Você está na página 1de 34

UNIVERSIDADE PAULISTA SEI – SISTEMA DE ENSINO INTERATIVO

Projeto Integrado Multidisciplinar VI FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica

Campus Guaxupé – MG

2013

ANDRÉIA MARA VIEIRA – RA 1114551

Projeto Integrado Multidisciplinar VI FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica

Projeto Integrando Multidisciplinar VI sobre FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica, corresponde ao levantamento de características e práticas existentes na mesma, por meio de uma visão da estrutura e processos organizacionais apresentado à Universidade Paulista – UNIP.

Campus Guaxupé – MG

2013

RESUMO

Este trabalho tem por finalidade apresentar o levantamento referente ao conteúdo estudado das disciplinas Plano de Negócios, Modelos de Liderança, Ética e Legislação:

trabalhista e empresarial e a aplicação destas nas atividades diárias da FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica. Pesquisando documentos e acompanhando atividades realizadas pela fundação, procuramos descrever neste trabalho a maneira como seus dirigentes buscam atingir os objetivos da mesma, que por não ter fins lucrativos, direciona todos os seus resultados financeiros para a melhoria do ensino no colégio que administra, Lyceu e no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas – Campus Muzambinho, onde a fundação é sediada.

PALAVRAS-CHAVE: Plano de Negócios, Acompanhamento do Desenvolvimento e Desempenho, Modelos de Liderança, Ética e Legislação Trabalhista e Empresarial.

ABSTRACT

This work aims at presenting a survey on the content of the disciplines studied Business Plan Templates, Leadership, Ethics and Law: labor, business and the implementation of these activities of daily FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica. Searching documents and monitoring activities conducted by the foundation, we describe in this paper how its leaders seek to achieve the same goals, which is not for profit, directs all its financial results for the improvement of teaching in the college that administers, and Lyceum Federal Institute of Education, Science and Technology of South Minas - Campus Muzaffarpur, where the foundation is headquartered. KEYWORDS: Business Plan Development and Monitoring Performance Models of Leadership, Ethics and Law Labor and Business.

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO

07

2. O PRODUTO/SERVIÇO

08

3. ORGANOGRAMA

10

4. O MERCADO

11

5. DEMANDA/OFERTA DE VAGAS

12

6. ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS

13

7. BALANCETE

14

8. ANÁLISE SWOT DA EMPRESA

23

9. PLANO DE MARKETING

24

10. ESTUDO DE VIABILIDADE FINANCEIRA

25

11. MODELOS DE LIDERANÇA

26

12. ÉTICA E LEGISLAÇÃO: TRABALHISTA E EMPRESARIAL

30

13. CONSIDERAÇÕES FINAIS

32

14. CONCLUSÃO

33

15. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

34

SUMÁRIO EXECUTIVO

No plano de negócios que se segue, a FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica tem como missão dentro do colégio Lyceu de estruturá-lo como escola comprometida com a educação integral de seus educandos, assegurando-lhes a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecendo-lhes meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores.

Estabelecer um elo privilegiado entre sua equipe de profissionais e seus alunos que esperam e apreciam qualidade e excelência em suas atividades.

Muzambinho possui parte de sua população local, um público seleto dotado de poder aquisitivo elevado e apreciador de qualidade. Apesar de a cidade possuir um bom colégio particular e boas escolas públicas a mesma ainda era carente de um colégio de alto padrão onde o colégio Lyceu entra justamente para preencher essa lacuna, aproveitando as oportunidades que esse espaço oferece. Foi com essa visão que os administradores da FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica decidiram idealizar o projeto, que vem tendo excelente desempenho e afirmam que o retorno desse tipo de investimento é em longo prazo e estão satisfeitos com os resultados da unidade.

7

1. INTRODUÇÃO

Com a finalidade de expressar o conhecimento adquirido, envolvendo as disciplinas relacionadas ao curso em questão, apresentarei uma formatação de conceitos e aplicações referente o conteúdo ministrado onde a aplicação de conhecimento específico de cada assunto integra-se no total para obter o resultado de tratar com o conteúdo humano em toda a sua complexidade. Para tanto usarei a Fundação de Apoio à Educação Tecnológica - FAET, uma fundação existente no mercado onde, indicarei o conteúdo e mostrarei como está sendo aplicado nesta empresa. Segundo Cavalcanti, (UNIP, 2010) “Um plano de negócios é basicamente um documento utilizado para detalhar um empreendimento e descrever o seu modelo de operacionalização”. A fundação pesquisada é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, dotada de personalidade jurídica, com sede e foro na cidade de Muzambinho, Estado de Minas Gerais, podendo, entretanto estender suas atividades a todo território nacional e abrir estabelecimentos, denominados departamentos, em outros municípios ou em outras unidades da Federação.

8

2. O PRODUTO/SERVIÇO

Conforme Cavalcanti (UNIP, 2012) “o empreendedor deverá informar quais serão os produtos/serviços que irá fornecer e todas as características únicas do seu negócio”.

A Fundação tem por finalidade:

1 – Promover, exercer e apoiar o desenvolvimento, ensino, pesquisa e extensão;

2 – Promover, exercer e apoiar o ensino profissionalizante;

3 – Apoiar as atividades do Instituto Federal, de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais – Campus Muzambinho;

4 – Promover, exercer e apoiar as atividades científicas e culturais;

5 – Realizar serviços técnicos científicos para instituições interessadas e para a comunidade;

6 – Conceder bolsas de pesquisas e estudos;

7 – Promover a geração, adequação e difusão de tecnologias e disseminação de informações;

8 – Realizar serviços de radiodifusão sonora e de sons e imagens com fins exclusivamente educativos e culturais;

9 – Criar, realizar e divulgar programas de natureza cultural e educacional que contribuam

para o fortalecimento do exercício da cidadania, o fomento e consolidação da participação

comunitária na elaboração e implementação de programas e projetos sociais;

10 – Criar, manter e administrar atividades e programas de desenvolvimento cultural e

educacional, através de canais próprios de radiodifusão cultural e educativa, tendo como objetivo

básico e basilar a educação comunitária e a preservação da identidade e das raízes culturais do povo;

11 – Executar serviços especiais de retransmissão ou distribuição de sinais de som e

imagens, não simultâneos ou mistos, atendendo os objetivos de implementação de serviços informativos e de programas de interesse da comunidade;

12 – Instituir e manter e/ou participar solidariamente da gestão de centros de ação, produção e animação culturais, de lazer, de promoção e fomento às artes e à educação popular e de defesa da preservação das manifestações folclóricas locais, regionais e nacionais;

9

espetáculos de teatro, dança e música tendo em vista o objetivo permanente de manutenção dos valores culturais do município e da região.

