualidade lançou seus olhos sobre o grande Brasil, reencarnar no Brasil, uma terra ainda não corrompida
e vislumbrando a terra nova, ainda virginal, imaginou a por idealismos, despotismos e outros vícios humanos
possibilidade de se criar nela o berço no qual cresceria de comportamento.
CAPA comciência 8

Assim, os mesmos espíritos, daqueles mesmos que na


França de Kardec estiveram — e antes de lá em outros
vislumbres de um moral que teima em querer surgir e
sofrerão até o último instante as agruras do efeito de
comciência 9

campos da Europa, no Egito, na Alexandria e no Extremo sua corrupção, pois ai daquele através do qual o escân-
Oriente e em tantos lugares quanto se tenha programado dalo ocorra.
uma ação efetiva em prol do despertar da humanidade Mas onde a inocência do povo? Acaso não é a
— que iniciaram uma nova ação em solo brasileiro. medida do povo, seu exercício de voto e sua própria
Na qualidade de espíritos velhos e calejados de sintonia com o despotismo do governo que elege seus
tantas tentativas e erros, os mesmos líderes políticos, representantes e, por conseguinte, seu destino?
religiosos, os livres-pensadores de outrora, os revolu- Passou a hora de refletir e já tarda, atrasado mesmo,
cionários bem-intencionados, enfim, esses trabalhado- e muito, o momento de agir em prol do melhoramento
res cansados assumiram novamente para si a tarefa de íntimo, do melhoramento social, do melhoramento polí-
executar no mundo o evangelho vivo, criando num Bra- tico, em prol de maior qualidade de vida para todos.
sil de contrastes, diversificação racial e cultural, rico por Embora tanto, é sempre tempo de renovar o espíri-
natureza, mas dificultado por questões cármicas desses to, comprometer-se com uma causa elevada e agir hu-
grupos de enriquecer internamente, um foco de luz que manitariamente, aprendendo a amar o próximo como
abastecesse o mundo de energia renovadora. a si mesmo.
Dos muitos que assumiram o governo brasileiro e outras Muitas foram as tentativas da Espiritualidade lumi-
posições de destaque social, nem mesmo os mais despertos nosa para se criar na terra um foco de luz e amor, so-
e avançados no trabalho da senda conseguiram, nesses dois bretudo, no intuito de receber o Salvador, nosso pastor
últimos séculos, levar a cabo sua programação. cósmico, o Cristo redentor. No entanto, Jesus nasceu e
Ao contrário disso, em cumprimento às suas pró- padeceu sob o mal do mundo sem nada poder fazer
prias tendências orgulhosas, tornaram a falir o projeto além de dar o seu exemplo e demonstrar sua grandeza
de transformar o Brasil em coração do mundo e pátria ímpar através de seu incomensurável sacrifício. E hoje,
do evangelho. em nossos dias, 2 mil anos depois, mais uma vez Jesus
Com os mandos e desmandos daqueles mesmos im- chega a Terra sem ter um lugar seguro para aportar com
peradores, papas, cardeais e toda sorte de patentes que seu amor. Nossas almas ainda não são o porto de repas-
se elegeram no recente passado europeu para realizarem to para o deleite do nosso senhor. Se não nossas almas,
grande obra, o cenário brasileiro tornou-se palco no qual que dirá deste país?
desfilam, orgulhosos e déspotas, seus egos ainda doentes. A humanidade terrena não fez sua lição de casa e
No lugar de uma terra próspera e fecunda, onde todos o Mestre Maior, ainda assim, abençoará a todos com
usufruem suas bênçãos, e exercitam amor fraterno, um país nova oportunidade de redenção. Aponta seu dedo para
de desigualdade social, onde a riqueza de poucos humilha a África indicando-nos uma terra reformada, revirgina-
a condição de vida e rouba a dignidade de muitos. da, cujo primitivismo é como terra fecunda para nova
Nenhuma ação desesperada vai, de uma hora para semeadura. Mas qual o nosso papel?
outra, consertar o que dois séculos de história e erro Se todos os palcos que nos foram ofertados até ago-
“Muitas foram construíram no Brasil. Não ocorreu na França, não ocor- ra não nos serviram para a mudança, é sinal de que a mu-
reu na Grécia, não ocorreu no Egito, não ocorreu em dança deve ocorrer mesmo dentro de cada um de nós. Que saiamos dos palcos políticos inférteis que ge- humanidade terrena em prol de uma terra mais branda
as tentativas da
lugar algum de que os grupos de trabalho se serviram O Brasil não se fez e nem se fará, ao tempo das ramos em torno de nós com os egos em frangalhos, e fecunda, moral e espiritualmente falando.
Espiritualidade mas que isso sirva de moto-próprio para um novo jeito Tentaremos mudar o Brasil não através de revolu-
para o mesmo propósito, até agora. nossas vidas, o coração do mundo e tampouco a pátria
luminosa para se Um triste espetáculo desenrola-se nos palcos políti- do evangelho, já que não o fizemos assim. Contudo, é de pensar e agir, um que comungue com a política cós- ções que visam ao poder próprio, mas sim, através do
criar na terra um cos do Brasil desde o seu descobrimento. lícito que nos dirijamos para outras terras sem antes mica que Jesus tão grandiosamente nos demonstrou exercício da responsabilidade político-amorosa que
foco de luz e amor, Se no início o País foi devastado pela incúria ga- reconhecermos firmemente o nosso propósito maior, e em atitudes e palavras. tem, por si só, o condão de transformar o mundo.
sobretudo, no nanciosa de seus colonizadores, furtado muito em suas reavaliarmos nossas posturas íntimas? Nossa postura política não tem sido mais do que Grandes almas tentaram cumprir suas partes
intuito de receber riquezas naturais, após a independência continuou a ser Que tipo de trabalho se poderá praticar em outras uma atitude religiosa no sentido de adoração aos va- com a nobreza que lhes cabe. Chico Xavier é o
o Salvador, nosso devassado pelos próprios agentes da libertação. terras se até então não se tratou de promover a própria lores equivocados que criamos para sustentar os egos exemplo mais expressivo que o Brasil gerou em
Uma terra prostituída que pouco zelou por seus fi- seara íntima? adoentados que carregamos. Esta não é a verdadeira seu seio. Dedicou sua vida ao exercício do bem,
pastor cósmico, o
lhos e não aprendeu a lidar com sua diversidade, que Que reflitamos, pois, diante do iminente retorno de política de transformação. despojando-se de todos os valores mundanos em
Cristo redentor”. Nossas almas devem assumir para si mesmas uma prol dos valores espirituais. Foi, mais uma vez, o
exemplo pode dar ao mundo? Jesus, e comecemos nossa reforma íntima agora mes-
É quando me pergunto: Brasil, terra de quê? Seus con- mo, praticando o bem e corrigindo nossos vícios. política de amor, política de “amai-vos uns aos outros”, condutor do amor crístico na terra. No entanto,
trastes ferem os olhos e as almas de quem os observa. Que os governantes elejam esta reforma acima política de “agir localmente pensando globalmente”. ele próprio não levou a cabo sua missão, desviado
Delirantes líderes de todas as hostes disputam seus de qualquer outra, em si mesmos, e que o eleitorado E neste mister nos aprofundaremos sempre, com pelos inúmeros casos em que tomou para si a res-
poderes por causa alguma que não o próprio enrique- também assim o faça, para benefício da nação e de pesquisas e reflexões que nos permitam perceber o ver- ponsabilidade de assistir, zelar, tentar melhorar a
cimento e prestígio. Sucumbem dramaticamente sob os toda a humanidade. dadeiro senso político que se deseja instalar no seio da condição de nossa gente.
CAPA comciência 10
Opinião comciência 11

terra de quê?
Foi por fazer as vezes do governo que Chico des-
viou-se de sua missão na terra de propagar a mensa-
gem espiritual, embora tenha escrito mais de 400 obras
elucidativas de caríssima importância. Mais uma vez, já
que assim o fez quando personificou João, o Evangelista,
teve dificuldade em falar da volta de Jesus. E mais uma
vez, já que também assim o fez quando encarnou como
Francisco de Assis, preferiu buscar o testemunho do

A Ética Perdida
amor cristão do que semear o esclarecimento e a razão.
Problema nenhum, já que testificou o amor.
E ainda assim, dos bastidores invisíveis da luz, o
espírito de Chico Xavier contribuiu para a elevação es-
piritual do mundo, sendo um dos que mais trabalharam
no sentido de impedir a terceira guerra mundial, os de-
sastres políticos que poderiam dizimar grande parte da
população terrena.

P
Após a sua morte, Chico posicionou-se sobre os céus ARECE QUE A HUMANIDA- eles — os deuses — costumam aparecer ca sem falar das leis divinas ou das leis
da África e de lá já iniciou seus planos para um futuro DE TERRENA AINDA NÃO no palco terrestre defendendo a prédica morais, já que essas estão implícitas no
naquele berço, onde se possa semear uma geração que SE CONECTOU COM A e a prática de valores e costumes tão conceito de ética.
exemplifique a cidadania planetária, o amor fraterno e a VERDADEIRA ESSÊNCIA DA essenciais para a cidadania cósmica. Sob a perspectiva de quem nos vê
política do cosmos. ÉTICA, NO VALOR DIVINO Quantos não pagaram com a própria “lá de fora”, parece que os que vivem
Não é à toa que Divaldo Pereira Franco, em suas pa- QUE ELA TRAZ EM SI MES- vida a ousadia de se permitirem nascer na Terra são cidadãos cósmicos adoen-
lestras, pede para que voltemos nossos olhos para a África. MA. A cegueira moral que “em meio aos seres doentes que vivem tados em suas formas íntimas, na medi-
No entanto, com sua bondade magnânima e sua nos abala e impede nossos espíritos num belo hospício planetário” situado da em que perderam a “simplicidade”
simplicidade infinita, Jesus, ao falar aos nossos cora- de avançarem rumo ao mais alto na borda da galáxia? Jesus, um caso re- diante da vida e se tornaram seres ina-
ções, pede em silêncio para que não esperemos os tem- não reconhece a iniciativa dos deu- conhecido disso. bilitados na arte de expressar ternura
pos vindouros em solo africano para operarmos em nós ses em nos dar exemplos deste teor Chega mesmo a ser impressionante uns pelos outros, e se transformaram
as mudanças necessárias para o sucesso do propósito e tomam por meras “bobagens” ou a insistência amorosa desses seres que nas “companhias indesejáveis” desta
maior. Para ele não há outro solo, outra pátria, a não ser “fraqueza d´alma” as inúmeras in- se substituem na tentativa de ajudar aos parte da galáxia, por mão mais expres-
o próprio coração de cada um. vestidas no campo da postura amo- humanos terrestres a conquistarem a re- sarem o que de mais primário existe
rosa e da honestidade de princípios denção das suas consciências transviadas na convivência entre seres evoluídos: o
desses seres excelsos. diante das leis cósmicas, ou se a isso qui- amor, elo maior da coexistência univer-
Lúcia Roberta Mello Assim afirmo porque, observando sermos dar outro nome, das leis divinas. sal. Esqueceram, portanto, completa-
as páginas da nossa história, somente Ora, não se pode desejar falar de éti- mente as suas origens.
12 13
comciência
Terceiro setor comciência

Krishna, Quetzalcoatl, Zoroastro, Lao- Nem muito menos está referencia- alguns, entre nós, não mais se permitem

Riqueza Espiritual
tsé, Confúcio, Jesus, Ibn Arbi, Gandhi, da aqui a “ética” com que, algumas matar alguém em nome do que quer que
todos eles nos deixaram exemplos ad- das expressões religiosas do mundo seja — preferem perder a própria vida a
miráveis do cumprimento ético das leis costumam caracterizar suas atitudes, escravizá-la à cretinice reinante!
cósmicas, no entanto, para a maioria a exemplo do que se conhece por Exijamos, pois, de nós mesmos, a
dos homens e mulheres da nossa co- “segredo pontifício”, escudo imoral e prática da ética que dignifica a vida e

O
munidade planetária, eles mais pare- amoral utilizado pelo Vaticano para ilu- nos faz acender a luz da alma mesmo AMOR É A ESSÊNCIA DE TODO O BEM E A sar de algo, mesmo que o que eu peça não esteja de
cem figuras de ficção que em nada se dir e vitimar mais ainda as pessoas que vivendo entre os “auto-aclamados” AÇÃO VOLUNTARIOSA, organizada e diri- acordo com seus princípios.” E assim por diante.
parecem conosco. Há uma espécie de sofreram abusos sexuais da parte dos reis e rainhas da honestidade, da virtu- gida, é o que dá propulsão à engrenagem O tipo de escravidão gerado por essa espécie
nuvem a encobrir a razão e a capaci- membros da Cúria Romana, protegen- de e da ética quando mal conseguem do melhoramento da qualidade de vida das de ajuda está longe de ser caridade ou um bem.
dade de perceber o divino desta hu- do estes últimos. Que ética pode existir dar testemunho dos deveres simples da comunidades. O problema é que as pessoas É despotismo disfarçado de benefício, e tende a
manidade que, tendo perdido a com- em atitudes como esta? cidadania esclarecida. acreditam que precisam esperar o amor bro- causar mais estragos do que melhoramentos.
preensão mais profunda do sentido da Ora, convenhamos! Doutrinas há Seguramente, a preocupação com Conforme a humanidade vai sendo liberta do
tar de seus corações naturalmente, no lugar
vida, premia a ignorância, a violência, que, em nome da pureza doutrinária, esses valores éticos não faz mais parte mal que carrega desde os primórdios das civiliza-
de procurarem um meio de irem ao seu encontro.
a esperteza e outros aspectos, também alguns membros ofendem a honra de dos compêndios e das atitudes dos que ções, mais o bem ganha espaço e se torna prática
Estacionam numa espera infundada, e assim, difi-
infelizes, como sendo aspectos inevitá- outros e ainda se pretendem possuido- vivem em nosso planeta, mas não esque- diária na vida de milhares e milhares de pessoas
cilmente conseguem ativar a centelha de amor que
veis à existência terrena, o que não é res da ética dos espiritualizados. Parafra- çamos, continuam a fazer parte do pa- que se engajam num propósito implícito e silencio-
dorme em si mesmas, antes de vivenciarem uma ex-
verdade, apesar de comuns. seando Jan Huss: “Sancta Simplicitas!” drão da Ética que permanece como sen- so de construírem a sua própria felicidade dentro
periência significativa no âmbito do bem.
Século após século, um estranho e Outros existem que matam em nome do a base da Justiça Divina, em relação de um mundo melhorado.
Muitas pessoas vinculam fazer o bem ao di-
progressivo processo de “cretinização” de uma ética divina, de um deus que a qual cada ser vivente costuma prestar Essa é a base que alicerça o terceiro setor: o
nheiro que possuem ou almejam possuir, sem
tem ocorrido com os habitantes da Terra parece ter mais ainda defeitos que esta contas. Ainda bem que esta não pode desejo incontrolável do espírito de construir, pelo
compreender o verdadeiro sentido da caridade ou
e somente os tais deuses, que insistem pobre raça humana já que, ao menos, ser manchada pelos que vivem na Terra. bem, um mundo melhor e a própria felicidade.
do próprio fazer.
nas eternas investidas, por amor a todos Depois que uma pessoa conhece os prazeres an-
Rogério de Almeida Freitas Caridade implica aceitação e respeito ao pró-
nós, e alguns poucos que os homena- tes insondáveis do exercício do bem, jamais regres-
ximo antes de tudo e, aliada ao fazer, significa dar
geiam com suas atitudes anônimas ao sa deste caminho, quer fazer sempre mais e obter
de si mesmo, dos seus talentos naturais e recursos
longo dos séculos, parecem praticar a mais e mais a sensação de liberdade interior que
próprios a quem necessita, importando menos a
boa luta e o bom combate contra esse esse fazer lhe proporciona. Torna-se fácil reconhe-
lamentável modo existencial. qualidade do que ofertam do que a intensidade
cer a alegria que provém da prática da verdadeira
Sei quão dispensável e secundário é, de si mesmos que depositam no ato de dar ou,
caridade porque ela é contagiante.
para os valores atuais do mundo, falar- mais ainda, o efeito que sua colaboração irá cau- O bem em si é contagiante porque promove fe-
se de “bobagens” como amor e ética. E sar no outro, no ambiente, no mundo. licidade e liberdade interior, ofertando uma experi-
ressalto que não me refiro aqui ao amor Para o ser humano terrestre, o mais difícil no ência ímpar e infinitamente maior e mais generosa
“devotado” cantado em prosa e em ver- exercício do dar é fazer o bem. Isso parece uma ao agente do bem do que aos seus favorecidos. A
so pelas elites religiosas nos seus múltiplos contradição, já que as duas operações deveriam sensação de ganho de quem dá é infinita, enquanto
templos e catedrais, mas sim, do amor co- estar intimamente vinculadas, uma não podendo a de quem recebe está limitada à extensão do bene-
rajoso, maduro e ousado da atitude políti- existir sem a outra. Mas, em nosso mundo, isso fício recebido. Uma é espiritual e perene, a outra é
ca de Jesus em amar um bando de loucos não ocorre, e as pessoas se permitem fazer pelo material e transitória. Mas só quem já esteve numa
que sequer conseguiram compreender, outro sem bondade alguma, sem se preocuparem ou noutra posição é que pode compreender isso.
2 mil anos depois de sua passagem pela com a necessidade real do outro ou mesmo com Há, também, a ser analisado neste contexto,
terra, o seu sacrifício. Endeusaram-no, o sentido ecológico de sua ação. Não é raro ver o fator carência. A carência que qualquer ser hu-
mas jamais o levaram a sério. pessoas anunciarem seus óbolos e ofertarem es- mano possa ter é surpreendentemente preenchida
Também aqui não me refiro à ética que molas publicamente, apenas para engrandecerem por uma sensação de plenitude naquele que dá
os nossos irmãos e irmãs, nas funções de a si mesmos, e não para fazerem o bem. sinceramente, ou seja, naquele que pratica o bem,
líderes das nações, costumam recitar nos A humanidade terrena está acostumada a dar enquanto naquele que o recebe ela não suprime,
seus discursos, mas cuja prática somen- submetendo seus beneficiários ao seu jugo, rouban- pois somente aquele que dá alimenta com sacie-
te demonstra a natureza do que lhes vai do-lhes a liberdade de escolha. “Eu lhe dou uma casa dade o seu espírito e esta sensação é infinitamente
ao íntimo, envergonhando ao que resta desde que você more no conjunto habitacional que mais grandiosa e segura do que qualquer acúmulo
do bom senso dos que, como membros eu construir, no local onde eu escolher, mesmo que de bens transitórios. Assim é que a riqueza do es-
da espécie Homo sapiens sapiens, ain- seja longe do seu trabalho ou da sua família; e mes- pírito vale mais do que a riqueza material.
da teimam em pensar. Convenhamos, a mo assim você será grato a mim pelo resto de sua Estamos vivenciando uma mudança significativa
paleoantropologia é muito generosa em vida.” “Eu faço isso por você se você falar para todo no mundo, que está deixando de ser um “mundo
manter o epíteto sapiens sapiens para o mundo que fui eu que lhe proporcionei esse bem.” de expiação” para se tornar um mundo de rege-
gênero humano. “Você terá o que deseja, mas será meu devedor pelo neração. Que outro caminho para a regeneração a
resto da vida e eu saberei pedir sempre que eu preci- não ser o vínculo sincero com o bem?
L.R.M.
14 15
Ação social comciência comciência

Bom Exemplo Os Amigos do Bem estão realizando uma obra real-


mente importante e desinteressada no Nordeste, certamen-
te a região mais carente de todo o Brasil, dando-nos um
exemplo sinérgico do que pode ser feito localmente para
importância do todo.
Desde o início dos trabalhos, a ONG volta-se para o auxí-
lio a famílias carentes, e hoje conta, na região nordestina do
Brasil, com 4 mil famílias cadastradas, parte de tantas outras
que são assistidas através de projetos de desenvolvimento
social e/ou auto-sustentáveis. Todo trabalho provém de vo-
luntários que, com seu empenho, dão um sentido de solida-
riedade à palavra amizade.
Com a ajuda de empresas e vários supermercados
que abrem espaço periodicamente para que os Amigos do
Bem realizem o trabalho de arrecadação de alimentos, as
famílias recebem constantemente cestas básicas, roupas,
empregos e melhoria social. A construção da Vila Agrícola
do Bem é o maior exemplo de dedicação voluntária dos
milhares de integrantes dessa ONG.
Com uma iniciativa dessas, podemos tirar o real exem-
plo de solidariedade que embasará a nova sociedade.

