Você está na página 1de 43
! ANÁLISE ECONÔMICO FINANCEIRA CADERNO DE EXERCÍCIOS Professor Fabiano Torres Junior www.ceavvirtual.com.br
!
ANÁLISE ECONÔMICO FINANCEIRA
CADERNO DE EXERCÍCIOS
Professor Fabiano Torres Junior
www.ceavvirtual.com.br
Página 1(
! 1. (SECAD TO) O exame detalhado das demonstrações financeiras e a crítica às suas
!
1.
(SECAD TO) O exame detalhado das demonstrações financeiras e a crítica às suas
respectivas contas, realizados pelo analista das demonstrações antes de iniciar seu trabalho,
são conhecidos por:
(A)
avaliação das demonstrações.
(B) análise prévia das demonstrações.
(C)
padronização das demonstrações.
(D) estudo prévio da empresa.
(E)
verificação da classificação das contas.
2.
(Petrobrás) A padronização das demonstrações financeiras consiste em:
(A)
realizar uma crítica às contas das demonstrações financeiras, bem como transcrever para
um modelo previamente definido;
(B)
realizar uma crítica às contas que sofrem ajustes no final do exercício, tais como:
imobilizações, Diferido, Investimentos e Resultados de Exercícios Futuros;
(C)
realizar uma avaliação prévia das contas de receitas e despesas, visando a verificar se o
lucro contábil corresponde ao lucro financeiro;
(D)
transferir as contas de depreciações acumuladas, amortizações e exaustões para o
Patrimônio Líquido como redutoras;
(E)
segregar as contas do Ativo Permanente em financeiras e operacionais.
3. (SEAD AM) MATARAZZO, Dante C., no seu livro Análise Financeira de Balanços: abordagem
básica e gerencial, no capítulo 5, apresenta um modelo de padronização das demonstrações
financeiras em que ele subdivide o Ativo e o Passivo Circulante em Operacional e Financeiro.
Considerando as características de tal modelo, analise as seguintes informações parciais, em
reais, do Balanço Patrimonial de uma determinada Companhia.
Ativo Circulante
Passivo Circulante
Caixa
100,00
Fornecedores
620,00
Aplicações Financeiras
800,00
Salários a Pagar
65,00
Duplicatas a Receber
1.500,00
Empréstimos
700,00
Bancários
Duplicatas
500,00
Descontadas
Realizada a padronização do Balanço, de acordo com o modelo acima, o Passivo Circulante
Financeiro, em reais, é de:
a) 685,00;
b) 700,00; c) 765,00; d) 1.200,00;
e) 1.265,00.
4.
(Transpetro 2011) Uma companhia está em fase de planejamento orçamentário. O lucro
operacional do período orçado foi definido em R$ 258.000,00. Como a margem operacional
projetada foi 7,50%, a receita projetada pela empresa, em reais, foi:
(A)
3.820.520,00
(B) 3.715.245,00
(C) 3.666.666,00
(D) 3.558.620,00
(E) 3.440.000,00
www.ceavvirtual.com.br
Página 2(
! 5. A Análise Horizontal da conta Estoques da CIA Organizada nos anos de 2000,
!
5. A Análise Horizontal da conta Estoques da CIA Organizada nos anos de 2000, 2001 e 2002
apresentou os seguintes números-índices:
Sabendo que o valor dos estoques em 2002 era de $ 340.000, em 2000 eles totalizavam:
(A)
$ 289.000;
(B) $ 391.000;
(C) $ 400.000;
(D) $ 449.650;
(E) $ 460.000.
6. (Casa da Moeda) A Fina Flor do Mato Verde S/A publicou os resultados abaixo.
Demonstração do Resultado dos Exercícios
2008
2007
Receita Líquida
287.929,00
256.809,00
Custo das Mercadorias Vendidas
(214.620,00)
(205.875,00)
Lucro Bruto
73.709,00
50.934,00
Receitas (Despesas) Operacionais
(16.632,00)
(12.566,00)
Gerais e Administrativas
(6.995,00)
(6.144,00)
Despesas Financeiras
(12.682,00)
(11.163,00)
Receitas Financeiras
3.045,00
4.741,00
Lucro Operacional
56.677,00
38.368,00
Outras Receitas
5.808,00
4.117,00
Lucro antes do IR e CSLL
62.485,00
42.485,00
IRPJ
(13.830,00)
(9.496,00)
CSLL
(5.100,00)
(3.461,00)
Participação de Empregados no
Resultado
(202,00)
(124,00)
Lucro do Exercício
43.353,00
29.404,00
LPA
1,2903
0,8751
Considerando exclusivamente a boa técnica da elaboração da análise horizontal, o lucro
operacional de 2008, em relação a 2007, apresentou uma variação percentual de
(A)
12,12
(B) 43,93
(C) 47,72
(D) 112,12
(E) 147,72
www.ceavvirtual.com.br
Página 3(
! 7. (BNDES 2009) A Cia. Manhattan S/A apresentou os seguintes demonstrativos, com valores em
!
7. (BNDES 2009) A Cia. Manhattan S/A apresentou os seguintes demonstrativos, com valores
em reais:
Contas
2006
2007
Receita Bruta
27.700.000,0
35.000.000,00
0
Deduções da Receita Bruta
(4.450.000,0
(5.700.000,00)
0)
Receita Líquida
23.250.000,0
29.300.000,00
0
CMV
(14.650.000,
(17.500.000,0
00)
0)
Lucro Bruto
8.600.000,00
11.800.000,00
Despesas de Vendas
(1.256.000,0
(2.630.000,00)
0)
Despesas Administrativas
(4.270.000,0
(5.960.000,00)
0)
Despesas Financeiras
(2.950.000,0
(3.200.000,00)
0)
Resultado Avaliado ao MEP
37.000,00
80.000,00
Lucro Operacional
161.000,00
90.000,00
Outras Despesas
(31.000,00)
(35.000,00)
LAIR
130.000,00
55.000,00
Provisão para IR/CSL
(32.500,00)
(13.750,00)
Lucro Líquido
97.500,00
41.250,00
Com base exclusivamente nos dados acima, o percentual de variação do lucro líquido
(análise horizontal) do exercício de 2007, em relação a 2006, foi:
(A) 42,31 (B) 36,36
(C) (53,64)
(D) (56,97)
(E) (57,69)
www.ceavvirtual.com.br
Página 4(
! 8. (BNDES 2009 - adaptada) A Cia. Patagônia S/A, ao realizar sua análise anual,
!
8. (BNDES 2009 - adaptada) A Cia. Patagônia S/A, ao realizar sua análise anual, apresentou
os seguintes demonstrativos de resultados, em reais:
Contas
2007
2008
Receita Bruta
1.435.109,00
834.049,00
Impostos s/ Vendas
-
254.524,00
- 149.117,00
=
Receita Líquida de Vendas
1.180.585,00
684.932,00
- CPV
- 946.378,00
- 552.724,00
=
Lucro Bruto
234.207,00
132.208,00
(-) Despesas Comerciais
- 25.403,00
- 33.153,00
(-) Despesas Administrativas
- 163.926,00
- 216.104,00
(-) Despesas Financeiras Líquidas
- 587.560,00
- 439.305,00
=
Resultado Operacional
- 542.682,00
- 556.354,00
Outras Receitas
17.740,00
0,00
=
Resultado Líquido antes do IR/CSLL
- 524.942,00
- 556.354,00
(-) Provisão IR/CSLL
0,00
0,00
=
Resultado Líquido do Exercício
- 524.942,00
- 556.354,00
Com base exclusivamente nos dados acima, o percentual de participação relativa do item de
Despesas Administrativas (análise vertical) do exercício de 2008 foi:
(A) 21,55
(B) 4,84
(C) (13,89)
(D) (25,91)
(E) (31,55)
www.ceavvirtual.com.br
Página 5(
! 9. (Casa da Moeda 2012) De acordo com as informações do Balanço Patrimonial acima,
!
9. (Casa da Moeda 2012)
De acordo com as informações do Balanço Patrimonial acima, qual o coeficiente de análise
vertical dos Investimentos de Curto Prazo?
(A) 22%
(B) 26%
(C) 41%
(D) 48%
(E) 54%
10. (CHESF 2012)
O Balanço Patrimonial apresentado demonstra que a origem dos recursos oriundos do capital
de terceiros corresponde ao valor, em reais, de
(A) 500.000,00
(B) 600.000,00
(C) 700.000,00
(D) 800.000,00
(E) 1.300.000,00
www.ceavvirtual.com.br
Página 6(
! 11. (BNDES - Adaptada) A Cia Gama apresentou o seguinte quadro parcial de análise
!
11. (BNDES - Adaptada) A Cia Gama apresentou o seguinte quadro parcial de análise vertical
e horizontal nos balanços:
ATIVO
2005
AV%
AH%
2006
AV%
AH%
AC Financeiro
346.500,00
2,31
100,0
315.000,00
1,51
0
AC Operacional
6.756.750,00
45,14
100,0
8.295.000,0
39,72
0
0
Duplicatas a Receber
2.887.500,00
19,29
100,0
4.200.000,0
20,11
0
0
Estoques
3.811.500,00
25,46
100,0
3.990.000,0
19,11
0
0
Despesas Antecipadas
57.750,00
0,39
100,0
105.000,00
0.50
0
Ativo Circulante
7.103.250,00
47,45
100,0
8.610.000,0
41,23
0
0
Realizável a longo
Prazo
693.000,00
4,63
100,0
1.035.300,0
4,96
0
0
Investimentos
2.887.500,00
19,30
100,0
3.172.050,0
15,19
0
0
Imobilizado Líquido
3.967.425,00
26,50
100,0
7.701.750,0
36,89
0
0
Intangível Líquido
317.625,00
2,12
100,0
361.200,00
1,73
0
Ativo não-circulante
7.865.550,00
52,54
100
12.270.300,
58,76
00
TOTAL
14.968.800,00
100,0
100,0
20.880.300,
100,0
0
0
00
0
PASSIVO
2005
AV
AH
2006
AV
PC Operacional
3.118.500,00
20,83
100,0
5.651.887,0
27,07
0
0
Fornecedores
1.790.250,00
11,96
100,0
3.150.000,0
15,09
0
0
Salários e encargos a
pagar
577.500,00
3,86
100,0
840.000,00
4,02
0
Impostos a pagar
577.500,00
3,86
100,0
1.260.000,0
6,03
0
0
Dividendos a pagar
173.250,00
1,15
100,0
401.887,00
1,93
0
PC Financeiro
924.000,00
6,17
100,0
1.050.000,0
5,03
0
0
Passivo Circulante
4.042.500,00
27,00
100,0
6.701.887,0
32,10
0
0
Passivo não-circulante
1.155.000,00
7,72
100,0
2.362.500,0
11,30
0
0
Capital
5.775.000,00
38,58
100,0
7.560.000,0
36,21
www.ceavvirtual.com.br
Página 7(
! ATIVO 2005 AV% AH% 2006 AV% AH% 0 0 Reserva de Capital 1.155.000,00 7,72
!
ATIVO
2005
AV%
AH%
2006
AV%
AH%
0
0
Reserva de Capital
1.155.000,00
7,72
100,0
1945.000,00
4,53
0
Reserva de Lucros
1.963.500,00
13,12
100,0
1.786.313,0
8,56
0
0
Lucros Acumulados
877.800,00
5,86
100,0
1.524.600,0
7,30
0
0
PL
9.771.300,00
65,28
100,0
11.815.913,
56,60
0
00
TOTAL
14.968.800,00
100,0
100,0
.20.880.300,
100,0
0
0
00
0
Após a elaboração da Análise Horizontal (última coluna), em qual componente desse mesmo
ativo verifica-se a maior variação positiva apurada em 2006 em relação a 2005?
(A)
Duplicatas a Receber;
(B) Despesas Antecipadas;
(C) Intangível Líquido; (D) Estoques;
(E)
Imobilizado Líquido.
12. (FINEP 2011) Ao analisar as Demonstrações Contábeis da Novela S/A, companhia de
capital fechado, o analista apurou um Índice de Liquidez Corrente de 1,60. Tal Índice é
apurado pela fórmula ILC = AC / PC, onde ILC = Índice de Liquidez Corrente; AC = Ativo
Circulante e PC = Passivo Circulante. Pela técnica da Análise pelo Avesso, o grau de liberdade
da empresa é
(A)
1,6 vezes o valor do Passivo Circulante
(B)
37,5% dos investimentos realizados no Ativo Circulante
(C)
60% das origens de recursos do Passivo Circulante
(D)
62,5% dos investimentos no Ativo Circulante
(E)
160% dos investimentos no Ativo Circulante
13. (FINEP 2011) Ao examinar o balanço patrimonial de uma empresa, no final do ano,
constatou-se que a razão (Ativo Permanente) / (Patrimônio Líquido + Dívidas de Longo Prazo)
era igual 1,7.
Esse fato indica que a empresa
(A)
está com problemas de liquidez imediata.
(B)
precisa reduzir seus custos para aumentar a lucratividade.
(C)
tem rentabilidade elevada em relação a seu patrimônio líquido.
(D)
tem dificuldades de obter financiamentos de curto prazo.
(E)
usa recursos de curto prazo para aplicar em ativos permanentes
www.ceavvirtual.com.br
Página 8(
! 14. (BNDES) Dados extraídos do balanço da Cia. Gama em 31.12.X0: ATIVO CIRCULANTE (R$)
!
14.
(BNDES) Dados extraídos do balanço da Cia. Gama em 31.12.X0:
ATIVO CIRCULANTE (R$)
Disponibilidades
20.000,00
Clientes
130.000,00
Estoque
90.000,00
240.000.00
ATIVO NÃO CIRCULANTE
Ativo Realizável a Longo Prazo
Empréstimos a Coligadas
42.000,00
Imobilizado
68.000,00
Intangível
10.000,00
78.000,00
TOTAL DO ATIVO
360.000,00
PASSIVO CIRCULANTE
Fornecedores
Outras Obrigações
80.000,00
70.000,00
150.000,00
PASSIVO NÃO-CIRCULANTE
Financiamento
85.000,00
PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital
Reservas
50.000,00
75.000,00
125.000,00
TOTAL DO PASSIVO
360.000,00
É correto afirmar que o índice de:
(A)
liquidez imediata é igual a 0,15;
(B)
liquidez geral é igual a 1,2;
(C)
liquidez corrente é igual a 1;
(D)
liquidez seca é igual a 1,6;
(E)
endividamento total é igual a 0,5.
15.
(BNDES) Observe os dados abaixo, relativos a 31.12.x0, da Companhia América.
1º) Índices:
Liquidez Corrente
Liquidez geral
Solvência Geral
1,80
1,60
3,00
2º) Valor do:
R$ 360.000,00
Ativo Circulante
Passivo Exigível
R$ 300.000,00
Com base nos dados acima, pode-se afirmar que o valor do passivo circulante da companhia
é
(A)
R$ 360.000,00;
(B) R$ 300.000,00;
(C) R$ 225.000,00;
(D) R$ 200.000,00; (E) R$
180.000,00.
16.
(BNDES - adaptada) Dados extraídos da análise das demonstrações contábeis elaboradas
pela Cia. Aço Forte S/A, em reais:
ÍNDICE
2005
2006
a) Participação de Capital de Terceiros:
610.825,00 =
847.310,00 =
PCT = Capital de Terceiros CT
Patrimônio Líquido - PL
0,1666
0,1998
3.665.000,00
4.240.000,00
www.ceavvirtual.com.br
Página 9(
! ÍNDICE 2005 2006 b) Composição do endividamento 420.825,00 = 530.310,00 = CE = Passivo
!
ÍNDICE
2005
2006
b)
Composição do endividamento
420.825,00 =
530.310,00 =
CE = Passivo Circulante PC
0,6889
0,6259
Capital de Terceiros - CT
610.825,00
847.310,00
c)
Imobilização do Patrimônio Líquido
3.550.000,00 =
4.051.390,00 =
IPL = Invest. + Imob. + Intang.
0,9686
0,9555
Patrimônio Líquido - PL
3.665.000,00
4.240.000,00
d)
Imobilização dos recursos não-correntes
3.550.000,00 =
4.051.390,00 =
IRNC = Invest. + Imob. + Intang.
Patrimônio Líquido + Passivo não-circulante
0,9209
0,8890
3.855.000,00
4.557.000,00
e)
Liquidez Corrente
725.825,00 =
1.035.920,00 =
LC = AC
PC
1,7248
1,9534
420.825,00
530.310,00
Com base nos dados acima, pode-se afirmar que o Capital Circulante Próprio da Companhia,
em 2006 em reais, foi:
(A)
125.610,00;
(B) 155.000,00;
(C) 188.610,00;
(D) 305.000,00;
(E) 317.000,00.
17.
(DCEA 2009) Se o índice de liquidez corrente da empresa é alto e o índice de liquidez seca
da mesma empresa é baixo, o principal aspecto que pode explicar esta situação é o fato de a
empresa ter
(A)
endividamento elevado.
(B)
liquidez geral muito baixa.
(C)
ciclo de caixa negativo.
(D)
estoques elevados.
(E)
alto grau de inadimplência.
18.
(BNDES 2011) Uma empresa, inicialmente com um indicador de liquidez corrente igual a
1, fez caixa adiando os pagamentos aos fornecedores. Sua dívida de curto prazo aumentou
de R$ 50.000,00, e seu caixa aumentou também de R$ 50.000,00. O novo valor do indicador
de liquidez corrente é
(A)
0,95
(B) 1,00 (C) 1,05 (D) 1,10
(E) 1,50
19.
(Transpetro 2011) Na revisão analítica, o auditor externo deve preparar pessoalmente, de
preferência, um papel de trabalho com as seguintes informações:
as e despesas em 20X1;
www.ceavvirtual.com.br
Página 10 (
! Preparados os papéis de trabalho, o auditor deve calcular os índices econômico-financeiros como parte
!
Preparados os papéis de trabalho, o auditor deve calcular os índices econômico-financeiros
como parte dos serviços de revisão analítica. A comparação dos índices da mesma empresa,
em vários exercícios sociais, ou com os índices de outras empresas, preferencialmente do
mesmo ramo e do mesmo porte, permite que o auditor avalie que contas apresentam
flutuações incomuns e que deverão ser alvo de uma análise mais detalhada. No decorrer de
uma revisão analítica, o auditor apurou o índice de capitais próprios, pela seguinte fórmula de
apuração:
O resultado apurado fornece ao auditor o índice da
(A)
parcela dos ativos de curto prazo financiados pelo patrimônio líquido em que um índice
baixo mostra um pequeno endividamento de curto prazo.
(B)
parcela dos ativos financiada por recursos próprios em que um índice baixo mostra que a
empresa está bastante endividada.
(C)
parcela dos ativos financiados por recursos de terceiros em que um índice baixo mostra
que a empresa está muito endividada a curto prazo.
(D)
participação do patrimônio líquido no financiamento dos ativos circulantes em que um
índice baixo indica um forte comprometimento desses ativos para liquidar os passivos
exigíveis, na data dos respectivos vencimentos.
(E)
participação dos capitais próprios no financiamento dos recursos aplicados no ativo:
investimento, imobilizado e intangível, em que um alto índice poderá evidenciar problemas
de caixa.
20. (BNDES 2011) Entre os indicadores econômico-financeiros abaixo, qual se relaciona à
rentabilidade da empresa?
(A)
Ativo circulante ÷ passivo circulante
(B)
Ativo permanente ÷ patrimônio líquido
(C)
Passivo circulante ÷ ativo total
(D)
Passivo exigível total ÷ ativo total
(E)
Lucro líquido no exercício ÷ ativo total médio
www.ceavvirtual.com.br
Página 11 (
! 21. (Petrobrás) Companhia WWW Balanço 31/12/2007 (em reais): Ativo Passivo Circulante Caixa e Bancos
!
21. (Petrobrás) Companhia WWW Balanço 31/12/2007 (em reais):
Ativo
Passivo
Circulante
Caixa e Bancos
Clientes
Circulante
600,00
Fornecedores
240,00
180,00
Financiamentos
200,00
Não-Circulante
Imobilizado
200,00
Não Circulante
Financiamentos
400,00
Clientes
300,00
Patrimônio Líquido
Capital Social
540,00
Ativo Total
1.280,0
Passivo Total
1.280,00
0
De acordo com o balanço apresentado acima e com o índice de liquidez corrente, qual é o
resultado da análise realizada em relação à capacidade da Companhia WWW de honrar seus
compromissos de curto prazo?
(A)
o índice de liquidez corrente será igual a R$ 1,77, o que significa dizer que, para cada R$
1,00 de obrigação no curto prazo, a empresa possui R$ 1,77 para cobertura dessa obrigação;
(B)
o índice de liquidez corrente será igual a R$ 0,56, o que significa dizer que, para cada R$
1,00 de obrigação no curto prazo, a empresa possui R$ 0,56 para cobertura dessa obrigação;
(C)
o índice de liquidez corrente será igual a R$ 1,52, o que significa dizer que, para cada R$
1,00 de obrigação no curto prazo, a empresa possui R$ 1,52 para cobertura dessa obrigação;
(D)
para cada R$ 0,52 de obrigação no curto prazo existe R$ 1,00 para cobertura, visto que o
índice de liquidez é R$ 1,52;
(E)
para cada R$ 0,77 de obrigação no curto prazo existe R$ 1,00 para cobertura, visto que o
índice de liquidez é R$ 1,77.
22. (Petrobras) A liquidez corrente de duas empresas, apurada em determinado exercício
social, em reais, foi:
Empresa A: 2,00
Empresa B: 3,00
No exercício social seguinte, ocorreram, nas mesmas empresas, as situações que se seguem:
Empresa A: comprou mercadorias a prazo, de 60 dias, para revenda;
Empresa B: pagou uma dívida de curto prazo, contraída no exercício anterior.
Considerando-se exclusivamente os dados acima, pode-se afirmar que a liquidez corrente,
apurada no exercício social seguinte, será:
a) mantida inalterada, nas duas empresas;
b) reduzida nas duas empresas;
c) reduzida na empresa A e aumentada na empresa B;
d) aumentada nas duas empresas;
e) aumentada na empresa A e reduzida na empresa B.
www.ceavvirtual.com.br
Página 12 (

Página 13 (

!

23. (Biocombustível 2010) Na análise das demonstrações contábeis da Companhia Ramos, de capital fechado, o analista apurou um índice de liquidez corrente igual a 1,25. Tal índice demonstra que o

(A)

passivo representa 25% do ativo total.

(B)

ativo total representa 125% do passivo.

(C)

grau de liberdade do ativo circulante é de 20%.

(D)

comprometimento do ativo total é de 20%.

(E)

endividamento de curto prazo representa 20% do ativo circulante.

(BR Distribuidora Contador 2008) Considere as informações a seguir para responder às questões de n os 24 e 25. Saldo das contas, retirado do Balanço Patrimonial/2007 da Companhia Amigos S/A:

Duplicatas a Receber

Duplicatas Descontadas

Fornecedores

Em reais

500.000,00

150.000,00

220.000,00

Empréstimos Bancários de Curto Prazo 80.000,00

Empréstimos Bancários de Longo Prazo100.000,00

Total do Passivo mais Patrimônio Líquido

800.000,00

24. Considerando, exclusivamente, os dados informados, o grau de dependência dos Bancos no financiamento dos investimentos totais, pelas instituições de crédito, é

(A) 22,50%;

(B) 41,25%;

(C) 43,75%;

(D) 50,00%

(E) 68,75%

25 .Considerando, exclusivamente, os dados informados, o nível de desconto de duplicatas é

(A) 18,75%;

(B) 23,08%;

(C) 30,00%;

