Você está na página 1de 52
Centro de Treinamento em Liderança Curso 112 Visão, Modelo e Trilho de Treinamento Curso 112

Centro de Treinamento em Liderança

Curso 112

Visão, Modelo e Trilho de Treinamento

Liderança Curso 112 Visão, Modelo e Trilho de Treinamento Curso 112 - Visão, Modelo e Trilho

Curso 112 - Visão, Modelo e Trilho de Treinamento - Rev. 01 Responsável: Antonio Cezar Rosaneli © 2007-2008 Associação Comunidade da Graça - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução ou divulgação por qualquer meio ou mídia.

Índice Curso 112 - Visão, Modelo e Trilho de Treinamento sessão 1 sessão 2 sessão
Índice Curso 112 - Visão, Modelo e Trilho de Treinamento
Índice
Curso
112 - Visão, Modelo e Trilho de Treinamento

sessão

1

sessão

2

sessão

3

sessão

4

sessão

5

A

Visão

03

A Visão

05

A nossA Visão

07

A Visão CArACTerizA A igrejA

08

LogoMArCA

11

refLexão e Ação

os VAlores dA Visão

13

o que são VALores? (1)

15

VALores defineM prioridAdes e práTiCAs

17

VALores defineM CoMporTAMenTo

18

VALores dA CoMunidAde dA grAçA

22

refLexão e Ação

A

Visão e A missão

23

enTendendo quAL é o nosso “negóCio”

25

A Missão dA igrejA (1)

modelo ide

27

CoMo ALCAnçAr A Visão e CuMprir A Missão?

29

nossos fATores de suCesso ou funçÕes ViTAis

29

o ModeLo

31

o ModeLo ide

36

Visão gerAL do ModeLo ide

36

o que é disCipuLAdo?

38

CrisTo eM nós: o CorAção de Todos os CorAçÕes

40

o ModeLo ide e os níVeis de disCipuLAdo

Trilho de TreinAmenTo

45

o que é uM TriLho?

47

TriLho i - inTegrAção

48

TriLho d - desenVoLVer

49

o TriLho enViAr

50

CoMo usAr o TriLho de TreinAMenTo

sessão

1 A Visão

A visão

O que é a visão?

A visão de uma organização representa uma imagem de como será, no

futuro, quando tudo estiver “funcionando”. A visão responde à pergunta:

como nós queremos ser?

A visão é uma imagem do futuro que produz paixão. (Bill Hybells)

Paixão:

X

amor ardente;

X

entusiasmo muito vivo por alguma coisa;

X

disposição que ultrapassa os limites da lógica.

dicionário Aurélio

A visão deve produzir nas pessoas um entusiasmo e desejo de participar,

contribuir, fazer parte.

Características da visão

Clara e compreensível para todos

Focalizada no futuro

Produz paixão naqueles que crêem nela

Baseada em valores (Pg. 18)

Os líderes e a visão

Comunicar a visão é a função principal de todo líder, em todos os níveis.

os líderes devem sempre falar da visão, porque as pessoas esque- cem.

os líderes devem ser os maiores incentivadores e entusiastas da visão.

Quando a visão cai no coração, as pessoas dispõem tempo, vida, recursos, dinheiro, etc.

A nossa visão

uma igreja-família, vivendo o amor de Cristo, alcançando o próximo e formando discípulos.

O que significa “Uma igreja família”:

significa uma igreja que é como uma família, onde as pessoas têm relacio- namentos de aliança e fidelidade, se preocupam umas com as outras, e os mais maduros cuidam e ensinam os mais jovens.

não significa uma igreja que se preocupa somente com a família, ou que fala ou ministra apenas sobre família.

Em amor nos predestinou para sermos adotados como filhos, por meio

de Jesus Cristo, conforme o bom propósito da sua vontade, para o lou-

vor da sua gloriosa graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado. – Efésios 1:5-6

O que significa “Vivendo o Amor de Cristo”:

Um lugar onde as pessoas se amam como o senhor Jesus nos ordenou.

A igreja é um lugar de aceitação, não de exclusão. As pessoas são amadas sem distinção de cor, raça, sexo, idade, condição social, saúde física.

Vivendo o amor de Cristo significa amar e servir as pessoas como o pró- prio Jesus faria pois a igreja é o corpo cuja cabeça é Cristo. (mandamentos recíprocos)

Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros. João 13:34é o corpo cuja cabeça é Cristo. (mandamentos recíprocos) eu vos amei. João 15:12 O meu

eu vos amei. João 15:12vos amei, que também vos ameis uns aos outros. João 13:34 O meu mandamento é este:

O

meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como

Ora, o seu mandamento é este: que creiamos em o nome de seu Filho, Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, segundo o mandamento que nos ordenou. 1 João 3:2315:12 O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como C112 Visão,

O que significa “Alcançando o próximo”:

A missão da igreja é ir e alcançar a todos os homens, fazendo deles discípulos (aprendizes) de Jesus Cristo, levando-os a um íntimo relacionamento com ele, para que se tornem cada vez mais semelhantes a Jesus.

Alcançar o próximo significa evangelizar as pessoas com as quais nos re- lacionamos, a partir de nossa família (cônjuge, filhos), amigos, familiares, colegas de escola, de trabalho, vizinhos, e assim por diante.

Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. João 3:17de escola, de trabalho, vizinhos, e assim por diante. Porque o Filho do Homem veio salvar

Porque o Filho do Homem veio salvar o que se tinha perdido. Mateus 18:11mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. João 3:17 Ide por todo o

Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura Mc 16:15do Homem veio salvar o que se tinha perdido. Mateus 18:11 O que significa “Formando Discípulos”:

O que significa “Formando Discípulos”:

o propósito principal da igreja é fazer discípulos, pessoas que são seme-

lhantes a Cristo em seu caráter e obras, e que têm o espírito santo habi- tando em seus corações.

Para isso, é necessário ensinar aos novos convertidos tudo o que Jesus nos deixou.

A Comunidade da Graça tem como visão fazer de cada membro um dis-

cípulo semelhante ao seu senhor Jesus. Uma pessoa madura, capaz de amar a deus, viver em amor, também alcançando a outros, fazendo deles discípulos de Cristo.

Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século Mt. 28:19-20

A visão caracteriza a igreja

A visão comunica o que a igreja quer ser, e também os seus valores, ou seja, o que é importante para as pessoas desta igreja.

embora todas as igrejas locais das diferentes denominações tenham a mes- ma missão (ir e fazer discípulos) nem todas as igrejas possuem a mesma visão, ou seja, não cumprem a missão do mesmo modo nem se organi- zam da mesma forma.

A Comunidade da Graça respeita e aceita o modo como outras igrejas, com visões diferentes ou semelhantes, procuram cumprir o mandamento deixado pelo senhor Jesus. entretanto, a Comunidade da Graça tem sua própria identidade e sua visão, entendendo que foi dessa forma que o senhor nos chamou para cumprir com a sua vontade nesta terra.

Podemos representar a visão através da figura dos três corações, sendo o externo mais abrangente e o interno o coração do coração, ou seja, a força principal da visão.

o interno o coração do coração, ou seja, a força principal da visão. C112 Visão, Modelo

A Visão e a Logomarca

A Visão e a Logomarca C112 Visão, Modelo e Trilho de Treinamento 8

Atividade em Grupo

Após assistir ao trecho do filme que vai ser exibido, responda as perguntas abaixo juntamente com seu grupo.

o filme é baseado numa história real. Apesar das irreverências e outros detalhes que os produtores possam ter ressaltado para tornar o filme mais “vendável”, há verdades que podemos aplicar na prática.

reflita com seu grupo sobre a experiência deste médico, e identifique al- gumas lições que podemos extrair das cenas. identifique princípios que podem ser aplicados na vida prática. Faça a relação com princípios da Palavra de deus. Anote abaixo:

Como podemos aplicar estes princípios e lições à nossa vida pessoal, fami- liar e ministerial? dê exemplos práticos e reais (que envolvam ações).

Reflexão e Ação

Qual é a sua paixão?

O que você está disposto e realmente gostaria de fazer?

X Paixão é: entusiasmo muito vivo por alguma coisa; dispo- sição que ultrapassa os limites da lógica; amor que leva ao sacrifício.

existe alguma coisa bloqueando a sua paixão? o que tem impedido você de fazer aquilo que lhe apaixona?

medo?

insegurança?

Um fracasso anterior? medo de tentar de novo?

Falta de coragem? Falta de fé?

Falta de apoio? Um companheiro para ajudar?

Tempo?

A renúncia que terá que fazer?

medo de fracassar?

Qual a contribuição que você gostaria de dar ao reino de deus e que ainda não aconteceu?

sessão

2 os VAlores dA Visão

A nossa visão expressa as coisas que julgamos ser as mais importantes

no nosso relacionamento com deus e com o Próximo; são os valores que

a Palavra de deus elege como sendo as prioridades para a vida do regene- rado.

O que são valores? (1)

durante toda nossa vida fomos influenciados, ensinados e treinados, dire- ta ou indiretamente, através de:

(família, escola, trabalho, igreja);

(boas e más);

(livros, mensagens, ensinos, cursos, fil-

mes, músicas).

os relacionamentos, as idéias e as experiências formaram dentro de nós, de maneira profunda, os nossos valores.

os valores são:

• Princípios inegociáveis que orientam nossos relacionamentos.

• Características que demonstram o caráter.

• As marcas que definem o comportamento das pessoas (como agem e reagem).

nossos valores é que praticamente determinam:

Como nos

• Em que

• O que é realmente

exemplos:

com as pessoas.

para nós.

Quem valoriza o dinheiro: sempre se desgastará para acumular muito, ou trabalhando em excesso, ou fazendo negócios ilícitos, ou ambos.

Quem valoriza a família: sempre encontra tempo na semana para conversar com sua esposa e filhos. É inegociável, ou seja, não troca isso por nada.

Atividade em Grupo

relacionem no quadro abaixo as 5 coisas que deus mais valoriza e as 5 coisas que o mundo mais valoriza. Cite referências bíblicas.

O QUE DEUS VALORIZA

O QUE DEUS VALORIZA O QUE O MUNDO VALORIZA

O QUE O MUNDO VALORIZA

O QUE DEUS VALORIZA O QUE O MUNDO VALORIZA

Valores definem prioridades e práticas

os valores de uma igreja determinam as suas prioridades e as suas práticas.

X

Prioridades: aquilo que é mais importante, que vem primei- ro.

X

Práticas: aquilo que fazemos habitualmente, em função do que priorizamos.

o que fazemos está intimamente ligado aos nossos valores. do mesmo modo, o que uma igreja faz demonstra o que realmente é importante para esta igreja.

sempre fazemos primeiro (priorizamos) o que consideramos importante. e o que consideramos importante é determinado pelos nossos valores.

Portanto, se o que eu faço não é coerente (não está de acordo) com os valores que eu declaro então os meus valores são outros, não aqueles que eu declaro!

Alguns exemplos em relação a pessoas:

Vida de oração superficial.

X

Portanto, relacionamento com deus não é um valor real, apenas uma intenção.

X

eu posso até dizer que valorizo deus, mas minhas práticas negam este valor.

Eu trabalho demais.

X Portanto, dinheiro ou posição é o meu valor real.

