Você está na página 1de 12
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO – IFMA CAMPUS SÃO LUÍS DIRETORIA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO IFMA CAMPUS SÃO LUÍS DIRETORIA DE ENSINO COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA DISCIPLINA DE ARQUITETURA AVANÇADA DE COMPUTADORES PROF.: LUCILENE FERREIRA MOUZINHO

PRIMEIRO TRABALHO HISTÓRIA DO COMPUTADOR

LUIZ FERNANDO MELO PINHEIRO

São Luís, Maranhão

fevereiro de 2014

1

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO – IFMA CAMPUS SÃO LUÍS DIRETORIA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO IFMA CAMPUS SÃO LUÍS DIRETORIA DE ENSINO COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA DISCIPLINA DE ARQUITETURA AVANÇADA DE COMPUTADORES PROF.: LUCILENE FERREIRA MOUZINHO

PRIMEIRO TRABALHO HISTÓRIA DO COMPUTADOR

LUIZ FERNANDO MELO PINHEIRO

Primeiro trabalho da

disciplina de Arquitetura

Avançada de Computadores,

visando

a

obtenção

primeira nota.

São Luís, Maranhão

fevereiro de 2014

2

da

SUMÁRIO

 

1 - INTRODUÇÃO

04

2 - AC

05

2.1 ÁBACO

05

2.2 NA ÍNDIA

05

3

- DC

06

 

3.1

AS PRIMEIRAS CALCULADORAS MECÂNICAS

06

 

3.1.1 A PASCALINA

06

3.1.2 AINDA NO SÉCULO XVII

07

4

0a. GERAÇÃO COMPUTADORES MECÂNICOS

08

4.1 TEAR AUTOMÁTICO

08

4.2 CHARLES BABBAGE

08

5

1a. GERAÇÃO VÁLVULAS

09

5.1 ENIAC

09

5.2 UNIVAC

09

6 2a. GERAÇÃO TRANSISTORES - 1955 à 1965

10

7 3a. GERAÇÃO CIRCUITOS INTEGRADOS - 1965 à

1980

10

 

8 4a. GERAÇÃO VLSI - 1980 à 1990

10

9 5a. GERAÇÃO CONECTIVIDADE E MOBILIDADE - 1990

à atual

11

 

9.1

A COMPUTAÇÃO MÓVEL

11

 

1O BIBLIOGRAFIA

12

3

1 - INTRODUÇÃO

Segundo o Dicionário Aurélio, computador é uma “Máquina capaz de receber, armazenar e enviar dados, e de efetuar, sobre estes, seqüências previamente programadas de operações aritméticas (como cálculos) e lógicas (como comparações), com o objetivo de resolver problemas.” Podemos resumir essa definição tomando como conceito que o computador é uma máquina capaz e receber e processar dados.

4

2 - AC

2.1 ÁBACO

2 - AC 2.1 – ÁBACO A mais antiga ferramenta conhecida para uso em computação foi

A mais antiga ferramenta conhecida para uso em computação foi o ábaco, e foi inventado na Babilônia por volta de 2400 a.C. O seu estilo original de uso, era desenhar linhas na areia com rochas. Ábacos, de um design mais moderno, ainda são usados como ferramentas de cálculo.

ábaco dos romanos consistia de bolinhas de mármore que

deslizavam numa placa de bronze cheia de sulcos. Também surgiram alguns termos matemáticos: em latim "Calx" significa mármore, assim "Calculos" era uma bolinha do ábaco, e fazer cálculos aritméticos era

O

"Calculare".

É considerado o primeiro computador que já existiu, pois era capaz de armazenar dados e era possível processar os mesmos.

2.2 NA ÍNDIA

No século V a.C., na antiga Índia, o gramático Pānini formulou a gramática de Sânscrito usando 3959 regras conhecidas como Ashtadhyāyi, de forma bastante sistemática e técnica. Pānini usou meta-regras, transformações e recursividade com tamanha sofisticação que sua gramática possuía o poder computacional teórico tal qual a Máquina de Turing.

Entre 200 e 400 a.C., os indianos também inventaram o logaritmo, partir do século XIII tabelas logarítmicas eram produzidas por matemáticos islâmicos.

e

5

3 - DC

~200 d.c. foi inventada a Base Binária usada para classificar medidas musicais.

~825 d.c. Invenção do conceito de algoritmo.

No século VII, o matemático indiano Brahmagupta explicou pela primeira vez o sistema de numeração hindu-arábico e o uso do 0. Aproximadamente em 825, o matemático persa Al-Khwarizmi escreveu o livro Calculando com numerais hindus, responsável pela difusão do sistema de numeração hindu-arábico no Oriente Médio, e posteriormente na Europa. Por volta do século XII houve uma tradução do mesmo livro para o latim: Algoritmi de número Indorum. Tais livros apresentaram novos conceitos para definir sequências de passos para completar tarefas, como aplicações de aritmética e álgebra. Por derivação do nome, atualmente usa-se o termo algoritmo.

3.1 AS PRIMEIRAS CALCULADORAS MECÂNICAS

Em 1623 Wilhelm Schickard construiu a primeira calculadora mecânica e assim, tornou-se o pai da era da computação. Como sua máquina utilizava técnicas como engrenagens inicialmente desenvolvidas para relógios, ela foi também chamada de "relógio calculador". Ela foi colocada em uso prático por seu amigo Johannes Kepler, que revolucionou a astronomia.

3.1.1 A PASCALINA

que revolucionou a astronomia. 3.1.1 – A PASCALINA Pascalina, 1642), a máquina calculava até 8 dígitos

Pascalina, 1642), a máquina

calculava até 8 dígitos e foram vendidas dúzias de exemplares desta máquina.

A

máquina

de Blaise

Pascal (a

6

3.1.2 AINDA NO SÉCULO XVII

Gottfried Wilhelm von Leibniz (1670) descreveu o código binário, um ingrediente central de todos os computadores modernos. Entretanto,

até

1940, muitos projetos (incluindo a máquina de Babbage do século

XIX

e mesmo o ENIAC de 1945) foram baseados no sistema decimal, mais

difícil de implementar.

John Napier notou que a multiplicação e a divisão de números poderia ser feita pela adição e subtração, respectivamente, de logaritmos destes números. Como números reais podem ser representados pelas distâncias ou '"intervalos"' em uma linha, uma simples operação de translação ou movimentação de dois pedaços de

madeira, corretamente marcados com intervalos logaritmos ou lineares,

foi utilizada como a régua de cálculo por gerações de engenheiros e

outros profissionais de ciências exatas, até a invenção da calculadora

de bolso . Assim os engenheiros do programa Apollo para enviar o homem à lua fizeram seus cálculos em réguas de cálculo.

7

4 0a. GERAÇÃO COMPUTADORES MECÂNICOS

4.1 TEAR AUTOMÁTICO

tear

automático que lia cartões perfurados para controlar a confecção de tecidos e seus desenhos, foi construída em 1801 por Joseph Marie Jacquard.

A

primeira máquina

programável da história

foi

um

4.2 CHARLES BABBAGE

que

projetou em 1834 a primeira máquina com as partes essenciais dos computadores modernos, circuitos lógicos, memória, armazenamento. Essa máquina era baseada em “mecanismos diferenciais”. Babbage não chegou a construí-la, pois os recursos tecnológicos para construir as peças eram na época muito limitados, mas ela foi construída anos depois em sua homenagem. Babbage trabalhava em parceria com Ada Lovelace, a primeira programadora da história, que elaborou um conjunto de instruções para o processamento de uma equação matemática, baseada nos cartões perfurados do tear automático de Jacquard. O programa de Ada baseava- se na existência e ausência de perfuração, antecipando a linguagem binária utilizada hoje pelos computadores.

de perfuração, antecipando a linguagem binária utilizada hoje pelos computadores. Charles Babbage foi o homem 8

Charles

Babbage

foi

o

homem

8

5 1a. GERAÇÃO VÁLVULAS

5.1 ENIAC

5 – 1a. GERAÇÃO – VÁLVULAS 5.1 – ENIAC Da descoberta de Babbage até a construção

Da descoberta de Babbage até a construção do ENIAC em 1946 diversas foram as invenções e computadores eletromecânicos construídos, mas essa descoberta é destacada na história da computações por ser o primeiro computador eletrônico que existiu. Ele pesava cerca de 30 toneladas, media cerca de 180m² e tinha mais de 2,7 metros de altura, tinha mais de 17.000 válvulas e por ser eletrônico superava todos os outros computadores que já existiram realizando mais de 5 mil operações por segundo. O ENIAC foi construído pelos Estados Unidos para realizar cálculo bélicos na Segunda Guerra Mundial.

5.2 UNIVAC

O primeiro computador a ser comercializado foi o UNIVAC em 1951, ele executava 1905 operações por segundo e seu preço chegou a US$ 1 milhão. Em 1953 a IBM fabrica o primeiro computador digital e em 1954 são inventados os transistors, que substituíam cerca de 100 válvulas, já os circuitos integrados foram inventados em 1958.

9

6

2a. GERAÇÃO TRANSISTORES - 1955 à 1965

Substituição das válvulas por transistores;

Substituição de fios de ligação por circuito impresso;

Estas substituições permitiram uma drástica redução dos custos e principalmente do tamanho das máquinas. Assim a mudança dos materiais permitiram o aumento da velocidade de processamento.

