Você está na página 1de 8

NÍVEL PRÉ-SILÁBICO

► SABERES QUE ESSAS CRIANÇAS JÁ TÊM: ► ► Conhecem muitas letras do alfabeto. Entendem que
SABERES QUE ESSAS CRIANÇAS JÁ TÊM:
Conhecem muitas letras do alfabeto.
Entendem que para escrever usam-se letras

e não mais desenhos.

Conhece alguns números.

O QUE ESSAS CRIANÇAS AINDA NÃO SABEM:

Ainda não aprenderam a relação letra-som.

Ainda não aprendeu que não se mistura letra com números na escrita de palavras

O QUE DEVE SER TRABALHADO:

Topografia das letras.

A relação grafema-fonema (letra-som) com alfabetos cantados, bingo de letras, de rótulos, atividades com alfabeto vivo, atividades com o fichário dos nomes dos alunos etc.

Muitas atividades de escrita espontânea e não cópias.

SILÁBICO

► Conhecem a relação letra-som. ► Produzem uma escrita que refletem a fala.(Alunos 2,4 e 5)

Conhecem a relação letra-som.

Produzem uma escrita que refletem a fala.(Alunos 2,4 e 5)

O QUE ESSAS CRIANÇAS AINDA NÃO SABEM:

QSABERES QUE ESSAS CRIANÇAS JÁ TÊM:

ue a escrita não reproduz a fala.

O QUE DEVE SER TRABALHADO:

  • Atividades que reforcem a compreensão da relação grafema-fonema (letra-som) para que entendam a constituição da sílaba como, por exemplo, alfabetos cantados, bingo de letras, de rótulos, atividades com alfabeto vivo, atividades com o fichário dos nomes dos alunos etc.

  • Atividades de desenvolvimento da oralidade com posterior produção escrita.

  • Leituras de histórias e demais narrativas com posterior reconto oral e escrito etc.

  • Atividades que visem descolar a escrita da fala, como no caso das palavras. CADIADO E KAVALU as vogais E e O no final de sílabas átonas assumem o valor sonoro de /i/ e /u/, por isso que se fala /cadiado/ e se escreve CADEADO, fala-se /cavalu/ e escreve CAVALO, fala-se /leiti/ e escreve-se LEITE. O aluno de nº 1 já entendeu esse fenômeno lingüístico.

  • Atividades para trabalhar as convenções ortográficas, como: dígrafos orais (ch,lh, nh, qu, gu, rr, ss, sc, sc, xc)

e nasais (am, an, em, en, im, in, om, on, um, un, como na

escrita da palavra “aranha” e “campo” ) e usos de letras que representam o som /s/.

Livro: Guia Teórico do Alfabetizador ver quadros.

Atividade para evitar a hipercorreção (no afã de acertar erra), como na escrita da palavra CUECA que foi grafada COECA.

NÍVEL ALFABÉTICO

 Atividades que visem descolar a escrita da fala, como no caso das palavras. CADIADO E

OUTROS EXEMPLOS:

CABIDE Aluno 1 CADIADO Aluno 2 COECA Aluno 3 KAVALU Aluno 4 ARÃA Aluno 5 PAÇEIO Aluno 6 CÃPO Aluno 7

Conhecem a relação letra-som.

Produzem uma escrita que refletem a fala.(Alunos 2,4 e 5)

O QUE ESSAS CRIANÇAS AINDA NÃO SABEM:

QSABERES QUE ESSAS CRIANÇAS JÁ TÊM:

que a escrita não reproduz a fala.

O QUE DEVE SER TRABALHADO:

  • Atividades que reforcem a compreensão da relação grafema-fonema (letra-som) para que entendam a constituição da sílaba como, por exemplo, alfabetos cantados, bingo de letras, de rótulos, atividades com alfabeto vivo, atividades com o fichário dos nomes dos alunos etc.

  • Atividades de desenvolvimento da oralidade com posterior produção escrita.

  • Leituras de histórias e demais narrativas com posterior reconto oral e escrito etc.

  • Atividades que visem descolar a escrita da fala, como no caso das palavras. CADIADO E KAVALU as vogais E e O no final de sílabas átonas assumem o valor sonoro de /i/ e /u/, por isso que se fala /cadiado/ e se escreve CADEADO, fala-se /cavalu/ e escreve CAVALO, fala-se /leiti/ e escreve-se LEITE. O aluno de nº 1 já entendeu esse fenômeno lingüístico.

  • Atividades para trabalhar as convenções ortográficas, como: dígrafos orais (ch,lh, nh, qu, gu, rr, ss, sc, sc, xc)

e nasais (am, an, em, en, im, in, om, on, um, un, como na

escrita da palavra “aranha” e “campo” ) e usos de letras que representam o som /s/.

Livro: Guia Teórico do Alfabetizador ver quadros.

  • Atividade para evitar a hipercorreção (no afã de acertar erra), como na escrita da palavra CUECA que foi grafada COECA.

NÍVEL ALFABÉTICO NA ESCRITA DE TEXTOS

A MININA IS TAFAZENO UM PREZEITE PARAMAI DELAPUQUE E DIADA MÃI IAMININA IS TASOZIA CUABONECA MUITO FELIS.

MAI VOCE ER MOITO BONITA. SABERES QUE ESSA CRIANÇA JÁ TEM:

  • Demonstra conhecer todas as letras do alfabeto.

  • Apresenta uma escrita apoiada à fala.

  • Fez uso adequado do dígrafo QU quando quis escrever a palavra PORQUE.

  • Usou o som /s/ adequadamente ao escrever a palavra VOCÊ antes de E e de I usa-se a letra C para produzir esse som e não a letra S.

  • Demonstrou conhecer e usou adequadamente o encontro consonantal PR na palavra PRESENTE.

  • Demonstra conhecer as vogais nasais: /ã/, / /, /ĩ/, /õ/, /ũ/ quando grafou a palavra MÃE, carece porém de ter esse conhecimento consolidado a partir de atividades que reforcem esse conteúdo.

O QUE ESSA CRIANÇA AINDA NÃO SABE:

  • Que a escrita não representa fala.

  • Usar adequadamente o som /z/ como na palavra PRESENTE que grafou PREZEITE, usando a letra Z no lugar da letra S.

  • Uso do dígrafo NH na escrita da palavra SOZINHA.

  • Ainda não sabem separar a fala da escrita, pois no estágio inicial da alfabetização é provado que as crianças se apóiam na fala para elaborarem suas primeiras escritas. Por isso grafaram “TAFAZENO, PARAMAI, DELAPUQUE, DIADA, IAMININA TASOZIA, CUABONECA” sem espaço entre as palavras, o que constitui um GRUPO DE FORÇA – que é um sintagma constituído por dois ou mais vocábulos submetidos a um acento tônico e pronunciados de uma só vez isso porque na fala não há intervalo entre as palavras como na escrita, motivo pelo qual é comum se ver na escrita de alfabetizandos um grupo de força grafado como se fosse uma só palavra.

O QUE DEVE SER TRABALHADO:

  • Atividades que visem mostrar para os alunos que a escrita não representa a fala, como no caso da escrita das palavras MENINA e MÃE que o aluno grafou respectivamente MININA e MAI; as vogais E e O no final de sílabas átonas assumem o valor sonoro de

/i/ e /u/, embora tenha demonstrado esse conhecimento na escrita das palavras FAZENDO, PRESENTE, BONECA E BONITA.

Atividades para ampliar a compreensão da estrutura silábica CCV, como no caso dos encontros consonantais agrupamento de consoantes em uma mesma palavra e demais estruturas: V (á-gua), CVC (mar-ca), CCVC (pres-tígio), CCVCC (trans-formar) e CVCC (pers-crutar);

Muitas atividades de produção de texto espontâneo e não cópias;

Atividades de desenvolvimento da oralidade com posterior produção escrita;

ALFABÉTICO 1 - A 1

CONCEPÇÃO SILÁBICA

Acredita que a sílaba é composta por duas letras, na seguinte ordem: consoante e vogal, Ex: setarada

LETRA/SOM

Não escreve todos os sons; ignora a nasalização

TEXTO:

Sem aspecto formal.

ALFABÉTICO 2 A2

CONCEPÇÃO SILÁBICA:

Acredita que a sílaba é composta por duas letras, mas aceita consoante e vogal e vogal e consoante. Ex:

estarada.

LETRA/SOM:

Começa a apresentar uma maior constência na escrita de uma mesma palavra, mesmo que incorretamente

TEXTO: Ja’começa apresentar alguns aspectos formais.

ALFABÉTICO 3

CONCEPÇÃO SILÁBICA: Acredita que a sílaba pode ser composta por duas, trÊs ou mais sílabas ou letras.

LETRA/SOM: Escreve todos os sons; constância mesmo que incorreta.

TEXTO: Escreve mais detalhes da história, está seguro com as questões de sons. Já apresenta inicio, meio e fim.

ORTOGRÁFICO

O aprendente descobre que para cada som existem vários grafemas, diferente de hipótese fonética absoluta ou seja, que não dá para confiar só na fala para escrever corretamente; que é preciso recorrer as regras do dicionário.

Rogerio Braule Póvoa Pinto

...

Ӄ

fundamental diminuir a distância entre o que se diz e o que se

faz, de tal forma que, num dado momento, a tua fala seja a tua

prática.”