Identificando os valores

Para descobrir nossos valores, basta prestar atenção no que gastamos:

X

X

X

nosso

nosso

nosso

descobrimos nossos valores como igreja ao identificar onde temos “gas- tado” o tempo, os recursos e os dons e talentos dos líderes e membros. Temos gastado com aquilo que realmente é importante para deus?

se uma igreja valoriza a salvação de almas, quais seriam algumas de suas prioridades e práticas?

se uma igreja valoriza o relacionamento com deus, quais deveriam ser algumas de suas prioridades e práticas?

Valores definem comportamento

As prioridades e práticas irão definir nosso comportamento, ou seja, a maneira como agimos e reagimos diante dos problemas, das pessoas, das oportunidades, dos fracassos e sucessos.

Como nós reagimos diante de algumas situações, como por exemplo:

Quando um irmão peca contra nós?

Quando alguém abandona a igreja?

Quando somos tentados?

Quando nossos filhos apresentam problemas?

Quando nos oferecem uma grande vantagem financeira em tro- ca de uma pequena ilegalidade.

Podemos dizer que valorizamos a comunhão e o relacionamento. entre- tanto, nós gastamos tempo com as pessoas?

Podemos dizer que valorizamos os perdidos. mas nós vamos atrás deles? nos interessamos em evangelizar, em multiplicar os grupos por meio de ganhar novas pessoas para Cristo?

Valorizamos relacionamento com deus, se a vida de oração, o estudo da Palavra e a comunhão com o espírito santo são atividades raras em nossas vidas?

Os Valores e a Visão da Comunidade da Graça

A Comunidade da Graça ao longo de sua história definiu os valores bíbli- cos principais que formaram as sua visão e orientam todo o seu compor- tamento, relacionamento e maneira de agir.

1. Relacionamento com Deus:

“ser cristão é acima de tudo desenvolver um relacionamento pessoal com deus através da oração, da meditação na Palavra e da comunhão com o espírito santo.”

Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará,

e viremos para ele e faremos nele morada. Quem não me ama não

guarda as minhas palavras; e a palavra que estais ouvindo não é mi- nha, mas do Pai, que me enviou. Isto vos tenho dito, estando ainda convosco; mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito. - João 14:23-26

Porém Samuel disse: Tem, porventura, o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? Eis

que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que

a gordura de carneiros. - 1 Samuel 15:22

Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhe- cidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. - Filipenses 4:6melhor do que a gordura de carneiros. - 1 Samuel 15:22 Não fostes vós que me

Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi

a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto

permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda. - João 15:16

2. Relacionamento com a família

“lares ajustados produzem uma igreja ajustada. o propósito de deus é estabelecido através de famílias transformadas que vivem em amor e ser- viço, sendo modelo para outros.”

Ora, disse o SENHOR a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei umaque vivem em amor e ser- viço, sendo modelo para outros.” C112 Visão, Modelo e Trilho

grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra. – Gê- nesis 12:1-3

A grande causa dos problemas da humanidade está no histórico fami-

liar: lares destruídos gerando crianças e adolescentes desajustados, adultos imaturos ou delinqüentes. A restauração dos relacionamentos familiares e do perdão na família são fatores de saúde e crescimento para as pessoas. Por isso família é um grande valor para a Comunidade da Graça.

Responderam-lhe: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa. - Atos 16:31família é um grande valor para a Comunidade da Graça. Deus faz que o solitário more

Deus faz que o solitário more em família; tira os cativos para a pros- peridade; só os rebeldes habitam em terra estéril. - Salmos 68:6no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa. - Atos 16:31 Assim, já não

Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos san- tos, e sois da família de Deus. - Efésios 2:19só os rebeldes habitam em terra estéril. - Salmos 68:6 3. Relacionamento com os irmãos “Viver

3. Relacionamento com os irmãos

“Viver em aliança, amor e fidelidade uns para com os outros, honrando e sujeitando-nos uns aos outros, é o que nos manterá unidos e vitoriosos.”

“Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferin- do-vos em honra uns aos outros” - Romanos 12:10.

“Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus;

todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor” - 1 João 4:7 e 8.

e

Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo. – Efésios 5:21

Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo. – Efésios 5:21

Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoan- do-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou.

Efésios 4:32

A fidelidade é uma qualidade daqueles que são verdadeiros discípulos de

Cristo.

Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por Ele instituídas” - Romanos 13:1.“O homem fiel será cumulado de bênçãos” - Provérbios 28:20a. 4. Serviço ao próximo (relacionando-se

“O homem fiel será cumulado de bênçãos” - Provérbios 28:20a.que existem foram por Ele instituídas” - Romanos 13:1. 4. Serviço ao próximo (relacionando-se com os

4. Serviço ao próximo (relacionando-se com os não cristãos)

“A compaixão e o serviço ao próximo é a chave para ganhar almas e cum- prir a grande comissão. Quem ama, serve.”

Ao desembarcar, viu Jesus uma grande multidão e compadeceu-se de- les, porque eram como ovelhas que não têm pastor. E passou a ensi- nar-lhes muitas coisas. – Mateus 6:34almas e cum- prir a grande comissão. Quem ama, serve.” Pois o próprio Filho do Homem

Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos. - Marcos 10:45E passou a ensi- nar-lhes muitas coisas. – Mateus 6:34 Queremos uma igreja que seja relevante

Queremos uma igreja que seja relevante para a sociedade onde está inse- rida, importando-se com todos, especialmente aqueles que são despreza- dos, excluídos e não conhecem a graça de deus.

o atendimento das necessidades e do direito dos pobres, necessitados e excluídos da sociedade é também papel da igreja.

O que dá ao pobre não terá falta, mas o que dele esconde os olhos será cumulado de maldições. - Provérbios 28:27e excluídos da sociedade é também papel da igreja. Respeitem os direitos dos órfãos e dos

Respeitem os direitos dos órfãos e dos estrangeiros que moram nas cidades de vocês. Não aceitem como garantia de pagamento de uma dívida a roupa da viúva a quem vocês emprestaram alguma coisa. – Dt 24:17 (NTLH)

5. Discipular/Preparar para o ministério

“A igreja deve capacitar seus membros para viver uma vida digna do evan- gelho de Cristo, atuar no serviço do reino de deus e influenciar outras pessoas, ensinando-os a guardar todas as coisas que Jesus nos ordenou.”

