Você está na página 1de 2

A minha graça te basta

Mas Ele me disse: “A minha graça te basta, pois o meu poder se aperfeiçoa na
fraqueza”. (II Co 12.9)

O apostolo Paulo antes de sua conversão era acostumado a receber poder das
autoridades da época para perseguir aos cristãos, ele era um homem poderoso,
influente e temido entre as suas vitimas, um algoz.

Aqui o encontramos depois da sua conversão pedindo a Deus pra se livrar de um


problema ao qual denominou “espinho na carne”. Acostumado a decisões rápidas, a ter
o que queria nas mãos de imediato, como homem do poder, Paulo depara-se agora
com uma resposta divina inesperada: um “NÃO”! Ele chega a confessar: “Três vezes
orei ao Senhor...”, ao que Deus lhe respondeu:

A minha graça te basta, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.

Às vezes nos perguntamos: por que Deus não respondeu positivamente à oração
de um dos seus maiores apóstolos? Podemos pensar que se Deus houvesse atendido
ao pedido de Paulo, ele se tornaria cheio de si, sairia da oração envaidecido, orgulhoso,
sentindo-se como antigamente, poderoso.

Deus preferiu que seu apóstolo continuasse com aquela fraqueza não por ter
prazer em nossas fraquezas, mas por entender que através das nossas fraquezas se
manifesta o Seu poder para beneficio nosso. “O MEU PODER SE APERFEIÇOA NA
FRAQUEZA”.

O desejo de Deus é que nos esvaziemos de todo egocentrismo, de toda vaidade


humana, e nos enchamos do Seu poder. Quando reconhecemos a nossa fraqueza
exaltamos o poder de Deus em nossas vidas.

As orações e preleções mais sábias são aquelas que dizem:

Eu sou fraco, mas o meu Cristo é forte;

Eu sou pequeno, mas o meu Cristo é grande;

Eu sou pecador, mas o meu Cristo é santo;

Eu sou pobre, mas o meu Cristo é rico;

Reconhecemos nossas fraquezas, exaltamos ao Senhor e o milagre acontece.


Foi assim com Zaqueu num minuto cobrador de impostos corrupto, no outro, santo,
salvo, participante da família dos céus; foi assim com Pedro na porta do templo quando
encontrara um coxo, reconhecera sua fragilidade quando aquele mendigo lhe pedia
uma esmola “eu não tenho prata nem ouro” - disse Pedro (Jo 3.6), “mas o que tenho
isso te dou” - a graça de Deus, o milagre, e dali o coxo saiu andando. “A MINHA
GRAÇA TE BASTA”

Ter a graça de Deus é ter recebido o seu presente, Jesus Cristo. É ser adotado
por Ele, é ter o seu sangue correndo nas veias. PRONTO! Nada mais é necessário. É O
BASTANTE.

Escute-O, por favor:

“Não temas, pois sou contigo; não te assombres, pois eu sou o teu Deus. Eu te
fortalecerei, e te ajudarei; eu te sustentarei com a destra da minha justiça. Pois eu
sou o teu Deus que te toma pela tua mão direita e te diz: Não temas”. (Isaías
41.10,13)

De quantas ferraris eu preciso para me sentir poderoso? Quantas mansões?


Quantas mega-senas? Quantas trapaças? Quantas doses? Quantas tragadas?
Quantas exibições?

NENHUMA!

A sua graça me basta.

“Portanto, de boa vontade me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite
o poder de Cristo”.