A FAET poderá ainda criar, realizar e ministrar diretamente, cursos de curta duração e

ofertá-los às comunidades local e/ou regional ou promovê-los através de contratos, convênios e parcerias com entidades públicas ou privadas, nacionais e estrangeiras, de acordo com a legislação vigente.

Esses cursos de curta duração têm por objetivo preencher uma lacuna existente na qualificação e na capacitação da mão de obra local e regional, ajudando as pessoas a se prepararem para colocarem-se no mercado de trabalho. Até mesmo para aquelas que já desempenham uma atividade profissional, o aperfeiçoamento e a reciclagem de conhecimentos geram novas oportunidades.

A FAET pretende ministrar cursos de curta duração em qualquer área profissional para

pessoas interessadas em aprenderem um novo ofício ou em se atualizarem. Os cursos serão

ministrados por instrutores capacitados e com ampla experiência na área.

A FAET também administra o colégio Lyceu, que foi criado em 1992, autorizado pelo

Parecer 67/92, reconhecido pela Portaria 120/95, do Conselho Estadual de Educação de Minas Gerais, que em abril de 2010 passou a ser mantido pela mesma, mantendo parceria com o Método de Ensino Anglo, uma entidade de Ensino Fundamental e Médio.

10

3. ORGANOGRAMA

10 3. ORGANOGRAMA

11

4. O MERCADO

Conforme Cavalcanti, (UNIP, 2010), “o empreendedor deverá mostrar o seu conhecimento sobre o mercado consumidor do seu produto/serviço, por meio de resultados de pesquisas de mercado. Alguns pontos, como sua segmentação, as principais características do consumidor, a sua participação no mercado e a dos seus principais concorrentes, a análise do tipo de concorrência existente, quem são os fornecedores e como negociam, quais são os riscos do negócio etc.”:

A FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica atua na área de educação e seu “mercado” principal é o jovem. É atuante no mercado e possui uma participação de aproximadamente 20% do total de alunos da cidade e região. A concorrência existe mas o Colégio Lyceu recebe alunos de várias partes da região e divide com mais um colégio particular da cidade entre as escolas estadual, municipal e federal.

A Fundação pretende que seu espaço seja agradável, acolhedor e querido por seus educadores e educandos, que o Instituto se aperfeiçoe, cada vez mais, aproximando-se da escola ideal, e esteja capacitada a atingir o objetivo de proporcionar educação integral, fornecendo formação comum indispensável para o exercício da cidadania e vivência de valores que dignificam o ser humano; ofertar educação de qualidade que permita a transmissão e produção de conhecimentos capazes de orientar e motivar os educandos na busca de autorrealização, compreensão do sentido da vida e prática da vivência harmoniosa e feliz dom seus semelhantes, busca essa parceria com seus colaboradores, criando programas de treinamento e incentivo. O usuário final é a pessoa que irá fazer uso do produto ou serviço da Fundação.

Devido a procura por satisfação pessoal, integração familiar entre outros fatores relevantes, é considerado o custo para conquistar alunos e sua fidelidade, cada vez mais alto nos tempos atuais, devido às suas exigências cada vez mais elevadas e a concorrência mais acirrada. Por outro lado, a heterogeneidade das práticas reforça a diversidade dos conceitos apresentados pelos diretores da FAET, entrevistados para este trabalho. A área de gerenciamento de pessoas tem sido tradicionalmente, caracterizada por grande ambiguidade, tanto na definição de conceitos como nas suas aplicações.

12

5. DEMANDA/OFERTA DE VAGAS POR CURSOS OFERECIDOS

12 5. DEMANDA/OFERTA DE VAGAS POR CURSOS OFERECIDOS

13

6. ESTRATÉGIA DE NEGÓCIO

Para se ter um negócio rentável é preciso

possuir uma estratégia competitiva e uma estrutura sólida, mas, paradoxalmente, flexível que possibilite o posicionamento do produto em seu mercado independente das restrições naturais existentes [

Conforme afirma Cavalcanti (UNIP, 2010) “[

]

A estratégia de negócio da FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica está na

própria administração que explica que não adianta focar sua energia em garantir uma boa taxa de mensalidade e sim mostrar que o bem utilizado tem um preço justo e compatível como mercado, assim, busca o equilíbrio entre mensalidade adequada e controle dos investimentos do colégio Lyceu.

Como é uma fundação sem fins lucrativos, para melhor controlar e definir o que se espera no âmbito financeiro, todos os anos a fundação se prepara com base no ano anterior, no calendário de eventos a ser realizado pela comunidade escolar e da cidade, juntamente com o sentimento das Diretoras e chefias, que fazem um relatório de orçamento, onde é colocado despesas e receitas que cada setor terá que fazer cumprir no ano seguinte.

Certamente com uma boa base desse conhecimento, um gestor traz à compreensão de problemas. Fornece o instrumental necessário à avaliação de negócios, de modo a identificar os recursos mais atraentes em termos de custos e os mais rentáveis no caso de investimentos financeiros ou de bens de capital.

Na área de Recursos Humanos, para medir crescimento da folha, variação/evolução salarial, custo de benefícios, encargos sociais, entre outros.

Nas decisões com base em dados contábeis aumentam os riscos uma vez que se baseiam em dados passados. Portanto as decisões devem ser tomadas com base nas expectativas futuras, à luz das novas tendências e dos fluxos de caixa projetados.

O Diretor responsável pela FAET, diz que a Fundação conta com um quadro de 97 (noventa

e sete) colaboradores, divididos em: 29 (vinte e nove) na área administrativa, 62 (sessenta e dois) professores 06 (seis) zeladores.

A procura pela Fundação é por todos os níveis que o mesmo oferece, sendo Educação no

Ensino Médio, educando adolescentes com ensino de qualidade, um curso superior e também oferece cursos de graduação.

14

7. BALANCETE

Balancete Analítico (Valores em Reais) Folha: 00001

FUNDACAO DE APOIO A EDUCACAO TECNOLOGICA (0002)

CNPJ/CPF: 06.196.684/0001-25

Período: Janeiro a Abril de 2013 Data do encerramento: 30/04/2013

Emitido em: 28/05/2013

NIRE: Livro A, sob nº 604

End.: ESTRADA DE MUZAMBINHO KM 35 01--MORRO PRETO -CEP: 37890-000

Município: MUZAMBINHO UF: MG

Dt.Registro: 02/04/2004

Acesso Terc Classificador Nome da Conta C/C. Saldo Inicial Mov.Débito Mov.Crédito Saldo Final

10000

1000000000 ATIVO 143.734,19 1.798.321,83 1.642.068,64 299.987,38

 

11000

1100000000

ATIVO

CIRCULANTE

121.443,95

1.657.284,46

1.642.068,64

136.659,77

11001

1101000000 DISPONIVEL 18.484,67 1.408.039,23 1.425.112,56 1.411,34

11002

1101010000 CAIXA 80,15 0,00 41,96 38,19

 

11030

1101020000 BANCO CONTA MOVIMENTO 3.997,72 1.095.948,06 1.098.691,40

1.254,38

 

11032

1101020200 BANCO DO BRASIL S/A -10.650-X 3.587,17 67.093,94 69.898,04

783,07

 

11033

1101020300 BANCO BRADESCO -4.666-3 1,00 84.194,65 84.213,87 -18,22

11035

1101020500 CAIXA ECONOM. FEDERAL -941-0 50,00 884.665,27 884.356,27

359,00

 

11037

1101020700 SICOOB AGROCREDI -25372033 359,55 59.994,20 60.223,22 130,53

11060

1101030000 APLICACOES

FINANCEIRAS

14.406,80

312.091,17

326.379,20

118,77

15

11061

1101030100 BRADESCO 4666-3 INVEST FACIL 8.889,72 36.301,73 45.191,45

0,00

11063

1101030300

CEF

941-0

FIC

MOV.

AUTOMATICAS

5.517,08

275.789,44

281.187,75 118,77

 

11400

1106000000

OUTRAS

CONTAS/TIT.

A

RECEBER

102.959,28

244.270,94

211.981,79 135.248,43

 

11499

1106010000

OUTRAS

CONTAS/

TIT.

RECEBER

102.959,28

244.270,94

211.981,79 135.248,43

 

11401

1106010100

ADIANTAMENTO

A

FORNECEDORES

18.000,00

60.452,80

78.452,80 0,00

11402

1106010200

CRÉDITO

C/

CONVENIADO

ALTEROSA 11.245,36

30.586,85

32.859,82 8.972,39

11403 1106010300 CRÉDITO C/ CONVENIADO CAPETING 0,00 46.882,58 33.881,80

13.000,78

11404 1106010400 CRÉDITO C/ CONVENIADO CASSIA 73.713,92 10.530,56 0,00

84.244,48

11405 1106010500 CRÉDITO C/ CONVENIADO GUAXUPE 0,00 74.922,30 49.948,20

24.974,10

11406

1106010600 CHEQUES A RECEBER 0,00 20.895,85 16.839,17 4.056,68

11450

1107000000 CREDITOS A REEMBOLSAR 0,00 4.974,29 4.974,29 0,00

11430

1107010000 CREDITOS A REEMBOLSAR 0,00 4.974,29 4.974,29 0,00

11431

1107010100 SALARIO FAMILIA A REEMBOLSAR 0,00 2.873,49 2.873,49 0,00

11432

1107010200 SAL. MATERNIDADE A REEMBOLSAR 0,00 2.100,80 2.100,80 0,00

12000

1200000000 ATIVO NÃO CIRCULANTE 22.290,24 141.037,37 0,00 163.327,61

12006

1202000000 ATIVO PERMANENTE 22.290,24 141.037,37 0,00 163.327,61

12007

1202010000 INVESTIMENTOS 200,00 0,00 0,00 200,00

12008

1202010100 PARTICIPACOES SOCIETARIAS 200,00 0,00 0,00 200,00

12011

1202020000 IMOBILIZADO 54.591,00 141.037,37 0,00 195.628,37

12013

1202020200 MAQUINAS E EQUIPAMENTOS 44.256,00 5.550,00 0,00 49.806,00

16

12014

1202020300 MOVEIS E UTENSILIOS 1.595,00 14.376,07 0,00 15.971,07

 

12016

1202020500

BENFEITORIAS

EM

ANDAMENTO

8.740,00

121.111,30

0,00

129.851,30

12020 1202030000 (-)DEPRECIACOES ACUMULADAS -32.500,76 0,00 0,00 -32.500,76

12021 1202030100 (-)DEPRECIACAO MAQ. E EQUIP. -31.888,04 0,00 0,00 -31.888,04

12022 1202030200 (-)DEPRECIACAO MOVEIS E UTENS. -612,72 0,00 0,00 -612,72

Balancete Analítico (Valores em Reais) Folha: 00002

FUNDACAO DE APOIO A EDUCACAO TECNOLOGICA (0002)

CNPJ/CPF: 06.196.684/0001-25

Período: Janeiro a Abril de 2013 Data do encerramento: 30/04/2013

Emitido em: 28/05/2013

NIRE: Livro A, sob nº 604

End.: ESTRADA DE MUZAMBINHO KM 35 01--MORRO PRETO -CEP: 37890-000

Município: MUZAMBINHO UF: MG

Dt.Registro: 02/04/2004

Acesso Terc Classificador Nome da Conta C/C. Saldo Inicial Mov.Débito Mov.Crédito Saldo Final

20000

2000000000 PASSIVO 143.734,19 985.438,98 1.170.234,43 328.529,64

 

21000

2100000000

PASSIVO

CIRCULANTE

175.003,81

979.082,92

1.112.538,01

308.458,90

21099

2101000000 FORNECEDORES 18.070,82 280.007,35 318.106,59 56.170,06

21001

2101010000

FORNECEDORES

A

PAGAR

15.870,82

255.357,35

287.656,59

48.170,06

21003

2101030000 ALUGUEIS A PAGAR 2.200,00 24.600,00 30.400,00 8.000,00

21004

2101030000 MENS. ASSOCIATIVA A PAGAR 0,00 50,00 50,00 0,00

21100

2102000000 OBRIGACOES TRABALHISTAS 81.895,31 361.104,09 386.248,14

107.039,36

17

 

21101

2102010000 SALARIO A PAGAR 78.648,44 285.849,69 310.993,74 103.792,49

21102

2102020000 PROVISAO PARA FERIAS 0,00 62.590,47 62.590,47 0,00

 

21103

2102030000 PROVISAO PARA 13º SALARIO 3.246,87 0,00 0,00 3.246,87

21104

2102040000 RESCISAO TRABALHISTA A PAGAR 0,00 12.663,93 12.663,93 0,00

21150

2103000000 OBRIGACOES SOCIAIS 36.569,22 162.644,31 168.528,41 42.453,32

21151

2103010000 INSS A RECOLHER 25.840,55 123.689,95 131.138,46 33.289,06

21152

2103020000 FGTS A PAGAR 8.718,28 30.211,17 29.370,89 7.878,00

 

21153

2103030000 IRRF A RECOLHER 635,90 1.789,81 1.490,09 336,18

21154

2103040000 PIS S/ FOLHA DE PAGTO A PAGAR 1.368,27 3.837,33 3.361,86

892,80

 

21155

2103050000 CONTR. SIND. FUNC. A RECOLHER 0,00 3.074,09 3.117,81 43,72

21156

2103060000 MENS. SINDICAL FUNC.A RECOLHER 6,22 41,96 49,30 13,56

21800

2110000000

OUTROS

PASSIVOS

CIRCULANTES

38.468,46

175.327,17

239.654,87 102.796,16

 
 

21801

2110010000

CHEQUES

A

PAGAR

EM

TRANSITO

38.468,46

175.327,17

239.654,87 102.796,16

 
 

22000

2200000000

PASSIVO

NÃO

CIRCULANTE

-31.269,62

6.356,06

57.696,42

20.070,74

22010 2201000000 PASSIVO EXIGIVEL A LONGO PRAZO 0,00 5.751,50 57.514,92

51.763,42

22011

2201010000 PARCELAMENTO DO INSS 0,00 5.751,50 57.514,92 51.763,42

22023

2203000000 SUPERAVITS/DEFICITS ACUMULADOS -31.269,62 604,56 181,50

-31.692,68

22025 2203030000 (-)DEFICIT ACUMULADO -31.269,62 604,56 181,50 -31.692,68

Balancete Analítico (Valores em Reais) Folha: 00003

FUNDACAO DE APOIO A EDUCACAO TECNOLOGICA (0002)

18

Período: Janeiro a Abril de 2013 Data do encerramento: 30/04/2013

Emitido em: 28/05/2013

NIRE: Livro A, sob nº 604

End.: ESTRADA DE MUZAMBINHO KM 35 01--MORRO PRETO -CEP: 37890-000

Município: MUZAMBINHO UF: MG

Dt.Registro: 02/04/2004

Acesso Terc Classificador Nome da Conta C/C. Saldo Inicial Mov.Débito Mov.Crédito Saldo Final

40000

4000000000 DESPESAS 0,00 812.531,16 0,00 812.531,16

 

41000

4100000000 DESPESAS OPERACIONAIS 0,00 812.531,16 0,00 812.531,16

 

41001

4101000000 DESPESAS COM PESSOAL 0,00 378.105,96 0,00 378.105,96

41002

4101010000 SALARIOS E ORDENADOS 0,00 304.888,35 0,00 304.888,35

41003

4101020000 13º SALARIO 0,00 933,22 0,00 933,22

 

41004

4101030000 FERIAS 0,00 67.222,14 0,00 67.222,14

41005

4101040000 ABONO DE FERIAS 0,00 429,44 0,00 429,44

41007

4101060000 AVISO PREVIO 0,00 3.372,90 0,00 3.372,90

41008

4101070000 INDENIZACOES 0,00 1.259,91 0,00 1.259,91

41020

4102000000

ENCARGOS

SOCIAIS

COM

PESSOAL

0,00

134.491,87

0,00

134.491,87

41021

4102010000 FGTS 0,00 29.370,89 0,00 29.370,89

41022

4102020000 INSS QUOTA PATRONAL 0,00 98.156,53 0,00 98.156,53

41023

4102030000 PIS S/ FOLHA DE PAGTO 0,00 3.361,86 0,00 3.361,86

41025

4102040000 GRRF 0,00 3.602,59 0,00 3.602,59

41030

4103000000 OUTRAS DESPESAS COM PESSOAL 0,00 7.277,60 0,00 7.277,60

41031

4103010000 SEGURO DE VIDA 0,00 768,32 0,00 768,32

41034

4103040000 AJUDA DE CUSTO A EMPREGADOS 0,00 6.167,28 0,00 6.167,28

41035

4103050000 EXAME MEDICO 0,00 342,00 0,00 342,00

19

41041

4104010000 RECURSOS HUMANOS EXTERNOS -PF 0,00 6.145,70 0,00 6.145,70

41050

4105000000

CUSTOS

COM

MATERIAIS

DIRETOS

0,00

182.079,30

0,00

182.079,30

41052

4105010000 APOSTILAS -PEOPLE 0,00 57.452,80 0,00 57.452,80

 

41053

4105020000 APOSTILAS -ANGLO 0,00 123.780,99 0,00 123.780,99

 

41056

4105050000 MATERIAL PARA ENCADERNACAO 0,00 845,51 0,00 845,51

41080

4107000000

DESPESAS

COM

BOLSAS

DE

ESTUDO

0,00

10.300,00

0,00

10.300,00

41081

4107010000 ESTAGIARIOS 0,00 10.300,00 0,00 10.300,00

 

41090

4108000000

DESPESAS

GERAIS/ADMINISTRATIVA

0,00

88.868,29

0,00

88.868,29

41091

4108010000 AGUA 0,00 913,31 0,00 913,31

41093

4108030000 GAS/AGUA 0,00 685,00 0,00 685,00

41094

4108040000 REVISTAS E JORNAIS 0,00 119,60 0,00 119,60

41096

4108060000 FRETES E CARRETOS 0,00 2.733,47 0,00 2.733,47

41097

4108070000 MANUTENCAO E CONSERVACAO 0,00 3.650,00 0,00 3.650,00

41098

4108080000 JUROS E MULTAS 0,00 3.850,19 0,00 3.850,19

41099

4108090000 CURSOS, PALESTRAS E EVENTOS 0,00 9.043,68 0,00 9.043,68

41101

4108110000 ALUGUEIS 0,00 30.400,00 0,00 30.400,00

41102

4108120000 ATIVIDADES CULTURAIS 0,00 2.000,00 0,00 2.000,00

41105

4108150000 HIGIENE E LIMPEZA 0,00 434,50 0,00 434,50

41108

4108180000 HOSPEDAGEM 0,00 203,50 0,00 203,50

41111

4108210000 LOCACAO DE EQUIPAMENTOS 0,00 11.248,55 0,00 11.248,55

41112

4108220000 MATERIAL DE USO E CONSUMO 0,00 2.130,80 0,00 2.130,80

41114

4108240000 PROMOCOES E PUBLICIDADE 0,00 6.447,00 0,00 6.447,00

41115

4108250000 TELEFONE/COMUNICACOES 0,00 1.120,70 0,00 1.120,70

41116

4108260000 ASSESSORIA CONTABIL 0,00 1.500,00 0,00 1.500,00

20

41119

4108290000 DESPESAS COM INTERNET 0,00 1.733,00 0,00 1.733,00

41120

4108300000 OUTRAS DESPESAS C/ INFORMATICA 0,00 740,00 0,00 740,00

41121

4108310000 BENS NAO IMOBILIZADOS 0,00 130,00 0,00 130,00

41122

4108320000 OUTRAS DESPESAS ADMINISTRATIVA 0,00 2.713,75 0,00 2.713,75

41123

4108330000 DESPESA SUPORTE ADMINISTRATIVO 0,00 660,00 0,00 660,00

41126

4108360000 CONTRIBUICAO SOCIAL PATRONAL 0,00 1.173,04 0,00 1.173,04

41127

4108370000 MENSALIDADE ASSOCIATIVA 0,00 50,00 0,00 50,00

41130

4108400000 CONTRIBUICAO SINDICAL PATRONAL 0,00 933,00 0,00 933,00

41150

4110000000 DESPESAS FINANCEIRAS 0,00 5.262,44 0,00 5.262,44

41151

4110010000 DESCONTOS CONCEDIDOS 0,00 0,58 0,00 0,58

41152

4110020000 DESPESAS BANCARIAS 0,00 4.992,70 0,00 4.992,70

Folha: 00004 Balancete Analítico (Valores em Reais)

FUNDACAO DE APOIO A EDUCACAO TECNOLOGICA (0002)

CNPJ/CPF: 06.196.684/0001-25 NIRE: Livro A, sob nº 604

End.: ESTRADA DE MUZAMBINHO KM 35 01--MORRO PRETO -CEP: 37890-000

Emitido em: 28/05/2013 Município: MUZAMBINHO UF: MG

Período: Janeiro a Abril de 2013 Data do encerramento: 30/04/2013 Dt.Registro: 02/04/2004

Acesso Terc Classificador Nome da Conta C/C. Saldo Inicial Mov.Débito Mov.Crédito Saldo Final

41153

4110030000 DESPESAS COM IRRF 0,00 43,49 0,00 43,49

41155

4110050000 DESPESAS COM IOF 0,00 225,67 0,00 225,67

Balancete Analítico (Valores em Reais) Folha: 00005

FUNDACAO DE APOIO A EDUCACAO TECNOLOGICA (0002)

CNPJ/CPF: 06.196.684/0001-25

21

Emitido em: 28/05/2013

NIRE: Livro A, sob nº 604

End.: ESTRADA DE MUZAMBINHO KM 35 01--MORRO PRETO -CEP: 37890-000

Município: MUZAMBINHO UF: MG

Dt.Registro: 02/04/2004

Acesso Terc Classificador Nome da Conta C/C. Saldo Inicial Mov.Débito Mov.Crédito Saldo Final

50000

5000000000 RECEITAS 0,00 4.757,53 788.746,43 783.988,90

51000

5100000000 RECEITAS OPERACIONAIS 0,00 3.313,53 393.113,06 389.799,53

51001 5101000000 RECEITAS TAXAS/CONTRIB/MENSAL 0,00 3.313,53 393.113,06

389.799,53

51002 5101010000

386.688,05

MENSALIDADES

-COLEGIO

LYCEU

0,00

0,00

386.688,05

51005

5101040000 TAXAS DE INSCRICOES DIVERSAS 0,00 0,00 2.880,01 2.880,01

51007

5101060000 TAXA DE ADESAO -COOPAM 0,00 0,00 3.545,00 3.545,00

 

51009

5101080000 (-)DEVOLUÇÃO DE MENSALIDADES 0,00 3.313,53 0,00 -3.313,53

51010

5200000000 RECEITAS COM VENDAS 0,00 884,00 205.957,77 205.073,77

51099

5201000000 RECEITAS COM VENDAS 0,00 884,00 205.957,77 205.073,77

51011

5201010000 RECEITA MAT. DIDATICO -ANGLO 0,00 0,00 93.589,65 93.589,65

51012

5201020000

RECEITA

MAT.

DIDATICO

-PEOPLE

0,00

0,00

103.574,12

103.574,12

51013

5201030000 RECEITA MAT. DIDATICO 0,00 0,00 6.840,00 6.840,00

51014

5201040000 VENDA DE CANECAS 0,00 0,00 308,00 308,00

51015

5201050000 VENDA DE CARTEIRA DE ESTUDANTE 0,00 0,00 62,00 62,00

51017

5201070000 VENDA DE BOLSA DO CURSO 0,00 0,00 1.584,00 1.584,00

51019

5201090000 (-)DEV. MAT. DIDATICO -PEOPLE 0,00 884,00 0,00 -884,00

51020

5300000000 RECURSOS DE CONVENIOS 0,00 0,00 182.464,68 182.464,68

51060

5301000000 RECURSOS DE CONVENIOS 0,00 0,00 182.464,68 182.464,68

22

51021

5301010000 CONVENIO -PREF. ALTEROSA 0,00 0,00 30.586,85 30.586,85

51022

5301020000 CONVENIO -PREF. CAPETINGA 0,00 0,00 46.882,58 46.882,58

51023

5301030000 CONVENIO -PREF. CASSIA 0,00 0,00 10.530,56 10.530,56

51024

5301040000 CONVENIO -PREF. GUAXUPE 0,00 0,00 94.464,69 94.464,69

51030

5400000000 OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS 0,00 560,00 7.210,92 6.650,92

51039

5401000000 OUTRAS RECEITAS 0,00 560,00 7.210,92 6.650,92

51031

5401010000 SERVICOS DE LAN HOUSE 0,00 0,00 3.801,00 3.801,00

51032

5401020000 REC. CURSOS/EVENTOS/PALESTRAS 0,00 0,00 2.985,00 2.985,00

51033

5401030000 JUROS S/ APLICAÇÃO FINANCEIRA 0,00 0,00 424,92 424,92

51035

5401050000 (-)DEVOLUÇÃO OUTRAS RECEITAS 0,00 560,00 0,00 -560,00

Balancete Analítico (Valores em Reais) Folha: 00006

FUNDACAO DE APOIO A EDUCACAO TECNOLOGICA (0002)

CNPJ/CPF: 06.196.684/0001-25 NIRE: Livro A, sob nº 604

End.: ESTRADA DE MUZAMBINHO KM 35 01--MORRO PRETO -CEP: 37890-000

Emitido em: 28/05/2013 Município: MUZAMBINHO UF: MG

Período: Janeiro a Abril de 2013 Data do encerramento: 30/04/2013 Dt.Registro: 02/04/2004

Acesso Terc Classificador Nome da Conta C/C. Saldo Inicial Mov.Débito Mov.Crédito Saldo Final

