Você está na página 1de 66

A VE DADE SOBRE

ISRAEL

Novas descobertas de cientistas reescrevem a história da Terra Prometida

HISTÓRIA HOJE

6 A escravidão ainda resiste no planeta, afirma estudo internacional 10 AGENDA Ocomeço e o fim
6
A escravidão ainda resiste no
planeta, afirma estudo internacional
10
AGENDA
Ocomeço e o fim do AI-5
AlMANAQUE
...................................
COMO FAZíAMOS SEM •••
13
Temperos
Novas descobertas
revelam
mitos e
ARTE & HISTÓRIA
14
verdades
sobre a
A Pequena Sereia
origem
dos judeus
...................................
LISTA
16
Aventureiros desastrados
BRASÕES E BANDEIRAS
17
28
Asuástica
LINHA DO TEMPO
18
Império Britânico
HISTÓRIA MALUCA
20
Terra de dragões
HISTÓRIA ILUSTRADA
22
Navio tartaruga coreano
ARQUEOLOGIA DO FUTURO
24
Neuromancer
RETROTECH
25
OTurco jogador de xadrez
REPORTAGENS
CAPA
28
As origens de Israel
JEsuíTAS
38
A Igreja no Brasil colônia
NELLlE BLY
44
Umamulher dá avolta ao mundo
PIADAS
48
Ohumor soviético contra o poder
TERREMOTO
54
Lisboa treme e afeta a Europa
'"õõ
a:
o
'-'
mnRmm
_
o
..'"
'-"
""
a:
>-
LANÇAMENTOS
60
;! '"
Luzes sobre a esquerda armada
HISTÓRIAS íNTIMAS
64
Leituras para senhoras
FOTO-HISTÓRIA
Ulysses contra os cachorros
66
  • ~~------------------------------- Abril

EDITORA ~

Fundada em 1950

VlcroRClVITA

(1907-1990)

ROBERTO CIVITA

(1939-2013)

FELIZ

Conselho Editorial: Victor Civita Neto (Presidente), Thomaz Souto Côrreajvíce-Presldente), Elda Müller, Fábio Colletti Barbosa,

[airo Mendes

Presidente:

Leal, José Roberto Guzzo Fábio Colletti Barbosa

Vice-presidente

de Operações e Gestão: Marcelo Bonini

Diretor de Assinaturas: Fernando Costa

Diretora

de Recursos Humanos:

Cibele Castro

  • 2014 e Deborah Souza Silva, Grace Kelly Alves (aprendiz) Atendimento ao leitor: Adriana Meneghel.loe Walkiria Giorgino cn-UN 11: Eduardo Blanco

Diretora-Superintendente: Helena Bagnoli

Diretor Adjunto:

Dimas Míetto

Diretora de Redação: Patrícia Hargreaves

Colaboraram nesta edição: Luciana Porto Alegre Steckel (arte), Wagner Guücrrez Barreira (editor - C8GB Serviços de Comunicação e Editoração Uda) e Victor Bianchin Coordenão Administrativa: Crísüane Pereira

INTERNETNÚCLEOJOVEM& INFANTILEditor Assistente: Mariana Nada! Repórteres: Ana Prado, Ludmilla Balduino e Otavio Cchen Designers:

Alexandre Nacari, Juliana Moreira e Lacra Rittmeister Animação: Feiipe

Thiroux Webmaster: Cah Felixe Thiego Moura Estagiârios: Carolina Vellei,

Carolina Vilaverdee lacas Massao Analista de redes sociais: Lorena Dana

A equiPe responsável pela AVENTURAS NA HISTÓRIA tem

muito a comemorar pelos doze meses que estão

chegando ao

fim. A revista completou dez anos acompanhada de um grupo

de leitores fiéis que não deixa nada escapar a seus olhos e nos ajuda a melhorar a cada edição. Neste ano, mudamos o projeto gráfico, criamos novas seções, migra- mos nossa comunidade do antigo Orkut pará o Facebook. A edição de

aniversário, em agosto, teve a maior venda em bancas da revista desde

  • 2009. Os índices de satisfação de nossos assinantes com o conteúdo da

revista estão elevados. Uma pergunta que pede a opinião do leitor sobre

se a revista que ele tem em mãos está melhor que a anterior, feita a cada

nova edição, sempre supera o índice Acontece que, para nós, em time

de 80% de sim. que está ganhando se mexe, sim.

Nosso compromisso é buscar a superação a cada edição. Isso envolve

escolher pautas relevantes, curiosas e apaixonantes.

Zelar pela quali-

dade do que se publica, embalar as palavras no design mais inteligente

que formos capaz de criar

enfim, queremos melhorar, sempre.

