A-8

Cidades

www.atribuna.com.br

A TRIBUNA

março de 2014

Domingo 9

Estresse é um problema. Para a mulher, duasvezes pior
Situação surge na infância, diz especialista
EGLE CISTERNA
DA REDAÇÃO

Como evitar
Pratique atividades físicas
Dança é uma boa opção para se livrar da tensão do dia a dia e gastar a energia gerada pelos hormônios do estresse A leitura ajuda a relaxar e se distrair

No Brasil
Leia um livro
Numa pesquisa realizada pela empresa de consultoria Nielsen, as brasileiras ocupam a quarta posição mundial em nível de estresse: 67% delas se disseram estressadas, perdendo apenas para as indianas, mexicanas e russas. No Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, cresce o número de executivas e de mulheres profissionais liberais que procuram ajuda em decorrência de doenças causadas pelo estresse crônico.

Acupuntura
Em casos mais graves, pode ser aconselhada por um profissional

Procure dormir bem

Tire alguns minutos para se distrair. Pausas de cinco minutos para levantar e circular pelo ambiente ajudam na produtividade.

Trabalho

Quando se fala sobre estresse, todo mundo tem uma situação que viveu para contar. É o trânsito, filas, burocracia, uma discussão em família, falta de dinheiro. Uma lista infinita de problemas que causam momentos de tensão e irritação. Mas,seesseestadoforpermanente,podeafetara saúde física. Principalmente das mulheres, que sofrem mais com doenças relacionadas ao estresse. Estudos isolados realizados no País mostram que elas têm o dobro depossibilidadedesofrerossintomascrônicosdoproblema. E toda essa tensão faz com que o corpo comece a dar sinais de que algo não vai bem. A lista de sintomas de que o corpo estáproduzindo umaquantidade excessiva de adrenalina e cortisol é grande. Podem surgir prisão de ventre, gastrite nervosa,acidez na digestão, sín-

Tenha uma boa alimentação
ARTE MONICA SOBRAL/AT

um alto preço, colocando a saúde em risco. Para se comportar assim, ela deve ter ao seu lado um Super Homem para dividir isso”. Mas associar a causa dos sintomas ao estresse não é simples. “Entre 60 a 90% das consultas com o clínico estão relacionadas com o estresse, mas os médicos tratam do efeito sem cuidar da causa”. O primeiro passo para quem sofre do problema é identificar o nível de estresse para ver o que pode ser feito e se há necessidade de ajuda profissional ou fazer psicoterapia. Comomedida preventiva, o estressado deve ter alimentação balanceada, fazer atividades físicas para canalizar a energia dos hormônios e abusar do antídoto natural do estresse: o bom sono.
DIAGNÓSTICO

drome do intestino irritado, cefaleia, pressão alta, asma, alergia, psoríase, queda de cabelos, unhas fracas, acne, tensão muscular no pescoço ou dor nas costas, boca seca, dor no peito, taquicardia, insônia, fadiga, alteração do apetite, aumento da frequência de resfriados, falta de concentração, problemas de memória ou esquecimento, nervosismo, irritabilidade, ansiedade – entre outros. “O estresse é da natureza hu-

mana e, inicialmente, ele não é ruim. Faz com que fiquemos alerta em determinados momentos”, explica o psicólogo e coordenador do Programa de Avaliação do Estresse da Beneficência Portuguesa de São Paulo, Armando Ribeiro. O especialista adverte que, quandoissopassaaser constante, torna-se um risco para a saúde. “Estresse crônico, tóxico, faz com que tenhamos uma produção exacerbada de hormônio, gerando,entre outrascoisas,taquicardia”,afirma Ribeiro. Umestudo daHarvard Medical School, dos Estados Unuidos, aponta alta de até 70% de

riscode doenças cardiovasculares decorrentes do estresse ocupacional entre as mulheres.
ORIGEM

O mundo feminino é mais afetado não só pela questão hormonal, mas pela cobrança que a mulher recebe da sociedade desde pequena. Uma pesquisa realizada em Campinas (SP) mostrou que as meninas na pré-escola já apresentam sintomas de estresse. “Elas são cobradas desde cedo a se tornarem a princesinha, a ter uma determinada postura, um comportamento padrão, enquanto os meninos

têm a liberdade de brincar e se sujarjustamente por seremmeninos”, diz Armando Ribeiro. Na fase adulta, a cobrança é maior. “Ela deixou de ser dona de casa, como eram a mãe e a avó, e foi para o mercado de trabalho,masnãodeixaoshábitos antigos, a função de cuidar da casa, da família. Há uma expectativa social de que ela tem que dar conta de tudo. Isso gera umajornadadupla, tripla”. Esse acúmulo de funções põe em risco a saúde da mulher. “Há um sentimento de culpa muito grande ao buscar o descanso, e ela procura a perfeição. A Mulher Maravilha paga

MELANOMA

Vida em Dia
Cláudia Duarte Cunha
mente, o melanoma é provocado pelo sol, mas existe um tipo que aparece na planta do pé, muito comum em afrodescendentes. “Esse é um câncer que costuma ser bem agressivo e ninguém sabe por que ele aparece”. Sangramento e coceira são sinais negativos e podem indicar que o câncer está bem profundo. E quem já teve melanoma deve redobrar os cuidados, já que existem maiores chances de a doença aparecer novamente. Pessoas de olhos claros e cabelos ruivos e loiros também devem ficar atentas porque são as mais suscetíveis. - Carcinoma basocelular: É o câncer de maior incidência no mundo, mas o menos grave de todos. Tem quase 100% de chance de cura com a remoção. Aparece como feridinhas que não cicatrizam no período de mais de um mês. A prevenção está no uso de filtro solar, já que esse tipo de câncer não tem origem genética. - Carcinoma Espinocelular: É um pouco mais agressivo. Normalmente começa com uma casquinha précancerígena, que adquire uma base avermelhada e pode sangrar espontaneamente. É uma lesão superficial, que deve ser removida. Não é tão grave como o melanoma, mas pode provocar metástase. Tem origem com a exposição solar.
OUTROS TIPOS DE CÂNCER

Pintas são defeitos genéticos
Geralmente originado de uma lesão pré-existente, o melanoma é o câncer de pele mais grave, que requer diagnóstico precoce e tratamento rápido pelas altas chances de evoluir para metástase, principalmente em órgãoscomo fígadoe cérebro. Conforme a dermatologista Marcia Purceli, de São Paulo, pintas negras, assimétricas e com as bordas irregulares são as mais suspeitas. No entanto, não significa que qualquer lesão com essas características é necessariamenteum melanoma. “O que ocorre é que 30% dos casos de melanoma são provenientes de pintas que já existiam, ou seja, são pintas que viraram câncer. Os outros 70% são o que chamamos de melanomas ‘de novo’, aquele que já nasceu melanoma e, desde o seu aparecimento, têm características malignas”, explicaa médica dermatoscopista (especialidade que estuda pintas). Por isso é importante avaliar periodicamente todo o corpo em busca de novas lesões e não esquecer de usar filtro solar com fator mínimo 15. “Muitas vezes as pessoas, inclusive os especialistas, observam frequentemente as pintas que já existiam e esquecem das novas”, ressalta dra. Marcia, que faz um alerta para os pacientes que possuem mais de dez pintas no corpo. “É impossível

Quem é
FERNANDA LUZ

Risco
A – Assimetria (as bordas de uma metade não coincidem com a outra) B – Bordas (irregulares) C – Cores (vários tons não é bom sinal) D – Diâmetro (maior do que a borda de um lápis)

A, B, C, D das pintas escuras

Dra. Marcia Purceli é dermatologista da Unifesp, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, consultora em dermatologia na Rede Globo de Televisão (Programa Bem-Estar). acompanhar a evolução de todas sem ajuda de outra pessoa. O médico é quem vai identificar se há alguma evolução, já que a característica do melanoma é justamente a mudança”. Trabalhoscientíficos, conforme Marcia Purceli, mostram que se for realmente um melanoma, no prazo de três meses, vai se modificar. E nesse caso é preciso operar para retirar essa lesão. “Muitas vezes, a gente

não percebe, mas ela cresce para os lados, muda de formato e pode apresentar vários tons, o que não é um bom sinal. Por isso, o ideal é dividir esse monitoramento com um dermatologista”. Para a prevenção, o uso de fotoprotetor é imprescindível mesmo em dias nublados. “O período das 10h às 16h é pior porque tem UVB (ultravioleta B), que provoca queimadura (vermelhidão) e câncer. Mas o UVA existe em qualquer hora do dia e provoca rugas, manchasetambémocâncerdepele.

Marcia Purceli alerta que pintas são defeitos genéticos, ou seja, não é algo normal na pele. Por isso, é preciso que alguém cuide. “É fundamental que o especialista avalie se a pinta tem características consideradas perigosas”. É importante deixar claro que pintas são bem diferentes de manchas ou sardas, aquelas lesões acastanhadas, mais claras, que podem ser irregulares, mas, de maneira geral, são benignas. A presença de pelo nas pintas

LESÕES PERIGOSAS

também é um bom sinal, porque se trata de um tecido nobre. “A primeira área que o câncer invade é o folículo (onde nasce o pelo) e provoca sua queda imediata. O pelo não é estético, mas é um sinal positivo de saúde”. Já as pintas enegrecidas e que aumentam de diâmetro devem ser avaliadas. Conforme a dermatologista, as lisas são mais perigosas do que as de alto relevo, mas todas devem passar por uma dermatoscopia, exame que existe há mais de 15 anos, em que é possível ampliar de 20 a 70 vezes o tamanho da lesão. “Pacientes com mais de 50 pintas têm risco dez vezes maior de desenvolver câncer do que a população em geral”, destaca a médica. Normal-

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful