Você está na página 1de 74

1

SEMINÁRIO DE INTERCESSÃO

“Ó Jerusalém, sobre os teus muros pus guardas; jamais se calarão, nem de dia e nem de
noite; vós que invocais ao Senhor, não descanseis, nem estejais em silencio, até que Ele
restabeleça Jerusalém, e a ponha por louvar na terra”.Is. 62. 6 -7.

Durante a passagem do pastor Sammy Tippit pelo Acre, houve momentos que me inspiraram
bastante. Um deles foi à história contada por ele, sobre uma das suas viagens de
evangelização num país da extinta união soviética. Contou-nos aquele pastor que o estádio da
cidade onde fora pregar estava cheio, praticamente toda a cidade estava no lugar. Entretanto,
havia uma atmosfera pesada e muito contraria espiritualmente. Quando fez o apelo, ninguém
veio à frente fazendo sua decisão ao lado de Cristo, ele sentia o ar pesado e o peso espiritual
da batalha que se travava. Deus o ordenou a continuar o apelo. Ele obedeceu, já estava
desistindo, quando ele percebeu movimento e uma mulher bastante idosa veio caminhando
em sua direção, ela chegou-se perto dele e ajoelhou-se entregando sua vida a Cristo, assim
que ela tomou esta atitude, Sammy percebeu a mudança na atmosfera local e muitas, milhares
de pessoas vieram a frente e entregaram suas vidas a Cristo.

Meses depois, ao retornar ao Estados Unidos, ele recebeu uma ligação de uma das
intercessoras de seu Ministério de Evangelização, ela queria saber como tinha sido a viagem.
Ele contou, então, o fato que acabo de relatar. A mulher do outro lado da linha começou a
chorar. Foi então, que ela lhe contou que meses antes de sua viagem aquela região, Deus a
chamara para orar por ele e fora especifico dizendo que ela deveria “orar por uma mulher
idosa que precisava ser muito, muito obediente”.

Por que havia uma intercessora comprometida com Cristo, Deus pode realizar sua Obra de
Salvação a quilômetros e quilômetros de onde ela estava. Isso é tocar o Mundo através da
Oração!

Podemos tocar o mundo através das nossas orações, podemos mudar a história de pessoas
através da oração, podemos abençoar pessoas através de nossas orações, podemos tocar o
solitário, o aflito, o enfermo, o desesperançado através das nossas orações. Nós podemos,
enfim, tocar nos mistérios mais profundos e sobrenaturais de Deus através da oração.

A oração é o aspecto mais básico de todo o nosso relacionamento com Deus e é o mais
negligenciado por nós. Temos muito preconceito com a vida de oração fervorosa, temos medo
daquilo que ela irá nos exigir. Certamente haverá um preço a ser pago. Quem sabe seus
preconceitos? Quem sabe suas noites, os seus maus hábitos, seu pecado não confessado, Deus
irá confrontá-lo?

Ou quem sabe, você se esconda atrás das orações religiosas da noite, da manhã ou de antes da
refeição?

Você realmente tem vivido uma vida de oração? Você tem se relacionado com Deus?

Se você não está satisfeito com sua vida de oração, quer mais, quer descobrir mais, ser
intercessor, mergulhar no poder de Deus, ser um dos vigias citados por Isaías, então esse
Seminário foi feito para você. Seja bem vindo!

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
2

LIÇÃO 1
O que é oração?

Defina com suas próprias palavras o que é oração?


__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
____________________________________________________________

Existem muitas definições sobre oração. Há quem a olhe como uma batalha, há os que a usam
como deposito bancário, cheque em branco...

Aprendi já algum tempo que oração é um relacionamento. É comunhão com Deus! É diálogo
com Deus! Possuo uma discípula que usa a mesma expressão que eu e meu marido
costumamos usar sobre oração “estava conversando com Deus” ou “conversei com Deus”.

Isso é natural em nossa vida, conversamos com Deus sempre, em todos os lugares e em
diversas situações. Ninguém pode conversar sozinho, a não ser que seja “doidinho”, para
conversar é preciso ter pelo menos duas pessoas se falando.

Assim é que oração é uma conversa entre duas pessoas, entre Deus e seu filho, entre o Senhor
e o seu servo.

Imagine a seguinte situação: Você e Jesus marcaram um encontro na pracinha, estão lá


sentados bem no banquinho olhando o busto do Zeferino! Daí, você dispara a falar, falar e
falar despeja tudo de uma vez em cima de Jesus. Quando ele vai responder, você
simplesmente levanta e sai em rumo de casa, preocupad@ com seus afazeres cotidianos. Jesus
fica lá sentado no banquinho, de boca aberta, vendo você ir embora!!! Insólito, não é?

Mas, é isso que fazemos na maioria das vezes quando oramos. Nós falamos, falamos,
falamos, damos ordens a Deus sobre o que Ele deve fazer, exigimos respostas conforme nossa
vontade e depois vamos cuidar de nossas vidas.

Nunca ouvimos o que Deus tem para nos dizer. Alias o que Deus tem para nos falar durante a
nossa oração é muito mais importante do que aquilo que falamos para Ele.

Oração para nós se resume em pedir, em contar nossas misérias, em lamentar e muitas vezes
murmurar. Oração para a maioria de nós é um ato religioso, que cumprimos para ficar quites
com Deus e ter nossa consciência tranqüila de que somos bons crentes e iremos para o céu.

Oração não é nosso momento de adorar, de louvar, de bendizer, de desfrutar a presença de


Deus, de nos ligar ao seu trono, de ouvirmos sua voz...Mas, precisa ser!

Oração deve se tornar nosso momento de tocar no sobrenatural de Deus e como Igreja deve
ser o momento em que Deus manifeste seu poder sobre o povo, sobre a cidade, sobre os
necessitados...É algo extraordinário!

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
3

Não vou de forma alguma fazer um compendio teológico sobre a oração...nem lhes dar
referencia históricas sobre o assunto, saber sobre oração, bem, tenho certeza que vocês já
sabem!

Sabem que deve ser feita em nome de Jesus, que podem ser de ação de graças, de petição,
intercessoria, louvor...Individual, em grupo, em família...

Quero que você viva oração essa semana! Você terá cinco tarefas a fazer durante a semana e
em nosso próximo encontro compartilharemos as vivencias que as tarefas nos trouxeram.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
4

TAREFA 1

“Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e
glória, e ações de graças”.Ap. 5.12

Sua tarefa de hoje é Adorar a Deus. Antes de qualquer coisa nessa manhã separe um tempo a
sós, seja no seu quarto, caminhando, na praça, onde você se sentir mais confortável e tiver
privacidade.

Leia o Salmo 145 e “beije a face de Deus em oração”. NÃO PEÇA NADA!

Durante todo esse dia não faça nenhum pedido, apenas e somente exalte a Deus pelo o que
Ele é!

• Como foi fazer esse exercício?


• Teve dificuldades em fazê-lo? Quais?
• Já teve uma experiência como esta?
• O que aprendeu com este exercício?

TAREFA 2

“Louvar-te - ei, Senhor, Deus meu, com todo o meu coração, e, glorificarei o teu nome
para sempre”. Sl. 86.12

Sublinhe nos nomes abaixo o nome de Deus que você conhece em sua vivencia de
relacionamento com Ele.

Para o povo judeu o nome de uma pessoa era muito importante, porque significava o que ela
era ou que tinha vivido em sua vida.

A revelação de Deus pelo Seu Nome revela o que Ele é e o que já vivemos com Ele. Hoje
você refletirá naquilo que já viveu e LOUVARÁ DEUS PELO SEU NOME!

Meu Fiador – Jo. 16.19 Refugio e Fortaleza – Sl. 18.2


Maravilhoso Conselheiro – Is. 9.6 Meu Esteio – II Sm. 22.19
Um Grande Sumo Sacerdote – Hb. 4.14 Rei dos reis – I Tm.6.15
Minha Confiança – Sl.71.5 Senhor dos senhores – I Tm.6.15
Fiel e Verdadeiro – Ap. 19.11 Minha Salvação – Ex.15.2
Deus de Toda Consolação – II Cor. 1.3 Minha Fortaleza – Sl.18.2
Cabeça da Igreja – Ef.5.23 Minha Esperança – Sl. 71.5
Consolador da Tristeza – Jr. 8.18 A nossa frente (nosso líder) – II Cr. 13.12
Meu Forte Libertador – Sl.140.7 Senhor da Seara – Mt. 9.38
Firme Fundamento – Is.28.16 Príncipe da Paz – Is. 9.6
O Deus que me dá vingança – Sl. 18 47 Meu Salvador – Sl. 4. 2-5
Nosso auxílio – Sl. 33.20 Zeloso – Ex. 34.14
Pão da Vida – Jô. 6. 35 Nossa Vida – Cl.3.4
Juiz das Viúvas – Sl.68.5 Mediador – I Tm. 2.5

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
5

Um Fogo Consumidor – Dt. 4.24 Redentor Meu – Sl. 19.14


Deus da minha Salvação – Sl. 51. 14 O bom pastor – Jo. 10.11
Meu Esconderijo – Sl. 32.7 Bom Mestre – Mc. 10.17
O Santo no meio de ti – Os. 11.9 Nosso Pai – Is. 64.8
Justo Juiz – II Tm. 4.8 Deus Todo Poderoso – Gn. 17.1
Luz da Vida – Jo. 8 .12 Nosso Guia – Sl.48. 14
O Santíssimo – Dn. 9.21

• Como foi fazer esse exercício?


• Teve dificuldades em fazê-lo? Quais?
• Já teve uma experiência como esta?
• O que aprendeu com este exercício?

TAREFA 3

“Ofereçam sacrifícios de louvor e relatem as suas obras com regozijo”. Sl. 107.22

Hoje é o dia de sua “Caminhada com Deus”. Ontem através dos nomes de Deus você viu o
quanto já viveu com Ele e O Louvou pelos seus nomes. Hoje, você estará relembrando
novamente tudo o que Deus fez na sua vida, principalmente as lutas, as disciplinas espirituais,
o crescimento espiritual que Ele lhe proporcionou. AGRADEÇA A DEUS POR TUDO
ISSO!

• Como foi fazer esse exercício?


• Teve dificuldades em fazê-lo? Quais?
• Já teve uma experiência como esta?
• O que aprendeu com este exercício?

TAREFA 4

“Sejam agradáveis as palavras da minha boca, e a meditação do meu coração perante a


tua face, ó Senhor, Rocha minha e Redentor meu”. Sl. 19.14

Escolha uma das passagens bíblicas a seguir e durante esse dia medite nela, ao final do dia
quando for deitar-se, ela será sua oração.

o Fil. 2. 3-4;
o II Sm. 7.22;
o Sl. 130;
o Ef. 4.31-32;
o Ef. 5.18;
o Hb. 12.14;
o Ez. 11.19;
o Fil. 2.5-11;

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
6

o Tg. 53.5-12;
o Ef. 5. 3-7.

• Como foi fazer esse exercício?


• Teve dificuldades em fazê-lo? Quais?
• Já teve uma experiência como esta?
• O que aprendeu com este exercício?

TAREFA 5

“Ouvi minha instrução e sede sábios; não a rejeiteis. Bem - aventurado o homem que me
dá ouvidos, velando diariamente às minhas portas, esperando às ombreiras da minha
entrada. Porque o que me acha, acha a vida, e alcança favor do Senhor. Mas o que não
consegue me encontrar faz mal à sua própria alma; todos os que me odeiam amam a
morte”.
Pv. 8. 33-36

Quero que se levante cedo e procure um local isolado e privado, dessa vez em profundo
silencio, ouça a voz de Deus. Procure não dispersar a mente com pensamentos, problemas ou
coisas externas, somente ouça a voz de Deus, fique em silencio com Deus, contrito,
quebrantado e deixe-o falar no profundo do seu ser.

• Como foi fazer esse exercício?


• Teve dificuldades em fazê-lo? Quais?
• Já teve uma experiência como esta?
• O que aprendeu com este exercício?

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
7

Durante essa semana você vivenciou vários tipos de oração. Isso mesmo!

• Adoração – Oração em que Deus é o centro. Nós o adoramos pelo o que Ele é. Não
pelo o que fez por nós. Essa e a mais salutar tipo de oração, onde engrandecemos a
Deus pela sua Grandeza, Majestade, Soberania, lhe dando honra, glórias e poder.
• Louvor – Oração onde Deus é o centro, diferente da adoração, onde nos
concentramos no que Deus é, louvamos a Deus pelo o que Ele fez por nós, pelos seus
grandes milagres em nossa vida, a salvação, o cuidado, a proteção.
• Gratidão – Oração onde reconhecemos que tudo o que recebemos de Deus é pela sua
graça e não pelos nossos merecimentos. Nela lembramos que somos pecadores e que
tudo o que Deus fez e faz em nossas vidas é pelo seu imenso Amor e pela sua Graça
infindável. Reconhecemos que dependemos de Deus e sem Ele nada somos.

Fizemos, também, dois exercícios de concentração espiritual. Nos dias de hoje em que
estamos extremamente ansiosos, somos imediatistas, não queremos sofrer ou esperar é muito
difícil aprender a meditar na Palavra e ouvir a Voz de Deus, isso é essencial na nossa vida, em
nosso crescimento espiritual e em nossa vida de oração.

Meditar na Palavra nos traz amadurecimento, sabedoria e muda os padrões de nosso


pensamento, é assim que adquirirmos a Mente de Cristo. Nossos valores são mudados, nossos
hábitos, nossa forma de pensar e ver o mundo, para possuir uma vida de intercessão
satisfatória precisamos possuir uma mente renovada, como nos diz Paulo em Romanos 12. 1,
e ver com os olhos de Deus o mundo, as pessoas, os problemas, aquelas circunstâncias que
serão objeto de nossa oração.

Ouvir a voz de Deus é vital para nosso relacionamento com Ele, como nos relacionaremos
com alguém que nunca ouvimos? Deus tem muito a nos falar, orientar, compartilhar e contar.
Para uma vida de intercessão vitoriosa é necessário que estejamos com nossos ouvidos
espirituais abertos para Deus, assim Ele pode nos chamar quando quiser, nos alertar sobre
assuntos para orar, nos conduzir em espírito a oração que Ele deseja.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
8

LIÇÃO 2
Inimigos da Vida de Intercessão

“Se eu no coração contemplara a vaidade, o Senhor não me teria ouvido”.


Sl. 66.18

Possuímos inimigos ferrenhos contra a nossa vida de oração, antes de você pensar no diabo e
suas hostes, que são inimigos declarados da vida de oração! Quero dizer que nossa
carnalidade, pecados, nossa terrível e incansável tendência para o mal são um grande inimigo
de nossa vida de oração.

Observe o que o apóstolo Paulo nos ensina na carta aos Romanos 7.19-23: “Pois não faço o
bem que quero, mas o mal que não quero, esse faço. Ora, se eu faço o que não quero, já
não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho esta lei em mim, que, quando quero
fazer o bem, o mal está comigo. Pois segundo o homem interior, tenho prazer na lei de
Deus, mas vejo nos meus membros outra lei que batalha contra a lei do meu
entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros”.

Para destruir esta prisão Cristo veio e nos garante liberdade através do seu Sangue, não
estamos mais debaixo da lei do pecado. Leia Romanos 8. 1-17 e responda as questões a
seguir:

 Qual a nossa situação frente ao pecado?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 O que Paulo quer dizer quando fala em inclinação da carne?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 Você poderia citar que inclinações da carne você tem padecido?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 No seu entendimento o que significa viver no Espírito?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque
Cândida Maria Ferreira da Silva
9

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
 O que Cristo faz por nós, afim de que vençamos o pecado?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 Quem são aqueles que são segundo a carne? E quem são aqueles que são segundo o
Espírito?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

 O que é a inclinação da carne em relação a Deus?


___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Entretanto, apesar de nossa liberdade em Cristo, lutamos verozmente para mortificar as obras
da carne, pois a mesma é inimiga de Deus e nunca será redimida como um dia nossos corpos
físicos o serão. Veja o que Paulo diz em Gálatas 5.16-18: “Digo, porém: Andai no Espírito,
e não satisfareis à concupiscência da carne. Pois a carne deseja o que é contrario ao
Espírito, e o Espírito o que é contrario a carne. Estes opõem-se um ao outro, para que
não façais o que quereis. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei”.

Todo crente fiel conhece essa batalha feroz, que só é vencida pela vida de oração, leitura da
Palavra e continuo relacionamento com Deus.

Nossa carnalidade é um dos inimigos da vida de oração que estaremos abordando nesses
próximos encontros. Gostaria que você fosse absolutamente sincero com Deus e não
encarasse essa parte de nosso seminário apenas de forma teórica, mas, que deixasse Deus
esquadrinhar o seu coração e apontar aquelas fortalezas onde esses inimigos estão
entrincheirados, para que sejam varridos e você seja livre para uma vida de oração viva e
eficaz diante de Deus. Deus quer hoje derrubar os inimigos que te impedem de ser um
homem, uma mulher, um jovem, uma jovem de oração.

“Eu esmagarei os seus inimigos perante sua face”.


Sl. 89.23a

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
10

Dia 1 - Conflitos Familiares (I Pe 3. 1-7)

“Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo”.


Ef. 5.21

Quando Deus planejou a família a criou com o objetivo que ela fosse benção para nós. Seria o
lugar onde compartilharíamos amor, cuidado, carinho, afeto, moral, aprenderíamos sobre a
Palavra de Deus. Entretanto, desde que o pecado entrou no mundo a família tem sido palco de
todo o tipo de violência, traição, competição, desamor e desarmonia.

Observe bem, que após a queda do casal adâmico é na família que ocorrerá o primeiro
homicídio na face da terra. Caim matando Abel por venenosa inveja. Caim mata Abel, seu
irmão de forma fria e premeditada.

Desde, então, a família tem sido um campo de batalha, é nela que satanás ataca para destruir
os filhos e o casal. É nela também que a nossa carnalidade causa estragos por vezes
permanentes, em muitas e muitas gerações.

A vida familiar é importante em nossa vida de oração. Se nossa vida familiar não for dirigida
pelo Senhor, fracassaremos em ter uma vida de oração saudável e abençoadora.

O casamento é uma benção de Deus, que devemos administrar com sabedoria, pois daremos
conta dele perante o nosso Senhor.

A bíblia declara firmemente que homens que não vivem em entendimento com suas esposas
possuem suas orações impedidas: “Igualmente, vós, maridos vivei com elas (as esposas)
com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais frágil, e como sendo elas
herdeiras convosco da graça da vida, para que não sejam impedidas as vossas orações” I
Pe. 3.7

Maridos machistas (que é pecado, tanto quanto o feminismo), maridos violentos, maridos
desrespeitadores de suas esposas, que não possuem uma palavra de incentivo e sempre
criticam a esposa, maridos grosseiros, maridos que não cooperam no trabalho doméstico,
maridos ciumentos, maridos que com suas atitudes diárias não honram suas esposas perante
os filhos, os amigos e Deus, não terão uma vida de oração saudável, pelo contrario, terão suas
orações impedidas perante o Senhor.

Da mesma forma as mulheres, a bíblia adverte: “A mulher virtuosa é a coroa do seu


marido, mas a que procede vergonhosamente é como apodrecimento nos seus ossos”. Pv.
12.4

O proceder vergonhoso de uma mulher não está sempre ligado à devassidão sexual, mas,
também a aspectos que demonstram falta de sabedoria para administração do lar. Existem
mulheres que são maravilhosas donas de casa, mas, rixosas com os maridos, controladoras,
ambiciosas ao extremo, caluniadoras, intrigantes que trazem dissensão entre os familiares,
presunçosas que se acreditam melhores que os maridos, frias sexualmente, criadoras de caso,
ciumentas ao extremo e algumas violentas.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
11

A bíblia ensina que a mulher sábia edifica a sua casa e as tolas a derrubam com as mãos, isso
ocorre muito em nossas igrejas. A mulher deve buscar sabedoria em Deus para administrar o
seu lar e a sua convivência com o marido.

Existem pais que fazem o oposto do ensinamento de Paulo: “E vós, pais, não provoqueis a
ira a vossos filhos, mas criai – os na disciplina e admoestação do Senhor”. Ef. 6.4

Em outras versões Paulo assinala “para que não percam o animo”, mas é exatamente o que
determinados pais fazem com seus filhos, sejam por palavras, espancamentos, negligencia ou
intolerância.

Existem aqueles pais que criticam o filho abertamente, envergonham –os na frente de outras
pessoas, lançam palavras de desanimo sobre os seus filhos chamando-os de burros, incapazes,
ignorantes, fracos, maldizendo o seu futuro, descartando-o a todo o momento. Muitos
reprimem ou oprimem os filhos não os deixando expressar suas idéias, seus sentimentos,
vontades, sonhos.

Há aqueles ainda, que espancam os filhos com ou sem motivo, derramando sobre o filho sua
ira e frustração. Outros negligenciam o filho abertamente, mesmo tendo dinheiro e dando
tudo o que eles querem, negligenciam no afeto, no dialogo, no exemplo de amor e vida cristã
saudável.

Temos, também, aquele clássico tipo de pais que são os que “amam demais” e por que
amam demais tudo é permitido ao filho, não existem limites, não existe educação.

A bíblia adverte, também, aos filhos: “Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor,
pois isto é justo. Honra teu pai e a tua mãe – que é o primeiro mandamento com
promessa -, para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra”. Ef. 6. 1-3.

A televisão, a musica, o cinema, costumam estimular os jovens à rebeldia contra os pais.


Hoje, é careta obedecer aos pais, cumprirem horários, dizer aonde vai, dar conta dos estudos e
dos amigos. Essa atitude dos jovens tem levado muitos a morte, como o caso recente ocorrido
em São Paulo e divulgado amplamente pela televisão.

Caso extremo foi dos Voondorffs, em que a filha, Susanne, junto com o namorado e o irmão
deste, os Cravinhos, matou os pais a pauladas “por amor”.

Da mesma forma o caos na família, a desobediência, a falta de dialogo, tem levado muitos
jovens pelo caminho das drogas e da marginalidade.

Jovens que não obedecem a seus pais no Senhor e nem os honram diante da sociedade e de
Deus não terão uma vida de oração diante do Pai. É uma ilusão!

Satanás tem ganhado pontos nessa batalha contra a família, pois, costumamos viver nossa
vida em família muitas vezes nas tradições de nossos pais, de nossos avós, da televisão, da
cultura que possuímos e esquecemos de viver a nossa vida familiar na centralidade da Palavra
de Deus. A bíblia para nós acaba por ser palavras ditas aos domingos e não vivida dia a dia no
nosso cotidiano.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
12

Sua tarefa nessa lição é responder algumas perguntas intimamente com Deus sobre a sua vida
em família.

• Para o marido: Como tem sido o seu tratamento com sua esposa? Você é um marido
que incentiva a sua esposa ou a critica diariamente? Você demonstra seu amor e
carinho por sua esposa com palavras e gestos de afeição? Você respeita a opinião de
sua esposa? Você já agrediu sua esposa fisicamente ou por palavras? Você já forçou
sua esposa a ter relações sexuais com você quando ela não queria? Você impede sua
esposa de ter amigos, visitar a família, sair de casa, trabalhar ou estudar? Possui
ciúmes excessivo que o deixam descontrolado? Auxilia a sua esposa nas atividades
domésticas? É sensível as necessidades emocionais, sexuais, psicológicas de sua
esposa? Você possui ressentimento ou ódio de sua esposa? Você ignora a sua esposa?
Você mantém uma vida de oração e culto no lar com sua esposa e filhos? Você tem
sido exemplo de homem de Deus em seu lar?
• Para a esposa: Como tem sido seu tratamento com seu esposo? Você é controladora?
Você tem costume de desprezar seu marido com palavras, tais como: “ele não é
capaz” “ele não tem entendimento” “Meu marido é um frouxo?” Você vive
perseguindo seu marido dentro de casa com limpeza? Você cuida de sua casa com
carinho? Você incentiva seu marido a crescer espiritualmente e em todos os aspectos
de sua vida? Você ouve seu marido quando ele a aconselha? Você é ciumenta ao
excesso? Você é sensível às necessidades emocionais, sexuais, psicológicas de seu
esposo? Você respeita o seu marido? Você possui ressentimento ou ódio contra seu
marido? Você ignora seu marido? Você ora regulamente pelo seu marido? Você ora
junto com seu marido? Você tem sido um exemplo de mulher de Deus em seu lar?
• Para os pais: Você ouve o seu filho? Você tem costume de oprimir ou reprimir seus
filhos com palavras ou atitudes? Você incentiva o seu filho? Você é amigo/a de seu
filho? Você espanca seu filho? Você tem um amor sufocante pelo seu filho de tal
forma que ele não possui liberdade? O seu filho confia em você para falar sobre tudo
em sua vida? Você é um pai/mãe permissivo que desculpa todos os maus feitos do
filho? Você se interessa pelo seu filho e suas necessidades emocionais, espirituais e
psicológicas? Você ignora seu filho? Você possui ressentimento ou ódio pelo seu
filho? Você tem sido um exemplo de cristão que seu filho poderia seguir?
• Para os filhos: Você mentiu ou mente para seus pais? Você tem feito alguma coisa
escondida de seus pais? Você desrespeitou seus pais? Você tem desobedecido a seus
pais? Você tem andado com pessoas que seus pais não aprovam? Você tem namorado
alguém que seus pais não aprovam? Você tem conversado com seus pais? Você
despreza seus pais? Você tem vergonha de seus pais? Você tem ressentimento ou ódio
de seus pais ou um deles? Você ignora seus pais? Você oprime seus pais com sua
vontade? Você ouve e acata os conselhos de seus pais? Você tem sido exemplo de
seus pais na sua fé?

Reflita com Deus em oração, se respondeu sim a uma ou mais perguntas, por favor, coloque –
se diante de Deus em oração e peça que o Senhor o perdoe e restaure. Procure seu marido, sua
esposa, seu filho, seus pais e peça perdão em tudo aquilo que o Senhor lhe mostrou e restaure
a sua convivência familiar. Cristo tem vitória para sua família!

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
13

Dia 2 - Falta de perdão (Mc. 11.25)

“Toda amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmias, e toda a malícia sejam tirada de
entre vós. Antes sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-os uns
aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo” Ef. 4 31-32

Quando eu residia no Rio de Janeiro, próximo a minha casa, existia uma frondosa mangueira,
ela era muito bonita e anualmente dava seus frutos no período correto. Um dia, meu irmão
veio me contar espantado que os frutos da mangueira nasciam podres, sendo ela imprestável
para ser colhida.

Intrigada, perguntei a uma amiga que era bióloga o por que dessa situação. Ela, então me
disse, que a mangueira devia ter sido envenenada, mas, não tinha morrido, entretanto, o
veneno ainda se encontrava na sua seiva, por isso as mangas eram podres. Para acabar com
aquilo, ela precisava ser podada para eliminar o veneno e dar mangas saudáveis.

Assim é nossa vida com Deus, se formos envenenados com a letal amargura, ódio, falta de
perdão nossos frutos apodrecerão, mesmo que ao longe possamos parecer arvores bonitas e
frondosas.

A falta de perdão é sinal de uma natureza ainda sobre o controle da carne: “As obras da
carne são conhecidas, as quais são (...) inimizades, porfias, ciúmes, iras, pelejas,
dissensões facções(...)”. Gal. 5. 19 a, 20. Não existe nada mais desolador quando encerramos
em nosso coração a amargura contra alguém. Essa é uma arma letal de satanás, contra nossas
vidas e contra nossas igrejas. Toda vez que satanás quer destruir uma igreja ele começa
criando dissensões por motivos “aparentemente justos” que resultam em ódio e feridas
terríveis que matam os crentes e extingue o Espírito Santo na igreja.

Se a falta de perdão demonstra que nossa natureza se encontra controlada pela nossa
carnalidade, é sinal, também, que estamos longe de sermos cheios do Espírito e darmos o Seu
Fruto. “Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade,
bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra essas coisas não há lei”.Gal.
5.22.23.

Note bem esses predicados: amor, paz, longanimidade, benignidade, bondade, mansidão e
domínio próprio. Todos eles têm haver com uma natureza perdoadora, branda, que se tarda
em irar e vingar-se. Assim é Deus. Por que Deus é longânimo, ou seja, tardio em irar-se
conosco. Por que Deus é benigno e bom, ou seja, misericordioso conosco. Por que Deus é
amor, um amor perfeito, incondicional, que deu seu Filho por nós sendo nós ainda pecadores,
por essas características de sua Personalidade, Deus é perdoador.

A nossa natureza é contraria a isso, Paulo, demonstra com absoluta clareza, que nós obramos
em nosso interior, inimizades e toda sorte de divisões. Mas, temos em nós uma nova natureza,
uma nova mente e o Espírito Santo, para frutificar em nós o caráter de Cristo. “ que, quanto
ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências
do engano; e vos renoveis no espírito de vosso entendimento; e vos revistais do novo
homem que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade”. Ef. 4. 21-23

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
14

Além de envenenar nosso espírito e nossas igrejas, a falta de perdão traz amargura aos nossos
corações, tirando a nossa alegria e impedindo a comunhão com o Senhor, “Segui a paz com
todos, e a santificação; sem a santificação ninguém verá o Senhor. Tende cuidado de que
ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos
perturbe, e por ela muitos se contaminem”.Hb. 12. 14-15.

Perdoar é uma escolha voluntária do nosso coração, o balsamo do Perdão que traz paz ao
nosso coração é uma ação do Espírito Santo de Deus em nossas vidas. O perdão é um milagre
de Deus na nossa vida e na vida do nosso ofensor.

O perdão é uma das bênçãos mais maravilhosas de Deus em nossas vidas, ele nos traz paz,
restauração de relacionamentos, restauração do nosso relacionamento com Deus, perdão de
Deus sobre nós e principalmente libertação.

Enquanto não perdoamos, nosso coração é prisioneiro daquela pessoa, daquele fato e vivemos
sempre o que foi, o passado. Carregamos um fardo tremendo em nossas vidas, que nos
encurva, derrota e amargura. Precisamos aprender a perdoar e pedir perdão.

Como perdoar? Talvez você pense naquela frase fajuta: “Ah, eu esqueci esse fato!” Ou tem
aqueles que dizem “eu perdôo, mas, não esqueço!” Perdão é deixar o irmão nascer
novamente em nosso coração, dizia o Pastor Caio Fábio.

O tal do esqueci é mentira! Para perdoar você precisa ter consciência da sua ofensa e quanto
aquilo doeu em seu coração, deve admiti-la diante de Deus, pranteie a sua dor perante o
Senhor e a entregue a Ele. Decida em seu coração perdoar seu ofensor sabendo que ele é tão
falho quanto você. Entregue qualquer sentimento de justiça e vingança a Deus, pois Ele é o
único que pode corrigir uma pessoa. Perdoar é também renunciar ao nosso direito de vingança
e retaliação, é deixar Deus tomar nossas dores e ofensas nas Suas Mãos.

Procure a pessoa que lhe ofendeu, se for possível, não com sentimento de vingança, ou
desforra, mas, com o coração aberto para perdoá-la.

Se precisar pedir perdão a alguém, não espere muito tempo, lembre-se da leitura de Marcos e
busque concerto com a pessoa. Se ela não quiser perdoar, isso já é entre ela e Deus, tenha sua
consciência limpa que você fez o certo perante o Senhor.

Para encerrar nossa lição queria destacar dois versículos do Salmo 103. 8,10: “Compassivo e
piedoso é o Senhor, lento para a cólera, e abundante em amor. Não nos tratou segundo
os nossos pecados, nem nos retribuiu segundo as nossas iniqüidades”.

Se Deus que é Santo e Justo, não nos tratou segundo os nossos erros, quanto mais nós
pecadores, falhos, não podemos retribuir e nem tratar os outros segundos suas falhas, que são
as mesmas que cometemos com outros.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
15

Sua tarefa hoje consiste em duas coisas. A leitura de Mt. 18. 23-35 em atitude de oração, em
seguida com toda sinceridade diante de Deus peça que Ele lhe mostre as pessoas a quem você
deve pedir perdão e aquelas a quem você deve perdoar. Com um coração sincero e contrito vá
perante o altar de Deus e deposite sua carga. Deus o abençoe!

“Compassivo e piedoso é o Senhor, lento para a cólera, e abundante em amor. Não nos
tratou segundo os nossos pecados, nem nos retribuiu segundo as nossas iniqüidades”.
Sl. 103. 8, 10

 Perdoar não é a mesma coisa que apagar,


 Perdoar é algo concreto e verdadeiro,
 Perdoar é cessar de sentir ressentimento contra o ofensor,
 É desculpar; conceder absolvição de culpa e dívida,
 Perdoar é desistir de uma pretensão de vingança,
 Perdoar é um milagre: Eu quero perdoar – Deus faz o milagre.

AS TRES FASES DO PERDÃO

1. Reconhecimento da Ofensa (José fez isso com seus irmãos);


2. A avaliação de todos os maus efeitos decorrentes daquela ofensa;
3. A escolha de aceitar sobre nós as conseqüências daquele ato, deixando o culpado sair
livre.

Perdoar é milagre de Deus em nosso coração. Dependemos dEle agindo através de nós.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
16

DIA 3 – Contendas – Tg. 3.16

“Se alguém cuida ser religioso, e não refreia a sua língua, antes engana o seu coração, a
sua religião é vã”.
Tg. 1. 26

A bíblia não possui meio termo com fofoqueiro, ela os condena veementemente! A pessoa
dada a mexericos dentro da igreja, na família, na vizinhança, empresta a língua ao diabo e a
que ouve, os ouvidos!

A arma mais terrível e destruidora que o diabo usa contra uma igreja é a língua dos crentes
mexeriqueiros e caluniadores. Nessas horas, não é necessário nenhum incrédulo para macular
a igreja, os próprios “crentes” servem da língua, ao final dos cultos, indo de casa em casa,
usando o telefone, para destruir a vida de pessoas, jovens, pastores e lideres. TUDO ISSO
ORQUESTRADO PELA MÃO DE SATANÁS!

Não existe meio termo am relação ao ato de fofocar e intrigar na igreja. Deus odeia esse tipo
de comportamento, muitos crentes tem suas vidas derrotadas, não crescem espiritualmente,
são instrumentos do diabo (ao invés de Deus), estão sendo disciplinados severamente por
Deus, devido a suas línguas peçonhentas!

Eu gostaria que você pesquisasse os versículos a seguir e me respondesse qual o conceito que
a Palavra de Deus tem para o mexeriqueiro.

• Salmos 34.13;
• Salmos 39. 1;
• Salmos 120. 2;
• Provérbios 10.31;
• Provérbios 12. 18-19;
• Provérbios 21.23;
• Provérbios 12. 22;
• I Pedro 3. 10;

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
.

Como a Palavra de Deus qualifica aqueles que têm refreado a sua língua?

• Provérbio 15.4;
• Provérbios 25.15
• Provérbios 10.11;
• Provérbios 31.26;
• Apocalipse 14.4-5

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
17

O mexeriqueiro, o enganador com a língua é tido como perverso e tolo. Para aquele que
refreia a sua língua e só abre a sua boca como benção sobre os outros, sua igreja, sua família,
a bíblia o chama de sábio.

Ninguém que vive a fofocar, a mexericar, a emprestar sua língua ao satanás terá benção na
vida de oração, nem poderá ser um intercessor. Tiago mesmo nos adverte que de uma mesma
fonte não pode sair água doce e salgada. De uma mesma boca não pode sair benção e
maldição.

Como que um mexeriqueiro, amaldiçoador da vida dos irmãos pode ser um intercessor?
NUNCA!

A bíblia é severa quanto a isso e não pense você, se possui esse hábito abominável, que
passará em branco perante Deus, Ele o corrigira e você mesmo trará mal sobre sua vida e sua
família. Aquilo que falamos hoje, falarão duas vezes mais de nós amanhã!

Gostaria que com muita sinceridade diante de Deus você respondesse a essas perguntas.

• Você fala mal de seus líderes, pastor, tanto de sua igreja como de outras? Quando
visita a casa de irmãos seu assunto é falar da vida alheia? Tem costume de intrigar
com os membros da sua família? Já intrigou na igreja contra seus lideres, pastores e
irmãos? Se um irmão contar um assunto ou problema para você, você passa adiante?
Tem o hábito de detratar as pessoas por palavras diante de outras pessoas? Você fala
mal de seu pastor, líderes, dentro de casa na frente doa filhos? Você costuma falar mal
das pessoas e se esconder por trás do cínico adjetivo da franqueza, de ser crítico, de
ser positivo, de falar o que pensa? Já criou problemas na igreja com o pastor, lideres e
outros irmãos devido aos seus comentários? Já quebrou a comunhão de irmãos na
igreja e em sua família por causa de seus comentários? Quando existe uma confusão
na igreja e que envolve fofoca você geralmente está no meio?

Se respondeu sim, a pelo menos uma pergunta, por favor peça perdão a Deus e suplique que
Ele lhe liberte da prisão da língua. Se, por sua causa, a comunhão da igreja foi quebrada, ou
entre irmãos, peça perdão a eles. Se magoou alguém de sua família, pastor, líder ou irmão,
procure-o e paca perdão.

“O que guarda a sua boca e a sua língua, guarda das angustias a sua alma”.
Provérbios 21.23

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
18

DIA 4 – Motivação errada – Tg. 4.3

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e incorrigível. Quem o conhecerá?


Eu, o Senhor, esquadrinho o coração, e provo a mente, e isto para dar a cada um
segundo os seus caminhos e segundo os frutos de suas ações”.
Jr. 17.9

O coração humano é muito enganoso, muitas vezes, nossos sentimentos e até palavras dizem
uma coisa, inclinam-se numa direção, mas, no mais profundo do nosso coração, dentro do
nosso inconsciente, estamos inclinados em outra direção.

Ocorre que dizemos para Deus em nossas orações que queremos servi-lo, nos apresentamos
para o pastor e a igreja como servos de Deus, dispostos a servir, a trabalhar na obra, somos
solícitos, cheios de boas intenções. Mas, lá no fundo de nossos corações na verdade
guardamos o mais profundo desejo de sermos notados, de sermos elogiados, de nos sentirmos
melhores crentes do que outros, de na verdade, recebermos toda a glória para nós mesmos.

Podemos nos enganar, enganar o pastor (raramente) e a igreja, mas, não enganamos Deus,
porque Ele esquadrinha nosso coração e mente profundamente, e Ele sabe o que nos motiva.

Muitas orações não são atendidas em nossas vidas devido à motivação errada com que nos
achegamos a Deus. Oramos pelo enfermo, não com compaixão de sua dor e enfermidade,
com fé que Deus o curará, oramos com o desejo interior de que sendo o milagre feito,
recebamos glória por aquilo. “Olha só, irmão fulano orou pelo enfermo e ele foi curado!
Nossa irmão fulano é mesmo cheio de unção!”

Adentramos no Ministério de Oração, não como um servo para auxiliar outros em suas dores,
por vezes queremos ser solicitados e tidos como “espirituais”.