Resumo do Balancete

ATIVO 299.987,38 D

PASSIVO 328.529,64 C

DESPESAS 812.531,16 D

RECEITAS 783.988,90 C

Diferença 0,00

Resultado do Período 28.542,26 D

23

8. ANÁLISE SWOT DA EMPRESA

(strengths, weaknesses, opportunities e

threats); traduzindo, seria: pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças. Essa matriz faz uma análise da atual situação do negócio e deve ser refeita periodicamente, de acordo com a velocidade com que os ambientes (interno e externo) se transformam[ PONTOS FORTES Equipe de colaboradores qualificada e preparada; Notoriedade da fundação perante a sociedade; Estrutura de Eventos e área de lazer completa; Escola nova e sem desgaste com apenas três anos de atendimento de sucesso. PONTOS FRACOS Divulgação local tímida; Afastado do centro da cidade; Rua estreita para o estacionamento de vans, pais, forçando fila dupla em horário de entrada e saída de alunos. OPORTUNIDADES Estar localizada em uma área da cidade de Muzambinho que tem estrutura para crescimento dos mais procurados devido à boa localização. AMEAÇAS Salas de aulas pequenas, pouca chance de aumento de turmas para anos seguintes, necessitando de mais salas.

De acordo com Cavalcanti (UNIP,2010) “[

]SWOT

24

9. PLANO DE MARKETING

É o conjunto de pontos de interesse para os quais as organizações devem estar atentas se desejam perseguir seus objetivos de marketing. A FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica usa técnicas e desenvolvimento que visa divulgar as vagas utilizando de diversos meios, para atrair candidatos adequados às vagas e aos cargos, identificar potencialidades para melhor serem executados a prestação dos serviços.

Os quais são: variedade, qualidade, espaço físico planejado para atender com maior conforto e funcionalidade aos seus alunos. Apostilas e materiais didáticos aos ensino fundamental e médio voltados para o vestibular, usando um melhor sistema de ensino da região.

Os tipos de divulgações são outdoor, praças com divulgação, central de reservas, jornais, cartões de fidelidade.

25

10. ESTUDO DE VIABILIDADE FINANCEIRA

A viabilidade da administração do colégio Lyceu pela FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica está sendo apreciada economicamente pelos diretores, pois apesar de a fundação não ter fins lucrativos, já se encontra consolidada, afinal, conta com a vantagem de ser administrada por servidores do Instituto Federal Sul de Minas, Campus Muzambinho, e no segmento que atua e vem ganhando gradativamente a cada ano, maior participação da comunidade escolar da cidade, o que resulta em retorno positivo financeiramente para investimentos na própria comunidade.

A administração da FAET – Fundação e Apoio à Educação Tecnológica não revelou quanto dinheiro foi necessário para implantar e manter o colégio assim que foi passada a administração para a fundação, pois considera essa informação desnecessária nos moldes em que está atuando hoje, mas afirma que o retorno de seu investimento já está aparecendo nos resultados de vestibulares e novas matrículas ano a ano.

A FAET aposta na diversidade de pessoas e tem um relacionamento de aceitação as diferenças fortalecendo cada dia mais o trabalho em equipe, para que cada colaborador aprenda a aceitar as mudanças comportamentais de cada um e as inovações.

Desta forma, o desafio de manter um clima organizacional saudável é uma busca constante da FAET, baseada na ética, transparência e diálogo.

26

11. MODELOS DE LIDERANÇA

Conceito de Liderança Embora no senso comum se envolvam uma série de características para se estabelecer uma

concepção teórica deste processo (normalmente associadas apenas às qualidades de um líder), a definição de liderança não é tarefa fácil (Dosil, 2004). De fato, existem tantas definições quantas os autores que tentam, dela, dar uma opinião (Jesuíno, 1996). Segundo Murray (1991), alguns autores definem a liderança como um processo de condutas, pelo meio do qual, um individuo influencia outros para que se realize o que ele quer. Na opinião do mesmo autor, ao contrário desta visão redutora, a liderança deve ser percepcionada como uma espécie de contrato psicológico que é estabelecido entre os líderes (treinadores) e os seguidores (atletas), onde os primeiros são autorizados, quer no plano formal ou informal, a decidir pelos segundos, sendo reconhecido o direito que eles têm em decidir por eles e dizer o que tem de fazer. De acordo com Noce (2002), em toda a literatura a liderança é definida de diferentes formas, porém muitas das características são semelhantes e comuns a todas elas, o que as leva a ser aceites por diversos autores. Bass (1990), citado por Noce (2002) e Mendo e Ortiz (2003), sintetizou as definições de liderança, desenvolvendo um esquema de classificação deste processo:

* O centro do processo de grupo

* Um efeito da personalidade (do líder sobre os seguidores)

* Uma arte de induzir a submissão

* Um exercício de influência

Nos dias atuais tem um forte apelo tanto aos dirigentes, como para aqueles que são dirigidos. Livros, artigos e teses acadêmicos descrevem de diversas formas o modelo ideal do líder do século XXI. Mas como encontrar esse líder tão procurado? Como identificá-lo? Primeiramente é preciso mudar o conceito que muitos têm, de que a liderança é um talento nato. Enquanto por um lado o líder é estimulado a melhorar e estreitar o relacionamento entre seus seguidores, por outro lado ele é implacavelmente cobrado pelos resultados a curto e médio prazo. Dividido entre a pressão por produtividade imposta pela estrutura hierárquica das organizações e a busca pela satisfação pessoal, e de seus seguidores, o líder se encontra cada vez mais pressionado não conseguindo agradar a todos. Hoje em dia, as qualidades de liderança são reconhecidas universalmente como um elemento chave em administração, não somente administração de dentro das empresas, mas aquele que consegue ser um líder na sua casa, ou em qualquer outro lugar que estiver este é bem visto e

27

procurado pelas organizações. O líder é aquele vai á frete e mostra o caminho, os papeis do líder combinam em: habilidades técnicas, humanas, e conceituais que aplicam em diferentes graus e em diversos níveis organizacionais e estratégicos.

A liderança é uma atividade que está diretamente ligada às pessoas, ao bom convívio e a

atitude. “Liderança é a capacidade de influenciar um grupo para que as metas sejam alcançadas”. Stephen P. Robbins Foi observado na maioria dos setores da FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica o estilo de liderança democrática que é caracterizado por priorizar a participação do grupo em todas as decisões a serem tomadas. Alguns autores referem-se ao estilo democrático como sendo o estilo da liberdade controlada. Cabe ao grupo, como um todo, incluindo o líder, debater e decidir sobre as diretrizes a serem tomadas (PEREIRA, 2010). Um bom líder é aquele que consegue bons resultados, através do desempenho de sua equipe, incentivando o crescimento e preservando a harmonia e o o bem-estar do grupo. Desempenho e bem-estar, eram conceitos que até alguns anos

atrás eram considerados antagônicos, no entanto, aos poucos, felizmente, isso foi se modificando. As empresas se humanizaram, e passaram a dirigir os holofotes para o capital humano, assim que perceberam que são as pessoas que fazem à diferença e que esse capital não lhe pertence, apenas está à sua disposição, enquanto for capaz de gerenciá-lo de maneira eficaz.

O papel do líder é fundamental no gerenciamento do capital humano e é por esse motivo que

existe uma expectativa muito grande quanto ao desempenho desse profissional. Nesse contexto, o treinamento em liderança tornou-se um campo fértil do conhecimento. Muitas pesquisas e estudos foram realizados e muitas ferramentas interessantes foram desenvolvidas. Vejo que dois aspectos são comuns à maior parte dos programas de treinamento de liderança. O primeiro, é o desenvolvimento da capacidade de enxergar cada subordinado como uma pessoa "única", com características, expectativas, ambições, desejos e necessidades próprias. O segundo, como consequência do primeiro, é o entendimento de que, para cada tipo de colaborador, é

necessário que se aplique um estilo de liderança apropriado. Percebemos que o colaborador põe a disposição da empresa o melhor de suas potencialidades quando está motivado, ou seja, quando percebe que o ambiente organizacional oferece condições para que ele realize seus desejos: de ser ativo e participativo, de poder fazer escolhas, de pertencer a um grupo em que é bem acolhido e respeitado, de desenvolver suas competências, de realizar, de ser reconhecido e de se sentir importante. Numa análise bem superficial, é possível extrair algumas dicas para que o Líder seja eficaz:

28

2ª - Dedicar algum tempo para conversar com cada um de seus subordinados, para saber quais são suas expectativas, analisar seus pontos fortes, seus pontos a desenvolver, conversar sobre suas metas, sobre a empresa. "É importante que ele saiba que pode te procurar quando necessitar". 3ª - Tratar seus subordinados como gostaria de ser tratado "Eles são humanos (como o líder)

e têm competências que podem disponibilizar para o cumprimento das metas, casos se sintam motivados”. Liderança é uma competência que, com bons propósitos e determinação, se desenvolve a cada dia. Os programas de Treinamento, a literatura específica e o coaching, aceleram esse desenvolvimento. Administração de Conflitos As pessoas nunca possuem objetivos e interesses idênticos. As

diferenças de objetivos e interesses pessoais sempre produzem alguma espécie de conflito. O conflito é inerente à vida de cada individuo e faz parte da natureza humana. Eliminar os conflitos é praticamente impossível, por que as organizações são formadas por pessoas, mas isso não nos impede de tomar atitudes preventivas para que sejam reduzidos. A Administração de conflitos é uma virtude indispensável para o administrador de pessoas. O bom relacionamento com as pessoas é percebido por meio de ações concretas por parte do gestor que enfrenta os conflitos de maneira integrada com os envolvidos. (FIDELIS/BANOV, 2006) Existem algumas táticas para resolver os conflitos: Assegurar que as quantidades fixas de recursos sejam dividas em partes iguais; Nivelamento nas distribuições de tarefas; Integração dos grupos evitando interdependência das atividades organizacionais; Dinâmicas em grupos, confraternizações, interação de gerencia, departamento; Comunicação uniforme; Elaborar as metas organizacionais junto com os colaboradores, pois isso ajuda e/ou estimula o alcance da mesma; Aconselhamento individual; Rodízio de tarefas; Reuniões periódicas em grupo; e Promover o estilo de negociação ganha-ganha. Na FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica as pessoas estão distribuídas através do plano de cargos da empresa e são acompanhadas diretamente pelo líder da equipe, que procura nivelar a quantidade de tarefas distribuída e o rodízio nos serviços a serem executados, assim o colaborador tem, a oportunidade de vivenciar toda a rotina de seu departamento. E quando surge algum tipo de conflito estes são apaziguados no momento, espera-se terminar a sua jornada de trabalho e no outro dia quando os ânimos estão mais calmos, chamam-se os colaboradores para conversar e resolver o problema. Na empresa é realizada anualmente uma pesquisa de satisfação e clima onde os colaboradores têm a oportunidade de formalizar o seu grau de satisfação e o que gostariam que fosse melhorado na empresa. Também se aplicam um sistema de portas abertas onde

o colaborador tem um canal aberto diretamente com o seu gestor para dar a sua opinião, tirar

29

duvidas e fazer os seus questionamentos referentes à empresa e este canal também é aberto entre o gerente-geral da unidade e todos os colaboradores. Existe em cada um de nós uma propensão a procurar alguém ou alguma coisa para culpar quando as coisas não dão certo. (CHIAVENATO,

2004)

30

12. ÉTICA E LEGISLAÇÃO: TRABALHISTA E EMPRESARIAL

Definição de Ética :

Ética é a ciência que estuda a moral ou seja uma reflexão sobre a noção do bem ou mal segundo os enunciados da regras normativa.

A ética é inerente à vida humana, sua importância é bastante evidenciada na vida profissional, porque cada um tem responsabilidades individuais e sociais, envolvendo pessoas que dela se beneficiam.

Para ser possível que a ética possa correr em âmbito empresarial é preciso mediar a racionalidade com a estratégia, visando a satisfação social através de obtenção de benefícios. Temos que ter em mente que há uma estreita relação entre a moral e o direito, de todas as formas de comportamento humano, o jurídico ou legal é o que mais se relaciona com a moral, porque os dois estão sujeitos as normas que regulamentam as relações sociais. O Direito e a Moral respondem a mesma necessidade social, que é de regulamentar as relações dos Homens, sempre visando garantir certa coesão social.

O Direito é dotado de sansões, ou seja a sua desobediência gera uma penalidade, é sempre

atributiva o que significa que a cada direito outorgado a alguém, impõe um dever, para a mesma ou

para outra pessoa, e as Normas Morais se cumprem através da convicção íntima de cada pessoa.

N a FA ET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica, a adoção de princípios éticos e comportamentais reflete o tipo da organização da qual fazemos parte e o tipo de pessoa que somos. Sendo no que envolve o conceito de ética a FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica está sempre atenta para não contratar falsos profissionais, ambiciosos e antiéticos. A fundação trabalha com lealdade e honestidade, tratando seus demais com respeito e dignidade, não apenas com os alunos e professores, mas também se preocupa com a preservação da historia e da cultura da fundação, ética, educação dos alunos, valorização de seu patrimônio humano, avaliação permanente de resultados técnicos e econômicos, evolução tecnológica, qualidade, meio ambiente, ensino e pesquisa, planejamento, responsabilidade social.

