Você está na página 1de 3
CURSO DE ENGENHARIA CIVIL – 7º PERÍODO DISCIPLINA: GERENCIAMENTO DA CONSTRUÇÃO CIVIL II PROFESSOR: DAVID COL

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL 7º PERÍODO DISCIPLINA: GERENCIAMENTO DA CONSTRUÇÃO CIVIL II PROFESSOR: DAVID COL DEBELLA ALUNOS: ARTUR RODRIGUES MONTEIRO RAUL LUIZ CARNEIRO CALLEGARIO

1º CHECK DO PAPER

ANÁLISE DA PRODUTIVIDADE DO ASSENTAMENTO CERÂMICO NA FACHADA DE UMA EDIFICAÇÃO VERTICAL.

  • 1. OBJETIVOS

Observar e identificar o sistema construtivo utilizado pelos colaboradores a fim de aprimorar a qualidade e resultar em eficiência e aumento na produtividade da mão-de-obra.

  • 2. JUSTIFICATIVA

Sabemos que em todo processo construtivo a falta de qualificação da mão-de-obra e os desperdícios de materiais estão presentes, gerando normalmente desperdício de tempo e de recursos financeiros. Para suprir estas deficiências geralmente ocasionadas pelo sistema “artesão” da construção civil, metodologias são empregadas para melhorias na parte produtiva, como equipamentos tecnológicos, qualificação da mão-de-obra ou até mesmo acréscimo de colaboradores. Contudo, nem sempre o acréscimo de colaboradores ou melhor qualidade dos produtos e equipamentos significa melhor aproveitamento dos recursos.

Assim, a relação custo x produtividade deve ser respeitada e analisada, constituindo novas soluções e metodologias de produção, a fim de diminuir o desperdício de recursos, gerando um impacto positivo sobre a qualidade e o orçamento final da obra.

  • 3. REFERENCIAL TEÓRICO

Acompanhando a dinâmica contemporânea com constantes e rápidas transformações no processo produtivo, o setor de construção civil brasileiro tem feito esforços objetivando melhor desempenho, buscando qualidade, certificação, incrementos na produtividade e competitividade (POZZOBON, 2004).

Na construção de edifícios o incremento de novas tecnologias relacionadas aos equipamentos ou aos materiais não é sinônimo de melhoria na produtividade (ANDRADE apud LIBRAIS; SOUZA, 2001). É necessário também buscar compreender as novas tecnologias e as variáveis envolvidas que influenciam na produtividade para uma gestão eficiente do processo de produção e dos recursos da construção (BAÚ; MARLI, 2006).

Segundo Souza (2001), as informações referentes ao estudo da produtividade da mão- de-obra traz como benefícios a previsão do consumo de mão-de-obra, a previsão da duração do serviço, avaliação e comparação dos resultados e desenvolvimento ou aperfeiçoamento de técnicas construtivas.

  • 4. METODOLOGIA

Quanto aos fins a pesquisa é explicativa e aplicada (Vergara, 2000, p. 47). Explicativa porque visa esclarecer fatores que contribuem para a ocorrência de uma dada realidade. Aplicada porque tem finalidade prática, busca a resolução de problemas detectados dentro do tema abordado.

Quanto aos meios a pesquisa é de campo (Vergara, 2000, p. 47). Pesquisa de campo devido a presença no local onde ocorre o fenômeno, buscando a coleta de dados através de entrevistas, testes, aplicação de questionários e observação participativa ou não.

  • 5. REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

LIBRAIS, Carlus Fabrício; SOUZA, Ubiraci Espinelli Lemes de. Produtividade da mão-de- obra no assentamento de revestimento cerâmico interno de parede. São Paulo: Escola Politécnica da USP, 2001. Boletim técnico.

POZZOBON, Cristina Eliza; HEINECK, Luiz Fernando Mählmann; FREITAS, Maria do Carmo Duarte. Atualizando o levantamento de inovações tecnológicas simples em obra. In:

ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 2004, São

Paulo.

Anais...

São Paulo: [s. n.], 2004.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e Relatório de Pesquisa em Administração. São Paulo: Atlas, 2000.