Material fornecido por: Holding Comunicações


U
ma nação se constrói com ações efetivas dos cida- Incentivar esse tipo de atividade é o foco desta seção, que
dãos que a formam. É da responsabilidade de cada sempre vê com bons olhos as ações que geram bom exemplo e
um definir como, quando e por que agir desta ou que, de intensidade incalculável, acabam por interferir positiva-
daquela maneira. mente do desenvolvimento do País, sobretudo, numa época em
A população brasileira é composta por uma que a própria realidade nos convoca para este tipo de atitude.
diversidade social que faz com que uns depen- As vítimas da fome na África; da guerra, na Palestina;
dam da ação de outros, o que desperta em muitos dos furacões Katrina e Rita, mais recentemente, nos Esta-
o senso de solidariedade. dos Unidos, são o retrato de milhares dos rostos que nos
Com o objetivo cada vez mais firme de melhorar a qua- comovem e movem para o exercício consciente do bem.
lidade de vida de muitos e defender interesses comuns é É expressando este movimento benigno que se so-
que se desenvolve mais e mais o trabalho terceiro setor, que bressai o trabalho da ONG Amigos do Bem, criada e se- Maiores informações sobre a ONG, visite: www.amigosdobem.org
congrega ONGs e serviço voluntarioso. diada em São Paulo.
16 17
Mistérios insondáveis comciência comciência

É certo e mais do que óbvio que ainda não temos o


devido avanço tecnológico para pesquisar e nem estatura
moral ou espiritual para compreendermos certos eventos.
Áreas como o Triângulo das Bermudas trazem pergun-
tas que não podem, cientificamente, ser respondidas de
forma plausível. É de se esperar alguma luz nos campos
do geomagnetismo, da tectônica de placas e de outros as-
pectos científicos, mas provavelmente só o porvir poderá
explicar o que ocorre de fato em algumas dessas áreas de
estranhos fenômenos.
Outros aspectos que envolvem a vida terrena, a espiritu-
alidade, por exemplo, tentam nos dar alguma notícia, mesmo
que avaliadas ainda como simples indicativos para reflexão.
A espiritualidade informa, portanto, que em Natal
(RN), por exemplo, nas praias de lá, que há cerca de 20mil
anos eram de proporção diferente e se distanciava muito
da margem, portanto longe da civilização, e hoje estão
muito próximas da área construída e habitada, existem
bases submarinas do antigo Império Atlante.
Ora, nenhum acontecimento estranho ocorre em Na-
tal, pelo menos aparentemente, que justifique dizer que
a parte da Atlântida lá submersa interfere no andamen-

Triângulo
to da região ou dos aviões, navios ou pessoas que por
lá passam. Conquanto há registros científicos de sinais
inteligentes e freqüências estranhas às produzidas por
qualquer coisa conhecida por nossa humanidade naque-
la mesma região. Tais freqüências chegaram a modificar
os planos para a instalação de uma base de pesquisa

das Bermudas
espacial na cidade de Natal — mas isso não é noticiá-
vel, posto que não chega a ser estranho demais para o
requintado interesse público pelo bizarro.
Em Natal, as máquinas atlantes ainda em funciona-
mento não causam qualquer estranheza ou preocupação,
mas outras áreas como esta no mundo sofrem, sim, inter-
ferência na navegação aérea e marítima por este motivo.

Q
UANDO KARDEC DISSE QUE HAVERIA SOMENTE do conhecimento profundamente mais preciso e abran- Aí se encerram as notícias da espiritualidade quan-
GANHOS COM A UNIÃO ENTRE CIÊNCIA E RELIGIÃO, gente que irmãos cósmicos — seres de outros orbes, de to a este assunto. Jamais a espiritualidade apontou as
MUITOS QUESTIONARAM, outros criticaram severa- condição corpórea e intelectual superiores às da Terra, que áreas específicas onde isso ocorre; no entanto, é certo
mente e outros, ainda, simplesmente desacreditaram incidem em nosso orbe com cada vez mais intensidade e que isso ocorre.
nessa possibilidade. Alguns poucos, porém, de menta- freqüência — ofertam a quem se preze ouvi-los. O que podemos deduzir da área do Triângulo das Ber-
lidade mais flexível e aberta, puseram-se a experimen- Através desta conduta mental é que tais pessoas, discreta “Conquanto há registros mudas é que esta possa ser, de fato, uma região que sofre
tar o “como” disso ocorrer. e progressivamente, vão desvendando estranhos fenômenos e científicos de sinais inteligentes interferência das máquinas da antiga Atlântida, já que a
A disputa que se acirrou entre as duas correntes — a cien- deixando uma trilha dedutiva para que se cheguem, mesmo os e freqüências estranhas às região pertenceu ao Império Atlante. Segundo os informes
tífica e a religiosa, de qualquer facção existente — tem levado cientistas mais incrédulos, às definições acerca dos mistérios mi- freqüências produzidas por do livro Akhenaton, aquela região abrigava Poseidon, a
a humanidade a um retardamento expressivo da solução de de- lenares e dos fatos ocultos ou esquecidos nas malhas do tempo. capital do Império Atlante, onde uma gigantesca pirâmide
qualquer coisa conhecida por
terminados mistérios como o caso do Triângulo das Bermudas. Dessas notícias que de pouco em pouco vão surgindo de cristal (uma máquina? Um mecanismo? Um centro ge-
de fontes interessadas e comprometidas com a evolução da
nossa humanidade naquela
Enquanto muitos homens e mulheres ainda duvidam rador de força?) se erguia centralmente.
até da existência da vida após a morte e da conseqüente humanidade, surgem as primeiras especulações acerca do mesma região”. Se assim for, de fato, fica ainda mais fácil associar
existência de espíritos, as inteligências da vanguarda mo- Triângulo das Bermudas. uma coisa à outra, mas, mesmo assim, não podemos di-
vem-se no sentido de conquistarem vantagens ímpares do Contudo, havemos de ter prudência ao adentrarmos o zer que lá existem máquinas a dar interferência ou qual-
campo do conhecimento, aproveitando-se da visão mais assunto, cautelosos por estarmos apenas a sondar univer- quer coisa assim.
alargada que os espíritos possuem e, mais recentemente, sos ainda inatingíveis. Ficam, apenas, bases para reflexão.
Reflexão
Depoimento comciência 18 comciência 19

eternidade, tanto do céu quanto do inferno, plantada Com o aprofundamento do conhecimento de certos
em meu cérebro tenro, imaturo e ainda longe de estar modelos provindos dos meios espiritualistas e de setores
plenamente desenvolvido, muito me incomodou durante da Física Moderna — Relativística e Quântica —, come-
muitos anos, pois do modo como era ensinada, não fazia cei então a elaborar um “corpo de doutrina” que pudes-
jus aos também ensinados atributos de perfeição e mi- se me nutrir de explicações compatíveis com a realidade
sericórdia do Criador. Como criança, submisso aos condi- naturalmente percebida com os cinco sentidos, naturais
cionamentos e orientações dos valores institucionais, era ou com a ajuda de instrumentos, mas também das re-
induzido por um fundamentalismo religioso desprovido alidades dos contextos espiritual e cósmico que a tudo
de todo e qualquer raciocínio crítico mais elaborado a envolvem. Nessa busca, havia a indagação do significado
aceitar tais ensinamentos. Minha mãe, seguidora de tal do que eram os chamados planos de manifestação — fí-
agrupamento que daquele modo orientava seus devotos, sico, etérico, astral, mental, causal, espiritual —, idéias
logo me consolava ao dizer que ainda não era hora de trazidas de milenares ensinamentos do Oriente e agora
tal ocorrer. “O Juízo Final — dizia ela — ainda não tinha inseridos em conhecimentos espiritualistas nos quais me
chegado”, e isso temporariamente me aquietava. preocupara em começar a estudar.
Anos mais tarde, a partir de estudos, experiências Gradativamente, por aquele tempo, considerei que
de vida e de um conseqüente maior desenvolvimento, todas as estruturas do plano físico fossem formadas de
novas perspectivas e horizontes vieram se incorporar átomos e, numa primeira abordagem, conceituei esse
aos meus circuitos neurais, capacitando minha estrutura plano como sendo o conjunto de toda obra da criação
mental com aprendizados e, por força de uma realidade formada por átomos — e suas sub-partículas — e por
competitiva e, por que não dizer, cruel, acabei por me outras manifestações que se tornam perceptíveis e regis-
tornar, de certo modo, crítico e inquiridor — assim o di- tráveis por instrumentação específica nesse conjunto ma-
ziam alguns dos meus colegas, familiares e professores terial. Assim, os sólidos, os líquidos, os gases, o plasma,
do estudo fundamental. Durante a adolescência e nos os íons, os elétrons, os quarks, as estrelas de nêutrons, os
primeiros anos de idade adulta, minha mente influencia- buracos negros, as ondas eletromagnéticas, os fótons, as
da por diversos fatores fervilhava em conflitos profundos. sub-partículas atômicas e até mesmo os neutrinos fariam
Na segunda metade da década dos anos 50 e nos idos parte do plano material.
das décadas de 60 e 70, vivenciei percepções de outros Mas à medida que novos conhecimentos iam se agre-
contextos existenciais que envolviam a realidade física, gando, muitas dúvidas surgiam, algumas delas cruciais.
participei ativa e conscientemente de uma militância po- Até que tamanho uma partícula poderia ser considerada

O meu Céu além


lítica estudantil envolvida pela situação na qual vivia o como pertencente ao plano material? E a partir daí, se
País e, simultaneamente, buscava respostas puramente considerarmos tamanhos de comprimentos cada vez me-
materialistas para ocorrências da vida e para fatos estra- nores será que iremos registrar tecidos, corpos, sistemas e
nhos que me haviam acontecido, os chamados fenôme- estruturas também cada vez menores? Se assim proceder-
nos espíritas, paranormais e ufológicos. Como fator de mos, quais seriam os limites — se houver — para partí-

do infinito...
complicações àqueles momentos de conflitos da alma, culas com dimensões extremamente pequenas ainda exis-
havia a necessidade de me integrar numa sociedade es- tirem? Mesmo não sendo partícula, será que não haveria
tabelecida na luta competitiva do mercado de trabalho, sistemas oscilantes tendentes a zero que se constituiriam
entre outros fatores de naturezas várias que aprofunda- de estruturas básicas formadoras de estruturas maiores e
vam ainda mais certas angústias íntimas. assim sucessivamente até atingirmos os níveis do nosso
“No entanto, o Céu, Há muito, a concepção de céu havia deixado de re- plano físico? E qual seria a faixa dimensional na qual seria
como o entendo, é presentar para mim o paraíso sonhado pelos seguidores irrelevante a diferenciação entre partícula e energia?
ainda maior do que religiosos e sim ser objeto de estudo vinculado às ciên- Caminhando nessa direção, a intuição, juntamente

Q
UANDO TINHA CERCA DE 6 ANOS, LEMBRO-ME sencadeando um certo desespero em achar que era o fim essa majestade toda! cias, onde tinha como meta desvendar o funcionamento com as informações dos meios espiritualistas, me fez con-
BEM, AO OLHAR PARA O CÉU E OBSERVAR O do mundo. Era ensinada naquela instituição religiosa e E o Pai Absoluto, maior da máquina newtoniana tal qual engrenagens cósmicas cluir que, se é real a existência do espírito, este deveria
MOVIMENTO DAS NUVENS, vez ou outra come- aceita pelos fiéis freqüentadores a concepção de que ainda! Nesse contexto, que obedecem a leis estabelecidas rigidamente. Procurava ser constituído de “alguma coisa” e essa “alguma coisa”
çava a chorar, pois pensava que o ”mundo esta- os bons iriam para o paraíso e os maus para o inferno entender corpos espaciais, planetas, satélites, estrelas, ga- deveria ser feita de algum “tecido” costurado com uma
a qualidade de ser a
va acabando”. Em minha mente infantil aquele eterno e, por ocasião dessa separação do joio do tri- láxias e tantas outras estruturas que em parte cintilavam “matéria” que apresentasse dimensões extremamente re-
estado dinâmico de movimentos relativos das go, os mortos seriam renascidos a partir do pó que os
morada da obra nas noites sem nuvens. duzidas. E entre o corpo físico — denso como ele é — e
nuvens brancas tendo ao fundo o azul celeste, formava quando então seriam todos julgados por um do Pai em todas O céu, de um local abstrato, para onde se dirigiam os espíritos — formados por agregações estruturais de
contrastando com os telhados das casas, dava a Deus implacável que os separariam eternamente em as dimensões os escolhidos por seus atos, passava a ser um laboratório matéria extremamente sutil —, existiriam estruturas e sis-
sensação de que o céu desabava. Apesar da pouca idade, salvos ou condenados. Assim, eu considerava que o céu é desvelada”. cósmico-espacial infinito, morada de todos os astros do temas que também seriam construídos com “partículas”
vinham à tona os ensinamentos da igreja a qual minha seria a morada dos escolhidos por boas qualidades e Firmamento que obedeciam a leis imutáveis que gover- de tamanhos variáveis compreendidos entre a menor das
mãe nos levava — eu e dois irmãos mais velhos — de- dos arrependidos de seus atos falhos. A crença em uma navam seus movimentos. partículas físicas e as partículas formadoras dos espíritos.
20 21
comciência
Consciência Espírita comciência

ESPÍRITOS e E.Ts.
No caminhar das pesquisas e das conceituações da A outra vertente da minha conceituação de Céu pode
atual Física Quântica e da Teoria das Supercordas já se ser encontrada se caminharmos em sentido contrário ao
tem aproximações dessas concepções“materiais”, onde a escolhido anteriormente. Agora, em vez de diminuir os ta-
sutileza das “estruturas materiais/energéticas” é que faria manhos para atingir dimensões infinitesimais, aumente-
a diferença entre essas manifestações dos planos etérico, mo-los até além dos limites da nossa imaginação. Nessa

QUAL o PROBLEMA?
astral, mental, causal, espiritual e do plano físico denso. direção, tomemos partículas microscópicas e multiplique-
Nessas considerações multidimensionais comecei mos suas dimensões lineares por potências de dez, para
a enxergar com os olhos da alma, um Céu espiritual rapidamente chegar aos tamanhos de homens, planetas,
que poderia ser imaginado como sendo constituído por estrelas, galáxias e do próprio Universo. Atingiremos os
esses vários planos de manifestação e, portanto, não limites atualmente observados do nosso Universo quan-
haveria apenas um único Céu, mas diversos “Céus” do o expoente do fator dez for da ordem de vinte e sete,
com propriedades diferentes relativas às dimensões das na escala metro.
partículas que constituem os níveis de manifestação da- E depois disso o que há? Na mesma escala usada, no

O
quelas realidades e às ressonâncias entre os sistemas céu que concebo, a distâncias da potência dez elevada a QUE ACONTECERIA COM A HUMA-
oscilantes das individualidades espirituais e as carac- expoentes crescentes — trinta, quarenta, cem... E assim NIDADE TERRENA SE, REPENTINA-
terísticas oscilatórias dos planos mencionados. Haveria, indefinidamente — existiriam infinitos outros Universos MENTE, ela descobrisse que de fato
portanto, compatibilidade vibratória entre o nível evo- com tempos de existência diferentes do nosso. E assim in- existem espíritos desencarnados
lucional dos seres que habitam cada plano existencial e finitamente! No entanto, o Céu, como o entendo, é ainda que vivem em níveis espirituais li-
as estruturas desse próprio plano. maior do que essa majestade toda! E o Pai Absoluto maior gados à Terra e seres extraterrestres
Se pensarmos em diminuir ainda mais as dimensões ainda! Nesse contexto, a qualidade de ser a morada da que, habitantes de outros mundos,
das partículas, supondo que essa “matéria” sutilíssima obra do Pai em todas as dimensões é desvelada. E esse nos visitam e, quando próximos ao nosso
seja eventualmente quantizável em algum limite, talvez céu infinitamente grandioso pertence ao Criador Absoluto planeta, se projetam com seus corpos espe-
com dimensões tendentes a zero, poderíamos atingir pois está nele imerso. ciais nos ambientes que nos envolvem?
níveis de matéria-energia primordial tão infinitamente E após toda essa jornada de um incrível dinamismo
pequenos que a tudo penetraria e a tudo formaria, pois de uma individualidade espiritual transitoriamente vi-
quaisquer dimensões de manifestação que quiséssemos vendo a experiência encarnatória posso nesse instante
considerar teriam suas estruturas formadas a partir das declarar que o meu Céu, enriquecido com as nuances
“aglutinações”, “enovelamentos” ou “concentrações” aprendidas durante o esmerilhar da alma pelos estímu-
diferentes dessa matéria-semente primeva. E essa maté- los da vida, é repleto de luz, de esperança e de amor. E
ria primordial, portanto, seria a matéria-prima com a qual nele se encontra o repouso do guerreiro que durante vida
o Criador moldaria a própria Criação. Nessa concepção, após vida combateu o bom combate e se incorporou a
tudo, absolutamente tudo, seria parte do Criador-Mani- unicidade do Pai.
festado e Ele estaria em tudo. Em uma noite sem nuvens, em um local de observação
E o que isso tudo tem a haver com o céu? Nessa con- adequado, ao olharmos para a abóbada celeste nos extasia-
cepção, o céu passaria a ser cada um dos planos de mani- mos com as estrelas que cintilam em um espetáculo maravi-
festação nos quais individualidades espirituais vivenciam lhoso, comovente e inebriante. O céu aveludado parece tão
experiências de “vida” compatíveis e sintonizadas com seu próximo que imaginamos poder pegar as estrelas com as
nível de crescimento evolucional. E esse nível espiritual se- mãos. Esse céu que acalenta os sonhos dos poetas, também
ria uma medida das aquisições meritórias experienciadas nos empresta seu cenário como templo sagrado para reve-
durante as inúmeras vidas e registradas nos circuitos osci- renciarmos o Criador com o coração cheio de gratidão, ao
lantes espirituais na forma de freqüências preferenciais. orar, tal qual nos foi ensinado pelo Mestre Jesus.
Nelson Vilhena Granado

“Pai-nosso que estáis nos Céus, santifi-


cado seja o Vosso Nome; Venha a nós o Vos-
so reino, seja feita a Vossa vontade, Assim
na Terra como no Céu; O pão nosso de cada
dia nos dai hoje; E perdoai as nossas dívidas
assim como nós perdoamos os nossos deve-
dores; E não nos deixeis cair em tentação;
mas livrai-nos do mal; Pois Vosso é o reino e
o poder e a glória, para todo o sempre.”
Amém.
comciência 22 comciência 23

E se esses E.Ts. forem muitos desenvolvidos e passarem a tra-


balhar conjuntamente com os espíritos desencarnados na as-
sistência e orientação fraternas aos que estão encarnados?
Pois bem, isso tudo acontece e estamos muito perto
dessas verdades se tornarem cientificamente conhecidas.
É claro que existem equipes de E.Ts. que trabalham
de forma independente, como também há equipes espiri-
tuais que atuam sem a componente extraterrestre.
Ao longo do tempo em que foram surgindo as reli-
giões e, em especial quando da Codificação Espírita, não
era possível se referir a esses seres pois só a questão
dos espíritos – na época da codificação – já provocou
problemas de toda ordem, imaginemos o que não teria
ocorrido se outra hoste se seres tivesse sido também
apresentada naquela época!
Achamos que a Espiritualidade Maior jamais pretendeu
inserir o “todo do Pai” em simples movimentos religiosos
terrenos feitos por seres tão imperfeitos como somos todos
nós. Entretanto, por não constar na Codificação Espírita re-
ferências explícitas aos E.Ts., alguns dos que a abraçam obs-
taculam de todas as formas, com dogmas até mais fortes do
que aqueles que um dia o Espiritismo pretendeu combater,
a possibilidades desses irmãos se comunicarem com os ter-
ráqueos através de “algum tipo de processo mediúnico”.
Mas, quem são os espiritualistas hoje se não aqueles
mesmos que ontem estavam a queimar focos de novida-
des esclarecedoras nas fogueiras inquisitórias?
O Espiritismo não necessita de reformas pois cumpriu,
cumpre e cumprirá a função que o desvelado Amor do Pai
lhe destinou. Mas, os espíritas, sim, como todos os demais
seres humanos.