... Por causa disso, teremos muito trabalho em 2014. O que nos inspira é saber que você estará ao nosso lado. Não só para falar bem. Mas para criticar, apontar caminhos, reclamar, sugerir.

Uma grande revista se faz com grandes leitores. E isso, temos certeza, nós já temos.

Um feliz 2014 e boa leitura.

Patrícia Hargreaves

DIRETORA DE REDAÇÃO

PUBLICIDADE SEGMENTADAS - Diretor de publicidade UN

SEGMENTADAS: Rogério Gabrtel Comprido Diretores: Roberto Severo,

Willian Hagcan Gerentes: Fernanda Xavier, Fernando Sabadín, Ana

Paula Moreno, Cletde Gomes Executivos de Negócios: Adeiana Marfins,

Camila Roder Carolina Brust, Cétia Valese, Cida Rogiero, Cintia Oliveira,

Fernanda Meio,Juliana Compagnoni, JoEduardo, Juliana Chen Sales, Kaue Lombardí.Lucta H. Messias, Luis Pemando Lopes, Maria Veloso, Mauricio

Ortiz, Michele Brito, Rebeca da Cosia Rix, Renato Mescarenhas, Roberla

Maneiro, Shirlene Pinheiro. Suzana Veiga Carreira, Vera Reis de Queíroz,

Ana Paula Viegas, Daniela Serafim, Fâbio Sanlos, Camila Folhas, Regina

Maurano, Maria Lucia Vieira Strotbek. Marcus Vinicius Souza, Pabícla

Granjas, Rodrigo Rangel, Leandro Thales, Luis Auguslo Dias Cesar, Sérgio

Albino MARKETING- Diretor de Marketing: Paulo Camossa Diretores:

Loutse Faleiros, Wagner Gorab ESTRATÉGIADIGITAL:Diretor: Guilherme

Werneck PUBLICIDADEREGIONAl- Diretor: [acqucs Ricardo Gerentes: Ivan

Rtzental.Ioão Paulo Pizarro, KikoNeto, Mauro Sannazzaro, Sonia Paula, Vania

Passalongo PUBLICIDADEINTERNACIONAL:Alex StevensASSINATURAS

Gerentes: Alessandra Pallís.Andréa Lopes.

APOIO - PLANEJAMENTO CONTROLEEOPERAÇÕES - Gerente: Marina

Bonagura PROCESSOS - Gerente: Ricerdc Carvalho DEDOC E ABRil

PRESSGracede Souza PESQUISA EINTELlG~NCIADEMERCADO: Andrea

Costa RECURSOS HUMANOS Gerente: Daníela Rubim TREINAMENTO

EDITORIAL:Edward Pimenta

REDAÇÃO E CORRESPOND~NCIA: Av. das Nações Unidas, 7221, 14 0

andar, Pinheiros, São Paulo, SP, CEP 05425-902, tel. (11) 3037-2000.

Publicidade

o Paulo e informações

sobre representantes

de

publicidade no Brasil e no Exterior: www.pubabrtl.com.br

PUBLICAÇÕES DA EDITORA ABRil: Almanaque Abril, Ana Maria, Arquitetura & Construção, Aventuras na História, Boa Forma, Bons Fluidos, Capricho, Casa Claudia, Claudia, Contigo!, Dicas Info,

ElIe, Estilo, Exame, Exame PME, Guia do Estudante, Guias Quatro Rodas, lnfo, Manequim, Máxima, Men's HeaUh, Minha Casa, Minha

Novela, Mundo Estranho, National Geographic, Nova, Placar, Playboy,

Publicações Disney, Quatro Rodas, Recreio, Runner's World, Saúde,

Sou Mais

Eu!, Supennteressante, Tititi, Veja, Veja BH, Veja Brasilia,

Veja Rio, Veja São Paulo, Vejas Regionais, Viagem e Turismo, Vida

Simples, Vip, Viva!Mais, Você S.A., Você RH. Women's Health Fundação

Fundação Victor Civita: Gestão Escolar, Nova Escola.

Aventuras

na História ISSN 18062415, dezembro de 2013, é uma

publicação mensal da Editora Abril Edições anteriores: venda exclusiva

em bancas,

pelo preço da edição atual. Solicite ao seu jornaleiro. Distribuída

em todo o país pela Dínep S.A. Distribuidora Nacional de Publicações,

São Paulo. Aventuras na História não admite publicidade redacional.

