Você está na página 1de 17

11/4/2014

Equilíbrio químico

EQUILÍBRIO QUÍMICO

ARQUIVOS

  • - 1.

conceito de equilíbrio químico .

  • 1.1. Propriedades. Aspecto dinâmico de reações químicas.

  • 2 -.

lei da ação das massas. A constante de equilíbrio K C .

  • - 3.

grau de dissociação " a " .

  • 3.1. razão K C com o grau de dissociação.

  • 4 -.

K P. Relação entre K C .

  • 4.1. magnitude das constantes de equilíbrio.

  • - 5.

quociente reacção .

  • 6 equilíbrio Alterações .

-.

  • 6.1. concentração em reagentes e produtos.

  • 6.2. Efeito de alterações de pressão, volume e temperatura.

  • 6.3. Princípio de Le Chatelier .

  • 6.4. importância em processos industriais.

  • 7 equilíbrios heterogêneos. Produto de solubilidade .

-.

O QUE É EQUILÍBRIO QUÍMICO?

É

uma reação nunca vai

para a conclusão, como

ocorre em ambas as direções simultaneamente (os produtos forma reativa, e por sua vez, formam novos reagentes). Quero dizer, este é um equilíbrio dinâmico .

11/4/2014 Equilíbrio químico EQUILÍBRIO QUÍMICO ARQUIVOS - 1. conceito de equilíbrio químico . 1.1. Propriedades. Aspecto

Quando as concentrações de cada uma das substâncias envolvidas (reagentes ou produtos) é estável, ou seja, gastar no mesmo ritmo que formam, chegamos ao Equilíbrio Químico.

11/4/2014

Equilíbrio químico

11/4/2014 Equilíbrio químico LEI DA AÇÃO DAS MASSAS. CONSTANTE DE EQUILÍBRIO ( K ) Para qualquer
11/4/2014 Equilíbrio químico LEI DA AÇÃO DAS MASSAS. CONSTANTE DE EQUILÍBRIO ( K ) Para qualquer

LEI DA AÇÃO DAS MASSAS. CONSTANTE DE EQUILÍBRIO ( K C )

11/4/2014 Equilíbrio químico LEI DA AÇÃO DAS MASSAS. CONSTANTE DE EQUILÍBRIO ( K ) Para qualquer

Para qualquer reação (a + b + B como segue:

....

Á c C + d D + ...)
Á c C + d D + ...)

a constante de equilíbrio (definido K C )

sendo

medido

concentrações

no

equilíbrio

concentrações iniciais dos reagentes e produtos).

(não devem ser confundidas com as

É chamada constante de equilíbrio, porque é de notar que este valor é constante (dentro da mesma o equilíbrio) se qualquer parte da concentração inicial de reagente ou produto.

11/4/2014

Equilíbrio químico

Na reacção acima: H 2 (g) + I 2 (g) Á 2 HI (g)

11/4/2014 Equilíbrio químico Na reacção acima: H (g) + I (g) Á 2 HI (g) OÖ Ou seja, o valor de K http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 3/17 " id="pdf-obj-2-17" src="pdf-obj-2-17.jpg">

O valor de K C , dada a sua expressão depende de como a reacção é ajustado. Ou seja, se a reacção anteriormente tinha definido como: ½ H 2 (g) + ½ I 2 (g) Á HI (g) , a constante poderia ser a raiz quadrada do acima.

A constante K C muda com a temperatura.

ATENÇÃO: Somente refrigerantes e / ou espécies em solução estão incluídos. Espécies em estado sólido ou líquido, são a concentração constante, e por conseguinte fazem parte da constante de equilíbrio.

Exemplo:

Deixe o equilíbrio: 2 SO 2 (g) + O 2 (g) Á 2 SO 3 (g). Cinco experimentos em que diferentes concentrações iniciais de ambos os reagentes (SO são introduzidos 2 e O 2 ). A reacção ocorre e concentrações de equilíbrio, uma vez atingido de ambos os reagentes e produtos são medidos observado o seguinte:

 

Concentr. Inicial (mol / L)

Concentr. equilíbrio (mol / l)

 
 

[SO 2 ]

[O 2 ]

[SO 3 ]

[SO 2 ]

[O 2 ]

[SO 3 ]

K c

Exp 1

0200

  • 0200 -

 

0030

0115

 
  • 0170 279,2

Exp 2

0150

  • 0400 -

 

0014

0332

  • 0135 280,1

 

Exp 3

-

 
  • - 0200

0053

0026

 
  • 0143 280,0

Exp 4

-

 
  • - 0700

0132

0066

 
  • 0568 280,5

Exp 5

0150

  • 0400 0250

 

0037

0343

 
  • 0363 280,6

K c é dado pela expressão:

11/4/2014 Equilíbrio químico Na reacção acima: H (g) + I (g) Á 2 HI (g) OÖ Ou seja, o valor de K http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 3/17 " id="pdf-obj-2-204" src="pdf-obj-2-204.jpg">

e como pode ser visto é praticamente constante.

Exercício A:

Faça as expressões de K C para o seguinte equilíbrio químico: a) N 2 O 4 (g) Á 2 NO 2 (g), b) 2 NO (g) + Cl 2 (g) Á 2 NOCl (g); c ) CaCO 3 (s) Á CaO (s) + CO 2 (g), d) 2 NaHCO 3 (s) Á de Na 2 CO 3 (s) + H 2 O (g) + CO 2 (g). Ö

Ou seja, o valor de K c

11/4/2014

Equilíbrio químico

11/4/2014 Equilíbrio químico Exemplo: Em um balde de 10 litros de uma mistura de 4 molesÖ CONSTANTE DE EQUILÍBRIO (K ). RELAÇÃO ENTRE K . Em reações envolvendo gases é mais fácil de medir as concentrações de pressões parciais. Basta digitar uma reação: a A + b B Á c C + d D, a constância observada de K é definido por: Na reação: 2 SO (g) + O (g) Á 2 SO (g) A partir da equação geral dos gases é obtida: http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 4/17 " id="pdf-obj-3-7" src="pdf-obj-3-7.jpg">

Exemplo:

Em um balde de 10 litros de uma mistura de 4 moles de introduzido N 2 (g) e 12 moles de H 2 (g), a) escrever a reação de equilíbrio, b) se se provar que há 0,92 moles observadas NH 3 (g), determinar as concentrações de N 2 e H 2 em equilíbrio constante e K c.

a) Balanço: N 2 (g)

+ 3 H 2 (g)

Á

2 NH 3 (g)

b) Moles de inicialização. 4 12 0 Equil Moles. 4-0,46 = 3,54 12-1,38 = 10,62 0,92 conc. eq (mol / l) 0354 1062 0092

11/4/2014 Equilíbrio químico Exemplo: Em um balde de 10 litros de uma mistura de 4 molesÖ CONSTANTE DE EQUILÍBRIO (K ). RELAÇÃO ENTRE K . Em reações envolvendo gases é mais fácil de medir as concentrações de pressões parciais. Basta digitar uma reação: a A + b B Á c C + d D, a constância observada de K é definido por: Na reação: 2 SO (g) + O (g) Á 2 SO (g) A partir da equação geral dos gases é obtida: http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 4/17 " id="pdf-obj-3-46" src="pdf-obj-3-46.jpg">

Exercício B:

Num recipiente de 250 ml com 3 g de PCl introduzida 5 PCl:, estabelecendo o equilíbrio 5 (g) Á PCl 3 (g) + Cl 2 (g). Sabendo-se que K C à temperatura do ensaio é de 0,48, o molar determinar a composição de equilíbrio . Ö

CONSTANTE DE EQUILÍBRIO (K P ). RELAÇÃO ENTRE K C .

