Você está na página 1de 33

Alcorão

Introdução
A palavra Alcorão na língua árabe significa leitura, recitação
e foi definida pelos sábios como sendo a palavra de Deus
revelada ao profeta Muhammad ( Que a paz esteja com
ele ), que tem na sua recitação uma forma de adoração,
iniciado pela surata da Abertura e encerrado pela surata dos
Humanos, um milagre no seu texto e no seu significado e
passado para nós através de gerações.

O Alcorão é dividido em 114 suratas e é formado de um total


de 6.342 versículos, 77.930 palavras e 323.670 letras.

O Alcorão sofreu duas descidas, a primeira se deu na noite


do decreto quando Ele desceu da tábua preservada no
sétimo céu até o primeiro céu, diz Deus o Altíssimo "Pelo
Livro lúcido. Nós o revelamos durante uma noite bendita,
pois somos Admoestador" (44:2 e 3) e diz "O mês do
Ramadan foi o mês em que foi revelado o Alcorão,
orientação para a humanidade e evidência de orientação e
Discernimento." (2:185) e diz ainda "Sabei que o revelamos
(o Alcorão ), na Noite do Decreto." (97:1), já a segunda
descida que se deu do primeiro céu até a terra foi feita por
intermédio do anjo Gabriel e foi feita em partes. O Alcorão
foi revelado ao profeta Muhammad ( Que a paz esteja com
ele ) durante 23 anos no decorrer dos quais os versículos
eram revelados de acordo com as situações e com as
necessidades, o que facilitava a sua memorização. Os
primeiros versículos revelados foram " Lê, em nome do teu
Senhor Que criou; Criou o homem de algo que se agarra.
Lê, que o teu Senhor é Generosíssimo, Que ensinou através
do cálamo, Ensinou ao homem o que este não sabia." ( 96 :
1 à 5 ) e isto se deu no dia 17 de Ramadan quando o profeta
tinha 40 anos e o último versículo a ser revelado foi " E
temei o dia em que retornareis a Deus, e em que cada alma
receberá o seu merecido, sem ser defraudada." ( 2 : 281 ) e
se deu a sua revelação 9 noites antes do falecimento do
profeta. Já o versículo " Hoje, completei a religião para vós;
tenho vos agraciado generosamente, e vos aponto o Islam
por religião." ( 5 : 3 ) foi o último versículo referente as leis a
ser revelado.

A preservação do Alcorão.
Sempre que o profeta ( Que a paz esteja com ele ) recebia
uma revelação, ele chamava os seus escribas para
anotarem os versículos, ensinava as pessoas que iam
memorizando esses versículos e mostrava o local onde cada
qual deveria ser encaixado.

Na época do califa Abu Baker, faleceram 70 pessoas que


tinham memorizado o Alcorão como mártires na batalha de
Iamama. Isso fez com que Omar sentisse a necessidade de
se juntar o Alcorão num único volume para que este fosse
preservado. Então ele conversou com o califa a esse
respeito, que hesitou a principio, mas depois percebeu que
Omar estava com a razão. Então ele convocou Zaid ibn
Thabit que era um dos escribas do profeta para que fosse o
responsável por essa tarefa. Zaid também hesitou no
primeiro instante, sendo mais tarde convencido da
necessidade de se tomar essa providência. Zaid começou a
juntar o que os escribas do profeta haviam anotado nas
folhas de tamareiras, nas omoplatas dos animais e etc... ,e o
que as pessoas haviam memorizado. Sabendo da
responsabilidade que pesava nas suas costas ele não
aceitava nenhum versículo, antes que duas pessoas
testemunhassem ter ouvido tal versículo do profeta. E assim
se deu a primeira compilação. Esse primeiro livro ficou
guardado com o califa Abu Baker, e depois da sua morte
com o seu sucessor Omar e após este falecer ficou aos
cuidados de sua filha a mãe dos crentes Hafsa (esposa do
profeta).

Na época do terceiro califa Othman, Husaifa ibn al Iaman


estava lutando na Armênia e no Azerbaijão quando
percebeu a divergência das pessoas em relação a pronuncia
do Alcorão ( divergência essa fruto da expansão do Islam e
da consequente entrada de estrangeiros que não conheciam
o idioma árabe.) então ele se apressou em comunicar este
fato ao califa que pediu a Hafsa o livro que estava sobre os
seus cuidados e convocou Zaid ibn Thabit, Said ibn al Ass,
Abd al Rahman ibn al Harith ibn Hicham e Abdulah ibn al
Zubeir para que fizessem cópias desse livro.

Foram feitas seis cópias que foram enviadas para as


respectivas regiões.

Particularidades do Alcorão.
1. O seu texto e o seu significado vem de Deus, ao anjo
Gabriel só coube levar essa mensagem ao profeta e
ao profeta Muhammad ( Que a paz esteja com ele )
só coube receber, preservar , transmitir essa
mensagem para as pessoas e explicar o que
necessitava de explicação. Diz Deus o Altíssimo: "
Certamente ( este Alcorão ), é uma revelação do
Senhor dos mundos. Com ele desceu o Espírito Fiel,
Para o teu coração, para que sejas um dos
admoestadores, Em elucidativa língua árabe." ( 26 :
192 à 195 ) e diz: " E a ti revelamos a Mensagem,
para que elucides os humanos, a respeito do que foi
revelado, para que meditem." ( 16 : 44 ) . E é essa
particularidade a diferença entre o Alcorão e as
tradições do profeta visto nas tradições os
significados serem de Deus e o texto do profeta, diz
Deus o Altíssimo: " Nem fala por capricho. Isso não é
senão a revelação que lhe foi revelada." ( 53 : 3 e 4 ).
2. O Alcorão foi revelado na língua árabe e como
dissemos anteriormente o seu texto e o seu
significado vem de Deus, por isso qualquer
explicação que venha a ser feita a cerca de um ou
mais versículos na língua árabe não é considerado
Alcorão e sim é chamado de Tafssir ( exegese ). O
mesmo acontece com as traduções, por mais
perfeitas e precisas que essas possam parecer, elas
não são chamadas de Alcorão e sim de explicações
dos significados do Alcorão.
3. Outra particularidade do Alcorão é a facilidade. Deus
facilitou a sua recitação, a sua memorização, o seu
entendimento e a pratica dos seus ensinamentos, diz
Deus o Altíssimo: " Em verdade, facilitamos o
Alcorão, para a admoestação." " Em verdade,
facilitamos o Alcorão para a recordação." ( 54 : 17 e
22 ) e diz " Em verdade, temos - te facilitado ( o
Alcorão ) em tua língua para que meditem." ( 44 :
58 ). E como consequência dessa facilidade vemos
homens, mulheres, velhos, crianças, árabes e não
árabes ( mesmo que não saibam nada acerca do
idioma árabe ), todos memorizando esse Livro e
recitando os seus versículos nas suas casas, nas
mesquitas e onde mais desejam.
4. O Alcorão é a última das mensagens reveladas por
Deus, por isso Ele é destinado a toda a humanidade e
é válido em todas as épocas, as suas leis são sempre
atuais. Ele continua da mesma forma em que foi
revelado ao profeta, sem que se alterasse uma única
letra, pois Deus se responsabilizou em preserva - Lo,
diz Deus o Altíssimo: " Nós revelamos a Mensagem e
somos o Seu Preservador." ( 15 : 9 ) e diz: " Este é
um Livro veraz por excelência. A falsidade não se
aproxima dele ( o Livro ), nem pela frente, nem por
trás; é a revelação do Prudente, Laudabilíssimo."
( 41 : 41 e 42 ) .
5. Outra particularidade é a abrangência. O Alcorão
abrange todos os aspectos da vida. Ele trata da
crença, das virtudes morais, do comportamento, das
leis comerciais, das relações internacionais, da
política interna, das relações familiares e etc... . Ele
não foi destinado a um povo específico ou a um
determinado grupo de pessoas, ele foi destinado a
toda humanidade, diz Deus o Altíssimo: " O mês de
Ramadan foi o mês em que foi revelado o Alcorão,
orientação para a humanidade." ( 2 : 185 ) e diz: "
Certamente, não é mais do que uma mensagem, para
os mundos." ( 81 : 27 ) e diz: " Temos - te revelado,
pois, o Livro, que é uma explanação de tudo, é
orientação, misericórdia e alvíssaras para os
muçulmanos ( submissos à vontade de Deus )."
(16:89).
6. O Alcorão é o maior milagre do profeta Muhammad
( Que a paz esteja com ele ), é um milagre em todas
as épocas, e como prova disso Deus desafiou os
gênios e os humanos a apresentarem algo
semelhante ao Alcorão, diz Deus o Altíssimo: " Dize -
lhes: Mesmo que os humanos e os gênios se
tivessem reunido para produzir coisa similar a este
Alcorão, jamais teriam feito algo semelhante, ainda
que se ajudassem mutuamente." ( 17 : 88 ) e diz: " Ou
dizem: Ele o forjou! Dize: Pois bem, apresentai dez
suratas forjadas, semelhantes às dele, e pedi ( auxílio
), para tanto, a quem possais, em vez de Deus, se
estiverdes certos." ( 11 : 13 ) e diz ainda: " E se
tendes dúvidas a respeito do que revelamos ao
Nosso servo e adorador ( Muhammad ), componde
uma surata semelhante às dele ( o Alcorão ), e
apresentai as vossas testemunhas, independente de
Deus, se estiverdes certos. Porém, se não o fizerdes -
e certamente não podereis fazê - lo temei, então, o
fogo infernal cujo combustível serão as pessoas e os
ídolos; fogo que está preparado para os incrédulos."
( 2 : 23 e 24 ). Ele veio com uma mensagem que
anulava toda crença politeísta, anulando assim a
crença do seu povo e dizia que o Alcorão era
revelado por Deus, por isso eles se esforçaram de
todas as formas para provar que o profeta era um
mentiroso, um farsante, para que assim pudessem
defender a sua crença. E com tudo isso não
conseguiram criar algo semelhante ao Alcorão, e
esse desafio continua de pé até hoje. O milagre
alcorânico não é limitado a um único aspecto, mas
abrange vários pontos, e é consenso o fato de que a
mente humana não conseguiu até agora abranger
todos os ângulos desse milagre, e cada vez que se
aumenta a análise em cima dos versículos do
Alcorão, se descobrem novos pontos antes
desconhecidos. O Alcorão é um milagre na sua
eloquência a esse respeito disse um dos coraixitas "
Por Deus nenhum de vocês sabe mais a respeito de
poesia do que eu e nem sabe mais a respeito da
composição da poesia do que eu. Por Deus o que ele
( o profeta ) diz não se assemelha a nada disso. Por
Deus o que ele diz é de uma imensa beleza e de uma
suavidade que prende a atenção, a sua parte mais
elevada da frutos e a sua parte mais baixa é puro
refinamento, nada o supera e ele destrói o que está
abaixo dele." e disse Aníss para o seu irmão Abi Zar "
Encontrei um homem em Makka que é da sua religião
e que diz ter sido enviado por Deus. " Então eu ( Abi
Zar ) disse : " E o que as pessoas dizem a seu
respeito? " " Dizem que ele é um poeta, um adivinho e
um mago." e Aníss era um poeta e disse: " Ouvi o que
os adivinhos costumam dizer e o que ele diz em nada
se assemelha a isso e pedi a opinião dos poetas a
respeito dele ( o Alcorão ) e nenhum deles disse ser
poesia. Por Deus o que ele diz é a mais pura verdade
e o que eles dizem a seu respeito é tudo mentira".
Outro ponto que chama a atenção é o fato de não
haver mudanças de estilo e nem contradições nesse
Livro. Nenhuma mente humana poderia escrever um
livro durante vinte e três anos sem que se percebesse
mudanças no seu estilo, mudanças essas vindas em
decorrência do amadurecimento, do aperfeiçoamento
e das diversas experiências vividas pelo autor, por
acaso os grandes escritores como Carlos Drumond
de Andrade, Vinícius de Morais e Fernando Pessoa
não passaram por diversas fases no decorrer das
suas vidas literárias? E como explicar a ausência de
contradições num Livro que foi revelado em partes,
sendo revelados alguns versículos de um capítulo, e
em seguida versículos de um outro capítulo, e em
seguida um capítulo inteiro? O Alcorão contém
verdades científicas que só foram descobertas
recentemente, fatos relacionados com a criação do
universo, fatos ligados a astronomia, o ciclo das
águas, os mares, os reinos vegetal e animal e a
reprodução humana entre outros, eis aqui alguns
exemplos: a) Quem poderia imaginar que os céus, as
estrelas e os planetas são originados por gases, pois
bem a ciência com o desenvolvimento de aparelhos
descobriu que a origem do universo se deu através
de gases e que ainda há estrelas se formando com o
que resta desses gases, diz Deus no Alcorão "Então,
abrangeu, em Seus desígnios, os céus quando
esses ainda eram gases, e lhes disse, e também à
terra: Juntai-vos, de bom ou de mau grado!
Responderam: Juntamo-nos voluntariamente."
(41:11). b) Os cientistas descobriram que ainda há
estrelas nascendo e que as constelações estão se
afastando umas das outras e como conseqüência o
universo continua se expandindo, diz Deus o
Altíssimo "E construímos o firmamento com poder e
perícia, e Nós o estamos expandindo." (51:47). c)
Os cientistas descobriram que o brilho da lua, nada
mais é do que o reflexo da luz do sol, diz Deus o
Altíssimo "Fizemos da noite e do dia dois exemplos;
enquanto obscurecemos o sinal da noite, fizemos
o sinal do dia para iluminar-vos, para que
procurásseis a graça de vosso Senhor, e para que
conhecêsseis o número dos anos e o seu cômputo; e
explanamos claramente todas as coisas" (17:12) e diz
"Bendito seja Quem colocou constelações no
firmamento e pôs, nele, uma lâmpada e uma lua
refletidora" (25:61). d) A ciência descobriu que toda
vez que o homem se eleva na atmosfera mais difícil
fica para ele conseguir respirar, diz Deus o Altíssimo
"A quem Deus quer iluminar, dilata-lhe o peito para o
Islam; a quem quer desviar (por tal merecer), oprime-
lhe o peito, como aquele que se eleva na
atmosfera." (6:125). e) Os cientistas descobriram que
as plantas são formadas de pares (machos e
fêmeas), diz Deus o Altíssimo "Glorificado seja Quem
criou pares de todas as espécies, tanto naquilo
que a terra produz como no que eles mesmos
geram, e ainda mais o que ignoram." (36:36)e diz "e
envia água do céu, com a qual faz germinar
distintos pares de plantas." (20:53). Agora vejamos
o que diz o pesquisador francês Maurice Bucaille a
esse respeito em seu livro A Bíblia, o Alcorão e a
ciência: " Tomando em seguida as duas revelações
que a haviam precedido, a revelação alcorânica é não
somente isenta das contradições dos relatos dos
Evangelhos, que trazem as diversas marcas de
injunções humanas, mas ela também oferece a quem
empreende o seu exame, objetivamente, à luz da
ciência, o caráter que lhe é próprio duma
concordância perfeita com os dados científicos
modernos. De mais a mais, descobrem - se nelas,
como foi demonstrado, enunciados de ordem
científica, dos quais é inconcebível que um homem,
na época de Muhammad, tivesse podido ser o autor ".
Esses são alguns dos vários lados do milagre
alcorânico.

