Você está na página 1de 4
 
   

ABR 1997

NBR 13803

ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas

Água - Determinação de mercúrio total pelo método da espectrometria de absorção atômica por geração de vapor a frio

Sede:

     

Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (021) 210 -3122 Fax: (021) 240-8249/532-2143 Endereço Telegráfico:

     

NORMATÉCNICA

     

Copyright © 1997, ABNT–Associação Brasileira de Normas Técnicas

Origem: Projeto 01:602.03-034:1996 CEET - Comissão de Estudo Especial Temporária de Meio Ambiente CE-01:602.03 - Comissão de Estudo de Análises Inorgânicas NBR 13803 - Determination of mercury by the cold vapor Descriptors: Water. Mercury Esta Norma cancela e substitui a NBR 11017:1990 Válida a partir de 30.05.1997

Printed in Brazil/

Palavras-chave: Água. Mercúrio

 

4 páginas

Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

Prefácio

 

nesta que verifiquem a conveniência de se usar a edição mais recente da norma citada a seguir. A ABNT possui a

A

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas - é o

informação das normas em vigor em um dado momento.

Fórum Nacional de Normalização. As Normas Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (CB) e dos Organismos de Normalização Setorial (ONS), são elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas

Os Projetos de Norma Brasileira, elaborados no âmbito dos

3.1

NBR 9898:1987 - Preservação e técnicas de amos- tragem de efluentes líquidos e corpos receptores - Procedimento

por representantes dos setores envolvidos, delas fazendo parte: produtores, consumidores e neutros (universidades,

3 Definições

 

laboratórios e outros).

CB e ONS, circulam para Votação Nacional entre os

Para os efeitos desta Norma, aplicam-se as seguintes de- finições.

associados da ABNT e demais interessados.

mercúrio: Metal encontrado na natureza, de número

   

atômico 200,59 e massa atômica 80 g/mol.

1

Objetivo

     
 

3.2

mercúrio total: Concentração de mercúrio, determinada

1.1

Esta Norma especifica um método de determinação de

em uma porção não filtrada de amostra, após sua digestão;

mercúrio total em amostras de água natural, água mineral e

pode também ser definido como soma das concentrações

de mesa, de abastecimento, efluentes domésticos e in- dustriais, pelo método da espectrometria de absorção atô-

3.3

do metal nas formas dissolvida e em suspensão.

mica, empregando a técnica da vaporização a frio.

mercúrio dissolvido: Porção de mercúrio que passa

   

por um filtro membrana de 0,45 µm de porosidade.

1.2

Esta Norma aplica-se à determinação de mercúrio em

   

concentrações iguais ou superiores a 0,1 µg/L.

3.4

mercúrio em suspensão: Porção de mercúrio que fica

   

retida em um filtro membrana de 0,45 µm de porosidade.

2

Referência normativa

     

A

norma relacionada a seguir contém disposições que, ao

3.5 mercúrio extraível por ácido: Concentração de mercúrio determinada em uma porção não filtrada de amos-

serem citadas neste texto, constituem prescrições para esta

tra, após tratamento dela com ácido; pode também ser de-

Norma. A edição indicada estava em vigor no momento desta publicação. Como toda norma está sujeita a revisão, recomenda-se àqueles que realizam acordos com base

finido como soma das concentrações de mercúrio nas for- mas dissolvida e levemente adsorvida no material em sus- pensão.

 

2

NBR 13803:1997

4 Método de ensaio

4.1 Princípio

4.2.18 Solução de cloridrato de hidroxilamina a 1,5%: dis-

solver 15 g de cloridrato de hidroxilamina em água destilada

e deionizada, e diluir a 1000 mL.

4.1.1 O mercúrio é determinado por absorção atômica, em-

pregando-se a técnica da vaporização do mercúrio a frio. O mercúrio reduzido ao estado elementar é arrastado através da aeração da solução em um sistema fechado; o vapor do mercúrio passa por uma cela colocada no percurso ótico do espectrômetro e absorve em 253,7 nm; a absorvância medida é função da concentração do mercúrio na amostra, que se determina por comparação com uma curva de calibração.

4.1.2 Os compostos orgânicos e inorgânicos de mercúrio

são previamente oxidados com ácido nítrico, ácido sulfúrico,

permanganato de potássio, persulfato de potássio e aque- cimento, para que sejam liberados íons mercúricos, e estes são reduzidos ao estado elementar com cloreto estanoso; o excesso de oxidantes é eliminado com cloridrato de hidroxilamina.

4.2 Reagentes e soluções

4.2.19 Solução de cloreto estanoso a 10%: dissolver 100 g

de cloreto estanoso em água destilada e deionizada con- tendo 100 mL de ácido clorídrico concentrado e diluir a 1000 mL.

NOTA - Descartar esta solução se for observada formação de suspensão.

