Você está na página 1de 4

1) Fazer uma síntese do filme.

Quando um cientista faz um experimento de triagem genética em seu nascituro e determina o seu filho vai ser um homossexual, uma família inteira se esforça com a forma de reagir a essa descoberta. Na celebração do seu terceiro aniversário de casamento , Suzanne Ouro Stein (Jennifer Beals ) e seu marido Rob Stein (Jon Tenney) anunciar sua primeira gravidez à família Gold. Rob trabalha para o Kagan Laboratories Genome Project, e quando seu chefe, o Dr. Adrian Lodge (John Schlesinger), Rob pressões para deixar o laboratório realizar testes genéticos experimental sobre o feto, ele finalmente concorda. Os pais de Suzanne Walter (Garry Marshall) e Phyllis (Faye Dunaway) desaprovam Ouro do trabalho de Rob em genética por causa de sua fé judaica, mas Suzanne sofre os testes. Quando Rob traz os resultados em casa para compartilhar com sua esposa, sua atitude é muito sombrio, apesar do fato de que o rastreio revelou que terá um filho sem deformidades, doenças ou deficiências. Então, Rob revela seu bebê provavelmente vai ser um homossexual, os geneticistas identificou a presença de genes que indicam a homossexualidade estatisticamente 90% do tempo. Embora o irmão de Suzanne David (Brendan Fraser) é gay, ela e seu marido são devastadas. O casal não consegue nem falar as palavras, em vez disso, eles chamam o bebê "ele" e referem-se a sexualidade do bebê, dizendo que é "como David", como eles discutir a sua esperança de que a criação pode superar a natureza. Suzanne ainda diz que gostaria que "ele" foram deformados em vez de homossexual. A mãe de Suzanne fica horrorizado quando ela descobre que Suzanne está considerando o aborto por causa dos resultados dos testes, ela diz que o aumento foi de David No entanto, o pai de Suzanne e David discorda "não é uma coisa tão terrível.". Em sua discussão com Suzanne, Walter descreve a dor de educação de David e sutilmente apoia o aborto. Quando Phyllis diz a Davi a notícia-"há um problema com o bebê", ele não pode deixar de perguntar aos seus pais se eles o teriam abortado se tivessem o mesmo conhecimento antes de seu nascimento. Quando nem o pai nem a mãe pode dar-lhe uma resposta direta a esta pergunta, David afasta-se de seus pais. Ele ir para confortar Suzanne e em resposta ao seu apelo por seu apoio, ele diz a ela que ninguém na história teve que tomar esta decisão e pergunta como ela poderia pensar em fazer uma coisa dessas com ele. Ele tenta convencê-la de que ela é forte o suficiente para criar um filho gay e lembra que a sexualidade de seu bebê está relacionado com todos os outros aspectos dele, assim como todas as coisas que ela gosta dele são inextricável de sua própria homossexualidade. Confusa e assustada, Suzanne confronta seu marido a respeito de se ou não, ele quer manter seu bebê, quando ele responde que ele quer que ela fizesse um aborto a fim de que eles só podem "esperar pelo próximo", ela pergunta o que vai acontecer com a sua casamento, se ela decide ficar com o filho. Quando ele responde: "Eu não sei", Suzanne decide fazer um aborto. Logo depois, no entanto, ela começa a ter dúvidas e pede um colega de trabalho gay fora para bebidas a fazer-lhe perguntas sobre a sua vida. Quando sua amiga é agredida por causa de sua sexualidade, Suzanne experimenta complicações do stress e percebe que ela não quer abrir mão do bebê. Ela deixa o marido, que largou o emprego em Kagan Laboratories. O filme termina com a família reunida Ouro e um flashforward mostra o filho de Suzanne brincando no playground. Twilight of the Golds levanta uma série de questões difíceis sobre os benefícios do progresso genético, pró-vida contra debates pró-escolha, e da família. Até o final do filme , Rob parou seu trabalho em laboratórios Kagan e, quando perguntado, diz que gostaria que ele nunca havia permitido que o

2) Quais são os aspectos genéticos apresentados? 3) Quais foram os exames realizados no feto que permitiram diagnosticar que ele portava a sequência de Hamer (Xq28)? 4) Como esses exames são realizados? Em que princípios genéticos se fundamentam? 5) Como é a determinação e a diferenciação sexual em seres humanos? E. Nos seres humanos. O evento pivô na determinação sexual é a especialização das gônadas. As etapas de determinação e diferenciação das gônadas em testículos ou em ovários e a diferenciação dos genitais externos masculinos ou femininos envolvem a expressão específica de uma cascata de genes. e quatro teorias acerca dos componentes genéticos: (1) polimorfismo genético. Essas contribuem para o desenvolvimento dos genitais externos e internos. Embora a vida e aceitação triunfo na final. os processos de determinação e diferenciação sexuais estão intrinsecamente associados à presença ou à ausência do cromossomo Y no cariótipo. (2) padrão de herança ligada ao . e a diferenciação sexual secundária. por outro lado. os demais processos decorrem de efeitos secundários provocados pelos hormônios por elas produzidos. nomeadamente em matéria de responsabilidade ética e escolha com relação à genética. Portanto. num primeiro momento. pela especialização das gônadas em testículos ou ovários. Um excelente filme para estudo em sala de aula e discussão. (3) ativação cerebral por feromônios. o que isso tem a ver com a orientação sexual? O sexo cromossômico é estabelecido na fertilização pela presença de um cromossomo X ou Y. que é dependente da presença ou ausência de testículos. (2) androgenização cerebral e a relação digital 2D:4D. Avaliação: Este filme é um retrato instigante e bem executado convincente de uma família trabalhando através de uma escolha nenhuma outra família já teve de enfrentar. o filme de Marcas obriga o público a considerar as implicações do conhecimento inovação científica pode proporcionar. e (4) hereditariedade epigenética. a diferenciação dos genitais internos e externos masculinos ou femininos a partir de estruturas indiferenciadas presentes no embrião. a expressão "determinação sexual" relaciona-se principalmente aos processos que levam à função testicular geral. as demais diferenças entre os sexos são efeitos secundários devidos aos hormônios por elas produzidos. bem como para a maturação sexual durante a puberdade. O processo como um todo é classicamente dividido em quatro etapas: a determinação do sexo cromossômico. Foram encontradas cinco principais teorias em torno dos componentes biológicos: (1) ordem de nascimento fraternal.rastreamento genético de seu filho. a expressão "diferenciação sexual" refere-se às ações hormonais específicas que levam ao fenótipo sexual de cada indivíduo. que é estabelecida na fertilização. a diferenciação das gônadas em testículos ou em ovários. que é a resposta de vários tecidos aos hormônios produzidos pelas gônadas para completar o fenótipo sexual. O desenvolvimento dos sexos masculino e feminino passa.

faria esse teste em seus filhos ou parentes? Por quê? Talvez. de modo que se possa descartar a hipótese de que haja uma variação genética negativa no indivíduo homossexual a ser removida pela seleção natural.. ao longo da gestação. e (4) seleção sexual antagônica. No entanto. que pode provocar uma variação hereditária ou uma mudança no fenótipo. com as meninas. De acordo com o modelo. não há uma explicação definitiva sobre quais seriam os componentes determinantes da orientação homossexual. que tiveram a função de torná-lo mais sensível à testosterona. que são transmitidos hereditariamente e são responsáveis por regular a sensibilidade à testosterona em fetos (RICE et al. isto é. mas sim em componentes biológicos conhecidos como marcadores epigenéticos (epimarcas). principalmente em indivíduos do sexo masculino.5% de certeza haver encontrado indícios da existência de um ou mais genes ligados à orientação sexual na região q28 do cromossomo X (ou Xq28). Conclui-se que foram muitas as evidências científicas encontradas ao longo do tempo para explicar alguns dos componentes biológicos e genéticos da homossexualidade. mas inversamente. A partir desse modelo. inclusive. 6) Quais são as repercussões da identificação dos genes de uma pessoa. como você a avalia? qualquer modificação ou alteração brusca de genes ou de cromossomas. A epimarca torna o cérebro dos meninos mais sensíveis à testosterona quando os níveis estão abaixo do normal a fim de preservar características masculinas e podendo. quando o pai transmite seus marcadores.cromossomo X. na sua vida cotidiana? Ela poderá ficar marcada como um sujeito mutante? 7) Se você trabalhasse num laboratório de análise genômica. tanto os fetos masculinos quanto os femininos são expostos a quantidades variadas do hormônio testosterona (RICE et al. tornando-o menos sensível à testosterona. para uma filha ou quando uma mãe passa para o filho. 2012). a epimarca diminui sua sensibilidade ao hormônio. Os autores afirmavam com 99. o modelo que retrata a forma com que os genes são expressos pode explicar a alta prevalência da homossexualidade na população humana. ainda hoje. 8) Você concorda com a atitude de Rob e de Suzanne? Justifique. O mesmo ocorre. Um estudo recente realizado nos Estados Unidos sugeriu que a orientação homossexual não está na genética propriamente dita. 9) O que é uma alteração genética para você? E.. a orientação homossexual é explicada pela transmissão de epimarcas sexualmente antagônicas. (3) gêmeos univitelinos. 10) Assistir a esse filme facilitou ou não a sua aprendizagem sobre conceitos genéticos e suas relações com o seu cotidiano? Justifique. 2012). Segundo os autores. Quando a testosterona está acima do normal. . influir na orientação sexual.

por exemplo. Acredita-se que a genética está envolvida na construção da orientação homossexual. Segundo o pesquisador. Assim sendo sugere-se que. Assim sendo.Não. este traço será selecionado negativamente. o psicólogo evolucionista norte-americano Edward Miller propôs que a homossexualidade masculina tem sobrevivido por meio de um polimorfismo equilibrado (MILLER. no ano de 2000. se ambos os alelos são alterados. os alelos impedem a androgenização parcial em fetos do sexo masculino durante a gravidez e isso poderia estar associado a uma orientação homossexual. ele também se tornaria feminilizado em sua orientação sexual. 2000). . Para o autor. um homem se tornaria mais apegado às crianças e ainda ser heterossexual. embora possa reaparecer por uma nova mutação. Sabe-se que nem todas as predisposições genéticas são totalmente expressas. se um indivíduo possui um traço que reduz a sua reprodução sexual. seria possível feminilizar parcialmente o cérebro masculino através da heterozigoze em alguns locos gênicos: se apenas um alelo é alterado.