Cremos que o ensino ungido da Palavra de deus e a capacitação pessoal são fundamentais para o desenvolvimento de cada cristão. Cristão edifica- dos e fortalecidos irão influenciar o meio em que vivem.

E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, ou-

tros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo. Efésios 4:11-12

E lhes fez a seguinte advertência: A seara é grande, mas os trabalha-

dores são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande traba- lhadores para a sua seara. – Lucas 10:2

Atividade em Grupo

Após assistir ao trecho do filme que vai ser exibido, responda as perguntas abaixo juntamente com seu grupo.

o que a maioria daqueles médicos residentes (em treinamento) valoriza- vam? Qual era a motivação deles para estudar medicina?

Quais valores demonstrou, por seu comportamento, o médico que per- guntou o nome da paciente? Qual a motivação dele?

A missão da igreja está relacionada ao amor e compaixão por todos os

homens, sendo Jesus nosso grande exemplo.

não há métodos ou modelos que possam substituir a compaixão. Qual- quer tentativa neste sentido joga o homem num profissionalismo evangé- lico frio e sem a graça e unção de deus.

Reflexão e Ação

Qual a motivação pela qual você está fazendo este curso?

Por que você está estudando e se esforçando para aprender estas coisas na Comunidade da Graça?

o que realmente é importante para você?

Você pode pensar que tudo o que faz é certo, mas o SENHOR julga as suas intenções. - Pv 16:2

sessão

3 A Visão e A Missão

Entendendo qual é o nosso “negócio”

Peter drucker, reconhecido consultor e autor sobre liderança e negócios, costumava fazer algumas perguntas simples e profundas aos líderes das organizações. eis duas delas:

a. Qual é o seu negócio?

b. Como vai o negócio?

Por exemplo:

Qual o negócio da fábrica da Volkswagen em são Bernardo do Campo (sP)? Fazendo uma comparação simples, como se fosse uma caixa preta, o que entra e o que sai desta fábrica?

como se fosse uma caixa preta, o que entra e o que sai desta fábrica? C112

Portanto, podemos dizer que o negócio da fábrica da Volkswagen é

A segunda pergunta poderia ser formulada da seguinte maneira:

• “Como vai o negócio de fabricação (montagem) de veículos? está prosperando?” ou

• “Quantos veículos foram montados no mês passado?”

E se fosse uma igreja?

Fazendo a mesma analogia para a igreja, poderíamos perguntar: Qual é o “negócio” da igreja? o que “entra” e o que “sai” da igreja?

da igreja? o que “entra” e o que “sai” da igreja? Portanto, podemos dizer que o

Portanto, podemos dizer que o negócio da igreja é

A segunda pergunta para uma igreja poderia ser feita assim:

• “Como vai o trabalho de transformar pessoas perdidas em discí- pulos?”

• “Quantos novos discípulos de Cristo foram gerados por esta igre- ja, neste ano?”

As vezes nos preocupamos com muitas coisas na igreja, mas o mais impor- tante é ainda formar discípulos de cristo.

A missão da igreja (1)

A missão define a razão de existir de uma organização. A missão responde

à seguintes perguntas:

• Por que existimos?

• Qual o nosso propósito?

jesus tinha clara consciência de sua missão:

Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido. - Lucas 19:10propósito? jesus tinha clara consciência de sua missão: O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo

O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evan-

gelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor. – Lucas 4:18-19

Ao concluir seu ministério na terra, antes de subir aos céus, o senhor Jesus deixou claro qual é a missão de sua igreja:

Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Mc 16:15o senhor Jesus deixou claro qual é a missão de sua igreja: Ide, portanto, fazei discípulos

Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar

todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos

os dias até à consumação do século. Mt. 28:19-20

A missão da igreja, portanto, envolve duas ações práticas:

1. e

deve ficar passiva, esperando, mas tomar a iniciativa. Pregar significa dizer

abertamente, expor sua opinião e experiência.

: significa que a igreja (nós), não

2.

ordenou em sua Palavra.

discípulos

o que Jesus nos

A palavra discípulo significa ser um aprendiz. Tal como Jesus, nós deve-

mos ensinar a outros, porque fazer discípulos é essencialmente um rela- cionamento entre duas pessoas.

discipulado não é ensino em sala de aula. ensino nesta passagem, signi- fica instruir a outro a partir do exemplo pessoal e de seu relacionamento pessoal com deus.

Ensinar e aprender é um relacionamento, não uma técnica.

Jesus ordenou a sua igreja que fizesse o mesmo que ele fez, que apenas seguisse os seus passos.

entretanto, para fazermos isso de coração, do íntimo, nós devemos tam- bém valorizar as mesmas coisas que Jesus valorizou, e priorizá-las da mes- ma forma.

sessão

4 Modelo ide

Como alcançar a visão e cumprir a missão?

A visão é uma imagem do futuro, algo que deve ser perseguido com perse- verança. ela representa um lugar aonde se quer chegar.

Como se faz para chegar lá? É preciso ter um caminho, uma rota, uma estratégia.

Porém antes de definir uma estratégia, temos que saber o que é importan- te para esta visão se concretizar, ou seja, os “fatores de sucesso” ou vitais.

concretizar, ou seja, os “fatores de sucesso” ou vitais. Podemos dizer que os fatores de sucesso

Podemos dizer que os fatores de sucesso são as coisas mais importantes que devem ser realizadas com perseverança para conquistarmos a visão. estes fatores de sucesso podem ser descobertos ao estudarmos:

o modelo de igreja do novo testamento;

a missão da igreja dada por Jesus em mt. 28:18-20;

e a declaração de visão.

no caso da igreja, que é um corpo vivo (1 Co. 12), seria equivalente a descobrir quais seriam as funções vitais que essa igreja-corpo precisa para sobreviver.

Tal como no corpo humano, alguns órgãos são mais vitais que outros. Por exemplo, podemos viver sem o baço, mas não podemos viver sem o fíga- do, o coração, o cérebro, etc.

Fatores de Sucesso, portanto, são as ações e estruturas que devem existir e funcionar, caso contrário a visão não será atingida.

os fatores de sucesso se baseiam na missão e nos valores da organização.

Atividade em Grupo

reunidos com seu grupo, pensem em quais seriam os fatores de sucesso para atingirmos a nossa visão. liste abaixo:

Nossos fatores de sucesso ou FUNÇÕES VITAIS

dentre os muitos fatores que podemos pensar, é possível agrupá-los em pelo menos 8 categorias, conforme abaixo:

os ítens acima denotam ações práticas, que se podem ver, fazer e medir.

O modelo

os fatores de sucesso vão nos orientar sobre o que e como fazer para atingir a visão. A esse “como fazer” nós chamamos estratégia.

estratégia pode ser definido como “planos e métodos para conquistar um objetivo.”

o objetivo é a visão.

o plano ou método é o modelo.

Portanto O MODELO é a estratégia que usamos para atingir a VISÃO.

de acordo com o dicionário Aurélio, modelo é:

Aquilo que serve de exemplo ou norma;

Aquele a quem se procura imitar nas ações, no procedimento, nas maneiras, etc.

Pessoa ou ato que, por sua importância ou perfeição, é digno de servir de exemplo.

objeto destinado a ser reproduzido por imitação.

o modelo de uma igreja define sua:

organização

estrutura de liderança

Administração

maneira de exercer a missão e atingir a visão

existem vários modelos, e muitos deles têm seus nomes e siglas. Por exem- plo: modelo tradicional, modelo em células, mdA, G12, modelo 5 por 5, modelo “apostólico”, etc.

A palavra modelo tem sido comumente utilizada no meio evangélico para

definir a estratégia que uma igreja usa para se organizar, formar discípulos e líderes.

O modelo IDE

A Comunidade da Graça definiu um modelo com o objetivo de preparar cada membro da igreja local à se tornar um cristão maduro, e também para formar os seus líderes. Batizamos nosso modelo de ide, que significa:

Integrar

Desenvolver

Enviar

o ide representa o percurso que uma pessoa faz no momento em que inicia sua vida cristã:

A pessoa primeiramente é integrada no corpo de Cristo, que é a igreja.

depois ela é ensinada a viver conforme os princípios da Palavra de deus, a desenvolver sua vida cristã, vivendo de acordo com os princípios da Palavra de deus.

A seguir ela é treinada para também ensinar a outros, ou seja, é enviada para ir e FAZer discípulos.

Tudo isso é feito no contexto da igreja local, dos grupos GCem e Gd e do discipulado individual.

da igreja local, dos grupos GCem e Gd e do discipulado individual. C112 Visão, Modelo e

O que é “Integrar”?

integrar (dicionário Aurélio):

X

juntar-se, tornando-se parte integrante;

X

reunir-se, incorporar-se; adaptar-se.

integrar compreende evangelizar o não cristão e firmá-lo na fé em Cristo.

os objetivos do inTeGrAr são:

1. levar a pessoa a uma real experiência de novo nascimento.

2. levá-la a experimentar o batismo no espírito santo.

3. integrá-la nos cultos e no GCem, iniciando o discipulado pes- soal.

4. incentivá-la a ganhar outros para Cristo.

As atividades desenvolvidas durante o inTegrAr são:

1. Evangelizar: a pessoa decide que deseja entregar sua vida a Cristo.

2. Criar vínculos: o processo de se relacionar com a pessoa e con- quistar sua amizade, que inclui:

X

Preencher Ficha de integração ou de visitante;

X

Contato por telefone e visita;

X

Trazê-la para um GCem;

3. Encontro Bem-Vindo à Família: para experimentar liberta- ção do poder das marcas e das cadeias do pecado.

4. Batismo nas águas: testemunhando publicamente sua fé e nova vida em Cristo.

5. Batismo no Espírito Santo: ser cheio do espírito e desfrutar da intimidade com deus e a direção do espírito.

6.

Trilho de Treinamento (Pg. 47), com as metérias:

Visão da Comunidade da Graça: compartilhar a visão da Comunidade da Graça para que ela saiba o que é a igreja e como vai desenvolver sua nova vida cristã.

Formando Discípulos: compartilhar com a pessoa os funda- mentos da vida cristã através da apostila “Formando discípulos”. Pode-se aproveitar a oportunidade para estreitar os laços de disci- pulado individual com esta pessoa.

Todo este trabalho é desenvolvido com muita orAÇão. A oração deve fazer parte contínua de todo o processo. sem oração e intercessão é muito difícil uma pessoa permanecer na igreja.

O que é “Desenvolver”?

desenvolver (dicionário Aurélio):

X

fazer crescer;

X

fazer que progrida, melhore;

X

tornar mais forte;

X

progredir intelectualmente; instruir-se.

os objetivos do “desenVolVer” são:

1. Ensinar os princípios básicos para uma vida bem sucedida (pessoal, familiar, social, profissional e ministerial).

2. Discipulado um a um: pastorear a pessoa individualmente (desenvolvendo relacionamento intencional), ensinando de ma- neira prática como aplicar em sua vida os princípios que tem aprendido.

3. Identificar dons e talentos: levar a pessoa a descobrir seu chamado pessoal, os dons e talentos que deus lhe deu para servir ao próximo.

As atividades do “desenvolver”:

1. Ensino sobre os fundamentos da vida cristã, seja em gru- po, encontros ou “oficinas”, sobre os seguintes temas:

X

Preparação para o casamento (noivos)

X

namoro

X

relacionamento conjugal

X

educação de filhos

X

Finanças

2. Discipulado um a um: cada membro deve se relacionar com um discipulador. o discipulador é um cristão mais maduro que pode orientá-lo a como a viver a vida cristã a partir do que está aprendendo. Para isso cada um deve estar participando de GCem ou Gd.

3. Vida devocional - oração e meditação na Palavra: para cres- cer é preciso que a própria pessoa desenvolva a intimidade com deus através da oração e estudo da bíblia.

O que é “Enviar”?

enviar (dicionário Aurélio):

X

encaminhar;

X

conduzir;

X

mandar (alguém) em missão, guiar.

Antes de mandar alguém em missão, é preciso prepará-lo devidamente. Por isso, os objetivos do enViAr são:

1. Treinar para a liderança: preparar a pessoa para exercer função específica no corpo de Cristo: líder de GCem, supervi- sor, pastor de área, pastor de igreja local, ministro de louvor, etc.

2.

Fazer outros discípulos: capacitar a pessoa a ganhar almas e fazer discípulos, ensinando a outros o que já aprendeu e experi- mentou.

3. Discipulado mais profundo: aquele que vai liderar ou- tros precisa ter um relacionamento mais profundo e aber- to com seu discipulador. deve ser capaz de receber con- frontação, ter alto nível de confiança e fidelidade, em verdadeira aliança.

Todos os esforços são feitos no sentido de preparar e enviar esta pessoa para o serviço no reino de deus, nas áreas para o qual ela tenha chamado e dons dados por deus (com os grupos, no evangelismo, no ensino, mis- sões, ação social, política, música, comunicação, etc.).

nosso desejo é fazer de cada membro um ministro, capaz de servir no rei- no de deus segundo o chamado que ele deu a cada um.

As atividades do “enViAr “ são:

1. Treinamento no Programa de Formação de Dirigentes de GCEM do CTL, e outros programas que venham a fazer par- te do trilho de treinamento.

2. Participar de um GD: entrosado na liderança da igreja local, sendo discipulado individualmente por outro líder.

3. Liderar um GCEM (ou GD) e discipular a outros ensinan- do o que aprendeu e multiplicando o grupo e o ministério que recebeu do senhor.

4. Vida devocional profunda com deus, aprendendo a discer- nir a voz do espírito santo e ministrar a outras pessoas com sa- bedoria.

em todas estas etapas há diferentes níveis de intensidade, conforme a ma- turidade da pessoa. mas o mais importante é que, nesta fase do modelo, as pessoas já estão ensinando e ajudando a outras, ou seja, não ficam “es- quentando banco”.

E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Separai- me, agora, Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então, jejuando, e orando, e impondo sobre eles as mãos, os despedi- ram. Enviados, pois, pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre. – Atos 13:2-4

Visão geral do Modelo IDE

o ide é algo progressivo. Começa com o não cristão e termina com um

líder que também gera outros para Cristo.

Podemos comparar o ide ao modelo geral de cinco passos geralmente usado pelas igreja em células, conforme abaixo:

Integrar

Desenvolver

Enviar

ganhar

Consolidar

edificar

Treinar e enviar

embora as igreja em células representem de maneira diferente o seu mo- delo, eles todos procuram cumprir a grande comissão deixada por Jesus: ir e fazer discípulos, ensinando tudo o que ele nos ordenou.

O que é discipulado?

o discipulado foi o método adotado por Jesus para preparar seus discípulos.

X

discipulado: aprendizado, prática, condição de discípulo.

X

discípulo: aquele que recebe ensino de alguém, aquele que aprende, aquele que segue as idéias ou doutrinas de ou- trem.

Fazer discípulos ou discipular é o mesmo que mentorear, guiar, aconse- lhar, ensinar.

Discipular não é:

Controlar a vida de alguém, dar ordens;.

Colocar outra pessoa como servo de seus interesses ou projetos pessoais;

ser responsável pelos atos de outra pessoa;

Forçar sua opinião sobre outra pessoa;

Forçar sua autoridade sobre seu discípulo;

Um relacionamento de patrão e empregado.

Mas discipular é:

Amar ao ponto de confrontar em amor seu discípulo;

as atitudes erradas do

servir a outro para que atinja seus objetivos;

Ajudar o outro a assumir as responsabilidades pelos seus atos;

Ampliar a visão do seu discípulo com novas idéias e pensamen- tos;

esperar que o discípulo coloque-se sob sua autoridade e deseje ouvi-lo;

Um relacionamento de amizade.

Ser discipulado não significa:

Transferir a responsabilidade de seus atos para outra pessoa;

ser dependente de outra pessoa para tudo o que tem que fazer;

Anular a si mesmo para fazer a vontade de outro;

sempre concordar com o discipulador.

Mas ser discipulado é:

Consultar voluntariamente o conselho do discipulador antes de tomar decisões.

ser humilde e dar satisfação voluntária de suas atitudes;

servir ao próximo segundo seus recursos e capacidade.

Temer a deus e sua Palavra e ousar confrontar em amor os líderes quando for necessário.

Cristo em nós: o coração de todos os corações

o GCem e o Gd expressam a vida da igreja local porque representam uma

parte vital da mesma. os grupos são uma maneira de facilitar o relaciona- mento e o discipulado. É através dos grupos que é possível:

Vincular as pessoas à igreja mais facilmente;

integrar as pessoas na vida da igreja;

descobrir novos líderes e treiná-los “na prática”;

Promover o discipulado;

Cuidar das ovelhas, amando-as e servindo-as.

não podemos idolatrar o grupo ou achar que é uma fórmula para cres- cimento. o grupo é o coração enquanto cumprir seu papel de ajudar a formar Cristo dentro das pessoas.

o coração do grupo é o discipulado um a um. mas também poderíamos

dizer que o coração do discipulado um a um é a intimidade com o se- nhor Jesus

somente quando Cristo vive em nós é que somos realmente discípulos e podemos discipular alguém.

Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cris- to vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim. - Gálatas 2:20

A ele quis Deus dar a conhecer entre os gentios a gloriosa riqueza deste mistério, que é Cristo em vocês, a esperança da glória. Nós o pro- clamamos, advertindo e ensinando a cada um com toda a sabedoria, para que apresentemos todo homem perfeito em Cristo. Para isso eu me esforço, lutando conforme a sua força, que atua poderosamente em mim. - Colossenses 1:26-29

a sua força, que atua poderosamente em mim. - Colossenses 1:26-29 C112 Visão, Modelo e Trilho

O modelo IDE e os níveis de discipulado

o segredo do discipulado é que o discípulo deve desejar ser discipulado por outra pessoa. não podemos ir entrando na vida das pessoas grosseira- mente, sem permissão. Por isso, dizemos que o discipulado é um processo que vai amadurecendo com o tempo.

Quanto mais profundo o relacionamento, mais profundo o discipulado.

não temos o direito de invadir a vida das pessoas e tocar em suas intimi- dades. o discípulo deve estar preparado e desejar abrir seu coração, para receber ministração, cura e orientação.

Assim sendo, para entender melhor este processo, nós o classificamos em três níveis, associados com os três passos do modelo ide.

Uma pessoa pode mudar de discipulador no decorrer de seu crescimento espiritual. Pode ser que ela inicie com alguém, depois seja discipulado por outro durante um tempo, e quando chegar na liderança, tenha ainda um terceiro discipulador. isto é possível, mas não obrigatório.

A essência do discipulado está nas palavras finais de Jesus aos seus discípu- los, na última ceia, após andarem juntos por mais de três anos:

Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos. Vós sois meus amigos, se fazeis o que eu vos mando. Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer. - João 15:13-15

Nível I: Discipulado inicial - cuidando dos filhinhos

Nível I: Discipulado inicial - cuidando dos filhinhos Um cristão mais maduro ajuda um mais novo:

Um cristão mais maduro ajuda um mais novo:

integrando-o num GCem;

Acompanhando-o no encontro Bem-Vindo, batismo, até se fir- mar na fé;

mantendo contato telefônico, orando sempre por ele, incenti- vando-o a buscar a deus.

explicando a visão da igreja e como ele pode desenvolver sua nova vida em Cristo.

incentivando-o a ganhar outros para Cristo.

ensinando os primeiros passos da vida cristã.

levando o discípulo a buscar e experimentar o batismo no espí- rito santo e desenvolver uma vida de oração e leitura a Palavra.

Nível II: Discipulado de crescimento: ensinando a viver em vitória

Discipulado de crescimento: ensinando a viver em vitória há um relacionamento mais profundo de amizade e

há um relacionamento mais profundo de amizade e companheirismo en- tre discípulo e discipulador.

o discípulo aprende os princípios básicos sobre namoro, noiva- do, família, filhos, finanças, entre outros.

o discípulo abre sua vida para o discipulador, procurando ajuda nas áreas onde é fraco. o discipulador ajuda o discípulo a prati- car o que aprendeu.

o discipulador deve ter sensibilidade à necessidade de seu dis- cípulo. se não tiver condições de ajudá-lo, deve procurar ajuda com seu próprio discipulador, mediante consentimento de seu discípulo.

oração e jejum juntos para buscar a deus a vitória para as neces- sidades do discípulo

Nível III – Discipulado para liderança: formando discípulos e li- derando outros

para liderança: formando discípulos e li- derando outros • o discípulo é pelo menos um auxiliar

o discípulo é pelo menos um auxiliar de grupo e participa de um Gd.

o discípulo já está discipulando a outros, ensinando o que apren- deu.

ele está sendo treinado no CTl.

há um nível de amizade profunda entre discípulo e discipulador. Um relacionamento de interdependência, grande abertura para confrontação, confissão de pecados, oração.

Juntos, discipulador e discípulo trabalham na formação de ou- tros líderes.

este nível de discipulado demanda grande maturidade do discipulador e do discípulo, pois a aliança será posta à prova: aliança com deus, com a visão, com o pastor da igreja e com seu discipulador.

Atividade em Grupo

reunidos com seu grupo, assistam ao filme e depois discutam as questões abaixo:

o que aconteceu com os garotos? Qual foi a idéia que os assustou?

Para que serve um trilho? o que podemos aprender ao observar o trilho e a ferrovia?

Fazendo uma comparação do trem e dos trilhos com uma igreja local, pro- curem identificar o que seria cada um dos elementos abaixo:

 

Comparação entre o trem e trilhos e a igreja local

o

trilho

 

os vagões

 

A

máquina que puxa os

 

vagões

o

combustível (lenha,

 

diesel, eletricidade)

sessão

5 Trilho de TreinAMenTo

O que é um trilho?

Trilho (dicionário Aurélio):

X

Caminho, vereda, rumo, direção.

X

A superfície de rolamento de uma via férrea.

o trilho lembra a idéia de um trem que se desloca somente para

frente, dentro de um caminho previamente traçado. Ao longo do cami- nho há várias estações por onde passa o trem.

Ao definirmos um trilho de treinamento, queremos definir um caminho que o novo cristão irá percorrer no seu desenvolvimento como cristão.