Serviço ao Assinante: Grande São Paulo: (11) 5087-2112 Demais localidades: 0800-775-2112 www.abrilsac.com Para assinar: Grande São Paulo: (11) 3347-2121 Demais localidades: 0800-775-2828 www.assineabrit.com.br

IMPRESSA NA GRÁFICAABRIL

Av.Otaviano Alves de Lima, 4400, Freguesia do Ó, CEP: 02909-9.00,

••

São Paulo,SP

I r.IPP I 00 I 'SIP

.Abril

Conselho de Administração: Giancarlo Civita (Vioe-Presidente), Vidor Civita Neto, Esmaré Weideman, Hein Brand Presidente: bio CoUetti Barbosa

www.abril.com.br

..

",

DAS SESSOES DE INE A AO· UCESS N T LONA.

Desdeque Ariel era menino, seu motorista, Carlinhos,olevavaapeçasde teatro, showsefilmes, conversandomuito sobreoqueeletinha aprendido."Elesempre foi meu companheiro", diz. Essagrande amizadeajudouAriel aescolhersuavocação. Fezpeçasdeteatro, documentá rio, clipe, novelas,seriadoseganhou reconhecimento no longa Colegas, enchendo de orgulho um dosseusmaiores incentivadores.

Carlinhos

Motorista e apoiador

do sonho de Ariel

(

\

~

Participe da educação de quem você ama para que ele nunca pare de crescer.

REALIZAÇÃO:

GRUPO

BANDEIRANTES

Ariel Goldenberg

Protagonista do

filme Colegas

)

IW

o MAPA DA ESCRAVIDAO

ESTUDO REVELA A PREVALÊNCIA DA INSTITUiÇÃO NO MUNDO ATUAL

A! walk Free Foundation ("Fundação Caminhe

Livre") acaba de lançar um estudo abrangente obre a situação da escravidão no mundo. O re-

latório classificou os países segundo o risco de escravidão,

baseado em

diversos fatores, como a força das leis e a ca-

pacidade do Estado em aplicá-Ias. De forma que o ranking não tem relação direta com o número de escravos. A Chi- na tem até 3,1milhões de pessoas nessa condição, mas não é considerada um dos países de maior risco. Segundo a ONG, existem quase 30 milhões de escravos

hoje. Ainda que todos os países tenham abolido a escra- vidão, ela persiste por ações criminosas. A forma moder- na é por dívida. Golpistas levam trabalhadores a locais

6 IAVENTURAS NA HISTÓRIA

remotos onde são forçados a pagar aluguel e a comprar a crédito na loja local - assim, nunca recebem salário e a dívida sempre aumenta. Imigrantes ilegais são o alvo mais comum, inclusive mulheres, forçadas à prostituição. Na definição do relatório, casamentos forçados também são um tipo de escravidão, tal como "adoções" nas quais a criança é obrigada a fazer trabalhos domésticos. A prática data da Prê- História: dos astecas aos chineses, toda civilização tinha escravos ou servos - versão mais branda na qual o trabalhador pertence à propriedade, não ao senhor. O Brasil foi o último país ocidental a abolir a escravidão, em 1888. Na Mauritânia, pior nação do mundo pelo relatório, a abolição só ocorreu em 1981

ROTEIRO DA VERGONHA

'r'

t,

6° MOLDÁVIA

A

.c::

T

,/

.~~~

r.-120 HAITI*

rr

índice de risco: 52,26 Número de escravos:

200 mil - 220 mil

94° BRASIL

índice de risco: 7,16 Número de escravos:

200 mil - 220 mil

cn cn

w

'"

"-c

w

!;[

13

'"

cn

~

'"

12

índice de risco: 97,90 Número de escravos:

140 mil-160

mil

PREVALECÊNCIA DA ESCRAVIDAo

MUITO BAIXA

I'

* Risco de escravidão: de zero a cem, Quanto maior a nota, mais presente é a escravidão no país. A cor vermelha indica os piores índices.

MAURITÂNIA

HAITI

íNDIA

MOLDÁVIA

BRASIL

No país, onde uma

Aqui O problema é uma

Paíscom o maior número

A ex-república

Possui um grande

minoria branca

instituição tradicional

de escravos do mundo, é

soviética leva a pior

número de escravos,

domina diversas

chamada restavek, na

acusado de exploração

nota da Europa não

mas é considerado

etnias negras, a

qual crianças são dadas

sexual, exploração

como algoz, mas

o quinto menos

escravidão éà moda

para adoção afamílias

infantil (crianças

como vítima. Com

problemático do

antiga, com escravos

mais ricas eforçadas a

obrigadas a pedir

uma economia

continente, porque as

e descendentes

trabalhar pelo sustento.

esmola), casamentos

miserável, seus

leis sãotidas como

considerados

Após oterremoto de

forçados e escravidão

cidadãos entram

satisfatórias. Esquemas

propriedade

2010, o caos no país

por dívidas, quase

em esquemas para

de escravização por

comercializável.

abriu espaço para outros

sempre dos dalit, os

migrar para outros

dívidas ainda acontecem

Na maioria, são

tipos de escravidão,

"intocáveis", membros

países, como

em regiões rurais e

mulheres negras,

como exploradores

da casta mais baixa.

Ucrânia, Rússia

entre imigrantes.

forçadas a fazer

sexuais etraficantes

Essadívida é hereditária,

ou Polônia,

Neste ano, o Ministério

trabalhos domésticos

de seres humanos,

de forma que os filhos

onde acabam

do Trabalho liberou

e abusadas

que exportam haitianos

do devedor também

escravizados

31 escravos bolivianos

sexualmente.

para outros países.

"pertencem" ao credor.

por mafiosos.

em São Paulo.

HISTÓRIA HOJE

OHDDA

PRÉ-HISTÓRIA

BOLINHAS CONTÊM CÓDIGO AINDA NÃO DECIFRADO

N OS final dos anos 60, arque-

ólogos escavaram

um

curioso conjunto de artefa-

tos no tio

de Chaga Mish, no Irã.

São esferas de argila, apro-

assim, misteriosos.

Este ano, uma

equipe do Instituto Oriental da Uni- versidade de Chicago estudou-as com tomografia eletromagnética.

Descobriam que''guardam

uma

ximadamente do mes-

 

grande diversidade de obje-

para passar

mo tamanho

de

tos -14 formas diferen-

uma bola de tê- nis, decoradas por fora e com

tes, como pirâmi- des, cones, esferas ou meias-luas.

diversos

pe-

Além disso, pos-

quenos objetos dentro. Datadas de 5,5 mil anos atrás, eram usadas

 

suem um canal interno, prova- velmente usado um

dois séculos antes da

 

o

barbante e facilitar o

invenção

da escrita,

armazenamento.

que aconteceria na mesma

O historiador Cris-

região. As bolinhas

ganharam

topher Woods, líder do estudo,

nome de "envelopes", e os

objetos

acredita que os envelopes me-

dentro delas, "fichas". Compreensivelmente, os pesqui- sadores não queriam quebrar esses objetos preciosos para investigar seu conteúdo, que permaneciam,

sopotâmicos foram o "primei- ro sistema de armazenamento de dados". Eram uma espécie de nota fiscal do final da prê- história. As fichas representavam

A bola

de cerâmica:

conteúdo interno

números. Por exemplo, a quantidade de cabras negociadas entre duas pes- soas. No exterior, os relevos indica- vam o comprador e o vendedor. O código exato ainda não foi decifrado, mas Woods acredita que cada forma das fichas indicava um número di- ferente, por exemplo, pirâmides para dezenas e esferas para unidades. A inconveniência do "contrato" neolí-

õ

.

u

u

<: i:

<

a

>-

~

tico é que era preciso que-

brá-Ia para ser lido.

Elementos do Interior da esfera:

fichas de argila

~ •• ••••

0.0

•••• •• •• ••••• •• •••• •••

, •••••••••

0.0

0 .0 .'

••

0 .0

•••

0 .0 .'

•• ••

0 .0

•••

0 .0

••• ••

0 .00.00 .00 .0

•••

0.0

••••••••••

0 .0

••••••

_ ••• ••••

••

_

0 '0

0 .0

•••

0 .0 0 .0 0 .0 0 .00 .0

••

~

I

"Não houve má intenção. Foi um

I

i

equivoco felizmente resolvido"

 

!

~

~

~

••••••• •• •• •• ••

0 .0 0 .0 0.0

••

0 '0

0.0

0 .0

••••••••• •• ••

0 .0

••

0.0

0 .0

••••

' ••• ••••••••

, • ••••••••••••••

 

0.0

0 .0

••••

0 .0 ••• o.' ••••••••

 

" 0

o" ". ••• •••• •••••••

••• •••••

••••

••• ••••

•••

;

~ L~~denza bBrrtav~tta, d ire daoraAgência MagnUdm'Hsob~ecS3:otosgrafias daRexbPosciÇãOO Rosto dOATempo: ~uafr~~dasbnos ~nos 50 e

t

~

L

so

esco e as em

 

20

o s

, com Imagens raras e enn artíer- resson, o ert apa e outros.

exposiçao 01 rea erta este ano

 

~

8 IAVENTURAS NA HISTÓRIA

RATO NO CARDÁPIO

Análises químicas em

ossos de habitantes da

Ilha de Páscoa pré-

descobrimento revelaram

que a dieta incluía poucos

frutos do mar. A principal

fonte de protna era o rato

polinésio, que chegou com

os humanos à ilha.