Os assuntos contidos no Alcorão.


O Alcorão abrange todos os assuntos relacionados com o
ser humano como um todo, vejamos resumidamente esses
assuntos:


o Primeiro - O Alcorão nos da conhecimento de
Deus; os seus nomes e atributos, dos anjos,
dos Livros por Ele revelados, dos mensageiros
por Ele enviados, do dia do juízo final e da
predestinação. E mostra a nossa obrigação
diante dessa crença.
o Segundo - Nos mostra as regras do bom
comportamento, e as virtudes com as quais os
homens devem se moldar.
o Terceiro - As regras das práticas que
organizam a relação dos homens com Deus
( orações, paga do Zakat, jejum, peregrinação,
promessas e etc... ) e as que regulamentam as
relações dos homens entre si, seja
individualmente, em grupos ou enquanto
nações.
o Quarto - As histórias dos povos passados, para
que se tire proveito delas, aprendendo com os
acertos e com os erros daqueles que nos
antecederam.

O Alcorão não foi revelado só para se pegar bênçãos


através da sua recitação; mas foi revelado para ser posto
em prática trazendo as pessoas das trevas para a luz, e nem
para ser recitado aos mortos na esperança de que assim
Deus tenha misericórdia dos que já se foram; mas foi
revelado para regulamentar a vida dos que ainda se
encontram nesse mundo sendo uma constituição a ser
seguida, e tão pouco foi revelado para enfeitar as paredes;
mas sim para enfeitar o homem e a sua vida com a fé, o
bom comportamento e as virtudes morais. Deus deixa bem
claro nos versículos que se seguem o motivo pelo qual Ele
revelou este Alcorão.

" E este é o Livro bendito que revelamos ( ao mensageiro );


observai - o, pois, e temei a Deus; quiçá Ele Se compadeça
de vós. " ( 6 : 155 )

" Ó humanos, já vos chegou uma prova convincente, do


vosso Senhor, e vos enviamos uma translúcida Luz. Aqueles
que crêem em Deus, e a Ele se apegam, introduzi - los - á
em Sua misericórdia e Sua graça, e os encaminhará até Ele,
por meio da senda reta. " ( 4 : 174 e 175 )
" Realmente, revelamos - te o Livro, a fim de que julgues
entre os humanos, segundo o que Deus te ensinou. Não
sejas defensor dos pérfidos." ( 4 : 105 )

" Ó adeptos do Livro, foi vos apresentado o Nosso


Mensageiro para mostrar - vos muito do que ocultáveis do
Livro e perdoar - vos em muito. Já vos chegou de Deus uma
Luz e um Livro Lúcido, pelo qual Deus guiará aos caminhos
da paz aqueles que procurarem a Sua complacência e, por
Sua vontade, tirá - los - á das trevas e os levará para a luz,
encaminhando - os para a senda reta. " ( 5 : 15 e 16 )

" Em verdade, revelamos - te o Livro corroborante e


preservador dos anteriores. Julga - os, pois, conforme o que
Deus revelou e não sigas os seus caprichos, desviando - te
da verdade que te chegou. A cada um de vós temos ditado
uma lei e uma norma; e se Deus quisesse, teria feito de vós
uma só nação; porém, fez - vos como sois, para testar - vos
quanto àquilo que vos concedeu. Emulai - vos, pois, na
benevolência, porque todos vós retornareis a Deus, o Qual
vos inteirará das vossas divergências. Incitamos - te a que
julgues entre eles, conforme o que Deus revelou; e não
sigas os seus caprichos e guarda - te de que te desviem de
algo concernente ao que Deus te revelou. Se te refutarem,
fica sabendo que Deus os castigará por seus pecados,
porque muitos homens são depravados. Anseiam, acaso, o
juízo do tempo da insipiência? Quem é melhor juiz do que
Deus, para os que estão convencidos?" ( 5 : 48, 49 e 50 )

" Revelamo - lo como um Alcorão árabe, para que


raciocineis." ( 12 : 2 )

Alcorão um todo indivisível.


Infelizmente vemos hoje em dia pessoas que se dizem
muçulmanas e que dizem acreditar que o Alcorão é a
palavra de Deus, dizerem que se submetem as leis do
Alcorão, mas só no que tange a prática ( como oração e
jejum ) ou a alguns dos bons comportamentos e algumas
das virtudes por Ele ensinados, deixando de lado o que diz
respeito a política, a economia, as punições e etc..., de
acordo com os seus caprichos.

Será que essas pessoas se acham divindades que se


igualam a Deus? Ou será que elas sabem mais do que o
Criador o que é bom e o que não é bom para ser seguido?
Que péssimo é o que pensam! Deus repreendeu o povo de
Israel por tomarem essa atitude, diz Deus o Altíssimo: "
Credes, acaso, em uma parte do Livro e negais a outra?
Aqueles que, dentre vós, tal cometem, não receberão, em
troca, senão o aviltamento, na vida terrena e, no Dia da
Ressurreição, serão submetidos ao mais severo dos
castigos. E Deus não está desatento em relação a tudo
quanto fazeis. São aqueles que negociaram a vida futura
pela vida terrena; a esses não lhes será atenuado o castigo,
nem serão socorridos. " ( 2 : 85 e 86 ). Apesar desse
versículo falar do povo de Israel, as suas advertências
servem para todos os que seguem esse caminho, e
repreendeu os hipócritas que não aceitaram as leis de Deus
se submetendo somente ao que ia de encontro aos seus
interesses, diz Deus o Altíssimo: " Dizem: Cremos em Deus
e no Mensageiro, e obedecemos. Logo, depois disso, uma
parte deles volta as costas, porque não é fiel. E quando são
convocados ante Deus e Seu Mensageiro, para que julguem
entre eles, eis que um grupo deles desdenha. Porém, se a
razão está do lado deles, correm a ele, obedientes. Abrigam
a morbidez em seus corações; duvidam eles, ou temem que
Deus e Seu Mensageiro os defraudem? Qual! É que eles
são uns iníquos! A resposta dos fiéis, ao serem convocados
ante Deus e Seu mensageiro, para que julguem entre eles,
será: Escutamos e obedecemos! E serão venturosos. " ( 24 :
47 à 51 ). Como mostrou também esses versículos o crente
ao ouvir as ordens de Deus e as do profeta dizem ouvimos e
obedecemos. Isso porque a crença pede que as pessoas se
conformem com o caminho que Deus traçou, mesmo que vá
de contra aos seus interesses. O Alcorão é um todo que não
pode ser dividido. É de se espantar, como lembrou bem o
Dr. Yussef al Karadawi em seu livro as principais fontes do
Islam o Alcorão e a Sunna " que uma pessoa que raciocina e
que tem fé leia o versículo " Ó fiéis, está - vos prescrito o
jejum, tal como foi prescrito a vossos antepassados, para
que temais a Deus. " ( 2 : 183) e diga ouço e obedeço e ao
ler o versículo " Ó fiéis, está - vos preceituado o talião para o
homicídio. " ( 2 : 178 ) diga ouço e desobedeço, e por quê?
porque o primeiro está no ciclo das práticas e o segundo no
ciclo das punições, ou pega o versículo do trono ( 2 : 255 ) e
deixa o versículo " Ó fiéis, temei a Deus e abandonai o que
ainda vos resta da usura, se sois crentes. Mas, se tal não
acatardes, esperai a hostilidade de Deus e do Seu
Mensageiro; porém, se vos arrependerdes, reavereis apenas
o vosso capital. Não defraudeis e não sereis defraudado. "
( 2 : 278 e 279 ) porque o versículo do trono trata da crença
enquanto que o outro trata das relações econômicas, o
mesmo acontece com quem aceita o versículo ( 5 : 6 ) e
rejeita o versículo (5 : 38 ), ou pega os versículos ( 5 : 87 e
88 ) e rejeita o versículo ( 5 : 90 ), e pega o versículo ( 22 :
77 ) e rejeita o ( 22 : 78 ) ou pega o versículo " Observai,
pois, a oração, pagai o Zakat " ( 22 : 78 ) e aceita a primeira
parte do versículo pois trata de uma prática espiritual e
rejeita a segunda que trata de uma prática relacionada com
os bens. "

Tal pessoa se coloca num patamar acima de Deus, pois


pega o que está de acordo com os seus interesses e
invalida o que não lhe interessa.

Para que os muçulmanos possam sair do labirinto em que


se encontram eles devem voltar para a sua fonte principal o
Alcorão, voltar pensando, raciocinando em cima dos seus
versículos, procurando aprender tudo, como faziam os
companheiros do profeta ( como Othman ibn Afan e
Abdullah ibn MassÆud entre outros ) que aprendiam dez
versículos com o profeta e não saiam desses dez antes de
saber todas as regras contidas nesses versículos e colocá -
las em prática, diz Deus o Altíssimo: " ( Eis ) um Livro
bendito, que te revelamos, para que os sensatos recordem
os seus versículos e neles meditem. " ( 38 : 29 ), e diz " Não
meditam, acaso no Alcorão? Se fosse de outra origem, que
não de Deus, haveria nele muitas discrepâncias." ( 4 : 82 ) e
diz ainda " Não meditam, acaso, no Alcorão, ou que seus
corações são insensíveis? " ( 47 : 24 )

A recompensa de quem recita o


Alcorão.
As grandes recompensas de quem recita o Alcorão ficam
claras nos seguintes ditos do profeta ( Que a paz esteja com
ele ): " Aquele que recitar o Alcorão com perfeição estará no
mesmo nível dos nobres anjos e aquele que recita com
dificuldade terá duas recompensas. "

" O melhor dentre vós é aquele que aprende o Alcorão e


depois o ensina. "

" O crente que recita o Alcorão é comparado a uma laranja,


pois tanto o cheiro como o sabor dela são agradáveis. E o
crente que não recita o Alcorão é comparado a uma tâmara,
pois ela não tem cheiro, mas o seu sabor é doce. Já o
hipócrita que recita o Alcorão é comparado com al raihan,
pois o seu cheiro é agradável, e o seu gosto é amargo. E o
hipócrita que não recita o Alcorão é comparado com a
coloquíntida, que não tem cheiro, e o seu sabor é amargo. "

" Sempre que, e quando, um grupo de gente se reúne em


uma das Casas de Deus, recitam o Livro de Deus, e o
estudam, descerão sobre eles o sossego e a tranquilidade, e
ficarão recobertos de misericórdia, e rodeados de anjos;
além disso, Deus os mencionará para aqueles que se
encontrarem na Sua presença. "

" Recitai o Alcorão, porque, no Último Dia, servirá de apoio


para aqueles que cuidaram de o recitar. "

" No Último Dia, será dito a quem recitara o Alcorão:


Começa a recitar e a ascender pelos elevados escalões do
Paraíso. Recita tal como recitavas em vida, pois o teu lugar
será concorde ao derradeiro versículo que leres! "

Al Tafssir ( a ciência da exegese do


Alcorão ).
A importância de uma ciência, é avaliada através da
importância do assunto por ela estudado. Por isso a ciência
da exegese alcorânica é uma das mais nobres ciências,
visto ela estudar a palavra de Deus, nos permitindo assim
compreender os versículos de Deus de acordo com a
capacidade humana.

Como citamos anteriormente, o Alcorão é o maior milagre do


profeta Muhammad ( Que a paz esteja com ele ), e é um
milagre em todas as épocas. Logo, em cada época vemos
novas observações, novas explicações, surgirem em relação
aos versículos alcorânicos.

As pessoas que desejam se dedicar a este estudo devem


seguir alguns passos, são eles:

1. A sinceridade - Diz Deus o Altíssimo: " E lhes foi


ordenado que adorassem sinceramente a Deus. " ( 98
: 5 ) e disse o profeta ( Que a paz esteja com ele ) "
Em verdade, os atos valem pelas intenções, e a cada
qual será dado de acordo com o que intencionou. "
2. A busca da verdade - Quando a pessoa se abre para
conhecer de verdade um assunto e coloca de lado
toda e qualquer idéia ou conceito pré estabelecido,
deixando de lado os seus caprichos, os seus
interesses, a sua ideologia e as suas tendências, ela
consegue, compreender as coisas com mais clareza,
por isso o profeta nos ensinou a seguinte prece " Ó
Senhor meu, mostre - me a verdade e me ilumine
para que eu possa segui - la e mostre - me a mentira
e me ilumine para que eu me afaste dela." Caso
contrário ela passa desapercebida por quem está
estudando, sem que se tire nenhum proveito dela,
como aconteceu com Walid bin Mughira quando este
foi em nome dos coraixitas falar com o profeta e ao
retornar disse " Por Deus, eu ouvi de Muhammad
palavras que não são humanas, nem de gênios, têm
uma doçura, e é uma coisa que prevalecerá; são
palavras muito elevadas; não se pode chamar a ele
mentiroso porque nunca mentiu, nem astrólogo
porque eu conheço a astrologia, nem poeta porque
sei o que é a poesia; o que ele diz não são poemas,
nem é maluco porque não tem sinais de loucura; o
que ele diz (alusão ao Alcorão) tem um efeito tão forte
que um homem como eu, maduro, também já estou
confuso." e em seguida aconselhou aos coraixitas
dizerem aos peregrinos que Muhammad era um
mago que separava as famílias através da sua magia
para que esses assim não lhe descem ouvidos, diz
Deus o Altíssimo: " E entre eles, há os que te
escutam e, ao se retirarem da tua presença, dizem,
àqueles que foram agraciados com a sabedoria: Que
é que foi dito agora? Tais são os que têm os seus
corações sigilados por Deus, porque se entregam aos
seus caprichos! " ( 47 : 16 ).
3. A humildade - Aceitar que se está errado, dar o braço
a torcer, não é uma coisa muito fácil. Para que se
possa admitir um erro a pessoa necessita de uma
qualidade indispensável principalmente para aqueles
que estão atrás da verdade, a humildade. Ter
humildade para aceitar a verdade de quem quer que
seja, mesmo que seja de uma pessoa com menos
conhecimento, mais jovem ou até mesmo de um
inimigo, diz Deus o Altíssimo: " Ó fiéis, sede firmes
em observardes a justiça, atuando de testemunhas,
por amor a Deus, ainda que o testemunho seja contra
vós mesmos, contra os vossos pais ou contra os
vossos parentes, seja o acusado rico ou pobre,
porque a Deus incumbe protegê - los. Portanto, não
sigais os vossos caprichos, para não serdes injustos;
e se falseardes o vosso testemunho ou vos
recusardes a prestá - lo, sabei que Deus está bem
inteirado de tudo quanto fazeis. " ( 4 : 135 ).
4. Explicar o Alcorão pelo Alcorão - Num primeiro
estágio deve se procurar juntar todos os versículos
que tratam de um determinado assunto, pois um
versículo pode vir generalizado sendo restringido
mais adiante, e pode vir conciso sendo detalhado
mais adiante ou pode vir não muito claro sendo
aclarado adiante. Disse ibn Taimya " A forma mais
correta de se fazer a exegese, é procurar explicar o
Alcorão através do próprio Alcorão, pois, quão belo é
você ver um versículo ser explicado por um outro
mais adiante, ou o que estava resumido ser detalhado
em um outro lugar. Vejamos alguns exemplos: Lemos
na surata da abertura " Soberano do Dia do juízo " ( 1:
4 ) e mais adiante vemos a explicação do que vem a
ser o Dia do juízo, diz Deus o Altíssimo: " E, o que te
fará entender o que é o Dia do juízo? Novamente: o
que te fará entender o que é o Dia do juízo? É o dia
em que nenhuma alma poderá advogar por outra,
porque o mando, nesse dia, só será de Deus. " ( 82 :
17, 18 e 19 ) e lemos também na surata da Abertura "
À senda dos que agraciaste." ( 1 : 7 ) e mais adiante
Deus nos mostra quem são esses agraciados, diz
Deus o Altíssimo: " Aqueles que obedecem a Deus e
ao Mensageiro, contar - se - ão entre os agraciados
por Deus: Profetas, verazes, mártires e virtuosos.
Que excelentes companheiros serão! " ( 4 : 69 ).
5. Explicar o Alcorão pela Sunna - Disse ibn Taimya "
Caso não encontres todas as explicações no Alcorão,
deves apelar para a Sunna ( tradições do profeta ),
pois ela explica e esclarece o Alcorão. E como disse
al ShafiÆi tudo o que o profeta legislou foi baseado
no seu entendimento do Alcorão, diz Deus o
Altíssimo: " Realmente, revelamos - te o Livro, a fim
de que julgues entre os humanos, segundo o Que
Deus te ensinou. Não sejas defensor dos pérfidos."
( 4 : 105 ) e diz Deus o Altíssimo: " Só te revelamos o
Livro, para que lhes elucides as discórdias e para que
ele seja orientação e misericórdia para os que crêem.
"( 16 : 64 ) e por isso disse o profeta ( Que a paz
esteja com ele ) " Em verdade foi me dado o Alcorão
e um outro igual junto ( se referindo a Sunna ) ". A
Sunna foi revelada da mesma forma que o Alcorão,
só que não tem na sua recitação uma adoração,
como acontece com o Alcorão. Essa opinião do al
ShafiÆi entre outros foi baseada em varias provas. E
o objetivo disso é que procures explicar o Alcorão por
Ele mesmo e caso não encontres pela Sunna, como
disse o profeta à Muaz bin Jabal quando o enviou
para o Iemen: " Com o que irás julgar? " disse Muaz "
Com o Livro de Deus." então disse o profeta: " E caso
não encontres? " respondeu " com a Sunna do
mensageiro de Deus. " então disse o profeta: " E caso
não encontres ? " disse " Me esforçarei para achar a
resposta." Então o profeta bateu em seu peito e disse:
" Louvado seja Deus que guiou o mensageiro do
mensageiro de Deus, para o que agrada o seu
mensageiro." ( e assim terminou os dizeres de ibn
Taimya ). Eis aqui alguns exemplos de como a Sunna
explica o Alcorão: Diz Deus o Altíssimo " Os fiéis que
não obscurecerem a sua fé com injustiças obterão a
segurança e serão iluminados. " ( 6 : 82 ) o profeta
explicou que a injustiça mencionada no versículo é o
associar divindades com Deus. " Tomaram por
senhores seus rabinos e seus monges em vez de
Deus, assim como fizeram com o Messias, filho de
Maria, quando não lhes foi ordenado adorar senão a
um só Deus. Não há mais divindade além dÆEle!
Glorificado seja pelos parceiros que Lhe atribuem! "
( 9 : 31 ), o profeta explicou que o povo do livro tomou
os seus rabinos e monges como senhores ao invés
de Deus, a partir do momento em que aceitaram que
eles tornassem o lícito ilícito e o ilícito lícito.
6. Explicar o Alcorão pelo dito dos sahabas - Disse ibn
Taimya " Caso não encontres a exegese, no Alcorão
e nem na Sunna deves procurar nos dizeres dos
sahabas ( companheiros do profeta ), porque eles são
os que mais conhecem a respeito, por tudo o que eles
presenciaram de sinais e acontecimentos, e pelo
grande conhecimento que possuíam principalmente
os seus sábios, entre eles os quatro califas probos
( Abu Baker, Omar, Othman e Ali ), Abdullah ibn
MassÆud que disse " Por Deus, não foi revelado um
único versículo sem que eu soubesse onde e porque
foi revelado. " e disse " Costumávamos aprender dez
versículos e não passávamos adiante antes de
aprender tudo sobre eles e pô - los em prática", e
entre eles Abdullah bin Abbass primo do profeta; o
interprete do Alcorão pelas graças do pedido que o
profeta fez a Deus por ele dizendo: " Ó Senhor meu
dê - lhe a compreensão e ensine - o a interpretação."
E disse ibn Taimya também " Caso não encontres a
explicação no Alcorão, nem na Sunna e nem nos
dizeres dos sahabas, saiba que vários sábios
pegaram a opinião dos tabiÆis ( companheiros dos
sahabas ), como Mujahid ibn Jabr, Katada, Said ibn
Jubeir, Ikrima Maula ibn Abbass, Itá, al Hassan al
Bassri e Massruk entre outros. "
7. Conhecer o motivo pelo qual o versículo foi revelado -
Conhecer o motivo pelo qual o versículo foi revelado
é de suma importância para que se possa entender o
Alcorão. E esse conhecimento só se da através da
narração feita pelos que presenciaram a revelação,
ou por aqueles que se dedicaram a estudar esse
assunto se reportando a fontes fidedignas, eis aqui
um exemplo: Diz Deus o Altíssimo "As colinas de
Assafa e Almarua fazem parte dos rituais de Deus e,
quem peregrinar à casa, ou cumprir a umra
(peregrinação menor), não cometerá pecado algum
em percorrer a distância entre elas." (2:158), a
princípio entende-se desse versículo que percorrer a
distância entre essas duas montanhas não é
obrigatório o que é um erro, mas quando procuramos
o motivo pelo qual o versículo foi revelado ficamos
sabendo que as pessoas na época da ignorância
costumavam percorrer essas duas montanhas
peregrinando em adoração a dois ídolos, um que
ficava na montanha de Assafa chamado Issáfan e
outro que ficava na montanha de Almarua chamado
Nailah, e quando as pessoas entraram no Islam
alguns sahabas ficaram com receio de que o ato de
fazer esse percurso pudesse vir a se confundir com
as práticas da época da ignorância, então Deus
revelou esse versículo mostrando que eles não
estariam cometendo nenhum pecado, mas sim
cumprindo com uma obrigação ao percorrer essas
duas montanhas em adoração à Deus.
8. E por fim se apegar a língua árabe que é a língua do
Alcorão, por isso deve - se ter um profundo
conhecimento da língua em todos os seus aspectos.

Surata da Época
Esta surata é makkita ( revelada em Makka ), é formada por
três versículos. Ela apesar de concisa, encerra em si um
profundo significado. Ela nos mostra o caminho para a
felicidade nesta vida e na outra. Disse o imam al Shafii " Se
Deus só tivesse revelado esta surata para a humanidade, já
lhes seria suficiente." e disse " Se as pessoas raciocinassem
no significado dessa surata, teriam os seus horizontes
abertos ". Narra al Tabarani que dois dos companheiros do
profeta não se separavam até que um lesse para o outro
esta surata e depois se cumprimentassem.

Em nome de Deus o Clemente o Misericordioso

"1 Pela Época 2 Que o ser humano está em


constante perda 3 Salvo os que crêem, praticam o
bem, recomendam a verdade e recomendam a
paciência" 103a. Surata

Tafsir ( exegese )
( Pela Época ) - Em primeiro lugar, sabe-se que Deus não
necessita jurar para provar a veracidade das suas palavras, diz
Deus o Altíssimo: "Quem é mais leal do que Deus, quanto ao
que diz?" (4:87) e diz "E quem é mais leal do que Deus no que
assevera?" (4:122) e diz ainda "Dize: Deus diz a verdade.
Segui, pois, a religião de Abraão, o monoteísta, que jamais se
contou entre os idólatras." (3:95), mas Deus nesse versículo
jura pelo tempo, e é sabido que quando Ele jura por alguma
das suas criaturas é para nos chamar a atenção para a sua
importância, o seu benefício e o seu efeito em nossas vidas.
Disse Mutraf bin Abdullah " Em verdade Deus só jurou por
essas coisas para que as suas criaturas se espantassem com elas
e para que conhecessem o poder de Deus, devido a importância
delas para as criaturas e por elas indicarem a existência do
Criador."

Deus pode jurar por tudo o que quiser, já as suas criaturas só


podem jurar por Ele, pelos Seus nomes e atributos, pois o
juramento é um tipo de glorificação que só cabe à Deus. Aquele
que jura por outro que não Deus, está associando parceiros à
Ele, disse al Shaabi " O criador jura pelo que deseja de suas
criaturas, já as criaturas só podem jurar por Deus." e disse ibn
Abd al Bar " É consenso a proibição de se jurar por outro que
não Deus." Vejamos agora o que diz o profeta a esse respeito:

" Em verdade Deus vos proíbe que jures pelos seus pais.
Aquele que jurar que jure por Deus ou se cale."

" Aqueles que juram por outro que não Deus, cometem
politeísmo."

" Aquele que jura pela sua integridade não é um dos nosso."

Aquele que jurar por outro que não Deus deve se arrepender e
dizer: Não há outra divindade a não ser Deus, pois disse o
profeta ( Que a paz de Deus esteja com ele ) " Aquele que jurar
e disser no seu juramento por al Lat e al Uza ( ídolos adorados
pelos árabes antes do advento do Islam ) que diga não há outra
divindade além de Deus."

Devemos evitar de jurar a todo momento, pois disse o profeta


( Que a paz esteja com ele ) " Deus não falará com três, não os
purificará e terão um doloroso castigo, e citou entre eles um
homem que tornou Deus uma mercadoria, não compra e não
vende a não ser jurando." E disse " O juramento pode
assegurar a venda, mas apaga a benção." E se o juramento for
em cima de uma mentira, se torna um pecado gravíssimo.

Se uma pessoa conhecida pela sua honestidade e pela sua


temência jurar por Deus e não tenha nenhum indicio de que ela
esteja mentindo deve-se acreditar na sua palavra, pois disse o
profeta ( Que a paz esteja com ele ) " Não jures pelos seus pais,
e se jurares que digas a verdade e a pessoa que ouvir o
juramento, que se convença, pois Deus estará isento de quem
não se convencer." Agora isso não se aplica caso a pessoa seja
conhecida como mentirosa, ou caso haja algum indicio de que
ela esteja mentindo. A pessoa não pode jurar de brincadeira,
pois disse o profeta ( Que a paz esteja com ele ) " Três são
levados a sério mesmo que se diga brincando: o divórcio, o
casamento e o juramento."