Esquadrinhar o coração numa atitude sincera perante Deus deve ser uma atitude constante em
nossas vidas, Deus conhece a nossa mente e nos expurga até daquilo que se encontra
encoberto para nós mesmos.

Deus não está interessado em nos fazer ricos materialmente, nem nos dar carros ou negócios
bem sucedidos. Deus deseja nos moldar o nosso caráter para que resplandeçamos Cristo. É
enganoso pensar que Deus irá satisfazer seus desejos materiais ou vaidades. Deus não é seu
empregado!

Nem mesmo receber ordens suas, em Mateus 6. 10, Jesus ensina a oração modelo. De quem
deve ser feita à vontade, tanto na terra como nos céus?_______________________________

Você poderia, então me dizer, com que autoridade você pode determinar alguma coisa na sua
vida para Deus?

Queremos comprar Deus, nos dias de hoje. Deus não é comprado com dízimos e nem ofertas,
a fim de nos conceder alguma benção.

Se nossa petição estiver fora daquilo que a Vontade de Deus tem preparado para nós ou fora
de Sua Palavra, você não receberá o que está pedindo.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
19

A pergunta de hoje, para sua meditação e profunda avaliação diante de Deus é: Qual é o
Isaque que você deve sacrificar no Monte Moriá?

Leia o Salmo 139, ele será à base de sua meditação desse dia. Deixe Deus revelar a você
aquilo que Ele tem esquadrinhado em seu coração, lembre-se Deus lhe conhece, melhor que
você mesmo. O que você tem pedido em oração está em perfeita harmonia com a Vontade de
Deus? O seu pedido é biblicamente correto? Quais as motivações mais profundas de seu
coração quanto as suas petições atuais diante de Deus?

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
20

Dia 5 – Desobediência – (Is 59. 1-2)

“E aquilo que pedimos, dele recebemos, porque guardamos os seus mandamentos, e


fazemos diante dele o que lhe é agradável”.
I Jo. 3.22

As maiorias das promessas que Deus nos faz através da Sua Palavra são condicionantes, isto
é, existe uma parte que devemos fazer e outra parte que Deus fará. Na maioria das vezes
desejamos ser abençoado, mas, não queremos levar uma vida de obediência a Deus. Leia
Deuteronômios 11. 13 – 25 e responda: Quais as bênçãos prometidas àqueles que obedecem a
Deus?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
.

Em João o Senhor Jesus nos promete se as suas palavras estiverem em nós e nós N´Ele, tudo
o que pedirmos Ele nos concederá.

É necessário estarmos em comunhão com Deus, em obediência a Sua Palavra, se ocultarmos


pecados, desobedecermos a Vontade de Deus e a Sua Palavra, certamente não receberemos
aquilo que suplicamos diante D´Ele.

Devido à desobediência, muitos crentes possuem vidas derrotadas na presença de Deus.


Obedecer é melhor que sacrificar, já ensina a Palavra de Deus, quando somos desobedientes a
Deus, as conseqüências de nosso erro recaem sobre nossas vidas e de nossa família.

Davi é um exemplo de quanto à desobediência pode custar caro na vida de uma pessoa e na
vida de sua família. Davi era um homem segundo o coração de Deus, mas comete o pecado
de adultério e homicídio. Quero que você leia II Samuel 11 até o capítulo 19, com especial
atenção a palavra do profeta Natan.

Quanto custou a Davi desobedecer a Deus ao cobiçar a mulher alheia e atentar contra vida de
um homem fiel e decente como Urias?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
21

A desobediência custou muito caro Davi e a sua família. Resultou em mortes, vergonha,
traição, perdas irreparáveis, divisões profundas que nunca mais foram sanadas no coração
daquela família e daquele rei.

Você se encontra em desobediência a Deus? Reflita com o Senhor e peça perdão e cesse de
fazer aquilo que Deus já pediu que você não fizesse mais. Não permaneça no erro, ele pode
ter conseqüências desastrosas para sua vida e de sua família.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
22

LIÇÃO 3
Inimigos da Oração II

“Se confessarmos o nosso pecado, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos
purificar de toda injustiça”.
I Jo 1.9

Vamos continuar meditando nessa semana sobre os inimigos da vida de oração. Com certeza
você deve estar achando impossível ter uma vida de oração perante o Senhor, diante do
desafio de superar esses inimigos.

Para nós é totalmente impossível, mas, para Deus não! Ele pode todas as coisas. Nós nunca
chegaremos à perfeição, mas, Deus em sua infinita misericórdia nos perdoa e purifica.
Erraremos muitas vezes, mas, todas as vezes que erramos sabemos que temos alguém que nos
perdoa e purifica.

Essa certeza da nossa imperfeição nos ajuda a sermos humildes perante Deus, pois sabemos
que somente pela Sua Infinita Graça, poderemos nos achegar ao trono de Sua Glória.

Durante essa semana estaremos novamente colocando nossa vida diante de Deus para que Ele
nos esquadrinhe e purifique. Esse é um momento de auto conhecimento e cura interior. Seja
sensível e honesto com Deus. Ele quer lhe purificar, moldar, corrigir, para que Cristo
resplandeça em você.

“Que a beleza de Cristo se veja em mim,


toda a sua admirável pureza e amor.
Oh, Tu Chama Divina!
Todo o meu ser refina,
Até que a beleza de Cristo
Se veja em mim”.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
23

Dia 1 - Idolatria – Ez. 14.3

“Pois mudaram a verdade de Deus em mentira e honraram e serviram mais a criatura


do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém”.
Rom 1.24

Comumente pensamos a idolatria como a adoração a outros deuses. O que é verdade! Como
não adoramos santos, nem veneramos imagens, nem acreditamos em supostas “entidades
espirituais”, acreditamos que não somos idolatras. Será?

Tudo que toma em nossa vida o lugar de Deus se tornou um ídolo e passamos a venerá-lo.
Assim, muitas vezes nossa casa, nosso carro, o sítio, a fazenda, o trabalho, a esposa, o marido,
os filhos, a faculdade, os nossos talentos, nós mesmos somos objetos de veneração.

Essa é uma das formas mais sutis de idolatria, pois, de forma cínica ela se interpõe entre nós e
Deus, e hipocritamente nos achamos salvos deste pecado, acusamos aqueles que adoram
imagens, “entidades”, ou coisas que valha, mas, somos piores idolatras que eles, pois
conhecemos a Verdade, mas, não a praticamos.

Deus deve ser o centro de nossas vidas, tudo o que fazemos, pensamos, vivemos, deve ter
Deus como ponto central. Somos, pela nossa natureza decaída, desejosos de sermos o centro
de tudo e lutamos com todas as nossas forças para que isso ocorra, não importa o que
aconteça e quem possamos a vir a ferir, queremos apenas o que é nosso. Isto quer dizer que ao
invés de termos uma vida centrada em Deus, possuímos uma vida centrada em nosso eu.

Deus tem realmente ocupado o primeiro lugar em sua vida?

Abraão aguardou a promessa ser efetivada em sua vida. O filho da promessa, Isaque, lhe
havia nascido. Que maravilha, Deus o havia abençoado grandemente! Imagino que Abraão, já
um homem velho deva ter ficado rendido ao seu pequeno filho. Era a benção de Deus. Aos
poucos aquele menino por quem ele tanto aguardará, o milagre de Deus em sua vida começou
a tomar conta de seu dia, de seus pensamentos, da sua vontade...Ora nada mais natural, ele era
seu amado filho!

Até que em Gênesis 22 Deus faz uma exigência a Abraão que parece totalmente absurda,
terrível e contra o caráter de Deus. Ele exige que o pai sacrifique seu filho.

Que terrível luta Abraão deve ter vivido em seu interior, o filho que amava, o filho que tanto
esperara, que acalentará, parte dele, seus sonhos futuros, suas expectativas, o que Deus lhe
prometera então, como seria?

Obediente Abraão foi até o monte Moriá e ali dispôs-se a sacrificar Isaque, seu grande amor.
Bem, o resto da história vocês conhecem.

Leia Gênesis 22 e Lucas 10.27, eles serão à base de sua meditação. A pergunta de hoje, para
sua profunda e honesta auto - avaliação diante de Deus é: Qual é o Isaque que você deve
sacrificar no Monte Moriá?

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
24

Deixe o Espírito Santo falar com você de forma aberta e com liberdade, lembre-se que Deus
está lhe dando vitória sobre os inimigos de sua vida de oração.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
25

Dia 2 – Falta de Responsabilidade Social – Cidadania

“O que tapa o seu ouvido ao clamor do pobre também clamará e não será ouvido”.
Pv. 21:13

Em Lucas 10. 25- 37, encontra-se registrada a Parábola do Bom Samaritano, que eu gostaria
que você lesse para responder as perguntas a seguir:

• Qual o ensino central que Jesus quis demonstrar com essa parábola?
• Quem é o nosso próximo?
• O amor ao próximo é reflexo de que tipo de amor em nossas vidas?
• Para você o que significa compaixão pelo necessitado?
• Quem são os necessitados de sua cidade?
• O que você tem feito para ajudá-los a sair da condição de necessitados?

Em Tiago, o irmão do Senhor, assim os ensina: “A religião pura e imaculada para com
Deus, o Pai, é esta; visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e guardar-se da
corrupção do mundo”. Tg. 1.27

• Gostaria de saber o que você compreende com esta palavra?

Devido ao pecado no mundo as relações entre os seres humanos são desiguais. Existe
desigualdade de todas as formas: financeira, social, de gênero, geracional, étnica, religiosa,
etc. Deus nunca aprovou ou criou o mundo para isso, ou seja, para a desigualdade.

Os seres humanos são diferentes, devido a diversidades culturais, étnicas, de gênero,


geracional, religiosa...Mas, são iguais!

Como já dissemos o pecado trouxe uma barreira de separação entre os seres humanos, que a
cada dia aumenta mais e mais. Setenta milhões de pessoas em todo o mundo são pobres,
desses a maioria são mulheres e crianças.

Essas pessoas se encontram na África, Ásia, e praticamente em toda a América Central e


Latina. Hoje, milhões de pessoas não terão nada para comer durante o dia e dormirão com
fome.

Quase noventa por cento dos jovens em todo o mundo se encontram em países pobres ou em
desenvolvimento, que não lhes darão oportunidade de alimentação, estudo, trabalho e
dignidade de vida lançando-os inevitavelmente na marginalidade.

Ainda quarenta por centro dos brasileiros, segundo os dados do IBGE, são analfabetos. O que
resultará em alijamento do mercado de trabalho.

Os negros são os que menos possui acesso à educação, aos postos de trabalho, a saúde. Na
universidade brasileira os negros não chegam a três por cento do contingente de estudantes.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
26

Somente nesse minuto quatro mulheres foram espancadas dentro de casa por seus maridos,
namorados ou companheiros. E nesse mesmo minuto quatro crianças já foram espancadas
pelos seus pais ou sofreram abuso sexual dentro de suas próprias casas.
O que mais falar? Os meninos de rua, os adolescentes em conflito com a lei, as crianças e
mulheres prostituídas, a seca no nordeste, os moradores de rua, os apenados do sistema
carcerário, os idosos abandonados e desrespeitados, os doentes, os aidéticos discriminados e
abandonados...

Todos os dias voltamos para a nossa casa, a nossa cama e comemos em nossas mesas.
Reclamamos de Deus do vestido novo que não temos ou do numero de bois que temos no
pasto e nunca olhamos para aquele que miseravelmente necessita de ajuda e oportunidade.

No primeiro século o evangelho era de gente pobre, de escravos, mulheres...dos parias


sociais. Se hoje conhecemos a Cristo é por que algum escravo, uma mulher, um pobre
desconhecido e escarnecido em Roma ou em outra cidade pagã deu sua vida pelo evangelho.

Hoje, como o sacerdote e o levita, passamos de longe daquele que necessita de nosso apoio e
socorro e é exatamente o Samaritano, aquele que não conhece a Deus, como nós, que se lança
a ajudar o necessitado.

Se quisermos ser uma igreja que ora, teremos que ser, também, uma igreja que socorre o
necessitado.

Cristo nos adverte quanto ao cuidado com os excluídos sociais, mostra que cada vez que nos
envolvemos ativamente em demonstrar seu amor de forma concreta a essas pessoas o
honramos e fazemos na verdade a Ele mesmo nossa ação social.

Deus é contrario aquele que não se sensibiliza com o clamor do pobre e não o reconhece
legitimamente.

A falta de compaixão para com aquele que necessita de ajuda tem como raiz um coração
egoísta e separado do amor de Deus.

A ajuda e sensibilidade quanto aos excluídos podem ser traduzidas de muitas formas. Mas, o
que um excluído quer mais do que tudo é a oportunidade de ser incluído.

Portanto, a cesta básica, a roupa usada, o dinheiro para o gás ou para o pagamento da luz, tem
seu momento, mas, não é tudo o que se pode fazer.

Ser voluntário em projetos sociais de sua cidade, elaborar pequenos projetos sociais na igreja,
tais como: esporte para crianças carentes, trabalhos de terceira idade, cursos
profissionalizantes para mulheres e adolescentes, palestras educativas, reforço escolar e
muitas outras idéias podem ser colocadas em prática.

Essas são algumas das formas mais sólidas de colaborar com os necessitados. Mãos a obra
meu irmão!

Leia Mateus 25. 31-46. Quando você já serviu a Cristo, por amor, ao servir os pequeninos?

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
27

Dia 3 -Dúvida e Incredulidade.

“E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça -a a Deus, que a todos dá liberalmente e
não o lança em rosto; e ser-lhe á dada. Peça -a, porém, com fé, não duvidando; porque
o que duvida ‫ י‬semelhante a onda do mar, que é levada pelo vento e lançada de uma
para outra parte. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa.”
Tg. 1:5-7

Ficar em dúvida quanto ao que Deus nos prometeu ou se Ele irá nos responder é o passo certo
para perder sua benção. A dúvida é a maior ladra de bênçãos que o crente pode conhecer.

A dúvida é o oposto da fé! E sem fé é impossível agradar a Deus.

Duvidar das promessas de Deus é duvidar do Seu Caráter Reto. Deus sempre cumpre o que
nos diz, Deus sempre cumpre as sua promessas escritas na Sua Palavra.

Leia Mateus 13.22-33, e responda as seguintes questões:

 Pedro e os discípulos tiveram medo de Jesus. Por que?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
______________________________.

 Qual foi a reação de Pedro a resposta de Jesus?

___________________________________________________________________________
_____________________________________________.

 Qual foi o erro de Pedro que o levou a afundar nas águas?

___________________________________________________________________________
____________________________________________.

 Olhar para o mar, ou em sentido figurado para as circunstâncias “normais” fez Pedro
duvidar. Qual foi a resposta de Jesus para ele?

___________________________________________________________________________
_____________________________________________.

 Faça uma reflexão diante deste texto. O que mais importante Deus lhe mostrou quanto
a sua fé?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
______________________________.
Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque
Cândida Maria Ferreira da Silva
28

Nunca duvide da promessa de Deus e nunca duvide daquilo que Ele lhe disser que vai fazer.
Deus não mente e não volta a trás NUNCA!
Dia 4 - Falta de entendimento da nossa posição em Cristo.

Muitos dos crentes se esquecem de quem são em Cristo, quais os direitos, os privilégios que
e os deveres que temos em Cristo, através da Obra da Redenção.

Quem você é em Cristo Jesus?

• Eu sou sal e luz do mundo;


• Eu sou filho-filha de Deus;
• Eu sou amigo/amiga de Deus;
• Eu sou escolhido e designado por Cristo para dar fruto;
• Eu sou servo da justiça e de Deus;
• Eu sou co – herdeiro de Cristo, dividindo com ele a herança de Deus;
• Eu sou santuário de Deus e o Espírito Santo habita em mim;
• Eu sou unido com Cristo e um só espírito com Ele;
• Eu sou membro do corpo de Cristo;
• Eu sou uma nova criatura;
• Eu sou reconciliado com Deus e ministro da reconciliação;
• Eu sou Santo;
• Eu sou feitura de Deus, criado em Cristo Jesus para as boas obras;
• Eu sou prisioneiro de Cristo Jesus por amor;
• Eu sou justo e santo;
• Eu sou eleito de Deus, santo e amado por Deus;
• Eu sou filho da luz e do dia;
• Eu sou um dos santos irmãos, participante da vocação celestial;
• Eu sou pedra viva, sendo edificado em Cristo como casa espiritual;
• Eu sou geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo adquirido para proclamar as
grandezas daquele que me chamou;
• Eu sou filho/filha de Deus e quando Ele se manifestar serei semelhante a Ele.

Compreender perfeitamente a nossa posição em Cristo é importante para uma vida de


intercessão saudável e eficaz.

Não podemos e nem devemos ser tímidos diante de Deus, somos seus filhos e Ele nos
responde sempre. NENHUMA ORAÇÃO FICA SEM RESPOSTA!

Em Hebreus 10. 19 o autor assim nos convida: “Tendo, pois, irmãos, intepridez para
entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos
consagrou pelo véu, isto é, sua carne”.

Temos total liberdade de entrar no Santo dos Santos, à Presença do Deus Vivo, pelo caminho
aberto por Cristo, sabendo que nunca seremos rejeitados por Deus. Por nós Deus entregou o
Seu Filho para morrer, o apóstolo Paulo afirma que se Deus não poupou o seu próprio Filho
por nós, como não nos dará com Ele todas as coisas?

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
29

NÃO SE ESQUEÇA, CRISTO NÃO TEM LATA DE LIXO!

Dia 5 - Uma confissão errada.


• Não devemos ter medo de satanás;
• Cristo sempre intercede por nós;
• Seu poder é relativo, pois é limitado por Deus;
• Use sempre a oração para que Deus o livre do mal;
• Não dê lugar à vida dominada pelos instintos da carne;
• Nunca fale de satanás com desdém ou provocação;
• Sempre precisamos de auxilio divino. Fiel é Deus que nos guardará do maligno;
• Nossos meios de vitória são: o sangue de Cristo e a palavra de nosso testemunho;
• Revista-se da armadura de Deus;
• Use da autoridade do nome de Cristo apara desfazer suas obras;
• Acostume-se a “dar ordens” em nome de Jesus para desfazer situações dominadas
pelo mal.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
30

“Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus
o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo”.
Rm. 10.9

Para uma vida de oração eficaz e viva, é necessário que confessemos a Cristo como nosso
Salvador e Senhor. Se nunca tomamos essa decisão na vida, nosso clamor será em vão.

Não adianta clamar a santos de pau, madeira, gesso, nem a pseudo-entidades de luz ou a
orixás. Eles são nada!

Não ouvem, não vem, não sentem...não podem fazer nada pelas nossas vidas.

Apenas o Deus Vivo pode ouvir nosso clamor! Reconhecer Cristo como Salvador é o nosso
passo para a filiação com Deus.

Todo intercessor tem que ser filho de Deus. Jesus mesmo ensinou se nós nele estivéssemos e
Ele em nós, pediríamos tudo e Ele nos concederia.

“Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que


quiserdes, e vos será feito” Jo.15.7

Para uma vida poderosa em oração necessitamos de comunhão com Deus através de Cristo.

Você tem alguma duvida de sua salvação? Se possui é hora de chegar-se ao trono de gloria de
Deus e confessá-lo como seu Único e Suficiente Salvador.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
31

Lição 4
BATALHA ESPIRITUAL

“Pois não temos que lutar contra a carne e o sangue, e sim, contra os principados,
contra as potestades, contra os poderes deste mundo tenebroso, contra as forças
espirituais da maldade nas regiões celestes”.
Ef. 6.12

Toda pessoa que um dia foi retirada pelo Sangue de Cristo do reino das trevas e introduzida
no Reino da Luz foi alistada no exercito de Cristo e convocada para uma batalha. Esta não é
uma guerra comum, mas, espiritual que ocorre diariamente.

A batalha espiritual é diferente da batalha que temos contra a carne e o Espírito Santo em
nosso interior e de nós mesmos com o sistema mundano perdido no maligno. A batalha
espiritual não é contra pessoas, mas, contra seres espirituais, corrompidos pelo pecado e a
maldade. Se pudesse satanás nos mataria literalmente. Ele nos odeia profundamente, busca a
todo o instante o nosso mal, luta diariamente para nos fazer fracassar, cair, ficarmos
improdutivos, desanimarmos de nossa caminhada Cristã e do imperativo de fazermos novos
discípulos para Cristo.

Existe muita coisa escrita sobre batalha espiritual, algumas céticas e bastante incrédulas,
outras místicas e fantasiosas. Esse é um assunto controverso que vamos estudar com muito
cuidado, firmados na Palavra de Deus.

Muitas situações ocorridas com pessoas no que se refere à batalha espiritual é por vezes uma
experiência pessoal, entre aquela pessoa e Deus, e não pode servir de doutrina para ninguém.
Um exemplo disso é o livro de Rebecca Brown, a experiência pessoal da enfermeira é
importantíssima e nos alerta para a realidade do satanismo, da libertação e de como as forças
das trevas estão ativas e enganando o mundo.

Nessa caminhada de oração ocorreram experiências muito pessoais e Deus certamente o


esclarecerá sobre o que esta ocorrendo e o que você deve fazer.

Entretanto, existem na bíblia doutrinas muito seguras e claras que serão os seus parâmetros
nessa caminhada, para que você não se torne um místico levado por todo vento de doutrina e
seja enganado pelo próprio inimigo ou um cético cego das verdades espirituais que estão em
seu redor.

Então, em oração e persistência vamos começar essa jornada de estudos sobre batalha
espiritual. Que Deus nos abençoe!

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
32

DEUS, O SENHOR

“Disse Deus a Moiséis: EU SOU O QUE SOU.”


Ex. 3. 14

Quem é Deus? Quem afinal é este que a si mesmo denomina EU SOU? Quem é este que
criou este mundo, o sustenta e nos salvou da perdição eterna?

Algumas definições:
• “Deus é o Espírito infinito e perfeito, fonte, sustento e fim de todas as
coisas”.
• “Deus é Espírito Pessoal, perfeitamente bom, que, em santo amor, cria,
sustenta e dirige tudo.”

Dessas definições podemos tirar algumas conclusões a respeito de Deus:

• Deus é um Ser espiritual. Ou seja a essência revelada do ser divino é Espírito. Jesus
ensina em João 4. 24: “Deus é Espírito”. Toda a escritura ensina de forma uniforme
sobre a natureza espiritual de Deus. Outro fato é que somos criados a sua Imago Dei,
ou seja, somos seres espirituais também. É através do nosso espírito vivificado pelo
Espírito de Deus por meio de Cristo que podemos nos relacionar com Deus – Pai.
• Deus é um Ser Imaterial e Incorpóreo. O Espírito divino é substancia diversa da
matéria. É um Espírito puro, sem mistura com a matéria. Deus não possui corpo ou
qualquer elemento material. As passagens bíblicas que relatam que Deus possui mãos,
pés, olhos ou ouvidos são todas representações que denominamos antropomórficas e
simbólicas.
• Deus é um Ser Invisível.(Jo. 1.18; Cl. 1.15; I Tm 1. 17; 6. 16) Homens viram o
reflexo da Glória de Deus, mas, nunca a Sua Essência (Ex. 33.21-23; Hb 1.3).
Algumas vezes o Espírito de Deus Se manifestou de forma visível (Jo. 1.32), mas, não
significa que o Espírito tenha sido visto.
• Deus é um Ser Vivo. Por isso a chamamos de “Deus Vivo” (Js. 3.10; I Sm 17.26; Sl.
84.2; Mt 16.16; I Ts 1.9). nele encontramos o sentimento, o poder e a atividade. Deus
é fonte de vida para Si mesmo e para tudo o que existe em todo o cosmos, no tempo
ou eternidade (Jo. 5.26; Sl. 36.9).

Sobre a Personalidade de Deus destacamos três características:

I. Autoconsciência – è a qualidade que Deus possui de ter consciência de Si Mesmo


como sendo distinto de mundo que o cerca. Ele pode pensar sobre os seus próprios
pensamentos, analisar seus próprios sentimentos, avaliar sua própria vontade e
compará-la com de outros. Nós somos autoconcientes, diferente dos animas inferiores
que tem pensamento instintivo e rudimentar. Deus é autoconciente, entretanto, em
grau de perfeição.
II. Autoderteminação – é a capacidade de Deus de fazer escolhas em razão de motivos e
finalidades. Deus estabelece propósitos, concebe conseqüência, constrói ideais e dirige
suas energias na realização de seus propósitos. Nós, também, somos
autodeterminados, mas, Deus é Soberano em sua determinação, não existem forças ou
circunstancias que o determinem, controle ou frustre. Ele é que determina tudo.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
33

III. Consciência Moral – A Autoconsciência e a Autodeterminação só têm sentido para


quem possua consciência moral. Deus possui senso moral (Gn. 2.9) ou seja, Deus sabe
o que é direito. O certo e o errado. O bom e o mal. Deus é Santo e Justo.

Estas faculdades são existentes nos seres humanos, visto sermos sua IMAGO DEI.
Entretanto, em Deus, todas elas estão em estado de perfeição. Por que Deus é uma
personalidade perfeita.

OS ATRIBUTOS DE DEUS

Os atributos são características que distinguem a natureza divina, inseparáveis da idéia de


Deus, e que constituem a base e a razão de suas diferentes manifestações a suas criaturas e
que podem ser divididos em naturais e morais.

 Atributos Naturais:

1. Autoexistencia- é a perfeição de Deus em poder existir por Si Mesmo, na sua


completa autonomia de qualquer fonte, origem ou energia (Jo. 5. 26). Só Deus
é fonte de vida.
2. Imutabilidade – é a qualidade que Deus possui pela qual não há mudança em
Seu Próprio Ser, em Seus Atributos e em Seus Propósitos. Da imutabilidade de
Deus depende a ordem do universo, sua estabilidade e a nossa segurança.
Contudo, a imutabilidade não significa imobilidade, ou seja, que não haja
movimento em Deus e que não ocorra mudança em sua relação com o
universo. Deus tem múltiplas relações com o mundo, uma delas, ocorreu com
a encarnação de Cristo. Os homens mudam sua relação com Deus, mas, o Ser
de Deus não muda em relação ao homem (sl. 102.27; Tg. 1.17; Hb. 1. 10-12;
13.8).
3. Infinidade – é a qualidade de Deus ser isento de qualquer limitação. Seu Ser e
Seus atributos não podem ser limitados pelo universo (Jó. 11. 7-9; Sl. 145. 3;
Rm. 11. 33).
4. Eternidade – é a infinidade de Deus em relação ao tempo. Ele dura pelos
séculos sem fim (Sl. 90.2; 102.12; Ef. 3.21) Deus transcende todas as
limitações temporais.
5. Imensidade – é a infinidade de Deus em relação ao espaço.
6. Onipresença – indica que Deus preenche todas as partes do espaço com o Seu
Ser. Deus está em todos os lugares. Contudo, Deus transcende as coisas
criadas. As coisas criadas testemunham a Glória de Deus, mas, não são
partículas de Deus. (1 Re. 8.27; Sl. 139. 7-10; Is. 66. 1-2; Jr. 23. 24; At. 17.
27-28)
7. Onisciência - indica a abrangência do conhecimento de Deus. Ele conhece a
Si Próprio e todas as coisas que Dele provem. Conhece todas as coisas,
passadas, presentes e futuras. Conhece a essência das coisas ocultas. Conhece
a s coisas possíveis que poderiam ocorrer em certas circunstancias, e aquelas
que existem concretamente (Jó. 28.24; 34.21ss; Sl.139.1-6; Pv. 15. 3,11; Mt. 6.
8.32; At. 1.24; Hb. 4.13).
8. Onipotência – indica que Deus Tudo Pode. Todo o poder que há no universo,
seja físico ou espiritual tem sua fonte em Deus. Não existe limite para o poder de Deus e para
a Sua Vontade. A Sua Vontade está sempre de acordo com sua natureza e com os Seus

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
34

Propósitos. Aquilo que é contrario a Sua Natureza Ele não faz (II Tm. 2.13; Hb. 6.18; Tg. 1.
13). A onipotência de Deus pode ser considerada por dois aspectos: o físico e o moral.
1. Aspecto Físico – significa que Deus tem todo o poder no
universo e é mais poderoso de tudo aquilo que Ele criou. Não
está sujeito as leis físicas da natureza.
2. Aspecto moral – significa que Deus pode fazer o bem que
quiser e não é atingido pelo mal. A onipotência de Deus para os
seus filhos é fonte de conforto, segurança e esperança. O
mesmo não ocorre com os descrentes e os demônios que
estremecem (Sl. 99.1; Tg. 2. 19)
9. Unidade - Implica que só existe um único Deus, soberano; tudo o mais
depende dEle (Dt. 6.4; I Re. 8.60; Is 44. 6; I Co 8. 6; Ef. 4. 5,6; I Tm 2.5)

 Atributos Morais

1. Santidade – é o seu atributo moral básico, significa que Ele é absolutamente


distinto de suas criaturas, se encontra exaltado acima delas em majestade divina, e
separado de todo o mal moral, o pecado. Ele é absolutamente perfeito em tudo. A
santidade indica a plenitude da excelência moral de Deus. Ele é moralmente
perfeito.
2. Justiça – é a retidão do Seu caráter e de tudo quanto Ele faz. Não existe injustiça
em suas ações, faz tudo segundo o Seu Próprio Caráter, que é Santo.
3. Bondade – significa que Deus é perfeitamente tudo aquilo que ele é como Deus.
Nesse sentido a bondade de Deus inclui todos aqueles aspectos que consideramos
num personagem ideal. Ela assume conotações diversas como veremos a seguir:
a. Amor de Deus - indica aquela bondade pela qual Ele busca continuamente
comunicar-Se com os seres racionais, promover-lhes o seu bem e tê-los em
Sua Presença. É um amor eterno pois está inserido em sua natureza (I Jo. 4.
8). Este amor O leva a agir em favor de Seus filhos amados ( Jo. 3. 16; I Co
6. 19-20; Jo. 17.24; ap. 21.3).
b. A Graça de Deus – significa concessão da Sua Bondade a alguém que não
tem direito a ela. A Graça é a fonte de todas as bênçãos espirituais
concedidas as pecadores ( Ef. 1. 6,7; 2. 7-9; Tt 2. 11; 3. 4-7)
c. Misericórdia de Deus – é um outro aspecto da bondade de Deus e
relaciona-se com a condição de sofrimento e necessidade do ser humano. É
estendida a todos e particularmente aos que O temem e buscam a sua
salvação (Ef. 2.4; Tg. 5.11; Rm 11. 30,31; Lc 1.50; Is 55.7; Lc 1.72).
d. Longanimidade de Deus – é a capacidade de Deus tolerar os rebeldes e
maus, a despeito de sua prolongada desobediência (Ex. 34.6; Sl 86. 15; Rm
2.4; 9.22; I Pe 3.20; II Pe 3.15).
e. Verdade de Deus – No sentido metafísico significa que Deus é a verdade
por que nele a idéia de divindade se concretiza perfeitamente. Num sentido
ético Sua revelação é totalmente confiável. Num sentido lógico por que
conhece todas as coisas como realmente são, e por isso, também pode
constituir e iluminar a mente do ser humano para que ele possa conhecer a
realidade das coisas (Ex. 34.6; Dt 32.4; Sl 25.10; 31. 16; Is 65.16; Jr 10. 8,
10, 11; Jo 14.6; 17.3; Tt 1.2; Hb 6.18; I Jo 5. 20, 21). Neste sentido Deus é
o fundamento de todo o conhecimento e de toda a verdade seja elas morais,
religiosas e também científicas.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
35

Após a leitura do texto sobre Deus gostaria que respondesse as seguintes perguntas:

a. Quais os elementos da natureza essencial de Deus? Explique cada um com as


suas palavras.
b. Quais as qualidades fundamentais da personalidade divina?
c. Como são divididos os atributos de Deus?
d. Descreva e explique os atributos morais de Deus.
e. Em sua vida de oração você já percebeu a ação de Deus através dos seus
atributos?
f. Para um intercessor o que significa a onipresença, onipotência e onisciência
divina?
g. Para a sua vida de relacionamento com Deus o que significa o conhecimento aqui
obtido?
h. Quero que faça uma pequena redação assinalando aspectos de sua vida que
ainda não foram transformados pelo relacionamento com a Pessoa de Deus e que
o poderá ser agora que possui maior conhecimento de Sua essência Divina.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
36

O INIMIGO

“Sede sóbrios, vigiai. O vosso adversário, o diabo, anda em derredor, rugindo como
leão, buscando a quem possa tragar. Resisti-lhe, firmes na fé.”
I Pe 5. 8-9a

Os anjos que agora são maus foram criados bons por Deus. Contudo, a vaidade e o orgulho os
corromperam de tal forma que sua natureza foi totalmente transformada e hoje é totalmente
maligna. O prazer destes anjos é opor-se a Deus e a Sua Obra.

As passagens bíblicas de Ez. 28. 12-17; Is 14.4, 12-15 os profetas não falam somente ao rei,
mas, ao espírito maligno por trás do rei. Não sabemos quando Lúcifer e seus anjos caíram,
alguns acreditam que seja no espaço de tempo entre a criação do cosmo e a preparação da
terra para receber o ser humano. Outros acreditam que ele estava presente no jardim do Éden,
contudo sua queda ocorreu antes da queda do ser humano.

Satanás é um ser criado, embora espiritual, da ordem dos querubins. Era o mais alto ser
angelical de sua posição. Era perfeito em sabedoria, formosura, caráter e conduta. Habitava
com Deus, mas, seu orgulho e a ambição de ser maior do que Seu Criador provocaram a sua
queda. Tornando-o um inimigo de Deus.

NOMES CONFERIDOS A SATANÁS

A bíblia o apresenta com diversos nomes. Satanás é usado 52 vezes para designar o inimigo
de nossas almas e significa “adversário”. Diabo, que quer dizer “caluniador” é usado 32
vezes. É chamado, também:

• Maligno;
• Serpente;
• Dragão;
• Tentador;
• Príncipe dos demônios;
• Belzebu;
• Aquele que está no mundo;
• O príncipe deste mundo;
• O deus deste século;
• O enganador de todo o mundo;
• O príncipe da potestade do ar;
• O poder das trevas;
• O espírito que opera nos filhos da desobediência;
• O acusador.

Satanás não possui o controle deste mundo, pois, como estudamos apenas Deus possui o
controle e deu todo este poder a Cristo. Mas, satanás controla o mundo mau, todo o sistema
mundano separado de Deus, a ciência, a arte, a cultura, a afetividade, religião, a política
e todos os costumes que são contrários a Palavra de Deus.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
37

Ele é super- humano, mas não é divino, tem grande poder, mas não é onipotente e nem
onisciente, tem grande influencia, mas, restrita (Mt. 12.29; Ap. 20.2) e será lançado no
abismo (Ap. 20.10).

SUAS ATIVIDADES

Cristo já ensinava que satanás veio para roubar, matar e destruir. Sua obra é opor-se a Deus e
a sua Noiva – A igreja. Sua estratégia é variada. Os anjos maus estão envolvidos nas
seguintes atividades:

• Tentam (Gn. 3.1ss;Mt 4. 1-11);


• Confundem, enganam, falsificam, imitam (I Co 10.20; II Co 4. 3,4, 11. 13-15; IITs
2.9; Ap. 20.3);
• Induzem os Cristãos à mentira e imoralidade (At. 5.3; I Co 7.5);
• Semeiam joio para enganar e atrapalhar (Mt 13.38ss; I Ts 2.18);
• Promovem perseguição (Ap. 2.10);
• Difamação e calúnia (Ap. 12. 10);
• Criam problemas físicos (II Co 12. 7-10);
• Oprimem;
• Promovem doutrinas falsas (I Tm 4. 1-3);
• Podem possuir homens e animais (Mc 5.12,13);
• Causam doenças (Mt. 9 33)
• Sabem quem é Jesus (Mc 1.24);
• Os mais poderosos enganam as nações (Dn 10.13; Ap. 16. 13, 14; Is 24.21);
• Podem dominar nações, estados e cidades (Dn 10. 13).

NOSSA ATITUDE DIANTE DE SATANÁS

Devemos nos lembrar que ele é um ser criado, portanto finito e que Deus lhe impõe
limitações. O poder de Cristo é infinitamente maior e que o crente em Cristo tem o poder de
lhe resistir e que ele já está julgado e conhece sua sentença.

• Não devemos ter medo de satanás;


• Cristo sempre intercede por nós;
• Seu poder é relativo, pois é limitado por Deus;
• Use sempre a oração para que Deus o livre do mal;
• Não dê lugar à vida dominada pelos instintos da carne;
• Nunca fale de satanás com desdém ou provocação;
• Sempre precisamos de auxilio divino. Fiel é Deus que nos guardará do maligno;
• Nossos meios de vitória são: o sangue de Cristo e a palavra de nosso testemunho;
• Revista-se da armadura de Deus;
• Use da autoridade do nome de Cristo apara desfazer suas obras;
• Acostume-se a “dar ordens” em nome de Jesus para desfazer situações dominadas
pelo mal.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
38

DEMONIOS FAMILIARES

“Não vos voltareis para os médiuns, nem feiticeiros, a fim de vos contaminardes com
eles. Eu sou o Senhor vosso Deus.”
Lv.19.31
“Não vos voltareis para os que têm espíritos familiares, a fim de contaminardes com
eles.”
Lv. 19.31
(versão Rei George)

Os demônios familiares são aqueles que vivem de geração em geração em determinadas


famílias, principalmente aquelas que estão envolvidas em ocultismo, espiritismo e variadas
formas de feitiçaria.

Costumam passar de uma geração para outra, por vezes de pais ou avós, para filhos e netos.
Muitas vezes quando são expulsos em Nome de Jesus, estes demônios costumam reivindicar
que aquela é a família dele.

Não raro se apresentam como algum membro da família morto em sessões espíritas ou algum
tipo de guardião. Em outras situações costumam “servir” aquela família e se servem dos
membros da família para alcançar seus propósitos de destruição e cativeiro.

É comum nessas famílias haverem problemas sérios de desavenças, mortes, vícios, violência,
separações, prostituição, homossexualismo, doenças mentais, desonestidade, enriquecimento
ilícito,violência sexual, incesto, entre outros. Além de morte por doenças muito sofríveis.

A pessoa salva em Cristo Jesus rompe com todo este padrão familiar, visto unindo-se com
Cristo torna-se participante da natureza divina.

DOMINADORES TERRITORIAIS

“Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias. Então Miguel, um
dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia”
Dn. 10.13
“Então vi três espíritos imundos, semelhantes a rãs, saírem da boca do dragão, da boca
da besta e da boca do falso profeta. São espíritos de demônios, que operam sinais, e vão
ao encontro dos reis de todo mundo, a fim de congregá-los para a batalha, naquele
grande dia do Deus Todo – Poderoso.”
Ap. 16. 13,14

Os demônios se organizam de tal forma a dominarem pessoas, lugares, cidades, estados,


nações. Muitas das autoridades que governam uma cidade, uma nação está sob controle de
demônios. Temos como exemplo Hitler e mais atualmente Saddam Hussein, Osama Bin
Laden, Ariel Sharon e o próprio Busch.