Ao longo deste caminho há várias etapas que precisam ser vencidas. As etapas compreendem a vida pessoal, familiar, profissional e ministerial.

o modelo IDE é a base do trilho, sendo que nas estações i, d e e encontra-

mos as diversas estações pelas quais os “viajantes” devem passar.

nosso desejo é que cada membro siga por este percurso, cumprindo com

as várias etapas de treinamento e se tornando um “obreiro aprovado” e

“preparado para toda boa obra”.

na medida em que caminha pelo trilho, a pessoa vai amadurecendo:

X

no relacionamento com deus

X

no conhecimento da Palavra de deus

X

no relacionamento com os irmãos

X

no relacionamento familiar

X

no discipulado

o trilho é divido em três partes, conforme o modelo:

Trilho I:

Início da vida cristã.

Trilho D:

Desenvolvendo a maturidade.

Trilho E:

Formação de líderes

Trilho I - Integração

inicia a partir do momento que expressa o desejo de entregar sua vida a Cristo e servir a deus. Geralmente ele é contatado através da ficha de integração ou de visitantes, e recebe o livrete Bem- Vindo à igreja-Família (mais detalhes no curso integração)

durante este período o novo convertido:

X

Participa do encontro de libertação (Bem-Vindo à Família);

X

É batizado nas águas.

X

Aprende a visão da igreja

X

É instruído nos princípios básicos da vida cristã;

os seguintes materiais de treinamento são utilizados na fase de integração:

materiais de treinamento são utilizados na fase de integração: C112 Visão, Modelo e Trilho de Treinamento

Trilho D - Desenvolver

Pode iniciar com Finanças, namoro ou noivos para os jovens; para os casados pode iniciar também com finanças, relaciona- mento conjugal e depois educação de filhos.

os cursos deste trilho devem ser utilizados conforme a real ne- cessidade das pessoas envolvidas material de relacionamento conjugal é ministrado dentro de um programa especial desenvol- vido pelo ministério com famílias da comunidade local.

os materiais deste trilho estão em constante aperfeiçoamento e novos estão sendo desenvolvidos.

há dois materiais desenvolvidos pelo ministério mulheres inter- cessoras que também podem ser utilizados nesta fase para desen- volver o caráter do cristão - o papel da mulher e como desenvol- ver uma vida de oração.

cristão - o papel da mulher e como desenvol- ver uma vida de oração. C112 Visão,

O Trilho Enviar

esta parte do trilho de treinamento visa formar líderes para atuar na igreja local.

É formado por um programa de treinamento com 13 cursos, cha- mado de “Programa de Formação de dirigentes de GCem.” o conteúdo do programa é dividido em 3 volumes, conforme mos- trado abaixo. o conteúdo do programa inclui:

X

Caráter Cristão e Valores

X

regeneração

X

Vida no espírito santo

X

oração e Vida devocional

X

saúde emocional

X

Prioridades da vida cristã e uso do tempo

X

Panorama bíblico

X

Formação de líderes e discipulado

X

Princípios da vida Cristã (As Bem-Aventuranças)

X

Visão, modelo e Trilho de Treinamento

X

Como liderar um GCem (manual do GCem)

X

evangelismo e integração

X

Aconselhamento

X

Construindo relacionamentos

X

Fé e Finanças

o pré-requisito para ser treinado neste trilho é ter concluído o trilho i e d.

para ser treinado neste trilho é ter concluído o trilho i e d. C112 Visão, Modelo

Como usar o Trilho de Treinamento

Para que o trilho de treinamento funcione, é preciso que três condições essenciais sejam satisfeitas. sem elas corre-se o risco de não obter os re- sultados esperados. são elas:

Os participantes devem estar envolvidos nos três corações:

igreja local, grupo e discipulado. Uma pessoa não consegue aprender sozinha, ela precisa de outras, que possam encorajá-la, ser exemplo, e interceder por ela. ela precisa ser acompanhada por outra pessoa mais madura. O discipulado pessoal e a ora- ção são os fatores mais importantes de todo o trilho de treinamento.

Facilitadores treinados: os que vão ministrar os cursos e ma- teriais devem ser treinados na metodologia do material e devem ter participado previamente dos cursos e treinamentos.

Ministrar o material de acordo com o método: se você en- sinar a coisa certa do jeito errado, as pessoas não irão aprender e não serão realmente transformadas. o método assegura que os participantes terão uma experiência mais profunda e conectada com a realidade de suas vidas. o método enfatiza o relaciona- mento, o trabalho em grupo e compartilhar o que entendeu.

na maioria das vezes, usamos métodos errados, materiais errados, e abor- dagem errada dos participantes, ainda que o conteúdo esteja certo.

isso faz com que os resultados sejam muito medíocres e as pessoas sintam que realmente não aprenderam, porque não conseguiram mudar.

Atividade em Grupo

Após assistir às cenas do filme, conversem sobre a história dos garotos so- nhadores. Que lições podemos tirar da experiência de vida dos garotos?

Como você pode aplicar estes princípios em sua vida pessoal, familiar, ministerial?

Conclusão

o trilho de treinamento é um plano de ações práticas para desenvolver-

mos o modelo ide. não deve ser considerado como uma mera leitura de

apostilas ou ensino em sala de aula.

os materiais foram desenvolvidos com o objetivo de serem ministrados de maneira interativa e participativa. Pessoas aprendem com pessoas. de- vemos lembrar que o mais importante é ter um mentor, um discipulador, que acompanhe você no desenvolvimento de sua nova vida cristã.

o objetivo do modelo ide é criar um roteiro para ajudar o membro da Co-

munidade da Graça a desenvolver a sua vida cristã. não deve ser encarado como uma lei ou uma “escola”.

o processo de passar por todas as fases pode levar alguns anos. o mais im-

portante não é fazer tudo como se fosse um curso, mas ser transformado pela Palavra de deus e pelo espírito santo na medida em que caminha e aprende coisas novas.

Bibliografia

1. ComUnidAde dA GrAÇA. Desenvolvendo a Liderança Pes- soal. são Paulo, 2006.

2. hUBer, Abe. A visão da igreja em células e o modelo do MDA. igreja da Paz de santarém. santarém, 2002.