Você está na página 1de 6

ESEG Escola Superior de Engenharia e Gestão Material de apoio disciplina Comunicação Empresarial 1 Professora Karlene Campos

O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO DA LÍNGUA PORTUGUESA

Como você sabe, já estão em vigor no Brasil as novas normas ortográficas da Língua Portuguesa, regidas pelo Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

Devemos enfatizar que as novas regras se referem à língua escrita e não à falada. Esta última, como se sabe, é espontânea e revela diferenças regionais, individuais, sociais etc. Assim, ainda que haja a intenção de que a língua retrate, por meio de sua representação gráfica, a pronúncia das palavras, isso jamais será possível, já que, na prática, a realização da língua implica vários fatores, que fogem a uma padronização vamos considerar, por exemplo, a pronúncia de uma mesma palavra em situações formais ou informais; a pronúncia de uma palavra em diferentes regiões; a pronúncia de uma palavra por indivíduos de diferentes classes sociais, entre outros.

O Acordo, então, refere-se, especificamente, à representação gráfica da nossa língua e não à sua sintaxe, à sua estrutura no intuito de permitir o seu reconhecimento em qualquer situação em que ela ocorra.

Desse modo, a padronização da grafia procura retratar uma imagem de unidade e uniformidade, e só em casos excepcionais, quando não foi possível um consenso, admitem-se duas grafias para a mesma palavra, como veremos em alguns exemplos mais adiante. Mas atenção: uniformização ortográfica nada tem a ver com uniformização da língua! De acordo com Azeredo (2008, p. 13), “as línguas são como são em virtude do uso que seus falantes fazem dela, e não de acordos de grupos ou de decretos de governo”.

As normas de unificação do idioma entraram em vigor em 2008, nos oito países de Língua Portuguesa: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Portugal e Timor Leste. Seus objetivos principais são:

aumentar o intercâmbio cultural entre os países em que se fala o português;

permitir maior difusão bibliográfica e tecnológica;

diminuir o valor econômico da produção e da tradução de livros;

aproximar as nações de Língua Portuguesa.

Veja os tópicos da ortografia portuguesa que sofreram mudanças:

· Novo alfabeto português

Em vez de 23 letras, o alfabeto português passa a ter 26 letras, pois foram incluídas as letras k, w, y, que devem ser usadas nos seguintes casos:

Em nomes próprios de pessoas

Ruy, Kátia, Wagner

Em termos derivados de nomes próprios

Byron-byroniano; Shakespeare-

ESEG Escola Superior de Engenharia e Gestão Material de apoio disciplina Comunicação Empresarial 1 Professora Karlene Campos

 

shakespeareano

Em nomes próprios de lugares estrangeiros

Kuwait, Malawi

Em siglas, símbolos e palavras adotadas internacionalmente como unidades de medida

Km (quilômetro), Kg (quilograma)

· Eliminação do Trema

O trema deixa de existir:

Antes do acordo

Depois do acordo

agüentar

aguentar

ambigüidade

ambiguidade

freqüência

Frequência

Mas

atenção

:

próprios

estrangeiros: Müller, Hübner e permanece também nas palavras derivadas desses substantivos: mülleriano, hübneriano.

o

trema

permanece

na

grafia

de

substantivos

· Eliminação do acento agudo nos ditongos abertos ei, -oi, -eu das palavras paroxítonas

O acento agudo nos ditongos abertos ei, -oi, -eu desaparece depois do acordo:

Antes do acordo

Depois do acordo

idéia

ideia

estréia

estreia

jóia

joia

Observe que a acentuação se mantém nos ditongos abertos de palavras oxítonas: anéis, fiéis, papéis etc.

· Eliminação do acento agudo de “i” e “u” tônicos precedidos de ditongo em palavras paroxítonas

Em palavras paroxítonas, o acento agudo desaparece nos “i” e “u” tônicos precedidos de ditongo:

Antes do acordo

Depois do acordo

feiúra

feiura

baiúca

baiuca

boiúna

boiuna

Mas considere que o acento se mantém em palavras com “i” e “u” tônicos de palavras proparoxítonas (maiúsculo) ou em palavras com “i” e “u” tônicos não

ESEG Escola Superior de Engenharia e Gestão Material de apoio disciplina Comunicação Empresarial 1 Professora Karlene Campos

precedidos de ditongo (cafeína, saúde, sanduíche), desde que não formem sílabas com r, l, m, n, z ou não estejam seguidos de nh (raiz, ruim, rainha)

· Eliminação do acento agudo de palavras paroxítonas que possuam u tônico precedido das letras “g” ou “q”, seguidas de –e ou i

