Você está na página 1de 4

UNIDADES
DE
ARMAZENAMENTO 



 Dentro
desse
novo
panorama
digital,
onde
 tudo
se
 transforma
em
dígitos
binários,
 os

Dentro
desse
novo
panorama
digital,
onde
 tudo
se
 transforma
em
dígitos
binários,

os
 engenheiros
 de
 hardware
 desenvolvem
 dispositivos
 com
 capacidade
 de

armazenamento
 cada
 vez
 maior.
 
 Esse
 mercado
 caminha
 lado
 a
 lado
 com
 as

tecnolo gias
 de
 transferência
 de
 dados
 que
 também
 evoluem 
 para
 uma
 maior

eficiência
no
trato
com
 os
arquivos. 
 

Hard
Disk
ou
HD 


O
disco
rígido
foi
um
dos
componentes
que
mais
evoluiu
na
história
da
informática.
 Dentro
do
disco
rígido,
os
dados
são
gravados
em
discos
magnéticos,
chamados
de
 platters .
O
nome
"disco
rígido"
vem
justamente
do
fato
de
os
discos
internos
serem
 espessos
e
sólidos,
diferente
dos
discos
flexíveis
usados
nos
antigos
disquetes.
Para
 ler
e
gravar
dados
no
disco,
são
usadas
 cabeças
de
leitura 
eletromagnéticas
(heads)
 que
são
presas
a
um
 braço
móvel 
(arm),
o
que
permite
seu
acesso
a
todo
o
disco.
O
 desempenho
 do
 HD
 é
 determinado
 basicamente
 pela
 densidade
 dos
 discos
 (tamanho),
 velocidade
 de
 rotação
 (resposta)
 e,
 em
 menor
 grau,
 pelo
 tamanho
 d o
 cache
de
leitura. 























 
 
 
 Também
 podemos
 encontrar
 no























Também
 podemos
 encontrar
 no
 mercado
 HDs
 portáteis,
 conhecidos
 por
 HDs

externos.
 O
 seu
 funcionamento
 é
 idêntico
 aos
 HDs
 internos,
 o
 que
 varia
 é
 a

tecnologia
de
 transferência
de
dados
que
irá
determinar
a
velocidade
de
acesso
as

informações
no
disco.



Memória
Flash 


Diferentemente
 da
memória
RAM,
a
memória
 Flash
 permite
armazenar
 dados
 por
 longos
 períodos,
 sem
 precisar
 de
 alimentação
 elétrica.
 Graças
 a
 isso,
 a
 memória
 Flash
 se
 tornou
 rapidamente
 a
 tecnologia
 dominante
 nos
 dispositivos
 móveis
 e
 compactos.
Se
a
memória
Flash
não
existisse,
todas
essa s
 tecnologias 
estariam
muito
 atrasadas
em
relação
ao
que
temos
hoje.
Os
celulares
e
os
palmtops
provavelmente
 ainda
utilizariam
memória
SRAM
para
armazenar
os
dados
e
seriam
por
isso
mais
 caros
 e
 perderiam
 os
 dados
 quando
 a
 bateria
 fosse
 removida.
 Os
 pendrives
 simplesmente
 não
 existiriam
 e
 os
 cartões
 de
 memória
 estariam
 estagnados
 nos
 cartões
CompactFlash,
utilizando
microdrives
ou
pequenas
quantidades
de
memória
 SRAM
 alimentada
 por
 uma
 pequena
 bateria.
 Formatos
 mais
 compactos,
 como
 os
 cartões
SD
e
miniSD
simplesmente
não
existiriam.


































Discos
ópticos 


Utilizando
os
exemplos
do
finado
disquete
3.5”,
com
capacidade
de
armazenamento


de
1.44
MB
e
o
Zip,
com
capacidade
de
armazenamento
de
100MB,
podemos
dizer


que
 essas
 mídias
 são
 transitórias
 e
 substituídas
 com
 o
 passar
 do
 tempo
 por


tecnologias
mais
modernas.
Assim,
o
CD,
com
capacidade
de
armazenamento
de
700


MB,
seria
o
substituto
do
disquete.
 O
DVD,
com
capacidade
de
4.7
GB,
já
 tem
o
seu
 concorrente
no
mercado,
 o
Blu‐ Ray,
com
capacidade
de
armazenamento
de
até
50
 GB. 


Tecnologia
na
Nuvem
ou
 Cloud
Computing 


É
 a 
 possibilidade
 de
 acessar
 seus
 documentos
 de
 qualquer
 lugar,
 apenas
 com
 o
 acesso
 à
 Internet.
 Um
 conceito
 onde
 o
 software,
 o
 armazenamento
 e
 o
 processamento
 estão
 em
 servidores
 e
 são
 acessados
 pela
 Internet
 através
 de
 qualquer
 dispositivo
 compatível.
 Ou
 seja,
 você
 não
 vai
 mais
 precisar
 ter
 todas
 as
 ferramentas
 instaladas
 no
 seu
 micro,
 basta
 acessar
 a
 internet
 e
 utilizar
 os
 programas.
 Daí
 o
 nome
 nuvem,
 porque
 você
 terá
 disponível
 todos
 os
 serviços
 na
 internet” . 


TRANSFERÊNCIA
DE
DADOS


Podemos
realizar
a
transferência
de
dados
digitais
de
forma
física,
através
de
cabos
 e
 portas
 de
 conexão
 ou
 através
 de
 sinais
 de
 eletromagnéticos.
 A
 velocidade
 na
 transmissão
de
dados
é
um
fator
importante
na
hora
de
escolher
essa
tecnologia.


USB
(Universal
Serial
Bus) 


É
o
barramento
externo
mais
usado
atualmente.
O
que
torna
o
USB
tão
popular
é
a
 sua
 flexib ilidade;
além
de
ser
usado
para
a
conexão
de
 todo
o
 tipo
de
dispositivos,
 ele
fornece
uma
pequena
quantidade
de
energia,
permitindo
que
os
conectores
USB


sejam
usados
também
por
carregadores,
luzes,
etc.
No
USB
1.x,
as
portas
transmitem


a
 apenas
 12
 megabits,
 o
 que
 é
 pouco
 para
 HDs,
 pendrives,
 drives
 de
 CD,
 placas


wireless
e
outros
periféricos
rápidos.
Mas,
no
USB
2.0,
o
padrão
atual,
a
velocidade


foi
 ampliada
 para
 480
 megabits
 (ou
 60
 MB/s),
 suficiente
 para
 a
 maioria
 dos
 pendrives
e
HDs
externos.

A
nova
por ta
USB
3.0
suporta
até
4.8
GB/s 


Firewire
ou
IEEE
1394 


Firewire
surgiu
em
1995
(pouco
antes
do
USB),
foi
desenvolvido
pela
Apple
e
depois


submetido
 ao
 IEEE,
 quando
 passou
 a
 se
 chamar
 IEEE
 1394.
 Embora
 seja
 mais
 popularmente
usado,
o
nome
"Firewire"
é
uma
marca
registrada
pela 
Apple,
por
isso
 você
 não
 vai
 encontrar
 referência
 a
 ele
 em
 produtos
 ou
 documentação
 de
 outros
 fabricantes.
 O
 Firewire
 é
 um
 barramento
 serial,
 muito
 similar
 ao
 USB
 em
 vários
 aspectos.
 A
 versão
 inicial
 do
 Firewire
 já
 operava
 a
 400
 megabits
 (ou
 50
 MB/s),


enquanto
o
USB
1.1
operava
a
apenas
12
megabits.
Atualmente
estamos
assistindo
a


uma
 migração
 para
 o
 Firewire
 800
 (IEEE
 1394B),
 um
 novo
 padrão,
 lançado
 em
 2003,
que
dobra
a
taxa
de
transmissão
e
atinge
800
megabits.
 


Bluetooth 


O
 Bl uetooth
 é
 uma
 tecnologia
 de
 transmissão
 de
 dados
 via
 sinais
 de
 rádio
 de
 alta
 frequência,
 entre
 dispositivos
 eletrônicos
 próximos.
 A
 distância
 ideal
 é
 de
 no
 máximo
 10
 metros
 e
 a
 distância
 máxima
 é
 de
 100
 metros,
 atingida
 apenas
 em
 situações
 ideais.
 Um
 dos
 trunfos
 é
 o
 fato
 dos
 transmissores
 serem
 baratos
 e
 pequenos
 o
 suficiente
 para
 serem
 incluídos
 em
 praticamente
 qualquer
 tipo
 de
 dispositivo,
começando
por
notebooks,
celulares
e
micros
de
mão,
passando
depois
 para
 micros
 de
 mesa,
 mouses,
 teclados,
 joysticks,
 fones
 de
 ouvido,
 etc.
 A
 maior
 ameaça
 para
 a
 popularização
 do
 Bluetooth
 são
 os
 transmissores
 802.11b,
 outra
 tecnologia
 de
 rede
 sem
 fio
 que
 transmite
 a
 11
 megabits
 (contra
 1
 megabit
 no
 Bluetooth)
e
tem
um
alcance
maior.
 


Thunderbolt 


É
uma
nova
 tecnolo gia
que
utiliza
cabos
de
cobre
(nessa
 fase
inicial)
e
 fibra
óptica
 (em
versões
futuras)
para
transferir
dados
entre
o
computador
e
outros
dispositivos
 (como
 câmeras
 fotográficas)
 ou
 equipamentos
 periféricos
 (como
 monitores
 de
 vídeo).
 Trata‐ se
 de
 um
 novo
 padrão
 sugerido
 pela
 Intel.
 Essa
 nova
 tecnologia


permite
transferir
dados
a
uma
velocidade
maior
que
a
versão
3.0
da
porta
USB
(que


alcança,
no
máximo,
4,8
G B/ s)
– 
10
vezes
maior
que
o
USB
2.0.