Ou simplesmente esquecemos do que Jesus nos avisou E se ainda existirem outras hostes de seres envolvendo a Como ficará o Espiritismo diante do mundo – e per-
“Quando é que quando afirmava que ninguém entraria nos “reinos dos Terra além de espíritos desencarnados e extraterrestres? cebamos que o processo de espiritualização planetária
vamos ter a céus” sem se reformar intimamente? Durante muitos séculos, o pensamento dominante en- está longe de terminar – se seus seguidores continuarem
humildade de Será que, em sã consciência, alguém acredita que o tronizou a Terra no centro do universo. Ela nunca esteve e a negar com tanta veemência o “contato mediúnico ex-
Pai ou Seus Prepostos “gostam mais” de uma religião nem foi centro de coisa alguma, a não ser da ignorância e traterrestre” se de repente eles aparecerem, objetiva e
espírito para
terrena em detrimento de outra? Quando é que vamos do orgulho nessa parte do cosmos. Será que não estamos projecionalmente, diante da percepção de todos?
perceber que todos os ter a humildade de espírito para perceber que todos os fazendo com a questão dos “espíritos” processo seme- Será que é impossível existirem espíritos e extrater-
caminhos nos levam caminhos nos levam ao Pai, inclusive aqueles que nem lhante, que nos impede de ver mais além? restres? O que são os E.Ts. se não espíritos encarnados ou
ao Pai, inclusive sequer passam por religiões? A ciência e os fatos sempre atropelam as crenças desca- potencializados em outras realidades vibratórias diversas
aqueles que nem Se a mensagem é fraterna e, se de fato é pelo fruto bidas que persistem no estéril orgulho dogmático do que se da terrena? Afinal, qual o problema?
que se conhece a árvore, por que criar limites tão pobres pensa saber através da fé. Assim foi com muitos dos preceitos
sequer passam por e tresloucadamente fixados pelo orgulho e ignorância católicos. Será que o Espiritismo terá também de passar por
religiões?” humanas diante do imponderável, se nem sequer sobre isso? Antes, a culpa era da centralização teológica dos bispos,
o ponderável temos completo conhecimento e controle? cardeais e papas. Agora a responsabilidade vai ser de quem? Jan Val Ellam - Natal (RN) - Brasil
24 25
Trip comciência comciência

Há muitas moradas na casa doPai..

CAPADÓCIA - TURQUIA

Observar a diversidade terrena e aprender a aceitar suas


muitas diferenças sócio-culturais é o primeiro passo para o
reconhecimento da vastidão cósmica que o Pai criou para abrigar
as centenas de milhares de humanidades que, diferentes da nossa,
aguardam ansiosamente pela reintegração cósmica da Terra.
Pense nisso!
Terra urgente! >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
comciência26 comciência 27

Talvez a conta de 7 anos se dê pela necessidade implí- chamada de Sodoma e Egito e que, após esses três dias, essas
cita de João em usar, mais uma vez, a simbologia mística da duas testemunhas se colocariam de pé e seriam levadas aos
cabala judaica em torno do número 7 (já que o fizera com os céus e grande temor se apoderaria daqueles que não gosta-
7 selos e as 7 trombetas) querendo dar a idéia de um ciclo vam dessas duas testemunhas. E ali se encerrava o Apocalipse,
completo que não se feche, necessariamente, dentro desse pois que a próxima “desgraça” viria, depressa: o sétimo anjo
tempo. Mas, se sua aproximação estiver mesmo correta, este tocaria sua trombeta e Jesus chegaria.
ciclo se fecha agora, no ano corrente. De acordo com a revelação de amigos cósmicos a Jan Val
2005 é, portanto, o último tempo anunciado. É, pois, o Ellam, no dia 10 de abril deste ano, quando ainda se mos-
ano marco do final dos acontecimentos vaticinados para o trava na televisão mundial o sepulto de João Paulo II, esses
anúncio do anjo da sexta trombeta ou, se preferirem, o final amigos cósmicos apontaram o então Papa da Igreja Católica
de uma era, como bem anunciou o jornal Rome News Tri- como sendo uma das testemunhas anunciadas a João. A outra,
bune com relação à morte de João Paulo II. No entanto, um disseram, seria aquele pequeno grupo que, também a partir
final de era que prenuncia o retorno do Mestre. de 1998 iniciou a transmissão de mensagens acerca do tema
O curioso é que nem sempre percebemos com exatidão volta de Jesus. Ellam, entre eles.
o sentido das palavras dos profetas. Pode ser assim como Dessa forma, as duas testemunhas seriam justamente dois
pode não ser, estejamos atentos aos acontecimentos. candelabros, ou sejam, dois focos de luz, de cunho filosófico-
Mas fato é que foi mostrado a João que antes da che- religioso, um representando a Igreja Católica, outro, a vertente
gada iminente de Jesus, haveria, sim, de aparecer na terra espiritualista embasada nos preceitos da doutrina codificada
duas testemunhas, dois candelabros, duas oliveiras, que per- por Kardec, que nada mais foi e é do que o espírito de conso-
maneceriam com luz própria acesa diante do Senhor e que lação prometido por Jesus.
iriam, durante mil duzentos e sessenta dias, ou quarenta e Assim, embevecidos com os acontecimentos do ano, desde
dois meses, enquanto os gentios calcavam a cidade santa, as promessas mais frívolas ou esperançosas feitas diante da
anunciar a chegada iminente do Mestre. Mas essas duas bruma de Yemanjá até este turbilhão de ocorrências que hoje
testemunhas, após terem cumprido integralmente os seus vivemos em nosso planeta, o ano se despede com uma única
testemunhos, seriam destruídas por uma fera que subiria do certeza: os tempos são chegados. O Apocalipse é findo e o
abismo. E durante três dias seus corpos ficariam expostos anjo aguarda para tocar, rapidamente, sua sétima trombeta,

o final de uma era


numa cidade que também crucificou Jesus, espiritualmente anunciando a iminente chegada de Jesus.
L.R.M.
Capítulo 11 do Apocalipse de João:
1 E foi-me dada uma cana semelhante a um bordão; e o anjo tinha-se postado, dizendo: “Levanta-te, e mede o templo de Deus, e o altar, e
aqueles que estão adorando nele. 2 E deixa de fora o átrio que está fora do templo, e não o meças; porque foi dado às nações, e pisarão a cidade
santa por quarenta e dois meses. 3 E darei autoridade aos meus dois testificadores, e profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, tendo
sido vestidos de saco de cilício {*}”. {* “Cilício” é pano grosseiríssimo feito de crina de animais} 4 Estes são as duas oliveiras e os dois castiçais,
2005 chegou como todo ano, com fogos de artifício despertando os espíritos guerreiros aqueles tendo sido postados diante do Deus da terra. 5 E, caso alguém queira fazer mal a eles, fogo sai de dentro da boca deles, e devora os seus
de cada cidadão do mundo. A paz escoava dos corações aflitos de homens e mulheres que, em inimigos; e, caso alguém queira lhes fazer mal, é necessário desta mesma maneira ser ele morto. 6 Estes têm autoridade para fechar o céu, para
sua aflição choravam, suando as suas dores. Um minuto de silêncio foi concedido em respeito que não caia chuva durante os dias da profecia deles; e têm autoridade sobre as águas para convertê-las em sangue, e para ferir a terra com
à morte de 300 mil vítimas do maremoto no Oriente. E depois desse minuto, ninguém mais todo tipo de flagelo, tantas vezes quanto eles quiserem. 7 E, quando acabarem o testemunho deles, então a besta, aquela que estará subindo
chorou senão pela própria sorte. para fora do poço sem fundo, fará guerra contra eles, e os vencerá, e os matará.
8 E os seus cadáveres jazerão na rua larga da grande cidade que espiritualmente {*} é chamada Sodoma e Egito, onde também nosso Senhor
O ano decorreu em meio a muitos outros dramáticos eventos naturais, despertando a
foi crucificado. {* “Espiritual”: origem, poder, controle, fim são só e plenamente assoprados pelo Espírito Santo} 9 E homens provenientes de
atenção fraterna e solidária de muitos. Katrina fez o mundo chorar novamente, Rita fez uma
dentro dos vários povos, e tribos, e línguas, e nações verão os cadáveres deles durante três dias e meio, e não permitirão os seus cadáveres
cidade fugir e a Ásia lamenta a perda de muitos filhos em mais um terremoto. serem postos para dentro de sepulcros. 10 E aqueles que estão habitando sobre a terra se regozijarão sobre eles, e se alegrarão, e enviarão
Abalada com a reação em cadeia da natureza em fúria, ninguém pára para perceber, nas presentes uns aos outros; porquanto estes, os dois profetas, atormentaram aqueles que estão habitando sobre a terra. 11 E, depois daqueles
entrelinhas do Apocalipse de João, o marco que este ano representa para a humanidade, pois três dias e meio, o espírito de vida, proveniente de dentro de Deus, entrou sobre eles; e puseram-se sobre os seus pés, e grande temor caiu sobre
João anunciou duas testemunhas que, ao tempo do Juízo Final, profetizariam antes da volta aqueles que os estão observando. 12 E eles ouviram uma grande voz de dentro do céu, dizendo-lhes: ‘Subi para aqui’. E, dentro da nuvem, eles
de Jesus por três anos e meio cada um. subiram para dentro do céu; e os seus inimigos os contemplaram. 13 E naquela mesma hora houve um grande terremoto, e a décima parte da
Entendemos disso que, se contados a partir de 1998, quando o papa João Paulo II falou cidade caiu, e sete mil nomes de homens foram mortos no terremoto; e os demais ficaram aterrorizados, e deram glória ao Deus do céu. 14 O
pela primeira vez no assunto e também Jan Val Ellam discorria sobre o tema em sua primeira ai, o segundo, passou; eis que o terceiro ai subitamente vem.” 15 E o sétimo anjo soou- sua- trombeta, e houve no céu grandes vozes, dizendo:
“Os reinos do mundo vieram a ser os reinos do nosso Senhor e do Seu Cristo; e Ele reinará pelos séculos dos séculos.” 16 E os vinte e quatro
palestra em São Paulo; João Saraiva fazia o mesmo em Portugal e mais outros poucos — a se
anciãos, aqueles que estão assentando sobre os seus tronos diante de Deus, prostraram-se sobre os seus rostos e adoraram a Deus, 17 Dizendo:
contar nos dedos de uma mão — tentavam encontrar um meio de anunciar a tresloucada idéia
“Expressamos toda a gratidão a Ti, ó Senhor Deus, o Todo-Poderoso (Que está sendo, e Que era, e Que está vindo), porque tens tomado o Teu
da volta de Jesus, teremos 7 anos, a partir daquele ano até hoje. grande poder, e reinaste. 18 E as nações iraram-se e veio a Tua ira, e o tempo dos mortos serem julgados e dares o galardão aos Teus servos
os profetas, e aos santos, e àqueles que estão temendo o Teu nome, aos pequenos e aos grandes, e destruíres aqueles que estão destruindo a Pesquisa: geocities.yahoo.com.br/
terra. 19 E o templo de Deus foi aberto no céu, e a arca da Sua aliança foi vista no Seu templo; e houve relâmpagos, e vozes, e trovões, e um biblialiteral/Apocalipse01-11.htm
terremoto e grande saraiva”.
Terra urgente! >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
comciência28 comciência 29

H
Á UM ESTRANHO PROCESSO EM ANDAMENTO,
DESDE APROXIMADAMENTE O ANO 3110 A.C,
QUANDO AQUELES GRUPAMENTOS DE POVOS
QUE PASSARAM À HISTÓRIA COMO SENDO O
POVO MAIA DEIXOU ESCRITO NO QUE HOJE SE
CHAMA TZOLKIN (que seria o calendário maia).
Segundo esse calendário, esse ciclo foi aberto
em 3110 a.C. (há variação de data), e se completaria
por volta do dia 10 de dezembro de 2012 d.C. Para eles,
corresponde a um dos ciclos em que certas energias se
condensam e influenciam a vida do planeta: Quando es-
sas eras, de aproximadamente 5200 anos, são positivas,
ocorrem coisas bastante positivas; quando não, ocorrem
coisas complicadas; e quando uma delas corresponde a
um fechamento de uma era maior é chamada de “O Lus-
tro das Cinco Grandes Eras”. Os hindus chamam essa úl-
tima era de Kali Yuga. É a mais complicada que qualquer
família planetária, de mundos não muito desenvolvidos,
tem a enfrentar.
E assim, sob essa perspectiva, essa última época antes
do chamado “tempo de renovação”, ou do “grande dia da
renovação”, tudo indica que seria exatamente o momento
em que esse período, iniciado há cerca de 3000 a.C., ou
seja, de 5 mil anos atrás, está se complementando daqui a
breves sete anos, no ano 2012.
Ao longo da nossa história os estudiosos colocaram
essa perspectiva em relação aos estudos dessas eras.
Todos os astrólogos da Antiguidade, como por exem-
plo, os dos povos caldeus, os acadianos (que terminaram
sucedendo os sumérios), os maias, os toltecas, os hindus...
Todo o conjunto de culturas que marcaram os últimos 5 mil

PERSPECTIVA PARA
anos da história terrena, inclusive muitas aqui no Brasil,
nas terras da Amazônia, como também no Nordeste do
Brasil (nós sempre achamos que as cidades da Suméria
são as mais antigas e delas foi plotado no ano 3 mil cento
e pouco a.C., como sendo as mais antigas).

O GRANDE DIA
Em janeiro deste ano, arqueólogos peruanos e
americanos acharam ao norte do Peru uma cidade que,
com a datação do carbono 14 e com outro método de
datação de idade, viram que nas ruínas ali existentes
seu material data de 3 mil cento e alguma coisa a.C.,

DA RENOVAÇÃO
constatando que a civilização que ali esteve era muito
evoluída. Essa civilização já precisaria estar existindo há
milênios, para poder ter atingido aquele estágio, ou seja,
a América do Sul também é repositório de culturas ances-
trais – ainda não descobertas – tão ou mais antigas do
que a do Egito, da Suméria, da Mesopotânia e da Índia.
Nós devemos, pelo menos, analisar com zelo o fato
de que todas as culturas do mundo antigo apontavam,
naquele tempo, para um tempo que surgiria aproximada-
mente 5 mil anos depois deles. Esse tempo é 2012, que
estamos prestes a viver.
Terra urgente! >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
30 comciência comciência 31

Sob essa perspectiva de análise, o número cabalístico sete é Esses 5 livros corroboram com lendas e mitologias que foram Mas isso não implica questões mais sérias do que as que nós já
sempre cheio de surpresas e de coisas, às vezes, desagradáveis. Os “É a eterna lição que Gandhi nos deixou: semeadas na Terra há 5000 mil anos e também com o roteiro lógico conhecemos; ao contrário, alguém genial chamado Jesus há 2 mil
estudiosos dizem que, em 2012, encerra-se um período de sete anos. da forma como nós interpretamos o Apocalipse. anos disse que é inevitável que certas coisas desagradáveis e doloro-
Normalmente nos primeiros anos do ciclo deve-se aguardar aconte-
cada ser humano no âmbito da sua vida pode Concluindo, nós estamos entrando no período que são os últi- sas aconteçam. Infelizmente deverão ter de ocorrer. Por quê? Porque
cimentos estranhos e dolorosos, mas, para os últimos anos, aconteci- melhorar o mundo tornando-se um instrumento mos 7 anos desse grande ciclo de aproximadamente 5200 anos. É isso é decidido pelo livre-arbítrio do homem.
mentos surpreendentes e positivos. interessante perceber que seja para onde nossos olhos se voltarem, Em resumo, estamos entrando talvez na última época de uma
da mudança que ele quer ver no mundo.” no sentido de buscarem informações e análise sobre esta questão, era, que nós não sabemos direito como ela começou, mas que ela vai
A espiritualidade acha muito difícil que se feche esse período de nós encontramos indicativos proféticos ou vaticínios de que nos anos terminar sobre os nossos ombros.
2005 e 2006 podem ocorrer uns pequenos problemas localizados, As notícias são boas, porque, finalmente, com o final dessa era, a
5200 anos, em 2012, sem que todos os mistérios dos céus anunciados Ele começou a buscar através de métodos de programas de com-
putação mais e mais informações. E como na matemática não existe tipo explosão atômica na região da Palestina. Infelizmente, morrerão Terra deixará de estar isolada do cósmico. Nós voltaremos a conviver
na terra se cumpram.
casualidade ou coincidência, esse cientista chegou à incrível conclusão muitos irmãos e irmãs nossas, mas isso já está acontecendo. com os outros irmãos dos outros orbes. Num processo lento e suave
de que uma mente humana não poderia ter escrito aqueles cinco li- Nós ficamos sabendo que cerca de 300 mil pessoas morreram de conscientização o susto será pequeno. Sustos grandes já tivemos
Nesse sentido, devemos também perceber que, há um livro cha-
vros, pois neles está escrita a história da humanidade que aconteceria nessa onda chamada Tsunami, mas só nos últimos cinco anos, do e estamos tendo, mas com o que nós próprios seres humanos produ-
mado O Código da Bíblia, – não confundir com O Código da Vinci,
no futuro. Como exemplo podemos citar o assassinato do presidente século passado, mais de três milhões de pessoas morreram a ma- zimos, não porque alguém de fora fez.
que também é um outro grande livro – escrito pelo jornalista Michael
John Kennedy, que aparece lá, na mesma relação de linhas e letras no chadas em certas partes da África, mas ninguém sabe disso, porque Pelo menos, suponho eu, se isso for minimamente verdade, e eu
Drosnin, um trabalho precioso sobre a descoberta de um matemático
hebraico antigo. Aparece não só a possibilidade da morte desse perso- a imprensa não noticia. A imprensa só dá aquilo que consumimos garanto que de minha parte e da parte dos dois amigos espirituais
nos primeiros livros da Bíblia.
Para entender essa questão precisamos primeiro saber e enten- nagem, como também outras possibilidades que poderiam ter ocorrido que estão me ajudando ninguém está inventando coisa alguma e
der o que é a Bíblia: A Bíblia, como nós a conhecemos, foi obra de com ele, caso ele não tivesse morrido assassinado. Ou seja, o livro, além do mais está tudo escrito, é só pesquisar. Pelo menos nós deve-
um religioso católico chamado Jerônimo, que viveu no século 4º, d.C. além de citar o que de fato aconteceu, cita também outras possibilida- ríamos refletir a respeito disso.
Ele reuniu centenas de livros que estavam espalhados pelas muitas des históricas em torno daquele fato profetizado naquela página. E o que é que nós temos a ver com tudo isso?
igrejas cristãs e, junto com uma comissão de prelados do catolicismo O matemático assustou-se e começou a verificar fatos ainda É algo muito simples. É a eterna lição que Gandhi nos deixou:
escolheu quais livros iriam compor o cânone oficial da Igreja Católi- não ocorridos e começou a tentar prognosticar, mas ele não conse- cada ser humano no âmbito da sua vida pode melhorar o mundo
ca. A versão latina da Bíblia, chamada Vulgata, foi arquitetada entre guiu perceber o futuro, isso é importante que se diga. Mas sempre tornando-se um instrumento da mudança que ele quer ver no mun-
os anos 370 e 380 d.C. Foram escolhidos 73 livros para compô-la. que os fatos mais importantes ocorriam, aplicando o mesmo méto- do. Se você quer um local agradável e simpático, seja esse alguém
Os que se referiam ao período antes do nascimento do Cristo foram do de verificação ele percebia que uma inteligência, que não pode mais agradável e simpático que possa ser. Com isso a pessoa estará
chamados de Antigo Testamento e Novo Testamento, este para livros ser humana, pois segundo ele, hoje em dia, no século 21, não há se transformando num instrumento da mudança que ela quer ver no
localizados depois do nascimento do Cristo. um só ser humano na face da terra, por gênio que seja, capaz de mundo. Se eu quero que o mundo seja um local amoroso, eu tenho
A quem interessar possa, o Novo Testamento é composto por 21 formular um código desse naipe. E o que dizer de alguém que viveu que ser o homem mais amoroso que eu puder ser. Mesmo com muita
Epístolas, 4 Evangelhos, os Atos dos Apóstolos e o Apocalipse, que há 3 mil e poucos anos? imperfeição, eu não vou exigir que ninguém seja diferente, eu vou
somam 27 livros. O Antigo Testamento, formado por 46 livros: 18 Então o cientista chegou a uma conclusão teoricamente absurda: exigir somente de mim mesmo que eu o seja. Cada ser humano pode
livros proverbiais, 16 históricos, 7 sapienciais e 5 livros chamados a de que uma inteligência não terrena teria se comunicado com Moi- fazer só isso e, ao mesmo tempo, tudo isso.
pelos judeus de Torá. Ou seja, o Pentateuco, que, em tese, Moisés sés – tem na história que Moises recebeu as tais tábuas do tal Deus. É melhorar-se enquanto ser humano, porque na hora em que um
teria escrito. Pelo menos é assim que alguns estudiosos desconfiam O cientista, então, com base nisso chegou à conclusão absurda para ser humano melhora a si mesmo, o mundo se melhora, por mais que
que foi: Moisés teria escrito os cinco primeiros livros do Antigo Testa- a lógica humana, que alguém não terreno escreveu isso, ou produziu a gente não perceba.
mento da Bíblia e eles foram enfeixados em um só livro, a Torá, (tido e entregou a alguém na Terra. Esse alguém na Terra se desconfia que Que possamos então refletir sobre isso.
pelos judeus como sua escritura sagrada). foi Moisés e esse alguém não terreno seria aquele deus da Bíblia e parece que nós, população humana, não gostamos muito da ma-
téria da África. Parece que quando vemos alguma matéria sobre a J.V.E.
Os estudiosos da filologia evangélica bíblica conseguem ter pista chamado Jeová, Javé ou Ya Yevh (nome cósmico daquele que ficou
dos atores terrenos de todos livros do Antigo Testamento e do Novo conhecido como Jeová). África mudamos de canal. Os editores sabem disso e não se preo-
Testamento, com exceção desses cinco primeiros, que não se sabe Um jornalista chamado Michael Drosnin publicou o livro O Có- cupam em dar notícias sobre a África.
quem os escreveu. digo da Bíblia I. Quando eclodiu o problema de 11 de setembro de Nós estamos pensando que só está morrendo gente agora? Não, já
Esses cinco primeiros livros ainda existem. Os estudiosos situam- 2001(a queda das torres do World Trade Center) ele foi verificar se vem ocorrendo ao longo dos anos 80 e 90 um verdadeiro morticínio, que
nos por volta do século 8º ou 9º a.C., e é aqui que o enigma aparece. aquilo estava escrito, e estava. Além dessa possibilidade existiam ou- passa de mais de uma dezena de milhões de pessoas. Só no Sudão são
Um matemático, respeitadíssimo, estudando esses elementos origi- tras. Ele começou a verificar outros fatos em cima disso e escreveu O mais de 100 mil pessoas por mês. Isso é muito mais significativo do que
nais, que não se sabe ao certo se foi o elemento original escrito por Moisés Código da Bíblia II. um Tsunami. Mas a imprensa não dá, então nem sabemos o que está
– se é que foi Moisés quem realmente escreveu os cinco primeiros livros. Mas por que isso tem a ver com o assunto que nós estamos acontecendo, mas por ignorarmos não deixa de estar acontecendo.
Discurso de Jan Val Ellam na reunião do Grupo Atlan.
Esse matemático começou a perceber que nesse original muito antigo falando? Porque nas tais profecias, ou nas tais mensagens proféti- A Terra está entrando neste último período. Se isso estiver correto,
Natal 14.02.2005.
existia, de forma codificada, um cem números de informações proféticas cas vindas desse dois livros, elas corroboram perfeitamente nesse o que vivenciaremos em 2005 e 2006 será apenas a continuação do
Transcrição – Luiz Carlos.
no chamado Torá, ou seja, nos livros: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e tipo de análise não objetiva, porque nesse último período de sete extravasamento do ódio que o ser humano ainda teima em juntar na sua
OBS: Sobre um dos fatos ocorrido na África, foi lançado um filme, Hotel Ruanda, que
Deuteronômio, e ele começou a perceber que todos os principais eventos anos, das grandes idades milenares das eras, os primeiros anos são própria intimidade espiritual. Se o corpo está literalmente cheio d’água,
mostra a guerra civil nesse país, onde foram chacinadas com tiros e golpes de facão
da história humana, não a partir de Jesus, mas desde quando esse livro foi complexos. Esse livro diz que os anos 2005 e 2006 serão complica- se mais água ali cair, em algum momento ele vai transbordar. O espírito
mais de 1 milhão de pessoas e a ONU (leia-se, os países ricos) não interferiu porque
condensado, estava descrito de forma criptografada, isto é, codificada nas dos, pois que pelo que está escrito, até pode ocorrer uma explosão humano está cheio de ódio e se o ser humano não se educar, em algum
não era rentável nem financeiramente, nem politicamente.
páginas desse livro – se é que nós podemos chamar de páginas. atômica, porém de pequeno porte. momento ele se explode. E ele está se explodindo há milênios.
32 33
Comportamento comciência comciência