······················1·····················

DO MAMUTE AO MICRO-ONDAS

ARTISTAS FEMININAS

NAS CAVERNAS

Um dos "temas" frequentes

em pinturas paleolíticas

são mãos impressas. Um

estudo revelou que 75%

dessas mãos eram de

mulheres. O que significa

que os desenhos podem

ter sido feitos por elas.

CHINATOWN ESCAVADA

Arqueólogos escavaram

o bairro chinês de

Jacksonville, nos EUA,

dos anos 1850. Entre

os achados estão um

cachimbo de ópio e

sementes de lichia, o que

indica que importavam

alimentos de seu país.

A jornalista britânica Bee Wilson é

• O PALITO E A CRISE ECOLÓGICA: Por

conhecida por sua coluna Kitchen Thinker ("pensadora da cozinha") no jornal Sunday Telegraph. Ela acaba de lançar

causa de um tabu religioso, os japoneses se recusam a usar talheres de outras pessoas, mesmo lavados. Por isso, no

seu terceiro livro, Consider The Fork: A

século

18, inventaram os waribashi, os

History ot Haw We Caak and Eat

palitos

descartáveis. Todos os anos, 23

("Considere o Garfo: Uma História de

bilhões deles são gastos no Japão. Para

Como Cozinhamos e Comemos", sem tradução), no qual discute a história da

atender a demanda, milhões de árvores são derrubadas.

cozinha e seus instrumentos. Veja alguns

• MUDANÇA DE DENTiÇÃO: Até

o século

de seus achados:

19, a arcada dentária dos ocidentais tinha

 

uma oclusão

perfeita. Hoje, a mordida

 

mais comum é a de trespasse horizontal

- os dentes de

cima se fecham em frente

1,95•••

..............................

,

.

Altura da estátua de Ramsés 11 escavada em Tel Basta, Egito. A medida incluiu seu chapéu

  • - a múmia do faraó indica

que ele tinha um pouco mais

de 1,80 m de altura.

aos de baixo. A culpa é do garfo: até

a

adoção de talheres, no século 18, as pessoas precisavam cortar carnes e outras partes duras com os incisivos .

• MULTIPROCESSADOR E GORDURA:

Ofaz-tudo da cozinha contribuiu para a atual epidemia de obesidade, segundo

Bee Wilson. A razão é que, quando os alimentos são divididos em pequenos

pedaços, a digestão é mais mesmo número de calorias

eficiente. O de um prato

feito no multiprocessador engorda mais que o mesmo prato feito à mão.

AVENTURAS NA HISTÓRIA I9

 

1927

1918

 

Aos 24 anos de idade,

O filme mudo

 

WOODROW WILSON

DOM PEDRO I é

Putting Pants on

embarca para as

coroado imperador do

Philip marca a

conferências de paz

Brasil, no Rio de

estreia da dupla de

em Versalhes depois

Janeiro.

comediantes Stan

da Primeira Guerra. Foi

 

Laurel e Oliver

o primeiro presidente

Hardy, ou "O GORDO

norte-americano no

EO MAGRO".

cargo a ir a Europa .

 

..

 

1933

A LEI SECA, que

Sob o comando do

O general Cristóvão

Os irmãos Richard e

proibia a produção,

Duque de Caxias, o

Barcelos, hoje nome

Maurice MCDONALD

comércio e bebidas

exército brasileiro vence

de rua no Rio de

abrem um restaurante

alcoólicas nos Estados

a BATALHA DO ITORORÓ,

Janeiro, propõe a

especializado em

Unidos, chega ao fim,

durante a Guerra do

mudaa da CAPITAL

hamrgueres, depois

como um retumbante

Paraguai, um dos

BRASILEIRA, da cidade

de passar mais de

fracasso que ajudou o

combates que mudaram

onde vivia para o

dez anos vendendo

crime organizado.

o rumo do conflito.

Planalto Central do país.

cachorro-quente.

 

1987

1510

1098

A PRIMEIRA INTIFADA,

Com a ajuda de

Escavações confirmam

Em MAÁRRAT

O beneditino Pietro

protesto contra a

mercenários locais, os

a existência da CIDADE

AL-NUMAN, cruzados

Angeleri, o papa

ocupação de Israel,

portugueses tomam a

DE HERCULANO,

massacram 20 mil

CELESTINO V, renuncia

começa na

cidade indiana de GOA.

soterrada, junto com

civis a caminho de

e volta

a viver como

Cisjordânia e na Faixa

O domín