Você está na página 1de 16
ESTRUTURA E PROPRIEDADES DOS MATERIAIS ESTRUTURAS AMORFAS Prof. Rubens Caram 1

ESTRUTURA E PROPRIEDADES DOS MATERIAIS

ESTRUTURAS AMORFAS

ESTRUTURA E PROPRIEDADES DOS MATERIAIS ESTRUTURAS AMORFAS Prof. Rubens Caram 1

Prof. Rubens Caram

INTRODUÇÃO

Também denominadas de estruturas VÍTREAS tê como características:

Arranjos atômicos aleatórios Arranjos sem simetria Arranjos sem ordenação atômica de longo alcance Estrutura observada em gases, líquidos e em alguns sólidos

alotrópicas Por definição: Material tem estrutura amorfa quando o resfriamento a partir do líquido implica em:

Variação contínua de viscosidade, ou, Variação contínua de volume. Em materiais amorfos:

Temp. transição vítrea: não ocorre variação brusca viscosidade Em materiais cristalinos:

Tem. De fusão: aumento repentino da viscosidade

R. Caram - 2

variação brusca viscosidade Em materiais cristalinos: Tem. De fusão: aumento repentino da viscosidade R. Caram -

VISCOSIDADE

Variação da viscosidade com a temperatura para materiais amorfos e cristalinos

VISCOSIDADE Variação da viscosidade com a temperatura para materiais amorfos e cristalinos R. Caram - 3

R. Caram - 3

VISCOSIDADE Variação da viscosidade com a temperatura para materiais amorfos e cristalinos R. Caram - 3

VOLUME ESPECÍFICO

Variação Do volume específico com a temperatura para materiais amorfos e cristalinos

VOLUME ESPECÍFICO Variação Do volume específico com a temperatura para materiais amorfos e cristalinos R. Caram

R. Caram - 4

VOLUME ESPECÍFICO Variação Do volume específico com a temperatura para materiais amorfos e cristalinos R. Caram

OCORRÊNCIA - ESTRUTURA AMORFA

Estrutura amorfa é observada principalmente nos vidros:

Óxidos Silicatos Boratos Alguns compostos cerâmicos, que em condições normais são amorfos, podem apresentar cristalização Quartzo

compostos cerâmicos, que em condições normais são amorfos, podem apresentar cristalização Quartzo R. Caram - 5
compostos cerâmicos, que em condições normais são amorfos, podem apresentar cristalização Quartzo R. Caram - 5
compostos cerâmicos, que em condições normais são amorfos, podem apresentar cristalização Quartzo R. Caram - 5

R. Caram - 5

compostos cerâmicos, que em condições normais são amorfos, podem apresentar cristalização Quartzo R. Caram - 5

ESTRUTURA AMORFA - ÓXIDOS

Alta Energia de Ligação: Estrutura Vítrea

Baixa Energia de Ligação: Estrutura Cristalina

ÓXIDO

ENERGIA DE LIGAÇÃO

GeO 2

108

 

SiO 2

106

V

2 O 5

90

B

2 O 3

89

Ga 2 O 3

45

 

PbO

36

 

BaO

33

Na 2 O

20

K

2 O

13

R. Caram - 6

G a 2 O 3 45   PbO 36   BaO 33 Na 2 O 20

METAIS AMORFOS

Clasificados como “Novos Materiais” Obtidos pela 1a. Vez no Caltec, em 1960 Solidificação rápida da liga Au-25%Si Até esse feito sempre se associou ao metais estruturas cristalinas Pesquisas sistemáticas foram iniciadas 1967, quando se obteve estrutura amorfa da liga Fe 75 P 15 C 10 , com propriedades magnéticas interessantes 1969: produção de fitas contínuas de metais amorfos Principal técnica de produção de metais amorfos: técnica de solidificação rápida Metais amorfos - obtidos sob resfriamento rápido: 10 4 -10 8 K/s

R. Caram - 7

de solidificação rápida Metais amorfos - obtidos sob resfriamento rápido: 10 4 -10 8 K/s R.

AMORFA X CRISTALINA

Comparação entre características e propriedades de metais tradicionais, vidors tradicionais e metais amorfos

Característica

Metais Tradic.

Vidros Tradic.

Metais Amorfos

Estrutura

Cristalina

Amorfa

Amorfa

Ligação

Metálica

Covalente

Metálica

Limite Escoam.

Baixa/Alta

Alta

Alta

Trabalhabilidade

Boa

Baixa

Boa

Dureza

Baixa/Alta

Muito Alta

Muito Alta

Resistência

Baixa/Alta

Baixa

Alta

Carac. Óptica

Opaca

Transparente

Opaca

Cond. Elet/Térm

Muito Boa

Baixa

Boa

Resist. Corrosão

Pobre

Muito Boa

Muito Boa

Propr. Mag.

Diversa

Não apresenta

Diversa

R. Caram - 8

Resist. Corrosão Pobre Muito Boa Muito Boa Propr. Mag. Diversa Não apresenta Diversa R. Caram -

PROPRIEDADES

Propriedades mecânicas: exibem alta resistência e baixo custo Usado como reforço em materiais poliméricos Propiedades químicas: homogeneidade estrutural permite a possibilidade de aplicações onde a corrosão é problemática Propriedades elétricas: resistividade superior a de metais cristalinos e constante com a temperatura Usado como sensor magneto-resistência Propriedades Magnética: alta permeabilidade, baixa coercividade e alta resistência elétrica Magneto Moles

R. Caram - 9

Magnética: alta permeabilidade, baixa coercividade e alta resistência elétrica Magneto Moles R. Caram - 9

TRANSFORMADORES

Curva de Histerese
Curva de Histerese

R. Caram - 10

TRANSFORMADORES Curva de Histerese R. Caram - 10

TRANSFORMADORES

Processo de Produção
Processo de Produção

R. Caram - 11

TRANSFORMADORES Processo de Produção R. Caram - 11

PROCESSOS

PROCESSOS R. Caram - 12

R. Caram - 12

PROCESSOS R. Caram - 12

PROCESSOS

PROCESSOS R. Caram - 13

R. Caram - 13

PROCESSOS R. Caram - 13

PROCESSOS

PROCESSOS R. Caram - 14

R. Caram - 14

PROCESSOS R. Caram - 14

PROCESSOS

PROCESSOS R. Caram - 15

R. Caram - 15

PROCESSOS R. Caram - 15

PROCESSOS

PROCESSOS R. Caram - 16

R. Caram - 16

PROCESSOS R. Caram - 16