É deprimente perceber que não mais nos indignamos quan- Enquanto isso, na nossa face, a paradoxal insensatez

A Violência do Outro
do as forças do nosso complicado cotidiano atentam contra a — ou o que resta ainda da nossa capacidade de se indignar
vida de muitos. Isso não nos choca mais porque os nossos já in- com algo ou alguma coisa — de nos acostumarmos com
sensíveis valores vêem com estranha normalidade o assassinato centenas de mortes estúpidas, as quais diariamente os nos-
diário de milhares de pessoas perpetrados por esta estranha má- sos olhos vêem sem enxergar, ao mesmo tempo em que nos
quina de moer sensibilidades, que é a forma como a vida social deixamos chocar pelas cores de fatos isolados nos quais a
se organizou neste mundo. Mas quando uma filha participa da miséria humana atenta contra ela própria, no seu triste impé-
trama do assassinato dos pais1, o que é realmente lamentável rio estruturado nos valores do nosso anestesiado psiquismo.
sob todos os aspectos, nos apressamos a moralmente crucificar O pior é que, mais que para julgar, dirigem-se às sensi-

A
NATUREZA DOS SENTIMENTOS HUMANOS PARE- Somos os melhores especialistas na observação visual o já insepulto cadáver que, ainda vivo, observa a imprensa e as bilidades das pessoas no sentido de “demonizar” os mise-
CE PERTENCER A UM REINO NO QUAL A NOSSA “daquilo que podemos parecer” para os outros, já que nos pessoas a patrulharem uma lágrima de arrependimento que seja ráveis que, acima da média, assumem-se como sendo, entre
COMPREENSÃO AINDA NÃO OUSOU CHEGAR, e acostumamos a viver de superficialidades. Mas, provavelmen- no seu rosto petrificado pela insensatez. os loucos, os mais doidos, pois que matam até os próprios
nisso reside muito da nossa impotência em não te, não temos conseguido criar a habilidade para ver além pais. E serão sempre estes últimos a serem apedrejados pelos
conseguir entender algumas atitudes comuns à das fronteiras das imagens reflexas, pois a espécie humana primeiros que, normalmente, esquecem que não existem pe-
nossa raça. parece jamais ter conseguido olhar para dentro de si mesma. dras suficientes na crosta terrestre para satisfazer a sanha de
Os cientistas costumam afirmar que existem Afinal, quem de nós consegue avaliar a si próprio, com um encontrar sempre pessoas ainda mais loucas que nós.
três grandes enigmas a serem decifrados: a gênese uni- mínimo de procedência nos campos da lógica e da justiça?
versal, o surgimento da vida e a mente humana. Creio, Contudo, medimos o próximo com a medida da nossa igno-
porém, que o maior desafio é ainda o de tentar entender rância, pois que, desconhecendo a nós mesmos, intentamos
a nós mesmos. conhecer os nossos semelhantes – como se nisso residisse a
Talvez por isso observemos tanto os outros sem que, lógica da nossa demência.
contudo, tenhamos desenvolvido a habilidade de nos auto- Acontecem hecatombes que nos chocam a sensibilidade
observar – a não ser quando buscamos no espelho as nossas como também casos isolados que conseguem chamar a nossa
melhores proporções corporais ou na costumeira análise da atenção, enquanto permanecemos completamente alienados
vestimenta. Se assim é, residirá, portanto, no orgulho produzi- quanto à destruição da vida que cotidianamente ocorre ao
do pelo ego, a única motivação para ver a nós mesmos, nem nosso redor. Que morram milhares, mas se tais mortes ocorre-
que seja somente a nossa imagem refletida nos espelhos que rem pelos fatores de destruição já admitidos como “normais”
escondem o mistério da nossa vaidade como também o das ou “inevitáveis” pelo nosso psiquismo, que seja, “o mundo
nossas frustrações. é assim mesmo”, costumamos pensar, quando não temos a
pretensa ousadia intelectual de dizer isso em alto e bom tom. N.E.- 1. Com referencia ao caso Richthofen
Porém, quando algo foge à rotina da nossa miséria espiritual
e moral, “absurdo dos absurdos”, clamam acertadamente os
incautos observadores do caminhar desta humanidade, es-
quecidos, porém, de acrescentar aos absurdos da vida o que
eles próprios julgam como sendo normal e comum.
comciência 34 comciência 35

É deplorável como não conseguimos ver no próximo, O problema é que o aceitável para nós é, na verdade, tão ina- habilitado a entendê-las. E mesmo sem atinar para a causa das
por execrável que seja a sua atitude, um membro da nossa ceitável quanto o que costumeiramente percebemos como tal. profecias e dos vaticínios referirem-se quase sempre a eventos
desgastada família humana, quando é esta mesma família A única diferença é que o aparentemente aceitável se veste onde a violência é entronizada pela estupidez humana como a
humana que o ajuda a ser o que aparentemente é. de aspectos horrorosos e, somente então, despertamos para o força motriz do nosso desespero, seguimos na nossa dialética
que nos causa indignação. infantil conjugada ao mais insensato maniqueísmo classifican-
Ao que parece, perdemos a noção de espécie, e mal Ora, não deveríamos, em nenhuma hipótese, nos acos- do o que é o bem e o que é o mal, como se o bem se fizesse
percebemos quão danoso é, para a raça humana, ter en- tumar com a morte não natural de qualquer ser humano. Em representar por quem semeia a exclusão social e a miséria mo-
tre os seus pares, desesperados que atentam contra a ló- tese, não seria cabível que nos permitíssemos distorcer de ral em muitas regiões do planeta em nome dos seus pretensos
gica da espécie já que, pelo menos, pai, mãe, filho e filha tal maneira a nossa sensibilidade, para chegarmos no ponto nobres ideais de liberdade. Que tipo de liberdade, se a opressão
não deveriam jamais atentar uns contra os outros. de achar normal “matar na guerra”, posto que os que assim econômica e política é a tônica das suas ações imperiais?
fazem costumam ser homenageados, e ai daqueles que não E o triste é supor que “o lado do bem”, tido por parte da
O “pelo menos” aparece aqui como fator de aceitação “cumprirem o seu dever”. mídia mundial, foi exatamente quem mais promoveu “guerras
desesperada da percepção de que muitos membros da espé- O leitor deverá estar se perguntando se este missivista frias e quentes”, desde a segunda metade do século 20 até os
cie já aceitam que se mate por este ou aquele motivo. Mas está defendendo o fato de alguém ser obrigado a ir para uma dias atuais. E é imperioso perceber que uma atitude doentia de
matar o pai e/ou a mãe, o filho e/ou a filha, isto não! guerra e não guerrear com o aparente inimigo. Não, não é um lado sempre provocará insanidades no lado oposto. Pena que
Somo tão imaturos que esquecemos de observar que o isso. É muito pior. Porque o germe, por trás desta questão é não se perceba o óbvio, ou seja, estamos todos adoentados por-
germe, por trás do ato de matar ou de destruir, é o mesmo, a estranha doença que nos marca de formular argumentos que perdemos a capacidade de amar o nosso semelhante; por-
independente das cores que venham a “sensacionalizar” o lógicos para as nossas loucuras enquanto nos inabilitamos a que conseguimos destruir todos os valores que dão sustentação
estúpido ato de atentar contra a sensibilidade de alguém, seja perceber que nada justifica “matar alguém”. lógica à vida na Terra, a saber, a honestidade de propósitos e de
este alguém quem for. As nossas guerras são estúpidas e poucas delas encon- atitudes, a ternura, a tolerância, a solidariedade, enfim, o respeito
Precisamos urgentemente nos desacostumar em aceitar a tram estrutura lógica diante dos valores que nobilitam a vida à ética e à virtude, tão decantadas pelos filósofos da antiguidade,
morte não natural que cotidianamente marca muitas famílias na Terra. E as poucas que encontram carecem de terem sido mas completamente esquecidas pelos da atualidade.
deste mundo. É imperioso perceber, por trás de cada uma des- provocadas pela insensatez das nações quando criam vácuos O problema não está nessa entidade supra-humana
sas mortes promovidas pela violência urbana, pela disputa entre na esperança das pessoas e estas se deixam levar por idiotices chamada humanidade, o problema está em cada um de nós.
grupos de traficantes de drogas, pelos conflitos étnicos, enfim, ideológicas como, por exemplo, as do nazismo e do fascismo. O problema não está no outro, mas sim em mim mesmo. O
pelas guerras entre nações, os sentimentos do ódio represado O que deixamos de perceber é que não devem ser somente problema não está nesta ou naquela nação, mas no exercício
e o da falta de compromisso com a vida como fatores desen- os “loucos institucionalizados nos poderes deste mundo” que tacanho de uma cidadania de cunho nacionalista desprovida
cadeantes da infelicidade planetária. E a grande questão que descobrem a lógica e a razão para matar alguém ou muitos, de qualquer noção mais ampla da espécie que formamos, en-
temos para repensar é: quem determina ou determinou que a com as suas doutrinas de guerra, mas também os “loucos”, quanto família planetária. E o que, neste mundo, é feito em
vida na Terra tem de ser desse jeito? Os nossos hábitos institu- assim avaliados pelos “institucionalizados”, formulam as suas função do ser humano, visando o seu melhoramento?
cionalizados como normais e aceitáveis — é a triste resposta. E lógicas pessoais e as suas razões para cometer crimes com as Será que perdemos a substância do que somos e a refe-
se mais fôssemos aprofundar a questão teríamos de perguntar chamadas cores fortes da frieza e da insensibilidade humanas. rência do que deveríamos ser? Será que perdemos o sabor ou
ainda: como chegamos a esse ponto? Processos educacionais Mas é o mesmo vírus a provocar — tanto nos aparentemente será que ainda temos jeito de observar e viver a vida e, mais
equivocados, ignorância das gerações que na posição de filhos grandes timoneiros da epopéia humana que criaram e criam as ainda, termos a nós próprios como os responsáveis pelo desti-
não compreenderam seus pais e quando na posição de pais guerras como nos solitários assassinos — a febre da loucura no do nosso berço planetário e de todos os que nele vivem?
não souberam educar seus filhos. E assim caminhou e ainda e da sanha em matar o próximo. Contudo, repetimos, os pri- Sou dos que pensam que há algo em nosso íntimo que
caminha a humanidade: cegos guiando cegos, porém, todos meiros “demonizam” os últimos como se existissem grandes jamais permite que nos transformemos naquilo que não somos
muito orgulhosos das suas capacidades intelectivas para perce- diferenças entre pertencer a uma ou a outra situação. E muitos ou, em outras palavras, por piores que possam ser as nossas
ber a realidade que os envolve. de nós, a chamada opinião pública, que pretendemos não ser atitudes, somos seres humanos com uma infinita capacidade de
A nossa percepção é tão frágil que sempre que algum nem uma coisa nem outra, nos deixamos levar pela onda ati- amar e nisso reside a nossa grande herança divina. Os que as-
membro da nossa raça se apresenta como sendo a antítese vada pela mídia que, sempre apressada, expressa o brilho dos sim não logram expressar na generalidade das suas relações é
do que deveríamos ser, identificamos, com absoluta precisão, seus aparentes apelos de indignação no varejo, deixando de porque estão adoentados em algum grau. Sob essa perspectiva,
tudo o que nos diferencia da ovelha negra do momento, pro- observar o atacado da multidão de corpos sem vida. Mas, para a quase totalidade dos que vivem neste mundo está adoenta-
duzida pela mídia. No entanto, por covardia moral ou por que adianta contar os cadáveres se o que nos chama a atenção da. E a tal ponto que aceita como trivial o assassinato diário de
falta de lucidez, deixamos de perceber o que nos pode asse- é somente a aparente cor ou o gênero do desastre? milhares de pessoas que possam estar situadas longe das suas
melhar a esses a quem apontamos como sendo os violentos, Existem profecias de toda ordem feitas num tempo em que sensibilidades pessoais. Porém, se uma só morre no âmbito da
os traidores da vida. E na verdade, somos todos violentos e se referiam a um longínquo futuro e eis que estamos vivendo sua percepção emocional, cruz-credo, é coisa do demônio.
poucas são as exceções na nossa espécie. exatamente os tempos preditos pelo Apocalipse, dentre outras Por falar nele, coitado! Creio que o ultrapassamos no que
Perdemos a noção do que somos, se é que ainda fontes proféticas. Ao mesmo tempo em que vemos as torres sempre se pensou ser ele o mais aquinhoado.
somos alguma coisa enquanto seres humanos, já que da esperança de muitos desabarem diante dos olhos atônitos Sinceramente, precisamos criar mais um desempregado
o valor que costumamos dar à vida alheia somente sal- da humanidade, esquecemos de aprofundar a análise do por- neste mundo, já que o mítico demônio deve estar completa-
ta aos nossos olhos quando a órbita da nossa percep- quê essas coisas terem de ocorrer. Acostumamos a assistir às mente surpreso com tanta maldade e ignorância, pois nem
ção gira em torno do que tachamos como inaceitável. desgraças ao nosso redor, sem que, contudo, tenhamos nos mesmo ele seria capaz de tanta insensatez.
Rogério de Almeida Freitas
A
36 37
Além do horizonte comciência comciência

volta de Jesus
Afinal, Jesus voltará? Quando? De que modo se dará a sua volta? Este assunto
não será uma mera questão da simbologia bíblica na qual os protestantes
acreditam, os católicos admitem e grande parte dos espíritas não aceita?

