Você está na página 1de 4

ORGANIZAÇÃO PROGRAMÁTICA – 3º CICLO

LEITURA
Resultados Descritores de desempenho Conteúdos Referencial de textos
esperados Textos Textos não
literários e literários
paraliterários
• Ler de forma fluente,
apreendendo o sentido global L - Definir uma intenção, seguir uma orientação e seleccionar
um percurso de
Leitor (DT C.1.2.)
Informação (DT C.1.1.)
• Narrativas da
literatura portuguesa,
• Ensaios; discursos.
• Descrições; retratos;
de textos com diferentes
intencionalidades e registos.
E leitura adequado (1). Bibliografia (DT C.1.2.) clássica e auto-retratos.
_ Utilizar, de modo autónomo, a leitura para localizar, Descritores temáticos contemporânea. • Textos científicos;
• Ler textos de diferentes
tipos e em suportes variados
R seleccionar, avaliar e Hipertexto (DT C.1.2.) • Narrativas da textos de
para obter informação, organizar a informação. Texto (D.T C.1.2.) literatura dos países de enciclopédias, de
organizar o conhecimento ou _ Utilizar procedimentos adequados à organização e Tema (DT C.1.2.) língua oficial dicionários, etc.;
para aceder a universos no P tratamento da informação: Propriedades Portuguesa. textos de manuais
plano do imaginário, − Tomar notas; identificar ideias-chave; configuradoras da • Narrativas da escolares.
adequando as estratégias de A − Elaborar e utilizar grelhas de registo; textualidade (DT literatura universal, • Notícia; reportagem;
leitura às finalidades visadas.
• Posicionar-se criticamente R − Esquematizar. C.1.2.) clássica e entrevista.
quanto à validade da _ Interpretar textos com diferentes graus de complexidade, Sequência textual (DT contemporânea. • Texto de opinião;
informação, seleccionando os A articulando os C.1.2.) • Literatura popular e crítica; comentário.
dados necessários à sentidos com a sua finalidade, os contextos e a intenção do Estratégia discursiva tradicional • Textos de blogues e
concretização de tarefas autor (2) (3): (DT C.1.1.) (cancioneiro, contos, fóruns de discussão.
específicas e mobilizando a
informação de acordo com os
C − Formular hipóteses sobre os textos; Contexto e co-texto; mitos, fábulas, lendas, • Propaganda;
− Identificar temas e ideias principais; Significação lexical (DT …). material de
princípios éticos do trabalho
intelectual.
O − Identificar pontos de vista e universos de referência; B.5.2.) • Narrativas juvenis de publicidade.
• Apreciar textos de N − Identificar causas e efeitos;
− Fazer inferências e deduções (4);
Processos
interpretativos
aventura, históricas,
policiais, de ficção
• Banda desenhada.
• Cartas; correio
diferentes tipos, analisando o
modo como a utilização S − Distinguir facto de opinião; inferenciais (DT C.1.2.) científica e fantásticas. electrónico; SMS;
intencional de recursos − Identificar elementos de persuasão; Figuras de retórica e • Narrativas juvenis de convites;
verbais e não verbais permite T − Identificar recursos linguísticos utilizados; tropos (C.1.3.1) carácter realista, com avisos; recados.
alcançar efeitos específicos.
• Posicionar-se enquanto R − Explicitar o sentido global do texto. Princípio de registo intimista, de • Regulamentos;
_ Identificar relações intratextuais, compreendendo de que pertinência (DT reflexão social. normas
leitor de obras literárias,
situando-as em função de U modo o tipo e a C.1.1.1.) • Textos dramáticos, • Roteiros, sumários,
intenção do texto influenciam a sua composição formal (5). Texto literário e texto espectáculos de teatro. notas, esquemas,
grandes marcos temporais e
geográfico-culturais e
I _ Comparar e distinguir textos, estabelecendo diferenças e não-literário • Poemas. planos.
reconhecendo aspectos
relevantes da
R semelhanças em Tipologia textual (texto • Crónicas. • Índices; ficheiros;
função de diferentes categorias (6). conversacional, • Relatos de viagem. catálogos; glossários
linguagem literária. _ Identificar e caracterizar as diferentes tipologias e géneros narrativo, • Biografias; • Currículo; carta de
• Estabelecer relações entre a
experiência pessoal e textos C textuais. (7)
_ Interpretar processos e efeitos de construção de significado
descritivo, expositivo,
argumentativo,
autobiografias.
• Diários; memórias.
apresentação.
de diferentes épocas e
culturas, tomando consciência O em textos instrucional, • Narrativa
do modo como as ideias, as multimodais (8). preditivo) (DT C.1.2.) historiográfica.
experiências e os valores são N Macroestruturas • Adaptações para
diferentemente representados
e aprofundando a construção H NOTAS:
(1) Activação de estratégias variadas de leitura: global, selectiva,
textuais (DT C.1.2.)
Microestruturas
filme e séries de
televisão de obras
de referentes culturais.
E analítica; leitura a partir de diferentes suportes da informação (texto
impresso, texto visual, texto digital, texto audiovisual).
textuais (DT C.1.2.) literárias.
C (2) Leitura de diferentes tipos de textos: narrativos, informativos,
científicos, etc., com orientações e objectivos claramente definidos.
I (3) Trabalho sobre o uso coerente de conectores e marcadores
M discursivos adequados à finalidade dos textos.
(4) P. ex., realização de trabalho sobre sentidos explícitos, implícitos
e indícios.
E (5) Cf. CEL: análise de marcas linguísticas específicas (processos
anafóricos, marcadores temporais, operadores lógicos e
N argumentativos, esquema dos tempos verbais, deícticos…); análise
de relações parte/todo, causa/consequência, genérico/específico, etc.
T (6) P. ex.: aspectos temáticos, formais, de género.
(7) Vd. Referencial de textos.
O (8) P. ex., análise da combinação da palavra escrita com sons e
imagens fixas ou em movimento.
(
S
)

Resultados Descritores de desempenho Conteúdos Referencial de textos


esperados Textos Textos não
literários e literários
paraliterários
• Ler de forma fluente,
apreendendo o sentido global L _ Expressar, de forma fundamentada e sustentada, pontos
de vista e
Semântica lexical:
significação e relações
• Narrativas da
literatura portuguesa,
• Ensaios; discursos.
• Descrições; retratos;
de textos com diferentes
intencionalidades e registos.
E apreciações críticas suscitados pelos textos lidos em semânticas entre clássica e auto-retratos.
diferentes suportes (1). palavras (DT B.5.2.) contemporânea. • Textos científicos;
• Ler textos de diferentes
tipos e em suportes variados
R _ Discutir diferentes interpretações de um mesmo texto, Intertexto/intertextuali • Narrativas da textos de
para obter informação, sequência ou parágrafo. dade (DT C.1.2.) literatura dos países de enciclopédias, de
organizar o conhecimento ou _ Identificar processos utilizados nos textos para influenciar - Alusão, paráfrase, língua oficial dicionários, etc.;
para aceder a universos no P o leitor (2). paródia Portuguesa. textos de manuais
plano do imaginário, _ Distinguir diferenças, semelhanças ou a novidade de um Contexto (DT C.1.1.) • Narrativas da escolares.
adequando as estratégias de A texto em relação a outro(s). Contexto extraverbal literatura universal, • Notícia; reportagem;
leitura às finalidades visadas.
• Posicionar-se criticamente R _ Reconhecer e reflectir sobre os valores culturais, estéticos, Contexto situacional clássica e entrevista.
quanto à validade da éticos, políticos e religiosos que perpassam nos textos. contemporânea. • Texto de opinião;
informação, seleccionando os A _ Comparar ideias e valores expressos em diferentes textos • Literatura popular e crítica; comentário.
dados necessários à de autores tradicional • Textos de blogues e
concretização de tarefas contemporâneos, com os de textos de outras épocas e (cancioneiro, contos, fóruns de discussão.
específicas e mobilizando a
informação de acordo com os
A culturas (3). mitos, fábulas, lendas, • Propaganda;
_ Ler por iniciativa e gosto pessoal, aumentando …). material de
princípios éticos do trabalho
intelectual.
P progressivamente a extensão e complexidade dos livros e • Narrativas juvenis de publicidade.
• Apreciar textos de R outros materiais que selecciona (4). aventura, históricas,
policiais, de ficção
• Banda desenhada.
• Cartas; correio
diferentes tipos, analisando o
modo como a utilização E NOTAS: científica e fantásticas. electrónico; SMS;
intencional de recursos (1) P. ex., mobilização dos conhecimentos prévios do aluno: sobre o • Narrativas juvenis de convites;
verbais e não verbais permite C assunto abordado, o tipo de texto. O trabalho incidirá sobre texto carácter realista, com avisos; recados.
alcançar efeitos específicos. escrito e fílmico.
• Posicionar-se enquanto I (2) Papel dos diferentes suportes (papel, digital, visual) e espaços de
registo intimista, de • Regulamentos;
reflexão social. normas
leitor de obras literárias,
situando-as em função de
A circulação (jornal, internet…) na estruturação, recepção e impacto
dos textos. • Textos dramáticos, • Roteiros, sumários,
espectáculos de teatro. notas, esquemas,
grandes marcos temporais e
geográfico-culturais e
R (3) Sentido e codificação cultural dos géneros e tipos textuais.
(4) Criação na aula de espaços de diálogo e partilha das leituras • Poemas. planos.
reconhecendo aspectos realizadas; divulgação de livros; incentivo à utilização da biblioteca • Crónicas. • Índices; ficheiros;
relevantes da escolar. • Relatos de viagem. catálogos; glossários
linguagem literária. T • Biografias; • Currículo; carta de
• Estabelecer relações entre a
experiência pessoal e textos E autobiografias.
• Diários; memórias.
apresentação.
de diferentes épocas e
culturas, tomando consciência X • Narrativa
do modo como as ideias, as
experiências e os valores são T historiográfica.
• Adaptações para
diferentemente representados
e aprofundando a construção
O filme e séries de
televisão de obras
de referentes culturais. S literárias.