11/4/2014 Equilíbrio químico Exemplo: Em um balde de 10 litros de uma mistura de 4 molesÖ CONSTANTE DE EQUILÍBRIO (K ). RELAÇÃO ENTRE K . Em reações envolvendo gases é mais fácil de medir as concentrações de pressões parciais. Basta digitar uma reação: a A + b B Á c C + d D, a constância observada de K é definido por: Na reação: 2 SO (g) + O (g) Á 2 SO (g) A partir da equação geral dos gases é obtida: http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 4/17 " id="pdf-obj-3-72" src="pdf-obj-3-72.jpg">

Em reações envolvendo gases é mais fácil de medir as concentrações de pressões parciais. Basta digitar uma reação: a A + b B Á c C + d D, a constância observada de K p é

definido por:

11/4/2014 Equilíbrio químico Exemplo: Em um balde de 10 litros de uma mistura de 4 molesÖ CONSTANTE DE EQUILÍBRIO (K ). RELAÇÃO ENTRE K . Em reações envolvendo gases é mais fácil de medir as concentrações de pressões parciais. Basta digitar uma reação: a A + b B Á c C + d D, a constância observada de K é definido por: Na reação: 2 SO (g) + O (g) Á 2 SO (g) A partir da equação geral dos gases é obtida: http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 4/17 " id="pdf-obj-3-84" src="pdf-obj-3-84.jpg">

Na reação: 2 SO 2 (g) + O 2 (g) Á 2 SO 3 (g)

11/4/2014 Equilíbrio químico Exemplo: Em um balde de 10 litros de uma mistura de 4 molesÖ CONSTANTE DE EQUILÍBRIO (K ). RELAÇÃO ENTRE K . Em reações envolvendo gases é mais fácil de medir as concentrações de pressões parciais. Basta digitar uma reação: a A + b B Á c C + d D, a constância observada de K é definido por: Na reação: 2 SO (g) + O (g) Á 2 SO (g) A partir da equação geral dos gases é obtida: http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 4/17 " id="pdf-obj-3-97" src="pdf-obj-3-97.jpg">

A partir da equação geral dos gases

11/4/2014 Equilíbrio químico Exemplo: Em um balde de 10 litros de uma mistura de 4 molesÖ CONSTANTE DE EQUILÍBRIO (K ). RELAÇÃO ENTRE K . Em reações envolvendo gases é mais fácil de medir as concentrações de pressões parciais. Basta digitar uma reação: a A + b B Á c C + d D, a constância observada de K é definido por: Na reação: 2 SO (g) + O (g) Á 2 SO (g) A partir da equação geral dos gases é obtida: http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 4/17 " id="pdf-obj-3-101" src="pdf-obj-3-101.jpg">

é obtida:

11/4/2014 Equilíbrio químico Exemplo: Em um balde de 10 litros de uma mistura de 4 molesÖ CONSTANTE DE EQUILÍBRIO (K ). RELAÇÃO ENTRE K . Em reações envolvendo gases é mais fácil de medir as concentrações de pressões parciais. Basta digitar uma reação: a A + b B Á c C + d D, a constância observada de K é definido por: Na reação: 2 SO (g) + O (g) Á 2 SO (g) A partir da equação geral dos gases é obtida: http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 4/17 " id="pdf-obj-3-105" src="pdf-obj-3-105.jpg">

11/4/2014

Equilíbrio químico

11/4/2014 Equilíbrio químico Assim, vemos que K pode depender da temperatura, sempre que haja uma mudançaÖ MAGNITUDE DE K E K . O valor das duas constantes podem variar de muito grandes limites: Exemplos: · H (g) + Cl (g) Á 2HCl (g) K (298 K) = 2,5 x 10 A reacção é altamente deslocado para a direita (na verdade, é possível substituir o símbolo Á pela ® ). · H (g) + I (g) Á 2 HI (g) K (698 K) = 55,0 é um verdadeiro equilíbrio (há concentrações apreciáveis ​​de reagentes e produtos). · N (g) + O (g) Á NO 2 (g) K (298 K) = 5,3 x 10 A reacção é altamente deslocado para a esquerda, isto é, apenas os produtos são formados. O GRAU DE DISSOCIAÇÃO ( um ). É utilizado em que as reacções em que há um único reagente que se dissocia em duas ou http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 5/17 " id="pdf-obj-4-7" src="pdf-obj-4-7.jpg">

Assim, vemos que K P pode depender da temperatura, sempre que haja uma mudança do número de moles de gás

11/4/2014 Equilíbrio químico Assim, vemos que K pode depender da temperatura, sempre que haja uma mudançaÖ MAGNITUDE DE K E K . O valor das duas constantes podem variar de muito grandes limites: Exemplos: · H (g) + Cl (g) Á 2HCl (g) K (298 K) = 2,5 x 10 A reacção é altamente deslocado para a direita (na verdade, é possível substituir o símbolo Á pela ® ). · H (g) + I (g) Á 2 HI (g) K (698 K) = 55,0 é um verdadeiro equilíbrio (há concentrações apreciáveis ​​de reagentes e produtos). · N (g) + O (g) Á NO 2 (g) K (298 K) = 5,3 x 10 A reacção é altamente deslocado para a esquerda, isto é, apenas os produtos são formados. O GRAU DE DISSOCIAÇÃO ( um ). É utilizado em que as reacções em que há um único reagente que se dissocia em duas ou http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 5/17 " id="pdf-obj-4-13" src="pdf-obj-4-13.jpg">

onde D n = aumento do número de moles de gás ( n produtos - n reagentes )

Exemplo:

Calcula-se a constante K P 1000 K na reacção de formação de amónia acima vista. (K C = 1,996 · 10 -2 M -2 )

N 2 (g)

+ 3 H 2 (g) Á 2 NH 3 (g)

D n = n produtos - n reagente = 2 - (1 + 3) = -2

K P = K c x (RT) D n = 1.996

x 10 -2 mol -2 · l 2 (0,082 atm x L x · mol -1
x
10 -2
mol -2 · l 2
(0,082 atm x L x · mol -1

x K -1 x 1.000 K) -2

Exercício C (Selectividad. Madrid em Junho de 1997 ):

A constante de equilíbrio da reação: N 2 O 4 Á 2 NO 2

valor ,671-45 º C. Calcula-se a pressão

total no equilíbrio num recipiente que é preenchido com N 2 O 4 a 10 atmosferas e a referida

temperatura. dados : R = 0,082 atm · · l mol -1 · K -1 . Ö

MAGNITUDE DE K C E K P .

