Você está na página 1de 18

Cartilha do Sistema de Cura dos Cromas da Luz Viva

Cartilha do Sistema de Cura dos Cromas da Luz Viva Agnimitra 1

Agnimitra

Introdução

O sistema de Cura dos Cromas da Luz Viva é ofertado ao Iniciado do Fogo como uma ferramenta para seu uso no serviço à humanidade e disseminação do Fogo de Liberação, conforme os votos assumidos na Iniciação. Seu conhecimento e uso foram guardados - durante o período de esquecimento, na experiência deste planeta - pelo Retiro Intraterreno do Vale Sagrado (Avalon) e agora é compartilhado sob a égide do Núcleo Intraterreno Ibez, o Fogo de Liberação. Os Cromas são condensações em onda-forma, por meio de símbolos, das 12 vibrações primordiais da manifestação. Cada Croma é a representação do Universo em um nível vibratório, bem como um portal para o acesso deste Universo. Portanto os símbolos em si são secundários à Vibração que representam, mas servem como ponto focal de atenção e intenção do Iniciado para o contato e irradiação destas vibrações.

Algumas palavras de uma das anciãs do Retiro do Vale Sagrado a respeito dos Cromas da Luz Viva:

“Eu me chamo Alinksa, sou umas das Anciãs de um dos Retiros

ligados ao Centro Planetário de Lis

ligados à expressão da Luz nas doze Rodas (nota: os doze Discos Solares). Doze símbolos estão ligados a cada um destes Cromas e, portanto, a cada uma das Rodas. Cada Croma da Luz ligado a cada uma das Rodas se une a cada

um dos fios que guardam uma parcela da memória Cósmica mesmo neste veículo físico (nota: os doze fios do DNA). Cada um destes Cromas é ativado pela sua porta correspondente

São doze os Cromas

e cada um destes Cromas se subdivide em doze ou doze vezes doze, para permitir a expressão total da Consciência em sua viagem por todas as Dimensões. Além disto, cada Croma pode ser unido a cada Croma em pares, trios ou grupos de seis para criar Portais Interdimensionais bem como grandes Vértices que ligam este Mundo aos Mundos irmãos (nota: Reinos da Terra ou outros campos planetários de experiência) e a Galáxias que estão unidas a este planeta em sua Dança. Bem, para o plano da Consciência isto representa a libertação dos grilhões da matéria e a viagem do Espírito em retorno a sua Eternidade.

Cada Croma da Luz Sagrada pode ser decodificada em uma Forma, em um Som e em uma Cor, e todas elas estão sob a égide de uma Vibração específica. À medida que a Consciência expande seus limites de percepção e de integração em si, estes Cromas se revelam em multiplicidade, até que a Consciência aí ocupe um lugar de gestação de Universo, em que cada aspecto desse Croma contém em si a totalidade dos Mundos e das formas criadas, e os segredos da criação sejam completamente desvendados e integrados à Consciência.

Estes símbolos que foram gravados aí, cada um deles é uma fragmentação – de forma que possa ser percebido pelos sentidos da encarnação – deste Som, desta Cor e desta Forma. Apenas o conhecimento do Coração lhes permite reunir essa figura fragmentada de modo a viver a essência vibratória do que isto representa. Isto não é um conhecimento como foi alcançado por alguns seres aqui, pelo uso separado de três destes símbolos (nota: os três primeiros, que são formas geométricas simples, a

saber, o ponto e o círculo, as linhas e o triângulo), isto é vivência real, isto é vivência do Sagrado Espírito, isto é verdadeira Fusão com a Fonte.

Pela integração de um destes símbolos, claro, pela integração do que este símbolo representa, com o grande Disco que representa o Fogo de Ibez, e o Coração, se torna possível, para aqueles que ainda não o viveram, a Fusão com a Fonte, e isso se expressa mesmo para a Consciência encarnada – por qualquer que seja a limitação a qual ela ainda esteja sujeita – pela Revelação de sua Origem Estelar e pelo recobramento de parte desta memória Cósmica que é sua herança.”

Alinksa, 20 de outubro de 2012.

Os Cromas e suas Correlações

A seguir algumas correlações dos Cromas com cores, sons e

formas, além de núcleos de irradiação no corpo e no cosmos.

O objetivo da transmissão destas correlações é aprofundar o

contato com a vastidão vibratória de cada Croma e enriquecer

o trabalho e contato com os mesmos. O Iniciado do Fogo é convidado a explorar o potencial do Caminho do Fogo por meio dos Cromas e assim dinamizar sua própria experiência multidimensional e a da humanidade a que serve.

experiência multidimensional e a da humanidade a que serve. Centro Planetário: Eron Elemento: Terra Chakra: Raíz

Centro Planetário: Eron Elemento: Terra Chakra: Raíz Cor: Vermelho Nota: FA# Constelação: Capricórnio Disco Solar: Ión Virtude do Espírito: Ômega “O fino véu que se une à Terra”.

do Espírito: Ômega “O fino véu que se une à Terra”. Centro Planetário: Santoshi Elemento: Água
do Espírito: Ômega “O fino véu que se une à Terra”. Centro Planetário: Santoshi Elemento: Água
do Espírito: Ômega “O fino véu que se une à Terra”. Centro Planetário: Santoshi Elemento: Água

Centro Planetário: Santoshi Elemento: Água Chakra: Sacro Cor: Laranja Nota: SOL# Constelação: Peixes Disco Solar: Simpembô Virtude do Espírito: Ki-Ris-Ti “A união perfeita da Matéria e do Espírito”.

Centro Planetário: Farlon-Ishin Elemento: Fogo Chakra: Plexo Solar Cor: Amarelo Nota: LA# Constelação:

Centro Planetário: Farlon-Ishin Elemento: Fogo Chakra: Plexo Solar Cor: Amarelo Nota: LA# Constelação: Sagitário Disco Solar: Mitakunah Virtude do Espírito: Visão “O Triângulo Sagrado que fecunda a Matéria”.

Visão “O Triângulo Sagrado que fecunda a Matéria”. Centro Planetário: Semekh-Rá Elemento: Água Chakra:
Visão “O Triângulo Sagrado que fecunda a Matéria”. Centro Planetário: Semekh-Rá Elemento: Água Chakra:

Centro Planetário: Semekh-Rá Elemento: Água Chakra: Cardíaco Cor: Verde Nota: Constelação: Câncer Disco Solar: Urinam Virtude do Espírito: Clareza “O fim da Ilusão”.

Virtude do Espírito: Clareza “O fim da Ilusão”. Centro Planetário: Aimerã Elemento: Ar Chakra:
Virtude do Espírito: Clareza “O fim da Ilusão”. Centro Planetário: Aimerã Elemento: Ar Chakra:

Centro Planetário: Aimerã Elemento: Ar Chakra: Laríngeo Cor: Azul Nota: Constelação: Gêmeos Disco Solar: Xemancô Virtude do Espírito: Profundidade “A Água do Alto em movimento de fecundação”.

Centro Planetário: Isinlah Elemento: Água Chakra: Frontal Cor: Azul-violeta Nota: RÉ# Constelação:

Centro Planetário: Isinlah Elemento: Água Chakra: Frontal Cor: Azul-violeta Nota: RÉ# Constelação: Escorpião Disco Solar: Jasintah Virtude do Espírito: Atração “A Água fecundando a Matéria se abrindo para o Fogo do Espírito”.

a Matéria se abrindo para o Fogo do Espírito”. Centro Planetário: Merueni Elemento: Ar Chakra:
a Matéria se abrindo para o Fogo do Espírito”. Centro Planetário: Merueni Elemento: Ar Chakra:

Centro Planetário: Merueni Elemento: Ar Chakra: Coronário Cor: Violeta Nota: MI Constelação: Libra Disco Solar: Ulimen Virtude do Espírito: Agora “A Água do Alto ainda intocada”.

do Espírito: Agora “A Água do Alto ainda intocada”. Centro Planetário: Inturi-Kertena Elemento: Terra
do Espírito: Agora “A Água do Alto ainda intocada”. Centro Planetário: Inturi-Kertena Elemento: Terra

Centro Planetário: Inturi-Kertena Elemento: Terra Chakra: OD – Embrião Crístico Cor: Vermelho-laranja Nota: SOL Constelação: Touro Disco Solar: Ramayah Virtude do Espírito: Repulsão “O Grande Casamento”.

Centro Planetário: Umantara Elemento: Fogo Chakra: ER – Coração Vibral Cor: Amarelo-laranja Nota: LA

Centro Planetário: Umantara Elemento: Fogo Chakra: ER – Coração Vibral Cor: Amarelo-laranja Nota: LA Constelação: Leão Disco Solar: Aromanê Virtude do Espírito: Alfa “O Fogo unido à Água”.

Virtude do Espírito: Alfa “O Fogo unido à Água”. Centro Planetário: Esseni-Autara Elemento: Ar Chakra:
Virtude do Espírito: Alfa “O Fogo unido à Água”. Centro Planetário: Esseni-Autara Elemento: Ar Chakra:

Centro Planetário: Esseni-Autara Elemento: Ar Chakra: IM – Comunicação Interdimensional Cor: Amarelo-verde Nota: Si Constelação: Aquário Disco Solar: Demayon Virtude do Espírito: Unidade “O Despertar da Consciência”.

do Espírito: Unidade “O Despertar da Consciência”. Centro Planetário: Ophani-Serusa Elemento: Terra
do Espírito: Unidade “O Despertar da Consciência”. Centro Planetário: Ophani-Serusa Elemento: Terra

Centro Planetário: Ophani-Serusa Elemento: Terra Chakra: IS – Verbo Criador Cor: Azul-verde Nota: DO# Constelação: Virgem Disco Solar: Emanashi Virtude do Espírito: Aqui “A abertura das Três Portas”.

Centro Planetário: Adiktu-Elon Elemento: Fogo Chakra: AL – Androginia Primordial Cor: Vermelho-violeta Nota:

Centro Planetário: Adiktu-Elon Elemento: Fogo Chakra: AL – Androginia Primordial Cor: Vermelho-violeta Nota: FA Constelação: Áries Disco Solar: Om Sarah Virtude do Espírito: Precisão “A Luz sobrepujando a sombra e a Luz do Sol viajando pelo Espaço”.

a sombra e a Luz do Sol viajando pelo Espaço”. O Centro do Silêncio A Fonte
a sombra e a Luz do Sol viajando pelo Espaço”. O Centro do Silêncio A Fonte
a sombra e a Luz do Sol viajando pelo Espaço”. O Centro do Silêncio A Fonte

O Centro do Silêncio A Fonte Elemento: Fusão dos Elementos, Éter Primordial Cor: Preto/Branco Nota: Pausa Disco Solar: Ilumana “Ascensão Final”.

A Aplicação dos Cromas

Os 12 Cromas da Luz Viva, no sistema de Cura apresentado aqui, são dispostos em triangulações, cada uma delas relacionada a um Elemento. Assim temos:

Triângulo do Ar: formado pelos Cromas 5, 7 e 10 – neste triângulo começa o trabalho de descida do Fogo. O Fogo neste triângulo age na dissolução do mental, ancorando assim a primeira face do Fogo, a Lucidez. Terapeuticamente, a ação do Fogo neste triângulo promove a resolução das questões ligadas ao nível mental e equilíbrio dos sistemas neurológico e respiratório. Chave Vibratória: Siliáli Bhupheni Duáli ou Arnésh.

Triângulo da Água: formado pelos Cromas 2, 6 e 4 – neste triângulo o Fogo começa a se instalar no âmago da identidade humana. O Fogo neste triângulo age na dissolução do emocional, ancorando assim a segunda face do Fogo, o Amor. Terapeuticamente, a ação do Fogo neste triângulo promove a resolução das questões ligadas ao nível emocional e equilíbrio dos sistemas circulatório e nervoso. Chave Vibratória: Swânlimi Maní Quênsi ou Inslaní.

Triângulo da Terra: formado pelos Cromas 11, 8 e 1 – neste triângulo o Fogo começa a se expressar no nível material. O Fogo neste triângulo age na retificação e reestruturação do nível físico- etéreo, ancorando assim a terceira face do Fogo, Sabedoria Prática. Terapeuticamente, a ação do Fogo neste triângulo promove a resolução das questões ligadas ao nível físico-etéreo e equilíbrio do sistema digestivo completo e da estrutura óssea. Chave Vibratória: Overón Asílin Orevón ou Umantúh.

Triângulo do Fogo: formado pelos Cromas 12, 3 e 9 (triângulo com ponta para cima), representa a conclusão da Sacralização da Matéria e o retorno da alma à Consciência Plena, prefigurando assim o reacesso ao estado Multidimensional e Livre. Neste triângulo o trabalho do Fogo se direciona para a reativação de toda a estrutura multidimensional da consciência e sua expressão em meio à Unidade. Chave Vibratória: Khalismâni Tankín ou Ani-Ishá.

A forma de aplicação a seguir é a forma básica para a circulação do Fogo de Liberação pelos corpos e ativação das estruturas multidimensionais. A aplicação de apenas um triângulo pode ser feita – de acordo com a situação a ser trabalhada em relação com cada triângulo -, mas até que o Iniciado esteja familiarizado com cada Croma e sua vibração representados pelos símbolos acima e tenha atingido certo nível de maturidade na percepção e visão interior, indica-se que o Iniciado se sirva da aplicação completa, como apresentada nesta cartilha.

A seguir estão dispostas as orientações, passo a passo, para a aplicação dos Cromas em si ou em qualquer irmão ou irmã que sinta o impulso:

Antes de iniciar a aplicação dos Cromas, o Iniciado deve ele mesmo se conectar ao Fogo Sagrado. Isto deve ser feito quando o receptor da aplicação já estiver deitado (corpo relaxado, mãos, braços e pernas estendidos). Pode-se acender uma vela ou incenso e saudar o Fogo Primordial usando o seguinte mantra: Agnaye Swaha, Agnaye Idam Na Mama (Salve Fogo Divino, isto é para ti e não para mim). Lembre-se que a entoação mental age preferencialmente sobre o nível mental, a entoação a meia voz age preferencialmente sobre o nível emocional e a entoação em voz alta age no conjunto da estrutura, inclusive no nível físico-etéreo.

Começa-se dispondo os símbolos dos Cromas ao longo do corpo na seguinte ordem e posição (vide figura na próxima página), pode-se continuar saudando o Fogo usando o mantra Agnaye Swaha:

13

01. O uso do Croma 0 é opcional, se for usado, deve-se colocá-lo primeiro, sobre a Porção superior do osso esterno ou "Ângulo de Louis", três dedos acima do centro do peito.

02. No topo da cabeça, o Croma do Fogo nº 12.

03. No pé esquerdo, o Croma do Fogo nº 3 – pode-se deixar o símbolo ao lado do pé, até a aplicação.

04. No pé direito, o Croma do Fogo nº 9 – idem.

05. Na zona lateral esquerda da testa, o Croma do Ar nº 5 – pode- se deixar o símbolo ao lado da cabeça, até a aplicação.

06. Na zona lateral direita da testa, o Croma do Ar nº 7 – idem.

07. Na região da garganta, o Croma de Ar nº 10.

08. Três dedos acima do mamilo esquerdo, o Croma da Água nº 2

– pode-se deixar o símbolo ao lado do ombro, até a aplicação.

09. Três dedos acima do mamilo direito, o Croma da Água nº 6 – idem.

10. Na ponta do esterno, o Croma da Água nº 4.

11. Na região esquerda do abdômen, três dedos abaixo da costela,

o Croma da Terra nº 11.

12. Na região direita do abdômen, três dedos abaixo da costela, o

Croma da Terra nº 8.

13. 3 dedos abaixo do umbigo, o Croma da Terra nº 1.

A aplicação consiste em sobrepor as mãos sobre o Croma, na região relacionada acima, entoando a chave vibratória relacionada

ao triângulo referido, ou ainda entoando a chave vibratória do Centro Planetário ao qual está ligado o Croma.

A aplicação começa pelo triângulo do Ar, na cabeça, até o triângulo da Terra, seguindo a ordem apresentada nos passos 5 a 13. A chave vibratória deve ser repetida em cada Croma pelo menos três vezes, de acordo com o impulso.

Concluindo o triângulo da Terra passa-se à aplicação no triângulo do Fogo, na seguinte ordem: primeiro aplica-se no Croma 3, depois no Croma 9 e por fim no Croma 12.

Perceba que os três primeiros triângulos têm suas pontas para baixo, isto representa o movimento de descida do Fogo, movimento do qual o Iniciado deve estar sempre ciente. O triângulo do Fogo possui ponta para cima e representa o movimento de subida do Fogo e reunificação.

A mão usada para aplicação (a que toca diretamente o Croma) deve ser a mão receptiva, polarizada magneticamente (para os destros é a esquerda; para os canhotos, a direita; para ambidestros, a esquerda) – assim reforça-se o aspecto de interiorização do Fogo. Usando a mão polarizada eletricamente reforça-se o aspecto de expressão do Fogo.

Após o término da aplicação, Iniciado e receptor podem permanecer um tempo em silêncio, conforme o sentir de cada um,

para que os corpos do receptor absorvam as irradiações recebidas

e

o Iniciado também, pois ao aplicar em outra pessoa ou ambiente,

o

Iniciado estimula sempre em si cada Croma.

Depois deste momento de silêncio, o Iniciado agradece o Fogo e o saúda: Agnaye Swaha, Agnaye Idam Na Mama.

o Fogo e o saúda: Agnaye Swaha, Agnaye Idam Na Mama. Nas próximas páginas estão disponíveis
o Fogo e o saúda: Agnaye Swaha, Agnaye Idam Na Mama. Nas próximas páginas estão disponíveis

Nas próximas páginas estão disponíveis os Cromas para impressão.

17
18