Você está na página 1de 29

ISUTC, 2014

Eng. Micas Rafael, MSc I21, I22

E t

s ru ura e f microco

t

d

mputador

ã

unç

o

o

I21, I22 E t s ru ura e f microco t d mputador ã unç o

Visão macro do MC, compon ents da placa-mãe e suas funções.

Evolução dos computa dores - Resumo

Evolução dos computa dores - Resumo 1946 1959: Computadores de primeira geração Circuitos eletrónicos e válvula

1946 1959: Computadores de

primeira geração

Circuitos eletrónicos e válvula s. Uso restrito. Precisa ser reprogramado a c ada tarefa.

Programação em linguagem de máquina. Grande consumo de energia . Problemas de aquecimento. Processamento em milésimos de segundo.

Resumo

Resumo ENIAC (Electrical Numerical Integrator and Calculator) . Universidade da Pensilvânia. 1943 concluído em

ENIAC (Electrical Numerical Integrator and Calculator) . Universidade da Pensilvânia. 1943 concluído em 1946 18000 válvulas. 140kw de potência.

Calculator) . Universidade da Pensilvânia. 1943 concluído em 1946 18000 válvulas. 140kw de potência.
Calculator) . Universidade da Pensilvânia. 1943 concluído em 1946 18000 válvulas. 140kw de potência.
Calculator) . Universidade da Pensilvânia. 1943 concluído em 1946 18000 válvulas. 140kw de potência.

Cont.

Cont. MAQUINA DE VON NEUMANN Possibilidade de alterar programas de forma mais fácil. Deu origem ao
Cont. MAQUINA DE VON NEUMANN Possibilidade de alterar programas de forma mais fácil. Deu origem ao
Cont. MAQUINA DE VON NEUMANN Possibilidade de alterar programas de forma mais fácil. Deu origem ao

MAQUINA DE VON NEUMANN

Possibilidade de alterar programas de forma mais fácil.

Deu origem ao computador com programa armazenado, o EDVAC e posteriormente o IAS.

O IAS é o protótipo de todos os computadores de uso geral

com programa armazenado, o EDVAC e posteriormente o IAS . O IAS é o protótipo de

Cont.

Cont. UNIVAC I (1947) Primeiro computador comercial de sucesso. Aplicações científicas e comerciais Memória: 1000

UNIVAC I (1947)

Primeiro computador comercial de sucesso.

Aplicações científicas e comerciais Memória:

1000 palavras.

12 caracteres cada.

computador comercial de sucesso. Aplicações científicas e comerciais Memória: 1000 palavras. 12 caracteres cada.

Cont.

Cont. UNIVAC II (1957) Aplicações científicas e comerciais Memória: 2000 a 10000 palavras

UNIVAC II (1957)

Aplicações científicas e comerciais Memória:

2000 a 10000 palavras

Cont. UNIVAC II (1957) Aplicações científicas e comerciais Memória: 2000 a 10000 palavras

Cont.

Cont. 1959 1965: Computadores de segunda geração Início do uso comercial Tamanho gigantesco Capacidade de

1959 1965: Computadores de

segunda geração

Início do uso comercial Tamanho gigantesco Capacidade de processame nto muito pequena Transístores no lugar de válvu las Programados em linguagem de montagem (Assembly) Processamento em microsseg undos

Cont.

Cont. Tinham cerca de 10 000 Menor + barato Dissipa menos calor
Cont. Tinham cerca de 10 000 Menor + barato Dissipa menos calor
Cont. Tinham cerca de 10 000 Menor + barato Dissipa menos calor
Cont. Tinham cerca de 10 000 Menor + barato Dissipa menos calor
Cont. Tinham cerca de 10 000 Menor + barato Dissipa menos calor
Cont. Tinham cerca de 10 000 Menor + barato Dissipa menos calor

Tinham cerca de 10 000

Menor + barato Dissipa menos calor

Cont.

Cont. 1965 1975: Computadores de terceira geração Circuitos integrados. Diminuição do tamanho. Maior

1965 1975: Computadores de

terceira geração

Circuitos integrados. Diminuição do tamanho. Maior capacidade de proce ssamento. Início dos computadores pes soais. Criação do CHIP. Processamento em nanos se gundos.

Cont.

Cont. A necessidade de muitos transístores impulsionou a criação dos circuitos integrados CI. IBM SYSTEM/360 (1964)

A necessidade de muitos transístores impulsionou a criação dos circuitos integrados CI.

Cont. A necessidade de muitos transístores impulsionou a criação dos circuitos integrados CI. IBM SYSTEM/360 (1964)
Cont. A necessidade de muitos transístores impulsionou a criação dos circuitos integrados CI. IBM SYSTEM/360 (1964)
Cont. A necessidade de muitos transístores impulsionou a criação dos circuitos integrados CI. IBM SYSTEM/360 (1964)

IBM SYSTEM/360 (1964)

Cont.

Cont.
Cont.

Cont.

Cont. havia nenhuma previsão real sobre o futuro do ha rdware, quando o então presidente da

havia nenhuma previsão real

sobre o futuro do ha rdware, quando o então presidente da Intel, Gordo n E. Moore fez sua profecia, na qual o número de tra nsistores dos chips teria um aumento de 100%, pelo m esmo custo, a cada período

Até meados de 1965 não

de 18 meses. Essa prof ecia tornou-se realidade e acabou ganhando o nom e de Lei de Moore.

Cont.

Cont. DEC PDP-8 Menor (cabia numa bancada de laboratório) MINICOMPUTADOR U$ 16.000 enquanto o IBM custava

DEC PDP-8

Menor (cabia numa bancada de laboratório)

MINICOMPUTADOR U$ 16.000

enquanto o IBM custava centenas de milhares de dólares.

(cabia numa bancada de laboratório) MINICOMPUTADOR U$ 16.000 enquanto o IBM custava centenas de milhares de

Cont.

Cont. Surgimento dos microprocessadores, em 1971, a INTEL desenvolveu um chip d componentes de uma CPU.

Surgimento dos microprocessadores, em 1971, a INTEL desenvolveu um chip d componentes de uma CPU.

con en

t

d

t

o

o

os os

Em 1974 a INTEL lançou o 8080, primeiro de uso geral.

um chip d componentes de uma CPU. con en t d t o o os os

Cont.

Cont. 1975 1981: Computadores de quarta geração -Miniaturização dos compone ntes (tendência da terceira geração)

1975 1981: Computadores de

quarta geração

-Miniaturização dos compone ntes (tendência da terceira geração)

Aperfeiçoamento dos Circuit os Integrados

Linguagens de programação de alto nível

Microcomputadores em esca la comercial

Cont.

Cont. Em seguida a Intel lançou o seu microprocessador de 32 bits 800 386 , em

Em seguida a Intel lançou o seu microprocessador de 32 bits 800386, em 1985

Cont. Em seguida a Intel lançou o seu microprocessador de 32 bits 800 386 , em
Cont. Em seguida a Intel lançou o seu microprocessador de 32 bits 800 386 , em
Cont. Em seguida a Intel lançou o seu microprocessador de 32 bits 800 386 , em

Cont.

Cont.
Cont.

Cont.

Cont.
Cont.
Cont.

Cont.

Cont. Intel i7 Ivy Bridge Cores: 4 Transistores: 1.4 Bilhões!

Intel i7 Ivy Bridge Cores: 4 Transistores: 1.4 Bilhões!

Cont. Intel i7 Ivy Bridge Cores: 4 Transistores: 1.4 Bilhões!

Cont.

Cont. Custo caiu drasticamente Desempenho e capacidade aument aram Com U$ 1000 compra-se um desktop com

Custo caiu drasticamente

Desempenho e capacidade aument aram

Com U$ 1000 compra-se um desktop com melhor desempenho que um mainframe

Possibilitando aplicações de incrível

Processamento de imagens: geopro cessamento

Reconhecimento de voz

Videoconferência

Modelagem e simulação

Servidores pequenos e poderosos qu e substituem datacenters imensos.