(D) 42,86%

(E) 45,45%

www.ceavvirtual.com.br

! (FINEP 2011) A Companhia VXP S.A., de capital fechado, apresentou, em reais, as seguintes
!
(FINEP 2011) A Companhia VXP S.A., de capital fechado, apresentou, em reais, as seguintes
informações parciais referentes ao exercício social encerrado em 31/dezembro/2010:
26. Considerando-se exclusivamente as informações dadas, os princípios contábeis, a
legislação societária e a técnica de análise das demonstrações contábeis, a margem bruta da
Companhia, em percentual, é
(A)
11,39%
(B) 12,45%
(C) 25,61%
(D) 36,59%
(E) 40,00%
27. Considerando-se exclusivamente as informações recebidas, os princípios contábeis, a
legislação societária e a técnica de análise das demonstrações contábeis, a margem líquida
da Companhia, em percentual, é
(A)
10,77%
(B)
12,45%
(C)
25,61%
(D)
45,12%
(E)
56,75%
www.ceavvirtual.com.br
Página 14 (
! (FINEP 2011) Considere as informações a seguir para responder às questões de nos 28
!
(FINEP 2011) Considere as informações a seguir para responder às questões de nos 28 e 29.
A
Companhia JXX S.A. elaborou as seguintes demonstrações contábeis, em reais, relativas ao
exercício social encerrado em 31/dezembro/2010:
28. Considerando-se exclusivamente as informações apresentadas pela Companhia JXX S.A. e
boa técnica de análise das demonstrações contábeis, a taxa de retorno dessa Companhia
sobre o investimento, em percentual, é
a
(A)
4,60%
(B) 7,50%
(C) 8,28%
(D) 12,00%
(E) 29,62%
29. Considerando-se exclusivamente as informações apresentadas pela Companhia JXX S.A. e
boa técnica de análise das demonstrações contábeis, a taxa de retorno dessa Companhia
sobre o capital próprio, em percentual, é
a
(A)
4,60%
(B) 7,50%
(C) 11,50%
(D) 12,00%
(E) 13,80%
30. (Transpetro 2011) Informações de empresas do segmento da indústria têxtil:
www.ceavvirtual.com.br
Página 15 (
! 31. (Petrobras) A Companhia Neves S/A apresentou as seguintes informações, extraídas de um Balanço,
!
31. (Petrobras) A Companhia Neves S/A apresentou as seguintes informações, extraídas de
um Balanço, em reais:
Capital Circulante Líquido
Capital de Terceiros
R$
450,00
R$
1.000,00
Sabendo que na análise desse mesmo balanço a composição do endividamento é de 75%, o
índice de liquidez corrente, apurado, também, nesse balanço é:
(A)
2,22
(B) 1,60
(C) 1,25
(D) 0,55
(E) 0,45
32. (PETROBRAS) A Demonstração do Resultado do Exercício da Empresa Óleos &
Lubrificantes apresenta as seguintes contas e saldos, em reais:
Receitas de Vendas
45.000,00
Prejuízo na Venda de Bens do Imobilizado
3.200,00
ICMS sobre Vendas
7.500,00
Devolução de Vendas
1.100,00
Despesas com Vendas
2.800,00
Resultado Negativo de Equivalência Patrimonial
1.500,00
Provisão para Imposto de Renda
2.250,00
Despesas Financeiras
1.700,00
Custo das Mercadorias Vendidas
12.200,00
Com base nos dados apresentados, a Margem Operacional Líquida da empresa será, em reais,
de:
(A) 0,35
(B) 0,40
(C) 0,50
(D) 0,70
(E) 0,75
www.ceavvirtual.com.br
Página 16 (
! 33. (Petrobras 2010) Considerando exclusivamente as informações acima, a variação , em percentual, da
!
33.
(Petrobras 2010)
Considerando exclusivamente as informações acima, a variação , em percentual, da
composição do endividamento (perfil da dívida) em 2008, em relação a 2007, em
percentual, foi
(A)
12,50%
(B) (50,00%)
(C) (61,90%)
(D) 80,00%
(E) 130,77%
34.
(Petrobras 2011) Os índices de liquidez de uma empresa objetivam, fundamentalmente,
verificar a capacidade de a empresa honrar
seus compromissos. Se um analista pretende
verificar a
capacidade de liquidez de uma empresa no curto prazo, desconsiderando os estoques, ele
deverá analisar o(a)
(A)
grau de rotação dos estoques.
(B)
índice de liquidez seca.
(C)
índice de liquidez corrente ou comum.
(D)
prazo médio de recebimentos.
(E)
margem operacional líquida.
www.ceavvirtual.com.br
Página 17 (
! 35. (Casa da Moeda) A Fina Flor do Mato Verde S/A publicou os resultados
!
35. (Casa da Moeda) A Fina Flor do Mato Verde S/A publicou os resultados abaixo.
Demonstração do Resultado dos Exercícios
2008
2007
Receita Líquida
287.929,0
256.809,00
0
Custo das Mercadorias Vendidas
(214.620,0
(205.875,00)
0)
Lucro Bruto
73.709,00
50.934,00
Receitas (Despesas) Operacionais
(16.632,00
(12.566,00)
)
Gerais e Administrativas
(6.995,00)
(6.144,00)
Despesas Financeiras
(12.682,00
(11.163,00)
)
Receitas Financeiras
3.045,00
4.741,00
Lucro Operacional
56.677,00
38.368,00
Outras Receitas
5.808,00
4.117,00
Lucro antes do IR e CSLL
62.485,00
42.485,00
IRPJ
(13.830,00
(9.496,00)
)
CSLL
(5.100,00)
(3.461,00)
Participação de Empregados no
Resultado
(202,00)
(124,00)
Lucro do Exercício
43.353,00
29.404,00
LPA
1,2903
0,8751
Giro do Ativo
10
8
Considerando exclusivamente as informações recebidas da Companhia Fina Flor do Mato
Verde S/A, a rentabilidade do ativo em 2007, em percentuais, foi
(A) 91,6
(B) 104,4
(C) 119,5
(D) 151,0
(E) 158,7
www.ceavvirtual.com.br
Página 18 (
! 36. Extraíram-se das demonstrações contábeis da Cia. Monte Alegre os seguintes dados: Grupo de
!
36. Extraíram-se das demonstrações contábeis da Cia. Monte Alegre os seguintes dados:
Grupo de contas
Exercício 2004
Exercício 2005
Ativo Total
250.000,00
300.000,00
Passivo Circulante
75.000,00
110.000,00
Passivo não-circulante
35.000,00
60.000,00
Com base exclusivamente nesses dados, pode-se afirmar que a variação do índice de
Participação de Capital de Terceiros
foi:
(PCT), em relação ao capital próprio, entre 2004 e 2005,
(A) 78,57%
(B) 66,44%
(C) 50,00%
(D) 30,77%
(E) 25,73%
(BNDES 2009 Adaptada) Dados para responder às questões de nos 37 e 38
Balanço Patrimonial da Cia Alvorada S/A ( em reais)
ATIVO
2005
2006
Ativo Circulante
9.000.000,00
12.100.000,00
Caixa
500.000,00
400.000,00
Bancos
1.500.000,00
2.500.000,00
Duplicatas a Receber
3.000.000,00
4.200.000,00
Estoques
4.000.000,00
5.000.000,00
Ativo não-circulante
7.400.000,00
14.630.000,00
Realizável a Longo Prazo
400.000,00
230.000,00
Investimentos
2.500.000,00
5.000.000,00
Imobilizado
4.000.000,00
8.500.000,00
Intangível
500.000,00
900.000,00
Total do Ativo
16.400.000,00
26.730.000,00
PASSIVO
2005
2006
Circulante
6.500.000,00
8.000.000,00
Fornecedores
5.000.000,00
6.000.000,00
www.ceavvirtual.com.br
Página 19 (
! Contas a Pagar 1.500.000,00 2.000.000,00 Não-circulante 1.950.000,00 603.750,00 Empréstimos 1.500.000,00
!
Contas a Pagar
1.500.000,00
2.000.000,00
Não-circulante
1.950.000,00
603.750,00
Empréstimos
1.500.000,00
400.000,00
Repasses Externos
450.000,00
203.750,00
Patrimônio Líquido
7.950.000,00
18.126.750,00
Capital Social
Subscrito
6.000.000,00
9.000.000,00
A
realizar
(3.000.000,00)
(1.000.000,00)
Reserva de Capital
2.100.000,00
6.580.000,00
Reservas de Lucros
2.850.000,00
3.546.750,00
Total do Passivo
16.400.000,00
26.730.000,00
37.
Considerando exclusivamente os dados apresentados, o índice de liquidez seca da Cia.
Alvorada, em 2006, é
(A) 0,6612
(B) 0,7692
(C) 0,8875
(D) 1,3846
(E) 1,5125
38.
A relação entre capital de terceiros e capital próprio, no exercício de 2005 da Cia.
Alvorada, é
(A) 1,0629
(B) 1,0475
(C) 1,0263
(D) 0,8189
(E) 0,8176
39.
(FENIG) O que ocorrerá se uma empresa apresentar um índice de liquidez corrente igual
a
0,80?
(A) Não terá nenhuma dificuldade para honrar compromissos de curto prazo.
(B) Deverá providenciar, uma redução simultânea e do mesmo valor, no Ativo e no Passivo
Circulante.
(C) Estará praticamente falida.
(D) Em condições normais, não poderá pagar suas obrigações de curto prazo.
(E) Em condições normais, não poderá pagar suas dívidas de longo prazo.
www.ceavvirtual.com.br
Página 20 (

Página 21 (

40.

(TJ

RONDÔNIA

CESGRANRIO) A Empresa Planaltina S/A

apresentou

os

seguintes

demonstrativos de resultados:

2006

2007

Receita Bruta

14.500.000

24.200.000

Impostos s/faturamento

(1.380.000)

(2.310.000)

Receita Líquida

13.120.000

21.890.000

CMV

(7.170.000)

(11.840.000)

Lucro Bruto

5.950.000

10.050.000

Despesas com Vendas

(1.230.000)

(2.050.000)

Despesas Administrativas

(3.570.000)

(5.950.000)

Despesas Financeiras

(550.000)

(900.000)

Despesa de Depreciação

(215.000)

(360.000)

Despesa de Amortização

Variação Cambial

(65.000)

(31.000)

(110.000)

(55.000)

Resultado do MEP

43.000

70.000

Lucro Operacional

332.000

695.000

Outras Despesas

(178.000)

(32.000)

LAIR

154.000

663.000

Provisão para IR e CSL

(53.900)

(232.050)

Lucro Líquido

100.100

430.950

Com base nos dados acima, a margem líquida da empresa, apurada no exercício de 2007, é

(A) 1,78%;

(B) 1,85%;

(C) 1,96%;

(D) 3,52%;

(E) 4,28%

41. (CAPES) A Companhia Intergaláctica S/A apresentou os seguintes Balanços Patrimoniais,

em 2006 e 2007, respectivamente:

Valores em milhares de reais

ATIVO

2006

2007

ATIVO CIRCULANTE

126.000

186.000

REALIZÁVEL LONGO PRAZO.

14.000

64.000

ATIVO IMOBILIZADO

60.000

150.000

ATIVO TOTAL

200.000

400.000

PASSIVO

2006

2007

PASSIVO CIRCULANTE

50.000

90.000

PASSIVO NÃO-CIRCULANTE

20.000

10.000

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

130.000

300.000

TOTAL PASSIVO

200.000

400.000

Com base no balanço acima, pode-se afirmar que a Participação do Capital de Terceiros (PCT), tomado em relação ao patrimônio líquido, em 2006 e 2007, respectivamente, foi de (A) 35,00% e 25,00%; (B) 35,33% e 35,85%; (C) 53,33% e 35,33%; (D) 53,58% e 23,33%; (E) 53,85% e 33,33%.

www.ceavvirtual.com.br

Página 22 (

!

42. (Liquigas 2012) Na análise por quocientes das demonstrações financeiras, existem índices que servem para evidenciar o grau de endividamento da empresa em decorrência das origens de valores investidos no patrimônio. Esses índices utilizam as informações contidas no Balanço Patrimonial e são conhecidos por quocientes de

(A)

estrutura de capitais

(B)

liquidez

(C)

solvência

(D)

rentabilidade

(E)

ativos

43. (Petrobras) Foram extraídos, da análise de demonstrações contábeis da Cia. Brasília, os seguintes dados:

Índices

2004

2005

Liquidez Geral

1,18

0,88

Liquidez Corrente

1,46

1,61

Com base exclusivamente nessas informações, pode-se afirmar que a Empresa está:

a) melhorando o perfil de Liquidez Geral entre 2004 e 2005.

b) dependendo de geração futura de recursos para liquidar suas dívidas totais, em 2005.

c) dependendo de geração futura de recursos para liquidar suas dívidas de curto prazo, em 2005.

d) comprometida com dívidas, destinando metade do capital total da empresa para liquidar suas

dívidas, em 2005.

e) impossibilitada de pagar suas dívidas de curto ou de longo prazo, em 2005, sem utilizar

empréstimos de curto prazo.

www.ceavvirtual.com.br

! 44. (ANP Analista Contábil- CESGRANRIO) Dados extraídos do balanço de dezembro de 2003 da
!
44. (ANP Analista Contábil- CESGRANRIO) Dados extraídos do balanço de dezembro de 2003
da Cia. Montreal, em reais:
Ativo Circulante
264,00
Disponibilidades
140,00
Clientes
102,00
Estoques
22,00
Passivo Circulante
200,00
Fornecedores
80,00
Contas a Pagar
55,00
Empréstimos Bancários
65,00
Com base apenas nestas informações, sabendo-se que a empresa não possui valores no
Realizável de Longo Prazo e que o índice de liquidez seca é 10% melhor do que o índice de
liquidez geral, o valor do Passivo Não-circulante da Cia. Montreal, em reais, é de:
(A)20,00;
(B) 40,00;
(C) 43,00;
(D) 51,00;
(E) 64,00.
45. (REFAP 2007) A Cia. DELTA S/A apresentou, em 31.12.2006, os seguintes demonstrativos
contábeis:
Balanço Patrimonial
Demonstração do Resultado do Exercício
Ativo
Receita Líquida
600.000,00
Ativo Circulante
70.000,00
CMV
(450.000,00)
Realizável LP
10.000,00
Lucro Bruto
150.000,00
Ativo Imobilizado
120.000,00
Despesas
(130.000,00)
Total do Ativo
200.000,00
Lucro Operacional
20.000,00
Passivo
Provisão para IR
(5.000,00)
Passivo Circulante
50.000,00
Lucro Líquido
15.000,00
PNC
10.000,00
Patrimônio Líquido 140.000,00
Total do Passivo
200.000,00
www.ceavvirtual.com.br
Página 23 (
! Com base nos dados acima, a rentabilidade do ativo da empresa será de: (A)
!
Com base nos dados acima, a rentabilidade do ativo da empresa será de:
(A) 75,00%
(B) 21,43%
(C) 12,50%
(D) 10,71%
(E) 7,50%
46. (MP-RO Analista Contábil 2005 CESGRANRIO) A Cia. Sobral apresentou a seguinte
estrutura patrimonial, em reais, em 31/12/2004:
Ativo
Passivo
AC
PC
5.000
5.500
ARLP
PNC
2.000
1.500
Inv+Imob+Int.
PL
1.000
1.000
Total
Total
8.000
8.000
O pagamento de fornecedores com cheque no valor de R$ 500,00:
(A)
não modifica os índices de liquidez corrente e geral.
(B)
melhora o índice de liquidez corrente, mas não altera o índice de liquidez geral.
(C)
melhora os índices de liquidez corrente e geral.
(D)
piora os índices de liquidez corrente e geral.
(E)
piora o índice de liquidez corrente, mas não altera o índice de liquidez geral.
www.ceavvirtual.com.br
Página 24 (
! 47. (Liquigas 2012) Uma sociedade anônima elaborou o seguinte balanço patrimonial sintético, referente ao
!
47.
(Liquigas 2012) Uma sociedade anônima elaborou o seguinte balanço patrimonial
sintético, referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011:
Considerando exclusivamente as contas e os valores evidenciados no balanço acima, o
Capital Circulante Próprio, denominado por alguns autores Capital de Giro Próprio, dessa
sociedade anônima, em 31 de dezembro de 2011, é
(A)
R$ 1.000,00 (B) R$ 2.000,00 (C) R$ 3.000,00 (D) R$ 4.500,00 (E) R$ 7.500,00
48.
(Liquigas 2012)
Por meio da fórmula acima, é obtido o quociente de Imobilização do Patrimônio Líquido, ou
seja, a parcela do Patrimônio Líquido utilizada para financiar o Ativo Fixo. Qual dos índices
abaixo indica o melhor resultado para a empresa?
(A)
0,57
(B) 0,85 (C) 1,0
(D) 1,35
(E) 2,0
49.
(Liquigas 2012) A fórmula abaixo expressa um quociente que, quanto maior for seu valor,
melhor será para a empresa.
Esse quociente permite às empresas e às instituições financeiras interessadas conhecer a(o)
(A)
Liquidez Imediata
(B)
Margem Líquida
(C)
Rentabilidade do Ativo
(D)
Rentabilidade do Patrimônio Líquido
(E)
Giro do Ativo
www.ceavvirtual.com.br
Página 25 (

Página 26 (

!

50. Demonstrações Contábeis de uma Companhia Aberta.

Receita Líquida de Vendas

R$ 625.000,00

Custo das Mercadorias Vendidas

R$ 300.000,00

Lucro Líquido do Exercício

R$ 120.000,00

Patrimônio Líquido

R$ 800.000,00

Estoque Médio do Exercício

R$ 125.000,00

Dados adicionais:

Número de ações da Companhia (todas ordinárias)

600.000

Preço da ação da Companhia no encerramento exercício

R$ 0,80

O prazo médio de renovação de estoques (considere o ano comercial de 360 dias) e a margem bruta sobre vendas são, respectivamente,

(A)

150 dias e 52%.

(B) 180 dias e 45%.

(C) 165 dias e 48,5%.

(D) 120 dias e 56%.

(E)

210 dias e 42%.

51 . (MPE-RO) Foram calculados os índices de atividade de determinada empresa e encontramos os seguintes prazos médios:

* Prazo Médio de Renovação de Estoques

36 dias

* Prazo Médio de Pagamento de Compras

45 dias

* Prazo Médio de Recebimento de Vendas

13 dias

Pode-se afirmar que esta empresa apresenta um ciclo operacional e financeiro,

respectivamente:

(A)

4 dias / negativo de 32 dias;

(B)

4 dias / positivo de 32 dias;

(C)

4 dias / positivo de 4 dias;

(D)

49 dias / positivo de 4 dias;

(E)

49 dias / negativo de 4 dias.

52. (BNDES) O prazo médio de renovação de estoques pode ser descrito como:

(A) o tempo necessário para aumento da capacidade produtiva em períodos de expansão

econômica;

(B) o prazo durante o qual pode-se continuar vendendo sem adicionar novas unidades ao

estoque;

(C)

a relação entre a tecnologia de produção e o ciclo de vida dos produtos;

(D)

o tempo médio entre o pedido de compra e o recebimento de novas mercadorias;

(E)

a velocidade de renovação dos estoques proporcionada pelo crescimento da produtividade

marginal do capital.

www.ceavvirtual.com.br

! Para responder as questões 53 a 55, considere somente as seguintes informações: A Cia
!
Para responder as questões 53 a 55, considere somente as seguintes informações:
A
Cia Vila Isabel possui os seguintes saldos contábeis ao final de um exercício, com valores
em reais:
Itens
Valores em R$
Contas a Receber
24.000
Vendas do Período
360.000
Estoques
17.500
Custo
dos
Produtos
252.000
Vendidos
Fornecedores
24.000
Compras do Período
288.000
53.
O prazo médio de Rotação dos Estoques é:
(A) 10 dias;
(B) 14 dias;
(C) 19 dias;
(D) 20 dias;
(E) 25 dias.
54.
O prazo médio de Recebimento das Vendas é:
(A)
19 dias;
(B) 22 dias;
(C) 24 dias;
(D) 26 dias;
(E)
28 dias.
55.
O prazo médio de Pagamento de Compras é:
(A)
25 dias;
(B) 27 dias;
(C) 28 dias;
(D) 30 dias;
(E)
35 dias.
56 (FINEP 2011) . O analista avalia a Posição Relativa dos índices de atividade pela seguinte
fórmula:
Onde:
PMRE = Prazo Médio de Renovação do Estoque
PMRV = Prazo Médio de Recebimento de Vendas
PMPC = Prazo Médio de Pagamento de Compras
A
análise da posição relativa da Empresa FRZ S.A. apurou os seguintes dados:
s de atividade = 0,75;
Considerando-se exclusivamente as informações recebidas acima, verifica-se que na Empresa
FRZ S.A. a(o)
(A)
espera para receber as vendas é de 40 dias.
(B)
necessidade para obter capital de giro é de 20 dias.
(C)
folga financeira existente é de 60 dias.
(D)
ciclo operacional é de 80 dias.
(E)
estoque é vendido em 40 dias.
www.ceavvirtual.com.br
Página 27 (
! 57. (BNDES 2011) Uma empresa vende produtos sob encomenda, com prazo médio de recebimento
!
57. (BNDES 2011) Uma empresa vende produtos sob encomenda, com prazo médio de
recebimento de 60 dias após a entrega na fábrica do comprador. A empresa paga a seus
fornecedores com prazo médio de 30 dias após receber a matéria prima. Em consequência,
sua necessidade de capital de giro é elevada. Para reduzi-la, a empresa poderia adotar várias
providências, entre as quais NÃO se inclui a diminuição do(s)
(A)
endividamento de longo prazo na sua estrutura de capital
(B)
prazo médio de estocagem de matérias-primas
(C)
prazo médio de processamento das matérias-primas na fabricação dos produtos
(D)
tempo médio de transporte dos produtos até o comprador
(E)
adiantamentos pagos a alguns de seus fornecedores
58. (BNDES) Dados extraídos das demonstrações Contábeis da Cia. Omega S/A.
Em reais
Contas
2005
2006
Caixa
25.000,0
45.000,00
0
Bancos
105.000,
155.000,00
00
Duplicatas a Receber
150.000,
310.000,00
00
Estoques
200.000,
350.000,00
00
Ativo Circulante
480.000,
860.000,00
00
Empréstimos a Pagar
75.000,0
100.000,00
0
Fornecedores
160.000,
200.000,00
00
Obrigações tributárias
62.500,0
100.000,00
0
Obrigações sociais
82.500,0
100.000,00
0
Passivo Circulante
380.000,
500.000,00
00
Com base nos dados acima, pode-se afirmar que a variação de Necessidade de Capital de
Giro NCG entre 2005 e 2006 alcançou, em reais, o montante de
(A)
45.000,00;
(B) 95.000,00;
(C) 215.000,00;
(D) 260.000,00;
(E) 130.000,00
www.ceavvirtual.com.br
Página 28 (
! 59. Na análise da Necessidade de Capital de Giro resultado de crescimento: a) igual
!
59.
Na análise da Necessidade de Capital de Giro
resultado de crescimento:
a) igual do CCL em relação à NCG.
b) maior do CCL em relação à NCG
c) superior da NCG em relação ao CCL
d) maior do índice de Liquidez Corrente em relação ao Índice de Liquidez Geral
e) maior do índice de Liquidez Imediata em relação ao Índice de Liquidez Corrente.
(BNDES 2004) Observe o Balanço Patrimonial a seguir, com valores em reais.
BALANÇO PATRIMONIAL
Ativo
Passivo
Circulante
890.000,00
Circulante
700.000,00
Disponível
36.000,00
Fornecedores
450.000,00
Aplicações Financeiras
110.000,00
Impostos a Pagar
130.000,00
Duplicatas a Receber
464.000,00
Empréstimos
70.000,00
Bancários
Estoques
280.000,00
Salários e
50.000,00
Comissões
Não Circulante
460.000,00
Não Circulante
110.000,00
Realizável a Longo
Prazo
120.000,00
Duplicatas a Pagar
60.000,00
Duplicatas a Receber
100.000,00
Empréstimos
50.000,00
Empréstimos a
Diretoria
20.000,00
Patrimônio Líquido
540.000,00
Investimentos
80.000,00
Capital
280.000,00
Imobilizado
250.000,00
Reservas de Capital
140.000,00
Intangível
10.000,00
Reservas de Lucros
120.000,00
Total do Ativo
1.350.000,00
Total do Passivo
1.350.000,00
60. O valor do Capital Circulante Líquido, em reais, é de:
(A) 146.000,00
(B) 190.000,00
(C) 200.000,00
(D) 280.000,00
(E) 540.000,00
61.
(CHESF 2012) A Análise Dinâmica do Capital de Giro apresenta uma nova classificação
gerencial para as contas de ativo e passivo circulante, considerada essencial no processo de
avaliação das necessidades de capital de giro. Nessa nova classificação, está o Ativo
Circulante Cíclico, que é composto pelas(os)
(A) obrigações de curto prazo da empresa ligadas ao custo financeiro da empresa.
(B) obrigações de longo prazo da empresa relacionadas com os investimentos.
(C) direitos relacionados com o custo operacional da empresa e influenciados pela produção
de bens e/ou serviços.
(D) bens diretamente identificáveis no ciclo operacional.
(E) bens e direitos relacionados às atividades operacionais da empresa, que são influenciados
pelo volume de negócios.
www.ceavvirtual.com.br
Página 29 (
! 62. (CHESF 2012) O EBITDA é extraído da Demonstração do Resultado do Exercício e,
!
62. (CHESF 2012) O EBITDA é extraído da Demonstração do Resultado do Exercício e, a rigor,
é
um(a)
(A)
índice de rentabilidade utilizado para medir a capacidade de pagamento da entidade.
(B)
levantamento de informações a respeito do endividamento da entidade.
(C)
parâmetro informativo sobre o movimento da receita e do custo da entidade em
determinado período.
(D)
relatório que concentra a análise das atividades operacionais e não operacionais da
entidade.
(E)
medida utilizada como aproximação do caixa gerado pela atividade operacional da
entidade.
63. (BNDES 2011) Em determinada empresa mineradora, o Lucro Antes de Juros, Impostos,
Depreciação e Amortização (LAJIDA) aumentou 18% de um exercício para o seguinte.
O
melhor desempenho do LAJIDA pode ter sido causado por diversos fatores, entre eles um(a)
(A)
aumento da alavancagem financeira da empresa
(B)
aumento da dívida com os fornecedores
(C)
redução do custo de transporte do produto
(D)
redução de imposto de renda sobre o lucro da empresa
(E)
redução dos juros pagos pela empresa
64. (BR Distribuidora 2010)
www.ceavvirtual.com.br
Página 30 (
! 65. (BNDES 2005) Com base nos dados abaixo calcule o grau de alavancagem financeira
!
65. (BNDES 2005) Com base nos dados abaixo calcule o grau de alavancagem financeira da
Empresa XXX.
(A)
2,20;
(B) 1,25;
(C) 0,45;
(D) 0,80;
(E) 1,00.
66. (Petrobras 2011) A Cia. Planaltina S/A apresentou as seguintes demonstrações contábeis
em 31/12/2009:
Sabendo-se que a empresa utiliza a alavancagem financeira como ferramenta de avaliação do
desempenho operacional e desconsiderando-se qualquer efeito inflacionário na avaliação, o
Grau de Alavancagem Financeira (GAF) da empresa no exercício foi de
(A)
1,55
(B) 1,49
(C) 1,38
(D) 1,13
(E) 1,10
www.ceavvirtual.com.br
Página 31 (

Página 32 (

!

67. (CHESF 2010) Com base no conceito de alavancagem que se origina na relação entre o

capital de terceiros e o capital próprio, uma empresa que tenha 70% de seu passivo oriundo

de terceiros é considerada

(A) com alavancagem combinada

(B) com alavancagem operacional

(C) com alavancagem financeira

(D) sem alavancagem operacional

(E) sem alavancagem financeira

68. (DNPM) No encerramento do exercício social, a Alvorecer S/A, empresa de capital aberto,

apresentou as seguintes informações extraídas de suas demonstrações financeiras, em reais,

elaboradas no aludido exercício social:

Capital

R$

150.000,00

Patrimônio Líquido

R$

240.000,00

Lucro Líquido do Exercício

R$

27.000,00

Dividendos propostos

R$

13.500,00

Informações adicionais:

- a Companhia só emitiu ações ordinárias;

- valor Nominal das ações, na data das demonstrações: R$ 10,00;

- cotação das ações na Bolsa, na data do Balanço: R$ 12,00.

Considerando as informações recebidas, a rentabilidade da ação da Companhia na data do

Balanço era de:

(A) 9,38% (B) 11,25% (C) 15% (D) 18% (E) 20%

(BR Distribuidora Contador 2008) Considere as informações a seguir para responder às questões de n os 69 a 71. A Companhia Irmãos Flores S/A apresentou as seguintes informações relativas ao exercício social encerrado em 31.12.2007:

Em reais

Capital Social Realizado Patrimônio Líquido Lucro Líquido do Exercício Ações Ordinárias Ações Preferenciais Dividendos Propostos Cotação Média das Ações

Lucro Líquido do Exercício Ações Ordinárias Ações Preferenciais Dividendos Propostos Cotação Média das Ações
Lucro Líquido do Exercício Ações Ordinárias Ações Preferenciais Dividendos Propostos Cotação Média das Ações
Lucro Líquido do Exercício Ações Ordinárias Ações Preferenciais Dividendos Propostos Cotação Média das Ações
Lucro Líquido do Exercício Ações Ordinárias Ações Preferenciais Dividendos Propostos Cotação Média das Ações
Lucro Líquido do Exercício Ações Ordinárias Ações Preferenciais Dividendos Propostos Cotação Média das Ações
Lucro Líquido do Exercício Ações Ordinárias Ações Preferenciais Dividendos Propostos Cotação Média das Ações

8.000.000,00

10.800.000,00

1.600.000,00

600.000

400.000

480.000,00

6,40

69. Considerando, exclusivamente, as informações recebidas, a representatividade de cada

ação (valor patrimonial), em reais, é

(A) 1,60;

(B)

8,00;

(C) 10,80;

(D) 18,00;

(E) 27,00.

70. Admita que o lucro por ação, apurado em 2007, seja mantido por vários exercícios.

Considerando tal condição (manutenção do lucro por ação), quantos anos serão necessários

para que o investidor tenha o retorno do capital aplicado na Companhia?

(A) 4;

(B) 5;

(C)

6;

(D) 8;

(E) 10.

www.ceavvirtual.com.br

! 71. O retorno de caixa a ser efetivamente embolsado pelo percentual, acionista, referente a
!
71.
O retorno de caixa a ser efetivamente embolsado pelo
percentual,
acionista, referente a 2007, em
é:
(A)
4,80%;
(B) 6,00%;
(C) 6,40%
(D) 7,50%;
(E) 20,00%.
72.
(CESGRANRIO 2006 EPE - Contador) A empresa Candelária realizou a seguinte
operação em 2004:
Investimento
R$ 100.000,00
Financiado por recursos próprios
60 %
Expectativa de retorno 15 % a.a.
Financiado por Bancos 40 %
Taxa líquida de juros (deduzido o
benefício fiscal) 10 % a.a.
Resultado Operacional Líquido
R$ 75.000,00
Com base nos dados apresentados, o Valor Econômico Agregado (EVA) na operação, em
Reais, foi de:
a) 50.000,00;
b) 55.000,00;
c) 62.000,00;
d) 66.000,00;
e) 71.000,00.
73.
(BNDES) Um empresário possui um capital de R$ 800.000,00 e pretende abrir uma loja de
componentes de áudio e vídeo. Analisando essa alternativa, verificou que precisará investir
60% desse capital em ativo fixo e o restante, em financiamento do capital de giro, projetando
para o final de 1(ano) ano uma Receita Líquida de R$ 2.000.000,00, custos totais (fixos +
variáveis) de R$ 750.000,00, despesas administrativas de R$1.000.000,00 e a incidência da
alíquota de 25%, a título de Imposto de Renda. Considerando-se um custo de oportunidade
de 22,5% líquidos ao ano, o resultado real que o empresário deverá obter nesse ano, em
reais, será
(A)
2.500,00
(B) 7.500,00
(C) 62.500,00
(D) 180.000,00
(E) 187.500,00
74.
(Liquigas 2012) Uma sociedade anônima apresentou as seguintes informações parciais
extraídas de suas demonstrações contábeis elaboradas em 31 de dezembro de 2011:
www.ceavvirtual.com.br
Página 33 (

Página 34 (

Outras informações:

!

Considerando única e exclusivamente as informações recebidas, o valor econômico agregado da sociedade, apurado em 2011, em reais, é

(A) 192,00

(B) 291,60

(C) 360,00

(D) 528,00

(E) 552,00

75. (BNDES 2011) Vários acontecimentos certamente aumentam o Valor Econômico Agregado (EVA) para os acionistas de uma empresa. Entre eles a(o)

(A) empresa pagar dividendos maiores.

(B) empresa pagar dividendos mais frequentemente.

(C) receita de vendas aumentar.

(D) custo de oportunidade de aplicação do capital próprio da empresa diminuir.

(E) lucro líquido da empresa diminuir.

www.ceavvirtual.com.br

! Questões Discursivas 1. (BNDES 2009) em reais. Dados apresentados pelas empresas ALFA e BETA
!
Questões Discursivas
1. (BNDES 2009)
em reais.
Dados apresentados pelas empresas ALFA e BETA referentes a 31/12/08,
Desconsiderando a ocorrência de inflação e a incidência de imposto de renda e CSSL, e
considerando exclusivamente as informações acima, indique o grau de alavancagem
financeira das empresas, demonstrando os cálculos realizados, explicando a razão dos
resultados encontrados.
2. (BNDES 2004) A Empresa SGM Ltda. apresenta um Ativo Total no valor de R$ 40.000,00 e
quer aumentar sua Taxa de Retorno sobre o Ativo. Assim, optou por aumentar a margem de
lucro e diminuir as despesas fixas e variáveis por unidade, mantendo o giro do Ativo,
conforme as demonstrações apresentadas, em reais, no quadro abaixo.
www.ceavvirtual.com.br
Página 35 (
! Calcule o Giro do Ativo, a Margem de Lucro e o Retorno sobre o
!
Calcule o Giro do Ativo, a Margem de Lucro e o Retorno sobre o Ativo da situação atual e da
projeção e demonstre qual deverá ser o valor da despesa variável unitária para aumentar em
5 (cinco) pontos percentuais a Taxa de Retorno do Ativo.
3. (BNDES 2004 - Adaptada) Considerando o Balanço Patrimonial apresentado a seguir,
demonstre e analise, em relação aos anos de 2001, 2002 e 2003, a Necessidade de Capital de
Giro, o Saldo de Tesouraria e o Capital de Giro Líquido dessa empresa.
ATIVO
2003
2002
2001
CIRCULANTE
1250
520
700
Disponibilidade
55
80
60
Clientes
874
320
500
Estoques
321
120
140
NÃO CIRCULANTE
1020
970
1100
Realizável a LP
120
100
130
Investimentos
534
450
550
Imobilizado
280
310
300
Intangível
86
110
120
TOTAL
2270
1490
1800
PASSIVO
2003
2002
2001
CIRCULANTE
970
520
610
Fornecedores
400
100
210
Empréstimos Bancários
300
200
220
Salários a Pagar
108
120
100
Impostos a Recolher
162
100
80
NÃO CIRCULANTE
200
100
130
www.ceavvirtual.com.br
Página 36 (
! Empréstimos LP 200 100 130 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 1100 870 1060 Capital Social 1000 800
!
Empréstimos LP
200
100
130
PATRIMÔNIO LÍQUIDO
1100
870
1060
Capital Social
1000
800
1000
Reservas
100
70
60
TOTAL
2270
1490
1800
4. (BNDES 2012) Dados extraídos da contabilidade da Cia. Missisipi S/A em 31/12/2010:
Ativo total
R$ 20.000.000,00
Capital próprio
R$
15.000.000,00
Capital de terceiros
R$
5.000.000,00
Lucro operacional líquido
R$
2.250.000,00
Custo do capital de terceiros
12% ao ano
Expectativa de retorno dos acionistas
10% ao ano
Considerando exclusivamente as informações acima,
a)
explique as formas que podem ser usadas para desenvolver o cálculo do valor econômico
agregado.
b)
calcule o Valor Econômico Agregado (VEA) da empresa no exercício de 2010, identificando
a forma adotada.
(A resposta deve ser desenvolvida com demonstração dos cálculos.)
www.ceavvirtual.com.br
Página 37 (
! Gabarito 01 C 02 A 03 D 04 E 05 C 06 C 07
!
Gabarito
01
C
02
A
03
D
04
E
05
C
06
C
07
E
08
E
09
A
10
C
11
E
12
B
13
E
14
B
15
D
16
C
17
D
18
B
19
B
20
E
21
A
22
C
23
C
24
B
25
C
26
E
27
B
28
A
29
E
30
D
31
B
32
C
33
A
34
B
35
A
36
B
37
C
38
A
39
D
40
C
41
E
42
A
43
C
44
B
45
E
46
E
48
A
49
B
50
A
51
D
52
B
53
E
54
C
55
D
56
A
57
A
58
C
59
C
60
B
61
E
62
E
63
C
64
C
65
B
66
D
67
C
68
C
69
C
70
A
71
D
72
C
73
B
74
C
75
D
Padrão de resposta questões discursivas
Questão 1:
a) Demonstração dos cálculos
Empresa Alfa
Retorno do Ativo:
60.000,00
x
100 = 20%
300.000,00
Retorno do PL:
60.000,00
x 100 = 20,00 %
300.000,00
www.ceavvirtual.com.br
Página 38 (
! Empresa Beta Retorno do Ativo: 60.000,00 x 100 = 20,00 % 300.000,00 Custo da
!
Empresa Beta
Retorno do Ativo:
60.000,00 x 100 = 20,00 %
300.000,00
Custo da Dívida:
10.000,00 x 100 = 10,00 %
100.000,00
Retorno do PL:
50.000,00
x 100
= 25,00 %
200.000,00
Grau de Alavancagem Financeira (GAF):
ALFA: 20%
=
1
20%
BETA:
25% = 1,25
20%
www.ceavvirtual.com.br
Página 39 (
! Comentários: - ALFA não possui Alavancagem Financeira por dois motivos: * não possui capital
!
Comentários:
- ALFA não possui Alavancagem Financeira por dois motivos:
*
não possui capital de terceiros;
* a taxa de retorno do Ativo é igual à do retorno do Patrimônio Líquido.
-
BETA possui Alavancagem Financeira porque o Retorno do Ativo é maior que o Custo da
Dívida.
Questão 2:
G
= Giro do Ativo
M
= Margem de Lucro
Ra = Retorno do Ativo
Situação atual
G
= Vendas / Ativo = 48.000 / 40.000 = 1,2
M
= Lucro Líquido / Vendas = 10.800 / 48.000 = 22,50%
Ra = G x M = 1,2 x 22,50% = 27%
Projeção
G
= Vendas / Ativo = 48.000 / 40.000 = 1,2
Ra = G x M
32% (27% + 5%) = 1,2 x M
M
= 32% / 1,2
M
= 26,67%
26,67% = Lucro Líquido / Vendas
26,67% = LL / 48.000
LL = 26,67% x 48.000
LL = 12.801,60
www.ceavvirtual.com.br
Página 40 (
! Logo, a Despesa Variável Unitária será: 26.898,40 / 4.800 unid. = 5,60 Questão 3:
!
Logo, a Despesa Variável Unitária será: 26.898,40 / 4.800 unid. = 5,60
Questão 3:
NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO
PADRÃO DE ANÁLISE
-
ACO > PCO = Há necessidade de giro para o qual a empresa deve encontrar fontes
adequadas de financiamento.
ACO = PCP = A necessidade de Capital de Giro é igual a zero e, portanto, a empresa não
tem necessidade de financiamento para o giro.
-
-
ACO < PCO = A empresa tem mais financiamentos operacionais do que investimentos
operacionais. Sobram recursos das atividades operacionais, os quais poderão ser usados para
aplicação no mercado financeiro ou para expansão da planta.
SALDO DE TESOURARIA
www.ceavvirtual.com.br
Página 41 (
! PADRÃO DE ANÁLISE - Uma empresa possui saldo de tesouraria quando suas disponibilidades são
!
PADRÃO DE ANÁLISE
-
Uma empresa possui saldo de tesouraria quando suas disponibilidades são maiores que suas
obrigações bancárias.
-
A situação ideal é aquela em que o Ativo Circulante Financeiro ACF (Disponibilidades) é
superior ao Passivo Circulante Financeiro PCF (Empréstimos a Pagar).
PADRÃO DE ANÁLISE
-
Indica a capacidade de pagamentos das obrigações de curto prazo, onde o ideal é quando a
empresa disponibiliza recursos necessários para pagamento de suas obrigações circulantes.
www.ceavvirtual.com.br
Página 42 (
! Questão 4 a) De forma mais simples, o cálculo do VEA pode ser efetuado
!
Questão 4
a)
De forma mais simples, o cálculo do VEA pode ser efetuado deduzindo-se do resultado
operacional o custo de cada fonte de capital selecionada pela empresa. O cálculo do VEA
pode também ser desenvolvido por meio do custo médio ponderado de capital (WACC),
definido como o retorno mínimo exigido por credores e acionistas. O WACC é determinado,
conforme comentado, pela ponderação de cada fonte de financiamento com seu respectivo
custo. O VEA pode ainda ser apurado mediante uma formulação mais analítica: VEA = (ROI
WACC) x INVESTIMENTO
b) Cálculo do valor econômico agregado
Forma simples:
Ou
Com o uso do Custo Médio Ponderado de Capital
Ou
Com o uso do ROI:
www.ceavvirtual.com.br
Página 43 (