11/4/2014 Equilíbrio químico Assim, vemos que K pode depender da temperatura, sempre que haja uma mudançaÖ MAGNITUDE DE K E K . O valor das duas constantes podem variar de muito grandes limites: Exemplos: · H (g) + Cl (g) Á 2HCl (g) K (298 K) = 2,5 x 10 A reacção é altamente deslocado para a direita (na verdade, é possível substituir o símbolo Á pela ® ). · H (g) + I (g) Á 2 HI (g) K (698 K) = 55,0 é um verdadeiro equilíbrio (há concentrações apreciáveis ​​de reagentes e produtos). · N (g) + O (g) Á NO 2 (g) K (298 K) = 5,3 x 10 A reacção é altamente deslocado para a esquerda, isto é, apenas os produtos são formados. O GRAU DE DISSOCIAÇÃO ( um ). É utilizado em que as reacções em que há um único reagente que se dissocia em duas ou http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 5/17 " id="pdf-obj-4-111" src="pdf-obj-4-111.jpg">

O valor das duas constantes podem variar de muito grandes limites:

Exemplos:

·

H 2 (g) + Cl 2 (g) Á 2HCl (g)

K C

(298 K) = 2,5 x 10 33

A reacção é altamente deslocado para a direita (na verdade, é possível substituir o

símbolo Á

pela ® ).

· H 2 (g) + I 2 (g) Á 2 HI (g)

K c

(698 K) = 55,0

é um verdadeiro equilíbrio (há concentrações apreciáveis ​​de reagentes e produtos).

· N 2 (g) + O 2 (g) Á NO 2 (g)

K C

(298 K) = 5,3 x 10 -31

A reacção é altamente deslocado para a esquerda, isto é, apenas os produtos são

formados.

O GRAU DE DISSOCIAÇÃO ( um ).

11/4/2014 Equilíbrio químico Assim, vemos que K pode depender da temperatura, sempre que haja uma mudançaÖ MAGNITUDE DE K E K . O valor das duas constantes podem variar de muito grandes limites: Exemplos: · H (g) + Cl (g) Á 2HCl (g) K (298 K) = 2,5 x 10 A reacção é altamente deslocado para a direita (na verdade, é possível substituir o símbolo Á pela ® ). · H (g) + I (g) Á 2 HI (g) K (698 K) = 55,0 é um verdadeiro equilíbrio (há concentrações apreciáveis ​​de reagentes e produtos). · N (g) + O (g) Á NO 2 (g) K (298 K) = 5,3 x 10 A reacção é altamente deslocado para a esquerda, isto é, apenas os produtos são formados. O GRAU DE DISSOCIAÇÃO ( um ). É utilizado em que as reacções em que há um único reagente que se dissocia em duas ou http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 5/17 " id="pdf-obj-4-185" src="pdf-obj-4-185.jpg">

É utilizado em que as reacções em que há um único reagente que se dissocia em duas ou

11/4/2014

Equilíbrio químico

mais moléculas mais pequenas.

É a fracção molar de uma dissociação (ambos 1). Deste modo, a% de substância dissociada é igual a 100 · um .

Exemplo:

Em de 5 litros 2 moles de introdução PCl 5 (g) e 1 mol de PCl 3 (g) e o equilíbrio é estabelecido:

PCl 5 (g) Á PCl 3 (g) + Cl 2 (g). Sabendo que K c (250 ° C) = 0,042, a) quais são as concentrações de cada substância em equilíbrio;? b) qual é o grau de dissociação?

a) Balanço:

PCl 5 (g) Á PCl 3 (g)

+ Cl 2 (g)

. Moles Init 2 1 0 Equil Moles. 2 - x

1 + x

x

conc. eq (mol / l), (2 - x ) / 5 (1 + x ) / 5

x / 5

11/4/2014 Equilíbrio químico mais moléculas mais pequenas. É a fracção molar de uma dissociação (ambos 1).

Resolvendo a equação quadrática, segue-se que x = 0,28 moles

11/4/2014 Equilíbrio químico mais moléculas mais pequenas. É a fracção molar de uma dissociação (ambos 1).
11/4/2014 Equilíbrio químico mais moléculas mais pequenas. É a fracção molar de uma dissociação (ambos 1).
, b)
, b)

, Se 2 moles de PCl 5 em 0,28 mol dissociar PCl 3 e Cl 2 , para cada mole de PCl 5 0,14

dissociar. Portanto, um = 0,14 , o que é dizer que o PCl 5 dissociou em 14%.

11/4/2014 Equilíbrio químico mais moléculas mais pequenas. É a fracção molar de uma dissociação (ambos 1).

RELAÇÃO ENTRE K C E um .

Seja uma reação A Á B + C.

Se chamamos "c" = [A] inicial e assumir que, em princípio, não é só substância "A", então:

Equilíbrio:

Conc Init. (Mol / L):

conc. eq (mol / l)

A Á B + C c c (1 - a ) 0 0 c um c
A
Á
B + C
c
c (1 - a )
0 0
c um
c · a

No caso em que a substância é ligeiramente dissociado ( K C muito pequena): um << 1 e K

C = c a 2 , que tem é a de imediato. Em caso de dúvida, você pode desprezar, e se você ver que a <0,02, você pode deixar o resultado, enquanto que se a > 0,02 não deve desprezar e você resolver a equação quadrática.

Exemplo:

Usando a expressão de a função da constante de " um "no exemplo acima:" In de 5 litros de 2 moles de introdução de PCl 5 (g) e 1 mol de PCl 3 (g) e o equilíbrio é estabelecido : PCl 5 (g) Á PCl 3 (g) + Cl 2 (g). Sabendo que o K c (250 ° C) = 0,042, o que é o grau de dissociação? ".

11/4/2014

Equilíbrio químico

Balança: PCl 5 (g)

Á

PCl 3 (g)

+ Cl 2 (g)

Conc Inic. 2/5 1/5 0 conc. eq (mol / l) 0,4 (1 - a ) 0,2 0,4 · a

0,4 · uma

11/4/2014 Equilíbrio químico Balança: PCl (g) Á PCl (g) + Cl (g) Conc Inic. 2/5 1/5Ö Exercício E: A 450 ° C e uma pressão de 10 atm de NH (g) é 95,7% dissociado de acordo com a reacção: 2 NH (g) Á N (g) + 3 H (g). Calcular K e K a essa temperatura. Ö QUOCIENTE DE REAÇÃO (Q) Em qualquer reação: a A + b B Á c C + d D é chamado de quociente de reação: Ele tem a mesma fórmula que K , mas ao contrário deste último, concentrações não precisa ser o equilíbrio. · Se Q = K , em seguida, o sistema está em equilíbrio. · Se Q <K o sistema evolui para a direita, isto é, aumentar o teor dos produtos e diminuir os reagentes até Q é igual a K . · Se Q> K o sistema evolui para a esquerda, isto é, aumentar a concentração dos reagentes e o produto vai diminuir até que Q é igual a K . Uma simulação de como variar as concentrações de substâncias diferentes através de um equilíbrio químico e tende a como Q K pode ser 2.1 programa de download Lechat http://nautilus.fis.uc.pt/wwwqui/equilibrio/port / eqq_lechat2.html . Exemplo: em equilíbrio? Numa HI recipiente de 3 litros de 0,6 moles, 0,3 moles de H são introduzidos e 0,3 mole de I a 490 ° C. Se K = 0,022 a 490 ° C durante 2 HI (g) Á H (g) + I (g) a) são em equilíbrio;? b) Caso não encontrado, quantas moles de HI, H e I estará http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 7/17 " id="pdf-obj-6-29" src="pdf-obj-6-29.jpg">

Neste caso, e dado o valor da constante não deve desprezar contra 1, por isso, devemos resolver a equação quadrática: a = 0,14

Exercício D:

No equilíbrio de cima (K c

= 0,042): PCl

5 (g) Á

PCl

3 (g) + Cl

2

(g), o

que

é

o grau

de

dissociação e o número de moles no equilíbrio das três substâncias só se colocam 2 moles de PCl 5 (g) no frasco de 5 litros? Ö

Exercício E:

A 450 ° C e uma pressão de 10 atm de NH 3 (g) é 95,7% dissociado de acordo com a reacção:

2 NH 3 (g) Á N 2 (g) + 3 H 2 (g). Calcular K C e K P a essa temperatura. Ö

QUOCIENTE DE REAÇÃO (Q)

11/4/2014 Equilíbrio químico Balança: PCl (g) Á PCl (g) + Cl (g) Conc Inic. 2/5 1/5Ö Exercício E: A 450 ° C e uma pressão de 10 atm de NH (g) é 95,7% dissociado de acordo com a reacção: 2 NH (g) Á N (g) + 3 H (g). Calcular K e K a essa temperatura. Ö QUOCIENTE DE REAÇÃO (Q) Em qualquer reação: a A + b B Á c C + d D é chamado de quociente de reação: Ele tem a mesma fórmula que K , mas ao contrário deste último, concentrações não precisa ser o equilíbrio. · Se Q = K , em seguida, o sistema está em equilíbrio. · Se Q <K o sistema evolui para a direita, isto é, aumentar o teor dos produtos e diminuir os reagentes até Q é igual a K . · Se Q> K o sistema evolui para a esquerda, isto é, aumentar a concentração dos reagentes e o produto vai diminuir até que Q é igual a K . Uma simulação de como variar as concentrações de substâncias diferentes através de um equilíbrio químico e tende a como Q K pode ser 2.1 programa de download Lechat http://nautilus.fis.uc.pt/wwwqui/equilibrio/port / eqq_lechat2.html . Exemplo: em equilíbrio? Numa HI recipiente de 3 litros de 0,6 moles, 0,3 moles de H são introduzidos e 0,3 mole de I a 490 ° C. Se K = 0,022 a 490 ° C durante 2 HI (g) Á H (g) + I (g) a) são em equilíbrio;? b) Caso não encontrado, quantas moles de HI, H e I estará http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 7/17 " id="pdf-obj-6-91" src="pdf-obj-6-91.jpg">

Em qualquer reação: a A + b B Á c C + d D é chamado de quociente de reação:

11/4/2014 Equilíbrio químico Balança: PCl (g) Á PCl (g) + Cl (g) Conc Inic. 2/5 1/5Ö Exercício E: A 450 ° C e uma pressão de 10 atm de NH (g) é 95,7% dissociado de acordo com a reacção: 2 NH (g) Á N (g) + 3 H (g). Calcular K e K a essa temperatura. Ö QUOCIENTE DE REAÇÃO (Q) Em qualquer reação: a A + b B Á c C + d D é chamado de quociente de reação: Ele tem a mesma fórmula que K , mas ao contrário deste último, concentrações não precisa ser o equilíbrio. · Se Q = K , em seguida, o sistema está em equilíbrio. · Se Q <K o sistema evolui para a direita, isto é, aumentar o teor dos produtos e diminuir os reagentes até Q é igual a K . · Se Q> K o sistema evolui para a esquerda, isto é, aumentar a concentração dos reagentes e o produto vai diminuir até que Q é igual a K . Uma simulação de como variar as concentrações de substâncias diferentes através de um equilíbrio químico e tende a como Q K pode ser 2.1 programa de download Lechat http://nautilus.fis.uc.pt/wwwqui/equilibrio/port / eqq_lechat2.html . Exemplo: em equilíbrio? Numa HI recipiente de 3 litros de 0,6 moles, 0,3 moles de H são introduzidos e 0,3 mole de I a 490 ° C. Se K = 0,022 a 490 ° C durante 2 HI (g) Á H (g) + I (g) a) são em equilíbrio;? b) Caso não encontrado, quantas moles de HI, H e I estará http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 7/17 " id="pdf-obj-6-97" src="pdf-obj-6-97.jpg">

Ele tem a mesma fórmula que K C , mas ao contrário deste último, concentrações não precisa ser o equilíbrio.

·

Se Q = K c , em seguida, o sistema está em equilíbrio.

·

Se Q <K c o sistema evolui para a direita, isto é, aumentar o teor dos produtos e diminuir os reagentes até Q é igual a K C .

·

Se Q> K c o sistema evolui para a esquerda, isto é, aumentar a concentração dos reagentes e o produto vai diminuir até que Q é igual a K C .

Uma simulação de como variar as concentrações de substâncias diferentes através de um equilíbrio químico e tende a como Q K C pode ser 2.1 programa de download Lechat http://nautilus.fis.uc.pt/wwwqui/equilibrio/port /

Exemplo:

11/4/2014 Equilíbrio químico Balança: PCl (g) Á PCl (g) + Cl (g) Conc Inic. 2/5 1/5Ö Exercício E: A 450 ° C e uma pressão de 10 atm de NH (g) é 95,7% dissociado de acordo com a reacção: 2 NH (g) Á N (g) + 3 H (g). Calcular K e K a essa temperatura. Ö QUOCIENTE DE REAÇÃO (Q) Em qualquer reação: a A + b B Á c C + d D é chamado de quociente de reação: Ele tem a mesma fórmula que K , mas ao contrário deste último, concentrações não precisa ser o equilíbrio. · Se Q = K , em seguida, o sistema está em equilíbrio. · Se Q <K o sistema evolui para a direita, isto é, aumentar o teor dos produtos e diminuir os reagentes até Q é igual a K . · Se Q> K o sistema evolui para a esquerda, isto é, aumentar a concentração dos reagentes e o produto vai diminuir até que Q é igual a K . Uma simulação de como variar as concentrações de substâncias diferentes através de um equilíbrio químico e tende a como Q K pode ser 2.1 programa de download Lechat http://nautilus.fis.uc.pt/wwwqui/equilibrio/port / eqq_lechat2.html . Exemplo: em equilíbrio? Numa HI recipiente de 3 litros de 0,6 moles, 0,3 moles de H são introduzidos e 0,3 mole de I a 490 ° C. Se K = 0,022 a 490 ° C durante 2 HI (g) Á H (g) + I (g) a) são em equilíbrio;? b) Caso não encontrado, quantas moles de HI, H e I estará http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 7/17 " id="pdf-obj-6-152" src="pdf-obj-6-152.jpg">

em equilíbrio?

Numa HI recipiente de

3

litros de

0,6

moles, 0,3

moles de H são introduzidos 2 e 0,3 mole de I 2 a 490 ° C. Se K c = 0,022 a 490 ° C durante 2 HI (g) Á

H 2 (g) + I 2 (g) a) são em equilíbrio;? b) Caso não encontrado, quantas moles de HI, H 2 e I 2 estará

11/4/2014

Equilíbrio químico

um)

Como

Q>

K

c o

Equilíbrio

2 HI (g)

sistema não está em equilíbrio

I 2 (g)

+ H 2 (g)

esquerda.

  • b) Á

e

a

Moles de inicialização. 0,6 0,3 0,3 Moles bal . 0,6 + 2 x

reacção é deslocado

para

a

0,3 - x

0,3 - x

11/4/2014 Equilíbrio químico um) Como Q> K o Equilíbrio 2 HI (g) sistema não está em
11/4/2014 Equilíbrio químico um) Como Q> K o Equilíbrio 2 HI (g) sistema não está em

Resolvendo a equação obtém-se: x = 0,163 moles

Equil 2 HI (g)

Á

I 2 (g)

+ H 2 (g)

0,6 eq 2 x 0,3-0,163 ,3-0,163 0,163

n (HI) = 0,93 mol , n (I 2 ) = 0,14 mol , n (H 2 ) = 0,14 mol

MODIFICAÇÕES DE EQUILÍBRIO.

11/4/2014 Equilíbrio químico um) Como Q> K o Equilíbrio 2 HI (g) sistema não está em

Se um sistema se encontra em equilíbrio (Q = K c ) e há uma perturbação:

·

Variação da concentração de qualquer dos reagentes ou dos produtos.

·

Mudança na pressão (ou volume).

·

Mudança na temperatura.

o sistema não está em equilíbrio e tentar voltar a ele.

Alterar a concentração de qualquer dos reagentes ou dos produtos.

Se uma vez estabelecida uma concentração de equilíbrio de qualquer reagente ou produto equilíbrio desaparece e tende para um novo equilíbrio é variada.

As concentrações iniciais deste novo equilíbrio é o equilíbrio anterior, com as alterações que foram feitas.

Logicamente, a nova constante de equilíbrio é o mesmo, de modo que se a concentração de um reagente, o denominador crescer em Q , e o caminho de volta para equalizar K C seria

diminuir a concentração dos reagentes (em quantidades estequiométricas) e por conseguinte, não houve aumento nas concentrações de que o produto, deslocando, assim, o equilíbrio no sentido da direita, ou seja, mais do produto obtido em condições iniciais.

11/4/2014

Equilíbrio químico

A propósito, no caso de diminuir a concentração de um reagente: diminuir o denominador em Q , e o modo para voltar a ser igual a K C seria que iria aumentar a concentração dos

reagentes (em quantidades estequiométricas) e, consequentemente, são reduzidos As concentrações do produto, que poderia deslocar o equilíbrio para a esquerda, isto é, o produto obtido é menos do que em condições basais.

Da mesma forma, pode-se argumentar que, se melhorou a concentração de um produto, o equilíbrio se deslocaria para a esquerda, ao passo que se disminuyese, se deslocará para a direita.

Exemplo:

No equilíbrio acima: PCl 5 (g) Á PCl 3 (g) + Cl 2 (g) nós sabemos que, a partir de 2 moles de PCl 5 (g), em um volume de 5 litros, o equilíbrio foi atingido com um, 45 moles de PCl 5 , 0,55 moles de PCl 3 e 0,55 mol de Cl 2 quantas moles estará no novo ponto de equilíbrio, uma vez alcançado se primeiro adicionar 1 mole de Cl 2 para o frasco? (K c = 0,042)

PCL: Equilíbrio 5 (g) Á PCl 3 (g) + Cl 2 (g) 1,45 0,55 0,55 Moles
PCL: Equilíbrio 5 (g)
Á
PCl 3 (g)
+ Cl 2 (g)
1,45 0,55 0,55 Moles de inicialização + 1.
Equil Moles. + 1,45 x
0,55 - x
1,55 - x
11/4/2014 Equilíbrio químico A propósito, no caso de diminuir a concentração de um reagente: diminuir o

Resolvendo a equação obtém-se: x = 0,268

Balança: PCl 5 (g)

Á

PCl 3 (g)

+ Cl 2 (g)

n eq (mole) 1,45 0,55-0,268 1,55-0,268 0,268 1,718 0,282 1,282 concentrado (mol / l) 0, 3436 0.0564 0,2564

O equilíbrio é deslocado para a esquerda. Você pode ver como:

11/4/2014 Equilíbrio químico A propósito, no caso de diminuir a concentração de um reagente: diminuir o

Mudança na pressão (ou volume)

Em qualquer equilíbrio em que há uma mudança no número de moles de substâncias gasosas entre os reagentes e produtos, como por exemplo reacções de dissociação do tipo: Um

Á B + C, e que viu que K C @ c x a 2

Ao aumentar a "p" (ou diminui o volume) a concentração aumenta e que envolve um menor " a ", isto é, o equilíbrio desloca-se para a esquerda, que é, onde há menos moles.

Esta mudança de equilíbrio com o aumento da pressão para onde menos moles de substâncias gasosas, é válida e generalizável a qualquer equilíbrio dos gases envolvidos . Logicamente, se a pressão diminui, o efeito é o oposto.

11/4/2014

Equilíbrio químico

Se o número total de moles de gás reactivo é igual ao produto pode eliminar todos os volumes na expressão de K C , assim, que não afecta o equilíbrio (e, portanto, sem pressão).

ATENÇÃO: A mudança de pressão afeta apenas líquidos (incluindo soluções) e sólida, por

isso, se uma reação não está envolvido em qualquer gás, essas mudanças não equilíbrio.

afetam o

. Seletividade Exemplo Madrid em Junho de 1998 :

Uma mistura gasosa que consiste inicialmente de 3,5 2,5 moles de hidrogénio e de iodo, é aquecida a 400 ° C, de modo que, ao atingir o equilíbrio 4,5 moles de HI são obtidos, o volume do vaso de reacção de 10 litros. Calcular: a) O valor do equilíbrio constantes K c K e p , b) A

concentração dos compostos que o volume é reduzido a metade, mantendo a temperatura constante a 400 ° C.

a) Balanço:

H 2 (g) + I 2 (g)

Á

2 HI (g)

3,5 2,5 Moles inicialização 0. Equil Moles 1,25 0,25 4,5 conc. eq (mol / l) 0,125 0,025 0,45

11/4/2014 Equilíbrio químico Se o número total de moles de gás reactivo é igual ao produto
  • b) Neste caso, o volume não afecta o equilíbrio, uma vez que tem o mesmo número de

moles de reagentes e produtos, todos "excluído V "na expressão de K C .

Portanto, as concentrações de reagentes e produtos simplesmente duplicado:

11/4/2014 Equilíbrio químico Se o número total de moles de gás reactivo é igual ao produto

Você pode ver como:

11/4/2014 Equilíbrio químico Se o número total de moles de gás reactivo é igual ao produto

Mudança de temperatura.

Observou-se que aumentando a T , o sistema move-se para onde o calor é consumido, isto é, para a esquerda na exotérmica e direita na endotérmico.

Se diminui T sistema em que o calor se move devoluções (direita e esquerda no exotérmico endotérmico).

Exemplo:

Quando o equilíbrio se deslocará para: a) ? reduzir a pressão b) aumentar a temperatura? H 2 O (g) + C (s) Á CO (g) + H 2 (g) ( D H> 0)

Deve notar-se que as concentrações de sólidos já constantes estar.

se encontram incluídas nas K

C

11/4/2014

Equilíbrio químico

11/4/2014 Equilíbrio químico a) A mais baixa " p "o equilíbrio desloca-se para a direita (quandohttp://www.chm.davidson.edu/java/LeChatelier/LeChatelier.html Importância em processos industriais. Sabendo que as condições de favorecer o deslocamento do equilíbrio no sentido da formação de um produto é importante para a indústria, à medida que se rendimentos mais elevados no processo. Um exemplo típico é a síntese de Haber de formação de amoníaco a partir da reacção de N (g) + 3 H (g) Á 2 NH (g) , exotérmica. Formação de amoníaco é favorecida por altas pressões (menos produtos gasosos moles de reagente) e uma baixa temperatura. Por isso, esta reacção é levada a cabo a pressão elevada e a uma temperatura relativamente baixa, apesar de não poder ser demasiado baixo para a reacção não é demasiado lenta. Temos que manter um equilíbrio entre desempenho e tempo de reação. EQUILÍBRIOS HETEROGÊNEOS. Reação homogênea falado quando ambos os reagentes e produtos estão no mesmo http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 11/17 " id="pdf-obj-10-7" src="pdf-obj-10-7.jpg">

a) A mais baixa " p "o equilíbrio desloca-se para a direita (quando existem mais moles de gases: CO + 1 1 H 2 vs 1 apenas H 2 O)

b)

Ao

elevar "

T

"o equilíbrio também é

deslocado

consumido pela reacção endotérmica ser).

para

a direita

(em que

o

calor é

11/4/2014 Equilíbrio químico a) A mais baixa " p "o equilíbrio desloca-se para a direita (quandohttp://www.chm.davidson.edu/java/LeChatelier/LeChatelier.html Importância em processos industriais. Sabendo que as condições de favorecer o deslocamento do equilíbrio no sentido da formação de um produto é importante para a indústria, à medida que se rendimentos mais elevados no processo. Um exemplo típico é a síntese de Haber de formação de amoníaco a partir da reacção de N (g) + 3 H (g) Á 2 NH (g) , exotérmica. Formação de amoníaco é favorecida por altas pressões (menos produtos gasosos moles de reagente) e uma baixa temperatura. Por isso, esta reacção é levada a cabo a pressão elevada e a uma temperatura relativamente baixa, apesar de não poder ser demasiado baixo para a reacção não é demasiado lenta. Temos que manter um equilíbrio entre desempenho e tempo de reação. EQUILÍBRIOS HETEROGÊNEOS. Reação homogênea falado quando ambos os reagentes e produtos estão no mesmo http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 11/17 " id="pdf-obj-10-42" src="pdf-obj-10-42.jpg">

Princípio de Le Chatelier. As mudanças no equilíbrio.

" Uma alteração ou distúrbio em qualquer uma das variáveis ​​que determinam o estado de equilíbrio químico produz um desvio no equilíbrio no sentido de anular ou minimizar o efeito causado pela perturbação ".

·

D [ reagentes ]> 0

¾ ¾ ®

·

D [ reagentes ] <0

¬ ¾ ¾

·

D [ produtos ]> 0

¬ ¾ ¾

·

D [ produtos ] <0

¾ ¾ ®

·

D T > 0 (exotérmica)

¬ ¾ ¾

·

D T > 0 (endotérmico)

¾ ¾ ®

·

D T <0 (exotérmica)

¾ ¾ ®

·

D T <0 (endotérmico)

¬ ¾ ¾

·

D p> 0 Onde estão menos moles de gases não

·

D p <0 Não para onde mais moles de gases.

A visualizción como quantidades variáveis ​​sobre o equilíbrio sob condições variáveis ​​pode ser visto em: http://www.chm.davidson.edu/java/LeChatelier/LeChatelier.html

11/4/2014 Equilíbrio químico a) A mais baixa " p "o equilíbrio desloca-se para a direita (quandohttp://www.chm.davidson.edu/java/LeChatelier/LeChatelier.html Importância em processos industriais. Sabendo que as condições de favorecer o deslocamento do equilíbrio no sentido da formação de um produto é importante para a indústria, à medida que se rendimentos mais elevados no processo. Um exemplo típico é a síntese de Haber de formação de amoníaco a partir da reacção de N (g) + 3 H (g) Á 2 NH (g) , exotérmica. Formação de amoníaco é favorecida por altas pressões (menos produtos gasosos moles de reagente) e uma baixa temperatura. Por isso, esta reacção é levada a cabo a pressão elevada e a uma temperatura relativamente baixa, apesar de não poder ser demasiado baixo para a reacção não é demasiado lenta. Temos que manter um equilíbrio entre desempenho e tempo de reação. EQUILÍBRIOS HETEROGÊNEOS. Reação homogênea falado quando ambos os reagentes e produtos estão no mesmo http://fresno.pntic.mec.es/~fgutie6/quimica2/ArchivosHTML/Teo_2_princ.htm 11/17 " id="pdf-obj-10-158" src="pdf-obj-10-158.jpg">

Importância em processos industriais.

Sabendo que as condições de favorecer o deslocamento do equilíbrio no sentido da formação de um produto é importante para a indústria, à medida que se rendimentos mais elevados no processo.

Um exemplo típico é a síntese de Haber de formação de amoníaco a partir da reacção de N

2 (g) + 3 H 2 (g) Á 2

NH 3 (g) , exotérmica. Formação

de amoníaco é favorecida

por altas

pressões (menos produtos gasosos moles de reagente) e uma baixa temperatura. Por isso, esta reacção é levada a cabo a pressão elevada e a uma temperatura relativamente baixa, apesar de não poder ser demasiado baixo para a reacção não é demasiado lenta. Temos que manter um equilíbrio entre desempenho e tempo de reação.

EQUILÍBRIOS HETEROGÊNEOS.

Reação homogênea falado quando ambos os reagentes e produtos estão no mesmo

11/4/2014

Equilíbrio químico

estado físico. Mas se entre as substâncias envolvidas na reação várias fases ou estados físicos são distinguidos discutir reações heterogêneas.

Por exemplo, a reacção: CaCO 3 (s) Á CaO (s) + CO 2 (g) é um equilíbrio heterogénea.

Aplicando a lei da ação das massas é satisfeita se:

11/4/2014 Equilíbrio químico estado físico. Mas se entre as substâncias envolvidas na reação várias fases ou

No entanto, as concentrações ( N / V ) dos dois sólidos (CaCO 3 e CaO) são constantes, como substâncias puras densidades ( m / V ) também são constantes.

Portanto, agrupando as constantes em um chamaremos K C temos:

11/4/2014 Equilíbrio químico estado físico. Mas se entre as substâncias envolvidas na reação várias fases ou

Do mesmo modo: K P = p (CO 2 )

ATENÇÃO: A expressão de K C da lei de concentrações de ação de massas aparecem apenas gases e substâncias em solução, enquanto que na expressão de K P somente as pressões parciais de substâncias gasosas aparecer.

Exemplo:

Em um recipiente de um determinado valor de carbamato de amónio é introduzido, NH 4 CO 2 NH 2 sólido, que se dissocia em amoníaco e dióxido de carbono, quando é evaporada a 25 ° C. Sabendo-se que a constante K P para o equilíbrio NH 4 CO 2 NH 2 (s) Á 2 NH 3 (g) + CO 2 (g) e

que a temperatura do vale 2,3 · 10 -4 . Calcular K C e pressões parciais em equilíbrio.

Balança:

NH 4 CO 2 NH 2 (s) n - x

n (mol) Equil .

Á 2 NH 3 (g) 2 x

+ CO 2 (g) x

Em seguida, p (NH 3 ) 2 = p (CO 2 ) e a pressão parcial é directamente proporcional ao número de moles.

K p = 2,3 x 10 -4 =

p (NH 3 ) 2 x p (CO 2 ) = 4 p (CO 2 ) 3

Solving obtemos: p (CO 2 ) = 0,039 atm assim: p (NH 3 ) = 0,078 atm .

11/4/2014 Equilíbrio químico estado físico. Mas se entre as substâncias envolvidas na reação várias fases ou

REAÇÕES DE PRECIPITAÇÃO. ·

As reações são heterogêneas equilíbrio sólido-líquido.

A fase sólida contém uma substância pouco solúvel (usualmente um sal). A fase líquida contendo os iões produzidos na dissociação da substância sólida.

11/4/2014

Equilíbrio químico

Tipicamente, o solvente é geralmente tratada de água.

Solubilidade (s).

Ele

é

a concentração molar máxima de

soluto num determinado solvente, ou seja, a

molaridade da solução de soluto saturado tal.

Depende de:

 

·

temperatura . Normalmente, quanto maior for a temperatura é mais elevada devido à maior energia do cristal para quebrar as ligações entre os iões.

·

Energia reticular . Se a energia de solvatação é maior do que a estrutura favorece a dissolução U. Quanto maior for o maior carácter covalente L e, por conseguinte, menor solubilidade.

·

Entropia . Quando diluído sal um sistema desordenado ocorre isso, embora a energia não é favorecido solução pode chegar a este resultado.

Produto de solubilidade (K S P ou S ) em elctrolitos tipo AB.

Em um electrólito AB equilíbrio de solubilidade é determinado por:

AB (s) Á A + (aq) + B - (aq)

Init Conc. (Mol / L): c 0 0 Conc eq. (Mol / L): c

s

s

Concentração sólido permanece constante.

E a expressão da constante de equilíbrio é:

11/4/2014 Equilíbrio químico Tipicamente, o solvente é geralmente tratada de água. Solubilidade (s). Ele é a

Þ

11/4/2014 Equilíbrio químico Tipicamente, o solvente é geralmente tratada de água. Solubilidade (s). Ele é a

Exemplo: AgCl (s) Á Ag + (aq) + Cl - (aq)

K S = [Ag + ] x [Cl - ] = s 2

"S" representa a solubilidade do sal.

Exemplo:

Deduz se formou precipitado de cloreto de prata com um K S = 1,7 x 10 -10 a 25 ° C por adição de 250 centímetros 3 de 0,02 M de cloreto de sódio a 50 centímetros 3 de 0,5 M de nitrato de prata

AgCl (s) Á Ag + (aq) + Cl - (aq)

K S = [Ag + ] x [Cl - ] = s 2

n (Cl - ) = 0,25 L x 0,02 mol / L = 0,005 mol Þ

Também:

11/4/2014 Equilíbrio químico Tipicamente, o solvente é geralmente tratada de água. Solubilidade (s). Ele é a

11/4/2014

Equilíbrio químico

n (Ag + ) = 0,05 L x 0,5 mol / L = 0,025 mol Þ

[Ag + ] x [Cl - ] = 0,0167 M x 0,0833 M = 1,39 x 10 - 3 M 2

11/4/2014 Equilíbrio químico n (Ag ) = 0,05 L x 0,5 mol / L = 0,025

Como [Ag + ] x [Cl - ]> K S então precipitar .

Produto de solubilidade em outro eletrólito.

Tipo A 2 B : A 2 B (s) Á 2 A + (aq) + B 2 - (aq)

Init Conc. (Mol / L): c 0 0 Conc eq. (Mol / L): C 2 s

s

E a expressão da constante de equilíbrio é:

11/4/2014 Equilíbrio químico n (Ag ) = 0,05 L x 0,5 mol / L = 0,025
11/4/2014 Equilíbrio químico n (Ag ) = 0,05 L x 0,5 mol / L = 0,025

A mesma expressão é eletrólitos tipo AB 2.

