Você está na página 1de 8
GUIA PrÁTICO PArA cooperativas Saiba mais sobre o Minha Casa Minha Vida Valores • Juros

GUIA PrÁTICO PArA

cooperativas

Saiba mais sobre o Minha Casa Minha Vida

Valores • Juros • Subsídios • Parcelas • Prazos

Olá amigas e amigos! Esta cartilha foi elaborada pela COOHABRAS com o apoio do Ministério

Olá amigas e amigos!

Esta cartilha foi elaborada pela COOHABRAS com o apoio do Ministério das Cidades e da CAIXA para auxiliaras pessoas que querem construir suas casas pelo Programa Minha Casa Minha Vida de forma coletiva através de uma Cooperativa Habitacional.

Aqui você encontrará as informações necessárias sobre as regras básicas dos financiamentos disponíveis para famílias com renda de até R$ 1.600,00 (FAIXA 1) e para as famílias com renda de até R$ 3.275,00 (FAIXA 2).

O cooperativismo habitacional pode ser o caminho para a conquista de sua casa.

Visite nosso site e tenha mais informações:

www.coohabras.org.br

Boa Leitura. Um grande abraço.

Inês Magalhães Secretária Nacional de Habitação – Ministério das Cidades

Ivanio Dickmann Presidente da Coohabras

Perguntas e Respostas

O que é?

O Programa Minha Casa Minha Vida – PMCMV, foi instituído

pela Lei n o 11.977, de 7 de julho de 2009, e tem por finalidade criar mecanismos de incentivo à produção e aquisição de novas unidades habitacionais ou requalificação de imóveis urbanos e produção ou reforma de habitações rurais.

Quem pode participar?

FAIXA 1 – Famílias com renda de até r$ 1.600,00, organizadas por Cooperativas Habitacionais e Associações.

FAIXA 2 – Famílias com renda de até r$ 3.275,00, com Carta de

Crédito Individual ou organizados por Cooperativas Habitacionais

e Associações.

Como e Onde?

As cooperativas organizam seus cooperativados e cooperativadas

e representam os beneficiários durante todo o projeto e fazem

a transferência dos imóveis ao final da obra para cada uma das

famílias. Com os projetos prontos as cooperativas devem se habilitar junto ao Ministério das Cidades. Os projetos podem ser realizados em todo o território brasileiro.

Qual é o prazo?

FAIXA 1 – Prazo de pagamento em 120 parcelas, ou seja, 10 anos. FAIXA 2 – Prazo de pagamento em até 360 parcelas, ou seja, até 30 anos.

Qual é o valor da parcela?

FAIXA 1 – A parcela é de 5% da renda bruta mensal do beneficiário/a.

O valor mínimo é de r$ 25,00.

FAIXA 2 – A parcela varia conforme a renda e o valor do crédito.

Obtenha mais informações no site da Caixa (www.caixa.gov.br) e no site do Banco do Brasil (www.bb.com.br). Nestes sites você encontrará um simulador dos valores da parcela.

Valor P r a z o   J u r o s Parcela S u

ValorP r a z o   J u r o s Parcela S u b

P r a z o Prazo

 
  J u r o s

Juros

Parcela

Parcela

S u b s í d i o

Subsídio

Público

Público

Onde

Onde

Carência

Carência

4

4
Faixa
Faixa

Mínimo de R$ 49 mil. Máximo de R$ 76 mil.

120 meses (10 anos).

0,00% (zero por cento).

5% da renda bruta familiar mensal, valor mínimo (fixado) em R$ 25,00.

Diferença entre o Valor Bruto da prestação e o Valor Líquido da prestação.

Famílias com renda bruta mensal de até R$ 1.600,00.

Áreas urbanas localizadas no território nacional.

o prazo previsto para a execução das obras, limitado ao máximo de 36 meses.

atEnção! Você sabia que é permitida a participação de beneficiários com restrição cadastral no SPC

atEnção!

Você sabia que é permitida a participação de beneficiários com restrição cadastral no SPC – Serviço de Proteção ao Crédito e/ou SERASA.

Conforme a resolução n o 194 de 12 de dezembro de 2012, do Conselho Curador do Fundo do Desenvolvimento Social.

Então, não deixe de participar da cooperativa se, por acaso, você estiver temporariamente com alguma dívida, pois aqui você conhecerá seus direitos e aprenderá como resolver estes problemas de forma coletiva.

Entre para o grupo e inicie o processo de acesso à moradia.

Minha Casa Minha ViDa – EntiDaDEs

O

programa Minha Casa Minha Vida – Entidades tem por objetivo tornar

acessível a moradia para famílias com renda mensal bruta de até R$ 1.600,00,

organizadas em Cooperativas habitacionais ou Mistas, Associações e demais entidades privadas sem fins lucrativos como Entidades Organizadoras.

Os subsídios nesta linha de financiamento são oriundos do Orçamento Geral da União-OGU.

A

cooperativa habitacional deverá solicitar ao Gestor Local do Cadastro Único-

CADUNICO, a inserção ou atualização do beneficiários selecionados, ficando

responsável pelo acompanhamento.

 

Modalidades

   

Construção em Terreno Próprio;

   

Compra de Terreno, pagamento de Assistência Técnica e despesas com legalização, vinculada a posterior contratação da construção das unidades habitacionais;

Aquisição de Terreno e Construção;

a posterior contratação da construção das unidades habitacionais; • Aquisição de Terreno e Construção; 5

5

Valor P r a z o   Juros * P a r c e l

ValorP r a z o   Juros * P a r c e l a

P r a z o Prazo

 
  Juros *

Juros *

P a r c e l a

Parcela

S u b s í d i o

Subsídio

Público

Público

O n d e

Onde

Carência

Carência

6

6
Faixa
Faixa

até R$ 1.600,00

Valor de financiamento médio = R$ 57 mil

De R$ 1600,01 a R$ 2.455,00

Valor de financiamento médio = R$ 77 mil

De R$ 2.455,01 a R$ 2.790,00

Valor de financiamento médio = R$ 88 mil

De R$ 2.790,01 a R$ 3.275,00

Valor de financiamento médio = 97 mil

360 meses (30 anos). Taxas de juros para o mutuário pessoa física RENDA JUROS Até
360 meses (30 anos).
Taxas de juros para o mutuário pessoa física
RENDA
JUROS
Até R$ 2.455,00
5% aa
De R$ 2.455,01 a R$ 3.275,00
6% aa

Variável conforme a renda e o valor do crédito.

até R$ 25.000,00

pessoas Físicas com renda bruta mensal limitada a R$ 3.275,00.

Áreas urbanas e rurais localizadas no território nacional.

24 meses, podendo ser estendida por mais 12 meses, no máximo.

atEnção! São requeridos os seguintes documentos para a análise: • Documentos pessoais (RG e CPF).

atEnção!

São requeridos os seguintes documentos para a análise:

• Documentos pessoais (RG e CPF).

• Ficha cadastro habitacional.

• Comprovação de renda (formal ou informal):

– IrPF (Imposto de renda Pessoa Física)

– Análise cadastral (SPC/SErASA/BACEN/CADIN)

– CADMUT – Cadastro Nacional de Mutuário

• Análise de risco / capacidade de pagamento

(realizada na agência, na entrega dos documentos).

CaRta DE CRéDito assoCiatiVo

A Carta de Crédito Associativo visa oferecer moradias para famílias organizadas

em grupos associativos (condomínios, sindicatos, Cooperativas Habitacionais, associações, pessoas jurídicas voltadas à produção habitacional ou Companhias de Habitação ou órgãos assemelhados).

Os subsídios nesta linha de financiamento são oriundos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço-FGTS.

O programa confere financiamento para pessoas que não detenham,

em qualquer parte do país, outro financiamento ativo nas condições do Sistema Financeiro da Habitação – SFH e NãO sejam proprietários, promitentes compradores, arrendatários ou titulares de direito de aquisição de imóvel residencial no local de residência ou em outro que pretenda fixar.

* os trabalhadores detentores de conta vinculada ativa do FGts ainda são beneficiados com redução de 0,5% ao ano.

* os trabalhadores detentores de conta vinculada ativa do FGts ainda são beneficiados com redução de

7

Nossos Contatos: (11) 5061-1372 www.coohabras.org.br Apoiadores: Parceiros: Ministério das Cidades
Nossos Contatos: (11) 5061-1372 www.coohabras.org.br Apoiadores: Parceiros: Ministério das Cidades
Nossos Contatos: (11) 5061-1372 www.coohabras.org.br Apoiadores: Parceiros: Ministério das Cidades
Nossos Contatos: (11) 5061-1372 www.coohabras.org.br Apoiadores: Parceiros: Ministério das Cidades

Nossos Contatos:

(11) 5061-1372

www.coohabras.org.br

Apoiadores:

Nossos Contatos: (11) 5061-1372 www.coohabras.org.br Apoiadores: Parceiros: Ministério das Cidades

Parceiros:

Ministério das

Cidades

Nossos Contatos: (11) 5061-1372 www.coohabras.org.br Apoiadores: Parceiros: Ministério das Cidades
Nossos Contatos: (11) 5061-1372 www.coohabras.org.br Apoiadores: Parceiros: Ministério das Cidades