O
S PROTESTANTES DE MODO GERAL nacional de televisão, em pelo menos cinco Erro de interpretação? Orgulho intelectual
— CONFORME AS ESPECIFICIDA- oportunidades entre o fim de 1999 e início exacerbado por conta de opiniões já mantidas
DES DE CRENÇA DE SUAS MUI- do ano 2000, que os contatos com seres ex- nesse sentido? Desconhecimento do que Kar-
TAS AGREMIAÇÕES RELIGIOSAS traterrestres compõem um fenômeno real e dec realmente deixou registrado?
— enxergam no retorno de Jesus têm acontecido regularmente. Anunciou que Dizem alguns que essa questão fere a pu-
um momento de renovação, de ar- o Vaticano está recebendo continuamente reza doutrinária do Espiritismo porque envolve
rebatamento literal dos eleitos que muitas informações sobre alienígenas e seus o fator extraterrestre, o que também, segundo
cumpriram fielmente os preceitos dos cultos a contatos com humanos, vindas de seus nún- os mesmos, jamais foi abordado por Allan Kar-
que estão vinculados. Que seja. É realmente cios apostólicos em vários países, notada- dec. Novamente o equívoco cuja base intelec-
bela e edificante a fé destes estimados irmãos mente o México, Chile e Venezuela. tual de apoio não encontra respaldo na obra e
e irmãs que vivem as suas vidas vinculando-as Supondo que nada disso tivesse o míni- nem muito menos na vida do codificador.
aos nobres ideais das suas crenças. mo fundamento, como um prelado apostólico Realmente chega a ser doloroso o que o
Já os católicos tinham, até há pouco tempo, romano, autorizado pelo papa, iria referir-se a ser humano termina fazendo consigo mesmo
na corajosa postura do papa João Paulo II, o assunto desse porte se não fosse obedecendo em nome do que julga conhecer, dando por
foco das suas atenções para o tema em questão. a alguma estratégia? sabido aquilo que ainda precisa ser descober-
Isso o dizemos porque, no dia 29 de novembro Quanto aos espíritas, a opinião comum de to ou percebido.
de 1998, na sua bula denominada Incarnationis alguns dos seus principais vultos, diretores e Para os que acham que a questão extra-
Mysterium, ele declarou: “...é preciso permane- dirigentes de centros, observa que, em nenhu- terrestre fere a chamada pureza doutriná-
cer à escuta dEle para reconhecer os sinais dos ma hipótese, Jesus retornaria Terra pela simples ria, ou coisa do gênero, afirmando que, em
novos tempos e fazer com que a expectativa do questão de que o surgimento do Espiritismo, no centro espírita kardecista comunicação de
regresso do Senhor glorioso se torne cada vez século 19, já seria o cumprimento de sua pro- supostos E.Ts. não entra, seria aconselhá-
“...é preciso permanecer à mais ardente no coração dos fiéis”. messa de aqui retornar. Outros segmentos do vel recordar o que certo personagem disse
escuta dEle para reconhecer os O que devemos todos questionar é que movimento espírita preferem aguardar os fatos em seu discurso de despedida, ao lado do
motivo levou João Paulo II a referir-se ao as- observando uma atitude de prudência. túmulo do amigo recém-desencarnado, com
sinais dos novos tempos e fa- sunto, pois nada havia no horizonte da percep- Esquecem-se os primeiros que existem quem costumava conversar:
zer com que a expectativa do ção humana que obrigasse uma estrutura tão duas promessas distintas feitas por Jesus: a de “Que importa que joguem sobre este
pesada como a do Vaticano a se expor diante que enviaria o Consolador e a de que depois gênero de estudos o sarcasmo ou o anátema
regresso do Senhor glorioso se de um assunto tão complexo, onde a exegese retornaria. O porquê da cômoda disposição aqueles, cuja vista é turvada pelo orgulho ou
torne cada vez mais ardente no bíblica não ousa pontuar grandes conclusões. doutrinária em juntar dois eventos tão distin- por preconceitos, que os impedem de compre-
Ou será que já existem sinais perceptíveis no tos em um só é um mistério que somente o ender os ansiosos desejos do nosso pensa-
coração dos fiéis”. nosso horizonte quanto ao cumprimento da futuro talvez venha a esclarecer. mento ávido de conhecer; mais alto elevare-
promessa do Cristo de aqui retornar quando Preocupante é escutar os que pensam mos as nossas contemplações!”
os tempos fossem chegados? dessa forma afirmarem que assim dizem por- “Tu foste o primeiro, mestre e amigo!
Mais estranho ainda é o fato do monse- que Allan Kardec, o codificador da doutrina Foste o primeiro que, desde os meus primeiros
nhor Corrado Balducci, teólogo do Vaticano e espírita, é quem teria feito tal afirmação, o que passos na carreira astronômica, testemunhas-
íntimo do referido papa, ter afirmado em rede não encontra respaldo na verdade. te a mais viva simpatia por minhas deduções
comciência 38 comciência 39

dos e que ainda iriam viver em outros planetas opinião dos espíritos e o que era a sua própria, “Esses pontos do Evangelho de Jesus Cristo. Não há outra. Esta é a única esperança
em um tempo futuro, depois que morressem diante dos aspectos das verdades evangélicas, Cristo, apesar de Revelação, ainda não provo- da quebra da mesmice terrestre, que nos ilude
para o mundo terrestre. procurou ele dizer claramente, na página 389 caram a vossa meditação?” a ponto de pensarmos que somos a única ex-
Se dúvida houvesse, a resposta dada na do capítulo XVII, denominado “Predições do “Este eco que reboa por toda a atmos- pressão de vida no cosmo.
pergunta 173 “...já vivestes em outros mun- Evangelho”, do livro A Gênese, que “Jesus fera do vosso planeta, dizendo — os tempos Existem, na Sagrada Escritura, con-
dos e sobre a Terra”, ajudaria a dissipá-las. anuncia o seu segundo advento, mas não diz são chegados! — será um gracejo dos en- forme aferição dos protestantes, cerca de
De forma inequívoca, servindo para en- que voltará à Terra em um corpo carnal, nem viados de Deus, com o fim de apavorar os 2.500 citações referentes à volta do Senhor.
cerrar de vez qualquer questionamento sobre que personificará o Consolador. Apresenta-se vossos espíritos?” Somente no Novo Testamento, encontra-
o fato dos espíritos estarem afirmando, clara- como tendo de vir em Espírito, na glória de Se o codificador, já desencarnado, referiu- se expressa em 318 vezes a promessa de
mente, que existia vida corpórea, encarnada, seu Pai, a julgar o mérito e o demérito e dar se à chegada inesperado do Cristo ainda por seu retorno. É de se perguntar quem tem
em mundos que não o terrestre, e por conse- a cada um segundo as suas obras, quando os acontecer, como podem os espíritas afirmar estatura moral para afirmar que tudo isso é
guinte, extraterrestres, na pergunta 181, Kar- tempos forem chegados”. que Cristo não retornará porque o surgimento mera questão de simbologia. Infelizmente,
dec quis saber se “Os seres que habitam os di- Fez mais. Ao desencarnar, em contato agora do espiritismo já seria o retorno prometido? muitos assim afirmam.
ferentes mundos têm corpos semelhantes aos com a realidade maior da vida, o espírito de Kar-
nossos?”, ao que os espíritos responderam dec percebeu a desagregação que já começava
que “É fora de dúvida que têm corpos, porque a existir no seio do movimento como também as
o Espírito precisa estar revestido de matéria preocupantes deformações no teor do seu lega-
para atuar sobre a matéria. Esse envoltório, do. Resolveu, então, continuar, mesmo desencar-
porém, é mais ou menos material, conforme o nado, com o seu trabalho esclarecedor.
grau de pureza a que chegaram os Espíritos. É Em 1888 e 1889, através do médium Fre-
isso que assinala a diferença entre os mundos derico Junior, da Sociedade Espírita Fraterni-
que temos que percorrer, porquanto muitas dade, no Rio de Janeiro, começou a transmitir
moradas há na casa de nosso Pai…” uma série de mensagens para os espíritas,
Ainda procurando saber algo, nem que le- chamando desesperadamente a atenção de
relativas à existência das humanidades celes- sobre este assunto com seus amigos? E se, vemente exposto sobre a questão do possível todos para o porvir. Essas mensagens foram,
tes; pois que, do meu livro Pluralidade dos conforme o testemunho histórico de um des- relacionamento entre as diferentes humani- então, enfeixadas pela Federação Espírita Bra-
Mundos Habitados, fizeste a pedra angular ses amigos, o codificador teria utilizado este dades, o codificador esboçou a pergunta 182: sileira num opúsculo com o nome de “Ditados
do edifício doutrinário, que tinhas arquitetado tema como pedra angular do edifício doutri- “Podemos conhecer com exatidão o estado fí- de Allan Kardec”, para distribuição gratuita.
em tua mente. Muitas vezes conversamos so- nário por ele arquitetado? sico e moral dos diferentes mundos?”, tendo Dizia, portanto, essa mensagem — que
bre essa vida celeste tão misteriosa e agora, ó Como explicar que uma das preocupa- os espíritos aclarado que “Nós, os Espíritos, só hoje, através da FEB, está presente, dentre
Alma, já sabes, por uma visão direta, em que ções centrais do codificador se transformou, podemos responder de acordo com o grau de outras, na quadragésima edição do Livro
consiste ela – a vida espiritual, para a qual cerca de um século depois, em uma questão adiantamento em que vos achais; quer dizer “A Prece Segundo o Espiritismo”, de Allan
voltaremos, embora dela nos esqueçamos en- considerada herética pelos padrões da dou- que não devemos revelar estas coisas a todos, Kardec — o seguinte: “Se o Evangelho
quanto aqui estamos.” trina que ele criou? porque nem todos estariam em condições de não se tornar realmente em vossos espíri-
Esta é uma pequena parte do discurso E quanto aos que afirmam que a obra de compreendê-las, e isso os perturbaria”. Ficava tos um broquel, quem vos poderá socorrer,
pronunciado por Camille Flammarion no tú- Kardec nada tem a ver com a questão extra- assim claro que, de acordo com os conheci- uma vez que a Revelação tende a absor-
mulo do seu amigo e mestre Allan Kardec. terrena, observemos as seguintes passagens mentos terrenos da época, não poderia ser ver todas as consciências, emancipando o Mas qual a relação de importância entre Esquecem-se que, quando em vida terrena,
O primeiro diz claramente que muitas do Livro dos Espíritos, de Allan Kardec: dito muito mais naquela época. vosso século? Se o Evangelho nas vossas a questão extraterrestre e a volta de Jesus? Jesus prometeu ressuscitar e ressuscitou, apesar
vezes conversou com Kardec sobre a “vida No seu capítulo IV, Pluralidade das Exis- Como podem alguns segmentos do espi- mãos apenas tem a serventia dos livros É imperioso perceber que muitos acham de nem mesmo os apóstolos acreditarem que tal
celeste” — leia-se extraterrestre: na época tências, na pergunta 172 é questionado aos ritismo afirmarem que o codificador não tra- profanos, que deleitam a alma e encantam que, em nenhuma hipótese, existe a possibi- fato fosse possível. Realmente, sob a ótica terre-
este termo não era utilizado — idéia central espíritos se “Nossas diferentes existências tou da questão extraterrestre? o pensamento, quem vos poderá socorrer lidade de Jesus voltar à Terra, apesar de co- na, seria mesmo impossível. Mas aconteceu.
do tema da Pluralidade dos Mundos Habi- corporais se passam todas sobre a Terra?”, Outra matéria confusa ao entendimento no momento dessa revolução planetária nhecerem o compromisso por ele assumido Muito mais do que o fato de ressuscitar,
tados, onde o notável astrônomo Camille ao que eles responderam: “Não, não todas, do movimento espírita refere-se à promessa que já se faz sentir, que dará o domínio da quando aqui esteve. Essa certeza, produto da ele prometeu voltar, até porque essa promessa
Flammarion ressalta ter Kardec utilizado mas nos diferentes mundos; a que passamos feita por Jesus quanto ao seu retorno. Mais Terra aos bons, preparados para o seu de- equivocada ótica terrena que tem como base já se encontrava registrada através dos profe-
este assunto como sendo a “pedra angular neste globo não é a primeira, nem a última e uma vez, o seu legado não testifica a opinião senvolvimento, que ocasionará a transmi- apenas o orgulho intelectual do que se pensa tas do Antigo Testamento. Convenhamos que,
do edifício doutrinário” por ele formulado. O é uma das mais materiais e das mais distan- corrente de que o Mestre não retornaria por- gração dos obcecados e endurecidos para saber, pode levar os que assim pensam a se sob a ótica terrena, esse fato também é apa-
que quis Flammarion dizer com isto? Obser- ciadas da perfeição”. que o surgimento do Espiritismo já seria o o mundo que lhes for próprio?” surpreenderem com os dias de um futuro que rentemente — para alguns — impossível de
vem que este fez uma distinção entre vida Ou seja, ficava claro que a existência cor- cumprimento da sua promessa em retornar. “Que será de vós?... Quem vos poderá está cada vez mais próximo. acontecer, até porque os olhos dos que vivem
celeste e vida espiritual. poral que estávamos tendo na Terra não era Especificamente sobre o Segundo Adven- socorrer — se à lâmpada de vosso Espírito Se bem analisarmos, a “única promessa na Terra somente conhecem o que é terreno.
Como podem alguns segmentos do mo- nem a primeira nem a última, donde se depre- to do Cristo, Kardec jamais apresentou a tese faltar o elemento de luz com que possais ver a dos céus” para os que vivem na Terra — que Quanto tempo ainda demoraremos para
vimento espírita afirmarem que a questão ende que, ou todos ou alguns dos que vivem de que o surgimento do espiritismo já seria chegada inesperada do Cristo (grifo do autor), esteja registrada no conhecimento do mun- perceber que a personalidade de Jesus trascende
extraterrestre fere a pureza doutrinária se na Terra, já “viveram” ou, em outras palavras, a tão esperada volta de Jesus. Ao contrário. testemunhando o valor dos bons e a fraqueza do e que nos aponte um futuro de dignida- à pobre e distorcida pretensão do orgulho inte-
o próprio Allan Kardec costumava conversar tiveram existências corporais em outros mun- Na sua preocupação de realçar o que era moral dos maus e dos ingratos?”. de existencial — é justamente a da volta do lectual terreno?
comciência 40 comciência 41

“Quem vos poderá socorrer Mundo, a Nova Era, a Reintegração Cósmica Nada de fim de mundo com a sua che-
e a Volta de Jesus nada mais representam do gada. Ao contrário. Estaremos apenas en-
no momento dessa revolução que conceitos distintos que convergem para o cerrando um período da vida cósmica e ini-
planetária que já se faz sentir, atual momento pelo qual passa a Terra. ciando outro, nesta escola planetária onde
Esses temas a muitos confundem, por- estamos congregados. Não esperemos que
que dará o domínio da Terra quanto produtos das mais variadas crenças e ele venha fazer por nós o que nos cabe re-
aos bons, preparados para doutrinas religiosas. Mas, na verdade, todos alizar: o progresso do mundo que nos serve
o seu desenvolvimento, que os conceitos anteriormente apresentados como berço planetário.
nada mais significam do que dois fatos bási- Não serão Deus, Jesus, os extraterrestres,
ocasionará a transmigração cos, muito simples de serem entendidos: os santos ou os Espíritos que farão por esta
dos obcecados e endurecidos • a reintegração da Terra à vida cósmica, humanidade o que corre por conta da res-
para o mundo que lhes ou seja, a volta da convivência com os irmãos ponsabilidade existencial que nos marca: o
de outros orbes que há muito estavam impe- esforço moral de evoluir sempre. E este que-
for próprio?” didos de se comunicarem abertamente conos- sito é intransferível. Todos eles nos ajudarão
co devido a nossa vibração perturbadora; e a seguir adiante, mas teremos que caminhar
Ele mesmo afirmou que não “pertencia a este • a reciclagem vibratória pela qual o pla- com os próprios passos.
mundo”, “que tinha ovelhas de outros apriscos”, neta já está passando, com o objetivo de retirar Já está na hora de entendermos esse pro-
“que o seu reino não era deste mundo”, ou seja, dos ambientes terrenos aquelas individualida- cesso, pois ele é inexorável.
a sua função de autoridade cósmica não era exer- des espirituais que, após todas as oportunida- Quanto à chegada do Mestre, é só uma
cida ou reconhecida na Terra — por ser um mun- des reencarnatórias permitidas no ciclo exis- questão de tempo. Muito em breve o tere-
do rebelado e, portanto, impedido de conviver tencial que ora se encerra, ainda são tendentes mos entre nós.
com as demais famílias planetárias do cosmo. à perturbação e ao crime. É aguardar para ver. Enquanto isso, tra-
Muitos são os mentores espirituais e de Para presidir esse momento histórico aqui temos de nos melhorar pessoalmente, aman-
outros orbes que afirmam que finalmente virá — como ele mesmo prometeu no passado do-nos uns aos outros, como ele sempre
“os tempos são chegados” — os tempos — o Mestre Jesus, como predito por muitos. recomendou.
em que as Promessas do Cristo se cumpri- J.V.E.
riam na sua totalidade.
Desde a segunda metade do século
20, diversos são os avistamentos de obje-
tos voadores não identificados, como se a
Com que estatura moral, obrigamo-nos a simples fato de não acreditarmos ser possível palavras não passarão” (Lc, 21:33), ou seja, nos preparar para um evento que está por
repetir, pode alguém na Terra intentar pontifi- — e é bom recordar que ele ressuscitou, con- tudo poderia deixar de ocorrer, menos o cum- acontecer a qualquer momento. Segundo
car com tanta certeza sobre o que transcende forme prometera, e isso também era e é im- primento de sua promessa. os mentores, voltaremos a conviver com os
às possibilidades de percepção que caracteri- possível para os padrões terrestres. No entanto, São poucos, muito poucos, os que acredi- irmãos e irmãs de outros orbes que viriam
za o atual nível de nossa existência? aconteceu; ou será que o que está descrito no tam no fiel cumprimento dessa promessa. Se acompanhando o Cristo quando do cumpri-
Afinal, o que é que os Espíritos — e não os Novo Testamento quanto aos fatos ocorridos é, ela não se cumprir, a história terrena não tem mento de sua promessa. Com eles, a certe-
espíritas — dizem sobre o assunto? Quem pode também, simples questão de simbologia? Se o menor sentido. Nela se insere o conceito que za de que não estamos sós no universo, de
fornecer essa resposta em nome dos Espíritos? for, convenhamos, estamos todos nós, cristãos, temos de Deus, da vida, de Justiça Divina, da que a vida tem um sentido evolutivo através
Da mesma forma que os espíritas recla- vivendo uma grande ilusão, já que nada do que vida após a morte, dos “céus e infernos” que das reencarnações em corpos transitórios,
mavam — e ainda reclamam — dos que está escrito é, de fato, verdade. nos cercam, de anjos e de outros seres da cria- de que existe uma hierarquia celeste, enfim,
não conseguiram perceber o contexto espi- Assim, nada há nos registros históricos terre- ção etc., enfim, todo o pano de fundo filosófico de que somos cidadãos cósmicos.
ritual que envolve a vida terrena, será que nos, referente ao futuro, que nos leve a pensar em da nossa existência, já que concernentes às in- Exercer essa cidadania da forma mais dig-
não estarão eles deixando de perceber o um possível encontro com algum tipo de hierar- dagações essenciais da humanidade, como por na possível foi o maior ensinamento que Jesus
contexto cósmico que a tudo envolve, e no quia cósmica, a não ser a promessa de Jesus em exemplo: quem somos? De onde viemos? Qual nos legou. Pena que até os dias atuais pouco ou
qual se insere a personalidade do Mestre e retornar em toda a sua glória, acompanhado pe- o significado da vida? Para onde vamos? nada entendemos do que, de fato, o Mestre dos
tudo mais que o cerca, em especial, as suas los seus anjos ou extraterrestres. E é exatamente Estamos tão profundamente perdidos na Mestres desejou nos ensinar. Entretanto, enten-
hostes extraterrenas, nos tempos bíblicos no cumprimento da sua promessa que o contexto horizontalidade ilusória dos valores terrenos que dendo ou não, seremos testemunhas e atores de
tratadas como hostes angelicais? extraterreno e o seu retorno se encontram. nos desconectamos da realidade cósmica que um evento que está por vir e que não tarda.
Não se modifica um “til” da verdade pelo Se bem recordarmos, no Antigo Testamen- nos envolve. Pelo fato de não a percebermos Finalizando, para que melhor possamos
fato da ótica terrena não conseguir perceber to havia a promessa de sua vinda, e ele veio. não quer dizer que não exista. E a personalida- compreender os breves dias que já se anun-
isto ou aquilo. Também não deixará de aconte- Quando aqui esteve, resolveu prometer que de do Mestre Jesus faz parte exatamente dessa ciam, é mister que observemos que as Profe-
cer a única promessa feita por uma autoridade retornaria. Por que não o faria? Disse mais: realidade maior, da qual não damos conta atra- cias Apocalípticas, Exílio ou Expurgo Planetá-
celeste que esteve pessoalmente na Terra, pelo que “passarão o céu e a terra, mas minhas vés da nossa pobre e distorcida ótica terrena. rio, o Final dos Tempos, o Juízo Final, Fim do
42 43
Educar é comciência comciência

coerência, transferem o poder da busca pelo conhecimen- crianças e jovens em regime de internato, como é na Índia, ou
to para os próprios alunos, ofertando-lhes enciclopédias outro sistema qualquer.
computadorizadas como fonte admirável do saber, quan- Qualquer um que tenha a intenção de trabalhar com
do o saber nada tem a ver com o conhecimento vão, e sim E.V.A. (Educação em Valores Humanos) deve, antes, cursar
com a prática da vida e o mergulho ensimesmado para a a disciplina num dos inúmeros institutos Sathya Sai espalha-
descoberta íntima do divino em todos nós. dos pelo mundo, a fim de aplicarem, antes em si mesmos,
Hoje em dia, é comum e crescente a evasão de alunos e os recursos ofertados pelo método, tornando-se pessoas que
professores, que fogem dos núcleos estudantis simplesmente testemunhem em si mesmas, em sua vida, em seu cotidiano, a
pelo fato de não poderem mais suportar a terrível violência verdade, o amor, a paz, a ação correta e a não-violência.
física e moral que sofrem e cometem, cada vez mais. Esses valores, isolados, já provocam no indivíduo mu-
Os meios de comunicação, que a princípio nada têm a
ver com educação, mas poderiam ser o elemento de reforço
da boa conduta, no lugar de apresentarem programas ins-
trutivos, alimentos para a mente e para o espírito, ofertam
em sua programação um compêndio medíocre que corrobora

Novos rumos
com a “cretinização” massificada que se vê em todos os can-
tos do mundo.
Assim, distorcendo valores e corrompendo os elos
com o moral e com a ética, nenhuma autoridade do mun-

para a educação
do se encontra, atualmente, em posição de falar ou com-
preender educação.
Chegamos, contudo, ao tempo terrestre em que as crian-
ças que nascem possuem maior retidão e clareza do que seus
pais, além de inclinação à bondade mais acentuada, tam-
bém, o que pode ou pretende inverter a ordem dos fatores
da equação educacional.

U
Com isso, vislumbram-se mudanças ainda mais estranhas
M DOS MAIORES DESAFIOS DA HUMANIDADE com isso, calcem suas vidas num moral mais elevado, do qual e prioritárias do que simplesmente esperar que pais, líderes
ATUAL É A EDUCAÇÃO. A transição mundial que se surjam metas e prioridades mais dignas, por serem realmente religiosos, educadores, governantes e produtores da mídia
faz perceber mais e mais a cada dia — seja ela no capazes de transformar o mundo, melhorando-o. produzam, em si mesmos, as mudanças necessárias para o
aspecto físico planetário, ou seja no aspecto com- É, implicitamente, também, da responsabilidade dos alinhamento positivo com as potencialidades mais nobres do
portamental das pessoas — e os atuais conflitos educadores e governantes de cada núcleo comunitário olha- espírito — embora isso seja também necessário.
de gerações nos fazem perceber o quão caras e ne- rem para si mesmos e perceberem que estão, e assim agem, Conquanto persista o estado de demência provocado
cessárias são as mudanças que todos nós, cidadãos desviados dos valores divinos, e que por isso não conseguem pela má educação, surge no Oriente, lenta e firmemente, uma
planetários, devemos operar no âmbito da educação. estabelecer com as novas gerações um diálogo ou mesmo um luz divinal que ilumina os palcos do mundo e deita no berço danças gigantescas. Juntos, estabelecem por si mesmos um
Infelizmente, não há no mundo uma visão unificada elo de ligação que permita a renovação dos conceitos e mé- da cidadania planetária um novo sistema de educação. novo paradigma comportamental que pode mudar qualquer
acerca da educação; e, principalmente, no Ocidente é comum todos em educação que promovam algum melhoramento do Sathya Sai Baba, com sua Educação em Valores Humanos, ser humano, para melhor. E é inevitável que isso venha a se
confundir educação com informação, ao que terminamos por indivíduo enquanto ser que é. nos oferta o que ele próprio chama de “EDUCARE”, princípio refletir em seu meio, em sua cidade, em seu país, no mundo.
“Conquanto persista
criar métodos de ensino voltados apenas para a acumulação Inebriados de verdades próprias, equivocadas, e ainda baseado em cinco grandes valores: Amor, Paz, Verdade, Ação Quando o povo não sabe o que quer e aceita as determi- o estado de demência
de informações, em geral sem aprofundamento nenhum mais distantes da ética que visa ao cumprimento das leis mo- Correta e Não-Violência, não necessariamente nesta ordem. nações do governo e também das casualidades — entenden- provocado pela má
quanto às suas utilidades no cotidiano de cada cidadão, e rais ou divinas, representantes de todas as religiões do mundo Mais do que o respeito e a observação a esses valo- do-se por casualidade as ocorrências cotidianas de violência, educação, surge
desprezamos por completo as questões éticas que embasam tomaram para si, ao longo do tempo, a função de educarem res básicos, o sistema de Sai Baba reúne os três pontos urbanidade e outras —, aqueles que fazem as leis não conse- no Oriente, lenta e
a boa formação moral, tão necessária ao processo de civiliza- o espírito de cada criança ou jovem, mas seus clérigos mais principais da nova estrutura educacional. A exemplo do guem saber o que é melhor e mais progressivo para o povo. firmemente, uma luz
ção do ser humano que somos ou representamos ser. e mais evadem, reconhecendo em seus “tutores morais” a trabalho de Sathya Sai Baba nos dois institutos que comanda Mas, de outro lado, alguém que aplique os valores em si
A essência perdida da educação nos remete, inevitavel- incongruência e a corrupção que, quanto mais avançam as
divinal que ilumina
pessoalmente (um para meninos e outro para meninas), na mesmo, que se torne o exemplo vivo de tudo aquilo que pre-
mente, ao núcleo familiar — que é ou deveria ser o epicentro religiões, mais se fazem notórias neste seio. Índia, obriga um entrosamento entre o que considera os três ga, este alguém se torna incorruptível e alinha-se de tal forma
os palcos do mundo
da moral, a catalisadora dos valores humanitários defendidos Os educadores, por sua vez, esquecidos da importante pilares do foco educacional (pais, educadores e alunos) e os com o senso ético que há no cosmos que se torna impossível e deita no berço da
pelos grandes mestres e avatares que em todos os tempos missão que assumem na escolha de sua profissão, tratam-na valores apresentados, de modo que a mudança não recaia para ele não acender a luz da própria alma, tornando-se, ele cidadania planetária
vieram semear as leis cósmicas em nosso seio a fim de ajuda- como questão obsoleta diante da necessidade de lutarem por apenas sobre o educando, mas também sobre aqueles que próprio, um foco de luz sobre a humanidade. um novo sistema
rem no progresso dessa nossa humanidade. direitos que, diga-se de passagem, há muito perderam, já que naturalmente são responsáveis pelo encaminhamento do jo- É necessário que prestemos atenção nas palavras, ensina- de educação”.
É, implicitamente, da responsabilidade dos pais buscarem também não cumprem dignamente com seu papel. vem, os pais e os educadores. mentos e exemplos de Sai Baba para que possamos compre-
o alinhamento com as leis divinas a fim de promoverem uma As escolas transformaram-se em palcos de uma violên- O mesmo é esperado em qualquer outro Instituto Sathya ender melhor o verdadeiro sentido da palavra educação.
nova ordem no seio familiar, ordem esta que conduza nos- cia crescente cujos docentes, no lugar de refletirem sobre Sai que deseje exercer a Educação em Valores Humanos de
sas crianças e jovens para o centro divino em si mesmos e, a questão básica e fundamental da moral aplicada com L.R.M.
44
Ponto de vista comciência

Antes de crer,
compreender
D
urante muito tempo existiu o pensamento Quando não nos esforçamos, através de uma reflexão
dominante que afirmava ser impossível ao cé- produtia e persistente, não há atividade cerebral suficien-
rebro adulto de um ser humano criar novos te para que ocorra o processo de neurogenese.
neurônios, sendo, portanto, o processo de en- Algumas religiões persistem em exigir dos seus se-
velhecimento celular que caracteriza a “idade guidores a aceitação absoluta quanto às “verdades” que
madura” sinônimo de perda de inteligência lhes caracterizam o conjunto das suas crenças e impedem
ou, por outras palavras, a diminuição da capa- qualquer tipo de questionabilidade. Na verdade, muitos
cidade de discernir, pensar etc. hereges perderam a vida por terem questionados certos
A idade adulta traria, inevitavelmente, conforme a dogmas. Só é aceitável a crença, a dúvida jamais.
opinião reinante, a incapacidade cerebral de produzir A crença, em si mesma, é uma postura íntima que
bem, já que não se podia substituir os neurônios que iam pode levar a um certo comodismo que, por sua vez, pro-
“morrendo com o avançar da idade”. duz a inércia mental, já que o cérebro se esforça pouco
Por volta de 1970, esse tabu começou a “cair por na pesquisa de uma nova aprendizagem. Dessa maneira,
terra”, quando a ciência descobriu que em ratos adul- não há exercício cerebral e, não havendo o esforço da Carlos A. Cruz
tos era possível a criação de novas células cerebrais. mente, sabe-se hoje que a neurogênese não ocorre.
Assim, a neurogênese foi descoberta e, a partir dos Pode-se, então, conlcuir que a crença, da forma como
seus postulados e de novas pesquisas, em 1988, ve- é praticada na Terra, não faz bem à inteligência, já que
rificou-se o mesmo em macacos adultos. Por fim, em não direciona o cérebro para a criação de novas sinapses
1998, percebeu-se que também nos seres humanos a – ligações nervosas entre os neurônios – que habilitam
neurogenese era possível. cada vez mais a inteligência humana na rota evolutiva.
No início de 1999, cientistas da Universidade de Se não encararmos a nossa fé de forma racional,
Princeton, de Nova Jersey, nos Estados Unidos, começa- corremos o risco de transformar o nosso cérebro num
ram a fornecer os primeiros indícios que comprovam a instrumento decadente de percepção do mundo em que
capacidade do cérebro humano de um adulto em criar vivemos. Não foi por menos que a ccodificação espírita
novos neurônios através do esforço cerebral e também chamava a atenção de todos, já no século 19, para o fato
por meio de exercícios físicos. de que “antes de crer, era necessário compreender”.
Assim, o esforço cerebral só se dá quando ques- O que pensar a respeito das posturas religiosas que,
tionamos, estudamos, pesquisamos, analisamos cri- numa espécie de anacronismo perpétuo, defendem a
teriosamente temas do nosso interesse, porque ape- crença fanática nos dogmas religiosos, impedindo todo
nas estes nos permitem a devida postura no campo e qualquer raciocínio? Será que, à luz do que hoje se
da concentração. conhece, é benéfico para a nossa inteligência subme-
termo-nos a qualquer tipo de credo que nos impõe a
estagnação cerebral?
Rogério de Almeida Freitas Com a resposta, a inteligência de cada um.
comciência 46 comciência 47

Lúcia Roberta: Val Eom: Integro a UECA — União Espiritual Cristã de An-
Quem é João Saraiva e o que ele faz? gola e mantenho relação muito íntima com o Grupo Atlan
Val Eom: Sou angolano, 45 anos de idade, vivo em Lu- do Brasil, além de contatos com vários outros grupos, em
anda, licenciado em engenharia eletrotécnica, casado, pai diferentes continentes.
de 4 filhos.
Lúcia Roberta:
Lúcia Roberta: Como surgiu a idéia de escrever o livro e como se deram a
Como surgiu o nome Val Eom? escolha das personagens e a forma encontrada para trans-
Val Eom: O nome Val Eom surgiu numa altura em que, sen- mitir os conceitos espirituais (da codificação espírita)?
do uma figura pública, pretendia desenvolver algum trabalho Val Eom: A intenção inicial não era escrever um livro como
de esclarecimento, e, — pelo menos assim o supus —, para tal, com edição, capa etc. Mesmo porque considerava que

VAL EOM não criar dificuldades desnecessárias ao objetivo que me pro-


pusera, ponderei a possibilidade de escrever sob um pseudô-
nimo. A eleição caiu sobre o nome cósmico Val Eom.
A designação Val é relativa à “família” a que pertenço des-
de os tempos remotos de Capela, e Eom é algo próximo
do que designamos como nome próprio. Assim, Val Eom é
a grafia possível do nome cósmico de acordo com os sons
empreitada de tal envergadura estaria muito além das mi-
nhas capacidades.
Pretendia apenas fazer algo do gênero de uma brochura,
para imprimir no computador e fazer cópias para distribuir a
algumas pessoas. A linguagem devia ser a mais simples, sem
erudição, e tanto quanto possível apresentar os assuntos de
forma a que elas pudessem entender sem rejeição, isto é,

A Codificação em Berço Africano existentes na língua portuguesa. havendo uma carga preconceituosa muito grande quando
se fala em “espíritos”, seja porque isso possa contender
“Ou despertamos para
os fatos ou seremos por
Lúcia Roberta: ou abalar as convicções teológicas dos integrantes desta eles despertados.
OÃO SARAIVA, MAIS CONHECIDO ENTRE NÓS POR SEU Quando e como você despertou seu interesse pelos assun- ou daquela religião ou igreja, seja porque haja associações Os primeiros, normalmente

J PSEUDÔNIMO VAL EOM (NOME QUE INDICA SUA PRO-


CEDÊNCIA CÓSMICA), é autor do livro Os Muitos Ca-
minhos da Vida, recém-impresso no Brasil pela Zian
Editora. O livro, escrito de maneira deliciosa e de
fácil intelecção, utiliza duas personagens centrais,
Juliana — “uma jovem senhora profundamente re-
ligiosa e intimamente relacionada com as tradições culturais, que
vive momentos de ansiedade e frustração pela incompreensão das
tos espirituais?
Val Eom: De forma mais séria e sistemática, particular-
mente no campo do estudo e da pesquisa, foi desde 1993,
embora tenha tido meu primeiro contato com a realidade
espiritual em 1976, através de um diálogo mantido com
uma entidade incorporada numa médium. Na verdade, já
alguns anos antes disso, em 1972, ainda adolescente, tinha
indevidas entre realidade espiritual e rituais esdrúxulos que,
de uma ou outra forma desembocam em práticas fetichis-
tas. Então, um dos objetivos seria esclarecer o máximo, sem
deixar despertar a tal rejeição, quase que automática, que
afasta as pessoas e acaba dificultando a aquisição de novos
que neste caso até são antigos pontos de vista. Um dos
caminhos a seguir seria tentar mostrar que é exatamente na
tornam-se senhores de
seus destinos,
enquanto que os outros
transformam-se apenas
em personagens,
muitas vezes atropelados
pelos próprios fatos.
tido algum relacionamento com um grupo espiritualista, Bíblia, onde se encontram os registros mais antigos dessa
desigualdades da vida, por um lado, e pela impossibilidade de en- Os livros têm o condão de nos
contrar uma explicação à luz da religião, por outro” — e N´gana mas tudo isso era, digamos, de forma esparsa. Desde então realidade espiritual e dos contatos mediúnicos, apresenta-
Zefa, uma preta velha que é apresentada à outra, e que vai, ao fui lendo alguns livros, sem que, contudo, houvesse conti- dos sob diferentes designações. despertar, antes que o tempo
longo da trama, esclarecendo para a jovem Juliana todos os meca- nuidade ou vinculação a qualquer instituição. Com maior Acontece, porém, que ao escrever, fui me apercebendo que – professor dos entorpecidos
nismos espirituais pelos quais se sente interessada e para os quais empenho e consciência foi, como já dito, a partir de 1993. o que havia para esclarecer era muito mais do que aquilo – nos ensine, através de lições
a religião não havia ainda lhe dado esclarecimentos convincentes. que estava feito e, pouco a pouco, a brochura foi crescen- amargas, o que podíamos ter
Através da personagem N´gana Zefa, Val Eom deita conhecimentos Lúcia Roberta: do até chegar a um ponto em que não seria mais possível aprendido.
retirados especialmente da obra de Allan Kardec, mas também de filo- Fale-nos um pouco de sua trajetória de vida e dos seus in- continuar a ser apenas aquela intenção inicial. Era algo de Assim é a escola da vida.”
sofias e conhecimentos diversos, citando fontes de pesquisa e trilhando, teresses pessoais. maior responsabilidade e profundidade. E assim surgiu o li-
assim, um caminho bastante ecumênico, favorável à saciedade dos bus- Val Eom: Na juventude a trajetória foi a comum a grande vro “Os Muitos Caminhos da Vida”. Entretanto, manteve-se
cadores de seu país e de todos aqueles que hoje falam a língua portu-
Jan Val Ellam
número de angolanos da minha geração. Ainda jovem, e depois a forma de apresentação em diálogo com personagens que
guesa, onde seu livro foi distribuído, incluindo o Brasil. Por este motivo, a respeito do livro
do dia 25 de Abril de 1974, data em que o fascismo português de certa forma, se aproximassem da nossa realidade e que,
Val Eom tem sido apontado no meio como “o codificador africano”. “Os muitos caminhos da Vida”
foi derrotado, engajei-me no movimento político e na luta que num crescente gradual de aprofundamento, abordassem al-
Na apresentação, escrita pelo também autor (e amigo pessoal de Val
conduziria à independência de Angola em 11 de Novembro de guns aspectos esclarecedores importantes. Por isso, Juliana,
Eom), Jan Val Ellam fala do Espírito como único elo possível entre a eter-
1975. Estive nas Forças Armadas durante vários anos, como é a representação de uma jovem senhora com uma grande
nidade e a transitoriedade, um elo que Kardec desvendou através da co-
oficial, e fui depois concluir o curso de engenharia eletrotéc- carga de preconceitos religiosos e culturais que encontra
dificação do Espiritismo e que agora Eom reproduz, de maneira magnífica
nica na Universidade Tecnológica de Dresden, na Alemanha. esclarecimento para as suas dúvidas junto a uma senhora
— pela didática literária que adota — para outras dimensões culturais.
Fui posteriormente membro do governo durante cerca de sete mais experiente e estudiosa.
anos, e continuo hoje tendo relações com o Estado. Embora não sendo médium psicógrafo, tenho a certeza
Para além da atividade profissional, o meu tempo é dividido entre de que a autoria intelectual do livro não me pertence, não
a família, as atividades espirituais, a leitura e a pesquisa. pretendendo com isso ilibar-me das responsabilidades por
eventuais erros ou aproximações menos finas que tenha
Lúcia Roberta: feito. Muitas vezes senti a proximidade de entidades espi-
Com relação às suas atividades espirituais, você pertence a rituais que certamente vinham em meu auxílio. A título de
algum grupo de trabalho, ou age individualmente? exemplo, é interessante referir que, a essa altura, não conhe-
comciência 48 comciência 49
ONDE ESTAMOS PÁGINA 07
cia nenhuma obra de Ramatis e só por insistência de um qualquer seja o local onde se encontrem. Respiramos o que todos nós trilharemos, aqui na Terra ou alhures, em expoente moral, e mencionar também que o Brasil é o país
amigo brasileiro, depois da edição do livro, me decidi a ler
alguns. Fiquei impressionado, verdadeiramente impressio-
mesmo ar, porque este não está subordinado às divisões
fronteiriças. Bebemos a água que conhece um mesmo
mundos mais adequados às nossas vibrações, se tivermos
que conhecer o exílio.
do mundo onde o culto ao nu, à sensualidade, são maiores
e se confundem numa desinibição irreverente com a música,
VAL EOM
nado, com a semelhança de algumas passagens, também ciclo hidrológico, ou seja, as moléculas de água que hoje Depois dessa visão de “cidadão do mundo”, chegará a com a dança, com o carnaval. É no Brasil onde podemos
em perguntas e respostas, alguns exemplos dados e até, em me servem, podem amanhã estar servindo alguém no certeza de que não somos apenas “cidadãos do mundo”, encontrar gestos de solidariedade humana que são exem-
algumas partes, a mesma linguagem usada no livro. Nou- Oriente. Os oceanos estão ligados, e recebem as águas deste nosso lindo planeta azul, mas sim de todo o Univer- plo para todo o planeta, como é o caso da ação de cidada-
tros autores que também não tinha lido antes, encontrei dos rios afluentes, de tal forma que aquela água que so pois, aceitando que somos eternos, algum dia, dentro nia iniciada pelo sociólogo Betinho, ou como a Mansão do
também muitas semelhanças. Foi para mim um sério moti- o rio Amazonas drenou no oceano, depois de transfor- de alguns bilhões de anos, o nosso sol já terá deixado de Caminho de Divaldo em Salvador, como podemos também
vo de reflexão e, de certa forma, a reconfirmação de que a mada em nuvem por ação do sol, e transportada pelo existir como tal, o nosso sistema solar já terá dado lugar encontrar o narcotráfico organizado que se estabelece e, em
autoria intelectual do livro me ultrapassava. vento, pode um dia, mais tarde, chover em Angola e fluir a outras estruturas siderais, mas nós, Espíritos Eternos, alguns casos, se impõe como um poder paralelo ao estado,
para o rio Kwanza, ou, por que não, depois de diferen- continuaremos a existir e estaremos, então numa outra ou a prostituição infantil, ou o turismo sexual etc.
Lúcia Roberta: tes estágios, ser algum dia drenada para o oceano, não morada cósmica adequada à nossa condição existencial É certo que vários Espíritos cujo arcabouço espiritual incluía
Você pretende continuar seu trabalho literário nesta linha? mais pelo Amazonas ou pelo Kwanza, mas pelo Tejo, evolutiva, ou seja, num outro orbe, como de resto, muitos experiências de liderança, encarnaram no Brasil para “aju-
Quantos livros você já publicou ao todo? pelo Tamisa, pelo Mississipi ou pelo Yan-Tsé. Poderíamos de nós vieram, exilados, de outros planetas para a Terra, dar” o País a um maior crescimento e, por diferentes moti-
Val Eom: Se me for permitido continuar a fazê-lo, fá-lo-ei analisar muitíssimos outros aspectos, que chegaríamos como bem nos diz Allan Kardec, Emmanuel, Jan Val Ellam vos, não conseguiram tal intento. Mas, de uma forma ou de
no sentido de esclarecer, mas a forma literária certamente também à conclusão de que o ato de viver já traz, em si e tantos mais. outra, o Brasil está entre as 10 economias do mundo. Apesar
não permanecerá obrigatoriamente a mesma, dependendo mesmo, o pressuposto da vivência comum, num mesmo de todo o investimento das Trevas, que se manifesta nesses
do universo alvo que pretenda alcançar-se. Até este mo- orbe comum. E conseqüentemente, a responsabilidade e Lúcia Roberta: contrastes gritantes, é também do Brasil que nos chegam
mento apenas um livro está publicado e creio que, com o o respeito por esse orbe deve também ser comum. Partindo-se do pressuposto de que o Brasil seria o berço da milhares de obras escritas por Espíritos,
auxílio do Alto, outro será publicado brevemente, e este sim, Cada vez que poluo aqui em Angola, devo ter consciência “nova civilização”, ou, como dizem, “coração do mundo e foi e continua a ser no Brasil onde o Es-
na mesma forma e estrutura, cujo título está pensado como que estou poluindo para as gerações futuras que nasçam pátria do evangelho”, muitos agentes dos trabalhadores da piritismo se reforçou e permitiu que fosse,
“Entre o Cá e o Lá da Vida”. aqui, mas estou também interferindo com todo o planeta, Espiritualidade Maior encontram-se, hoje, encarnados no pouco a pouco, vencendo as dificuldades
pois, pelas razões que vimos antes, tudo se interliga, tudo Brasil. No entanto, parece-nos evidente que o Brasil não de- de percurso e chegasse, ainda que por
Lúcia Roberta: é interdependente. Razão tinha o poeta pensador quan- senvolveu condições sócio-político-econômicas para sediar vezes de forma tímida, mas chegasse, a
Muitas pessoas, hoje em dia, se auto-intitulam “cidadãos do dizia que não é possível colher uma flor sem interferir a população e o trabalho do terceiro milênio. A África, por muitos países do mundo. Por esse motivo,
do mundo” e enxergam o nosso planeta como uma gran- com uma estrela. Mas, muito para além da interferência sua vez, desponta no céu e cresce em luz a cada dia. Qual o penso que muito tem sido dado pelo Bra-
de pátria, onde todos somos irmãos. Acreditamos que esta que nossos passos e decisões têm sobre o ambiente, so- fator decisivo que impele um país para a evolução espiritual sil, e muito ainda vai ser dado.
idéia faz parte de uma nova consciência, necessária para bre a parte física e material da nossa tridimensionalidade, conjunta e como está o panorama mundial, do ponto de A Ásia teve já um papel muito importante
a evolução do homem e de sua respectiva reintegração devemos ter presente que esses passos interferem com as vista espiritual, nesses nossos tempos? na história planetária, a que se seguiu a
cósmica. Você acredita que o mundo de fato está rumando pessoas. Além dos atos cuja repercussão é mais ou menos Val Eom: Nas duas vertentes que abordou, Brasil e África, Europa, depois a América do Norte e ago-
para esta perspectiva, ou esta consciência está restrita a imediata e visível, há ainda os pensamentos, os desejos, quer parecer que uma não exclui a outra. Os planetas, os ra e nas próximas décadas, será o Brasil e,
poucos? os sentimentos e emoções que se propagam como ondas, continentes, os países, as sociedades etc., desenvolvem-se no final deste e no próximo século, creio
Val Eom: Dia virá em que essa será a visão geral da irradiando e interagindo com as pessoas, com os demais com o suporte dado pelas pessoas, pelos respectivos cida- que chegará a vez da África desempenhar
humanidade, pois é o caminho previsto e que estamos seres, com a natureza, enfim, com tudo. Se o fazemos pelo dãos e humanidades, e estas são Espíritos, somos nós, dos esse papel importante, também.
trilhando, com tropeços, é certo, mas também com êxitos. bem, pelo amor, seguramente será uma interação boa. Mas quais uns poucos estão encarnados com missão, mas a Tudo isso obedece à planificação do Alto
Muito falta ainda fazer nesse sentido mas, se entendermos se, ao contrário, forem de ódio, de intolerância, de violência grande maioria, na qual me incluo, com uma grande carga mas, enquanto os habitantes do plane-
que o processo reencarnatório se dá nos mais diferentes e vingança, de egoísmo, de orgulho etc., as conseqüências cármica negativa para positivar. Suponho que seja do “inves- ta estiverem embuídos de sentimentos
locais geográficos, nas mais diversas famílias e condições não poderão ser boas. timento” feito ao longo de muito tempo pela Espiritualida- menores, agirão de forma a contrariar
econômicas, sociais, culturais, surgirá, sem qualquer dúvi- Então, quando nos propomos como sendo já “cidadãos do de Maior, do empenho dos encarnados no seu crescimento o progresso global e a evolução moral, Jan Val Ellam e Val Eom
da a visão de que ser hoje brasileiro, europeu, asiático, an- mundo”, estamos a assumir uma grande responsabilidade moral e espiritual a par do trabalho feito na melhoria das servindo de instrumentos às intenções negativas das Trevas,
golano ou sul-africano ou o que seja, é transitório e vem perante o próximo, perante nós próprios e perante a Obra condições sociais, econômicas, culturais etc., que um país através de obsessões, de induções ao mal, ao ódio, à violên-
de acordo com as nossas necessidades de aprendizado. da Criação do Pai. É muito bom que assim seja, que todos caminha para a evolução. cia, à guerra etc.
Na verdade, todos nós já fomos cidadãos dos mais dís- possamos assumir essa postura. Essa consciência será um O esforço feito pela Espiritualidade Maior no Brasil é notório, Com freqüência, o que é planificado pela Espiritualidade
pares recônditos e fomos, certamente, também cidadãos dia mais generalizada, o que facilitará o processo de Rein- mas notório é também o investimento aí feito pelas Trevas. Superior não chega a ser executado ou o é de forma de-
de continentes e países que hoje já não existem; teremos tegração Cósmica, mas se não existir, a Reintegração se Podemos encontrar no Brasil Espíritos de grande luminosi- formada ou incipiente. E isso porque quem executa somos
falado idiomas dos quais hoje não há sequer registro, e dará na mesma, isto é, a volta do Cristo vai ocorrer, como dade que estão encarnados, como podemos também ver nós, seres ainda imperfeitos. Poderíamos recordar o esforço
pertencido a etnias e culturas as quais são desconheci- Ele próprio nos prometeu e, se verificarão “os dias felizes o outro extremo. Assim, o Brasil é um país de contrastes, do Alto e de milhares de Espíritos na antiga Grécia, ou em
das completamente na atualidade e, portanto, todos os depois da aflição” segundo Suas palavras, ou, como nos onde despontam aspectos de grande espiritualização, seja Roma, ou na França no século 19 e ver que várias vezes os
sentimentos de nacionalismo estreito, xenófobos, racistas, dizem os Espíritos através de Kardec, a Terra passará a ser na moral, nas artes, na cultura, mesmo na ciência, a par da objetivos principais não foram alcançados. Concluindo, diria
ou qualquer que seja a forma de manifestação da di- um mundo de Regeneração e não mais de expiação e pro- exploração quase escrava nas minas, no crescimento signi- que o Brasil teve e terá ainda muito tempo o papel que foi
visão, discriminação e ódio, não têm qualquer senti- vas. É muito importante que essa conscientização se dê, ficativo de favelas, na exploração de crianças etc. Podemos possível, em razão de uma multiplicidade de fatores de difí-
do. Além disso, e muito importante, é o fato de que pois isso simplificará e, de certa forma, apressará o pro- mencionar, como exemplo, entre muitos outros, Bezerra de cil contorno, da mesma forma que a África jogará também
a nossa vivência interfere com a vivência dos demais, cesso e, com toda a certeza, é o nosso caminho evolutivo, Menezes, Chico Xavier, Divaldo Franco, Jan Val Ellam, como um papel maior ou menor, em função da qualidade e do
comciência 50 comciência 51

