Você está na página 1de 12
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar

Comissão de Direitos

Câmara de

Associação Mão Amiga

Humanos da

Unaí deve investigar

Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar
Comissão de Direitos Câmara de Associação Mão Amiga Humanos da Unaí deve investigar

2 . Opinião . Junho de 2011

2 . Opinião . Junho de 2011

Editorial

Existir é resistir

Antes que a teoria atrofie nossos pensamentos, nossas vidas e ideais, é preciso praticar. Nossa caminhada ao lado do trabalhador, nos mostra que é necessário conti- nuar e para isto, ou então, por causa disto, nossa luta é árdua, e muito mais pragmática, do que ideológica (ou estruturalmente fascista). Nosso objetivo enquanto imprensa não pode ser ex- plicado em um editorial, até porque será a caminhada, nossa formação. Porém, uma coisa é certa, estamos do

lado do trabalhador, seja em qual situação ele estiver. Por isto, o título diz ser necessário resistir para existir. Somente com a resistência se sobrevive em um país onde

16 milhões de pessoas, segundo o IBGE (em pesquisa di-

vulgada mês passado), vivem com renda mínima de R$

70 por mês.

Mas para não se falar em mazela, também podemos dizer que somente com muita resistência se adquiri a liberdade de expressão, pois, até o momento cinco as- sassinatos no campo aconteceram em todo o Norte do país, sendo que um desses crimes aconteceu no dia da aprovação do Código Florestal. Supõe-se que os crimes aconteceram em represália às pessoas que denunciavam

o desmatamento e a exploração ilegal de madeira. Nossa matéria de capa fala sobre um tema bastante delicado e importante. Diz respeito a denúncia feita por um vereador na Câmara de Unaí. A denúncia levou nossa reportagem a procurar alguns dos órgãos responsáveis, com o intuito de saber um pouco mais sobre a veracida- de da denúncia. Ainda tratando de Unaí, apresentamos a opinião de alguns entrevistados, sobre a possível mudan- ça do horário das reuniões da Câmara de 15h para as 19h. Entrevistamos o relator da CPI, instaurada na Câmara de Vereadores de Paracatu que visa apurar o motivo da morte de pacientes no Hospital Municipal, que foi inau- gurado no início deste ano. Relatamos o acidente de uma trabalhadora, Vanessa Paixão de Araújo, 23, que morreu depois de sofrer aci- dente envolvendo um ônibus de transporte urbano na cidade de Unaí. O acidente aconteceu quando Vanessa ia atender a uma cliente, pois, para completar a renda ela precisava trabalhar como manicure, inclusive aos finais de semana. O acidente aconteceu sábado, 21. Ela também tinha acabado de se forma no curso técnico de enfermagem. Também resistindo às perseguições e aos abalos, e muitas vezes, à abalos físicos, a página 8 apresenta os blogs e alguns – entre milhões – de seus adeptos. José Antonio, entrevistado para reportagem, disse que já so- freu perseguições por dizer o que pensa. Como Antonio, muitos blogueiros não são remunerados pelo que fazem, porém seus blogs prestam serviços de utilidade pública.

Nós mesmos da redação do INTERESSANTE, diversas vezes nos pautamos nas reportagens feitas por blogueiros de todo o Noroeste para nos orientarmos sobre quais as- suntos vamos colocar na edição. Os blogs além de serem sensores (para medir o interesse do público) acabam sen- do também estimuladores de reportagens e até mesmo de investigações judiciais. Parece que aqui também o lema

é resistir. Outro aspecto que indubitavelmente resiste são os dados cujos indicam o Brasil como um país exclusivis- ta e totalmente desigual. Comentado pelo Frei Rômulo em uma das palestras feitas durante o Seminário voltado para o Dia Mundial do Meio Ambiente em Unaí , no Bra-

sil 80% da população são considerados ‘os mais pobres’,

e 20% ‘os mais ricos’. Desses 20% mais ricos, 65% de

toda riqueza produzida e existente no país, estão em con- centradas em suas mãos. Sendo assim, todos os contextos narrados nesta edi- ção remetem à resistência, à existência de muitos sujeitos (pessoas), que vivem num país que se comporta na linha do ‘Desenvolvimento’. Mas, para isto acontecer, muito ainda deverá ser fei- to. Inclusive explorar da população sua maior riqueza, ou seja, sua força de trabalho. Tanto que “onda inflacio- nária”, (palavras de Lula) remetendo à volta da inflação, não deve ser vista como mera coincidência. Diante disto, não podemos viver com a ilusão do ama- nhã, mas com a certeza do presente. Por isto, toda resis- tência é importante e toda dúvida: necessária.

Charge

É DIGNO DISCRIMINAR CATADORES DE SONHOS?
É DIGNO DISCRIMINAR CATADORES DE SONHOS?
>>Artigo por Ricardo Roberto da Silveira Mestre em Ciências da Educação Superior pela Universidade de
>>Artigo
por Ricardo Roberto da Silveira
Mestre em Ciências da Educação Superior pela Universidade de Matanzas Camilo Cienfuegos Cuba
“Uma política desportiva deve impor investimentos”
Devemos sempre favorecer o esporte
esteja em consonância com a vontade
popular ou não, uma vez que vejo que
os espetáculos esportivos podem contri-
Só sabemos que evidentemente o
desporto bem direcionado no geral terá uma
virtude no geral mágica. Não podemos
e pela formação de lealdades sociais (com
os seus aspectos morais). Contribuem para
a vida afetiva, pela satisfação encontrada
buir para erradicar o analfabetismo físico
e esportivo, transformando a passividade
do assistente em dinamismo do praticante,
consciente da atividade esportiva.
Dentre todos os problemas que
afligem a nossa sociedade quando membro
consciente de determinado meio social, o
primeiro que sobre todos impera, é o da
Educação.
A necessidade de conversação, de
defesa e associação são os primeiros
indícios de que o homem é um ser que
aprende que adapta certas atitudes de prefe-
rência a outras, porque o êxito lhe aparece
mais seguro ou menos problemático. É
devido a ordenação da experiência, ou
aprendizagem, que tudo lhe torna possível,
quando é possível, que o homem atingiu o
nível cultural que possui de organização,
respeito e dignidade.
afirmar que ele, é por si só, um meio educa-
tivo nem tão pouco podemos afirmar o
contrário, porém um campeonato como o
JEMG Jogos Estudantis de Minas Gerais
2011 fase micro regional será dificilmente
esquecida pelos nossos alunos da rede
escolares de Unaí - MG, uma vez que este
evento lidou e lida com diferentes culturas
e modalidades esportivas.
Mas sempre podemos estar melho-
rando até mesmo ressaltando as principais
dificuldades de se praticar esporte neste
país, tendo em vista que o capitalismo mais
uma vez impera, pois uma simples bola de
qualquer modalidade esportiva a custa no
mercado, meio salario mínimo, dizer mais
na atividade voluntária e pelo alívio de
tensões que permitem um clima de aprova-
ção, bem como pelos sentimentos estéticos
que despertam. Encorajam o desenvolvi-
mento intelectual por meio do exercício da
atenção e da imaginação (o faz-de-conta)
e também pelo uso progressivo de proces-
sos mentais mais complexos (como compa-
ração e discriminação) e, pelo estímulo
à imaginação favorecem o domínio das
habilidades de comunicação, nas suas
varias formas (oral, postural, visual, gráfi-
cas, artística etc.), facilitando a auto expres-
são.
o que?
Vale então ressaltar a importância deste
evento, o qual além de tudo promove socia-
lização, pelo exercício de vários papéis
sociais (com as suas normas de conduta)
Se nós todos os professores de Educa-
ção Física agir com autenticidade, incen-
tivo e tiver coragem de colocarmos a mão
na massa, sairemos todos vencedores e
teremos orgulho do que fazemos, incentiva
a prática esportiva ressaltando os valores
que se compõem cidadãos de bem.
>>Artigo por Alda Alves Barbosa | www.aldaalvesbarbosa.com Poeta e Escritora Emocionar O divino ofício do
>>Artigo
por Alda Alves Barbosa
|
www.aldaalvesbarbosa.com
Poeta e Escritora
Emocionar
O divino ofício do escritor
Diziam os antigos gregos
que temos alguma coisa semelhante aos
deuses. Acredito que todo ser humano já
experimentou essa realidade. Contudo, a
vendo está levando a pessoa que lê despre-
tensiosamente adentrar-se no mundo da
essa fala do mundo, acrescento que somos
semelhantes aos deuses quando criamos
ou experimentamos a criação. A criação e
nossa criação e sentir-se como nós? Se não,
corremos o sério risco de estarmos “entre-
gando” ao nosso povo a nossa ignorante
audácia
Aos amigos agradecemos o olhar
o ato de criar fazem do ser humano potên-
cia pura. Este momento vivido – provocado
pela arte – no momento em que nos torna-
mos tão íntimos da criação que entramos
em um estado extraordinário de alegria e
contemplação. Esse misterioso estágio de
elevação parece ser aquilo que diferencia
uma obra qualquer de uma obra de arte.
Assim, concretamente, pergunto a todos
que se consideram escritores deste chão:
com o coração, mas questiono se são eles
as pessoas indicadas para dizer se estamos
preenchendo a sede do saber, a sede de
beleza, de cultura
Se o que escreve mos
será que estamos passando para os unaien-
ses uma literatura abrangente que faz com
quem nos lê aprenda ou tenha um senti-
mento de beleza, de concretude a partir do
que escrevemos e formatamos em forma
de livro? Será que o que estamos escre-
está atingindo o ponto mais alto da harmo-
nia das palavras, da sonoridade, sem o
inchaço de um brilho falso, enganador! Será
que estamos em nosso versejar, atingindo o
sublime, o momento ardente, congelante,
que leva os leitores ao êxtase? Descobri
que não. E esta descoberta tornou-se uma
espécie de visualização de uma analogia
que vai além da autocrítica, uma percep-
ção reveladora como se de repente, fosse
tirado o véu que encobria um mistério que
sufocava! É claro que estamos começando,
estamos dando os primeiros passos, mas a
cada passo seguinte o equilíbrio tem que
estar melhor e, no caso de nós, escritores
deste chão, cada conto, cada poema, cada
prosa poética tem que estar melhor que o
anterior, isto significa que um dia chegare-
mos a emocionar o leitor, que é o verda-
deiro objetivo de quem se aventura na
literatura.
E sobre a perspectiva da técnica literá-
ria a poesia do ato de escrever deve estar
apoiada na capacidade do escritor, do
poeta, de lançar-se a altos voos; a quali-
dade na criação das figuras de lingua-
gem e de pensamento; a escolha adequada
das palavras e expressões fabricadas e a
composição de tudo isso. Se não lançar-
mos mão desta técnica correremos o risco
do continuísmo do erro e do esvaziamento
de idéias.
Precisamos de mudanças sim, porque
nada é tão magnífico quanto a energia
criadora experimentada pelo poeta, quando
se manifesta.