A pessoa que quebra um juramento deve alimentar dez


necessitados, ou vesti-los, ou libertar um escravo e caso não
tenha condições para tal deve jejuar três dias seguidos, diz
Deus o Altíssimo " Deus não vos reprova por vossos
inintencionais juramentos fúteis; porém recrimina-vos por
vossos deliberados juramentos, cuja expiação consistirá em
alimentardes dez necessitados da maneira como alimentais
vossa família, ou em os vestir, ou em libertardes um escravo;
contudo, quem carecer de recursos jejuará três dias. Tal será a
expiação do vosso perjúrio, mantende pois os vossos
juramentos. Assim Deus vos elucida os Seus versículos, a fim de
que Lhe agradeçais." ( 5 : 85 ). Caso a pessoa diga
imediatamente após o juramento " se Deus quiser " e não
consiga cumprir com o juramento não precisa expiar. A
promessa entra nessa mesma regra pois disse o profeta ( Que a
paz esteja com ele ) " A promessa é um tipo de juramento e a
sua expiação é a expiação do juramento." Cabe lembrar que
não é muito aconselhável se fazer promessas.

O tempo é de tal importância para o ser humano, que Deus


jurou por ele e por suas partes ( noite, dia, aurora, horas da
manhã e etc. ) em várias passagens do Alcorão, como por
exemplo: " Pela aurora " " E pela noite, quando se retira " "
Pelo sol e pelo seu esplendor ( matinal ), Pela lua, que o segue,
Pelo dia, que o revela, Pela noite, que o encobre " " Pelas horas
da manhã, E pela noite quando é serena " e disse o profeta
( Que a paz esteja com ele ) " Ninguém passará no dia do juízo
final antes de responder por quatro coisas: Pela sua vida em
que ela se acabou, pela sua juventude em que ela foi utilizada,
pela sua riqueza; como foi conseguida e onde foi gasta e pelo
seu conhecimento; o que foi feito dele." Repare que o profeta se
referiu a vida e a juventude que é uma parte dela, visto a
juventude ser o estágio da vida em que mais se tem força, saúde
e disposição para a prática, além disso, outra prova da
importância do tempo reside no fato de que toda a prática
islâmica tem uma forte ligação com ele diz Deus o Altíssimo "
Em verdade a oração foi prescrita para ser praticada no seu
devido tempo " ( 4 : 103 ) e diz " Ó fiéis, está-vos prescrito o
jejum, tal como foi prescrito a vossos antepassados, para que
temais a Deus. Jejuareis determinados dias; porém, quem de
vós não cumprir o jejum, por achar-se enfermo ou em viagem,
jejuará, depois, o mesmo número de dias " ( 2 : 183 e 184 ) e diz
" A peregrinação se realiza em meses determinados " ( 2 : 197 )
e diz se referindo a paga do Zakat sobre a colheita " e pagai seu
Zakat, no dia da colheita " ( 6 : 141).

O tempo passa rápido, e o tempo que passou não volta, por isso
disse o Hassan al Bassri " Ó filhos de Adão, vocês nada mais
são que um conjunto de dias, toda vez que um dia passa é um
pedaço seu que vai embora " e disse o mártir Hassan al Banna
" O tempo é a vida ", por isso devemos aproveitar ao máximo
essa dádiva de Deus, como disse o profeta ( Que a paz esteja
com ele ) " Aproveite cinco antes de cinco, e lembrou entre eles
o tempo livre antes dele ser ocupado " e disse " Duas dádivas
de Deus são desperdiçadas por muitas pessoas, a saúde e o
tempo livre ", devemos aproveitar com o que traz benefício
para essa vida e para a outra e com o que traz o bem e a
felicidade para a nação.

Não devemos desperdiçar o tempo, como lembrou muito bem o


Dr. Yussef al Karadawi em seu livro O tempo na vida do
muçulmano ao se referir as pessoas que desperdiçam o tempo
dizendo " Dizem claramente, nós só queremos matar o tempo!
E esses pobres coitados não sabem que aquele que mata o
tempo na verdade está matando a si próprio! É um crime, um
suicídio lento cometido diante das pessoas, e ninguém é punido
por isso! E como punir se as pessoas não se dão conta e não
sabem o tamanho do seu perigo! ", na verdade as pessoas só
dão valor as coisas quando elas as perdem, nesse sentido diz
Deus o Altíssimo " Ó fiéis, que os vossos bens e os vossos filhos
não vos alheiem da recordação de Deus, porque aqueles que tal
fizerem, serão desventurados. Fazei caridade de tudo com que
vos agraciamos, antes que a morte surpreenda qualquer um de
vós, e este diga: Ó Senhor meu, porque não me toleras até um
término próximo, para que eu possa fazer caridade e ser um
dos virtuosos? Porém, Deus jamais adiará a hora de qualquer
alma, quando ela chegar, porque Deus está bem inteirado de
tudo quanto fazeis." ( 63 : 9-11 ).

Cabe ao muçulmano que compreende essa importância, se


apressar para a prática do bem, diz Deus o Altíssimo " Cada
qual tem um objetivo traçado por Ele. Empenhai-vos na
prática das boas ações, porquanto, onde quer que vos acheis,
Deus vos fará comparecer, a todos, perante Ele porque Deus é
Onipotente." ( 2 : 148 ) e diz " Emulai-vos, pois, na
benevolência " ( 5 : 48 ) e procurar escolher os horários de
maior recompensa como por exemplo o último terço da noite, o
dia de sexta feira; pois nele há uma hora em que Deus atende
aos pedidos, os dez dias de zul hijja( quando ocorre o ritual da
peregrinação ) principalmente o dia nove, o mês do Ramadan;
principalmente os dez últimos dias onde acontece a noite do
decreto e o momento em que se está prostrado entre outros.

O muçulmano deve procurar fazer um balanço das suas ações


diariamente, semanalmente, mensalmente ou anualmente como
disse Omar bin al Khatab " Julguem a si mesmos antes que
sejam julgados e pesem as suas ações antes que elas sejam
pesadas. "

Deve-se destinar uma parte do tempo para o descanso e a


distração pois como disse o profeta para quem estava
exagerando no jejum, nas orações facultativas a noite e na
leitura do Alcorão " Em verdade você tem obrigação para com
o seu corpo, para com a sua família e para com sua esposa." E
disse " Eu sou de vocês o que mais teme a Deus, mas eu levanto
para orar a noite e durmo, eu jejuo e quebro o jejum e eu me
caso. Aquele que se afastar do meu caminho não é um dos
meus. " e disse Ali bin Abi Talib " descansem o coração de
hora em hora, pois o coração quando forçado se torna cego. "

( Que o homem está em constante perda ) - O homem está


perdido, pois não consegue achar respostas para os seus
questionamentos, que são vários. Quem sou? De onde vim?
Para onde vou? Porque estou aqui? E se depara diante da lei
que rege a vida que consiste em nascer, crescer e morrer. E não
sabendo o que o espera após a morte, se é que algo o espera, se
apega a essa vida com unhas e dentes tendo como sua principal
meta, a satisfação de todos os seus desejos e caprichos,
passando assim por cima de todos os que cruzam o seu
caminho. Como consequência no plano individual vemos as
pessoas ansiosas, inseguras e angustiadas, buscando nas drogas,
no álcool e até mesmo no suicídio formas de fuga, vivem com
medo da morte buscando sempre uma forma de alcançar a
eternidade, já no plano social vemos a miséria se espalhar, a
violência crescer, a injustiça prevalecer, os preconceitos se
espalharem e a decadência moral reger a sociedade.

Em busca de respostas que justifiquem a sua existência, criem


uma identidade e possam dar um rumo a vida, diminuindo
assim as angústias, criam-se mitos e superstições que acabam
por aumentar a perdição na qual o homem se encontra.

Para que o homem saísse desse labirinto, Deus enviou os


mensageiros para que esses guiassem as pessoas para o
caminho da luz.

( Salvo os que crêem, praticam o bem, recomendam a verdade


e recomendam a paciência ) - Nesse versículo Deus nos mostra
as quatro características daquele que está a salvo desse estado
de perda. Estas quatro características se complementam
formando um todo que não pode ser dividido e nem separado,
pois elas são as únicas garantias que nós temos para nos
vermos livres dessa constante perda que se refletem tanto nessa
vida como na outra. As duas primeiras características dizem
respeito ao homem enquanto indivíduo e as duas últimas dizem
respeito ao homem enquanto membro de uma sociedade, pois
toda vez que se dá prioridade ao indivíduo em detrimento da
sociedade ou vice-versa ocorre um desequilíbrio que afeta
ambas as partes em maior ou menor grau. Analisemos cada
uma em separado.

( os que crêem ) - Crer na existência de Deus, na Sua unicidade


e na sua perfeição. Crer que Ele criou, mantém e sustenta tudo.
Crer que toda a nossa adoração deve ser dirigida única e
exclusivamente à Ele. "Na realidade a crença na unicidade de
Deus nada mais é do que uma revolução para se promover a
liberdade , a igualdade e o sentimento de irmandade entre os
seres humanos, para que uns não tomem outros como senhores
ao invés de Deus, para anular a servidão de seres humanos por
seres humanos, e por isso o profeta (Que a paz esteja com ele)
terminava as cartas que ele enviava para os reis dos povos do
Livro com o seguinte versículo "Dize-lhes : Ó adeptos do Livro,
vinde, para chegarmos a um termo comum, entre nós e vós:
Comprometamo-nos, formalmente, a não adorar senão à Deus,
a não Lhe atribuir parceiros e a não nos tomarmos uns aos
outros por senhores, em vez de Deus. Porém, caso se recusem,
dize-lhes: Testemunhai que somos muçulmanos." (3:64). E esse
é o segredo que está por trás do fato de os incrédulos e os
líderes de Makka terem ido de contra a divulgação do Islam ,
desde o primeiro dia quando se levantou a máxima "não há
outra divindade além de Deus", eles sabiam o que estava por
trás dela e o que ela carregava de significado de mudança na
vida social e política , junto com a mudança religiosa que é
clara". Crer nos anjos. Crer em todas as mensagens por Ele
reveladas como guias para a humanidade. Crer em todos os
mensageiros por Ele enviados como orientadores. Crer que há
vida após a morte, que seremos ressuscitados para prestarmos
contas de nossas ações ante aquele que nos criou e que
dependendo do resultado do julgamento se terá o paraíso ou o
inferno como morada eterna. Crer na predestinação.

Crença essa que convence a razão, movimenta o coração,


direciona os desejos e faz com que o corpo responda através da
prática. Caso ela perca alguma dessas características ela perde
o status de crença e passa a ser uma teoria, um conceito, uma
opinião ou um pensamento.

Uma crença que proporcione ao ser humano felicidade,


tranquilidade, segurança, confiança, esperança, amor, que o
ensine a se conformar com os desígnios de Deus, que brote nele
as virtudes que o façam crescer como ser humano, que lhe de
firmeza diante das dificuldades da vida e que sempre o leve a
busca do aprimoramento. "E daí vem o valor da fé...pois ela é
movimento e ação, construção e progresso...se dirige à
Deus...ela não é recolhimento, negativismo e isolamento nos
íntimos da consciência, e não é apenas boas intenções que não
se transformam em movimento, e esta é a natureza destacada
do Islam que faz dele uma enorme força construtiva no auge da
vida."

( praticam o bem ) - A crença leva a prática e a prática


aumenta a fé numa perfeita integração. Uma depende da outra
pois a crença que não é demonstrada através da prática é uma
crença incompleta e a prática que não é movida pela crença é
uma prática incompleta, pois diz Deus o Altíssimo " E não lhes
foi ordenado a não ser que adorassem sinceramente à Deus. "
( 98 : 5 ) e disse o profeta ( Que a paz esteja com ele ) " Em
verdade os atos valem pelas intenções e a cada qual será dado
de acordo com o que intencinou, aquele que tiver migrado por
Deus e seu mensageiro a sua migração foi por Deus e seu
mensageiro e aquele que tiver migrado para ganhar o mundo
ou para se casar, a sua migração foi para o que houver
intencionado. "

"A adoração de um Deus único eleva o homem da adoração de


qualquer outro que não Deus e faz com que ele sinta a
igualdade entre todas as criaturas, logo ele não se humilhará
diante de ninguém e não baixará a cabeça para outro que não o
Único, o Dominador...E daí ocorre a mudança em direção a
verdadeira libertação do ser humano. Tal mudança é lançada
pela consciência e pela percepção correta e real da existência.
Percepção de que não há se não uma única força e um único
adorado. Essa mudança libertadora que é lançada se
fundamenta e se lança nessa percepção, porque é a única
lógica." Por isso disse Rabii bin Ámer "Deus nos mandou para
retirar as pessoas da adoração das criaturas para a adoração
do único Deus, e do aperto da vida para a sua amplitude e da
injustiça dos sistemas para a justiça do Islam."

A prática do bem envolve além das obrigações religiosas


( testemunho de que não há outra divindade além de Deus,
oração, jejum, paga do Zakat e peregrinação ) toda e qualquer
prática lícita que seja acompanhada da intenção de se agradar
à Deus através dela como ( comer, beber, estudar, tirar
obstáculos do caminho das pessoas, ajudar o próximo, sorrir
para um irmão, acariciar uma criança, tratar bem um animal,
plantar uma árvore entre tantas outras ) pois como disse Omar
bin al Khatab " todo custume acompanhado da intenção de se
agradar à Deus se transforma em uma adoração ".

( recomendam a verdade ) - A palavra tauassau que foi


traduzida como recomendam, significa tanto o ato de
recomendar como o de aceitar a recomendação. Essa parte do
versículo engloba o ato de recomendar a prática do bem e
proibir a prática do mal e o divulgar a palavra de Deus e existe
uma forte ligação entre eles.

O ato de recomendar a prática do bem e proibir a prática do


mal é uma das características que diferenciam essa nação e
fazem dela a melhor nação já surgida, diz Deus o Altíssimo
"Sois a melhor nação que surgiu na humanidade, porque
recomendais o bem, proibis o mal e credes em Deus." (3:110) e
diz "E que surja de vós uma nação que recomende o bem e
proíba o mal. Esta será (uma nação) bem aventurada." (3:104)
e essa é uma obrigação que recai sobre todos diz Deus o
Altíssimo "Os fiéis e as fiéis são protetores uns dos outros;
recomendam o bem, proíbem o mal." (9:71) e disse o profeta
(Que a paz de Deus esteja com ele) "Quem de vocês presenciar
um erro, que o modifique com as mãos, caso não tenha
condições que o modifique com a língua e caso não tenha
condições que o modifique com o coração (repudiando tal ato) e
essa é fé mais fraca."

Já em relação a divulgação diz Deus o Altíssimo "Convoca (os


humanos à senda do teu Senhor com sabedoria e uma bela
exortação; dialoga com eles de maneira benevolente" (16:125) e
diz "Dize: Esta é a minha senda. Convoco à Deus com lucidez,
tanto eu como aqueles que me seguem. Glorificado seja Deus! E
não sou um dos politeístas." (12:108) e diz ainda "E quem é
mais eloquente do que quem convoca (os demais) à Deus,
pratica o bem e diz: Certamente sou um dos muçulmanos
(submissos a vontade de Deus)?" (41:33) e diz o profeta (Que a
paz esteja com ele) "divulguem por min nem que seja um
versículo" e diz "Por Deus, se Ele encaminhar uma pessoa por
seu intermédio será melhor para você que toda a riqueza do
mundo."

Mas para que as pessoas possam cumprir com essa obrigação


elas devem se moldar com algumas características, são elas:

A sinceridade - Intencionar sinceramente agradar a Deus


através desse ato, diz Deus o Altíssimo "E não lhes foi
ordenado senão que adorassem a Deus sinceramente." (98:5) e
diz "Adora, pois, a Deus, com sincera devoção. Não deve,
porventura, ser dirigida a Deus a devoção sincera?" (39:2 e 3) e
disse o profeta (Que a paz esteja com ele) "Em verdade os atos
valem pelas intenções."

Se espelhar no profeta - Diz Deus o Altíssimo "Realmente,


tendes no Mensageiro de Deus um excelente exemplo para
aqueles que esperam contemplar Deus, deparar-se com o Dia
do Juízo Final, e invocam Deus frequentemente." (33:21) .
Todos os muçulmanos devem se espelhar no mensageiro de
Deus, em todos os aspectos, especialmente os que se dedicam a
tarefa de recomendar a verdade, porque esses estão
conclamando para a mensagem, o caminho e o método
divulgados pelo profeta (Que a paz de Deus esteja com ele), diz
Deus o Altíssimo "Dize: Esta é a minha senda. Conclamo para
Deus com lucidez, tanto eu como aqueles que me seguem.
Glorificado seja Deus! E não sou um dos politeístas." (12:108)

Ele é o melhor exemplo a ser seguido pois ele aplicava todos os


ensinamentos contidos no Alcorão, por isso foi descrito como o
Alcorão que caminhava. Diz Deus o Altíssimo "Dize: se
verdadeiramente amais a Deus, segui-me; Deus vos amará e
perdoará as suas faltas, porque Deus é Indulgente,
Misericordiosíssimo." (3:31).

Devemos nos espelhar na sua moral e no seu comportamento,


diz Deus o Altíssimo "Porque és de nobilíssimo caráter" (68:4)
e diz "Chegou-vos um Mensageiro de vossa raça, que se apiada
do vosso infortúnio, anseia por proteger-vos, e é compassivo e
misericordioso para com os fiéis." (9:128) e diz ainda "Pela
misericórdia de Deus, foste gentil para com eles; porém,
tivesses tu sido insociável ou de coração insensível, eles se
teriam afastado de ti." (3:159).

A coerência - A pessoa deve ser coerente com o que ela prega,


em muitas ocasiões a divulgação feita através da prática vale
mais do que as palavras.

Diz Deus o Altíssimo se referindo aos adeptos da máxima (faça


o que eu digo, não faça o que eu faço) "É enormemente odioso,
perante Deus, dizerdes o que não fazeis." (61:3) e diz
"Ordenais, acaso, às pessoas a prática do bem e esqueceis, vós
mesmos, de fazê-lo, apesar de lerdes o Livro? Não
raciocinais?" (2:44).

O conhecimento - Outra característica importante é o


conhecimento. Diz o Dr. Yussef al Karadawi "Cabe ao jovem
muçulmano entender e ter uma correta compreensão do Islam"
e diz "Queremos que cada qual ocupe o seu devido lugar,
antecipando o que deve ser antecipado e atrasando o que deve
ser atrasado, pois os ensinamentos do Islam não estão todos no
mesmo patamar... Temos a crença que é a base do Islam.
Depois as obrigações que são os pilares do Islam "O Islam foi
construído sobre cinco..." E elas também não se encontram no
mesmo nível. Pois a oração é a coluna do Din, e o Zakat é o
tesouro do Islam... depois temos as outras obrigações.

Existem as obrigações que recaem sobre cada indivíduo e as


que quando cumpridas por um grupo isenta os outros da
obrigação. Depois temos as sunan (as facultativas) e entre elas
temos as sunan confirmadas e as que foram super incentivadas
e há os mustahabat (as recomendadas) aqueles que as
cumprem são recompensados e os que a deixam não são
punidos, logo as obrigações não se encontram num mesmo
nível, da mesma forma as proibições não se encontram num
mesmo nível.

