Você está na página 1de 1

+ ARTISTAS NACIONAIS CONVIDADOS ( informação adicional )

+ Ricardo Bravo (LX) + “Stuck” (LX) + Gonçalo “MAR” (LX) + “RAM” (LX)

Nascido em Lisboa há 34 anos, vive em Free surfer, viajante, artista minucioso e Gonçalo “Mar” é o Homem do bonecos. Um estilo inconfundível vem à cabeça
Paço de Arcos. Começou a brincar com fotógrafo, Bruno Garrudo, cohecido por desde que começou a pintar com o “Klit” quando se fala de Miguel Caeiro aka RAM.
fotografia aos 16. Como lhe disseram que 'Stuck ' cresceu nos subúrbios de Lisboa. em 1998, entendeu que não queria pintar Nascido em Sintra, terra esta que o obrigou
aquela vida não o levaria a lado nenhum, quando completou 10 anos, o skate e o surf letras. Torno-se conhecido pela a crescer dentro da Serra e mergulhado
resolveu levar a brincadeira mais a sério – começava a fazer parte da sua vida, como versatilidade e crietividade que apresenta nas ondas do atlantico. EX-Graphic
e assim tem sido há mais de uma década. perfeito escape de um ambiente familiar em compor formas e personagens. designer, Ex-formador na área do Design e
Com o liceu terminado, avançou para o menos saudável. " sempre amei o oceano Respeitado pelo trabalho que tem Comunicação, EX-muitas coisas...
Curso Geral de fotografia da ETIC (Escola e apaixonei-me pelo surf de imediato. Era desenvolvido no hall of fame, e pela No fundo a vontade e o sonho em ser
Técnica de Imagem e Comunicação), apenas uma criança e nunca tinha visto amizade que tem partilhado com inúmeros muitos e fazer muito. RAM destaca-se
Curso Geral e Avançado de Fotografia do nada igual até então." demorou ainda um nomes no meio do Graffiti. Trabalha com o desde sempre com uma linha gráfica única
Ar.Co e mais recentemente, o Curso de par de anos para poupar o suficiente para a LEG Crew desde 2001, e promoveu e constante, pratica um graffiti freestyler,
Pós-Produção Digital II do Cenjor. sua primeira prancha, mas no Natal de algumas das exposições que viriama experimental e psycadélico com regras
Profissionalmente começou por estagiar 1990, esse sonho foi finalmente possível. " originar a VSP. Organiza eventos como o próprias fruto das suas experiências
num estúdio de fotografia, a que juntou seis esse momento alterou a minha vida por Seixal graffiti e Workshops, e e sustenta-se vividas no dia a dia aqui ou na outra ponta
meses de experiência numa loja de completo... a única coisa que importava a hoje em dia com trabalhos comissionados. do Mundo. Há já muito que ocupa
fotografia e outros tantos num outro estúdio partir daquele momento era o surf, não vive com os olhos no graffiti e os pés no artisticamente o espaço público com linhas
de fotografia publicitária. Depois de queria saber da escola nem nada mais" Mar, o Oceano. de graffiti muito próprias que se foram
experimentar o conforto da rotina durante confessa. Limitado pela sua condição em Julho de 2007 considera que concluiu a destacando das demais existentes no
pouco tempo, pôs as malas às costas e económica e social, lutou para manter esse mais importante e mais especial criação. A mundo do graffiti/street art Nacional e
começou a procurar a melhor luz à sombra sonho tornado realidade presente. sua filha, Mariana. uma criação em Internacional.
da incerteza de free lancer, o que continua Através da influência do Skate e do"Punk parceria com a sua companheira, claro. A Desde o ano 2000 dedica-se
a fazer hoje com o mesmo prazer e Culture", a sua natureza artística e rebelde sua família, o mar e o graffiti são os profissionalmente a esta vertente artística,
vontade. começa a nascer, mas só em 1996 nascia alicerces sobre os quais o Writer Mar tem explorando caminhos sem paralelo dentro
Não se considera fotógrafo de surf mas o artista conhecido hoje por 'Stuck'. contruido o seu mundo. um mundo de dos limites urbanos nacionais e
“fotógrafo de”. Do quê exactamente? "sentia-me aprisionado na minha própria amizades a parcerias, de contacto humano internacionais. Com a evolução artística,
Geralmente de algo que se esconde e casa, sentia-me sem opções... e partilha, de criação e trabalho, trabalho conjuga novas motivações que misturam
encontra por um instante algures por entre sentia-me "stuck"! esse que tem desenvolvido nos ultimos um pouco de todos os seus mundos
esse imenso e cénico estúdio salgado. "O Graffiti apareceu como forma de anos como pintor, “pintor” de graffiti. (graffiti, design, land art…), trabalhando
Numa manhã gélida na Ericeira, num fim pretexto e simultaneamente como forma em 1998 foi trabalhar para o estudio de imagem, vídeo e escrita na maioria das