Formas verbais como “averigúe” e “apazigúe” não são mais acentuadas. Veja os exemplos a seguir:

Antes do acordo

Depois do acordo

averigúe

averigue

apazigúe

apazigue

argúem

arguem

· Eliminação do acento diferencial em palavras homógrafas

Desaparece o acento diferencial em palavras homógrafas:

Antes do acordo

Depois do acordo

para (preposição); pára (verbo)

para (preposição); para (verbo)

pelo (substantivo); pélo (verbo pelar)

pelo (substantivo); pelo (verbo pelar)

Mas o acento diferencial é mantido em:

pôde (3ª pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo) pode (3ª pessoa do singular
pôde (3ª pessoa do singular do pretérito
perfeito do indicativo)
pode (3ª pessoa do singular do
presente do indicativo

O acento diferencial também permanece em palavras oxítonas e monossílabos:

mantém (3ª pessoa do singular do presente do indicativo)

mantêm (3ª pessoa do plural do presente do indicativo)

abstém (3ª pessoa do singular do presente do indicativo)

abstêm (3ª pessoa do plural do presente do indicativo)

pôr (verbo)

por (preposição)

tem (3ª pessoa do singular do presente do indicativo)

têm (3ª pessoa do plural do presente do indicativo)

vem (3ª pessoa do singular do presente do indicativo)

vêm (3ª pessoa do plural do presente do indicativo)

· Eliminação do acento nos encontros vocálicos ee, -oo

A primeira vogal dos encontros vocálicos ee, -oo não são mais acentuadas:

Antes do acordo

Depois do acordo

lêem

leem

ESEG Escola Superior de Engenharia e Gestão Material de apoio disciplina Comunicação Empresarial 1 Professora Karlene Campos

crêem

creem

perdôo

perdoo

vôo

Voo

· Uso do hífen

O hífen NÃO DEVE SER USADO:

a) em palavras compostas nas quais a noção de composição, de certa forma,

se perdeu:

Antes do acordo

Depois do acordo

pára-quedas

paraquedas

b) em palavras cujo prefixo terminar em vogal e o segundo elemento começar

com “s” ou “r” (duplicar “s” ou “r”):

Antes do acordo

Depois do acordo

contra-regra

Contrarregra

anti-semita

Antissemita

supra-sumo

suprassumo

c) em palavras cuja vogal final do prefixo é diferente da vogal inicial segundo elemento:

do

Antes do acordo

Depois do acordo

extra-escolar

Extraescolar

auto-aprendizado

Autoaprendizado

auto-escola

autoescola

O hífen DEVE SER USADO:

a) em palavras compostas, quando o segundo elemento começar com “h”:

anti-herói

auto-homenagem

pré-história

sobre-humano

super-herói

b) em palavras compostas cujos elementos constituem uma unidade semântica, mas mantêm uma tonicidade própria:

couve-flor arco-íris
couve-flor
arco-íris

ESEG Escola Superior de Engenharia e Gestão Material de apoio disciplina Comunicação Empresarial 1 Professora Karlene Campos

mato-grossense

norte-americano

luso-brasileiro

c) em palavras com prefixos “circum” e “pan”, quando o segundo elemento

começar com vogais, “m” ou “n”:

circum-navegar

circum-adjacente

pan-americano

pan-africano

d) em palavras em que o prefixo terminar em vogal ou consoante e o segundo elemento começar com a mesma vogal ou consoante:

hiper-reativo

inter-relacionado

micro-ondas

micro-ônibus

anti-inflamatório

e) em qualquer condição para prefixos como “além-“, “ex-“, “vice-“ e para

prefixos formados por monossílabos tônicos como “pós-“, “pré-“, “pró-“:

além-mar

ex-diretor

vice-reitor

pós-graduação

pré-natal

f) em compostos que designam espécies botânicas e zoológicas:

erva-doce

vitória-régia

feijão-verde

ave-maria

bem-te-vi

BIBLIOGRAFIA

AZEREDO, José Carlos de (2008). Gramática Houaiss da Língua Portuguesa. Redigida de acordo com a nova ortografia. São Paulo: PubliFolha.

BECHARA, E. (2009). Moderna gramática portuguesa. Atualizada pelo novo acordo ortográfico. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

ESEG Escola Superior de Engenharia e Gestão Material de apoio disciplina Comunicação Empresarial 1 Professora Karlene Campos

SILVA, M. (2008). O novo acordo ortográfico da língua portuguesa. São Paulo:

Contexto.