Você está na página 1de 2

Se conheceras o Dom de Deus . . .

Conta-se que certo soldado muito ocupado numa determinada batalha deu-se por
conta que tinha anoitecido e, não sabendo mais onde estava e nem para onde ir, ficara
confuso e com medo. Pensou em gritar seus companheiros, mas não o fez pois poderia
ser que estivesse perto das tropas inimigas e seria logo localizado e morto. Assim,
encostou-se em um barranco para descansar e ali passar a noite. Quando, porém o dia
amanheceu ele tivera uma grande suspresa. Seus companheiros estavam a poucos
metros dele. Ah se ele soubesse! Teria logo se aproximado e não teria passado a noite
mais desconfortante de sua vida. Todo o medo e confusão daquele soldado foram em
vão! Ah se ele tão somente soubesse . . .!

A mulher samaritana não vivia escuridão menor. Tinha uma vida amorosa
turbulenta e do ponto de vista dos judeus era uma pessoa fora do círculo da salvação,
era samaritana, inferior! Mas num determinado dia, quando sai a buscar água na Fonte
de Jacó, ela se encontraria com Aquele capaz de mudar radicalmente sua vida. Mas ela
não sabia! E ainda objetou dizendo, em outras palavras, “não fales comigo porque és
judeu”. A resposta veio num tom suave e profundo a que ela jamais teria ouvido em
toda a sua tumultuada vida: SE TU CONHECERAS O DOM DE DEUS . . . TU LHE
PEDIRIAS E ELE TE DARIA ÁGUA VIVA! (Jo 4.10) .

Sofremos e andamos desalentados por não conhecer o Dom de Deus.

Às vezes até sabemos o que as Escrituras falam a respeito do Dom de Deus, da


Graça de Deus, mas estabelecemos tantas e tantas regras para o obtê-lo que acabamos
por não conhecê-lo realmente.

É como a samaritana, depois de Jesus a ter prometido água viva, ela o diz “não
tens com que tirá-la [água], e o poço é fundo” (Jo 4.11). E nós cá dizemos: Eu sei que a
Graça de Deus é maravilhosa, o sacrifício da Cruz único, perfeito, mas para usufruir
disso é preciso . . . . . [ e aqui fazemos a nossa lista que nos distancia e nos faz
desconhecer o Dom de Deus].

Tentamos incpacitar Deus [veja que audácia!] de nos perdoar, nos acolher,
remover as montanhas da nossa vida. Como? Através de nossas próprias regras,temores
e distância.

Mas o propósito da escrita desse texto é apenas dizer: se tu conheceras o Dom


Deus, tu lhe pedirias o que necessitas e Ele prontamente te daria.

Não sejas como aquele soldado a passar a noite em temor. Perto está Jesus.
Conheça a mesa que está posta para você. Conheça a Fonte da Água da Vida.

“Porquanto com amor eterno te amei, por isso com benignidade te atraí”. (Jr 31.3)

Junte-se a mim agora e ouçamos o clamor do Mestre Jesus sobre Jerusalém pelo
seus desconhecimento do Dom, do presente que estava diante deles.
“Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados!
Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha os seus pintos debaixo
das asas, e não quiseste?” (Lc 13.34).

Que o Senhor desvende os teus olhos para veres o que está diante de ti. E que
beba da Água da Vida!