de tarde plácido na Praia Grande, no de me expressar". animação “Magic Toons” em Lisboa e suas intervenções.
conforto da luz da costa sul. Nos jogos de O seu talento e evolução foi rapidamente conheceu o writer ‘Roket’ e o seu futuro Team Eastpak Art desde 2005, Trabalhos
sombras, rasgos de luz e instantes de reconhecido e tornou-se em um companheiro da LEG crew, ‘Klit’. assinados por si, exposições individuais,
drama que congelam o eufórico encontro carismático e influente artista de street-art com eles trabalhou como desenhador- ocupações de espaços abandonados ou
entre o mar e os corredores de ondas. Mas em Portugal. Os anos seguintes foram intervalista, e através deles seria iniciado trabalhos conjuntos exigem uma longa
também os rostos, as palavras que não se passados a fazer surf e a pintar até que o no graffiti. lista, destacando-se a 1ª Exposição de
dizem mas que se escrevem com acto de viajar surge na sua vida. " Eu queria Hoje, aos 33 anos o graffiti transformou-se Graffiti em Portugal (98), ou The Factory
fotogramas em vez letras, os momentos partir, ver o mundo. A vida pode ser algo numa actividade que vive e respira 24 Diaries (2006) documentário video sobre
feitos e refeitos, os olhares que desnudam bom, e o mundo é um sitio lindo". com as horas por dia. É junto a Ram, outro Writer espaço abandonado e ocupação gráfica.
ideais e as notícias que não podem falar, viagens, outro elemento vem fazer parte da da marca Eastpak com quem está Ex-elemento do colectivo Visual Street
mas que falam como cem vozes. sua vida: a fotografia." Adoro fotografar. constantemente a pensar em novas Performance - maior evento de
Fotógrafo, talvez, da vida. Que agarra os gosto de fotografia desde sempre e as criações, novas propostas e novas graffiti/street-art nacional que
momentos para, contra o inapelável imagens sempre me fascinaram, por isso personagens. está sempre a fazer conjuntamente organizou até ultima edição
avanço do tempo, os arrumar na nossa quando comecei a viajar, tudo fazia pesquisa, a desenvolver ideias e projectos. de Novembro 2008.
colecção de memórias, despertar as sentido. As experiências pelo qual estava a com os writers Ram e Vhils tem também Entretanto RAM continua a sua
nossas emoções e desafiar a nossa passar eram especiais da mais para serem não só desenvolvido muitos projectos e interminável caminhada, entre viagens e
imaginação. Fotógrafo para sempre. só memórias do passado... eram trabalhos comerciais, mas também projectos internacionais não esqueçe a sua
Este trabalho que agora apresenta - Aqua experiências mágicas que tinha que ser trabalho social, com projectos em zonas de origem e deseja ver a urbe nacional
Facies - resulta da vontade que sentiu em documentadas. A fotografia tem esses risco, bairros degradados - trabalhos com ocupada por um sistema que nos permita
voltar a pegar na temática do retrato poder, o de tornar as coisas eternas". crianças e adultos, de intrudução á pintura viver numa sociedade onde o graffiti/street-
associado à água (um assunto que já tinha Assim, estes últimos anos 'Stuck' tem e ao Graffiti, decorando espaços art esteja enquadrado com o espaço
abordado em 1997), explorando emoções passado a sua vida a viver o seu sonho, a degradados desses mesmos bairros.Aqui público.
e sensibilidades de quem se deixa fazer surf, a viajar, a pintar a a fazer não ganham dinheiro, mas a recompensa RAM acredita num mundo em que o
fotografar com o corpo mergulhado na fotografia. como resultado, este seu ultimo reside na experiência unica de comunhão desperdicio seja anulado e em que o
água e o rosto a espreitar a câmara que se projecto - exposição de fotografia intitulada com outras realidades e a consciência de homem consiga viver em paz com a mãe
encontra logo ali à sua frente, quase um “a scent of perfection” reflecte a sua paixão estar a retribuir algo aos que necessitam, Natureza.
espelho. Os retratados, todos surfistas, e visão singular sobre o surf, que é tal como através da melhor “arma” disponível, o
mergulham neste photomaton aquático. ele diz " é acima de tudo uma viagem graffiti. Gonçalo MAR pertence ao
(texto adaptado de um original da autoria de Manuel Castro Grilo)
através do tempo e da essência do surf, a colectivo VSP - Visual Street Performance.
arte de caminhar nas ondas".

apoiado por apoiado por apoiado por apoiado por

+ Organização da CIUC em Portugal por João Rei - www.cantsurfnaked.com

Interesses relacionados