Tipo A para B b : A um B b ( s) Á a A b + (aq) + b B a - (aq)

Init Conc. (Mol / L): c 0 0 Conc eq. (Mol / L): c a s

b s

11/4/2014 Equilíbrio químico n (Ag ) = 0,05 L x 0,5 mol / L = 0,025
11/4/2014 Equilíbrio químico n (Ag ) = 0,05 L x 0,5 mol / L = 0,025

FATORES QUE AFETAM A SOLUBILIDADE. ·

Para além da temperatura, há outros factores que influenciam a solubilidade de afectar a concentração de um dos iões de um electrólito fracamente solúvel. Estes são os seguintes:

·

Efeito do ião comum.

  • - Formação de um ácido fraco.

  • - Formação de uma base fraca.

·

pH.

·

A formação de complexos estáveis.

· reações redox.

Efeito do ião comum.

Se uma solução saturada de um electrólito adicionado pouco solúvel outra substância que fornece um ião, a sua concentração vai aumentar.

Claro, outros concentração de iões deve ser reduzido concentrações de ambos permanecer constante.

de

modo

a

que

o produto das

À medida que o equilíbrio se desloca para a esquerda solubilidade, medindo a

11/4/2014

Equilíbrio químico

concentração máxima de soluto dissolvido diminui em conformidade.

Exemplo:

O

que

é

a

solubilidade de nitrato de prata de

concentração final de 0,002 M?

cloreto de

prata, se adicionado a uma

AgCl (s) Á Ag + (aq) + Cl - (aq)

K S = 1,7 x 10 -10 = [Ag + ] x [Cl - ] =
K S = 1,7 x 10 -10 = [Ag + ] x [Cl - ] = s 2
+
- 3
Ao
adicionar AgNO 3 , a
[Ag
] até
2
× 10
M, pode

concentração que estava lá antes.

ser negligenciada porque

a

Consequentemente, o equilíbrio desloca-se para a esquerda e a [Cl - ], isto solubilidade, deve diminuir.

é, o

Exercício:
Exercício:

novo

Solução de equilíbrio de brometo de prata como K s

=

5.2

x 10

-

13

o

que será

o

novo

solubilidade se ½ litro de solução saturada é AgBr é adicionado 0,2 ml de uma solução de brometo de potássio 0,001 M ?

Equilíbrio:

AgBr (s) Á Ag + (aq)

+ Br - (aq)

Eq Conc. (mol / L): c

s

s

11/4/2014 Equilíbrio químico concentração máxima de soluto dissolvido diminui em conformidade. Exemplo: O que é a

K S = 5,2 x 10 - 13 = [Ag + ] x [br - ] = s 2 Þ

n (Br - ) 0 = 0,5 L x 7,2 x 10 - 7 mol / L = 3,6 x 10 - 7 mol n (Br - ) Adicionar Nome = 0,0002 L x 0,001 mol / L = 2 x 10 - 7 mol

Init Conc. (Mol / L): c 7,2 x 10 - 7 Conc eq. (Mol / L): c 7,2 x 10 - 7 - x

1,12 x 10 - 6 1,12 x 10 - 6 - x

K S = 5,2 x 10 - 13 = (7,2 x 10 - 7 - x ) · (1,12 × 10 - 6 - x ) Þ x = 3,2 x 10 - 7

s '= (7,2 x 10 - 7 - 3,2 x 10 - 7 ) M = 4.0 x 10 - 7 M

Influência do pH sobre a formação de um ácido fraco.

Equi solubil Librium : AB (s) Á A - (aq) + B + (aq)

Equilibrar acidez : HA (aq) Á A - (aq) + H + (aq)

Se o anião A - na qual um electrólito fracamente solúvel dissocia HA constitui um ácido

fraco, para aumentar a acidez ou a [H + ] de equilíbrio de dissociação de ácido se desloca para a esquerda.

11/4/2014

Equilíbrio químico

Por conseguinte, diminuir [A - ], que foi solubilizado mais electrólito AB.

Exemplo: adição de um ácido forte em ZnCO 3 , irá formar H 2 CO 3 , ácido fraco, ea diminuição [CO 3 2 - ], dissolver mais ZnCO 3 ser capaz de obter para dissolver completamente.

Mudança na solubilidade através da formação de uma base fraca.

Normalmente, produzido a partir de sais solúveis, contendo o catião NH 4

+

.

Exemplo: NH 4 Cl (s) ± Cl - (aq) + NH 4 + (aq)

Base Equil : NH 4 OH (aq) Á NH 4 + (aq) + OH - (aq)

O NH 4 + reagir com o OH - formar NH 4 OH para deslocar o equilíbrio da base para a esquerda.

Ele (OH) é o método usual de dissolver hidróxidos pouco solúveis, tais como Mg 2 .

Bal. .

Solub : Á Mg 2 + (aq) + 2 OH - (aq).

Por conseguinte, diminuir [OH - ], que é mais vai solubilizar Mg (OH) 2 .

A formação de um complexo estável.

Um ião é um ião complexo constituído por mais do que um átomo ou grupo de átomos.

Exemplos: [Al (OH) 4 ] - , [Zn (CN) 4 ] 2 - , [AlF 6 ] 3 - , [Ag (NH 3 ) 2 ] +

.

Assim, pode dissolver-se os precipitados por adição de, por exemplo, cianeto de sódio insolúveis em electrólitos, tais como zinco Zn (OH) 2, e que quando se forma o catião [Zn (CN) 4 ] 2

- , o qual é muito estável.

Assim, a diminuição da concentração drasticamente Zn 2 + , de modo que mais de Zn dissolvido (OH) 2 .

Da mesma forma, eles podem ser dissolvidos pela adição de amónia precipita AgCl.

Ion oxidação ou redução.

Se alguns dos íons que interferem no equilíbrio de solubilidade é oxidado ou reduzido, como resultado da adição de um oxidante ou redutor, a concentração de íons diminui.

Assim, o equilíbrio eletrolítico insolúvel se deslocará para a direita, uma maior quantidade dissolvida.

Exemplo: O USC se dissolve facilmente em ácido nítrico, uma vez que este é oxidante e oxida o S

2 - S a 0

.

3 CuS + 2 NO 3 - + 8 H + Á

3 S 0 + 3 Cu 2 + + 2 NO + 4 H 2 O.

11/4/2014 Equilíbrio químico Por conseguinte, diminuir [A ], que foi solubilizado mais electrólito AB. Exemplo: adição

CuS realmente se torna Cu (NO 3 ) 2 muito mais solúvel, o des aparecem íons S 2 -

11/4/2014

Equilíbrio químico

dissolução.

Alguns links interessantes: