Você está na página 1de 13

SEMINÁRIO ADVENTISTA LATINO AMERICANO DE TEOLOGIA

ANÁLISE DO CONCEITO DE PECADO NO PENTATEUCO

CACHOEIRA – BA
2009
WEVERTON DE PAULA CASTRO

1
ANÁLISE DO CONCEITO DE PECADO NO PENTATEUCO

Trabalho apresentado ao Seminário Adventista


Latino-americano de Teologia como requisito
obrigatório para obtenção de nota na disciplina
de Teologia Sistemática II.

CACHOEIRA – BA
2009
SUMÁRIO

2
1- INTRODUÇÃO .................................................................................................................... 4

2- PECADO NO LIVRO DE GÊNESIS ................................................................................... 5

3- PECADO NO LIVRO DE ÊXODO ..................................................................................... 7

4- PECADO NO LIVRO DE LEVÍTICO ................................................................................. 9

5- PECADO NO LIVRO DE NÚMEROS .............................................................................. 11

6- PECADO NO LIVRO DE DEUTERONÔMIO ................................................................. 13

1- INTRODUÇÃO

A bíblia é o livro que narra a história da raça humana neste planeta. Nela encontramos uma
abordagem da vida neste planeta desde sua criação, queda e restauração futura. A partir de sua

3
primeira página vemos um cordão vermelho que atravessa todo o seu conteúdo mostrando a
misericórdia de Deus pelo homem.

Junto com a história da graça divina vemos caminhando lado a lado as conseqüências do
pecado esboçado na vida do ser humano. O sofrimento, morte e separação entre a criatura e o
Criador gerada pelo pecado. Neste breve pesquisa deteremos algum tempo a estudar o conceito do
Pecado nos cinco primeiros livros da bíblia, nos quais podemos vislumbrar uma visão geral do
problema e a solução do pecado em nosso planeta.

2- PECADO NO LIVRO DE GÊNESIS

O livro de Gênesis, como o nome propõe, narra o inicio da vida neste planeta. Abrange a
criação do homem, sua queda e o plano divino para trazê-lo de volta ao Édem. Desde seus primeiros
capítulos podemos notar a noção de pecado em sua fase inicial demonstrada pela bíblia.

4
1º. Pecado e a reação Divina – Embora já houvesse havido a queda do casal Adão e Eva do
jardim do Édem, somente é mencionado a palavra pecado na bíblia no homicídio de Caim em seu
irmão Abel.

4:7 – “Se procederes bem, não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes mal, eis que
o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo.”

Aqui na primeira referência de pecado na bíblia vemos Deus demonstrando Sua preocupação
com o pecador. No contexto temos o diálogo entre Deus e Caim. O que chama a atenção é que Deus
faz perguntas a Caim das quais Ele (Deus) já sabia as respostas, porém vemos aqui uma alusão ao
jardim do Édem, quando Deus vai até o casal pecador, e também através de perguntas, mostra Sua
preocupação com o pecador.

2º. Pecado e sua conseqüência – Em Sodoma e Gomorra vemos a segunda referência a


palavra pecado na bíblia. Interessante é que nesta passagem vemos um pequeno quadro do juízo
divino contra o pecador que não muda de rumo. Neste segundo verso vemos o equilíbrio do amor e
da justiça Divina quando comparamos com a história de Caim. Na primeira o homem peca e Deus
corre atrás, se preocupa e mostra a solução. Mas, quando o homem não aceita o conselho divino
chegamos em Sodoma e Gomorra. A destruição certa causada pelo pecado.

18:20 – “Disse mais o SENHOR: Com efeito, o clamor de Sodoma e Gomorra tem-se
multiplicado, e o seu pecado se tem agravado muito.”

3º. Pecado na vida do pai da Fé – Se em Caim vemos Deus se preocupando com o pecador,
em Sodoma e Gomorra a conseqüência do pecado, agora em Abraão vemos novamente uma nova
faceta do pecado na vida o ser humano: até os grandes homens pecam.

20:9 – “Então, chamou Abimeleque a Abraão e lhe disse: Que é isso que nos fizeste? Em que
pequei eu contra ti, para trazeres tamanho pecado sobre mim e sobre o meu reino? Tu me fizeste o
que não se deve fazer.”

4º. Pecado e os relacionamentos I– Na história de Jacó e seu cunhado percebemos o grande


problema que se desenvolve por causa da inveja que a prosperidade Jacó causou entre seus
familiares.

31:36 – “Então, se irou Jacó e altercou com Labão; e lhe disse: Qual é a minha
transgressão? Qual o meu pecado, que tão furiosamente me tens perseguido?”

5º Pecado e os relacionamentos II – Na história de José e seus irmão notamos de maneira


mais ampla o efeito do pecado sobre o relacionamento. Novamente a inveja que transformou um
anjo em demônio, leva irmãos se voltarem contra outro do próprio sangue. Mas a mesma história
que traz esta triste narrativa mostra que o pecado não compensa pois os próprios irmãos mais tarde
tiveram que reconhecer seu terrível erro.

50:17 - “Assim direis a José: Perdoa, pois, a transgressão de teus irmãos e o seu pecado,
porque te fizeram mal; agora, pois, te rogamos que perdoes a transgressão dos servos do Deus de
teu pai. José chorou enquanto lhe falavam.”

5
Que grande paradoxo entre José e seus irmãos. Enquanto o pecado havia separado a família,
José usa o perdão para uni-la novamente. Assim, na grande família celestial, o perdão de Jesus é a
ponte que une o ser humano pecador ao grande Pai.

2- PECADO EM ÊXODO

1º- Pecado imperdoável – o livro de Êxodo começa com a história de Moisés. Na mesma
vemos a palavra pecado sendo usada para Faraó, o rei do Egito que apesar de reconhecer que estava
errado, seu arrependimento era superficial, por ir contra a vontade de Deus, o restante de sua
história mostra que seu coração se endureceu a tal ponto que seu pecado se tornou para morte.

6
10:17 – “Agora, pois, peço-vos que me perdoeis o pecado esta vez ainda e que oreis ao
SENHOR, vosso Deus, que tire de mim esta morte.”

2º- Pecado e a solução divina – A solução para o pecado é a nota tônica em todo o livro de
Êxodo. Isto fica claro quando recorremos à língua original da bíblia e descobrimos que a mesma
palavra usada para pecado é utilizada para “oferta pelo pecado”, a primeira forma o homem que
desenvolve, a segunda é projeto divino.

29:14 “mas a carne do novilho, a pele e os excrementos, queimá-los-ás fora do arraial; é


sacrifício pelo pecado.”

29.36 – “Também cada dia prepararás um novilho como oferta pelo pecado para as
expiações; e purificarás o altar, fazendo expiação por ele mediante oferta pelo pecado; e o ungirás
para consagrá-lo.”

30:10 – “Uma vez no ano, Arão fará expiação sobre os chifres do altar com o sangue da
oferta pelo pecado; uma vez no ano, fará expiação sobre ele, pelas vossas gerações; santíssimo é
ao SENHOR.”
Nos três versos acima as partes grifadas correspondem a palavra taJ'äx; (((Ḥat÷t÷āt)
que, como mencionamos antes, traz em si tanto o problema quanto a solução para o pecado. Esta
palavra sintetiza todas as história na bíblia nas quais sempre vemos o efeito do pecado na
humanidade e o plano de Deus pela mesma.

3º - O Pecado e as conseqüências – Na narrativa a seguir descreve o momento em que o


povo de Israel se desvia completamente de Deus e adora abertamente outro deus feito das jóias
trazidas do Egito.

32:21 “Depois, perguntou Moisés a Arão: Que te fez este povo, que trouxeste sobre ele
tamanho pecado?

O pecado de Arão trouxe grandes conseqüências sobre o povo. É interessante notar que
Moisés não enfatiza primeiramente a falta do povo, mas do líder que havia ficado em seu lugar,
Arão. Por este pecado grande parte do povo foi morto e a nação como um todo chegou perto de ser
rejeitada por Deus.

4º. O Pecado e o intercessor pelo pecador – Na narrativa a seguir de quatro versos seguidos
vemos em uma alusão de toda a história do pecado em nosso planeta.

32:30 - “No dia seguinte, disse Moisés ao povo: Vós cometestes grande pecado; agora,
porém, subirei ao SENHOR e, porventura, farei propiciação pelo vosso pecado. 31 Tornou Moisés
ao SENHOR e disse: Ora, o povo cometeu grande pecado, fazendo para si deuses de ouro. 32
Agora, pois, perdoa-lhe o pecado; ou, se não, risca-me, peço-te, do livro que escreveste... 34 Vai,
pois, agora, e conduze o povo para onde te disse; eis que o meu Anjo irá adiante de ti; porém, no
dia da minha visitação, vingarei, neles, o seu pecado.”

7
a- o povo comete grande pecado, b- aparece um intercessor pelo povo que arrisca sua própria
vida para salvá-los, c- Deus perdoa o povo, d- o povo, nos versos seguintes, se divide em dois
grupos, os que aceitam o intercessor vivem e os que não aceitam, morrem.

5º. O Pecado e Deus – nesta passagem temos a descrição que Moisés faz de Deus. Vemos um
contraste entre a o conceito que Moisés tinha de Deus e como o povo de Israel O via. Embora
ambos, tanto Moisés como o povo, vissem diariamente o cuidado de Jeová por eles, apenas Moisés
conhecia de fato a Deus.

34:7 – “que guarda a misericórdia em mil gerações, que perdoa a iniqüidade, a transgressão
e o pecado, ainda que não inocenta o culpado, e visita a iniqüidade dos pais nos filhos e nos filhos
dos filhos, até à terceira e quarta geração!”

6º. O Pecado e a oração do Pecador – Não poderia haver verso mais bonito e profundo para
concluir a idéia de pecado no livro de Êxodo.

34.9 – “e disse: Senhor, se, agora, achei graça aos teus olhos, segue em nosso meio conosco;
porque este povo é de dura cerviz. Perdoa a nossa iniqüidade e o nosso pecado e toma-nos por tua
herança.”

Neste contexto temos a decepção divina com o povo de Israel. Por causa do pecado deles,
Deus não poderia acompanhá-los. Porém em seguida vemos Moisés reconhecendo que sem Deus
Israel não era nada. Há o arrependimento do povo e a resposta divina.

34:10 – “Então, disse (Deus): Eis que faço uma aliança; diante de todo o teu povo farei
maravilhas que nunca se fizeram em toda a terra, nem entre nação alguma, de maneira que todo
este povo, em cujo meio tu estás, veja a obra do SENHOR; porque coisa terrível é o que faço
contigo.”

3 – PECADO EM LEVÍTICOS

No livro de Levíticos encontramos o lugar onde mais ocorre a palavra pecado no Pentateuco.
Porém a peculiaridade do livro é que a grande quantidade de versos que aparecem com a palavra
pecado não estão associados com atos errados mas com a solução divina para o mesmo. Geralmente
encontramos a expressão “oferta pelo pecado” como a maneira do homem conseguir o perdão
divino. Nos versos a seguir temos uma grande lista com o versos que trazem a palavra pecado
associada com oferta como meio de obtenção de perdão.

Levíticos - 4:3, 4:14, 4:20, 4:21, 4:24, 4:25, 4:29, 4:32, 4:33, 4:34, 5:6, 5:7, 5:8, 5:9, 5:10,
5:11, 5:12, 5:13, 6:17, 6:25, 6:30, 7:7, 7:37, 8:2, 8:14, 9:2, 9:3, 9:7, 9:15, 9:22, 10:16, 10:17,

8
10:19, 12:6, 12:8, 14:13, 14:19, 14:22, 14:31, 15:15, 15:30, 16:3, 16:5, 16:6, 16:9, 16:11, 16:15,
6:25, 16:27, 23:19

A- Pecado e o sacrifício – Como observado na introdução deste capítulo, a solução para o


problema do pecado é dada por Deus através dos sacrifícios de cordeiros como um símbolo da
morte de Jesus.

4:23 “ou se o pecado em que ele caiu lhe for notificado, trará por sua oferta um bode sem
defeito.”

4:26 “Toda a gordura da oferta, queimá-la-á sobre o altar, como a gordura do sacrifício
pacífico; assim, o sacerdote fará expiação por ele, no tocante ao seu pecado, e este lhe será
perdoado.”

4:28 “ou se o pecado em que ela caiu lhe for notificado, trará por sua oferta uma cabra sem
defeito, pelo pecado que cometeu.”

4:35 “Tirará toda a gordura, como se tira a gordura do cordeiro do sacrifício pacífico; o
sacerdote a queimará sobre o altar, em cima das ofertas queimadas do SENHOR; assim, o
sacerdote, por essa pessoa, fará expiação do seu pecado que cometeu, e lhe será perdoado.”

B- Pecado e sua resolução – Embora Levíticos deixa bem clara a salvação pelo Graça
mediante a morte de um cordeiro, também menciona várias vezes a responsabilidade do homem na
resolução no problema do pecado. Em muitos casos apenas matar o cordeiro não era suficiente para
o perdão do transgressor, era necessário que houvesse uma expressão externa de arrependimento, e
tal expressão se dava, muitas vezes, na restituição por parte do transgressor para a parte afetada por
seu erro.

6:4 “será, pois, que, tendo pecado e ficado culpada, restituirá aquilo que roubou, ou que
extorquiu, ou o depósito que lhe foi dado, ou o perdido que achou”

C- O Pecado e o sacerdote – No Antigo Testamento temos muitos tipos de Cristo que se


cumprem no Novo Testamento. O sacerdote faz parte destes tipos cristológicos quanto a seu
envolvimento no processo de perdão dos pecados.

6:26 “O sacerdote que a oferecer pelo pecado a comerá; no lugar santo, se comerá, no pátio
da tenda da congregação.”

O sacerdote levava sobre si, simbolicamente, os pecados da nação de Israel. Ele era o
representante do povo, apontando assim para o grande Sacerdote Celestial.

D- O Pecado e a transcrição divina – Outro ponto que relevante em Levíticos é a maneira


como Deus transcreve detalhadamente a maneira do homem alcançar o perdão de seus pecados. Na
verdade, Levíticos é a literatura que servia como manual para um sacerdote conhecer as regras que
regiam as cerimônias.

9:10 “Mas a gordura, e os rins, e o redenho do fígado da oferta pelo pecado queimou sobre o
altar, como o SENHOR ordenara a Moisés.”

E- O Pecado e sua conseqüência – em todos os livros do Pentateuco encontramos as


conseqüências que o pecado traz sobre o pecador. Em Levíticos estas conseqüências são tratadas

9
como em forma de advertência, conselho e ordem. Todas as formas, interpretadas como se queira,
sempre visava preservar a vida da nação de Israel.

20:20 “Também se um homem se deitar com a sua tia, descobriu a nudez de seu tio; seu
pecado sobre si levarão; morrerão sem filhos.”

22:9 “Guardarão, pois, a obrigação que têm para comigo, para que, por isso, não levem
sobre si pecado e morram, havendo-o profanado. Eu sou o SENHOR, que os santifico.”

4- PECADO EM NÚMEROS

A. O Pecado e a solução divina – Em todos os livros do Pentateuco dois pontos são


destacados claramente: a- o pecado e sua conseqüência, b- a solução divina para o pecado. Em
números encontramos uma introdução ressaltando novamente a solução para o pecador: a oferta
pelo pecado.

6:14 “Ele apresentará a sua oferta ao SENHOR, um cordeiro de um ano, sem defeito, em
holocausto, e uma cordeira de um ano, sem defeito, para oferta pelo pecado, e um carneiro, sem
defeito, por oferta pacífica”

6:16 “O sacerdote os trará perante o SENHOR e apresentará a sua oferta pelo pecado e o
seu holocausto”

7:16, 22, 28, 34, 40, 46, 52, 58, 64, 70, 76, 82. “um bode, para oferta pelo pecado”

10
7:87 “todos os animais para o holocausto foram doze novilhos; carneiros, doze; doze
cordeiros de um ano, com a sua oferta de manjares; e doze bodes para oferta pelo pecado.”

8:8 “e tomarão um novilho, com a sua oferta de manjares de flor de farinha, amassada com
azeite; tu, porém, tomarás outro novilho para oferta pelo pecado.”

8:12 “Os levitas porão as mãos sobre a cabeça dos novilhos; e tu sacrificarás um para
oferta pelo o pecado e o outro para holocausto ao SENHOR, para fazer expiação pelos levitas.”

15:24 “será que, quando se fizer alguma coisa por ignorância e for encoberta aos olhos da
congregação, toda a congregação oferecerá um novilho, para holocausto de aroma agradável ao
SENHOR, com a sua oferta de manjares e libação, segundo o rito, e um bode, para oferta pelo
pecado.”

15:25 “O sacerdote fará expiação por toda a congregação dos filhos de Israel, e lhes será
perdoado, porquanto foi erro, e trouxeram a sua oferta, oferta queimada ao SENHOR, e a sua
oferta pelo pecado perante o SENHOR, por causa do seu erro.”

15:27 “Se alguma pessoa pecar por ignorância, apresentará uma cabra de um ano como
oferta pelo pecado.”

18:9 “Isto terás das coisas santíssimas, não dadas ao fogo: todas as suas ofertas, com todas
as suas ofertas de manjares, e com todas as suas ofertas pelo pecado, e com todas as suas ofertas
pela culpa, que me apresentarem, serão coisas santíssimas para ti e para teus filhos.”

19:9 “Um homem limpo ajuntará a cinza da novilha e a depositará fora do arraial, num
lugar limpo, e será ela guardada para a congregação dos filhos de Israel, para a água
purificadora; é oferta pelo pecado.”

19:17 “Para o imundo, pois, tomarão da cinza da queima da oferta pelo pecado e sobre esta
cinza porão água corrente, num vaso.”

28:15 “Também se trará um bode como oferta pelo pecado, ao SENHOR, além do
holocausto contínuo, com a sua libação.”

28:22; 29:5 “e um bode, para oferta pelo pecado, para fazer expiação por vós.”

29:11 “um bode, para oferta pelo pecado, além da oferta pelo pecado, para fazer expiação, e
do holocausto contínuo, e da sua oferta de manjares com as suas libações.”

29:16; 29:19; 29:22; 29:25; 29:28; 29:31; 29:34; 29:38 - “e um bode, para oferta pelo
pecado, além do holocausto contínuo, a sua oferta de manjares e a sua libação.”

B. O Pecado e suas conseqüências – como se necessária, as conseqüências para o pecador


sempre são apresentadas em todos os livros do Pentateuco. Não sendo diferente, no livro de
Números temos uma grande lista de passagens que mostram as conseqüências da transgressão na
vida do pecador.

9:13 “Porém, se um homem achar-se limpo, e não estiver de caminho, e deixar de celebrar a
Páscoa, essa alma será eliminada do seu povo, porquanto não apresentou a oferta do SENHOR, a
seu tempo; tal homem levará sobre si o seu pecado.”

11
18:22 “E nunca mais os filhos de Israel se chegarão à tenda da congregação, para que não
levem sobre si o pecado e morram.”

18:32 “Pelo que não levareis sobre vós o pecado, quando deles oferecerdes o melhor; e não
profanareis as coisas sagradas dos filhos de Israel, para que não morrais.”

21:7 “Veio o povo a Moisés e disse: Havemos pecado, porque temos falado contra o
SENHOR e contra ti; ora ao SENHOR que tire de nós as serpentes. Então, Moisés orou pelo
povo.”

27:3 “Nosso pai morreu no deserto e não estava entre os que se ajuntaram contra o
SENHOR no grupo de Corá; mas morreu no seu próprio pecado e não teve filhos.”

C. O Pecado e o arrependimento – O homem pecou, merecia a morte, mas Deus em seu


grande amor cria um meio para restaurar o ser humano a família divina. Mas ante o plano da
salvação é necessário um resposta da parte do homem. Tal necessária resposta é o arrependimento.

12:11 “Então, disse Arão a Moisés: Ai! Senhor meu, não ponhas, te rogo, sobre nós este
pecado, pois loucamente procedemos e pecamos.”

14:40 “Levantaram-se pela manhã de madrugada e subiram ao cimo do monte, dizendo: Eis-
nos aqui e subiremos ao lugar que o SENHOR tem prometido, porquanto havemos pecado.”

32:23 “Porém, se não fizerdes assim, eis que pecastes contra o SENHOR; e sabei que o
vosso pecado vos há de achar.”

E- PECADO EM DETEURONOMIO

Em Deteurônomio temos um resumo de todo Pentateuco. Neste livro temos o cenário do povo
de Israel prestes a entrar na terra da promessa e Moisés neste momento aproveita a ocasião e deixa
alguns ensinamentos quando a necessidade da obediência para a permanência do povo em Canaã.
Se o povo precisou ser fiel a Deus até as portas da terra prometida, muito mais precisariam
obedecer-lhe agora que a haviam conquistada.

1. O Pecado e a separação de Deus – Moisés começa sua narrativa dos principais pontos do
povo e Israel contando o momento em que o povo escolheu servir a um bezerro de ouro do que
continuar fiel a Deus. Porém a tônica desta narrativa é que não é Deus que se separa do pecador,
mas o pecador que se desvia de Deus.

9:16 “Olhei, e eis que havíeis pecado contra o SENHOR, vosso Deus; tínheis feito para vós
outros um bezerro fundido; cedo vos desviastes do caminho que o SENHOR vos ordenara.”

2. O Pecado e seu Intercessor – Como descrito em Êxodo, Moisés enfatiza o ponto em que
precisou atuar como intercessor do povo perante Deus, porém, o que Moisés não sabia é que estava
ilustrando o papel que Jesus Cristo faria futuramente pelo pecador no santuário celestial.

12
9:18 “Prostrado estive perante o SENHOR, como dantes, quarenta dias e quarenta noites;
não comi pão e não bebi água, por causa de todo o vosso pecado que havíeis cometido, fazendo
mal aos olhos do SENHOR, para o provocar à ira.”

9:27 “Lembra-te (Senhor) dos teus servos Abraão, Isaque e Jacó; não atentes para a dureza
deste povo, nem para a sua maldade, nem para o seu pecado”

3. O Pecado e a Santificação – Como o povo já estava prestes a entrar na Canaã que Deus
tinha prometido, Moisés tem em sua mente a preocupação de deixar algumas lições antes de sua
morte. Seus ensinamentos diziam respeito a santidade que o povo precisaria ter na terra que o
Senhor daria a eles. Tal santidade era o requisito para que a benção não fosse retirada de Israel.

15:9 “Guarda-te não haja pensamento vil no teu coração, nem digas: Está próximo o sétimo
ano, o ano da remissão, de sorte que os teus olhos sejam malignos para com teu irmão pobre, e
não lhe dês nada, e ele clame contra ti ao SENHOR, e haja em ti pecado.”

19:15 “Uma só testemunha não se levantará contra alguém por qualquer iniqüidade ou por
qualquer pecado, seja qual for que cometer; pelo depoimento de duas ou três testemunhas, se
estabelecerá o fato.”

23:21 “Quando fizeres algum voto ao SENHOR, teu Deus, não tardarás em cumpri-lo;
porque o SENHOR, teu Deus, certamente, o requererá de ti, e em ti haverá pecado.”

24:15 “No seu dia, lhe darás o seu salário, antes do pôr-do-sol, porquanto é pobre, e disso
depende a sua vida; para que não clame contra ti ao SENHOR, e haja em ti pecado.”

Estes versos mostram que a o recebimento da terra prometida não isentava o povo de
continuar em restrita obediência aos mandamentos de Deus. Assim como Israel precisou do Senhor
até aquele momento eles ainda precisariam em todo o restante do tempo que passassem em Canaã.
Como Deus precisava que o povo se santificasse para que Ele pudesse habitar no meio deles, a luta
de Israel contra o pecado é que definiria se eles venceriam as lutas contras as nações que os
cercavam, pois com Deus, a vitória já era certa.

13