Expediente

experimentada pelo poeta, quando se manifesta. Expediente G8 COMUNICAÇÃO LTDA CNPJ: 09.467.920/0001-73 Rua Celina

G8 COMUNICAÇÃO LTDA

CNPJ: 09.467.920/0001-73 Rua Celina Lisboa Frederico, 64 - Sl. 304 - TELEFAX: (38) 3676-3882 B. Centro - CEP 38610-000 - Unaí - Minas Gerais

W W W . P O R T A L I N T E R
W
W
W
.
P
O
R
T
A
L
I
N
T
E
R
E
S
S
A
N
T
E
.
C
O
M
.
B
R

DIRETOR GERAL

Danny Diogo T. Santana

(38) 3676-3882 / 9981-7256 comercial@portalinteressante.com.br

REDAÇÃO E REPORTAGEM

Marcos Antonio Padilha

TIRAGEM

10.000

exemplares

Artigos publicidados são de responsabilidade dos autores e, necessariamente, não expressam a opinião do INTERESSANTE.

Junho de 2011 . O Noroeste . 3

Junho de 2011 . O Noroeste . 3

O Noroeste

CPI para investigar mortes no Hospital Municipal de Paracatu

Os vereadores terão 120 dias para apresentar um laudo concluinte informando o resultado das investigações; em entrevista ao INTERESSANTE, mãe de Thainá Bezerra, de oito anos, que faleceu no hospital, diz:“minha filha morreu muito rápido”

A Câmara Municipal de Paracatu montou uma Comissão Par-

lamentar de Inquérito (CPI)

para apurar a morte de pa- cientes no Hospital Muni- cipal da cidade. De acordo com o relator da comissão,

o vereador Vânio Ferrei-

ra (PT), as mortes foram “possivelmente” causadas

pela troca de oxigênio por

ar comprimido. “Com esse

erro é possível que tenha morrido varias pessoas no

período de janeiro até mar- ço quando se descobriu o erro”, diz o vereador. Com

a instauração da comissão,

eles têm o prazo de 120 dias para apresentar um laudo

concluinte. Segundo o relator da

CPI, a falha só foi detecta-

da porque um carrinho de

anestesia “deu problema”

e ao fazer sua manutenção

observaram que não era oxi- gênio que chegava aos pa- cientes, e sim, ar comprimi-

Foto: Assessorica Comunicação do vereador Vânio Ferreira (PT)

Assessorica Comunicação do vereador Vânio Ferreira (PT) O relator Vânio Ferreira (PT), aconselha que a população

O relator Vânio Ferreira (PT), aconselha que a população compareça à Câmara para pressionar os vereadores à

aprovar os requerimentos que serão solicitados pela CPI

do. Esta falha teria causado a morte de uma menina de oito anos, Thainá Bezerra de Oliveira. Mas outras mortes poderiam ter ocorridas pelo mesmo motivo.

Em entrevista ao INTE- RESSANTE, a mãe, Doriana Carvalho, disse não acredi- tar que sua filha tenha fale-

cido por causa da pneumo- nia. “Ela estava boa, quando entrou no hospital. Até por- que a pneumonia dela, se- gundo o médico, estava no início”, afirma. A mãe informou, que nem a Prefeitura Municipal e nem o Hospital através de seus dirigentes, a procura-

ram para prestar algum es- clarecimento sobre o fato. “O hospital alegou que ela estava com pneumonia, e teve uma insuficiência res-

piratória e convulsão. Ela fa- leceu muito rápido”, destaca

a mãe. A presidência da CPI marcará reunião para dis- cutir o calendário e também apresentar o requerimento para que algumas pessoas – administradores e testemu- nhas – sejam ouvidas.

Pressão popular Instauração de CPIs não

é meramente um embate político entre a oposição e

a situação. Sua intenção vai

além destas particularida- des e pode trazer resultados – caso bem trabalhadas – condizentes ao que se inves- tiga. O relator aconselha a população a comparecer nas reuniões da Câmara, para pressionar os vereadores in- dependente de partido, à vo-

Foto: globo.com/cidades

Doriana Carvalho, mãe de Thainá Bezerra de Oliveira (foto), uma das possíveis vítimas, não concorda
Doriana
Carvalho, mãe de
Thainá Bezerra
de Oliveira
(foto), uma
das possíveis
vítimas, não
concorda com
a morte de sua
filha: “tanto que
o médico disse
que a pneumonia
dela estava no
começo”

tar os requerimentos neces-

sários para a CPI. “Porque é comum em reunião [quando

a coisa aperta, para o Go-

verno] a base simplesmente

se levanta e sai do Plenário para comprometer o quó- rum, e como nós estamos com uma comissão com quatro vereadores, sendo dois da base independente

e dois da base de Governo,

fica difícil conduzir os tra-

balhos”, explica o relator.

Prefeitura Municipal A reportagem entrou em contato com a Prefeitu- ra Municipal de Paracatu, responsável pelo Hospital Público para obter informa- ções sobre o ocorrido. Mas até o fechamento da edição, não obtivemos nenhuma

informação solicitada. Por este motivo, não foi possível saber o nome da empresa

que fornece os tubos, que possivelmente teriam apre- sentado problema.

Empresas responsáveis A empresa responsável pelo fornecimento de oxigê- nio ao Hospital Municipal

é a empresa White Martins. Em nota, ela informa que fornece oxigênio líquido ao hospital e que. na ocasião do acidente, o oxigênio “es- tava plenamente de acordo com as especificações de qualidade”. A nota salien- ta que técnicos da empresa realizaram “testes” na saí- da do tanque de oxigênio e “nenhuma anormalidade foi constatada”.

da empresa realizaram “testes” na saí- da do tanque de oxigênio e “nenhuma anormalidade foi constatada”.
da empresa realizaram “testes” na saí- da do tanque de oxigênio e “nenhuma anormalidade foi constatada”.

4 . O Noroeste . Junho de 2011

4 . O Noroeste . Junho de 2011

Foi rejeitado na Câmara de Unaí projeto que visa mudar horário da reunião ordinária

O projeto de resolução nº 1/2011 muda o horário das reuniões, de 15h para as 19h; vereador que propõe o projeto, afirma que mudança é condizente com a realidade do povo

A Câmara Municipal

de Unaí realiza suas

reuniões ordinárias

às segundas-feiras,

no horário das 15h. Este ho- rário passou a vigorar no final de 2010, quando a Casa pediu a alteração do horário, para que houvesse redução de gas- tos, já que na ocasião à mesma estava construindo um anexo que custou R$ 2,2 milhões. Porém, com o final da cons- trução o horário não foi res-

tabelecido ao horário anterior que era às 19h.

foi res- tabelecido ao horário anterior que era às 19h. eu percebo também que é a
foi res- tabelecido ao horário anterior que era às 19h. eu percebo também que é a

eu percebo também que é a vontade majoritária do povo de nossa cidade, que as reuniões voltemacontecer no período noturno”

que as reuniões voltemacontecer no período noturno” Vereador IltonCampos (PSDB), autor do projeto que visa
que as reuniões voltemacontecer no período noturno” Vereador IltonCampos (PSDB), autor do projeto que visa

Vereador IltonCampos (PSDB), autor do projeto que visa restabelecer oantigohoráriodas sessões

Por este motivo, o vere- ador Ilton Campos (PSDB), apresentou, no último dia 9, um Projeto de Resolução (nº 1/201), que visa restabelecer o antigo horário das sessões. Segundo o vereador, o horário atual impossibilita as pessoas e, principalmente, o traba- lhador de participar das reu- niões. “Entendo que desde a fundação do poder Legislativo de Unaí às reuniões sempre funcionaram no período no- turno. E eu percebo também que é a vontade majoritária do povo de nossa cidade, que as reuniões voltem acontecer no período noturno”, afirma. O INTERESSANTE entre- vistou algumas pessoas (que geralmente assistem às ses- sões no atual horário às 15h) com o intuito de saber o que elas pensam sobre a alteração do horário. Segundo o funcionário público, Edvânio Cardoso dos Santos, ele só consegue as- sistir às reuniões na Câmara, porque consegue folga, já que

às reuniões na Câmara, porque consegue folga, já que A noite seria melhor. Eu só consigo
às reuniões na Câmara, porque consegue folga, já que A noite seria melhor. Eu só consigo

A noite seria melhor. Eu só consigo vir porque, como trabalho até dia de domingo, na segunda- feira geralmente eu estou de folga

de domingo, na segunda- feira geralmente eu estou de folga EdvânioCardosodos Santos, funcionáriopúblico ele trabalha

EdvânioCardosodos Santos, funcionáriopúblico

de folga EdvânioCardosodos Santos, funcionáriopúblico ele trabalha por produção. “A noite seria melhor. Eu só

ele trabalha por produção. “A noite seria melhor. Eu só con- sigo vir porque trabalho até dia de domingo, na segunda- feira geralmente eu estou de folga”, diz. No dia mesmo que Santos foi entrevistado, ele não conseguiu assistir toda a sessão pelo fato que teve que voltar ao trabalho. Uma funcionária que há 15 anos trabalha na Casa, e que não quis se identificar, disse não se importar com a mudança. “Para mim não vai mudar nada. Caso eu tenha que trabalhar de noite, vou

vai mudar nada. Caso eu tenha que trabalhar de noite, vou Plenário em dia de reunião

Plenário em dia de reunião ordinária às 15h

folgar de dia, ou então, re- ceberei hora extra”, explica. Para outro funcionário, o as- sessor de comunicação, Wa- shington Moreno, que já tra- balhou nos dois períodos, “o período da tarde tem atraído mais pessoas que o anterior, à noite”, diz. Para o presidente da asso- ciação de bairro do Mamoeiro, Demétrio Antonio Ferreira, o horário atual das reuniões “priva” as pessoas de parti- cipar das discussões que diz respeito à cidade. Ele cita seu exemplo como presidente de associação de bairro – função que não é remunerada, onde para se manter, é necessário trabalhar em outras ativida- des para se manterem. “Como um presidente de associação, que precisa trabalhar porque tem família, vai comparecer nas reuniões para discutir e apresentar os problemas de sua comunidade se as reuni- ões acontecem quando mui-

tos ainda estão trabalhando?”, questiona o presidente. Ele também acha que os dias das reuniões deveriam acontecer no meio da semana. “Segun- da-feira para quem trabalha com comércio, por exemplo, é o dia mais tumultuado”, ex- plica. “Quarta-feira poderia ser um bom dia”, sugestiona Ferreira.

Câmara Segundo Ilton Campos, os vereadores que votaram favo-

Segundo Ilton Campos, os vereadores que votaram favo- pelo simples motivo de que a maioria dos
Segundo Ilton Campos, os vereadores que votaram favo- pelo simples motivo de que a maioria dos

pelo simples motivo de que a maioria dos vereadores entenderam que o horário atual esta sendo melhor que o anterior

que o horário atual esta sendo melhor que o anterior Vereador Hermes Martins (PV) , presidente

Vereador Hermes Martins (PV) , presidente da Câmara de Unaí

Hermes Martins (PV) , presidente da Câmara de Unaí rável à mudança do horário para as

rável à mudança do horário para as 19hs, foram: vereador José Inácio (PMN), vereador Euler Braga (PSDB), vereador Tadeu (PMDB), e o vereador Ilton Campos (PSDB). O presidente da Casa, Her- mes Martins (PV), que votou contrário à mudança do ho- rário para as 19h, disse que o projeto foi rejeitado “pelo sim- ples motivo de que a maioria dos vereadores entenderam que o horário atual está sen- do melhor que o anterior”. O presidente também falou que este ano não há possibilidade de mudar o horário. Mas segundo o autor do projeto, por meio de requeri- mentos, assinado pela maioria dos vereadores, é possível co- locar o projeto para ser discu- tido outra vez este ano. “Real- mente nosso regimento interno fala que não podemos repetir a mesma matéria no ano, mas nós temos por outro lado a so- berania do plenário”, diz.

TODOS OS TIPOS DE CAMISETAS UNIFORMES PROFISSIONAIS CALÇAS, LEG’S, JALECOS, TOP’S, MOLETONS, BERMUDAS,
TODOS OS
TIPOS DE
CAMISETAS
UNIFORMES
PROFISSIONAIS
CALÇAS, LEG’S,
JALECOS, TOP’S,
MOLETONS,
BERMUDAS,
SUNGAS.
Junho de 2011 . O Noroeste . 5

Junho de 2011 . O Noroeste . 5

Associação Mão Amiga deve ser investigada pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Unaí

A investigação é fruto da denúncia feita por um vereador da Casa; segundo a denúncia, menores e adolescentes convivem juntos na associação, e isto, possibilitaria“relações sexuais entre os internos”; secretária municipal de Desenvolvimento Social e Cidadania nega e diz que denúncia é uma“inverdade”

U ma denúncia feita no plená- rio da Câmara Municipal de Unaí pelo ve-

reador José Inácio (PMN), mês passado, causou dis-

cussão na Casa pelo fato de

se referir a casos de abusos

sexuais. De acordo com vereador, pessoas o procu- raram para lhe pedir provi- dências com o que estaria acontecendo entre os inter- nos, dentro da Associação Mão Amiga, em Unaí. Atualmente a associa- ção abriga cerca de 30 me- nores, sendo que alguns

deles estão na fase de ado- lescência, e segundo os de- nunciantes (que como foi destacado pelo vereador, conhecem a realidade da associação e dos internos), isto ocasionaria uma situa- ção muito típica da puber- dade, que é a busca pelo conhecimento do corpo e seus prazeres. Por isto, os denunciantes informaram

ao vereador que “relações

sexuais entre os internos” estaria acontecendo na as- sociação. A denúncia não informa nem quem e nem quantos internos poderiam estar envolvidos. A comoção foi ainda maior, porque, tudo su- postamente estaria aconte- cendo na Associação Mão Amiga, cuja responsabili-

dade é zelar pela integrida-

de de seus internos.

Em entrevista ao INTE- RESSANTE, dias depois da denúncia, o vereador

afirma que já encaminhou

a denuncia à Comissão

de Direitos Humanos da Câmara para que a forma- lizem. Segundo o verea- dor, os denunciantes (que conforme ele explicou, lhe pediram sigilo sobre suas

identidades), disseram que o fato é grave, que até

o diretor da associação já

apresentou ao Executivo um “relatório narrando os acontecimentos”. Portan- to, além do Legislativo, o Executivo, conforme os de- nunciantes também teriam conhecimento do caso. Segundo os denuncian- tes, o fato dos internos de várias idades conviverem juntos no mesmo ambien- te, proporcionaria que acontecesse “relações se- xuais entre os internos”, afirma o vereador.

Associação Mão Amiga

Está arquivado na Câ-

o vereador. Associação Mão Amiga Está arquivado na Câ- Denúncia leva Comissão de Direitos Humanos à

Denúncia leva Comissão de Direitos Humanos à investigar Associação Mão Amiga em Unaí

De acordo com o vereador José Inácio, cabe agora à comissão investigar e apurar os
De acordo com
o vereador José
Inácio, cabe
agora à comissão
investigar e apurar
os possíveis fatos

mara um projeto do Exe-

cutivo que altera a Lei nº 2.676/10, e aumenta as subvenções do município, destinada às entidades pú- blicas como, por exemplo,

à Mão Amiga. De acordo

com projeto, a subvenção destinada à associação pas-

saria de R$ 76.486 para R$ 136.489,60. O projeto tam- bém valida a doação, para a mesma associação, de mais

R$ 13.142, feita por entida- des privadas.

A reportagem procurou

a associação, para falar so-

bre as denúncias, mas esta

preferiu não se manifestar. Conforme relata o ve- reador, os denunciantes afirmaram que “a Associa- ção Mão Amiga não estava atendendo a contento o que impõe a Legislação, pois os investimentos necessários

não estariam acontecen- do”. Segundo a denúncia esses “investimentos” de- veriam ser destinados à construção da Casa Lar, que pretende abrigar me- nores que já entraram na fase da adolescência.

Casa Lar

A secretária municipal

de Desenvolvimento So- cial e Cidadania, Luciana Navarro, diz que a denún- cia é uma “inverdade”. De acordo com ela, o que es- taria acontecendo na asso-

ciação, é o convívio entre menores e adolescentes (com 12 anos ou acima), que é proibido pelo Estatu- to da Criança e do Adoles- cente. Para solucionar este problema, ela explica que será construída a Casa Lar.

Abrigo onde ficará meno-

res que já estão entrando na adolescência. Esta casa será de responsabilidade do município, e deverá es- tar funcionando, segundo a secretária, até no começo de agosto.

Conselho Tutelar

O Artigo 136, capítulo II, no parágrafo IV do Esta- tuto da Criança e do Ado- lescente (ECA), diz que uma das funções do Conse- lho Tutelar é “encaminhar ao Ministério Público no- tícia de fato que constitua infração administrativa ou penal contra os direitos da criança ou adolescente”. A reportagem procu-

rou o Conselho Tutelar em

Secretária de Desenvolvimento Social e Cidadania, Luciana Navarro, diz que denúncia não tem fundamento
Secretária de
Desenvolvimento
Social e Cidadania,
Luciana Navarro,
diz que denúncia não
tem fundamento

Unaí, para maiores esclare- cimentos. De acordo com a presidente do conselho, Nair Daiana Xavier, a nova gestão tomou posse mês passado e até o momento, ela afirmou, que nenhuma denúncia do tipo foi feita. Mas a presidente afir- mou que assim que hou- ver alguma denúncia eles farão os procedimentos corretos.

Nossos tempos

O Hospital das Clinicas, em São Paulo, realizou no mês passado, uma pesqui- sa que revela sobre o com- bate de abusos a crianças. Diferente da denúncia feita pelo vereador, (desmenti- da) pela secretária, a pes- quisa analisa que quatro de cada dez crianças víti- mas de abuso sexual foram agredidas pelo próprio pai

e três, pelo padrasto. De acordo com o coor- denador da pesquisa An- tonio de Pádua Serafim, psicólogo, 88% dos casos

de abuso infantil, o agres- sor faz parte do círculo de convivência da criança. Sendo que 38% dos casos

o

agressor mais comum é

o

próprio pai da criança;

29% o padrasto e 15% o tio. A pesquisa foi basea- da na análise de 205 casos

de abusos a crianças ocor- ridos de 2005 a 2009. O pesquisador diz ser o mo- nitoramente, por parte das mães, fundamental, até porque, muitas crianças são agredidas e não denun- ciam os agressores. Na capital brasilei- ra Vitória (ES), jovens da classe alta, no dia 18 de maio de 1973, cometem um crime contra uma me- nor. A menor chamava-se Araceli e tinha apenas 8 anos, quando foi raptada, drogada, estuprada, morta

e depois carbonizada pelos jovens. O crime na época

abalou todo o país e ficou conhecido como “Crime Araceli”. Deste dia fize- ram a data do “Dia Nacio- nal de Combate ao Abuso

e à Exploração Sexual de

Crianças e Adolescentes”, reconhecido por Lei Fede- ral 9.970/00. Em Unaí, segundo in- formações do Conselho de Referência Especializado de Assistência Social (Cre- as), 80% das vítimas de abuso sexual são do sexo feminino. O conselho tam- bém informa que de cada dez abusadores, nove são familiares ou pessoas pró- ximas da vítima.

feminino. O conselho tam- bém informa que de cada dez abusadores, nove são familiares ou pessoas

6 . O Noroeste . Junho de 2011

6 . O Noroeste . Junho de 2011

Blogs no Noroeste ajudam a divulgar idéias e opiniões

Em tempos de Ditadura, seja militar ou não, falar o que pensa sempre foi censurado; hoje, com a volta da‘democracia’, os blogs são utilizados por muitos, para quebrar à censura que ainda existe nos meio de comunicação

E m meio há tempos

modernos, ano de

2011, seis séculos

depois do surgimen-

to da imprensa no Ocidente, surgem agora os “blogs”. Os blogs são espaços que pos- sibilita o usuário a publicar textos, vídeos, áudios e foto- grafias (imagens). Estima-se que o ano base, de surgimen- to do primeiro blog no mun-

do, é de 1999. Já o termo teria sido criado em

1997.

A tendência pela tecnologia tem fundamen- to. O blog pos- sibilita o usu- ário a usá-lo como se fosse um diário. Por isto, muito se discute sobre a ferramenta. Al- guns acusam os blogs de serem

um mecanis- mo ‘sem responsabilidade’,

e ‘sem credibilidade’. Outros

já acreditam que é justamen-

te por ser um espaço “livre” que os blogs vêm adquirindo tantos adeptos hoje em dia.

José Antonio Alves Al- meida, que utiliza de um blog (www.opiniaoeponto- devista.blogspot.com) para se manifestar e colocar seu ponto de vista, desde julho de 2010, escreve sobre as- suntos da cidade onde mora, Unaí. A necessidade de se criar um blog, para Almeida,

Unaí. A necessidade de se criar um blog, para Almeida, Blog ‘Opinião e Ponto de Vista’,

Blog ‘Opinião e Ponto de Vista’, de José Antonio Alves Almeida; o blogueiro já sofreu processo e perseguições

de comunicação sozinho é complicado. Você mesmo

quem procura a matéria, tira às fotos, pro- duz os textos.

interessantes”, afirma. Luan Cordeiro, morador de Buritis, desde 2008 tra- balha com mídia eletrônica. Em seu blog, onde também

E

não tem nin-

funciona seu site (www.por-

guém pra dar uma segunda

talburitis.com.br), Cordeiro publica informações, que se-

opinião sobre o que vai ser publicado. É

gundo ele, “promove” a cida- de. “Quando o nosso Portal foi criado não havia nenhum

meio de comunicação na internet em Buritis, que di- vulgasse as nossas notícias e registrasse nossos eventos”, diz.

O blogueiro diz não ter muita dificuldade em traba- lhar com o blog e diz nunca ter sofrido perseguição (até o momento) por manifestar suas idéias. Mas ressalta que:

“sempre tive o cuidado, prin- cipalmente em assuntos po- líticos, pois acho que tenho conseguido agradar os dois lados, e mesmo assim, colo- car a opinião pública à frente destas questões”, explica.

a opinião pública à frente destas questões”, explica. O blogueiro Luan Cordeiro; em Buritis, ele foi

O blogueiro Luan Cordeiro; em Buritis, ele foi o primeiro a trabalhar com informação em mídia eletrônica; além do blog, hoje ele também possui um site

surgiu pelo fato dele “sentir

que as notícias nos meios de comunicação existentes em Unaí estavam meio ten- denciosas”, explica. Daí, ele começou um trabalho que lhe toma tempo, mas o qual também lhe motiva. “Portan- to, acreditei e acredito que posso dar minhas versões dos fatos”, diz. Almeida che- ga a postar duas matérias por

semana. Mas o blogueiro diz que nem tudo é fácil. Por se tra- tar de um veículo pessoal, o blogueiro muitas vezes tem que se dividir em diversas funções. “Manter um meio

o público que

vai ser a segun- da opinião”,

explica. A l m e i d a já sofreu per- seguições e até processos por falar o que pensa. Mas mesmo assim, ele aconselha aos leitores a

ficarem menos “tímidos” e “comentarem” mais às matérias. “Isso é um combustível para o blog e, não raro, aparecem debates

Confira outros blogs da região:

www.unaiparatodos.blogspot.com

www.pgasousa.blogspot.com

www.unaimg.com.br

www.coletivonoise.blogspot.com

www.aldaalvesbarbosa.com

www.alertaparacatu.blogspot.com

www.blogdapaola.com.br

www.arinosweb.com.br/blog.html

www.blogdonetodearinos.blogspot.com

Blogueiros diante do mundo Em Unaí, cidade com

mais de 70 mil habitantes, os blogs tem colaborado com

a imprensa e, consequente-

mente, com a divulgação de diversas informações de uti- lidade pública. O INTERES- SANTE, em várias ocasiões nos pautou e buscou infor- mações nos blogs.

Curtas

Prefeito de João Pinheiro é afastado do cargo; mas volta depois de decisão judicial

Desde o dia 4, o prefeito da cidade de João Pinheiro, Sérgio Vaz Soares (PV), está afastado de sua função como chefe do poder Executivo. O prefeito foi cassado depois de denúncia encami- nhada ao Ministério Público (processo nº 03630024892), onde pedia investigação sobre sua gestão. Mas no último dia 14, a Justiça Eleitoral autorizou que o prefeito voltasse ao cargo. De acordo com informações divulgadas pelo Tribunal de Jus- tiça de Minas Gerais (TJMG), ele tinha sido afastado por tempo indeterminado de sua função por cometer crime contra o erário (dinheiro/bens) público. Conforme explica o TJMG, desde agosto de 2010, o Ministério Público (MP) está investigando a prefeitura de João Pinheiro. O transporte escolar e uso de combustível pela prefeitura tiveram suas investigações comprovadas pelo MP. Com o afastamento do prefeito quem assumiria seria o vice, Neyde Kennedy Amorin (PSDB).

IFTM oferece 160 vagas para cursos técnicos em Buritis; cursos são à distância

O Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) oferece 160 vagas para os cursos técnicos em Eventos, Logística, Meio Am- biente e Segurança do Trabalho. Todos os cursos serão ofere- cido em Buritis.As inscrições podem ser feitas até o próximo dia 29, pela internet (www.iftm.edu.br/vestibular). A taxa de inscrição é de R$ 20 e deve ser paga até o dia 20 de junho. Os cursos serão à distância, via internet. É necessário que o can- didato tenha ensino médio completo ou esteja cursando o 3º ano. As provas serão aplicadas no dia 10 de julho (domingo), às 9h. Caso ao candidato não tenha internet, ele deve procurar no edital os postos conveniados a oferecer os serviços. Mais informações no PUB - Pólo Universitário de Buritis Rua Ouro Preto, 211 - Veredas – tel. (38) 3662-3469

Vacinação contra a poliomielite já começou e vai até dia 22 de julho

Pais e responsáveis devem levar o cartão de vacinação para atualização das doses. A Campanha Nacional de Vacinação segue até o dia 22 de julho. Em São Paulo, Minas Gerais, no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, em Pernambuco, na Bahia, no Ceará e em Alagoas, crian- ças de 1 a 7 anos também vão receber a vacina tríplice viral - que imuniza contra o sarampo, a rubéola e a caxumba. A segunda dose da vacina contra a poliomielite será aplicada a partir do dia 13 de agosto. Nesse mesmo dia, os demais estados iniciam a aplicação da tríplice viral. De acordo com o Ministério da Saúde, a criança só fica comple- tamente protegida contra a paralisia infantil após receber as duas gotinhas previstas.

SEM INFORMAÇÃO NÃO EXISTE OPINIÃO

SEM LIBERDADE DE EXPRESSÃO NÃO EXISTE JORNALISMO

07 de junho

Dia da Liberdade de Imprensa

NÃO EXISTE OPINIÃO SEM LIBERDADE DE EXPRESSÃO NÃO EXISTE JORNALISMO 07 de junho Dia da Liberdade
1. VEÍCULOS Í N D I C E 2. SERVIÇOS 3. EMPREGO 4. DIVERSOS
1. VEÍCULOS Í N D I C E 2. SERVIÇOS 3. EMPREGO 4. DIVERSOS
1. VEÍCULOS Í N D I C E 2. SERVIÇOS 3. EMPREGO 4. DIVERSOS
1. VEÍCULOS Í N D I C E 2. SERVIÇOS 3. EMPREGO 4. DIVERSOS
1. VEÍCULOS Í N D I C E 2. SERVIÇOS 3. EMPREGO 4. DIVERSOS
1. VEÍCULOS Í N D I C E 2. SERVIÇOS 3. EMPREGO 4. DIVERSOS
1. VEÍCULOS Í N D I C E 2. SERVIÇOS 3. EMPREGO 4. DIVERSOS
1. VEÍCULOS Í N D I C E 2. SERVIÇOS 3. EMPREGO 4. DIVERSOS

1. VEÍCULOS

Í N D I C E

2. SERVIÇOS

3. EMPREGO

4. DIVERSOS

1 VEÍCULOS

RENAULT

CLIO EXPRESSION 1.6 16V 03/03 - Vermelho - AirBag - Completo + Som com controle no volante original. Pneus bom estado. Vendo ágio (exijo transferên- cia) R$ 5.500 + 29 de R$ 265,00 (sem juros), ou quitado R$ 13 mil. Tratar: (38) 9981-7256

MOTO

HONDA BIZ 125 ES 11/11 - Consórcio quitado (moto ainda na concessionária. Desconto de R$ 500 no preço de tabela.

Telefone: (38) 3677-

2958

2 SERVIÇOS

VAI CONSTRUIR OU REFORMAR? Valdomiro Pedreiro, do básico ao aca- bamento. Telefone:

(38) 8808-0154

3

EMPREGO

3

EMPREGO

VAGAS DE EMPREGO SINE PARACATU

Praça Adelmar Silva Neiva, 147 - Centro - Telefone: (38) 3672-1180 / 3672-1407 - Ramais: 105 / 126

02 vagas para Auxiliar

Administrativo (PNE), exige-se somente para pes- soas com deficiência física.

02 vagas para Assistente Administrativo, sexo mas- culino, ensino médio e pos- suir experiência.

01 vaga para Analista

Administrativo, possuir experiência e domínio em informática.

01 vaga para Recepcio-

nista de hotel, sexo mas-

culino,

inglês.

e

ensino

médio

01 vaga para Motorista

Operador de Caminhão Munk, possuir CNH cate- goria “D” e experiência.

3

EMPREGO

01 vaga para Técnico Or-

çamentista de Obras, pos- suir experiência.

01 vaga para Mecânico

Eletricista de Automó- veis, sexo masculino.

01

Cozinha, sexo masculino.

vaga para Auxiliar de

vaga para Bibliotecá-

rio, possuir formação supe- rior e experiência.

01

01 vaga para Costureiro,

sexo feminino e experiência.

01 vaga para Cabeleirei-

ro, sexo feminino e expe- riência.

01 vaga para Professor

de nível Técnico, possuir formação técnico mecânico ou superior.

16 vagas para Motorista

de Caminhão Traçado, possuir CNH categoria “D” e experiência.

01 vaga para Caseiro, ser

casado.

10 vagas para Monitor In-

fantil.

Caseiro , ser casado. 10 vagas para Monitor In- fantil . 4 DIVERSOS VAGAS DE EMPREGO
Caseiro , ser casado. 10 vagas para Monitor In- fantil . 4 DIVERSOS VAGAS DE EMPREGO

4 DIVERSOS

VAGAS DE EMPREGO SINE UNAÍ

Rua Eduardo R. Barobosa,

180 - Prédio da FACTU. Telefone: (38) 3677-2086

01 vaga para Auxiliar de

Consultório Odontológi-

co, sexo feminino, exige-se

6 meses de experiência,

2 grau completo e possuir referência.

02 vagas para Balconista,

sexo feminino e 1 grau completo.

02 vagas para Insemi-

nador, sexo masculino, exige-se 6 meses de

experiência. E ter dispo- nibilidade de trabalhar em fazenda.

01 vaga de Técnico em

Contabilidade, sexo

masculino, exige-se 6 meses de experiência, 2 grau completo. E ter dispo- nibilidade de trabalhar em

fazenda.

01 vaga para Técnico em

segurança do trabalho, M/F, exige-se 6 meses de experiência, 2 grau com- pleto, possuir o curso e CNH ““AB”.

01 vaga para Vaqueiro,

sexo masculino, exige-se 6 meses de experiência.

01 vaga para Vendedor

interno, sexo masculino, exige-se 6 meses de expe- riência, 2 grau completo.

4 DIVERSOS

Som de Carro 2 alto fa- lantes 12’’ polegadas (se- leniun), 2 corneta falcon 2 alto falante 6’’ polegadas buster 1 módulo falcon 320 RMS. Urgente R$ 300,00 incluindo a caixa. Tels.: (38) 9834-8107 / 9149-4040.

Celular HTC touch 2 T3333 Smartphone carregador capa memória de 2 gigas semi-novo. Urgente R$ 450,00. Tels.: (38) 9834-

8107 / 9149-4040.

Berço americano, branco, completo, colchão D33, cortinado; protetor da late- ral. Urgente Semi-novo R$ 200,00. Tels.: (38) 9834-

8107 / 9149-4040.

Geladeira Brastemp Fros Free, 220 volts, 420 litros. R$ 200,00. Tels.: (38) 9834-8107 / 9149-4040.

Máquina de lavar roupas Brastemp, 5 kg, 220 volts. R$ 150,00. Tels.: (38) 9834-8107 / 9149-4040.

Celular LG Secret, câmera 5.0 mega pixel, 1 mês de uso, completo, cartão de 2 giga.R$ 250,00. Tels.: (38) 9834-8107 / 9149-4040.

de 2 giga.R$ 250,00. Tels.: (38) 9834-8107 / 9149-4040. REQUERIMENTO DE LICENÇA ANTÔNIO SÉRGIO DE AZEVEDO
de 2 giga.R$ 250,00. Tels.: (38) 9834-8107 / 9149-4040. REQUERIMENTO DE LICENÇA ANTÔNIO SÉRGIO DE AZEVEDO

REQUERIMENTO DE LICENÇA

ANTÔNIO SÉRGIO DE AZEVEDO REBEIS, POR DETERMINAÇÃO DO CONSELHO ESTADUAL DE POLÍTICA AMBIENTAL – COPAM, TORNAPÚBLICO QUE SOLICITOU ATRAVÉS DO PROCESSO N° 22335/2008, LICENÇA DE OPERAÇÃO, PARA AS ATIVIDA- DES DE SUINOCULTURA (CICLO COMPLETO), AVICULTURA DE CORTE E REPRODUÇÃO E CULTURASANUAIS, EXCLUINDO A OLERICULTURA NA FAZENDA ANCHIETA NO MUNICÍPIO DE BONFINÓPOLIS DE MINAS / MG.

LICENÇA CONCEDIDA

CÉLIO FONTANA E OUTRO, TORNA PÚBLICOQUEOBTEVEDOCONSELHO ESTADUAL DE POLÍTICA AMBIENTAL - COPAM, ATRAVÉS DO PROCESSO Nº 15/088/2008001/2008, LICENÇA DE OPERAÇÃO EM CARATER CORRE- TIVO, PARA AS ATIVIDADES CULTU- RAS ANUAIS, EXCLUINDO A OLERI- CULTURA, CRIAÇÃO DE OVINOS, BOVINOS DE CORTE E BÚFALOS DE CORTE (EXTENSIVO) NA FAZENDA PALMEIRAS NOS MUNICÍPIOS DE UNAÍ/MG, VÁLIDA POR 6 ANOS.

8 . Entrevistas Especiais . Junho de 2011

8 . Entrevistas Especiais . Junho de 2011 Entrevistas Especiais Luiz Araújo Ferreira Atual presidente da
8 . Entrevistas Especiais . Junho de 2011 Entrevistas Especiais Luiz Araújo Ferreira Atual presidente da
8 . Entrevistas Especiais . Junho de 2011 Entrevistas Especiais Luiz Araújo Ferreira Atual presidente da

Entrevistas Especiais

Luiz Araújo Ferreira

Atual presidente da Associação dos Municípios do Noroeste Mineiro (AMNOR)

“É fruto de uma consciência maior da necessidade de se preocupar com a questão regional”, diz sobre sua intenção de se candidatar à presidente da AMNOR

Prestes há completar 40 anos, no próximo dia 25 de agosto, o atual prefeito de Bonfinópolis de Minas, Luiz Araújo Ferreira (PT), tem como presente mais um cargo, o de presidente da Associação dos Municípios do Noroeste Mineiro (AMNOR). O prefeito, que acaba de se eleger para representar uma associação que segundo ele, “promove o desenvolvimento e o fortalecimento da região”, já ocupava o cargo de 2º vice-presidente na chapa anterior, quando o presidente era o atual prefeito de Paraca- tu, Vasco Praça Filho (PMDB). Em entrevista cedida por e-mail ao INTERESSANTE, meses depois de ocupar o car-

go de presidente da AMNOR, Luiz Araújo Ferreira, fala de seus projetos e apresenta soluções para os problemas da associação, como quando diz que a AMNOR precisa “avançar na consolidação de um sentimento verdadeiramente regional”. A AMNOR foi fundada no ano de 1976 com o objetivo de valorizar os municípios da região do Noroeste Mineiro. Ela tem sede em Paracatu, cidade onde o atual presidente nasceu. Hoje fazem parte da associação 17 municípios, onde ocupa uma área territorial de 57.883 km². Neste território soma-se uma população de 331.950 habitantes, onde consequentemente forma-se um numeroso colégio eleitoral com 243.514 eleitores.

Jornal INTERESSANTE – Fale

sobre as obrigações da Associa- ção dos Municípios do Noroeste Mineiro (AMNOR)? Luiz Araújo – Promover o desenvolvimento e o fortale- cimento da região noroeste, viabilizando uma maior in- tegração e envolvimento dos gestores públicos municipais, juntamente com os demais atores em questões que visem

o desenvolvimento regional.

J.I. – Quais são os recursos oferecidos pela associação?

] [
] [
– Quais são os recursos oferecidos pela associação? ] [ a AMNOR hoje, possui uma cede

a AMNOR hoje, possui

uma cede própria em Paracatu com uma equipe de funcionários técnicos que estão a disposição dos municípios e também uma frota de máquinas

dos municípios e também uma frota de máquinas L.A. – Bom a AMNOR hoje, possui uma
dos municípios e também uma frota de máquinas L.A. – Bom a AMNOR hoje, possui uma

L.A. – Bom a AMNOR hoje, possui uma cede própria em Paracatu com uma equipe de funcionários técnicos que es-

tão a disposição dos municí- pios e também uma frota de maquinas composta por (9) motoniveladoras, (2) tratores sobre esteiras, (1) retro esca- vadeira e (1)pá carregadeira que estão em ótimo estado de conservação para prestarem serviços à população median- te solicitação e contratos dire- tos com as prefeituras.

J.I. – A população tem co- nhecimento da existência da AMNOR? Como a sociedade po- deria participar mais da associa- ção? L.A. – A AMNOR é uma

associação de municípios, estamos hoje com dezessete filiados e conseqüentemente é bem conhecida em toda a re- gião do noroeste. Os prefeitos juntamente com os secretários municipais têm uma partici- pação assídua nas assembléias da AMNOR, onde temas de in- teresse regional são debatidos e encaminhados.

J.I. – Quais são as dificulda- des enfrentadas pela associação atualmente? L.A. – Os desafios da AM- NOR são as dificuldades do

dia a dia dos nossos municí- pios: um território com ex- tensões gigantescas, recursos financeiros e operacionais limitados, tem melhorado

] [
] [
financeiros e operacionais limitados, tem melhorado ] [ tem melhorado muito nas últimas gestões da AMNOR,

tem melhorado

muito nas últimas gestões da AMNOR, mas ainda precisamos avançar na consolidação de um sentimento verdadeira- mente regional.

consolidação de um sentimento verdadeira- mente regional. muito nas últimas gestões da AMNOR, mas ainda precisa-
consolidação de um sentimento verdadeira- mente regional. muito nas últimas gestões da AMNOR, mas ainda precisa-

muito nas últimas gestões da AMNOR, mas ainda precisa- mos avançar na consolidação de um sentimento verdadeira- mente regional. Onde a força e a união de todos, não apenas dos prefeitos e vereadores, mas, de todos os atores, de todas as forças das lideranças presentes no Noroeste para alavancar o desenvolvimento local e regional agregando va- lores às potencialidades exis- tentes e conseqüentemente, atrair ainda mais a atenção e

investimentos de nossos go- vernantes estadual e Federal.

J.I. – Como o senhor vê a si- tuação atual da associação? L.A. – Muito boa. A nossa associação, graças às últimas

gestões do Carlos Alberto Rec- ch, do Jamir Andrade, do Dr. Jacques e do Vasquinho, que foram sérias e responsáveis,

hoje está com a saúde financei-

ra equilibrada, com sede pró-

pria, um corpo de servidores competentes e com uma frota

de máquinas bem conservadas.

J.I. – Em sua opinião, por- que o cargo de presidente da AMNOR é bastante cobiçado? (Exemplo foi à última eleição, que possuiu, contando com o se- nhor, três candidatos.) L.A. – Eu não diria “cobi- çado”, acredito que é fruto de uma consciência maior da necessidade de se preocu- par com a questão regional.

E muitos estão preocupados com isso.

J.I. – Como a associação se mantém? L.A. – Através das contri- buições mensais dos muni-

cípios filiados. E a frota de máquinas se mantém com os contratos de prestação de ser- viços aos municípios com um preço médio de 50% do valor de mercado.

J.I. – Quais são suas propos- tas de governo e quando termi- na o mandato do senhor? L.A. – O mandato de pre- sidente é de um ano. A nos-

L.A. – O mandato de pre- sidente é de um ano. A nos- A nossa proposta
L.A. – O mandato de pre- sidente é de um ano. A nos- A nossa proposta

A nossa proposta é primeiramente ouvir os prefeitos que são os maiores interessados e traçar um plano de ações voltado para a continuidade e ampliação na prestação de serviços de máquinas.

e ampliação na prestação de serviços de máquinas. sa proposta é primeiramente ouvir os prefeitos que
e ampliação na prestação de serviços de máquinas. sa proposta é primeiramente ouvir os prefeitos que

sa proposta é primeiramente ouvir os prefeitos que são os maiores interessados e traçar um plano de ações voltado para a continuidade e amplia-

ção na prestação de serviços de máquinas. Já estamos ar- ticulando a proposta que já foi aprovado pela assembléia de prefeitos em 2010, que é

a presença de um agente de

desenvolvimento para melhor coordenar ações que visam estimular o desenvolvimento regional. Ações como a im- plementação da Lei Geral nos

municípios e do programa LI- DER. E para isso celebramos um termo de cooperação com

o SEBRAE-MG. E ainda va-

mos buscar apoio do governo estadual através da SEDRU e do governo Federal.

J.I. – Fica aberto para colocar suas considerações. L.A. - Fica aqui meus agra- decimentos aos colegas prefei- tos que nos motivou a colocar nosso nome para presidir a AMNOR nestes próximos me- ses, queremos e vamos nos dedicarmos para que juntos, diretoria, conselho adminis- trativo, diretores, servidores e os prefeitos municipais, pos- samos dar mais um passo para fortalecer ainda mais nossa associação e de modo especial nossa Região Noroeste.

pos- samos dar mais um passo para fortalecer ainda mais nossa associação e de modo especial
Junho de 2011 . Agropecuária . 9

Junho de 2011 . Agropecuária . 9

Agropecuária

Dia Mundial do Meio Ambiente

Seminário em Unaí debate sobre comportamento do homem moderno diante dos novos desafios que o remete à viver de forma sustentável com o seu meio ambiente

O Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, é uma criação da Or-

ganização das Nações Unidas (ONU), cujo intuito é levar o homem à refletir e, conse- quentemente, à se posicionar diante do mundo em que ele está inserido. De certa forma, a data va- loriza tópicos como: a) mos- trar o lado social das questões ambientais; b) capacitar as pessoas a se tornarem agen- tes ativos do desenvolvimen- to sustentável; c) promover a compreensão de que é funda- mental que comunidades e in- divíduos mudem de atitudes em relação ao uso dos recur- sos e das questões ambientais;

d) e garantir que todas as na- ções e povos desfrutem um futuro seguro e próspero. Assim, o Dia Mundial do Meio Ambiente destina-se a discutir sobre os cuidados que nós homens devemos ter com nossa casa: o planeta Terra.

A conscientização de um povo Em Unaí, entre os dias 2 e 5 de junho, aconteceu o 1º Se- minário de Responsabilidade Socioambiental. No primeiro dia do seminário, um dos pa- lestrantes, Frei Rômulo, falou sobre os métodos utilizados pelo homem para proteger os recursos naturais da Terra. Segundo Rômulo, o homem sempre preocupou com seu lar. “Foi compartilhando co- nhecimento, comida, que conseguimos sobreviver nos momentos mais difíceis. Por- tanto, temos que dar às mãos daqui pra frente, para apren- dermos que o homem é ele- mento da Terra e não algo que está separado dela”, ensina. Segundo Frei Rômulo, o que foi feito não pode mais ser mudado. O homem tem que aprender a partir de agora como fazer para sobreviver no mundo, de maneira que tire

dele, somente o necessário ao seu sustento, ou seja, de for- ma sustentável. “Precisamos primeiro salvar a nossa casa para depois morarmos nela. Se não cuidarmos de nossa casa, corremos o sério risco de não morarmos nela”, afirma Frei Rômulo. Ele também res- saltou que o Brasil é o 4º país que mais emite gases poluen- tes na atmosfera.

Código Florestal e morte no campo No último dia 25, a Câ-

mara dos Deputados aprovou

o texto-base do Código Flo-

restal. A votação resultou em 410 votos a favor do código e 63 contrários. Para os ambien- talistas que votaram contrário ao código, o texto-base de au- toria do deputado Aldo Rebe- lo (PcdoB), é problemático.

“Lamentavelmente, o que saiu foi mais um código agrário do que um código florestal, per- mitindo pecuária, plantio de eucaliptos e de pinos e agri- cultura às margens de rios, topos de morros e nas nascen- tes. É um retrocesso em todos os sentidos", lamentou a se- nadora e ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva (PV), horas depois da aprovação. Em entrevista à imprensa

o deputado Aldo Rebelo in-

formou que se esforçou para atender a todas as demandas que existem no campo. “O Brasil precisa defender os seus agricultores da concor- rência interesseira da agri- cultura subsidiada dos países ricos, que, lamentavelmente, têm aliados declarados ou in- gênuos", defendeu. O debate sobre o código foi paralela- mente apresentado com o as- sassinato até o final de maio, de quatro pessoas, que su- postamente estariam lutando contra irregularidades como desmatamento em áreas de preservação e venda ilegal de madeira.

Eleição para Conselho Administrativo da Capul é marcada para o próximo dia 22 após renúncia de integrantes

A reportagemtambémapurou que o posto onde os caminhões que transportamo leite dos associados abastecem, pertence a familiares do diretor administrativo da Capul; lá o óleo diesel é mais caro, com- parado ao posto da cooperativa, onde é“a casa do associado”

O associado da Coope- rativa Agropecuária de Unaí (Capul), Ro- sival Francisco de

Oliveira procurou a redação do INTERESSANTE para se mani- festar contra o atual posiciona- mento da Capul com relação ao local onde esta abastece seus caminhões, que transportam o leite dos associados. Segundo Oliveira, a cooperativa abastece os caminhões no antigo posto Transbel (hoje Posto SB), que de acordo ele, pertence à família do atual diretor administrativo da Capul, Társio Braz da Silva. Conforme constatou a re- portagem, realmente os cami- nhões da empresa que presta serviço para Itambé (empresa que compra o leite da Capul), a VIC, abastece seus caminhões no Posto SB. Lá, como foi constatado, na bomba, o óleo diesel à vis- ta é R$ 1,98 e à prazo R$ 2,15. Sendo que no posto da Capul, contatamos que o óleo diesel à vista saia à R$ 1,93 e à prazo à

R$1,99.

Ou seja, abastecendo no posto da Capul, a VIC teria um desconto de R$ 5 centavos no litro de óleo, além de contribuir para a receita da cooperativa. Abastecer no posto da cooperati- va pode condizer ao que foi dito pelo presidente da mesma Zuza Machado, no Portal Unaí, quan- do afirmou que percebeu nos diretores da Itambé a preocupa- ção em “cortar os gastos”. Pois, quando se fala em economizar, uma das saídas é arrecadar.

Renúncia Junto a informação do asso- ciado, veio também a de que 5 membros do Conselho Admi- nistrativo da Capul, renuncia- ram. O conselho que é consti-

da Capul, renuncia- ram. O conselho que é consti- Caminhão que recolhe o leite dos associados

Caminhão que recolhe o leite dos associados da Capul abastace no posto de familiares do diretor administrativo da cooperativo

O associado Rosival de Oliveira diz que os caminhões que transportam o leite dos associados
O associado Rosival
de Oliveira diz que os
caminhões que transportam
o leite dos associados
são abastecidos no posto
de familiares do diretor
administrativo da Capul
A próxima eleição do
conselho está marcada para
o próximo dia 22, afirma
diretor administrativo da
Capul,Tarcisio Braz da Silva

tuído por 11 membros, mais 3 suplentes, teria sofrido com a saída de seus representantes. Tal situação leva ao estatuto do associado, que diz ser obri- gatório a convocação de outra assembléia extraordinária para que haja recomposição dos membros do conselho, quando 1/3 de seus integrantes . Se- gundo o associado Oliveira, a renúncia em massa do conselho é “inédito na história da Capul”.

administrativo da Capul, Tar- cisio Braz da Silva, diz que as renúncias aconteceram em dois momentos. Primeiro – isto ainda ano passado saíram dois conselheiros – depois, este ano, saíram mais três. “O estatuto prevê que na falta de cinco con- selheiros, o presidente tem que convocar uma Assembléia Ge- ral Extraordinária, no prazo de 30 dias para preencher as vagas e, é isto, que estamos fazendo”,

Capul

afirma. A assembléia está marcada

Em

entrevista

o

diretor

para o próximo dia 22 de junho,

no Sindicato dos Produtores Rurais, e a primeira chamada começa às 8h. Perguntado sobre o abas- tecimento dos caminhões da empresa VIC, nos postos, que segundo o informante, seria de sua família, o diretor adminis- trativo da Capul disse que isto não lhe cabe responder, e sim, ao conselho fiscal, o qual foi acionado por um oficio enca- minhado pelo mesmo associado que procurou a redação do IN- TERESSANTE para apresentar a informação.

um oficio enca- minhado pelo mesmo associado que procurou a redação do IN- TERESSANTE para apresentar

10 . Cultura e Sociedade . Junho de 2011

10 . Cultura e Sociedade . Junho de 2011

Cultura e Sociedade

Edgar Santana apresenta 50 obras na 2ª Semana de Arte e Cultura no Cepasa

E ntre os atrativos da 2ª Semana de Arte e Cul- tura no Cepasa desta-

ca-se a apresentação de cin-

qüenta obras feita pelo artista plástico Edgar Santana. José Edgar de Oliveira Barreiros, mais conhecido como Ed- gar Santana (nome artístico adotado em homenagem aos familiares de sua mãe), há 30 anos trabalha com artes plás- ticas e comunicação visual. Hoje, trabalhando no Cepasa, onde funciona seu atelier, o artista plástico busca interpretar o mundo através de seus desenhos que abragem desde o estilo

o abstrato, à pintura surreal

e à figurativa. Segundo Edgar Santana, em entrevista cedida ao IN- TERESSANTE dias depois de

apresentar seus trabalhos na Semana, um de seus objeti- vos em apresentar ao públi- co visitante seus trabalhos,

é o de conseguir fazer com

que o receptor alcance o que

o artista plástico chama de

“vôo”, ao contemplar a obra. “Porque a arte existe para nós vivermos o mundo”, afirma Santana. Perguntado sobre sua concepção a respeito da 2ª Semana, o artista diz que as expectativa foram superadas, mas ainda falta muito por fa- zer. “A expectativa foi satisfa- tória, foi tímida, mas o evento há um potencial extraordiná- rio”, diz o artista plástico.

um potencial extraordiná- rio”, diz o artista plástico. Entre pinturas de estilo abstrato, surreal e figurativa,

Entre pinturas de estilo abstrato, surreal e figurativa, o artista plástico Edgar Santana, busca

com seus trabalhos fazer com que o receptor alcance “vôo” ao contemplá-los

Ele também falou sobre

mesmo afirmou, “um artista

no interior deve em certo

a vida, principalmente do artista plástico, que vive no interior do Brasil. Segun-

também precisa sobreviver”. Para o artista um dos meios que a sociedade tem

ponto ao esquecimento, por parte dos governos, com a arte, no sentido de viabilizá-

do Santana, as dificuldades

de

lutar contra o atrofiamen-

la, de otimizá-la. Como por

enfrentadas por um artista,

to

da arte e da cultura (seja

exemplo, fazer uma galeria

situado em locais cuja popu-

ela qual for) é comprometer-

de arte permanente, onde

lação seja inferior a 100 mil

se

na viabilização de recur-

possa ser um espaço utiliza-

habitantes, são inúmeras, à começar pela falta de público consumidor, pois como ele

sos que sejam utilizados para financiar a arte. “O possível declínio do artista plástico

do constantemente pelos ar- tistas, como já tem o museu”, explica.

Evento de capoeira acontece em Dom Bosco e reúne mestres renomados

N o último dia 28, aconteceu em Dom Bosco, o primeiro Ca-

poeiragem. O evento reuniu

mestres renomados de todo

o

país e aconteceu o batizo

e

a troca de cordas do grupo

de capoeira Minarte. Coor- denado pelo mestre Cafun- ga, que mantém mais dois projetos voltados para a prá- tica da capoeira como meio de formação e capacitação do individuo, o grupo tem sido referência, segundo Ca- funga, “em toda região”. Cafunga atualmente tra- balha com mais dois pro- jetos : a Capoterapia (capo- eira adaptada para terceira idade) e o Gingar Educando (voltado para a educação

de crianças e adolescentes).

“Os projetos acontecem des- de setembro de 2010. Pre- tendemos estender até o ano

de 2012, justamente porque

Pre- tendemos estender até o ano de 2012, justamente porque Projeto Capoeiragem em Dom Bosco; a

Projeto Capoeiragem em Dom Bosco; a terceira idade também é atendida com projetos como o Capoterapia

houve uma grande satisfa- ção e os resultados positi- vos que tem sido aprovado pela população em geral”, afirma o mestre.

Participaram do Ca-

poeiragem mestres como

o brasiliense, Gilvan (um

dos criadores dessa nova linguagem voltada para a terceira idade), mestre Kall (DF), mestre Suassuna (um

dos pioneiros da capoeira

de São Paulo e tem traba- lhos em 17 países), mestre Baleado (DF), mestre Pe- queno (DF), mestre Bilu (DF) e mestre Jânio (DF).

 

Curta

Ponto de Cultura é inaugurado em Unaí

Em 2009 quando houve as inscrições para a seleção do edital dos Pontos de Cultura do Estado de Minas Gerais, a Tecelagem Artesanal de Unaí se inscreveu. Como resultado veio à aprova- ção. Com isto, a Associação Beneficente do Natal Justino da Costa que gestora do projeto, ficará responsável por desenvol- ver atividades como oficinas de teatro nas escolas, oficinas de

tecelagem, curso de gestão cultural, curso de turismo receptivo

várias outras atividades voltadas para desenvolvimento cul- tural de Unaí.

e

O

projeto foi inaugurado este mês na sede da Tecelagem, na

Rua da Serra, nº411, no bairro Santa Luzia. Para maiores informações ligar para (38) 3676-6632.

Poetas de Bonfinópolis de Minas gravam CD para valorizar cultura local

de Minas gravam CD para valorizar cultura local Os poetas de Bonfinópolis de Minas, Nunes de

Os poetas de Bonfinópolis de Minas, Nunes de Souza e Sebas- tião de Mello, lançarão no final de julho, seu primeiro CD Poé- tico Profissional de Bonfinópolis de Minas. O CD reúne 30 obras

e serão interpretados por locutores profissionais. Ele está sendo gravado no estúdio H2A, em Patos de Minas.

O

lançamento que está marcado para o final de julho acontece-

no Clube do Chefim, e terá como atrativos a dupla sertaneja

Brunno e Marlow. Segundo os poetas o trabalho visa expandir

os

horizontes da arte e mostrar que a cultura de Bonfinópolis de

Minas deve ser preservada e divulgada. “Embora sendo um tra-

balho particular, não visa somente o resultado financeiro, mas, cultural do município, da “Capital dos Amigos”, afirma a nota que divulga o trabalho dos poetas. Para maiores informações encaminhem e-mails para: poetada- semocoes@hotmail.com e mello.tiao@gmail.com. Ou se prefe-

rir

ligue para: (38) 9905-5030 e 9947-4738.

Evento “Noisé Underground” mobiliza populares pela conservação do patrimônio histórico de Unaí

Aconteceu no espaço da antiga rodoviária de Unaí, o evento

“Noisé Underground”. O evento teve o intuito de despertar a participação da população para debates públicos como, por exemplo, a preservação de monumentos que são considerados históricos devido sua utilidade pública ou poder simbólico.

O

grupo que há dois anos luta para conseguir o tombamento

do antigo espaço da Rodoviária Velha de Unaí espera com o evento discutir junto à população medidas cabíveis para me- lhor utilizar um espaço que até então servia ao povo.

O

evento teve a presença de diversos grupos de rock com tam-

bém de hip-hop. Bandas de Paracatu e Unaí , se apresentaram

e

não faltou atitude dos convidados para dizerem o que pen-

sa

sobre política, economia e cultura. O evento além de ser um

meio de informa o cidadão sobre seus ‘possíveis’ direitos foi também um meio para reivindicar que a cultura de um povo, não pode ser imposta, mas sim, construída.

Junho de 2011 . Policial . 11

Junho de 2011 . Policial . 11

Policial

Empresa de transporte urbano de Unaí é acusada de “injusta” depois que ônibus de sua frota se envolve em acidente com ciclista

Familiares acusam a empresa de não dar nenhuma satisfação; Policia Civil aguarda re- sultado da perícia que foi feita em local“inidôneo”

V anessa Paixão de

Araújo, de 23 anos,

faleceu depois de

sofrer um acidente

que envolveu um ônibus de transporte coletivo, na cida- de de Unaí. A jovem que era estudante de enfermagem, no último dia 21 por volta do meio-dia, quando ia traba- lhar (pois atuava como ma- nicure e usava sua bicicleta como meio de transporte), foi atingida por um ônibus da empresa Expresso Noroeste, que na ocasião trafegava na rua Celina Lisboa próximo ao cemitério central da cidade. Com o impacto a ciclista caiu e, conforme o boletim de ocorrência, ela teria batido a cabeça no meio-fio, vindo a sofrer traumatismo craniano. Horas depois ela foi enca- minhada para Brasília, onde veio a falecer. Dias depois, seus familia- res foram até o local do acon- tecido para manifestar. Os familiares queimaram pneus para reivindicar a morte de Vanessa. “Já faz dois dias e nenhum dos proprietários da empresa nos (familiares) pro- curou para saber se estamos precisando de alguma coisa”, afirma uma das manifestan- tes.

Os familiares também foram na porta da empresa, pela manhã do dia 24, para

conversar com seus proprie- tários. O INTERESSANTE acompanhou a manifestação que começou às 6h, para im- pedir com que os ônibus saís- sem da garagem. Ninguém da administração apareceu para prestar esclarecimento. Destinados a serem ou- vidos, os familiares foram para a porta da rodoviária, onde, com ajuda de um carro de som, diziam frases como:

“queremos justiça”, “precisa- mos ser respeitados” e “que- remos mais segurança no trânsito”.

Contexto De acordo com o viúvo Wilson José Pereira, o aci- dente aconteceu quando sua esposa ia trabalhar. Segundo ele, no dia do acidente ela ia atender a uma cliente, pois, para completar a renda Va- nessa trabalhava como ma- nicure. Vanessa deixou uma filha de cinco anos. Agora a meni- na mora com o pai que, para ganhar a vida, também traba- lha como mágico, em festas de aniversário e eventos so- ciais. “Dias antes do acidente ela me ajudou em um show que fiz no Itapuã, na festa da Moagem”, lembra o viúvo. Vanessa também tinha aca- bado de se formar no curso de técnico de enfermagem.

aca- bado de se formar no curso de técnico de enfermagem. Familiares protestam em frente a

Familiares protestam em frente a sede da Expresso Noroeste; eles querem que a empresa preste alguma satisfação pelo acontecido

que a empresa preste alguma satisfação pelo acontecido Vanessa Paixão de Araújo; com 23 anos, ela

Vanessa Paixão de Araújo; com 23 anos, ela tinha acabado de se formar no curso técnico de enfermagem

Empresa Conforme pôde apurar

a reportagem, as reivindi-

cações se deram pelo fato de que, “ninguém, nenhum responsável pela empresa

foi na minha casa perguntar se nós estamos precisando de alguma coisa. Nem man- daram um advogado”, disse

o viúvo durante a manifesta- ção na porta da empresa. A empresa Expresso Noroeste, por meio de sua administradora, Leida Car-

valho de Castro, afirma que

só não procurou os familia-

res porque ficou com medo de sofrer alguma represália.

Castro também disse que só ficou sabendo do aconteci- do, depois que Vanessa já

estava em Brasília. Segundo a administrado- ra, conforme relato do moto- rista que dirigia o ônibus na ocasião e do encarregado da empresa, o que aconteceu foi um “acidente”. “Ela (Va- nessa) bateu o guidom da bi- cicleta no ônibus e caiu com

a cabeça no meio-fio. O ôni- bus não teve dano nenhum. Ela assustou quando se deu

de frente com o ônibus” re- latou a administradora, com

base nos depoimentos de seus funcionários. Segundo a empresa to- dos os funcionários, prin- cipalmente os motoristas, recebem cursos de capaci- tação. A administradora ga-

rante que a família da vítima

terá todo direito garantido, como por exemplo, “receber

o seguro de vida”, que cabe

a filha e ao marido de Va- nessa.

Laudo De acordo com o dele-

gado da Policia Civil, Julio Campos, que acompanhou

o caso, a perícia foi feita em

local inidôneo, ou seja, “as peças do acidente já não estavam mais como deveria estar; a bicicleta da vítima

já tinha sido retirada e a ví-

tima, obviamente, também

já tinha sido retirada”, diz

o delegado, que prevê, por

isto, um parecer não muito preciso. Mas conforme ele

esclareceu, cabe agora es- perar o resultado da perícia que deve sair em 30 dias.

Curtas

Joalheria é assaltada em Paracatu; assaltantes continuam foragidos

No último sábado (18), um joalheria foi assaltada no centro de Paracatu. Segundo informações da Polícia Militar, os assal- tantes adentraram o estabelecimento por volta das 12h. A PM informou que “o autor sacou a arma de cor preta (possivelmen- te pistola) e chamou uma das vítimas no canto apontando a arma em sua cabeça, e disse a ela que todos entrassem no ba- nheiro e não falem nada, pois se tratava de um assalto”.

No assalto foram furtados aparelhos celulares, relógios, apare- lho de som, a carteira com os documentos pessoas da vítima

e mais dois talões de cheque. De acordo com as testemunhas

os assaltantes fugiram do local a pé. Até o fechamento desta edição os assaltantes não foram capturados.

Cinco meninas agridem me- nor para furtar celular

Cinco meninas assaltaram um menor, 14, quando esta transi- tava na rua Cristal, no bairro Esplanada em Paracatu. Segun- do a Polícia Militar, a menor teve o celular furtado depois que “cinco adolescentes do sexo feminino, a agrediram com socos e pontapés”, diz a nota a PM. Uma das possíveis agressora, identificada como Marisa (mo- radora do bairro Amoreiras II), foi procurada pela policia em sua residência, mas ela não estava. Até o momento da edição nenhuma das supostas agressoras foram detectadas. A PM in- vestiga o caso.

Rapaz é preso por tráfico de drogas no Alto do Açude em Paracatu

A Polícia Militar (PM) apreendeu Marcelo Lopes Caixeta, mais

conhecido como Marcelinho Goró, depois de abordá-lo, no último dia 18. Marcelinho Goró, de 22 anos, soldador, andava

pelo bairro do Alto do Açude, quando foi abordado pela PM. Na busca pessoal os policiais encontram com ele – na cueca – uma pedra de maconha (com 23 gramas). Junto com ele também foi encontrado a quantia de R$ 315 e um telefone celular. Segundo

a PM, denúncias anônimas disseram que o mesmo vinha prati-

cando tráfico de drogas no bairro. Goró foi conduzido a Dele- gacia de Policia.

Carro é furtado na porta de boate

Na madrugada da última segunda-feira (20), no centro de Pa- racatu, um veículo foi furtado na rua Matias Mundim. O veícu- lo estava parado próximo a boate D’Graus. De acordo com o proprietário do veículo no interior do carro estavam todos seus

documentos pessoais, cartões de créditos e roupas.

o proprietário do veículo no interior do carro estavam todos seus documentos pessoais, cartões de créditos

12 . Esporte . Junho de 2011

12 . Esporte . Junho de 2011

Esporte

Pescadores esportistas de Unaí vão à Mato Grosso disputar festival internacional de pesca

O evento reúne pescadores de várias partes do Brasil e do mundo; unaiense, que há 22 anos pratica

à pesca esportiva, objetiva fazer campeonato de pesca no Rio Preto

C áceres é um município

do Estado mato-grossen-

se banhado pelo rio Pa-

raguaia. Com uma população de 87 mil habitantes, o lugar é cenário, todos os anos, do Fes- tival Internacional de Pesca Es- portiva (FIPE). Este ano aconteceu a 31ª edição do festival. Para lá, fo- ram pescadores do mundo inteiro, inclusive José Pereira Gontijo, unaiense, que pratica pesca esportiva desde 1989. O pescador, que também é me- cânico de automóveis, não se classificou entre os primeiros, mas afirma: “Só o prazer de estar no rio, em contato direto com a natureza, já vale a pena. A premiação é conseqüência”,

brinca. O pescador ficou em 93º lugar. Ao todo 293 embar- cações participaram da compe- tição.

Pescaria Conforme Gontijo expli- cou, a competição começa cedo, às 8h e se estende até as 17h. Durante este período, as

às 8h e se estende até as 17h. Durante este período, as José Gontijo, em sua

José Gontijo, em sua oficina mecânica onde trabalha diariamente, na foto, posa ao lado de seu barco, dias depois de participar do festival

equipes precisam capturar o peixe mais pesado. “Toda hora que se pega um peixe, tem que apitar e chamar o juiz. Ele vem pesa o peixe e o mede. Depois, o peixe é devolvido outra vez ao rio”, diz o pescador. Todas as embarcações são lançadas ao rio no mesmo mo- mento, a partir daí, começa a corrida para saber quem vai capturar o peixe mais pesado. “Aí você utiliza é de sua técni- ca. Como nesta edição, tivemos somente 10 km de rio, para

pescar, a área ficou muito pe- quena, provocando uma com- petitividade maior e também dificultando para conseguir pegar um peixe bom”, explica Gontijo. Segundo o pescador, a téc- nica de pescar é simples. O quê muda, é maneira que cada pescador utiliza, para sair bem com o uso da técnica. “Quando o espaço para pescar é menor, quanto mais técnica, melhor. Mas a sorte também é funda- mental”, destaca.

Além da pesca com barcos

a motor, como foi à modalidade

que Gontijo participou, tiveram também pescaria em canoa.

Tradição Somente este ano, Gontijo vai participar de quatro festi- vais de pesca que acontecerão em diversos Estados brasileiros. Ele diz que a pesca esportiva é um dos melhores esportes que existe. “A pesca esportiva não é como a predatória. Pesca-se para ter o prazer de ficar no rio, de sentir o peixe na vara, não para comer e levar caixas de peixes para casa”, afirma.

Campeonato de pesca no Rio Preto Segundo Gontijo, o Rio Pre-

to tem capacidade de sediar um campeonato de pesca esportiva. De acordo com o pescador, já está sendo preparado um pro- jeto, que será apresentado à prefeitura, como proposta para

a realização, em breve, de um

campeonato de pesca esportiva, em Unaí.

6ª edição da Corrida do Meio Ambiente acontece em Unaí

6ª edição da Corrida do Meio Ambiente acontece em Unaí A largada aconteceu próximo a Cachoeira

A largada aconteceu próximo a Cachoeira do Rio Preto

E ntre as atividades co-

memorativas relacio-

nadas ao Dia Mundial

do Meio Ambiente em Unaí, aconteceu no último dia 5, a 6ª edição da Corrida do Meio Ambiente, onde segundo a assessoria de comunicação da prefeitura local, afirmou ter participado mais de 150

atletas, nas duas modalida- des – atletismo e mountain bike. O percurso da corrida, nas duas modalidades, foi de 6 mil metros. Os compe- tidores largaram da cachoei- ra do Rio Preto e percorre- ram pelas trilhas da serra do Taquaril.

Classificação Moutain Bike (Elite)

1º) Geraldo / Gonzaga

2º) Felps

3º) Valdir Pires

Classificação Atletismo (Geral)

1º) Mandim

4º) Branco

2º) Charley

5º) Nivaldo

3º) Júnior

Pires Classificação Atletismo (Geral) 1º) Mandim 4º) Branco 2º) Charley 5º) Nivaldo 3º) Júnior
Pires Classificação Atletismo (Geral) 1º) Mandim 4º) Branco 2º) Charley 5º) Nivaldo 3º) Júnior
Pires Classificação Atletismo (Geral) 1º) Mandim 4º) Branco 2º) Charley 5º) Nivaldo 3º) Júnior