empenho das pessoas e das circunstâncias e, na medida em trabalhadores sintonizados com o propósito da reintegração Caso essa vontade e determinação prevaleçam, o resultado só fraterna. Como o nome Val deixa entender, pertencemos
que consiga eliminar o subdesenvolvimento, a pobreza, as
divisões etc. Para os que agora são africanos e para os que
cósmica. Em sendo assim, que bases educacionais deveriam
ser adotadas pelos governos do mundo?
poderá ser bom, para todos.
O que conduz à formação adequada da personalidade a par
ao mesmo grupo familiar de Espíritos exilados.
VAL EOM
o serão no futuro, não se apresenta como sendo uma tare- Val Eom: A educação das novas gerações é matéria impor- da aquisição dos conhecimentos acadêmicos e científicos tem Lúcia Roberta:
fa fácil. Por isso, deixe-me manifestar o meu agradecimento tantíssima, posto que, independentemente do naipe vibratório que dar bons resultados, porque aumenta consideravelmente Você realiza algum tipo de parceria com o Brasil ou
ao Brasil e a todos os irmãos espirituais que, encarnados ou a que pertença qualquer Espírito que encarne, faz-se necessário a probabilidade de que a humanidade melhore, já que as in- outros países?
livres da vestimenta carnal, deram e dão o seu melhor para o seu despertamento ou mesmo o seu crescimento e, isso é, em dividualidades que compõe essa mesma humanidade encon- Val Eom: Parceria no sentido de compromisso escrito ou
realizarem o que foi e é possível realizar. Bem hajam. grande medida, fortemente relacionado com o ambiente que tram, desde a mais tenra idade, estímulos apropriados ao seu de protocolo assinado, não existe com nenhuma instituição
encontre e em que desenvolva a sua personalidade. crescimento moral. em qualquer país, mas existe sim o esforço na divulgação
Lúcia Roberta: Dizendo de outra forma, as condições existentes à altura do e preparação dos eventos que brevemente sucederão, por-
Que obras devem ser realizadas por nós, a fim de estreitar- nascimento de alguém, o envolvente, mais ou menos amoroso, Lúcia Roberta: que os Tempos São Chegados. Nesse sentido, temos uma
mos nossos laços cósmico-fraternos? em que seja criado e educado, não resolvem por si só, como Há algum plano da Espiritualidade Maior para reformar as cooperação grande com a Sociedade Beneficente Atlan,
Val Eom: Os laços de fraternidade são resultado da ação num passe de mágica, a questão da evolução e melhoria espi- conjunturas políticas no mundo? Como devemos nos posicio- com outros grupos em Portugal e, mais recentemente, com
amorosa e solidária, que se estabeleça entre as criaturas, os ritual, visto que essa evolução é individual e intransferível, a ser nar politicamente? a Zian Editora que publica os livros de Jan Val Ellam e tam-
indivíduos, o que parece sugerir que as obras que possam conseguida pelo esforço de cada um. Val Eom: Não sou a pessoa indicada para dizer quais os pla- bém os de minha autoria, no Brasil.
realizar-se que tenham que ver com o próximo, são reflexo Nós somos hoje o resultado do nosso pretérito, que pode ter nos da Espiritualidade Maior, pois a minha pequenez moral
do que somos no íntimo, e aí, no nosso íntimo, podemos sido melhor ou pior, mas nenhum Espírito é criado tipicamen- não me dá acesso a tal ventura. Lúcia Roberta:
encontrar muito o que fazer. Ao ego exacerbado, cuja exte- te “mau” e os nossos desvarios e erros são conseqüência da Mas, se sabemos, através do que tem sido escrito por deze- Qual é sua palavra para o mundo?
riorização é o orgulho, a vaidade, a presunção, a intolerância, nossa ignorância dos valores morais. Quem ainda é tendente nas de autores espirituais, que a espiritualidade maior sem- Val Eom: Quem sou eu para dar palavra para o
a arrogância, devemos contrapor o esforço de caminharmos ao mal, não o é porque sua essência seja intrinsecamente mal- pre dedica seus esforços à melhoria da humanidade, então mundo, a não ser recordar o que o Mestre nos disse
em direção à humildade, simplicidade e trato suave e bene- dosa, mas antes porque é desconhecedor das verdades eternas podemos deduzir que agora, que Os Tempos São Chegados, há 2 mil anos, “Amai-vos uns aos outros” e, mais
volente com o próximo. Ao ódio, rancor, vingança, devemos do “amai-vos uns aos outros”. o esforço da Espiritualidade tenha redobrado no sentido de recentemente, como Espírito de Verdade no século
opor o propósito do amor, da compreensão e do perdão. O É uma questão de ignorância. Mas se isso é verdadeiro, tam- uma maior e célere preparação para a chegada do Mestre, 19, “amai-vos e instruí-vos”.
egoísmo deve ser sucedido pelo altruísmo, da mesma forma bém é verdade que nós respondemos a estímulos e, se esses que iniciará a Reintegração Cósmica ou, se quisermos, dará
que a indiferença pelo sofrimento ou pelas necessidades do estímulos forem no sentido do bem, do respeito, da autocon- início ao Mundo de Regeneração.
próximo deve dar lugar à caridade, à solidariedade e ao au- fiança, da fraternidade, se tornará mais fácil essa melhoria, esse Entretanto, não creio que seja de esperar uma reforma brusca,
xílio fraterno etc. A isto poderíamos genericamente designar conhecimento da rota do amor que nos conduzirá a Deus. Daí pois tudo o que dimana do Mestre Jesus é suave e amoroso. Jan Val Ellam
Renovação Interior, o que parece ser a primeira grande obra ser tão importante, mesmo determinante, a educação em no- Como pessoas do mundo temos obrigações do mundo, mas
Rogério de Almeida Freitas nasceu na cidade de Natal, Rio
a operarmos dentro de nós e, que por sua vez, se refletirá vos moldes, que nos aproximem do amor pelas criaturas, por não devemos perder de vista as necessidades morais a que o Grande do Norte, em 22 de abril de 1959.
em múltiplas obras que intercedem com os demais cidadãos nós próprios, pela natureza, enfim, pela Obra da Criação. Mestre Jesus se referia dizendo “a César o que é de César e a Executivo de sucesso, é formado em Administração de Empresas
planetários. Na decorrência dessa mudança de postura, as Deus o que é de Deus”. e professor de Inglês.
guerras cessarão, as leis econômicas serão reescritas sobre a Lúcia Roberta: Se tivermos presente isso e a percepção dos passos a que nos Por volta dos seus 19 anos fatos incomuns começaram a
base do amor ao próximo, a exploração desenfreada de pes- Sathya Sai Baba, provavelmente a entidade encarnada de referimos já, reforma íntima, consciência planetária, consciên- ocorrer ao seu redor chamando a sua atenção para os aspectos
soas e de recursos naturais será substituída por formas de maior grandeza espiritual de nossos dias, defende a edu- cia cósmica, teremos indicadores que nos aconselharão qual o espirituais da vida.
relacionamento adequadas e respeitadoras, a cultura, a arte, cação como um caminho imprescindível. melhor posicionamento político em cada caso, pois o que seja Nessa época, era comum o contato de pessoas desconhecidas lhe
a educação, o desporto, se aproximarão das necessidades Você acompanha este trabalho? agora adequado em Angola pode não o ser no Brasil, ou na abordarem trazendo mensagens da Espiritualidade, lembrando-lhe
espirituais dos cidadãos, enfim, as sociedades encontrarão Nós, mundialmente falando, poderíamos absorver este tra- Grã-Bretanha, ou onde for. sempre de um “compromisso espiritual assumido antes de nascer”.
o caminho para a felicidade e o bem-estar. Para que essa balho com sucesso em nossos moldes governamentais? Em 1986 despertou para a percepção de realidades mais sutis.
Temeroso, relutou por iniciar a convivência mediúnica com
primeira obra seja possível, é necessário o surgimento da Val Eom: Sathya Sai Baba, segundo penso saber, é dos Lúcia Roberta:
os espíritos e com os seres que se apresentavam ao lado dos
consciência nova, o surgimento do homem novo, e aí a Espíritos de maior luminosidade e beleza espiritual encar- Qual é sua posição frente ao trabalho de conscientização
mentores espirituais como sendo de outros orbes.
importância a dar à preparação das novas gerações. nados entre nós. no mundo?
Após alguns anos de hesitação, convenceu-se da seriedade dos
A segunda obra seria o desenvolvimento da Consciência É um trabalho maravilhoso o que Sai Baba está fazendo e Val Eom: Contribuir com a minha parte que, sendo modesta, trabalhos ao perceber as atuações desses seres e espíritos junto
Planetária (ou consciência da cidadania planetária) de que certamente a preocupação com a educação em moldes novos pretendo seja de coração, no que o Alto houver por bem con- aos necessitados desvalidos.
já falamos um pouco, e depois a Consciência Cósmica (ou deva ficar a dever-se ao seu esforço na formação da consciên- ceder-me, na divulgação através de livros e palestras, além do Colocou-se por fim à disposição dos amigos espirituais e
consciência da cidadania sideral, cósmica e universal). cia nova, do homem novo. esforço permanente na renovação íntima. cósmicos através da escrita, iniciando a redação de 37 livros
Com o esforço na consecução desses três aspectos, cer- Creio que, em alguns países, as escolas, colégios e faculdades simultaneamente, adotando então o pseudônimo de Jan Val Ellam.
tamente se estreitarão os laços entre todos os cidadãos criadas sob a égide de Sai Baba, têm seus programas reconhe- Lúcia Roberta: Começou assim sua tarefa esclarecedora, dispondo hoje de um
de uma cidade, de um país, de um planeta, de todos os cidos pelos respectivos estados, o que parece ser demonstração Como você conheceu Jan Val Ellam e qual a relação existente grande volume de obras prontas e em andamento, algumas já
planetas, do cosmo. de que seria possível a adoção em moldes semelhantes em entre vocês dois, já que ambos adotam o nome Val? editadas, outras apenas aguardando autorização dos mentores
países do Ocidente. Val Eom: Como escritor, conheci-o através do primeiro livro para serem apresentadas ao público.
Lúcia Roberta: A questão fundamental é se os governos estão informados dos que escreveu, o Reintegração Cósmica e, pouco depois, conhe-
É provável que a educação infantil e das populações como êxitos conseguidos e se realmente ficariam interessados em ci-o pessoalmente em Natal, no Rio Grande do Norte e hoje
um todo seja o principal caminho a ser observado pelos aplicar tais conceitos novos. Questão de vontade e bom senso. tenho a honra e o prazer de ser distinguido com a sua amizade
comciência 52 comciência 53

Rogério de Almeida Freitas


conta seu percurso como escritor espiritualista Texto extraido da revista portuguesa O Quê? & Classicos e Modernos, edição n° 65 de julho/agosto de
2003, escrito pela jornalista Maria Sousa Veloso e fotos de Micaela Neto.

E
STAVA NO AEROPORTO DO RIO DE JANEIRO, A Acabou por dizer que ele “era aquele de quem estavam à
AGUARDAR UM VÔO. Na época ainda fumava espera”. A pessoa em questão pertencia a um grupo de
e um senhor a meu lado disse: ‘Meu filho, me espiritualistas que tinham recebido a notícia de que al-
desculpe, mas não faça isso’. Pensei que estava guém viria iniciar a terceira onda de formação planetária.
a fumar num local proibido e apaguei o cigarro. Desde esse período até por volta dos 27 anos, Ro-
Ele respondeu: ‘Não é isso. Você acredita em es- gério confessa que ocorreram muitas outras situações
píritos?’ O dito senhor continuou: ‘Os espíritos desse tipo, cada uma mais doida que a outra. “Via aquilo
dizem que você está atrasado em sua missão, que está a e ficava no meu canto, não contava a ninguém. Nessa
ser orgulhoso, porque não quer envolver-se’. altura, parece que se ligou uma tecla no meu cérebro,
Noutra ocasião, no enterro de um tio, encontrou- pensei que ia enlouquecer.”
se com uma amiga da prima, que tinha vindo para as- Gerente da maior Caixa Econômica do Rio Grande
sistir às cerimônias fúnebres. Já em casa, essa amiga do Norte, Rogério recorda que qualquer assinatura sua
perguntou-lhe se lhe podia transmitir uma mensagem “eram milhões para cá e milhões para lá e por isso pre-
dos espíritos. Rogério consentiu. “Ela sentou-se, pe- cisava ter cabeça. Ia atendendo os clientes e via os es-
gou um caderno e escreveu 13 páginas.” O conteúdo píritos ao lado deles, ou seres que se diziam diferentes
da mensagem ia, mais uma vez, ao encontro da men- dos espíritos, os E.Ts. (extraterrestres) que estacionam as
sagem anterior: “Eu estava atrasado com a missão suas naves por esse projeto, como se os espíritos, como
que teria no mundo”. se de espíritos se tratasse”.
Esses sinais foram antecedidos por uma estréia, Com a continuidade dos fatos e juntamente com os
quando tinha 18 anos. O palco foi a cidade de Niterói. livros que veio a publicar, acabou por dar início ao cami-
Depois de combinar com um amigo montar uma pet nho entre o espiritualizado e a ovnilogia, confessando
shop, Rogério hospedou-se em casa dos tios, que por que “no princípio apanhava dos dois lados”.
coincidência tinham nas imediações uma loja de peixes Numa lição de espiritualidade, explica que os espíri-
de aquário. Em busca de informações técnicas, dirigiu-se tos são semelhantes a nós, almas de quem morreu, en-
até lá. Quando o dono da loja o viu, encarou-o um “bom quanto os E.Ts. podem adquirir a forma humana, sendo
tempo”. Perguntou-lhe o nome e, perante a resposta, ambos entidades do bem. De 1986 até o princípio da
ficou branco como cal, pegou um papel e começou a década de 90, ficou quatro anos convivendo e observan-
escrever. Colocou o seu nome e fez uma série de contas. do esses espíritos.

Formado em Administração de Empresas, Rogério de Almeida Freitas confrontou-se com


uma série de acontecimentos aparentemente estranhos: pessoas desconhecidas que o
abordavam e o questionavam sobre se acreditava em espíritos ou em “seres de fora”.
Nascido em Natal, este homem dos números deu uma reviravolta em sua vida aos 27 anos,
quando, depois de muito ceticismo, deixou que os espíritos entrassem em seu mundo.
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
comciência 54 comciência 55

>>>>> IMPRESSÕES SOBRE O LIVRO


Nessa época, decidiu assistir a uma sessão espírita, Ceticismo que, curiosamente, conserva até hoje, depois
A SÉTIMA TROMBETA DO APOCALIPSE:
e quando o espírito incorporou no médium, disse que
queria falar apenas com um dos presentes. Mais uma vez
de já ter escrito 37 livros como psicógrafo.
Em 1990, estava em Brasília e foi escolhido para
A VOLTA DE JESUS
Rogério foi confrontado com um médium, que lhe disse fazer um discurso diante de outros membros da Caixa.
que “iam liberar os centros memoriais da sua alma” e, a “No momento em que ia falar, eles dominaram-me, e O UNIVERSO DE VERDADE que pouco podemos acalmar nossos espíritos diante da nossa grande obra é o trabalho pela cidada-
partir daí, começaria a ter percepções de outras vidas. vi-me sair do corpo, depois ouvi os aplausos e quando a pouco se desvenda através dos esforços verdade incontestável a que estivemos fugindo nia planetária, uma obra que se inicia e se
”Lido com fatos. “A primeira vida que abriu foi da época em que fui voltei a mim, completamente desesperado, sem controle constantes de J.V. Ellam faz reluzir as pérolas durante toda nossa existência terrena. ergue dentro de nós mesmos, semeando a
soldado romano e crucifiquei Jesus.” Segundo o espiritu- da situação. Eles disseram-me que tinham feito aquilo de conhecimento ofertadas pela Espiritua- Os tempos são chegados, está posto. ternura e o amor em nossos corações e dei-
Não acredito em alista, o pelotão de que fazia parte teve o azar de ter que para que aprendesse a confiar neles.” lidade e pelos companheiros cósmicos que Havemos, pois, de compreender, finalmente, xando-os revelar em nossas obras pessoais.
espíritos, vejo-os.” cumprir o seu dever naquele dia. “Era oficial do dia quan- À noite, no hotel, foi a vez de Rogério convocar a amorosamente se dispuseram a trabalhar, o porquê de estarmos nas condições em que Portanto, deixemos de lado o apego à
do recebi Jesus já com os espinhos, depois de açoitado. reunião, em que lhes perguntou: “Que diabo é que eu sob os auspícios do Mestre Jesus, pela evo- estamos e qual o pano de fundo de tudo o terrível doença que nos extirpou a simpli-
Cabia-me levar os prisioneiros para os crucificar. A mãe tenho de fazer?” Um deles disse que deveria escrever. lução da humanidade terrena. que vivemos neste orbe já muito deteriora- cidade de alma e nos fez dependentes do
pediu para vê-lo. Antes de a mãe o ver, entrei lá, ele le- Rogério lembra que deu umas boas gargalhadas, por- Estamos no alvorecer de um novo tem- do pela iniqüidade humana. auxílio externo. Abracemos as boas novas e
vantou o rosto. Nunca vi tanta ternura num olhar. Aquilo que nunca havia escrito coisa alguma, exceto a reda- po, no qual de maneira surpreendentemen- A Sétima Trombeta do Apocalipse, despertemos nossos espíritos para, enfim,
desconcentrou-me totalmente. Deixei de ser observador ção do vestibular. te inédita, um ser encarnado se une a um quando descrita por João, esconde sua ver- podermos usufruir a ajuda que nos chega
e passei a ser observado.” De volta a Natal, uma das filhas pediu-lhe para Espírito e a um Ser Cósmico — ou anjo, se dadeira face atrás das figuras metafóricas de outros orbes para voltarmos ao trilho da
Quando eles abriram os centos de memória, a sen- comprar cadernos. Quando chegou à loja, viu o letrei- preferirem — para trazer revelações muito utilizadas pela sua capacidade de comuni- existência cósmica.
sação de desespero começou a dominá-lo: “aí eles disse- ro que dizia: “Compre cadernos muito baratos e ajude pertinentes ao nosso momento terrestre, cação da época e transparece os cuidados Nesses tempos chegados, o mundo se
ram: Quem está a pedir para você fazer esse trabalho é uma creche”. Rogério comprou-os, mas depois esque- quando o apocalipse se cumpre nos fatos que João Evangelista tomou para não ousar prepara para a reintegração cósmica. Equipes
esse Cristo que você crucificou”. ceu-se deles numa estante. Dois ou três meses depois, do mundo e aguardamos ansiosamente mais do que sua consciência lhe impunha. e mais equipes de naves extraterrestres se
Num tempo em que o Brasil vivia uma inflação grande, chegou à casa e a sua sala estava cheia de espíritos, pela volta do Mestre Jesus. Outrossim, a Sétima Trombeta do Apo- posicionam nos céus da Terra para assistirem
“havia uma senhora chata, que chegava à Caixa Econômi- perguntou, por curiosidade intelectual: “O que é que Os esclarecimentos aqui constantes são calipse, como nos apresenta o irmão Ellam, ao grande espetáculo, o momento em que o
ca e, depois de ver o saldo, vinha ter comigo e dizia que vocês querem?” Eles disseram: “Pegue os cadernos!” como que cartilha pela qual devemos base- é o retrato nu dos acontecimentos descri- Cristo e seu séqüito de anjos virão anunciar
estava errado”. Um dia, quando ela veio com a cantilena Quando o viram com um caderno na mão, disseram: ar nossas reflexões e nossos estudos acerca tos e estão expostos dentro de uma lógica a reintegração cósmica do planeta. A convi-
do costume que o gerente ouvia mais por dever de ofício, “Pegue todos os cadernos!” Rogério levou todos os ca- da origem do homem, das condições atuais irrefutável, muito embora saibamos desde vência com nossos amorosos irmãos cósmicos
algo de extraordinário aconteceu. “Vi dois entes espiritu- dernos e os espíritos pediram-lhe para numerar não só da humanidade terrena e do que se pode já quão polêmicas e bombásticas as notí- será cada vez mais real, a partir de então.
ais ao seu lado e um deles disse-me: ‘Sopre!’ E enquanto os cadernos, como todas as páginas de cada um. Passou ser feito para um porvir mais equilibrado, cias ali contidas serão, especialmente para Diante de tal circunstância, que postura de-
falava com a mulher ia soprando. Umas mãos pegaram quatro madrugadas a fazê-lo, e, a essa altura, os espí- dentro do que de certo virá, a partir do re- aqueles que ainda carregam a marca da re- vemos tomar?
no ar, transformando-o numa massa branca, e vi as mes- ritos disseram-lhe: “Vá para o caderno 17 e escreva a torno luminoso do Mestre. beldia em seus corações. É da consciência de cada um como vai
mas mãos baterem nas costas dela.” Na hora em que a partir da página 180”. No princípio, teve dificuldades Algumas das revelações trazidas pelo Já se sabia que no final dos tempos tudo o pensar, sentir e agir de agora em diante,
mão espiritual bateu nas suas costas, ela, muito excitada, enormes em perceber a razão pela qual escrevia a meio “anjo” Ava Fa Yel ou Rafael — como é co- que estivera oculto viria a ser revelado. É nisso frente às revelações deste livro.
reclamava do governador, da Caixa e de tudo. Parou e dis- de um caderno cujas páginas anteriores estavam todas nhecido entre nós — poderão abalar nos- que trabalha Jan Val Ellam e a equipe cósmico-
se: “Dr. Rogério, alguém bateu em mim?” O espiritualista em branco. Depois de um ano já tinha mais de 100 ca- sas almas rebeladas, e provavelmente têm espiritual que o assessora: revelações. Assim,
respondeu que não. No dia seguinte, quando chegou ao dernos escritos. Em 1995, começou a ter consciência da o propósito de assim o fazerem para que apenas deitar nossos olhos sobre sua obra não
banco à hora do costume, antes de ver o seu saldo, essa dimensão daquilo que estava a fazer. comecemos agora mesmo a compreender nos bastará para o despertar necessário de nos-
senhora olhou-o nos olhos e disse: “Hoje não vou reclamar Com 11 livros publicados no Brasil, sob o pseudô- o verdadeiro sentido da reforma íntima, sas consciências. É preciso que tomemos suas
do saldo. Sofro de uma doença há anos, tomo uma data de nimo de Jan Val Ellam e 1 com seu próprio nome, em proposta ofertada pelo Mais Alto há quase palavras, particularmente as que se seguirão
remédios, fui operada à coluna e também não resultou, e parceria com o renomado astrônomo José Renan de dois séculos, desde a codificação espírita. neste livro, como base para um estudo apro-
alguém me bateu aqui, ontem, e fiquei boa. Pela primeira Medeiros, Rogério Freitas lançou o livro Reintegração Religiosos de todos os tempos marcaram fundado de nós mesmos e o conseqüente me- Livro: A Sétima Trombeta
do Apocalipse:
vez, dormi sem dor”. A rir, Rogério brinca que os espíritos Cósmica, em Portugal, e também sua versão em inglês, no Ocidente o estigma do sofrimento e da pu- lhoramento de nossos espíritos. Afinal, no rol a volta de Jesus
usaram a cliente mais chata do banco para lhe demonstra- Cosmic Reintegration, na Inglaterra. nição nos lugares da felicidade do servir e da das coisas ocultas que se revelam em nossos Autor: Jan Val Ellam
rem que eram do bem. Apesar do sucesso como psicógrafo, o espiritualista remissão para a regeneração de grave doença tempos estão, também, as marcas das feridas ISBN: 85-88584-15-8
FORMATO: 14 X 21cm, 272 páginas
Segundo o protagonista desta história pouco co- termina a nossa conversa garantindo: que nos acometeu e que nos conduziu pouco abertas em nossos espíritos pelos milênios ter- LANÇAMENTO: agosto/05
mum, durante esses quatro anos, os espíritos suporta- ”Lido com fatos. Não acredito em espíritos, vejo-os. a pouco para o estágio deplorável em que nos restres de erros continuados. Preço: R$32,00
O que mais nos cabe observar neste ins- Sinopse: Aya Fa Yel (o anjo Rafael, assessor cósmico
ram carinhosamente as criancices. “Tive muita dificulda- Não tenho religião e, apesar da formação católica, não encontramos hoje. No entanto, através das pa- de Jesus), Gamaliel (um dos membros do Sinédrio
de em aceitar, não queria conversa, mas sim cuidar da sou vinculado a nenhuma. Convivo com todos esses se- lavras desses três servidores (Aya Fa Yel, Ga- tante e após a leitura desta importante obra de Jerusalém ao tempo de João, o Evangelista) e Jan
minha vida. Inutilmente, pensava que se me envolvesse res, não sei escrever nada e estou a escrever mais de maliel e Jan Val Ellam) escolhidos pelo nosso é que nós somos os trabalhadores da últi- Val Ellam traçam, sob a ótica atual, um panorama
inédito acerca do Apocalipse de João.
com eles, acabaria estragando o meu projeto de vida.” 400 livros”. Mestre para realizar esta obra de revelação, ma hora apontados na parábola de Jesus e
L.R.M.
comciência 56 comciência 57
Humor

IMPRESSÕES SOBRE O LIVRO


OS MUITOS CAMINHOS DA VIDA
EXISTEM LIVROS QUE JÁ NASCEM COM com o evoluir do planeta, pois a luz que da fer, seres extraterrestres, xinguilamento e
UMA ESTRELA-GUIA, MOSTRANDO UM CA- sua obra emana reflete o próprio compro- muitos outros, o autor vai, pouco a pouco,
MINHO DE LUZ QUE BRILHARÁ NO PORVIR misso de sua alma com o bem geral. descortinando o véu da ignorância curiosa
DE SUA MATURIDADE. Os Muitos Caminhos Tornar-se um foco de luz no seio de de Juliana — e também a nossa própria
da Vida é um destes livros, cujo futuro está uma sociedade ainda primitiva sob o ponto — para nos ofertar, em seguida, um pa-
marcado pelo brilho de Juliana, uma jovem se- de vista da prática religiosa é feito meritório norama lúcido e universalista das diversas
nhora que, do âmago de sua simplicidade, sai à que requer toda nossa atenção e apoio. Val vertentes filosóficas e culturais que têm ou
busca dos muitos porquês que povoam a alma Eom exerce em seu meio a verdadeira al- assumiram caráter religioso. E é isso que
e a mente de todos nós. quimia, já que transforma a rudeza daquela derruba os preconceitos que costumamos
Através de um compêndio sabiamente ex- cultura religiosa em ponte luminosa para o ter para com quem pensa, crê ou se filia
plorado de diversas raízes filosóficas e doutri- esclarecimento espiritual. E faz isso de for- a religiões, diferentemente do que pen-
nárias, o autor coloca à disposição de Juliana ma suave, sutil e harmônica, que ao mesmo samos e cremos ou da nossa religião do
— e, por conseguinte, do leitor da obra — os tempo instrui e toca com delicadeza as al- coração.
conceitos de vida e existência mais profundos, mas mais sensíveis e despreparadas. A proposta implícita do livro Os Muitos
ofertados pelas mais diversas vertentes reli- Juliana toma forma e vontade próprias Caminhos da Vida é a de um verdadeiro con-
giosas que o mundo pode conhecer. à medida que viramos as páginas e vamos vite à busca pelo esclarecimento através de
O jeito simples e natural com que o autor nos envolvendo com sua trama. É quase uma postura aberta, moderna e flexível, que
trata o encontro de Juliana com as pérolas de impossível não vê-la em nosso imaginário, deveríamos e devemos mos ter a fim de faci-
sabedoria cósmico-espiritual ofertadas na Bí- cheia de trejeitos e sutilezas, galgando os litarmos o processo de assimilação da alma
blia, no Alcorão, na Doutrina Espírita de Kardec patamares da descoberta que percorre. rumo à evolução do espírito.
e nos textos de grandes sábios que passaram Assim são os personagens deste livros, No meu entender, Val Eom preparou
pelo mundo acendendo luzes permite um cheios de vontade e vida próprias, com um canteiro para os nossos corações e
aprendizado fecundo e aprofundado, de cará- personalidades que escapam do autor e nele há de desabrochar a flor do conhe-
ter universalista, que o tempo saberá revelar, assumem o jeito de cada um, como somos, cimento que ele propaga... Uma flor com
ressaltando a imensa importância desta obra. como buscamos, como nos colocamos pe- perfume de Juliana.
Por assumir a grandeza de um trata- rante a vida. L.R.M.
do, Os Muitos Caminhos da Vida poderá Sua busca é nossa busca, e a verdade
se tornar, com o tempo, um valioso e ini- está implícita na simplicidade do conhecer
gualável volume de estudos e pesquisas, a pelo perguntar, muitas vezes ressabiado e
merecer lugar cativo na cabeceira de cada cheio de dúvidas.
um que busque melhoramento íntimo e E é assim, sem vergonha, culpa ou hesi-
conhecimento das Leis da Vida. tação, que as questões há muito formuladas
Há uma nova forma se delineando por nossas mentes vão naturalmente brotan-
nos céus da África, algo que nos remete à do do coração de Juliana e se enveredando Os muitos Caminhos
consciência da gratidão que devemos ter por entre as tramas do seu cotidiano para da Vida
ISBN: 85-88584-14-X
pela terra-mãe da nossa humanidade e traçar formas e cores, na urdidura do conhe- Tamanho: 14 X 21cm
da responsabilidade que compartilhamos cimento, muito mais firmes e expressivas do 528 pgs.
R$44,00
com cada cidadão do mundo para com a que qualquer outro estudo que já se tenha
evolução da espécie. ofertado ao mundo, dentro do ambiente das
Quando João Saraiva, sob o pseudôni- religiões comparadas.
mo de Val Eom, seu nome cósmico, decide Ao tratar de assuntos como a natureza
dedicar seu tempo para a confecção de um do espírito, formas e expressões da mediu-
livro como este, colabora enormemente nidade, chakras, dèjá vu, clonagem, Lúci-
58 59
Cidadania planetária comciência comciência

Princípios:

Exerça plenamente a sua nacionalidade, mas


não se esqueça: somos todos cidadãos planetários.
Por conseguinte, formamos uma só família ante o
cosmos. É bom recordar que, para quem nos vê de
fora, nada mais somos do que uma família vivendo
em um berço planetário.
Se somos uma família, torna-se inconcebível a fal-
ta de indignação diante do estado de miséria – tanto
material quanto espiritual – em que vive a grande
parcela dos irmãos e irmãs planetários.
Existe uma força política na sociedade que, quando
estrategicamente direcionada, exerce em toda sua ple-
nitude o direito e o dever de cobrar das forças estabe-
lecidas o honroso cumprimento dos direitos humanos.
Essa “força íntima” é pacífica porém ativa; suave na
tolerância, jamais violenta, mas perene na exigência

PROJETO ORBUM
contínua de se construir a paz, a concórdia e a inadiá-
vel consciência quanto à necessidade de se melhorar
as condições do nível de vida na Terra. Exercer essa
força no cotidiano das nossas vidas, agindo localmente
com a atenção voltada para o aspecto maior planetá-
“DECLARAÇÃO DOS PRINCÍPIOS rio, é dever de cada um e de todos.
DA CIDADANIA PLANETÁRIA” Respeitar as forças políticas estabelecidas, os go-
vernos regionais e nacionais; valorizar as organiza-
ções representativas de caráter mundial – imprescin-
Propague esta idéia, em especial para as novas díveis para a evolução terrestre – mas, acima de tudo,
gerações. Sonhe e trabalhe por um mundo melhor. pregar a necessária consciência da unidade planetá-
ria perante o cosmo.
E saiba que muitos estão fazendo exatamente Na verdade, somos todos cidadãos cósmicos
no exercício eventual de uma cidadania planetária,
o mesmo. Esta é uma mensagem de fé e de como de resto o são todos os irmãos e irmãs espalha-
dos pelas muitas moradas do Universo.
esperança na vida e na nossa capacidade de Porém, devido ao atual estágio de percepção que
dignificá-la cada vez mais. caracteriza a quem vive na Terra, buscar a consciên-
cia do exercício pleno da cidadania, seja em que nível
for, é a grande meta a ser atingida.

Se você concorda com os princípios e objetivos


da cidadania planetária, junte-se a nós em
pensamento, intenção e atitudes. Assuma consigo
mesmo o compromisso maior de construir na

FILIESE ESPIRITUALMENTE A ESTA IDÉIA! Terra esta utopia, que foi e é o objetivo de
muitos que aqui vieram ensinar as noções
do exercício pleno da cidadania cósmica,
testemunhando o amor como postura básica
e essencial na convivência entre os seres.

Jan Val Ellam

Interesses relacionados