Existem cidades devido à história de sua constituição e a adoração de determinadas entidades


ou “santos” que passam a ser dominadas por determinados demônios que agem na vida das
pessoas, na política, no crime e muitas vezes impedem o crescimento do evangelho.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
39

Um exemplo fortíssimo dessa situação aqui no Brasil seriam as cidades de aparecida do norte
e a cidade de padre Cícero. O estado de Minas Gerais, principalmente a cidade onde residia o
sr. Chico Xavier é profundamente dominada por demônios. Outro lugar onde existem
dominadores é Brasília, onde proliferam seitas ocultistas.

A cidade de Quatro Marcos possui característica de uma cidade subordinada a dominadores


espirituais, devido ao problema do trafico, pobreza acentuada, violência familiar, prostituição,
crescimento da violência urbana e desonestidade política. O mesmo ocorre na cidade de Rio
Branco, no Acre.

A igreja necessita levantar-se em oração e repreender e amarrar em nome de Jesus os


dominadores da cidade.
Como assinalei, existem demônios familiares e por vezes famílias ficam cativas de
dominadores espirituais que necessitam ser amarrados e repreendidos em nome de Jesus.

IGREJAS DOENTES E DOMINADORES ESPIRITUAIS

“Quando o valente guarda , armado, a sua casa, em segurança está tudo o que tem. Mas,
sobrevindo outro mais valente do que ele, vence-o, tira-lhe toda a sua armadura em que
confiava, e reparte os seus despojos. Quem não é por mim, é contra mim, e quem comigo
não ajunta espalha.”
Lc. 11.21-23

Por que existem igrejas que crescem, são abençoadas e abençoadoras e outras que são
problemáticas, os membros perseguem pastores, destroem ministérios, existe muita fofoca,
calunia, desanimo, preguiça, pouca ou nenhuma oração, nunca crescem, tem uma porta dos
fundos grande por onde saem à maioria dos novos crentes?

Devido a carnalidade, pecado oculto, pecado contra lideres e pastores, essas igrejas começam
a entristecer o Espírito Santo. O joio começa a ser plantado com muita eficiência por satanás
entre o trigo, sendo o joio os emissários de satanás no meio da igreja (normalmente os
emissários do diabo são os que geram todos esses tipos de problemas na igreja), começam a
dominá-la e satanás encontra (por incrível que pareça) espaço para destruir a obra de Deus,
atrasá-la, desacreditá-la, enfraquecê-la, transformando-a em vez de lugar de vida muitas vezes
em sepulcros. Os cultos são pesados, não ocorrem conversões, não existe alegria na vida dos
crentes, doenças se avolumam, os crentes são religiosos, mas, estão longe de resplandecerem
Cristo e mais, a igreja se tornam túmulos de pastores, lideres e obreiros.

Somente arrependimento, oração e busca profunda de Deus pode liberar o Espírito Santo para
ter toda a liberdade e expulsar “os vendilhões” do templo.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
40

CRENTE CARNAL E EM CATIVEIRO

“Não deis lugar ao diabo”.


Ef. 4.27

Paulo nos adverte “não deis lugar ao diabo”. O crente dá lugar ao diabo quando se deixa
dominar pela carnalidade, dando vazão as obras da carne, pecando inveteradamente. A nossa
tendência ao mal é o inimigo interno que abre a porta para que o inimigo externo nos assalte e
se assenhoreie de nós.

Uma vez controlando uma área em nossas vidas satanás utiliza tudo para nos destruir. Por isso
existem crentes vencidos e destruídos devido ao descontrole sexual, orgulho, inveja, fofoca,
rancor, ressentimento, amargura, pornografia, adultério, vícios, entre outras coisas.

Existe uma diferença entre a luta da carne contra o Espírito em nosso interior e quando
estamos dominados em uma área de nossa vida por que demos lugar ao diabo. É algo que não
temos força alguma para resistir, que nos assalta e domina.

Somente Cristo pode nos libertar mediante a confissão de pecado e após isso devemos
repreender estes dominadores em nossa vida. Mas, é importante a santificação como processo
de libertação diário.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
41

ESTRATÉGIAS PARA NOS VENCER

Satanás usa muitas estratégias para nos atacar e fazer nossa caminhada cristã fracassar.
Principalmente quando começamos a buscar uma vida santificada, desenvolvemos nossos
dons e envolvemo-nos com a Obra do Evangelho.

Como não pode nos arrebatar da mão de Jesus procura, então, nos desanimar e enfraquecer,
para que sejamos mais uns crentes domingueiros, religiosos, vivendo uma vida espiritual
medíocre e de fachada.

Tem a seu favor nossa natureza decaída que não sendo mortificada e crucificada em Cristo
abre espaço e dá lugar ao diabo, nos deixando prisioneiros em determinada área de nossa
vida. Um crente avarento que possui grande amor ao dinheiro, acaba se tornando prisioneiro
de Mamom, somente a confissão do pecado de avareza e submissão ao Senhor, sendo fiel no
dízimo e compreendendo que adoramos o Senhor com nossa fidelidade, o libertará desse
cativeiro.

A seguir analisaremos as estratégias de satanás para nos vencer:

1. Tentam (Gn. 3.1ss; Mt 4. 1-11)

A base da tentação são os nossos pontos vulneráveis. Satanás nos ataca exatamente nos
pontos onde nossa carnalidade é mais forte. A tentação é um jogo de sedução, ele apresenta
algo perfeitamente legitimo e aparentemente bom, contudo distorcido da Vontade de Deus.

Foi o que fez com Eva. Desejo da carne, agradável aos olhos e soberba, essas são as trincas da
jogada. É bom comer, alegra-se, divertir-se, exercer sua sexualidade, não há nada de mal em
nenhuma dessas coisas, são legitimas e fazem parte de nossa natureza humana, só que quando
contrariam a Palavra de Deus se torna pecado. Sexualidade foi criada e abençoada por Deus
para o casamento, mas, satanás nos tenta ao adultério, a fornicação, a imoralidade.

A tentação, como já sinalizei, é um jogo de sedução, ela aparece aos nossos olhos, inocente, é
bonito e bom, e somos fisgados no mais profundo de nosso coração. É aquele dinheiro que
queríamos tanto, é a posição social que almejávamos, é o cargo que sonhávamos a muito. Daí,
vamos sendo atraídos como peixes para a isca e morremos pela boca.

Cristo garante vitória sobre a tentação! Deus nos concede o escape, devemos confiar em Deus
que Ele nos livrará e dará a vitória.

2. Confundem, enganam, falsificam, imitam (I Co 10.20; II Co 4. 3,4, 11. 13-15; II Ts


2.9; Ap. 20.3);

A arte de satanás é mentir. Ele falsifica a verdade, imitam a obra de Deus, enganam e
confundem. A bíblia já nos alerta que satanás se faz de anjo de luz, é por isso que pessoas no
mundo todo se dizem curadas por “santos”, “entidades de luz” e coisas semelhantes.

Eles também espalham doutrinas falsas entre os crentes criando confusão e divisão
doutrinária nas igrejas. Promovem cegueira espiritual nos crentes para que não se aprofundem
na Palavra de Deus.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
42

Procuram confundir nossas mentes com doutrinas variadas nos deixando imaturos
espiritualmente.

Essa é a artimanha mais antiga de satanás contra a igreja. No primeiro século o cristianismo
foi atacado com as mais variadas idéias e doutrinas estranhas aos ensinamentos de Jesus. O
helenismo, judaísmo, gnosticismo, paganismo. Até que com Constantino ao se “converter”
oficializou a igreja e aos poucos ela foi se “paganizando” para ficar mais “agradável” aos
romanos. Daí surge a Igreja Católica.

Atualmente estamos vivendo uma babel doutrinaria nas igrejas evangélicas e as mega igrejas,
ricas e opulentas do “evangelho fácil”, tem confundido muitos pastores que querem possuir
essa gloria de quantidade, nem sempre primando por qualidade.

3. Induzem os Cristãos à mentira e imoralidade (At. 5.3; I Co 7.5);

O caso de Ananias e Safira é muito conhecido. Satanás continua sua busca por Ananias e
Safiras dentro da Igreja, procurando nos induzir a mentira tanto aos irmãos como a Deus e a
uma vida de imoralidade em vários aspectos de nossa vida, não apenas sexual.

A imoralidade pode ocorrer em nosso trato diário, com corrupção, desonestidade, engano,
falsidade, roubo e outras atividades semelhantes, além da imoralidade sexual, paixões lasciva,
pornografia e cultivo de hábitos sexuais impuros.

4. Semeiam joio para enganar e atrapalhar (Mt 13.38ss; I Ts 2.18);

Toda igreja tem seu joio! O pior do joio é que ele parece trigo, mas, não é! Joio parece bom
crente, vai a igreja, entrega dizimo, às vezes canta no coral e tem cargo de relevância na
igreja. Mas, não é chegado a uma vida de oração, quando o negocio é buscar a Deus com
sinceridade ele logo atrapalha, cria divisões na igreja, aparece com “novidades” doutrinárias,
é o moço muito bonito e “espiritual” que gosta de levar as moças no bico e em outros lugares.

O joio até ensina na escola bíblica dominical, mas, seu coração é longe de Deus. Ele busca a
sua gloria, busca o seu deleite e quando vê que essas coisas podem acabar, ele logo se rebela,
cria problemas e confusões.

O joio dará conta de suas maldades no seio da igreja e seu lugar é o lago de fogo e enxofre
junto com o deus a quem ele serve.

5. Promovem perseguição (Ap. 2.10); Difamação e calúnia (Ap. 12. 10);

Toda igreja já viveu esse momento terrível em que se começa por “bons e santos motivos” a
se perseguir com criticas variadas um líder, um pastor ou um ministério.

É que o culto está vazio...é que esse dia poderia ser usado para outra coisa...é que essa roupa
não e apropriada...é que o pastor não faz visita...é que o pastor só vive na casa dos outros...é
que o pastor disse isso, o pastor disse aquilo...é que o coral canta desafinado..é que agora tem
boletim...é que o pastor prega assim...é que a mulher do pastor é desse jeito...é que esse líder é
um chato...

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
43

E por aí vão os motivos “bons e santos” para se perseguir os lideres, os pastores e ministérios
da igreja. A compaixão, misericórdia e o falar positivo vão muito longe e normalmente essas
conversas são feitas pelas costas .

Você já presenciou uma calunia e difamação? Eu já! Alias já fui alvo delas muitas vezes em
minha vida cristã. Com certeza você já foi. Já se viu difamado, avacalhado nas bocas dos
membros da igreja, pelo telefone, na casa das “irmãs” no primeiro tropeço e por vezes sem ter
feito absolutamente nada?

Já se viu caluniado, dizerem coisas terríveis a seu respeito, sobre o que você fez ou até deixou
de fazer?

Tudo isso é obra do diabo e bem – aventurados somos nos quando perseguidos por amor a
Cristo!

6. Criam problemas físicos (II Co 12. 7-10); e Causam doenças (Mt. 9 33)

Satanás nos deixa doentes. Um caso clássico é de Jó (capítulos 1 e 2). Em uma instancia toda
doença é fruto do pecado, ou seja, do pecado original que rompeu nossa relação com Deus no
Éden. Mas, nem toda doença está diretamente ligada a um pecado especifico e nem todas são
promovidas pelo diabo.

Mas, ele promove doenças sim! Tanto em crentes como em incrédulos. Muitas delas são
trazidas por demônios familiares, por opressão, possessão e feitiçaria.

Transtornos mentais, psicológicos, doenças que não se conhece causas. Uma das estratégias
de batalha espiritual é que quando nos despertamos para a vida de oração ficamos doentes
sem nem saber por que.

Mas, quando isso ocorre a Igreja deve se levantar em oração e jejum para combater as forças
das trevas

7. Oprimem;

Crentes não podem ficar possessos por demônios, mas, podem ser oprimidos por eles em
diversas situações. A opressão pode causar depressão, desanimo, sonolência, irritação, medo
inexplicável, dificuldades de dormir, entre outros sintomas. É obvio que estes sintomas
muitas vezes estão ligados a questões orgânicas, ao stress e problemas emocionais. Antes de
ser dizer oprimido é bom procurar um medico para fazer um check up e também orar.

A opressão pode advir após batalhas de oração, libertação de pessoas possessas e até devido a
carnalidade. Crentes carnais que dão lugar ao diabo estão opressos.

8. Promovem doutrinas falsas (I Tm 4. 1-3);

Hoje em dia vemos a atuação de satanás e seus anjos nessa área da igreja com a disseminação
de todo tipo de doutrina estranha ao evangelho. G12, IURD, Deus é Amor, entre outras.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
44

Quem já pode assistir aos programas da IURD presenciou os “banhos de descarrego”, sapatos
de proteção, benção do bispo, flores, patuás, sessão de descarrego, tocar na arca de Deus,
entre outras barbaridades...

O G12 com seus famosos encontros e retrocessos na vida das pessoas, pedido de dinheiro
para ser abençoado e outras bobagens terríveis.

Além das doutrinas falsas de seitas e da Nova Era. Mas, satanás também usa as “tradições”
para transformar em doutrinas falsas que aprisionam os crentes. É o caso dos costumes das
vestes pentecostais, não uso de maquiagem e corte de cabelo. Línguas como sinal de batismo
com o espírito santo. Por outro lado, os batistas que não abrem sua liturgia tornando-a mais
brasileira, não são fervorosos na oração, na vida de jejum e querem padronizar Deus em suas
teorias americanas do sul dos Estados Unidos.

Que sejamos fieis a Palavra do Senhor!

9. Podem possuir homens e animais (Mc 5.12,13);

Possessão é quando uma pessoa perde toda a sua personalidade e vontade ficando subjugada
ao demônio. Pessoas que possuem contato com feitiçaria, espiritismo, que fizeram pacto, que
possuem demônios familiares, que tem uma natureza fraca, são viciadas, são alvo fácil para o
demônio entrar em sua vida e corpo.]

A libertação de possessão deve ser feita por mais de uma pessoa, em lugar sem muitos
moveis, com oração e pelo Sangue de Jesus. Existem casos em que será necessário preparação
com jejum, quebra de objetos ou queimar em fogo.

A pessoa deve desejar ser liberta e como Jesus ensina deve “ocupar a casa” para seu estado
não ficar pior. Pactos devem ser renunciados e espíritos familiares devem ser expulsos da
vida dessas pessoas.

Normalmente os animais são oferecidos e fazem parte de rituais de magia negra. Eu nunca
soube de libertação em animais. Acredito que a melhor coisa a fazer é desfazer-se do animal.

10. Sabem quem é Jesus (Mc 1.24);

Os demônios sabem que é Jesus e temem diante D´ele. Não podem resistir ao sangue de
Cristo e é na autoridade do Nome de Jesus que devemos enfrenta- los.

11. Os mais poderosos enganam as nações, cidades, estados (Dn 10.13; Ap. 16. 13, 14;
Is 24.21);
Os mais poderosos dos demônios dominam nações. Você pode observar a África, os paises
mulçumanos, paises extremamente católicos como Espanha e Portugal que são fechadíssimos
ao evangelho.
Eles promovem guerras, lutas entre etnias, perseguem os evangélicos, matam o povo de Deus,
promovem destruições naturais como terremotos, enchentes, secas e etc.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
45

As constantes guerras entre Palestinos e Israelenses. Entre Israelenses e árabes são frutos de
ações demoníacas. O caso mais celebre é da Alemanha Nazista que dizimou judeus e muitas
outras etnias.

O armamento em massa, trafico de drogas, de armas, prostituição, opressão dos paises ricos
sobre os paises pobres gerando mais miséria e pobreza, violência e desesperança são
exemplos das obras malignas dentro do Estados e da maquina de poder no mundo e em nosso
país.

Isso pode ocorrer em cidades, sejam elas, grandes ou pequenas onde os demônios subjugam
as autoridades e as tem a seu serviço para promover o mal.

Paises consagrados, cidades consagradas a determinadas entidades ou “santos” são dominadas


por demônios que a subjugam.

Nesses casos só oração e avanço do Reino de Deus que poderá desfazer as obras do maligno
nesses lugares. Por isso missões é vital e de suma importância para o evangelho pois
destronamos o diabo e suas hostes em paises, estados, cidades, nações e etnias.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
46

NOSSA VITÓRIA

“Eu esmagarei os seus inimigos perante sua face”.


Sl. 89.23a

Nossa vitória está em Cristo! Somente Ele tem poder para destruir as obras do diabo e
delegou a sua Igreja que em Seu Nome e pelo Seu Sangue também destruiríamos as obras do
maligno.

Mas, ser um soldado firme nesta batalha necessita de dedicação e treinamento só encontrados
na Palavra de Deus. Perseverar até o fim requer um preço.

• Não devemos ter medo de satanás;

Satanás já está vencido. Ele é como um cão bravo em uma coleira, ele pode assustar pelo seu
latido e até tentar avançar sobre nós, mas, se encontra limitado por nosso Deus. Ele e suas
hostes já estão sentenciados e nosso Deus é soberano.

• Cristo sempre intercede por nós;

Podemos ter a certeza que Cristo está sempre intercedendo por nós como fez com Pedro. A
segurança de que Cristo nos guarda e nos livra do maligno é a nossa firmeza e paz que ele não
nos fará mal.

• Seu poder é relativo, pois é limitado por Deus;

Como escrevi satanás é um cão bravo preso na coleira. Ele só pode agir no âmbito
determinado por Deus. Seu poder é limitado, enquanto o do nosso Deus é ILIMITADO.

• Use sempre a oração para que Deus o livre do mal;

A oração e a vigilância devem ser constantes. Não negligencie sua vida de oração por nada.
Peça a Deus que o livre do mal, das ciladas do maligno, de seus dardos inflamados. Que você
seja coberto pelo Sangue de Jesus.

• Não dê lugar à vida dominada pelos instintos da carne;

Não de lugar a vida carnal, já sinalizei que a vida carnal dá lugar ao diabo em nossa vida, nos
deixando sobre seu jugo terrível. Não brinque de crente. Seja crente!

• Nunca fale de satanás com desdém ou provocação;

Não provoque satanás debochando dele ou provocando-o. alias não devemos dar ibope para
ele em nossas conversações e vida diária. Devemos vigiar muito, mas, falar pouco!

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
47

• Sempre precisamos de auxilio divino. Fiel é Deus que nos guardará do maligno;

Sempre devemos estar debaixo da Mão de Deus, nunca deixando o aprisco e sua proteção por
uma vida de carnalidade, sendo hipócritas, e zombadores de Deus. De nosso relacionamento
sadio com deus depende nossa proteção. Não que Deus não nos proteja, mas, nós nos
afastamos DELE para ficar próximo ao diabo.

• Nossos meios de vitória são: o sangue de Cristo e a palavra de nosso testemunho;

Para vencer satanás e suas ciladas devemos reivindicar o Sangue de Cristo sobre a nossa vida
e viver uma vida verdadeira de Testemunho diante de Deus e dos homens. Satanás teme
homens e mulheres verdadeiramente santificados em Cristo.

• Revista-se da armadura de Deus;

Vamos tratar desse tópico separadamente. Mas, revestir-se da armadura de Deus é viver em
Cristo e Cristo em você.

• Use da autoridade do nome de Cristo apara desfazer suas obras;

Ao se deparar com as obras do diabo, use da autoridade do Nome de Jesus, que é o que ele
teme e estremece. Diante do nome de Cristo nem o maioral dos demônios tem poder.