V
A
R
I
A
D
O
S

Resultados Descritores de desempenho Conteúdos Corpus textual


esperados Textos literários e
paraliterários
• Ler de forma fluente,
apreendendo o sentido global L _ Analisar os paratextos para contextualizar e antecipar o
conteúdo de uma obra (1).
Paratexto; prefácio;
posfácio; epígrafe (DT
7º Ano – Um mínimo de:
• Três narrativas de autores portugueses.
de textos com diferentes
intencionalidades e registos.
E _ Exprimir opiniões e problematizar sentidos, como reacção C.1.2.) • Um conto tradicional.
pessoal à audição ou Enciclopédia
• Ler textos de diferentes
tipos e em suportes variados
R leitura de uma obra integral. (conhecimento do
• Um texto dramático de autor português
(incluindo literatura juvenil).
para obter informação, _ Caracterizar os diferentes modos e géneros literários. mundo) (DT C.1.1.) • Um conto de autor de país de língua oficial
organizar o conhecimento ou _ Analisar processos linguísticos e retóricos utilizados pelo Informação; universo portuguesa.
para aceder a universos no T autor na construção de de discurso (DT C.1.1) • Uma narrativa de autor estrangeiro.
plano do imaginário, uma obra literária (2) (3): Géneros e subgéneros
adequando as estratégias de E − analisar o ponto de vista (narrador, personagens); literários dos modos
• Dois textos da literatura juvenil.
leitura às finalidades visadas. • Poemas de subgéneros variados.
• Posicionar-se criticamente X − identificar marcas de enunciação e de subjectividade; narrativo, lírico e
− analisar as relações entre os diversos modos de dramático
quanto à validade da
informação, seleccionando os T representação do
discurso (4);
Níveis e categorias da
narrativa
8º Ano – Um mínimo de:
• Três narrativas de autores portugueses.
dados necessários à
concretização de tarefas
O − analisar o valor expressivo dos recursos retóricos. Elementos • Dois textos dramáticos de autores portugueses
_ Comparar o modo como o tema de uma obra é tratado em constitutivos da poesia
específicas e mobilizando a
informação de acordo com os
S outros textos. lírica (convenções
(incluindo literatura juvenil).
• Um conto de autor de país de língua oficial
princípios éticos do trabalho _ Explorar processos de apropriação e de (re)criação de versificatórias) portuguesa.
intelectual. texto narrativo, poético ou Elementos • Um texto de autor estrangeiro.
• Apreciar textos de L outro (5). constitutivos do drama • Dois textos da literatura juvenil.
diferentes tipos, analisando o _ Analisar recriações de obras literárias com recurso a e espectáculo teatral
modo como a utilização I diferentes linguagens (6). Enunciação;
• Poemas de subgéneros variados.
intencional de recursos
verbais e não verbais permite T _ Valorizar uma obra enquanto objecto simbólico, no plano enunciado; enunciador
9º Ano – Um mínimo de:
alcançar efeitos específicos. do imaginário (DT C.1.1.)
• Posicionar-se enquanto E individual e colectivo. Autor (DT C.1.2.); • Duas narrativas de autores portugueses.
_ Reconhecer e reflectir sobre as relações que as obras Estilo (DT C.1.2.) • Duas crónicas.
leitor de obras literárias,
situando-as em função de
R estabelecem com o Significado (DT B.6.); • Um conto de autor de país de língua oficial
grandes marcos temporais e
geográfico-culturais e
Á contexto social, histórico e cultural no qual foram escritas Sentido (DT C1.2.); portuguesa.
(7). Plurissignificação (DT • Um texto de autor estrangeiro
reconhecendo aspectos
relevantes da
R C.1.2.) • Um texto da literatura juvenil
linguagem literária. I NOTAS:
(1) Mobilização dos conhecimentos prévios do leitor; descodificação
Figuras de retórica e
tropos (DT C.1.3.1)
• Poemas de subgéneros variados
• Uma peça teatral de Gil Vicente
• Estabelecer relações entre a
experiência pessoal e textos O de indícios vários.
(2) Sensibilização para a dimensão estética da literatura e para a
- de natureza • Passos do poema narrativo Os Lusíadas, com
de diferentes épocas e fonológica: aliteração; particular incidência nos seguintes episódios e
culturas, tomando consciência S especificidade da linguagem literária.
assonância; estâncias:
do modo como as ideias, as (3) Recurso a representações conceptuais de obras lidas, de forma a
consolidar a sua apropriação. - de natureza o Canto I – estâncias 1-3: Proposição.
experiências e os valores são
(4) P. ex., funções da descrição na narração, funções do diálogo. sintáctica: hipérbato; o Narração (1): Viagem para a Índia:
diferentemente representados
e aprofundando a construção (5) P. ex., proposta de alternativas distintas das do autor, mas apóstrofe; _ Canto I – estâncias 19-41: Concílio dos Deuses;
de referentes culturais. compatíveis com a estrutura nuclear do texto; articular com - de natureza _ Canto IV - estâncias 84-93: Despedidas em
actividades de leitura oral, recitação, dramatização e outras formas Belém;
de expressão estética.
semântica: antítese;
alusão; metonímia; _ Canto V – estâncias 39-60: O Adamastor;
(6) Trabalho com filmes, séries de TV, representações teatrais,
pintura, publicidade, ilustrações, etc. hipérbole. _ Canto VI – estâncias 70-94: Tempestade e
(7) Estabelecimento e exploração de relações com a variação e Intertexto/ chegada à Índia.
normalização linguística. Cf. CEL, Plano da Língua, Variação e Intertextualidade (DT o Narração (2): História de Portugal:
Mudança. C.1.2.) _ Canto III – estâncias 118-135: Inês de Castro.
Texto literário e texto o Canto X – estâncias 142-144: despedida de
não-literário Tétis e regresso a Portugal; 145-146/154-156:
Interdiscurso/ lamentações, exortação a D. Sebastião e
interdiscursividade (DT referência a futuras glórias.
C.1.1.)
Contexto
Contexto extraverbal:
situacional,
sociocultural, histórico,
(DT C.1.1.)