7 3a. GERAÇÃO CIRCUITOS INTEGRADOS - 1965 à 1980

– 3a. GERAÇÃO – CIRCUITOS INTEGRADOS - 1965 à 1980 A explosão no uso dos computadores

A explosão no uso dos computadores começou com a 'Terceira Geração' de computadores. Estes se baseiam na invenção independente do circuito integrado (ou chip) por Jack St. Claire Kilby e Robert Noyce, que posteriormente levou à invenção do microprocessador por Ted Hoff da Intel. Isso permitiu o aumento da velocidade de processamento que alcançou a ordem de microsegundos (10-6). O primeiro microcomputador comercializado com sucesso foi o PDP-8, isso ocorreu em 1965, mas ele ainda não tinha sistema operacional. Começaram a surgir Sistemas Operacionais mais avançados, o primeiro sistema operacional foi o UNIX, lançado em 1969, ano em que os computadores começaram a ser ligados em rede, o início do que se tornaria a Internet que conhecemos hoje. E em 1971 surgiu o primeiro computador pessoal, o Kenbak-1.

8 4a. GERAÇÃO VLSI - 1980 à 1990

o Kenbak-1. 8 – 4a. GERAÇÃO – VLSI - 1980 à 1990 O mercado de computadores

O mercado de computadores pessoais começou a se expandir em 1981 com o lançamento do PC da IBM com o sistema operacional MS-DOS. Com uma série de evoluções de processadores (Very Large Scale Integration(VLSI)), discos rígidos e outros componentes, o mercado dos microcomputadores se expandiu, permitindo novo aumento da velocidade de processamento da ordem de nanosegundos (10-9).

10

9 5a. GERAÇÃO CONECTIVIDADE E MOBILIDADE - 1990 à atual

GERAÇÃO – CONECTIVIDADE E MOBILIDADE - 1990 à atual No início dos anos 90 foi o

No início dos anos 90 foi o Windows 3.0 e teve início a WWW

(World Wide Web) e na década de 90 novas versões do Windows surgiram e

a internet foi expandida. Em 1999 foi lançado o Linux, um sistema

operacional de código aberto que cresce cada vez mais no mercado.

O termo quinta geração foi criado pelos japoneses para

descrever os potentes computadores "inteligentes" que queriam construir em meados da década de 1990. Posteriormente, o termo passou

a envolver elementos de diversas áreas de pesquisa relacionadas à

inteligência computadorizada: inteligência artificial, sistemas especialistas e linguagem natural. Mas o verdadeiro foco dessa ininterrupta quinta geração é a conectividade, o maciço esforço da indústria para permitir aos usuários conectarem seus computadores a outros computadores. O conceito de supervia da informação capturou a imaginação tanto de profissionais da computação como de usuários comuns.

9.1 A COMPUTAÇÃO MÓVEL

No início do século XXI, a partir de iniciativas de empresas como o Google, a Nokia e, sobretudo, a Apple, iniciaram uma extensão da quarta geração de computadores que resultou na unificação de linguagens de tecnologias já existentes, e consequente extensão das funcionalidades. A computação pessoal deixou de se limitar aos chamados desktops (outrora chamados de "microcomputadores") e passou a incluir outros dispositivos (chamados Sistemas Embarcados) como telefones celulares e aparelhos de televisão, bem como uma nova categoria de dispositivos - delgado e portátil, sem teclado físico nem mouse e com tela sensível ao toque. Aplicações de uso geral passaram a ser portadas para esses dispositivos e, devido ao desenvolvimento da computação em nuvem, arquivos armazenados em um dispositivo puderam ser sincronizados em outros dispositivos, tornando a computação onipresente. Estes conceitos, que estão em curso atualmente, estão progressivamente tornando mídias físicas externas obsoletas, salvo talvez os cartões de memória.

11

1O BIBLIOGRAFIA

1. Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. Breve História da Computação Apresentação ao Curso de Sistemas da Computação 2007/2, Brasil

2. Mauricio

Apresentação ao Curso de Engenharia da Computação - UFRG 2010, Brasil

Canielas

Krause,

A

HISTÓRIA

DA

COMPUTAÇÃO

3. História

da

Computação.

Disponível

em:

A3o>. Acesso em: 25 fev. 2014.

4. Cronologia

da

Evolução

dos

Computadores.

Disponível

em:

A3o>. Acesso em: 25 fev. 2014.

5. Museu

do

Computador.

Disponível

em:

<

www.museudocomputador.com.br>. Acesso em: 25 fev.

2014.

12