Você está na página 1de 2

EU ERA CEGO, E AGORA VEJO

DATA: 21/01/2003
TEXTO: João 9:1-12
PREGADOR: Pr Gleidson Coelho

I. O RELATO DA CURA DE UM CEGO DE NASCENÇA – VV. 1-7

A. Jesus estava caminhando e o viu – Vs. 1


A. Jesus é interrogado por seus discípulos – Vs. 2
1- Mestre quem pecou, para que nascesse cego?
2- Este ou seus pais?
B. Jesus esclarece a dúvida dos seus discípulos, dizendo: – Vs. 3
1- Nem ele pecou;
2- Nem tampouco seus pais, mas foi para que se manifestem nele
as obras de Deus.
C. Jesus fala da urgência em fazer a obra do Pai – Vs. 4
1- Devem ser feitas enquanto é dia; a noite vem e ninguém pode
trabalhar.
>O mundo jaz no maligno, o mundo jaz nas trevas...
2- Enquanto estava no mundo, Jesus era a luz do mundo – Vs.
5/João 3:19-21; 8:12.
>Dito isso...
D. Jesus cuspiu na terra, fez lodo e aplicou nos olhos do cego, dizendo-
lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé – Vv. 6,7
>Ele foi, lavou-se, e voltou vendo.
>Que reação você teria, caso tivesse algum amigo cego de
nascença e o mesmo viesse enxergar pela primeira vez?
>Será que soltaria fogos em comemoração ao milagre de Deus na
vida do seu amigo?
>Será que você seria grato a Deus por tal milagre?

II. A DÚVIDA ENCULCOU OS VIZINHOS E CONHECIDOS – VV. 8-12

A. Não é este o que estava assentado pedindo esmolas? – Vs. 8


B. Uns diziam: É ele. Outros: Não, mas se parece com ele – Vs. 9a
C. Foi preciso ele mesmo dizer: Sou eu – Vs. 9b
D. Tirada a dúvida, eles então o indagaram: Como te foram abertos os
olhos? – Vs. 10
E. E sua resposta foi: O homem chamado Jesus fez lodo e... – Vv. 11
F. Disseram-lhe, pois: Onde está ele? Respondeu: Não sei – Vs. 12
>Será que eles estavam de fato interessados em conhecer Jesus?
>Qual a reação dos seus amigos afinal?
>Levaram, pois, aos fariseus o que dantes fora cego – Vs. 13
III. O INTERROGATÓRIO DIANTE DOS FARISEUS – VV. 15-34
A. Perguntaram-lhe como chegou a ver – Vs. 15a
B. E relatou tudo quanto tinha ocorrido – Vs. 15b
C. Causou uma dissensão entre os fariseus – Vv 16.
1- Uns diziam: Esse homem não é de Deus, porque não guarda o
sábado.
2- Outros diziam: Como pode um homem pecador fazer tamanhos
sinais?
D. Perguntaram novamente ao cego: Que dizes tu a respeito dele, visto
que te abriu os olhos? Que é profeta – Vv 17
E. Não acreditaram na cura do cego enquanto não lhe chamaram os pais
– Vs. 18
F. E os interrogaram: É este o vosso filho, de quem dizeis que nasceu
cego? Como, pois, vê agora? – Vs. 19
G. A reposta de seus pais foi afirmativa, mas temendo os fariseus
esconderam o fato de como ele havia sido curado por Jesus – Vv. 20-
23
H. E o chamaram pela segunda vez e disseram: Dá glória a Deus; nós
sabemos que esse homem(Jesus) é pecador – Vs. 24
I. Ele retrucou: Se é pecador, não sei; uma coisa sei: Eu era cego, e
agora vejo – Vs. 25
J. E com muitas outras indagações tentaram arrancar tudo quanto
queriam saber dele até expulsa-lo da sinagoga – Vv. 26-34
>Aqui Jesus se torna homem de Deus na concepção do que era cego e
agora é expulso da sinagoga – Vs. 33,34
Que é homem de Deus – Vs. 33
IV. O INTERROGATÓRIO DIANTE DE JESUS – VV.35-41

A. Jesus o buscou e perguntou-lhe: Crês tu no Filho do homem? – Vs. 35


B. Ele respondeu: Quem é, Senhor, para que eu nele creia? – Vs. 36
C. Jesus lhe responde: Já o tens visto e é o que fala contigo – Vs. 37
1- Aquele homem precisava enxergar com os olhos da carne pela
primeira vez, pois nasceu cego. Jesus o curou, conforme
versículos de 1-7
2- Agora aquele homem precisava ver com os olhos da fé, ele
precisava enxergar o Salvador que estava diante dele. Ele viu e
creu e o adorou – Vs. 36-38
D. Jesus manifesta o motivo da sua vinda a este mundo Vs. 39-41
1- Eu vim a este mundo para juízo – Vs. 39a
>Embora o propósito da sua vinda não fosse julgamento (3:17), ela
acabou inevitavelmente por resultar em juízo, pois alguns
decidiram opor-se a Ele. Ver Marcos 4:12 e Isaías 6:9
2- A insistência dos fariseus de que enxergavam tornava
voluntário e obstinado o seu pecado - Vs. 40,41