UNINASSAU Curso de Arquitetura e Urbanismo Disciplina: Projeto de Arquitetura II

METODOLOGIA PARA DEFINIÇÃO DO PROJETO ARQUITETÔNICO

praia.Elaboração do programa. equipamentos urbanos. . etc. tendências de desenvolvimento.Presença de algum elemento significativo (árvores. 2) VISITA AO TERRENO (LEVANTAMENTO DE DADOS): . solo.) .A seguir serão apresentadas as etapas para definição de um projeto arquitetônico: 1) O CONTATO COM O CLIENTE: .Entorno: Análise da paisagem. fotos do terreno e seu entorno. observar exemplos de partido arquitetônico (usos e ocupações). construções. .Prazos e recursos disponíveis. rochedo. tráfego e estacionamento. ruínas. . cobertura vegetal) .Discutir os termos do contrato de serviço e remuneração. etc.Padrões de construção: acabamento pretendidos e ouvido as sugestões do cliente. . riacho.Dimensões do terreno (Verificação e levantamento de cotas) . .) . etc. etc.Orientação do terreno (Identificar o Norte – Análise de ventilação e insolação incidentes no terreno) .Perfil e necessidades do cliente. infra-estrutura disponível.Topografia (relevo.Localização do terreno (urbano. rural.

TERRENO Não é possív el exibir esta imagem no momento. .

A e C BL. BL.Não é possív el exibir esta imagem no momento. E POLO UNINASSAU TERRENO PROJETO . B BL.

Não é possív el exibir esta imagem no momento. USO INSTITUCIONAL RIO CAPIBARIBE .

.Não é possív el exibir esta imagem no momento.

.

.

.

de 29/01/1997). .3) CONSULTA ÀS LEGISLAÇÕES: Nesta etapa são verificadas as legislações pertinentes da área objeto de estudo / trabalho: .290. . .Lei Nº 16.Lei de Parcelamento de solo .FIDEM.ANVISA / AMPEVISA . mobiliário e equipamentos urbanos. . . .Lei de Preservação Ambiental.NBR – 9050 => Acessibilidade de pessoas portadoras de deficiência a edificações.Código de Obras – Edificações e Instalações na Cidade do Recife (Lei Nº 16.Lei de Preservação de Sítios Históricos. espaço.292.Lei de Uso e Ocupação do Solo da Cidade do Recife (LUOS) . de 1997.CPRH .

Estudos de Casos: Pesquisa bibliográfica sobre o tema em livros e revistas. . no sentido de identificar o funcionamento.1.4) ETAPAS PRÉ-PROJETUAIS OU DO PROJETO ARQUITETÔNICO: 4. É realizada também visita a edificações semelhantes com programas afins.

feita a partir das necessidades e anseios do cliente.É o conjunto de necessidades funcionais correspondentes à utilização do espaço interno e a sua divisão em ambientes (ou compartimentos). PROGRAMA: O cliente: 01 casal 02 filhos (idade 10 / 12 anos) Atividades: Ele é chef de cozinha (cozinha grande) Ela é arquiteta (adora receber amigos) Só utilizam diaristas O Programa: 02 suítes 01 quarto (escritório / hóspedes) 01 wc social 01 dependência serviço (wc e quarto*) Cozinha grande Área de serviço Área social ampla Garagem 02 carros * opcional Requisitos: .Área verde: 25% .Definição do Programa: .Afastamentos: Frontal = 5. para que um edifício tenha um determinado uso.50m Fundo = 3.00m . .00m Laterais = 1.É a lista dos ambientes.

Quarto de Solteiro BWC Social A: 12. É necessário conhecer as atividades e os equipamentos ou mobiliário utilizados nestas áreas a fim de obter um maior êxito.4.2.09 m2 A = 2. Pré-dimensionamento: Nesta etapa são identificadas as dimensões dos ambientes a partir do uso e formas de ocupação.52 m2 . é comum distribuir o lay out (mobiliário) em todos os ambientes.

lateral e de fundo.Condicionantes do terreno (Ventilação e insolação).Não é possív el exibir esta imagem no momento. Não é possív el exibir esta imagem no momento.Acessos: pedestre/social. Abaixo: MAPA DA INCIDÊNCIA SOLAR Não é possív el exibir esta imagem no momento. .Orientação (Localização do Norte). OBS: Na nossa região Nordeste . . a incidencia dos ventos SUDESTE é 85% ao ano e os ventos NORDESTE é 15%. da lâmina. da área verde. . -Ruas. avenidas. veículos e serviço. construída. Observações: Identificar no Estudo de Lâmina: .3. . . Estudo de Implantação no Terreno (Estudo da Lâmina): Esta associado ao zoneamento.Cotas do terreno. 4.Afastamentos: frontal. .Área Total: do terreno. Analisar através do desenho as possibilidades que as legislações permitem.

Condicionantes do terreno (Ventilação e Insolação). A partir do programa. A denominação de cada zona. . etc. . serviço. podemos fazer os agrupamentos dos ambientes com atividades afins. Zoneamento: É um instrumento utilizado para agrupar espaços com usos semelhantes. . . Com isso. veículo. normalmente. .Orientação (Localização do Norte). Observações: Identificar no zoneamento: .4.Acessos: social/pedestre. Não é possív el exibir esta imagem no momento. As zonas são representadas em um desenho através de manchas (que a princípio são amórficas).Ruas.Cotas do terreno. é feita a disposição dessas zonas conforme os condicionantes naturais do terreno. etc.4. refere-se à finalidade a que se destina. avenidas.

uma relação desejável entre eles. veículos e serviço.Acessos: pedestre/social. Exemplo de organograma de uma residência Observações: Identificar no Organograma: . O organograma inclui além da enumeração dos elementos. Organograma (Funcionograma): É o registro das articulações entre os espaços (cômodos ou compartimentos) representados por formas geométricas estabelecidas. .4. . Não é possív el exibir esta imagem no momento.5.Orientação (Localização do Norte).

. legislação. Formato da entrega: A4 Data da entrega: XX/02/2014 .PRODUTO ETAPAS PRÉ-PROJETUAIS: 1. Banheiro social. 2.). Estudo da implantação. Sala de jantar. Pré-dimensionamento dos ambientes de uma residência: Quarto casal. Sala de estar. 4. Banheiro de serviço. Quarto de serviço.. Organograma/Fluxograma. Estudo do terreno (fotos. Zoneamento 6. Quarto filhos. entorno. Banheiro Casal. Três estudos de caso – Arquitetura Residencial Unifamiliar. Cozinha Área de serviço. área. 5. insolação. ventilação predominante. Garagem 3.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful