Você está na página 1de 3

Disciplina: Filosofia Professor (a): Mrcio Luiz dos Santos Ewald Bimestre: _______ Data: _____/____/______ Srie: __________

Turno: ______ Nome: _-_______________________________________________________ N. ________ INSTRUES - Use caneta azul ou preta - Cabealho com letra legvel e nome completo - Leia a prova com ateno - Evite rasuras NOTA: ________

AVALIAO DE DEPENDNCIA EM FILOSOFIA


Leia este trecho:

Voltemos novamente ao bem que estamos procurando e indaguemos o que ele , pois no se afigura igual nas distintas aes e artes; diferente na medicina, na estratgia e em todas as demais artes do mesmo modo. Que , pois, o bem de cada uma delas? Evidentemente, aquilo em cujo interesse se fazem todas as outras coisas. Na medicina a sade, na estratgia a vitria, na arquitetura uma casa, em qualquer outra esfera uma coisa diferente, e em todas as aes e propsitos ele a finalidade; pois tendoo em vista que os homens realizam o resto. Por conseguinte, se existe uma finalidade para tudo que fazemos, essa ser o bem realizvel mediante a ao [...] Mas procuremos expressar isto com mais clareza ainda. J que, evidentemente, os fins so vrios e ns escolhemos alguns entre eles [...], segue-se que nem todos os fins so absolutos; mas o sumo bem claramente algo de absoluto. Portanto, se s existe um fim absoluto, ser o que estamos procurando [...] Ora, ns chamamos aquilo que merece ser buscado por si mesmo mais absoluto do que aquilo que merece ser buscado com vistas em outra coisa [...] Ora, esse o conceito que preeminentemente1 fazemos da felicidade.
ARISTTELES, tica a Nicmaco (Livro I, 1097 a . 1097 b). Traduo de Leonel Vallandro e Gerd Bornheim. So Paulo: Abril Cultural, 1979. p. 54-55.

Com base na leitura desse trecho da tica a Nicmaco2 e considerando outras idias presentes na obra de Aristteles, a partir de nossa apostila, JUSTIFIQUE esta afirmativa abaixo, elaborando um TEXTO DISSERTATIVO de no mnimo 15 (quinze) e no mximo 25 (vinte e cinco) linhas em folha tamanho A4, com o seguinte ttulo:

absurdo perguntar para que queremos ser felizes...

Preeminente: muito acima do que o que est em volta; superior, eminente, excelso; que se distingue pelo mrito, pelo saber ou

por qualidades dignas de louvor; digno, nobre, distinto, ilustre.


2

tica a Nicmaco: Dedicando-se tica, Aristteles escreveu uma obra fantstica intitulada tica Nicmaco, j que foi dedicada a seu filho Nicmaco. A obra composta de dez livros, nos quais Aristteles assume um papel pedaggico de um pai preocupado com a educao de seu filho e, acima de tudo, com a sua felicidade. O tema central da filosofia tica de Aristteles a felicidade, pois para ele, a finalidade ltima do ser humano a felicidade, ou seja, todos ns queremos ser felizes.

10

15

20

25

This document was created with Win2PDF available at http://www.win2pdf.com. The unregistered version of Win2PDF is for evaluation or non-commercial use only. This page will not be added after purchasing Win2PDF.

Você também pode gostar