• Acostume-se a “dar ordens” em nome de Jesus para desfazer situações


dominadas pelo mal.

Ordene! Por vezes somos tímidos, mas pelo Nome de Jesus podemos ordenar que as situações
e obras criadas pelo diabo sejam desfeitas na nossa vida, na vida da nossa igreja, na nossa
família, na vida de pessoas, no nosso trabalho e na nossa cidade.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
48

Lição 5
ARMADURA DE DEUS

“Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de


toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as astutas ciladas do diabo;
porque nossa luta não é contra sangue e carne e sim contra principados e potestades,
contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas
regiões celestes. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no
dia mau e , depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estai, pois, firmes,
cingindo-vos com a verdade e vestidos –vos da couraça da justiça. Calçai os pés com a
preparação do evangelho da paz; embaçando sempre o escudo da fé, com o qual
podereis apagar todos os dados inflamados do Maligno. Tomai também o capacete da
salvação e a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus; com toda oração e suplica,
orando em todo o tempo no espírito e para isto, vigiando com toda a perseverança e
súplica por todos os santos.”
Ef. 6. 10-18

Como podemos estudar Satanás é um inimigo bastante ardiloso, vimos que ele procura nos
tentar, confundir, induzir ao erro, faz-se de anjo de luz, promove perseguição contra nós, nos
difama, calunia, nos oprime e lança sobre nós doenças e problemas físicos.

Sozinhos não possuímos forças para resistir esse inimigo. Mas, vale a pena ler o salmo 91,
muitos o usam como amuleto, mas, na verdade ele é a promessa de Deus que é “Fiel e nos
guardará do maligno”.

“Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará.


Direi do Senhor. Ele é o meu refugio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio.
Certamente ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa.
Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas estarás seguro; a sua fidelidade
será teu escudo e broquel.
Não temerás o terror noturno, nem seta que voa de dia, nem peste que anda na escuridão,
nem praga que destrói ao meio – dia.
Mil cairão ao teu lado, dez mil a tua direita, mas tu não serás atingido.
Somente com teus olhos contemplarás e verás a recompensa dos ímpios.
Se fizerdes do Senhor o teu refugio, e do Altíssimo a tua habitação, nenhum mal te sucederá,
nem praga alguma chegará à tua tenda.
Pois aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus
caminhos; eles te sustentarão nas suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra.
Pisarás o leão e a áspide; calcarás aos pés o grande leão e a serpente.
Por que ele me ama, diz o Senhor, eu o livrarei; pô-lo-ei num alto retiro, pois conhece o meu
nome.
Ele me invocará, e eu lhe responderei; estarei com ele na angustia, livra-lo-ei e o
glorificarei.
Dar-lhe –ei abundancia de dias e lhe mostrarei a minha salvação.”

Eu gostaria que você listasse as promessas que Deus faz neste Salmo para você.
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
49

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________.

Essas promessas estão condicionadas, isto é, dependem de uma condição. Deus se


compromete a nos proteger, mas, deseja uma contra partida, ou seja, nós temos que tomar
determinadas decisões em nossas vidas.

Que condições são estas que Deus espera de você?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________.

Deus deseja uma relação de intimidade e comunhão conosco. Isto está muito longe da
religiosidade. Pensamos que se comparecemos ao culto pela manhã, à noite e nas quarta-
feiras, seremos beatificados. Somos teóricos da bíblia, vamos à EBD só para ouvir as lições,
não fumamos, não bebemos...nos achamos muito! Mas, na verdade, por vezes, nos
alimentamos do fermento dos fariseus, ou seja, da hipocrisia.

Nosso coração está longe de Deus, cheio de arrogância, vaidade e engano. Só o senhor
conhece nosso coração profundamente.

Para essa batalha nenhum soldado pode se alistar sem treinamento direto com o General.
Tudo o que você sabe, todos os cursos que você fez, sua faculdade, seu dinheiro, seu talento,
seus anos de crente, sua doutrina denominacional, sua tradição, seus costumes, seu
conhecimento bíblico, seus cargos ocupados ou que ocupa atualmente, nada disso valerá
contra as hostes do mal, na hora da guerra.

A única coisa que lhe garantirá a Vitória é um coração quebrantado, despido de si mesmo, um
eu crucificado na cruz, morto para si mesmo e uma vida de comunhão intima com o Senhor.

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e incorrigível. Quem o conhecerá?


Eu, o senhor, esquadrinho o coração, e provo a mente, e isto para dar a cada um segundo
os seus caminhos, e segundo o fruto de suas ações”.
Jr. 17.10

Nessa semana estaremos buscando o fortalecimento no Senhor e na força do Seu Poder.


Buscaremos com diligencia a Armadura de Deus para nossas vidas.

Não somos derrotados e nem fracassados, pelo contrario Deus colocou a nossa disposição a
Vitória e as armas da nossa milícia são espirituais, para destruir as fortalezas.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
50

Encare esse momento com muita seriedade. Essa é sua hora de vencer!
Dia 1 . Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder.

Para compreender o significado final da carta de Paulo aos efésios é preciso lê-la em sua
inteireza. Paulo inicia dizendo algo maravilhoso, que somos abençoados com Cristo nos
lugares celestiais. Ou seja, em Cristo somos abençoados no mundo espiritual. Os efésios eram
gregos e muitos novos cristãos ainda temiam as divindades pagãs gregas, achando que elas
tinham poder de lhes fazer mal.

Paulo afirmará que Cristo nos libertou e sujeitou todo poder tanto no mundo material como
no mundo espiritual. Ele é o Senhor de tudo e todos.

Os poderes espirituais foram expostos e humilhados pela vitória de Cristo na Cruz e essa
Vitória é também nessa, e agora libertos de Cristo e debaixo de seu senhorio, os poderes
espirituais do mal não tem poder sobre as nossas vidas.

O apostolo irá, então, nos exortar a busca do pleno conhecimento de Deus, uma busca pela
intimidade com O Senhor através de sua Palavra e da vida de oração sincera. Leia Ef. 3. 14-
21.

Cite quais os pedidos de Paulo a Deus pelos efésios?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________.

Após exortar ao crescimento espiritual, Paulo nos conclama a vida de unidade no Corpo de
Cristo, ou seja, na Igreja, e assim unidos, crescendo, cooperemos para o crescimento do
Corpo como um todo.

Paulo nos incentiva a uma vida de santidade, com vários conselhos práticos, nos exortando a
viver como filhos da luz. Devemos andar em santidade na igreja, na sociedade e no lar, Paulo,
então aconselha como deve ser o relacionamento entre os cônjuges, entre pais e filhos, entre
filhos e pais e por fim entre patrões e empregados. Nessa lida diária devemos mostrar o
quanto Cristo modificou nossa vida.

Só então, ele introduz a questão. Quanto ao mais, isto é, depois de todas essas coisas,
fortalecei-vos no Senhor e na força de seu poder.

Nos primeiros versículos do salmo 91, Davi nos diz, aquele que habita no esconderijo do
Altíssimo a sombra do Onipotente descansará.

Somos fortes em Deus quando dependemos dele para tudo, quando ao invés de habitar nas
tendas da nossa vaidade, do nosso querer, do nosso eu e de nossas próprias crenças e feitos,
habitamos no esconderijo que Deus nos preparou de Seu Amor e Misericórdia.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
51

Paulo nos ensinará isto em II Cor.12.9-10. leia o texto com atenção o Poder de Deus se
aperfeiçoa em nossa fraqueza, o Poder de Deus se manifesta exatamente quando não lutamos
mais com as nossas forças e entregamos tudo a Deus.

• Quais são as lutas que você tem lutado sozinho(a)? Seu coração é um coração
orgulhoso, vaidoso, auto-suficiente? Você tem buscado diligentemente uma vida de
comunhão intima com o Senhor? Ou é apenas um religioso a mais dentro da igreja?
Você cumpre as suas tarefas na Igreja ou possui um prazer genuíno em servir ao
Senhor? Seu coração é um coração quebrantado diante de Deus?

Para estar fortalecido no Senhor é preciso depender, Deus dá graça aos humildes, mas resiste
aos soberbos. Se entrar nessa batalha achando que Eu posso tudo, que eu sou, eu fiz, eu orei,
eu aconteci...já está derrotado!

Dia 2 . Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as
astutas ciladas do diabo.

Note bem, Paulo nos adverte a nos revestirmos, ou seja, ele compreende que já estamos
vestidos. Ninguém pode ser revestido pela Armadura de Deus se não possuir suas vestes
santas. Aquele que se encontra nu, não pode vestir a Armadura!

“Não mintais uns aos outros, pois já vos despistes do velho homem com seus feitos, e vos
vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que nos
criou.”
Cl. 3. 9-10

Paulo refere- se a nossa nova natureza gerada em Cristo Jesus. Para vestirmos a armadura de
Deus devemos ser novas criaturas, íntimos de Cristo, nosso velho homem deve estar
crucificado com Cristo na Cruz, devemos ter uma ligação profunda, de unidade perfeita com
Cristo, a fim de participarmos de sua natureza divina.

Sendo pois, nova criatura, vestidos da nova natureza doada por Cristo na cruz do calvário, é
convidada a nos revestir da armadura de Deus para a luta contra o nosso inimigo, o diabo.

Notem bem, a forma como Paulo define as armas que nosso inimigo usa contra nós: astutas
ciladas. Astúcia é a arte de enganar através de estratagemas. O diabo usa de sutis ardis para
nos enganar e corromper. Já dizia Lutero em seu hino, Castelo Forte:

“Castelo Forte é nosso Deus, Espada e bom escudo.


Com seu Poder defende os seus, em todos os transes agudos.
Com fúria pertinaz, persegue satanás, com artimanhas tais.
E astúcias tão cruéis, que iguais não há na terra”.

Ele apela para nossos instintos, os nossos medos, nossas lembranças, nossos mais nobres
sentimentos, nossos desejos mais legítimos, para com sutis tentações e mentiras nos desviar
do caminho do senhor e do seu propósito em nossas vidas. Quem poderia imaginar que o
legitimo amor e cuidado pelo filho poderia roubar o lugar de Deus? Quem poderia pensar que
a legitima e correta dedicação ao trabalho roubaria o Senhorio de Cristo sobre alguém?
Alguém poderia pensar que uma auto – estima saudável, inteligência, ser bem sucedido,
poderia criar uma fortaleza de ego e orgulho em um ser humano? Ou quem diria que defender

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
52

legitimamente os interesses democráticos, doutrinários e disciplinares da igreja poderia ser


uma perseguição ao pastor e os lideres?

Necessitamos terrivelmente de Deus, se não estivermos revestidos da armadura divina, somos


presas fáceis desse cruel enganador, que como Jesus disse a Pedro, deseja paderja-nos na eira!

A vigilância é uma das recomendações mais negligenciadas pelos crentes, devemos vigiar
todos os dias, a cada momento, ligados com Deus. São palavras, atitudes, situações, historias
que nos chegam, problemas que aparecem, sentimentos que nos assaltam, a todo o instante
satanás se encontra a buscar ocasião contra nós. Pedro nos ensina, ele que aprendeu tanto
como se poderia tornar-se presa fácil do inimigo:

“Sede sóbrios, vigiai! O vosso adversário, o diabo, anda em derredor, rugindo como um
leão, buscando a quem possa tragar”.
I Pe. 4.8
Uma vida de oração, leitura sistemática da Palavra de Deus, autoavaliação constante,
confissão de pecados, busca incessante da orientação do Senhor são as armas para essa
batalha, nenhum crente pode prescindir dessas armas, nenhum crente pode “dormir no ponto”
ou será tragado pelo leão. Vestidos de uma nova natureza, devemos agora nos revestir da
Armadura Divina.

• Esse é o seu momento de refletir: existe alguma situação em sua vida em que você tem
percebido uma ação do diabo para tirar a sua paz e desviá-lo do caminho do Senhor?
Você facilmente se ira, diz coisas inconvenientes, fala demais, agride pessoas com
palavras e atitudes de forma irrefletida? Tem costume de se portar
inconvenientemente com o sexo oposto? Tem o hábito de envolver-se em partidarismo
e disenssões na igreja? Por sua causa alguém na igreja afastou-se de Cristo ou não tem
chegado aos pés do Senhor? Você mantém sentimentos de ódio e ressentimento contra
alguém? Possui sentimentos de orgulho e vaidade? Tem sentimentos desmedidos de
ambição e avareza? Você é uma pessoa que procura defeito constantemente nos
outros, na igreja, nos irmãos e nos lideres? Você costuma reagir ao calor das
emoções? É constantemente enganado por suas emoções, instintos e desejos?

Dia 3. porque nossa luta não é contra sangue e carne e sim contra principados e
potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais
do mal, nas regiões celestes.

Não lutamos contra o chefe ou o colega de trabalho que nos perturba ou persegue. Nem
contra o filho problemático ou o cônjuge inconstante. Não lutamos contra os irmãos que nos
perseguem e nos caluniam. Não lutamos contra o pai de santo, a cartomante, a maçonaria, a
bruxa ocultista, nem o padre, nem o católico, nem contra o TJ ou Adventista. Não lutamos
contra pessoas ou sistemas políticos ou religiosos. Lutamos contra Satanás e sua hostes
demoníacas que se encontram por trás de pessoas, cidades, nações, sistemas políticos,
religiosos, culturais e etc.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
53

É importante focar nossa percepção de quem na verdade são nossos inimigos. Gastamos
energias e tempo muitas vezes com pessoas, grupos religiosos, sistemas políticos, e caiamos
na cilada do ódio e ressentimento contra pessoas e ficamos paralisados. E somos derrotados.

Para as pessoas que nos perseguem Jesus nos ensina:

“Eu porem vos digo:Amai a vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem”.
Mt. 5. 44

E o apostolo Paulo acrescenta:

“Abençoai aos que vos perseguem; abençoai, e não amaldiçoeis. (...) Não te deixes vencer
do mal, mas vence o mal com o bem”.
Rm. 12 14,21

Mesmo que esteja com o coração ferido, a melhor estratégia para vencer aquele que te
persegue é orar por ele abençoando-o. Primeiro é terapêutico em seu coração, por que o
abençoando evitamos a amargura do ressentimento; segundo, abençoando-o procuramos o seu
bem e entregamos a Deus o julgamento sobre a questão.

Persista em abençoar aquele que te persegue com palavras, atitudes, calunias, ofensas, fofocas
e até mesmo com estratégias para te prejudicar. Deus, ele mesmo, haverá de te proteger e
guardar dessas pessoas e Ele mesmo devolverá a cada um conforme suas próprias ações e por
aquilo mesmo que diz.

• É hora de perdoar. Avalie seu coração, existe alguém que lhe tenha ofendido,
perseguido, denegrido, por quem você nutre ressentimento e rancor? Leve essa pessoa
a Deus, ore pelo ocorrido e exponha a Deus os seus sentimentos quanto ao ocorrido e
a pessoa. Compreendendo que nada poderá fazer, aceite o agravo sobre você e
conforme-se. Ore pela vida desta pessoa. Abençoe com todas as bênçãos que deseja
para você e aqueles que ama. Profetize sobre a vida dessa pessoa as bênçãos de Deus.
Faça isso constantemente, não apenas uma vez. Tudo o que puder fazer pelo bem
dessa pessoa faça com ações concretas. Se houver como, procure a pessoa para saber
os reais motivos de sua perseguição e ressentimento, ouça-a e se houver alguma
atitude que puder ser modificada, modifique. Deixe Deus resolver a questão.

Dia 4 . Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau
e , depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis.

A vida Cristã é feita de perseverança (Ap. 3. 10; Rm. 3.5), aquele que não perseverar no
meio das lutas, tentações, dos ataques do inimigo, não chegará ao final da Jornada. A
armadura de Deus nos capacita a ficar firme diante das circunstancias e também no dia mal da
luta intensa contra as hostes do mal. Chegaremos a este dia em breve, quando abertamente
satanás perseguirá a Igreja de Cristo, neste dia nenhum dos nossos recursos nos salvará.
Somente a armadura de Deus em nossas vidas nos fará vitoriosos, mesmo que isto nos custe à
vida física

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
54

• Você está pronto a ser perseguido, maltratado, morto, passar privações e toda sorte de
circunstancias adversas por Cristo?

Dia 5. Estai, pois, firmes,

No texto por três vezes Paulo nos convida a ficar firme; na batalha espiritual a firmeza é o
segredo para a vitória. Firmeza quer dizer aquele que não é demovido facilmente de um
propósito. Assim como nos exorta a perseverança, a bíblia nos exorta a firmeza.

E como somos firmes? Aqui a firmeza não é humana e sim Obra do Espírito Santo, é uma
firmeza advinda de um coração e uma mente solidificada no Senhor. Jesus ilustra isso na
Parábola da Construção da Casa (Mt. 7. 24-29), o coração e a mente solidificados na Palavra
de Deus é firme e não se deixa demover pelas circunstancias, sentidos e emoções, pois Deus
conserva em paz (Is. 26.3) aquele que nele faz sua base de sustentação.

O que Deus está nos ensinando é que devemos andar por fé e não por vista (II Cor. 5.7), isto
é, não considerando as circunstancias, os nossos sentidos e nem mesmo as nossas emoções
(nosso coração é enganoso! Veja Jr.17.9-10), mas firmados em nossa fé revelada em Cristo de
que mesmo que nada vejamos a nossa frente, o Senhor sempre será por nós. Vivemos por fé
(Rm. 17).

• Gostaria que você fizesse uma profunda reflexão com Deus. Quem controla a sua
caminhada de vida? Suas emoções, as situações, sua lógica, seu querer, sua vontade?
A sua mente está firmada em seu coração ou no Senhor? Leia Jr. 17. 5-8; o seu
coração é confiado em sua própria força? Se até aqui tem confiado em sua força, acaso
sua vida se encontra em plena seca? O que acontece com aquele que confia no
Senhor? Não está na hora de gozar a paz e a firmeza na vida que Deus lhe concede?

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
55

ARMADURA DE DEUS II

“A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas e vistamo-
nos das armas da luz”. Rm 13. 12

continuemos a nos revestir da Armadura de Deus, que o senhor nos abençoe ricamente
durante esta semana e nos revele a grandiosidade de Sua Palavra.

Dia 1. cingindo-vos com a verdade e vestidos –vos da couraça da justiça.

No português o verbo cingir pode ser direto e indireto – neste sentido nos daria entender que
nos envolveríamos com a verdade. Mas, como pronome teria o sentido de (cingindo-se)
aproximar-se, unir-se, coser-se, coroar-se, adornar-se, limitar-se, conforma-se, ater-se.
Poderíamos escrever a frase desta forma “cingindo-se à verdade”., o ato de cingir-se nos leva
a uma profundidade maior do que envolver-se, pois estaríamos nos unido a verdade(Cristo),
ligado-nos, coroando-nos de Cristo, adornando-nos de Cristo, limitando-nos a Cristo,
tomando a forma de Cristo. Ou seja, devemos tomar a forma de Cristo, estar completamente
unidos com a Verdade (Cristo), essa é o primeiro item de nossa armadura.

É a nossa profunda união com o Senhor que nos leva a participar de sua natureza divina,
nossa ligação intima, união profunda com Cristo, trás a vida de Deus para nós!

Nosso primeiro item, como já assinalamos é estar unidos intimamente com Cristo de tal
maneira que tomemos a Sua Forma, ou seja, tenhamos a forma da Verdade que Liberta.

• Tomar a forma de Cristo requer renuncia. “aquele que não renunciar a tudo o que tem
não pode ser meu discípulo” , ou seja, precisamos esvaziar-nos de nós mesmos para
tomarmos a forma de Cristo. Peça a Deus em oração: Senhor o que é preciso ser
esvaziado em mim para que eu possa tomar a forma de Cristo? Eu gostaria que em
oração e louvando ao Senhor com o hino 295 CC você fizesse a entrega de tudo o que
Cristo lhe mostrar.

A couraça é um revestimento, uma blindagem. Compreende-se, também, como uma proteção


contra qualquer coisa. Longe de ser algo que nos endureça (existem pessoas encouraçadas) a
couraça da Justiça fala do Amor e da Fé. Do Amor de Deus, sendo que nossa justiça esta
fundamentada na morte propiciatória de Cristo, ou seja, Cristo pagou a pena do meu pecado
em meu lugar (Is. 53. 4-6)

“O Senhor fez cair sobre Ele a iniqüidade de nós todos”. Is. 53. 6b

fala de fé porque nos apropriamos dessa verdade espiritual pela fé e não por obras. Crendo em
Cristo e em seu sacrifício, nosso relacionamento com deus é renovado, outrora inimigos, nos
tornamos amigos (Rm. 5.1) fundamentados na obra expiatória de Cristo na cruz pela fé em
nosso Senhor Jesus Cristo, estamos protegidos contra qualquer ataque maligno de acusação
contra nós, visto a justiça de Deus ser declarada sobre a nossa vida e sermos considerados
livres de toda a condenação.

• Leia Rm 8. 31-39. satanás não pode nos acusar e nem nos condenar, sobre nós a
justiça de Deus se fez e pelo sangue de Cristo somos livres de todo o pecado. Não
importa o que você tenha feito, nem o quanto você seja fraco, nem quantas quedas

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
56

você já teve em sua caminhada, se se arrependeu com sinceridade diante o Senhor,


satanás não tem poder de acusá-lo. Você é livre em Cristo. Satanás tem procurado lhe
roubar a paz e a confiança lhe acusando de seus erros? Em voz alta lhe diga: Sou livre
de condenação pelo Sangue de Cristo e pelo Sangue de Cristo te repreendo!

DIA 2. Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz;

Nossos pés devem estar revestidos, ajustados, baseados no aparelhamento das boas noticias
de Paz, isto é, que Deus está em Cristo reconciliando o mundo com Ele. Somos embaixadores
dessa notícia ao mundo.

Onde andarmos devemos estar firmados nessa mensagem. Podemos andar entre os espinhos,
no fogo, na água, no deserto, no vale, em montanhas, entre pedregais, entre feras e até no
próprio inferno, mas, por onde andarmos nossos pés estarão firmes no Evangelho da Paz.

Isso nos trás firmeza de caminhada. Nossa caminhada não deve ser trôpega, coxeando entre
dois pensamentos ou dois senhores, mas decidida e firme.

Aquele que está calçado com o Evangelho da Paz anda em qualquer terreno e na hora da luta
mais acirrada não é derrubado facilmente. Nossa caminhada é longa até a chegada na Terra
Prometida, muitos são os obstáculos e duro é o caminho, mas o soldado bem calçado chegará
firme até o fim.

Reflita neste versículo do Salmo 142.3. Satanás oculta laços em nosso caminho, homens maus
cheio de engano e soberba ocultam laços em nosso caminho, precisamos caminhar firmes
para que não venhamos a queda

• Seu caminhar é trôpego? Você realmente está calçado com o Evangelho da Paz?
Poderia com toda certeza andar por qualquer caminho? Está pronto para caminhar até
a Terra Prometida?

Dia 3. embaçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dados
inflamados do Maligno.

Os dados inflamados são setas com suas pontas embebidas em material inflamável. Os dardos
não são as tentações, pois, estas são orquestradas de forma ardilosa. São, na verdade, ataqueis
frontais: Pedro com Jesus ( Mt. 16. 21-23); os ataques dos judeus a Jesus na cruz (Mt. 27.43).

São palavras, situações, calúnias, atitudes, ataques de surpresa na intenção de nos incendiar e
nos matar imediatamente. Ele nos assalta com acusações, palavras ferinas que nos cortam o
coração, nos desmotivam, nos iram, nos desestimulam. Por outras vezes são dardos que nos
ferem a mente com pensamentos de toda a sorte: ira, impureza, engano, pessimismo,
falsidade...

Os dardos são apagados com o escudo da fé. Mas fé em que? Ou em quem? Nossa fé não é
depositada em coisas visíveis e nem em fatos circunstâncias, nossa fé é firmada em uma

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
57

pessoa: Cristo. Dele sabemos que não muda, mas, mantém firme a sua Palavra (Hb. 13.8;Is.
40.8;). Cristo nos promete que:

o Nos ama;
o Nos guarda;
o Nos socorre;
o Nos consola;
o Nos faz justiça;
o Nos sustenta;
o Nos dirige;
o Nos fortalece;
o Nos capacita;
o Nos ouve;
o Nos orienta;
o Nos sustenta;
o Nos prove;
o Está conosco até a consumação dos Séculos.

Nossa fé deve estar firmada na plena certeza de que Deus cuida de nós, que Ele nos ama e que
Sua Misericórdia e Bondade nos alcançam a todo instante. É com essa fé, que não dá conta
das circunstancias, mas, se mantém firme olhando o Consumador e Autor da nossa fé, que
apagaremos os dardos inflamados do maligno.

DIA 4. Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a Palavra de


Deus;

O capacete protege a cabeça do soldado. No tempo de Paulo em que os combates eram no


corpo a corpo esta parte da indumentária de guerra era importantíssima.

Hoje, o capacete continua sendo a parte importante na vestimenta de guerra. Uma bala, um
estilhaço, uma pedra, uma queda que atinja um soldado na cabeça é morte na certa ou
seqüelas graves que o põe fora de combate para sempre.

A cabeça comanda tudo. Os nossos pensamentos comandam nossas atitudes, vontades e


aquilo que iremos fazer. Nossa mente deve estar em Cristo “pensai nas coisas que são de
cima”. Cristo é a nossa salvação, a mente salva tem um novo padrão de raciocínio, novos
valores, não se sujeita às circunstâncias, aos sentidos, as emoções, mas é sujeita a voz do
Espírito Santo. Na cabeça se encontram os órgãos dos sentidos: olhos, ouvido, olfato,
gosto...podemos com nosso cérebro refletir, observar, raciocinar e vigiar. Se o fizermos com
mente humana, estamos cegos. Mas, com a mente de Cristo veremos muito além e de forma
diferente os seus ataques.

Por fim, como Igreja de Cristo que somos Ele é a nossa Cabeça, Ele nos governa e é o nosso
Senhor, tudo o que temos e somos como Igreja de Cristo, Noiva do Cordeiro, pertence a Jesus
o nosso Senhor.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
58

DIA 5. com toda oração e suplica, orando em todo o tempo no espírito e para isto,
vigiando com toda a perseverança e súplica por todos os santos.

Orar e Vigiar. Orar incessantemente, não apenas falar, mas suplicar. Jesus já nos ensinou:
pedi e dar-se- vos-á, buscai e achareis; batei e abri-ser-vos-á. Orar diuturnamente, sem cansar,
sem dar descanso a Deus, importunar, lutar, esmurrar a porta do céu, clamar, berrar, chorar,
não cessar até ser respondido, jejuar, subir no monte, entrar noite adentro em oração, orar dia,
tarde, noite...não parar!

Vigiar! Essa é a parte que mais negligenciamos, pois não vigiamos, não ficamos atentos.
Lembremos de Jesus e os discípulos na terrível noite no Getsemani. Jesus em aflição e os
discípulos dormindo, desapercebidos da gravidade do momento, alheios ao sofrimento do
Mestre, vencidos pela própria carne.

O espírito está pronto, mas, a carne é fraca; devemos vigiar a todo instante com aquilo que
está ao nosso redor, palavras, pessoas, situações, circunstancias. Devemos nos vigiar, atentos
a nossa boca, pensamentos, motivações, intenções, nosso coração é extremamente enganoso
(Jr. 17.8)

O vigia é aquele que esta com seus sentidos aguçados, a mente em alerta, despertado, sóbrio a
todo instante. Por isso a bíblia nos alerta a sermos sóbrios, remidores do tempo, não vivermos
de forma ociosa e desorganizada.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
59

Lição 6
JEJUM E ORAÇÃO

“Santificai um jejum, convocai uma assembléia solene, congregai os anciãos, e todos os


moradores desta terra para a casa do Senhor vosso Deus, e clamai ao Senhor”.
Jl. 1.14

O que é?

• Jejum é abstinência de alimento ou de sono durante algum tempo.

Há diferença entre:

JEJUM RITUAL: praticado regularmente, com objetivos ritualísticos, característica da lei e


prática judaica e de outras religiões: Lv 16.29-31.

JEJUM ESPONTÂNEO: sempre acompanhado de orações, tendo somente objetivos


especiais. É sempre secreto: Mt 6.18. Na Bíblia, o jejum espontâneo tem os seguintes
objetivos:

1) honrar a Deus: Is 58.3-7, Mt 6.18

2) humilhar-se perante os juízos divinos: Sl 35.13, 2 Sm 12.16, Ne 9.1-3, Jl 2.12

3) como período de preparação para as batalhas espirituais: Mt 4.1-3, 17.21.

Características do jejum bíblico espontâneo:

1) Quebrantamento: Sl 69.10, Ne 9.1

2) Reservado e secreto: Mt 6.18

3) Com um (ou mais) dos 3 objetivos: honrar a Deus, humilhar-se e preparar-se

4) Sempre acompanhado de orações: Sl 35.13, At 13.3

Qual o período do jejum ?

Indeterminado, podendo ser por um pequeno período. O que importa não é sua extensão, mas
suas características bíblicas. Exemplo: Dn 9.3-19.

Porque o jejum é secreto ?

Para evitar qualquer orgulho e hipocrisia. O fariseu deu mau exemplo, ao declara em público
seu jejum: Lc 18.9-14.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
60

Pode-se beber durante o jejum ?

É necessário, para evitar desidratação. A maioria dos jejuns bíblicos era somente de alimento.
O jejum de Jesus no deserto foi somente de alimento: Mt 4.2 (“teve fome”, não se menciona a
sede).

O jejum é só de alimento ?

Não. Recomenda-se se abster de televisão, relações conjugais e outras distrações. É preferível


um pequeno período de jejum completo do que um grande período cheio de “atividades”, sem
alimentação.

Todo cristão deve fazer jejum ?

Não. Somente aqueles que tiverem condições físicas para isto. Jejuar não é obrigação, mas
um recurso espiritual. Observe que Jesus não jejuava sempre: Mt 9.14-15, Lc 5.33-35.

Exemplos de crentes que jejuavam:

• Epifanio, bispo de salamina – nascido em 315 d.C


• Martinho Lutero
• João Calvino
• Jonh Knox
• Jonh Wesley
• Charles Finney
• D.L. Moody

Exemplo de personagens bíblicos que jejuaram:

• Moiséis – Ex. 34.28;


• Israel – I Sm. 7.6;
• Elias – I Rs 19.8;
• Esdras – Ed. 10.6;
• Daniel – Dn. 10.3;
• Cristo – Lc. 4. 1-2
• Paulo – At. 9.9;
• Os lideres da Igreja de Antioquia – At. 13.2-3
• Paulo e Barnabé – At. 14.23

O Papel Espiritual do Jejum

O jejum bíblico é uma forma de autonegação por causa de Jesus e seu reino. Por ela nos
abstemos da comida, sono e qualquer outro prazer carnal por um período determinado de
tempo, a fim de incessantemente buscar ao Senhor e nos humilharmos diante dele.

Nos afastamos de amigos e da família por um período de tempo para buscarmos ao Senhor e
desfrutar com Ele uma comunhão profunda e intima.
Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque
Cândida Maria Ferreira da Silva
61

Quando não usar o jejum:

• Não jejue para obter bênçãos de Deus – Deus não é comprado por nossas orações e
nem jejuns, tudo o que recebemos D´Ele é mediante a sua Graça.
• Não jejue como um substituto da obediência – (Is.58. 1-11) Também não podemos
subornar a Deus com jejum acreditando que Ele o receberá se andamos em
desobediência diante do Senhor. Devemos corrigir nosso erro e pedir perdão ao
Senhor e sermos obedientes a Sua Palavra.
• Não jejue para impressionar os outros – Deus conhece nosso coração e se
abrigarmos nele a injustiça, a falta de misericórdia, a falta de perdão e a maledicência,
nosso jejum será invalido. Muitos proclamam seu jejum a fim de serem chamados
espirituais, mas, como já foi assinalado, jejum é um ato secreto entre você e o Seu
Senhor.
• Não permita que o jejum se torne uma legalidade – o jejum não deve se tornar
legalista. Existem igrejas que apregoam jejum a torto e a direito e o acabam
transformando-o numa norma legal de que se deve cumprir. O jejum é um momento
intimo e especial entre você e o Seu Senhor.

Como Jejuar ao Senhor?

• Jejue para agradar o Senhor – jejue com o objetivo de aproximar-se de Deus, de ao


se abster de comer, dormir ou qualquer outro prazer você se concentra única e
exclusivamente no seu Senhor. Que nesse período de Jejum sua intenção seja apenas
agradar ao Seu Senhor e estar intimamente ligado com Ele.
• Jejue em resposta ao chamado de Deus – Deus nos chama pessoalmente para o
jejum, toda vez que Ele lhe fizer uma convocação de jejum, não hesite em atender ao
chamado.
• Jejue para humilhar-se diante de Deus – o jejum é um chamado ao arrependimento
e também a profunda humilhação diante do Senhor, onde entramos em sua presença
quebrantados, dependentes e completamente humilhados.
• Jejue para buscar a face do Senhor – seu amor por Deus deve ser profundo e
completo. Devemos ansiar com todo nosso coração a presença de Deus. O nosso
jejum deve ser um momento privilegiado de busca intensa e profunda de
contemplarmos ao Senhor.
• Jejue como uma disciplina espiritual – muitos de nós somos derrotados
espiritualmente porque não possuímos disciplina espiritual. Vida de oração, jejum,
estudo da palavra e meditação da Palavra de Deus. O jejum é uma das disciplinas que
devemos exercer para nosso crescimento espiritual.

Jejuando para:

• Preparar-se para ao assumir um ministério ou alguma atividade correlata;


• Para saber a Vontade de Deus sobre determinado assunto para a vida da Igreja;
• Para tomar decisões importantes em sua vida pessoal;
• Para obter orientação do Espírito Santo sobre assuntos da Igreja e do ministério;

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
62

• Para obter vitórias em situações extremamente criticas, tanto da Igreja como de


sua vida pessoal: doenças, libertações de pessoas, ataques do diabo, calunias,
perseguições;
• Por libertação de pessoas cativas de satanás;
• Para a busca de uma vida de santificação diante do Senhor;
• Para libertação de pecados e maus hábitos;
• Para o avivamento pessoal e da Igreja;
• Por salvação de entes queridos;
• Por missões;
• E toda a vez que o Senhor lhe convocar especificamente sobre algum assunto que
poderá ser pessoal, para a Igreja ou em favor de outras pessoas.

Você deve decidir o tempo de seu jejum. Ele pode ser por um período de seis, doze, vinte
quatro horas ou mais, desde que possua condições para fazê-lo. Mas, poderá ser feito nas
primeiras horas do dia até o café da manhã ou quem sabe após o jantar durante uma
madrugada de oração. Liste seus objetivos e busque a Deus em oração.

Estaremos abordando como fazer um retiro pessoal de oração, onde, você poderá utilizar o
jejum nesse período a sós com Deus.

Deus o abençoe!

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
63

Lição 7
O PODER DO LOUVOR

“E aconselhou-se com o povo, e ordenou cantores para o Senhor, que louvassem a


Majestade Santa, saindo diante dos armados, e dizendo: Louvai ao Senhor, porque Sua
benignidade dura para sempre. E, ao tempo que começaram com júbilo e louvor, o
Senhor pôs emboscada contra os filhos de Amon e de Moabe e os das Montanhas de
Seir, que vieram contra Judá, e foram desbaratados”.
II Cr.20.21-22

Você já pensou que as respostas as suas orações são por vezes demoradas porque você não
louva o suficientemente? Que as montanhas de problemas persistem a sua frente por que você
deixou de louvar ao Senhor? Você sabia que o nosso inimigo é afugentado muito mais
rapidamente pelo nosso louvor?

Você deve lembrar quando começou esta caminhada de oração o quanto foi difícil fazer a
oração de adoração e louvor. Nossa mente se concentra terminantemente em pedir e esquece
de louvar ao Senhor, em deleitar-se nele. Você sabe o que significa deleitar?

Deleitar – sentir, experimentar grande prazer.

Isso significa que devemos sentir prazer, alegria, emoção, gosto em Deus. Pense na comida
ou sobremesa que mais gosta. Quando você a come não sente um prazer imenso? Assim
deveria ser nossa vida de oração com Deus, um prazer imenso que nada poderia nos tirar dela.

Mas, como vamos a Deus somente para suprir necessidades, nossa vida de oração torna-se
uma tensão, pois sempre estamos diante de Deus com a expectativa de sermos supridos em
alguma coisa ou com um problema para ser resolvido.

Dessa forma o Louvor nem nos passa pela cabeça, pois, estamos tão stressados, tão
preocupados, tão ansiosos em ver nossas solicitações respondidas que ficamos em angustia e
agonia e louvar? Nem pensar!

Entretanto o louvor é arma de vitória, como diz aquele cântico Exercito de Deus, se
aprendêssemos o valor da Oração de Louvor tanto para nossa vida, como para o nosso
relacionamento com Deus faríamos a nossa oração um eterno louvor.

A maior prova de nossa fé, é quando o mundo caí sobre as nossas cabeças! É nessa hora que
sabemos do que somos feitos. Crentes infantis e carnais morrem nessa hora. São as sementes
que estão entre os espinhos e pedregais. Crentes de boa terra se fortalecem na hora do estio e
ao invés de murmurar e chorar, louvam ao seu Deus.

A maioria de nossas lutas são instrumentos de refino para a nossa vida cristã. Sem elas nunca
conheceríamos o poder de Deus em nossas vidas e nunca o caráter de Cristo seria forjado em
nós. Veja que usei a palavra forjar, a forja é um instrumento da fornalha, na fornalha existe

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
64

fogo em altíssimas temperaturas, daí que Deus nos forja na fornalha da aflição e ali nos
purifica.

• O louvor clareia a nossa visão – quando estamos numa provação a primeira coisa
que nosso inimigo procura fazer é incutir em nós uma visão distorcida da situação. Se
nos desesperarmos teremos mais chances de fazer uma bobagem e principalmente de
deixarmos de ouvir e confiar em Deus. Ao louvarmos, o Espírito Santo nos concede a
Sua Visão da situação. Por que uma é a nossa perspectiva de um problema e outra é a
visão de Deus para o mesmo problema. Pense num instante: para os fariseus e os
romanos eles tinham matado Cristo e removido um empecilho. Para os discípulos
Cristo havia morrido e no mínimo eles eram os próximos da lista. Para satanás, Deus
morrera na cruz. Para Cristo ele tinha cumprido a Vontade do Pai e no resgatado da
prisão da morte e do pecado. Uma mesma situação e somente Deus possuía a visão
verdadeira, por que? Porque Ele sabe de todas as coisas. Nós vemos o agora, Ele vê o
ontem, o hoje e o amanhã! Por isso louve ao Senhor na hora mais dura da prova e verá
que Deus clareará sua visão e lhe dará um olhar de águia!
• O louvor purifica a nossa alma – “Se eu no coração contemplara a vaidade (pecado)
o senhor não teria me ouvido”. (Sl 66.18) O pecado nos afasta de Deus e impede a
resposta as nossas orações. O orgulho, a falta de perdão, uma postura critica,
amargura, o desenfreamento da língua, o egocentrismo, a carnalidade, tudo isso
impede que nossas orações sejam respondidas. Para sermos vitoriosos em oração
precisamos ser purificados pelo Espírito Santo. O louvor pode ser um instrumento
poderoso de purificação. Quando satanás vier com seus ataques e sugestões
pecaminosas, levante uma oração de louvor a Deus e purifique seus pensamentos. Ele
nos ajuda a superar a nós mesmos, fazendo-nos olhar para Jesus. Nos liberta da
negatividade, autopiedade, egocentrismo. O louvor purifica tanto que Deus nos aceita
quando nos aproximamos do Seu trono de Graça.
• O louvor dá poder a sua oração – “Oferece a Deus sacrifício de louvor e paga ao
Altíssimo os teus votos. E invoca-me no dia da angustia; eu te livrarei, e tu me
glorificarás”. (Sl. 50. 14-15). Neste salmo, Davi nos instrui que devemos na hora da
angustia e aperto oferecer um “sacrifício de louvor” este é um prelúdio ao orarmos
suplicando livramento. O louvor torna nossa oração eficaz. Pense bem, Deus já fez
tanto por você e na maioria das vezes você não O adora por isso, ao louvá-lo você
aquece o Seu Amoroso Coração e reconhece Sua Soberania. Martinho Lutero, homem
experimentado em batalha espiritual dizia: “Quando não consigo orar, sempre canto!”
• O louvor multiplica a sua fé – ao louvarmos ao Senhor desviamos nossa atenção
para o problema e sua complexidade e o fitamos em Deus e sua suficiência. Lembra
da mulher siro – fenícia que suplicava a Cristo por sua filhinha? Antes de qualquer
coisa ou qualquer palavra a bíblia diz que ela “se prostou e adorou ao Senhor”. O
louvor te faz ver melhor o teu Senhor e louvando você lança sobre Ele todo o teu
fardo, renova a sua esperança e forças. O louvor te dá coragem contra os teus inimigos
e louvando você consegue repeende-los em nome de Jesus.
• O louvor nos une em espírito aos anjos – quando louvamos os anjos se unem a nós
em louvor a Deus, pois é um przaer para eles louvar ao Senhor. Muitas batalhas são
vencidas no meundo espiritual quando estamos louvando ao Senhor com a assistência
dos seus anjos ministradores.
• O louvor afugenta satanás – satanás e seus anjos odeiam o louvor. Isso faz com que
eles fujam de nós. Eles não suportam ver Cristo sendo glorificado. O louvor
comunica-se diretamente ao trono de Deus e dispensa a Sua Glória sobre nós, nessa
hora não tem demônio que suporte.
Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque
Cândida Maria Ferreira da Silva
65

Devemos louvar a Deus muito mais vezes em nossas orações. Oferecer sacrifícios de louvor
aos Senhor pela manhã, a tarde, a noite. Todos os dias.
Como louvar ao Senhor?

• Na solidão de sua alma, em secreto, enquanto trabalha, enquanto caminha, enquanto


estuda...
• Em público nas orações na igreja, em casa e em reuniões com os irmãos;
• Deve ser declarado – testemunho;
• Pode ser cantado;
• Com alegria;
• Com musica;
• Com lábios e a boca.

O louvor é uma grande arma contra a depressão, contra a tristeza, a saudade, o luto, a
enfermidade. Ele pode transformar nossa lida diária. Quando nossa vida familiar está ruim, a
melhor arma é o louvor.

“E, perto da meia – noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros
presos os escutavam. E de repente sobreveio um tão grande terremoto, que os alicerces do
cárcere se moveram, e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos.”
At. 16.25-26

Volte a lição 1, sua tarefa essa semana é louvar ao Senhor conforme as tarefas que indicamos
na lição. Que Deus o abençoe!

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
66

Lição 8
Os Guerreiros de Oração

“Ó Jerusalém, sobre os teus muros pus guardas; jamais se calarão, nem de dia e nem de
noite; vós que invocais ao Senhor, não descanseis, nem estejais em silencio, até que Ele
restabeleça Jerusalém, e a ponha por louvar na terra”.Isa. 62. 6 -7.

Quando Deus tomou a decisão de destruir Sodoma e Gomorra, comunicou, ao seu servo
Abraão, sobre seus planos. Durante algum tempo Abraão se colocou entre Deus e os
habitantes de Sodoma e Gomorra. Leia Gênesis 18. 17-33. A essa atitude de Abraão
chamamos de interceder. Enquanto pode interceder pelos habitantes daquela cidade, Abraão o
fez, buscando demover Deus do intento de destruí-los. Interceder é pedir, rogar; intervir a
favor de alguém ou de alguma coisa.

Deus nos chama a todos para o Ministério de Intercessão. Pare por alguns instantes e liste
quantas pessoas ou circunstâncias necessitam de sua intercessão?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________.

Muitas, não é verdade? Interceder é um dos ministérios de Jesus junto ao Pai por nossas vidas
(Hb. 7.25; Rm. 8.34) e também do Espírito Santo junto a Deus (Rm 8.26). Nós somos
convocados a sermos mais do que intercessores, mas, Guerreiros de Oração (Is. 59. 16,17; Jó
9.32,33; Nm 16.48; Is 64.7).

Não nenhuma fantasia em nos denominar Guerreiros de Oração, pois, a pratica da oração é
uma verdadeira batalha contra as forças do mal. Se pudéssemos ter dimensão sobre a vida de
oração, nunca mais nos deixaríamos dominar pela carne e deixar de orar.

Perfil do Intercessor

Para ser um intercessor uma pessoa deve possuir algumas qualidades produzidas pelo Espírito
Santo.

1. Deve ser dedicada a vida de oração;


2. Deve ser paciente, pois as respostas de oração podem durar
tempo para chegar;
3. Deve ser cheia do Espírito Santo, pois somente uma pessoa
que é cheia do Espírito Santo pode suportar o peso da
intercessão;
4. Deve confiar plenamente no Senhor; ter uma fé madura e
não guiada pelas circunstancias;

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
67

5. Deve possuir uma visão de Deus das circunstâncias, pessoas


e fatos;
6. Deve ser uma pessoa que possua empatia, ou seja,
identifique- se com a dor dos outros como se fosse sua;
7. Deve ter um coração cheio de Amor pelos outros;
8. Deve ter um coração cheio de compaixão pelas pessoas.

A oração de intercessão é necessária para o cumprimento da Vontade de Deus. Isso não quer
dizer que Deus seja incapaz de realizar sua vontade sozinho, mas, Ele tem prazer em nos fazer
participantes de seus planos e propósitos. Assim, ao tornar-se intercessor você se faz parte
integrante da realização e propósitos de Deus.

As portas que entramos ao interceder:

• Missões;
• Evangelismo;
• Libertação;
• Salvação;
• Enfermidades;
• Livramentos;
• Oposição ao avanço das forças do mal;
• Avivamento;

Deus nos faz entrar em portas que nem mesmo imaginaríamos. Podemos estar aqui e Deus
nos levantar para interceder por um missionário na Índia ou na África. Deus pode mudar a
historia de nossa cidade, estado, somente pela intercessão dos santos.

Pessoas podem ser libertas, salvas, transformadas pelo poder do Evangelho por nossa
intercessão.

Para sermos bons intercessores é preciso ficar “ligados” com o Espírito Santo para que Ele
compartilhe conosco aquilo que deseja pelo qual intercedamos. Deus necessita de homens e
mulheres que fiquem na “brecha” pelo povo (Ez. 22. 30,31).

Intercessão e Libertação

Todo intercessor irá um dia cedo ou tarde ter um confronto direto com demônios. Digo,
direto, pois, ao nos dedicarmos a vida de oração e de intercessão nós entramos em combate
contra as forças do mal.

Mas, cedo ou tarde você se verá frente a frente com situações onde a presença dos demônios é
patente. Toda situação de libertação é delicada e nunca igual uma a outra.

Você pode enfrentar uma situação de libertação sozinho, mas, essa não é a circunstancia
ideal, o melhor é que sejam duas ou três pessoas, para que você tenha cobertura de oração no
momento da libertação de um individuo.

Existem aquelas situações onde a pessoa possessa manifesta-se logo, pode ser dentro da
igreja, em casa. Os demônios gostam de espetáculo, por isso, se o caso for na igreja, procure
retira-la do templo se for possível. Tenha cuidado com objetos cortantes e moveis, pois, a
Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque
Cândida Maria Ferreira da Silva
68

intenção do demônio é muitas vezes machucar a pessoa fisicamente e deixar o intercessor


nervoso.

Não tenha medo! Lembre- se que os demônios são mentirosos. Não lhes de muita conversa,
somente se o Espírito Santo lhe orientar para que você procure saber o porque da presença
dele na vida daquela pessoa, fora isso faça a oração e os ordene em Nome de Jesus que
deixem aquela pessoa, sem muita conversa e firula!
Você pode encontrar pessoas que possuam mais de um demônio, nesse caso a batalha pode
ser cansativa, pois eles costumam sair e outro se apresentar.

Vão ocorrer situações em que o processo de libertação de uma pessoa leva tempo, devido aos
pactos, relacionamentos, oferecimentos, demônios familiares, que aquela pessoa ou sua
família teve com as forças das trevas. Em casos assim, certamente Deus lhe orientará a oração
e jejum.

A pessoa deve renunciar todo tipo de pacto, relacionamento, desfazer-se de todo objeto,
imagens que serviam de devoção e contato com os demônios, que devem ser incinerados.
Ocorrem situações em que você poderá ser chamado para orar em casas, onde pessoas
possuíram contato com demônios. Nessas ocasiões novamente o jejum deverá ser observado e
se Deus assim lhe orientar você poderá ungir a casa com óleo santo.

Satanás vai tentar amedontrar você e a pessoa em processo de libertação, poderá lhe atacar
logo depois de um processo de libertação, mas, NÃO TENHA MEDO!

Caso tente lhe perturbar materializando-se, durante seus sonhos lhe afrontando, criando
confusão em casa, ou coisa parecida, Expulse-o em Nome de Jesus! NUNCA DÊ
CONFIANÇA AO DIABO SE IMPRESIONANDO COM SUAS ARTIMANHAS!

Não enfrente um processo de libertação sem estar preparado espiritualmente para tal, tenha
sua vida em submissão a Deus e não se envaideça nunca se achando o “bambambam” da
libertação, lembre-se É DEUS QUEM LIBERTA E DESFAZ AS OBRAS DO DIABO!

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
69

Lição 9
Fazendo um Retiro de Oração

“De madrugada, ainda bem escuro, Jesus levantou-se e foi a um lugar deserto e ali
orava”.
Mc. 1. 35

Um retiro de oração envolvendo a maior parte de um dia, um final de semana ou mesmo


vários proporciona um período extenso de comunhão com Deus. Pode ser um tempo que lhe
proporcionará avivamento, paz renovada, serenidade na alma em meio a pressão e um
entendimento claro da orientação e vontade de Deus para sua vida. Quando estamos para
tomar uma decisão importante e crucial em nossas vidas é sábio retirar-se para buscar a
resposta de Deus.

Jesus tinha seus períodos de retiro pessoal de oração. O mais notório deles foi antes de
começar seu ministério quando ficou no deserto por quarenta dias.

Qual o propósito de um retiro pessoal de oração?

• Avivamento;
• Poder espiritual;
• Orientação de Deus sobre algum assunto;
• Renovação das forças espirituais;
• Por uma necessidade urgente e importante;
• Para intercessão.

Preparando o seu retiro pessoal de oração

1. Procure um lugar onde possa orar sem ser perturbado;


2. Programe tempo em que possa ficar livre de pressões ou interrupções;
3. Reúna tudo o que precisa;
4. Informe alguém onde pode ser encontrado em caso de emergência
5. Comece o retiro tão descansado quanto o possível.

Programando o seu retiro

• Comece seu período de oração com Adoração e Louvor ao Senhor;


• Alimente-se da Palavra de Deus;
• Concentre sua oração nos interesses de Deus;
• Humilhe-se diante do Senhor;
• Firme-se nas promessas de Deus;
• Encerre seu retiro de oração novamente com Louvor, Adoração e ações de graças.

Você pode transformar esse retiro pessoal de oração numa vigília pessoal de oração. Usando a
mesma programação. Ela pode ser durante toda a madrugada, até a manhã ou parte da sua
madrugada. O importante é poder ficar a sós com o Senhor!

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
70

• Sua tarefa será programar um retiro pessoal de oração com seu Senhor, podendo ser
uma parte do dia ou noite. O importante que você tenha seu momento a sós com Deus.
Lição 10
Tipos de Oração

“Orai em todo o tempo com toda a oração e suplica no Espírito”.


Ef. 4.18ª

Há diversos tipos de orações e cada um deles seguem princípios claros. Há regras


estabelecidas na Palavra de Deus para esses diferentes tipos de orações. Podemos classificar
as orações em três níveis diferentes: Deus, nós e os outros. Em cada um desses há diferentes
tipos de oração.

 Deus como centro das nossas orações – são aquelas dirigidas a Deus que visam Deus
mesmo, o que Ele é, o que Ele faz e o que Ele tem feito.
 Ações de Graça – quando expressamos o nosso reconhecimento e
gratidão a Deus pelo que nos tem feito – Sl 100.4
 Louvor – é aquela em que louvamos a Deus por aquilo que Ele faz. É
reunir todos os feitos de Deus e expressá-lo em palavras, numa atitude
de gratidão – Sl 134. 1
 Adoração – é aquela que exalta Deus pelo que Ele é, reconhecendo
Deus pelo que Ele é, sua Natureza e Essência –Ap. 4.8,11

 Nós como centro das nossas orações – quando apresentamos a Deus as nossas
necessidades, alteração de alguma circunstancia em nossa vida.
 Petição/Suplica/Clamor – quando apresentamos a Deus um pedido
visando satisfazer uma necessidade pessoal, tendo como base uma
promessa de Deus –Mt. 21.22.
 Consagração ou Dedicação – é aquela em que nos submetemos a
Deus e a Sua Vontade. É uma oração feita quando a Vontade de Deus é
desconhecida, exige espera, consagração e inteira disposição de
conhecer e seguir a Vontade de Deus – Lc.22.42.
 Entrega – é quando transferimos um cuidado e uma inquietação a
Deus. Lançamos sobre Deus nosso cuidado e fardo, logo temos
descanso –Fl.4.6-7.

 Os outros como centro das nossas orações – quando apresentamos outras pessoas e
suas necessidades ao Senhor.
 Intercessão – como sacerdotes do Senhor apresentamos as
necessidades de outras pessoas perante a Deus.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
71

Lição 11
Aprendendo a orar com Jesus

“Disse – lhe um dos seus discípulos: Senhor, ensina-nos a orar”.


Lc. 11.1b

O ensino de Jesus sobre oração

A oração ocupou lugar central na vida de Jesus, como veremos em varias situações em seu
ministério. Jesus era um homem de oração, um intercessor e continua sendo. Jesus ensinou
sobre a oração aos seus discípulos e para as multidões.

• No sermão do monte (Mt 6. 5-8) - ele nos ensina sobre a humildade e discrição na
oração. Adverte-nos a orar a Deus em secreto, exatamente o oposto que faziam os
fariseus com sua religiosidade hipócrita, pois, desejavam serem glorificados por suas
orações pomposas e bonitas.

• O Nosso Senhor enfatiza que a oração é um relacionamento - e nos adverte a não


nos entregarmos ao formalismo das “vãs repetições”, tais como as rezas, pois não é
pela quantidade de palavras ditas a Deus que seremos ouvidos, mas, por nosso coração
quebrantado.

• Jesus ensina com a parábola do amigo inoportuno (Lc 11. 5. 13) - a necessidade de
perseverança na oração. “Por isso vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis;
batei, e abrir-se-vos-á”. A lógica de Jesus é maravilhosa, ou seja, não é o nosso muito
pedir que move a mão de Deus, mas, a Sua Bondade que se derrama sobre nós quando
diligentemente buscamos o seu Favor de Pai. Precisamos aprender a prevalecer em
oração, sendo firmes, constantes e determinados, não nos deixando abater por uma
aparente demora. Deus sempre nos ouve!

• Nos ensina, também, que devemos orar em seu nome - Sendo Ele o nosso
intercessor ao lado do Pai, garante para nós a resposta as nossas orações feitas por seu
intermédio. “E farei tudo o que pedirdes em meu nome, para que o Pai seja glorificado
no Filho. Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei”.Jo. 14. 13-14.

A Oração na Vida de Jesus

Como já dissemos a oração ocupou e ocupa o lugar central na vida e no ministério de Jesus.
Ao iniciar seu ministério Jesus tomou tempo a sós com Deus por quarenta dias no deserto
(Mt. 4. 1-11), em oração e Jejum.

Antes de escolher seus doze apóstolos passou toda uma noite em oração em um monte (Lc.
6.12-13). Essa era uma pratica comum em sua vida. Sempre se afastava de todos e passava a
noite em comunhão com o Pai em local retirado (Mt. 14.23 e Lc. 9.28). Em Marcos somos
Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque
Cândida Maria Ferreira da Silva
72

apresentados a um Jesus em intensa atividade ministerial, no verso 35, o evangelista nos


chama atenção que “de madrugada, ainda bem escuro, Jesus levantou-se e foi a um lugar
deserto e ali orava.”
Quando foi preso, no Getsêmane, pelos soldados romanos para ser levado ao Sumo sacerdote,
estava em intensa oração diante do Pai, como relata Lc. 22.39-46.

Os exemplos que Jesus nos deixa é muito claro:

• Ele teve um retiro de oração pessoal para iniciar seu ministério;


• Ele orou toda uma noite para decidir-se pelos apóstolos;
• Ele sempre buscava tempo a sós com Deus em meio as intensas atividades
ministeriais;
• Ele, no momento mais dramático de sua vida, estava em profunda oração submetendo-
se ao Pai.

• Observando os exemplos de Jesus em sua vida de oração, eu gostaria que você


refletisse sobre a sua vida de oração. Você tem dedicado tempo em buscar a Deus em
meio aos seus afazeres? Você, antes de tomar uma decisão importante em sua vida,
busca Deus em oração profunda e sincera? Você tem a pratica ou já praticou alguma
vez um retiro pessoal de oração? Nas horas de suas lutas mais intensas você procura
Deus em oração ou fica amuado em um canto murmurando?

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
73

Lição 12
A Oração Modelo

“Pai nosso que estás nos céus,


santificado seja o teu nome,
venha o teu reino, seja feita a vossa vontade,
assim na terra como nos céus.

O pão nosso de cada dia nos dá hoje.

Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos


aos nossos devedores.

Não nos deixes cair em tentação,


mas livra-nos do mal.

Porque teu é o reino e o poder, e a gloria, para sempre.

Amém”.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva
74

Esta apostila foi pesquisada e elaborada pela Pr(a). Cândida Maria Ferreira da Silva da PIB
de IV Marcos – MT.

Bibliografia utilizada para a pesquisa:

Curso de Maturidade no Espírito – Videira – Igreja em Células


DUEWEL, Wesley L. Toque o Mundo através da Oração – São Paulo. Ed. Candeia, 1966.
CHO, Paul Y. Oração a Chave do Avivamento – MG, Editora Betania, 1986.

Primeira Igreja Batista Central de Ricardo de Albuquerque


Cândida Maria Ferreira da Silva