4.2.20 Solução de permanganato de potássio 0,1 N: dis-

solver 3,2 g de permanganato de potássio em água destilada

e deionizada, e diluir a 1000 mL.

4.2.21 Solução de iodo 0,25% em solução de iodeto de

potássio 3%: dissolver 0,25 g de iodo em água destilada e

deionizada, e diluir a 100 mL. Adicionar 3 g de iodeto de potássio e diluir a 100 mL com a solução de iodo.

4.2.22 Água de diluição: dissolver 0,450 g de dicromato de

potássio em água destilada e deionizada contendo 5 mL de ácido nítrico e diluir a 1000 mL.

4.2.1 Água destilada e deionizada.

4.2.23 Solução-estoque de mercúrio:

4.2.2 Ácido sulfúrico concentrado p.a. (H 2 SO 4 ), isento de

mercúrio.

a) b) c)
a)
b)
c)

transferir para balão volumétrico de 1000 mL cerca

de 200 mL de água destilada e deionizada, 50 mL de ácido nítrico e 0,5 g de dicromato de potássio. Agitar até dissolver;

4.2.3

Ácido nítrico concentrado p.a. (HNO 3 ), isento de

mercúrio.

4.2.4

Ácido clorídrico concentrado p.a. (HCl), isento de

dissolver 1,080 g de óxido de mercúrio II e adicionar

mercúrio.

4.2.5

50 mL de solução de ácido clorídrico 1+1. Transferir

quantitativamente à solução da alínea a);

Dicromato de potássio p.a. (K 2 Cr 2 O 7 ), isento de

mercúrio.

4.2.6

diluir a 1000 mL com água destilada e deionizada

(1,0 mL da solução contém 1,0 mg de mercúrio).

Permanganato de potássio p.a. (KMnO 4 ), isento de

mercúrio.

NOTA - Validade da solução: seis meses.

4.2.7 Persulfato de potássio p.a. (K 2 S 2 O 8 ).

4.2.8 Cloridrato de hidroxilamina p.a. (HONH 3 Cl).

4.2.9 Cloreto estanhoso p.a. (SnCl 2 .H 2 O).

4.2.10 Estanho metálico (Sn).

4.2.11 Carvão ativo.

4.2.12 Perclorato de magnésio p.a. (Mg(ClO 4 ) 2 ).

4.2.13 Iodo p.a. (I 2 ).

4.2.14 Iodeto de potássio p.a. (KI).

4.2.15 Óxido de mercúrio II p.a. (HgO).

NOTA - Alternativamente pode ser utilizada ampola com 1 g/L de Hg encontrada no comércio.

4.2.24 Solução intermediária de mercúrio: transferir 10 mL

da solução-estoque de 4.2.23-c) para um balão volumétrico de 1000 mL e completar o volume com água de diluição (1 mL desta solução contém 10 µgHg).

NOTA - Esta solução deve ser preparada no momento do uso.

4.2.25 Solução-padrão de mercúrio: transferir 10 mL da so-

lução intermediária de mercúrio para um balão volumétrico

de 1000 mL e completar o volume com água de diluição (1,0 mL contém 0,10 µg de mercúrio).

NOTA - Esta solução deve ser preparada diariamente.

4.2.26 Solução de ácido sulfúrico 10%: adicionar cuidado-

samente 10 mL de ácido sulfúrico em 80 mL de água des- tilada e deionizada. Esfriar e completar o volume para 100 mL.

4.3 Interferentes

4.2.16 Solução de permanganato de potássio a 5%: dissolver

50 g de permanganato de potássio em água destilada e deionizada, e diluir a 1000 mL.

4.2.17 Solução de persulfato de potássio a 5%: dissolver 5 g de persulfato de potássio em água destilada e deioni- zada, e diluir a 100 mL.

4.3.1 Sulfetos em concentrações superiores a 20 mg/L.

4.3.2 Cobre em concentrações superiores a 10 mg/L.

4.3.3 Cloretos são oxidados pelo permanganato de potássio

a cloro, causando interferência positiva. Quando a amostra

contém concentração elevada de cloretos, como é o caso

NBR 13803:1997

3

 

de amostras de água do mar e de certos tipos de efluente, emprega-se um excesso de permanganato de potássio bem como um excesso de cloridrato de hidroxilamina.

e) banho-maria com termostato regulável até 110°C;

f) estufa com termostato regulável até 200°C.

4.4 Aparelhagem

A aparelhagem necessária à execução do ensaio é a se- guinte:

NOTA - Toda vidraria que entra em contato direto ou indireto com a amostra deve ser previamente lavada com solução de ácido nítrico 1+1, enxaguada com água destilada e deionizada isenta de mercúrio, e seca em estufa a 140°C por 12 h.

a) pipetas graduadas, de vidro borossilicato, de diversos

volumes;

4.5 Procedimento

b) balões volumétricos e aferidos, de vidro borossilicato,

de diversos volumes;

c) espectrômetro de absorção atômica, com os se-

guintes acessórios:

4.5.1 Ajuste do aparelho

Em vista de grande variedade de marcas e modelos de es- pectrômetros de absorção atômica existentes, devem-se seguir as instruções de operação constantes no manual que acompanha o aparelho.

- lâmpada de cátodo oco de mercúrio;

4.5.2 Construção da curva de calibração

- cela de absorção, caminho óptico de 10 cm a

18 cm, e janelas de quartzo;

- bomba de ar com vazão de 2 L/min, ou vácuo com medidor de vazão para 2 L/min;

4.5.2.1 Preparar solução de trabalho de várias concentrações

de mercúrio, fazendo diluições da solução-padrão de mer-

cúrio em frasco de DBO, conforme a tabela 1.

4.5.2.2 Adicionar a cada frasco 5 mL de ácido sulfúrico con-

- frasco de Demanda Bioquímica de Oxigênio, DBO;

- aerador de vidro;

4.5.2.3 4.5.2.4
4.5.2.3
4.5.2.4

centrado, com 2,5 mL de ácido nítrico concentrado e 2 mL

de solução de permanganato de potássio 5%.

Agitar os frascos e deixá-los em repouso por 15 min.

- tubo de secagem, de 150 mm x 20 mm, contendo

20

g de perclorato de magnésio p.a. (Mg(ClO 4 ) 2 );

Se a coloração não permanecer, adicionar mais solução de

permanganato de potássio 5%, até a permanência da cor.

-

contendo carvão ativo ou solução de permanganato de potássio 0,1 N e solução de ácido sulfúrico 10% em partes iguais; ou iodo 0,25% em solução de iodeto de potássio 3%;

dispositivo para absorção de vapores de mercúrio,

Adicionar a cada frasco 2 mL de solução de persulfato

de potássio 5%, cobrir, transferi-los para um banho-maria

(65°C - 70°C) e mantê-los por 2 h, agitando-os ocasio- nalmente.

- válvulas T;

4.5.2.5 Retirar os frascos do banho-maria e deixá-los esfriar

à temperatura ambiente.

- pinças e tubos de Tygon para conexões;

- monitor para detecção de mercúrio de vapor a frio;

NOTA - Alternativamente pode ser utilizado um sistema de detecção de mercúrio para operar em 253,6 nm, disponível comercialmente.

d) balança analítica, com precisão de 0,1 mg;

4.5.2.6 Adicionar à prova em branco e padrões 5 mL de solução de cloridrato de hidroxilamina 1,5%. A solução deve descolorir completamente. Após 30 s, adicionar 5 mL da solução de cloreto estanoso 10% e imediatamente tampar

o frasco com aerador.

4.5.2.7 Ligar a bomba de ar, registrando o sinal da absor-

vância até que se note a formação de um patamar.

Tabela 1 - Preparo de soluções de trabalho

Concentração de mercúrio µg/L Hg

Volume de solução (4.2.25) a completar para 100 mL com água de diluição (4.2.22)

mL

0,00

0,0 (branco)

0,50

0,5

1,00

1,0

2,00

2,0

5,00

5,0

 

4

NBR 13803:1997

4.5.2.8 Desligar a bomba, transferindo o aerador para um

frasco vazio de lavagem. Mudar a válvula seletora para a posição de limpeza da linha; ligar a bomba e aguardar até que a absorvância estabilize em zero.

4.5.2.9 Proceder com os demais frascos, um a um, conforme

4.5.2.6 a 4.5.2.8, sempre limpando a linha ao mudar de

frasco.

4.5.2.10 Construir uma curva de calibração, absorvân- cia x µg/L Hg em papel milimetrado, subtraindo o valor do branco em todos os resultados de absorvância obtidos para os padrões.

NOTA - Opcionalmente, pode-se determinar a equação da reta que melhor se adapte aos pontos obtidos, por meio de regressão linear.

4.5.3 Processamento da amostra

4.5.3.1 As amostras devem ser coletadas conforme a

NBR 9898.

4.5.3.2 Em frasco de DBO, colocar 100 mL da amostra ou

uma alíquota diluída a 100 mL.

4.5.3.3 Proceder conforme 4.5.2.2 a 4.5.2.8 ou 4.5.2.9.

4.5.3.4 Efetuar a análise de um ou mais padrões com cada

lote de amostras.

4.6 Expressão dos resultados

A concentração de mercúrio é dada por:

C = B x F

onde:

C é a concentração de mercúrio na amostra, em micrograma por litro de mercúrio;

B é o valor obtido da curva de calibração, correspon-

dente à diferença: leitura da amostra - leitura do branco, em micrograma por litro;

F é o fator de diluição da amostra.

à diferença: leitura da amostra - leitura do branco, em micrograma por litro; F é o