Existe o politeísmo e ele se divide em politeísmo maior e


politeísmo menor. E entre as proibições temos as grandes e as
pequenas, e as proibições grandes não estão no mesmo nível
das pequenas. As pequenas são apagadas pelas cinco orações
como disse o profeta (Que a paz esteja com ele) "As cinco
orações, da oração de sexta-feira à oração de sexta-feira, e do
Ramadan ao Ramadan se apagam os pecados desde que se
afastem dos grandes". Já os grandes só o arrependimento e a
devolução do que tiver sido tirado dos outros os apagam. E há
as coisas duvidosas nas quais os sábios divergiram entre ser
permitido e ser proibido, e essas não são como as que há
consenso na sua proibição." E diz "Por isso se deve saber os
pontos principais na crença, e firmar a crença na unicidade de
Deus é uma coisa muito importante, e os pecados grandes
devem ser eliminados com todas as nossas forças. Nós
queremos ao compreender o Islam entender o Din e saber os
estágios dos ensinamentos islâmicos para nós e para os outros."
E diz "Cabe ao jovem muçulmano compreender muito bem o
Islam, mas isso não significa que nós queremos que o estudante
de medicina e de engenharia, entre outros abandonem os seus
estudos para se dedicarem ao estudo das tradições do profeta,
da exegese, do fiqh e do ussul. Isso não é exigido de todos, mas é
claro que deve haver a especialização, diz Deus o Altíssimo
"Deve permanecer uma parte de cada coletividade, para
instruir-se na fé, e assim admoestar a sua gente" (9:122)

Existe um tipo de compreensão que quando buscado por alguns


tira a responsabilidade dos outros, que é o aprofundamento no
estudo do Din para ensinar aos outros, ou para se tornar fonte
de consulta dando pareceres e esclarecendo. E existe um tipo de
conhecimento que é pedido de todos os muçulmanos, para
esclarecer os objetivos e iluminar os seus caminhos... Nós
queremos dos jovens muçulmanos que praticam o Islam que se
destaquem nos seus estudos, e que sejam um exemplo entre os
que se destacam, para que as pessoas saibam que a
religiosidade não é um empecilho para o estudo...O estudo é
uma obrigação e o destaque nele é necessário para aquele que
se dedica a divulgação, temos de aprender o que a época e a
vida tornam necessárias, por exemplo, As regras da oração e da
purificação é necessário o seu conhecimento para que assim as
orações sejam válidas...E caso você seja um comerciante que
você conheça as regras do comércio e o que tem relação com as
bases da compra e da venda e etc...Saber isso para não cair em
pecado sem saber, ou para que não critiques atitudes que são
permitidas sem que você saiba, ou para que não confundas o
que é desaconselhável com o que é proibido ou um pecado
pequeno com um grande ou o contrário."

(e recomendam a paciência) - A palavra paciência e seus


derivados foram mencionadas no Alcorão cento e poucas vezes,
o que mostra a sua importância.

A paciência é necessária para que se alcance o êxito tanto na


vida material como na vida espiritual, por isso Deus conclama
o crente a se moldar com ela, decorrendo daí grandes
benefícios no desenvolvimento espiritual e no fortalecimento da
personalidade, dando a ele mais condições de enfrentar as
dificuldades e os problemas do dia-a-dia. Com isso ele não se
intimida diante das dificuldades, não desanima e não se stressa
diz Deus o Altíssimo: "Amparai-vos na paciência e na oração.
E sabei que ela (a oração) é carga pesada, salvo para os
humildes." (2:45) e diz "Ó fiéis, amparai-vos na paciência e na
oração, porque Deus está com os pacientes." (2:153). A
paciência é uma forma de adoração diz Deus o Altíssimo "E
tenha paciência por seu Senhor" (74:7) e diz "E os que tem
paciência desejando contemplar o Rosto de seu Senhor".
(13:22)

No Alcorão Deus nos mostra as várias formas de paciência, são


elas:

A paciência em relação aos infortúnios - Todos nós passamos


por uma série de infortúnios nessa vida como a perda de entes
queridos, dificuldades financeiras e problemas de saúde entre
outros. Os que crêem sabem que isso tudo faz parte do teste
pelo qual estamos passando nessa vida, diz Deus o Altíssimo
"Certamente que vos poremos à prova mediante o temor, a
fome, a perda dos bens, das vidas e dos frutos. Mas tu (ó
Mensageiro), anuncia (a bem aventurança) aos pacientes.
Aqueles que, quando os aflige uma desgraça, dizem: Somos de
Deus e a Ele retornaremos. Estes serão cobertos pelas bênçãos
e pela misericórdia de seu Senhor, e estes são os bem
encaminhados." (2:155 à 157).

Paciência em relação aos caprichos e desejos - Paciência para


controlar desejos e impulsos. O ser humano não deve suprimir
esses desejos, deve sim satisfaze-los dentro dos limites
permitidos por Deus, disse o profeta (Que a paz esteja com ele)
"E em cada ato sexual tens uma caridade" então os seus
companheiros lhe perguntaram: "ó mensageiro de Deus,
quando um de nós satisfaz os seus desejos merece
recompensa?" então disse o profeta "Por acaso se tivessem
satisfeito os desejos de uma forma ilícita não estariam
cometendo uma falta?, pois quem satisfaz de forma lícita será
recompensado." e esse é um outro teste pelo qual passamos,
esse teste se dá tanto com o bem como com o mal. Vejamos o
que diz Deus o Altíssimo a esse respeito:

" e vos provaremos com o mal e com o bem" (21:35)

"Quanto ao homem, quando seu Senhor o experimenta,


honrando-o e agraciando-o, diz (empertigado): Meu Senhor me
honra! Porém quando o prova, restringindo a Sua graça, diz :
Meu Senhor me afronta!" (89:15 e 16)

"Em verdade os vossos bens e os vossos filhos são uma mera


tentação" (64:15)

"Ó fiéis, que os vossos bens e os vossos filhos não vos alheiem
da recordação de Deus, porque aqueles que tal fizerem, serão
desventurado" (63:9)

"Aos homens foi abrilhantado o amor aos desejos relacionados


às mulheres , aos filhos , ao entesouramento do ouro e da prata,
aos cavalos de raça, ao gado e às sementeiras. Tal é o gozo da
vida terrena ; porém, a bem aventurança está ao lado de
Deus." (3:14)

"Dize-lhes: Quem pode proibir as galas de Deus e o desfrutar


dos bons alimentos que Ele preparou a Seus servos? Dize-lhes
ainda: Estas coisas pertencem aos que crêem durante a vida
neste mundo, (ainda que as compartilhem com os demais);
porém, serão exclusivas dos crentes, no Dia da Ressurreição.
Assim elucidamos os versículos aos sensatos." (7:32)

"E não cobices tudo aquilo com que temos agraciado certas
classes, com o gozo da vida terrena a fim de, com isso, prová-
las posto que a mercê do teu Senhor é preferível e mais
persistente." (20:131)

Paciência na obediência à Deus - Diz Deus o Altíssimo: "É o


Senhor dos céus e da terra, e de tudo quanto existe entre
ambos. Adora-O, pois, e sê paciente em sua adoração!
Conheces-Lhe algum parceiro?" (19:65) e diz "E recomenda
aos teus a oração, e sê paciente na sua prática." (20:132).

A obediência à Deus implica em deixar a preguiça de lado para


se praticar a oração, deixar a avareza de lado para se pagar o
Zakat, deixar os prazeres de lado por um tempo quando da
prática do jejum e deixar tudo isso de lado na prática da
peregrinação. E para tudo isso é necessário ser paciente.

Paciência em relação a dificuldade do trabalho de divulgação -


Diz Deus o Altíssimo relatando os dizeres de Lucman: "Ó filho
meu, observa a oração, recomenda o bem, proíbe o ilícito e sê
paciente com tudo quanto te suceda, porque isto é firmeza (de
propósito na condução) dos assuntos." (31:17) e diz se dirigindo
ao profeta (Que a paz esteja com ele) "Sê paciente, que a tua
paciência será levada em conta por Deus; não te condoas deles,
nem te angusties por suas conspirações." (16:127) e diz "Sem
dúvida que sereis testados quanto aos vossos bens e pessoas, e
também ouvireis muitas blasfêmias daqueles que receberam o
Livro antes de vós, e dos idólatras; porém, se perseverardes
pacientemente e temerdes à Deus, sabei que isso é um fator
determinante, em todos os assuntos." (3:186) e diz "E sê
paciente com tudo o quanto te digam" (73:10) e diz ainda "Nós
suportaremos as vossas injúrias, e que à Deus se encomendem
os que nÆEle confiam!" (14:12).

Paciência na relação entre as pessoas - Diz Deus o Altíssimo:


"Jamais poderão equiparar-se a bondade e a maldade!
Retribui (ó Muhammad) o mal da melhor forma possível, e eis
que aquele que nutria inimizade por ti converter-se-á em
íntimo amigo! Porém a ninguém se concederá isso, senão aos
pacientes, e a ninguém se concederá isso, senão aos bem-
aventurados. Quando satanás te incitar à discórdia, ampara-te
em Deus, porque Ele é o Oniouvinte, o Sapientíssimo." (41:34 à
36) e diz "Em verdade, a maioria daqueles que gritam (o teu
nome), do lado de fora dos (teus) aposentos, é insensata. Mas se
aguardassem pacientemente, até que tu saísses ao seu encontro,
seria muito melhor para eles. Deus é Indulgente,
Misericordiosíssimo." (49:4 e 5).

Quando se vive numa sociedade não muçulmana ,onde as


forças que empurram as pessoas para longe do caminho de
Deus são grandes, seja no convívio escolar, seja no trabalho, ou
seja nos meios de comunicação que a todo o momento nos
bombardeiam com apelos a satisfação plena e sem limites dos
desejos, é que se percebe o imenso valor de se recomendar a
verdade, o que acaba aumentando a força daquele que se senti
enfraquecido, diante de todos esses bombardeios, e se percebe
também o imenso valor de se recomendar a paciência, pois
para se fazer frente a toda essa força que nos empurra para
longe do Din só mesmo tendo muita paciência, pois como disse
o profeta (Que a paz esteja com ele) "Vai chegar uma época em
que a pessoa se manter no caminho de Deus vai ser mais difícil
que segurar uma brasa acesa nas mãos" e diz Deus o Altíssimo:
"Se entre vós houvesse vinte pacientes, venceriam duzentos, e
se houvesse cem, venceriam mil dos incrédulos, porque estes
são insensatos. Deus tem-vos aliviado o peso do fardo, porque
sabe que há um ponto débil em vós; e se entre vós houvesse cem
pacientes, venceriam duzentos; e se houvesse mil, venceriam
dois mil, com o beneplácito de Deus, porque Ele está com os
pacientes." (8:65 e 66).

E aqui termina com a graça de Deus esse humilde trabalho, que


Deus faça com que ele esteja junto com as boas ações que é a
única riqueza que nos acompanha após a morte "Dia em que
de nada valerão bens ou filhos, salvo para quem comparecer
ante Deus com um coração sincero."