Tudo isso baseado praticamente na

complexidade e poder:

mesma arquitetura do IAS de 50 anos

atrás, entretanto, as técnicas para esp remer a última gota de desempenho dos materiais atuais tem se tornado ca da vez mais sofisticada.

Estrutura e função do

Computador.

Estrutura e função do Computador. Um computador pode ser vist o como um sistema formado por

Um computador pode ser vist o como um sistema formado por um conjunto estruturado de c omponentes, e sua função pode ser compreendida em termos das funções desses componentes.

Cada componente, por sua v ez, pode ser descrito em termos de sua estrutura e função inte rna.

Visão Macro do Comp utador Arquitec. De Von Newmann

Visão Macro do Comp utador Arquitec. De Von Newmann
Visão Macro do Comp utador Arquitec. De Von Newmann
Visão Macro do Comp utador Arquitec. De Von Newmann
Visão Macro do Comp utador Arquitec. De Von Newmann
Visão Macro do Comp utador Arquitec. De Von Newmann
Visão Macro do Comp utador Arquitec. De Von Newmann
Visão Macro do Comp utador Arquitec. De Von Newmann

Cont.

Cont.
Cont.
Cont.
Cont.
Cont.
Cont.
Cont.

Funcionamento básico

de Von Neumann

Funcionamento básico de Von Neumann Processo: dados + instruções e m uma memória comum. Dados inicialmente

Processo: dados + instruções e m uma memória comum.

Dados inicialmente armazena dos no disco que deve ser carregados na memória.

A CPU busca na memória as in struções através da UC.

Os dados devem ser trazidos d a memória para a ULA.

O resultado é armazenado na memória e o ciclo recomeça.

UC - Unidade de Controle

UC - Unidade de Controle Funções : Busca, interpretação e control e de execução das instruções,

Funções:

Busca, interpretação e control e de execução das instruções, e o

controle dos demais com onen tes do com utador

p

p

.

Envia ordens de cálculo para a UAL, que indica os valores a processar, e os coloca nos regis tradores para esse efeito.

A partir da UC a informação é transferida para as outras partes que constituem o comp utador, como a memória, os sistemas de E/S, etc

UAL - Unidade Aritméti ca e Lógica (ULA)

UAL - Unidade Aritméti ca e Lógica (ULA) Função : a execução efetiva d as instruções.

Função: a execução efetiva d as instruções.

Aglomerado de circuitos lógic os e componentes eletrônicos simples que, integrados, realiz am as operações aritméticas e lógicas (soma, subtração, mul tiplicação, divisão, AND, OR, XOR, complemento, deslocam ento, incremento e decremento).

Processadores modernos utiliz am mais de uma UAL.

Registradores

Registradores Função : armazenamento de d ados e resultados que serão usados pela UAL. Servem de

Função: armazenamento de d ados e resultados que serão usados pela UAL. Servem de memória auxiliar b ásica para a UAL.

Classificação (atual): registrad ores de uso geral e registradores de uso específico. Em geral, os registradores de d ados da UCP têm uma largura (quantidade de bits que pode m armazenar) igual ao tamanho estabelecido pelo fa bricante para a palavra do referido processador.

Em função de estarem dentro do processador, podem ser lidos e escritos a uma velocida de bastante alta.

Barramentos

Barramentos Conjunto de fios paralelos qu e permite a transmissão de dados, endereços, sinais de c

Conjunto de fios paralelos qu e permite a transmissão de dados, endereços, sinais de c ontrole e instruções

Tipos: barramentos internos e externos ao processador

Memória/processador: o pro cessador lê uma instrução ou dado.

Processador/memória: o pro cessador escreve dados memória.

Processador/ES: envia dados para dispositivos.

Memória/ES: transferência e

m ambas as direções. Utilização

de acesso direto a memória D MA.

Perguntas e Debates
Perguntas e Debates

Perguntas e Debates

Perguntas e Debates