A formação de um quadro de pessoal competente, motivado e alinhado com suas diretrizes e

valores é de responsabilidade primordial dos gestores de pessoas. O recrutamento e seleção é um dos pilares para melhor disponibilizar esses recursos humanos. A remuneração é baseada em salário e a soma dos benefícios e seguem a convenção coletiva de cada categoria, determinada pelo

31

Sindicato de classe.

As vantagens desse processo é que há a adequação de cargos e funções; adequação também de valor de salário de acordo com o nível de responsabilidade e assim contribuindo para melhor controle dos recursos financeiros.

As desvantagens estão na reta final de existência – falta de um plano de carreira (em pleno desenvolvimento neste momento), falta de motivação dos empregados (devido a falta do plano de carreira até então) e divisão de responsabilidades fora do contexto salarial.

É fundamental ter sempre em mente que há uma série de atitudes que não estão descritas nos

códigos de todas as profissões, mas que são comuns a todas as atividades que uma pessoa pode exercer (Código de Ética). Antes de tudo, a empresa é honesta em qualquer situação. Outras qualidades são consideradas importantes para o exercício de qualquer profissão ou empresa, tais como: competência, sigilo, prudência, coragem, compreensão, perseverança, humildade, responsabilidade, otimismo, solidariedade, comprometimento, respeito, transparência, excelência etc.

A FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica sempre utiliza refis para acomodar

nossos produtos, reduzindo assim o impacto ambiental, consumindo menos matéria prima e a sua

utilização diminui a produção de lixo. A coleta do lixo é feita para reciclagem, e nossos funcionários são orientados à fazer a separações entre os diversos materiais para se colocar no recipiente correto. Desenvolvemos e procuramos estimular uma horta dentro do espaço interior da empresa, estimulando assim que os funcionários em seus momentos de distração cuide das hortaliças para que os mesmos tenham consciência da importância de uma alimentação correta e sem agrotóxicos. A fundação tem consciência que uma empresa ambientalmente responsável deve gerenciar suas atividades de maneira a identificar o seu impacto sobre o meio ambiente, disseminando assim para os seus funcionários e outras empresas as práticas da experiência de gestão ambiental.

A responsabilidade social da empresa como fator de inclusão.

Tem como meta a inclusão, como a inserção social das camadas menos favorecidas da

população no processo de desenvolvimento econômico e social do país, incluindo principalmente a contratação de pessoas com deficiência física.

A fundação tem consciência que a sociedade trata os deficientes de maneira geral, como

pessoas que sofrem limitação, com relação ás ações e expansões, segregando o indivíduo do convivo social, afastando das oportunidades normais de realização social, pessoal, profissional e afetiva, porém não compactuamos com esse tipo de pensamento

32

13. CONSIDERAÇÕES FINAIS

O Trabalho demonstra que a ética é possível: A ética dentro do mundo empresarial e que dá tranquilidade aos funcionários, as suas famílias, a vida em comunidade, aos acionistas, aos consumidores, aos clientes e fornecedores, graças ao papel da empresa tem a cumprir, tanto com a função social, no âmbito interno da empresa, quanto com a responsabilidade social. A FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica tem o compromisso de conduzir os destinos da fundação, e de seus funcionários agindo com dignidade, assegurando o respeito e dever pelas leis trabalhistas e previdenciárias, para assegurar a existência de posturas éticas no seio da atividade empresarial. É uma fundação que tem planejamento estratégico que está em constante mudança, pois traz motivações, aplica em segurança e se preocupa com a vida de seus colaboradores. É democrática, pois aceita a opinião de todos em sua gestão, trabalha constantemente com o feed back, falando de seu comportamento ou desempenho criando um clima organizacional que evita conflitos e encontra soluções. Uma vez assegurada a conduta ética no interior da empresa, o contato com o exterior também requererá um comportamento visível, transparente e franco, onde o resultado dos negócios produzidos pela corporação devem apoiar as iniciativas sociais da coletividade. Portanto é um dever da empresa ser socialmente responsável, tanto na sustentabilidade como na cidadania. Por fim, podemos visar que não estamos querendo o benefício próprio, pois praticar a Lei também é moral e ético, sendo necessário à vida social e profissional de todos os funcionários como cidadãos.

33

14. CONCLUSÃO

Concluo com o aprendizado com as pesquisas realizadas durante os estudos, que preparar um Plano de Negócios é uma das coisas mais úteis que um empresário ou um empreendedor pode fazer, pois o mesmo não representa somente um instrumento de planejamento formalizado em um papel. Ele auxilia a eliminar planejamentos instintivos. O planejamento sistemático que faz parte de Plano de Negócios lhe permitirá restringir os erros ao papel, em vez de cometê-los no mercado. Ele testará a sua decisão de abrir ou ampliar o seu negócio, uma vez que a preparação de um plano abrangente de negócios exige tempo e esforço. O planejamento também deve ser flexível a novas realidades, adaptável a novos paradigmas, sob pena de tornar-se um instrumento ultrapassado e não efetivo. Ele deve, sim, estar integrado a toda a empresa e suas informações devem ser levadas a todos os colaboradores com intuito de conscientizar cada um no papel que possui para alcançar o sucesso do mesmo, este deve estar difundido e retro alimentado permanentemente com novas informações que possam contribuir para o sucesso organizacional. Empreender é sempre um risco, mas empreender sem planejamento é um risco que pode ser evitado. O plano de negócios, apesar de não ser a garantia de sucesso, ajudará o empreendedor entre outras coisas, na tomada de decisões, assim como a não se desviar de seus objetivos iniciais.

34

15. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

FAET – Fundação de Apoio à Educação Tecnológica - Informações Corporativas. Disponível em: 31 abr.2013. CHIAVENATO, Idalberto. Teoria Geral da Administração 4.a ed. Campus: Atlas, 2004. CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas 2.a ed. Campus: Atlas, 2005. CHIAVENATO, Idalberto. Gerenciando com as Pessoas 2.a ed. Campus: Atlas, 2005. FIDELISN/BANOV, Gilson José/Márcia Regina. Gestão de Recursos Humanos 1.a ed. Erica: 2006. CAVALCANTE, Francisco de Assis Cunha. Plano de Negócios. Apostila Unip Interativa,

2010.

TRUBBIANELLI, Ana Paula de Andrade. Avaliação de Desempenho. Apostila Unip Interativa, 2010. PEREIRA, Graziella Antunes. Modelos de Liderança. Apostila Unip Interativa, 2010.