Surata do Difamador.
Esta Surata é makkita, ela é formada de nove versículos que
tratam das pessoas que costumam difamar, caluniar e
debochar das pessoas. E trata também daqueles que
acumulam riquezas achando que ela os tornará imunes a
todo mal, os tornará eternos. E lembra também que fim
essas pessoas levarão na outra vida. Os exegetas disseram
que esta Surata foi revelada por causa de um homem
chamado Al Akhnass bin Sharik que tinha o hábito de falar
mal das pessoas tanto pela frente como pelas costas e que
zombava dos defeitos dos outros as tornando motivo de
piada. As advertências contidas nessa Surata valem para
todas as pessoas.

Em nome de Deus o Clemente o Misericordioso.

"1 Ai de todo aquele que difama e coloca defeitos nos


outros. 2 Que acumula riquezas e as entesoura, 3
Pensando que as suas riquezas o imortalizarão! 4
Qual! Sem dúvida que ele será jogado naquilo que
consome. 5 E o que te fará entender o que é aquilo
que consome? 6 É o fogo de Deus, aceso, 7 Que
abrasará os corações. 8 Em verdade, isso será
aplicado sobre eles. 9 Em colunas estendidas." 104a.
Surata

Tafsir (exegese).
( Ai de todo aquele que difama e coloca defeitos nos
outros ) - Nesse versículo Deus adverte e promete um severo
castigo para aqueles que difamam, zombam e procuram
defeitos nos outros para que assim possa torná-los motivo de
chacota.

( Que acumula riquezas e as entesoura ) - Nesse versículo Deus


mostra um outro desvio de caráter que entra dentro da
advertência e da promessa de um severo castigo. Ele se refere
àqueles que acumulam riquezas e as guardam, se preocupando
somente em aumentar cada vez mais essa riqueza, sem cumprir
com as sua obrigações, como pagar o Zakat para quem
necessita, fazer caridade. Se esquecendo que na realidade tudo
o que ele possui pertence a Deus e que ele está apenas
gerenciando essa riqueza por um prazo determinado e que está
sendo testado para ver de que forma ele se utilizará desses
bens.

( Pensando que as suas riquezas o imortalizarão! ) - Esse


ignorante pensa que acumulando riquezas ele estará a salvo de
todos os perigos e que conseguirá até se livrar da morte se
tornando imortal.

( Qual! Sem dúvida que ele será jogado naquilo que consome ) -
Que ele não se apegue a essa ilusão, pois a verdade é que ele
será jogado no fogo que consome tudo o que cai nele.

( E o que te fará entender o que é aquilo que consome? ) - E


quem te mostrará a realidade desse grandioso fogo que? Deus
faz essa interrogação como uma forma de mostrar o quanto
esse fogo é grandioso e assustador.

( É o fogo de Deus aceso ) - ë o fogo que Deus criou e destinou


como castigo para aqueles que se afastam da Sua senda. Ele
não é como os outros fogos, ele nunca diminui de intensidade e
nem se apaga. Disse o profeta (Que a paz esteja com ele) "O
fogo foi alimentado durante mil anos até que ficou vermelho,
depois foi alimentado por mais mil anos até que se tornou
branco, e depois foi alimentado por mais mil anos até que ficou
preto. Hoje ele é preto e sombrio."

( Que abrasará os corações ) - E a dor e o sofrimento causados


por esse fogo chegará ao coração que é o símbolo da vida, eles
pensarão que vão morrer e se livrar do sofrimento, mas como
disse Deus " Onde não morrerá, nem viverá" (87:13), estarão
num sofrimento eterno.

( Em verdade, isso será aplicado sobre eles ) - Onde eles estarão


presos sem que nenhuma brisa entre para aliviar seus
sofrimentos.

( Em colunas estendidas ) - Onde eles se encontrarão com as


mãos e os pés acorrentados, após as portas se terem fechados
sem que eles tenham como escapar, e as colunas se estenderão
demonstrando que eles ficarão ali eternamente, sem que haja
um fim para esse sofrimento.

Surata do Elefante.
Esta Surata é makkita, ela é formada por cinco versículos
que contam a história dos donos dos elefantes que
aconteceu no ano de 570, que foi o ano do nascimento do
profeta (Que a paz esteja sobre ele). Por causa desse
acontecimento esse ano ficou conhecido como o ano do
elefante.

Em nome de Deus o Clemente o Misericordioso

"1 Acaso não reparaste no que teu Senhor fez com os


donos dos elefantes? 2 Acaso não desbaratou as
suas conspirações 3 Enviando contra eles grupos de
pássaros 4 Que jogaram sobre eles pedras de argila
5 E os deixou como plantações devastadas (pelo
gado)?" 105a Surata.

Tafsir (exegese).
( Acaso não reparaste no que teu Senhor fez com os
donos dos elefantes? ) - Acaso não lhe chegou ao
conhecimento e não sabes com toda certeza o que Deus fez com
os donos dos elefantes?

Narra-se que Abraha que foi enviado pelo rei da abissínia para
governar o Yemen construiu uma igreja luxuosa no com o
intuito de fazer com que os árabes deixassem de fazer a
peregrinação a Makka onde se encontra a Kaaba, para fazer a
peregrinação a essa igreja, mudando dessa forma a rota do
comércio de Makka para o Sanaá.
Um beduíno árabe não gostou e entrou nessa igreja a noite e
defecou nela. Abraha furioso decidiu formar um exército para
destruir a Kaaba, esse exército era formado por grandes
elefantes. Chegando as proximidades de Makka ele ordenou
aos seus soldados que pilhassem tudo o que encontrassem, e
entre as coisas que foram pilhadas estavam os camelos de
Abdul Mutalib (avô do profeta e chefe de Makka) e mandou
um mensageiro entregar uma mensagem ao chefe de Makka
dizendo que ele não queria machucar ninguém e que ele só iria
destruir a Kaaba. Abdul Mutalib foi ao encontro de Abraha
que o recebeu muito bem e disse estar disposto a atender a
qualquer pedido dele, então Abdul Mutalib pediu que Abraha
lhe devolvesse os seus camelos, Abraha ficou espantado pois
achou que ele fosse pedir para que ele não destruísse a Kaaba,
e ao demonstrar o seu espanto e a sua decepção com Abdul
Mutalib este lhe disse que os camelos lhe pertenciam por isso
ele os pedia de volta e disse que a Kaaba tinha o seu dono que
iria protege-la então quando toda a população saiu de Makka
Abraha seguiu com o seu exército para colocar o seu plano em
ação.

( Acaso não desbaratou as suas conspirações ) - Acaso não os


destruiu fazendo com que eles fracassassem na missão de
destruir a Kaaba.

( Enviando contra eles grupos de pássaros ) - Enviando sobre


eles um exército de pássaros que vinham grupos atrás de
grupos e os cercavam por todos os lados.

( Que jogaram sobre eles pedras de argila ) - Que despejavam


sobre eles pedras de argila endurecida que tinham o tamanho
de um grão de lentilha, e um enorme poder de destruição onde
elas caiam deixavam um efeito estrondoso. Cada pássaro
carregava três pedras uma no bico e duas, uma em cada pata.

( E os deixou como plantações devastadas(pelo gado)? ) - E


como resultado desse poderoso ataque, eles ficaram
semelhantes a folha que foi mastigada por um animal e depois
eliminada pelas fezes. Essa história como Deus agraciou o povo
de Coraix os livrando de seus inimigos.

Surata de Coraix
Esta Surata é Makkita, é constituída de quatro versículos
que mostram as graças de Deus para com o povo de Coraix.

Em nome de Deus o Clemente o Misericordioso


"1 Pelo convênio dos coraixitas, 2 O convênio das
viagens de inverno e de verão! 3 Que adorem pois o
Senhor dessa casa, 4 Que os provê contra a fome e
os salvaguarda do temor!" 106a Surata.

Tafsir (exegese)
( Pelo convênio dos coraixitas ) - Pelos acordos que Coraix
fez pela graça de Deus .

( O convênio das viagens de inverno e verão ) - Convênio esse


traçado para que eles pudessem no inverno fazer comercio no
Yemen e no verão em Damasco trazendo com eles alimentos e
roupas. Eles obtinham lucro tanto na ida como na volta eles
viajavam tranqüilos sem temer o ataque de outras tribos pois
eram respeitados por morarem perto e serem os guardiões da
Kaaba e quando Deus destruiu os donos dos elefantes esse
respeito aumentou e consequentemente os benefícios
decorrentes dessas viagens também aumentaram, por isso Deus
os lembrou nesses versículos de todas essas graças para que eles
O agradecessem e O adorassem sem Lhe associar parceiros.

( Que adorem pois o Senhor dessa casa ) - Que adorem a Deus


que é o Senhor de tudo o que existe, inclusive essa casa (a
Kaaba) que por estar sobre as suas custódias lhes rendeu com a
graça de Deus tantos benefícios. Que adorem, o Único que pode
lhes beneficiar, o Único que merece ser adorado sem Lhe
associar nenhuma outra divindade na adoração.

( Que os provê contra a fome e os salvaguarda do temor ) -


Nesse versículo Deus mostra duas das graças com as quais Ele
agraciou o povo de Coraix para que eles caíssem em si e
adorassem aquele que os alimentou mesmo eles morando numa
região árida imprópria para a plantação e os salvaguardou do
temor mesmo estando numa área em que o ataque entre as
tribos era comum.

Surata do Auxílio
Esta Surata é Makkita, ela é formada por sete versículos que
nos falam de dois grupos de pessoas, os incrédulos e os
hipócritas.

Em nome de Deus o Clemente o Misericordioso

"1 Tens reparado naqueles que desmentem o sistema


que Deus revelou 2 É aquele que deixa os órfãos de
lado 3 E não incentiva o ato de alimentar os
necessitados 4 Ai daqueles que oram 5 E que são
negligentes em suas orações 6 E que as fazem por
ostentação 7 Negando-se, contudo, a prestar auxílio!"
107a Surata.

Tafsir (exegese)
(Tens reparado naqueles que desmentem o sistema que
Deus revelou) - Você sabe quem são os que desmentem o Din
(sistema) e negam o dia do juízo final, você sabe quais são as
suas características?

( É aquele que deixa os órfãos de lado ) -

Interesses relacionados