Você está na página 1de 12

PRIMEIRA PROVA Questão 1 Comente sucintamente 3 vantagens e 3 inconvenientes da utilização do concreto protendido em comparação com o concreto armado.

Resposta Os aspectos relevantes da tecnologia do concreto protendido são: • É possível controlar de modo mais eficiente a fissuração, podendo-se até eliminá-la; • Pode-se empregar concretos de resistência mais elevada, o que permite, em alguns casos, a redução do peso próprio das estruturas; • Pode-se controlar melhor as deformações das estruturas, com aproveitamento da seção transversal de concreto não fissurado; • Impedir ou limitar os deslocamentos da estrutura e propiciar o melhor aproveitamento de aços de alta resistência no estado limite último (ELU); • é possível desenvolver novos processos construtivos, nos quais a protensão entra como fator determinante no peso próprio de elementos pré-moldados e na solidarização de componentes. As desvantagens do emprego de concreto protendido são: • Para o projeto de peças de concreto protendido é necessário calcular com mais rigor os efeitos da retração e fluência do concreto, da relaxação do aço de protensão, as perdas por atrito e encunhamento e outras variações da força de protensão; • É necessária uma verificação mais pormerizada de todas as etapas da vida da peça, visto que a protensão introduz, desde a fase de execução, esforços importantes nos elementos estruturais; • Na execução são utilizados sistemas especiais de protensão e é necessário um controle de qualidade mais rigoroso dos materiais e dos componentes executados. Questão 2 Defina “protensão completa” nos termos da norma brasileira NBR-6118/2003 (NB-1). Resposta As condições de protensão completa devem ser atendidas no caso de elementos com armadura pré-tracionada em ambientes de classe de agressividade ambiental (CAA) III e IV. Para protensão completa, as seguintes condições devem ser seguidas: • Para combinações freqüentes de ações, previstas no projeto, é respeitado o estado limite de descompressão (ELS-D); • Para as combinações raras de ações, previstas no projeto, é respeitado o estado limite de formação de fissuras (ELS-F);

sendo a peça ainda não solicitada por ações externas. Pa. • Pa é um valor que se refere somente a situação de pré-tração em pista e corresponde a força na armadura de portensão no instante imediatamente anterior à sua liberação das ancoragens externas. antes de ser realizada a ancoragem dos fios ou cordoalhas nas cabeceiras da pista. da deformação imediata do concreto devida ao estiramento dos cabos restantes. da retração inicial do concreto. na pista de protensão. É o valor de Pi subtraído das perdas de tensão decorrentes do escorregamento dos fios ou cordoalhas nas ancoragens provisórias das cabeceiras da pista. – Perda por fluência do concreto. da fluência inicial do concreto e da relaxação inicial da armadura. . – No caso de pós-tração. – Perda por retração posterior do concreto. é obtida a partir da força Pi. • P∞ é o valor da força de protensão após as perdas ao longo do tempo. do escorregamento dos fios ou cordoalhas na ancoragem e acomodação de ancoragem. P∞. da relaxação do aço e da retração inicial do concreto. Resposta Os valores representativos são: • Pi é a força máxima aplicada à armadura de protensão pelo equipamento de tração. a partir da força de tração Pa. Esta força corresponde à força aplicada pelos macacos hidráulicos. deduzindo-se os valores das perdas de tensão decorrentes do atrito nos cabos. – Perda por relaxação posterior da armadura.Questão 3 Defina sucintamente os valores representativos da força de protensão: Pi. deduzem-se os valores das perdas de tensão decorrentes da deformação imediata do concreto. • Po – No caso de pré-tração. P0.

σPx = P/A + (P·ex²)/I. Dessa forma. o máximo momento fletor externo é dado por: Mmáx = P·(e1 + eP) = 600·(12 + 50) = 37200 kNcm. • K1 e K2 são pontos extremos do núcleo central da seção. com excentricidade ep = 50 cm. encontra-se a seguinte relação: P·(1 + ex²) = F1·(1 + e1²) Se P e e1 são parâmetros conhecidos e por F1 e ex terem unidades diferentes e estarem relacionados na equação apresentada acima. está submetida a uma força de protensão P = -600 kN. Sabendo-se a posição dos pontos extremos do núcleo central da seção. de seção transversal de forma desconhecida. respectivamente. Para a soma σF1 + σPx = 0 na borda superior da seção (caso em que ocasiona apenas compressão na seção). conclui-se que P = F1 e e1 = ex. σP = P/A + (P·eP²)/I. Resposta Dado uma força F1 e F2 aplicadas em K1 e K2. considera-se um momento gerado por F1 somado com um momento gerado por P. . • A seção é de forma qualquer. calcule o valor do máximo momento fletor externo que pode ser aplicado tal que a seção transversal continue ainda totalmente comprimida. onde: σF1 = F1/A + (F1·e1²)/I . têm-se os seguintes diagramas de tensões: Para F2 Para F1 Para P Sendo que para F2 (que atua junto com a força de protensão P) nunca se terá apenas compressão na seção.Questão 4 Uma viga simplesmente apoiada.

com qualquer combinação de ações.Questão 5 Um construtor de muita experiência prática. ancorada nas extremidades e depois resfriada. iv) a área de seção transversal da armadura é de 5 cm². ε = P/(Ap·Ep) → P = ε·(Ap·Ep) → P = 6·10-4·(5·20000) → → P = 60 kN (sem considerar possíveis perdas). pede sua ajuda para resolver um problema. Pergunta-se: a) qual é a força de protensão aplicada? Resposta ε = ∆L/L0 = α·∆T = 10-5/ºC·60ºC = 6·10-4. Ap = 5 cm². sem aquecer o concreto. mas sem a fundamentação técnica suficiente. vi) considere que o coeficiente de dilatação térmica do aço é aproximadamente igual a 10-5/ºC e que o módulo de elasticidade da armadura é 200 GPa. seção retangular com b = 20 cm e h = 75 cm. Ele pretende executar uma viga protendida aplicando o seguinte processo: i) executa a viga simplesmente apoiada com vão teórico de 7 m. com excentricidade de 32. Ep = 20000 kN/cm². na seção do meio do vão? Resposta ??? c) qual é o problema que pode surgir no que se refere às perdas de protensão? Resposta ??? . ii) deixa no interior dessa viga uma bainha retilínea com isolamento térmico. iii) essa armadura é envolvida por uma resistência elétrica que pode aquecer rapidamente a armadura até 60ºC acima da temperatura ambiente. v) a armadura é aquecida.5 cm em relação ao CG da seção bruta de concreto. b) qual é a maior sobrecarga uniformemente distribuída que pode ser aplicada sem que surjam tensões de tração. e por dentro dela passa uma armadura de aço.

σgs = 14.σgi = 43. .Mq = 3.Questão 6 Considere uma viga-calha de concreto protendido pré-moldado. .50·102/8 = 43.57 MPa. . .σgs = 43. Das outras cargas permanentes: .75 kN.50 kN.m.75·1000/4253 = 10. .25·1000/4253 = 6.m.Estado Limite de Serviço de Formação de Fissuras.m.50·1000/4253 = 3.σgs = 26.10·102/8 = 26.75·1000/4064 = 10.25 kN. .Mg1 = 1.76 MPa. .46 MPa.29 MPa.41 MPa.Mg2 = 2. Admitindo ainda as seguintes hipóteses: l = vão da viga-calha = 10 m Ambiente exposto. Do peso próprio: . .Estado Limite de Serviço (descompressão).16·102/8 = 14. Desta forma devemos verificar: .σgi = 14.50·1000/4064 = 3. Da carga acidental: .σgi = 26. agressividade moderada Perda a ser arbitrada inicialmente = 20% Faça os cálculos necessários e apresente: a) uma estimativa do valor da força de protensão P∞ Resposta Protensão Limitada (pré-tração / CAA II). se seção transversal em forma de U destinada ao suporte de telhas de fibrocimento autoportantes tipo Canalete 90 ou Kalhetão.25·1000/4064 = 6.17 MPa.

32 kN/cm².est = 200.87 kN (valor B) → portanto.est·18.20) → Pi. .est/(1 – ∆Parb). 1.est·18.2·2.est/Ac + P∞.46 + (0.76) + σ1P∞ = 0 → → │σ1P∞│= 13.32 = P∞.41 kN. ii) Combinação frequente de ações σ1g1 + σ1g2 + (ψ1.57 Mpa → σ1P∞ = 1.est = 200. 3.00/4064 → → P∞.30·10. adotando ∆Parb = 20% → → Pi.Estimativa da força de protensão P∞: i) Combinação quase-permanente de ações σ1g1 + σ1g2 + (ψ2.26 Mpa → σ1P∞ = 1.46 + (0.1·σ1q1) + (ψ2.57 + 6.00/4064 → → P∞.06 = P∞. valor A comanda! b) uma estimativa do valor da força de protensão Pi Resposta Estimativa da força de protensão Pi: Pi. σ1P∞ = P∞.76) + σ1P∞ = 1.est·ep/W1 → → 1.33/(1 – 0.24 → → │σ1P∞│= 10.est/463 + P∞.2·σ1q2) + σ1P∞ = 1.1·σ1q1) + (ψ2.30·10.57 + 6.2·σ1q2) + σ1P∞ = 0 → → 3.est = 160.06 kN/cm².33 kN (valor A).est = P∞.est = 250.2·fctk.est/463 + P∞.

.SEGUNDA PROVA Questão 1 Desenhe os diagramas de momento fletor e força normal causados pela força de protensão nos dois casos esquematizados abaixo. Resposta No caso poligonal. mas o que quer se mostrar são os valores representativos (os que estão indicados acima). e podem ser desprezadas as forças de atrito. o diagrama normal não é linear como indicado. A força de protensão vale P em qualquer caso.

é dividida em partes iguais ao número de cabos. a) O que significa σ1p/σ1p. em que se toma como referência as tensões provocadas pela protensão na seção transversal mais solicitada. como se fez no projeto desenvolvido na disciplina.m é um parâmetro adimensional. trabalhando-se com tensões relativas pode-se reunir todas as verificações feitas para os estados extremos mais desfavoráveis num só diagrama. considere o diagrama abaixo. que é igual a 1 (100%). 7 neste exemplo.m? Resposta A relação σ1p/σ1p. as tensões devidas à protensão devem ser alteradas de tal modo que sejam respeitadas as curvas limites. Responda sempre com comentários. Isto significa que os valores das curvas limites para as tensões normais no concreto estariam sendo desrespeitados no estado em vazio.Questão 2 Considerando um caso de verificação de tensões ao longo do vão pelo processo gráfico das curvas limites. Isto pode ser conseguido revestindo-se as cordoalhas. Em outras palavras. A descontinuidade (o degrau) na seção intermediária representa a desativação de 2 fios. Desativar alguns cabos significa eliminar a sua aderência com o concreto a partir de uma determinada seção. ou seja. pois as tensões relativas devidas à protensão não podem ser mantidas constantes nesta parte da seção. pois a ordenada máxima. nas . sendo que estariam interceptando a curva limite C2v (estado em vazio para a borda superior). b) Qual é o número de fios ou cordoalhas na seção central? Por que o gráfico apresenta uma descontinuidade na seção intermediária? Resposta Na seção central há 7 fios. Portanto. de única escala dimensional.

Isso quer dizer que o pré-alongamento tem o mesmo significado físico da deformação na armadura ativa previamente estirada na pista de protensão. O estado de neutralização é um estado convencional que é obtido a partir da situação em que existem apenas esforços devidos à protensão. com relação ao estado limite de compressão excessiva? Resposta ??? d) Nas proximidades do apoio. se não levar em conta as perdas de protensão e os coeficientes de ponderação das ações. No caso particular de um elemento recém-protendido em pista. muito prática. . então Pn = Pa e εpn = εpa. é a deformação da armadura ativa correspondente à situação em que se anula a tensão no concreto a altura do centro de gravidade desta armadura. εpn. as cordoalhas que inicialmente estavam localizadas na região inferior da seção da viga se aproximaram do seu centro tendo as suas tensões relativas devidas à protensão diminuídas. consiste em revestir as cordoalhas com mangueiras de plástico flexível. por exemplo. Questão 3 Defina pré-alongamento da armadura ativa. alguma alteração foi feita em algumas cordoalhas. c) Como está a situação da viga. No caso particular de um elemento recém-protendido em pista. P0) que corresponderia ao préalongamento? Resposta Pré-alongamento. ou seja. em geral. qual o valor representativo da força de protensão (Pi. betume ou papel “kraft”. acrescentando-se solicitações adequadas que tornem nulas as tensões em toda a seção transversal considerada. para efeito de cálculo da resistência da seção de uma peça de concreto protendido no Estado Limite Último – Solicitações Normais. O que foi? Resposta Nas proximidades do apoio. com materiais como. chamadas usualmente de “espaguetes”. ou seja. Pa. Outra solução.regiões onde não se deseja a aderência. o valor representativo da força de protensão que corresponderia ao pré-alongamento seria o valor P = P0. algumas cordoalhas tiveram suas excentricidades alteradas (diminuídas). a deformação na armadura ativa correspondente à força de neutralização Pn.

A protensão é tomada com intensidade tal que suas componentes transversais equilibrem a carga permanente e uma parte da carga acidental (a critério do projetista). a carga sobre os pilares e fundações e a altura total do edifício. de caráter permanente. o dimensionamento é feito para faixas de largura unitária como se fossem vigas chatas protendidas utilizando-se o Método das Cargas Balanceadas. não existindo praticamente até aqui nem tensões nem deformações provenientes da flexão da laje. • Há um melhor comportamento da estrutura com relação às fissuras. é possível uma retirada antecipada do escoramento e das formas. se além da força de protensão atua também uma força normal centrada Ng. O dimensionamento pelo Método das Cargas Balanceadas considera as componentes transversais da protensão como forças agindo em sentido contrário ao das cargas de laje. . Para lajes protendidas somente numa direção e apoiadas em linhas de apoio. • O emprego de aços de alta resistência conduz a estruturas mais econômicas. • Controle e diminuição da flecha ao longo do vão.Questão 4 Na verificação da resistência ao cisalhamento de uma viga de concreto protendido. e qual é o processo indicado para determinar o valor da força de protensão a ser aplicada em cada faixa ou região de uma laje? Resposta As principais vantagens são: • As deformações são menores do que no concreto armado. • Como a laje protendida trabalha com tensões relativamente baixas. como o efeito favorável dessa força é levado em conta no cálculo? Resposta ??? Questão 5 Quais as principais vantagens do uso da protensão em lajes de edifícios. • Vãos maiores e grande esbeltez diminuem o peso próprio. tanto de material como de tempo. • Na laje protendida as deformações oriundas do peso próprio podem ser completamente eliminadas. • A laje plana lisa protendida oferece maior resitência ao puncionamento. permitindo por vezes o acréscimo de um pavimento. • A ausência de vigas oferece vantagens evidentes para a execução da obra quanto à economia.

9·190)/1.71·10-3 = 4.90·P∞·(1/Ac + ep²/Ic) σcp = 0. εpnd = Pnd/(Ap·Ep) = 1066. utilizando o processo de cálculo manual (sem uso de tabela). σpd.3) = 2.6 kN.85·(fck/γc) = 0. Ep = 20200 kN/cm². Resposta ● Calculo do pré-alongamento: σcp = 0.90·1130·(1/3090+24²/1764472) = 0. Cálculo do momento resistente com arbitragem da tensão da armadura: Supondo que o ELU é atingido no domínio 3 ou 4.69 kN/cm².Questão 6 Considere a seção transversal de uma viga pré-moldada de concreto protendido e os demais dados. εpid = 10 ‰.20·(-0.0 – 6.20 cm².arb = fpyd = (0. Verifique a segurança da seção em relação ao Estado Limite Último – Solicitações Normais.66 kN/cm².71 e Ap = 11.20·20200) = 4.85·5600·√fck) = 6. αp = Ep/Ecs = 202000/(0.71·11. . Domínio 3 ou 4: εcd = 3.71 ‰.62 kN/cm².5 ‰ → σcp = 0.6/(11.85·fcd.9·1130 = 1017. σcd = 0.66) = 1066. Pnd = Pd – αp·Ap·σcp. Pd = 0.15 = 148.0 kN.d = 1017.9·P∞ = 0.85·(4/1.85·fcd = 0.

33 kN.arb= 11.95 + 4.36) = (165.11)/23. Rpl = Ap·σcd.11 = 6.4·(37300 + 21400) = 82180 kNcm.38 kN/cm² ok! ● Cálculo do momento último resistente: z = d – y/2 = 69 – 18.arb = 151.7)·(35 – 11.85) → → σpd.20·59. Compatibilidade de deformações: εcd/x = εpid/(d – x) → εpid = εcd·(d – x)/x = = 3.7·y.49 cm < h = 25 cm x = y/0.arb= 11.62 = 91.14 ‰ < 10‰ ok! εpid = 7.16 cm < h = 25 cm ok! x = y/0.7·y = 1665.27 kN/cm² ≈ σpd.95 ‰ → εpd = εpid + εpnd = 6.66 ‰.7·y. 2ª Interação → equilíbrio Rcc = Rpt: Rcc = Acc·σcd = 35·y·2.46 → y = 18. Rcc = Acc·σcd = 35·y·2. MRd ≥ Msd ok! e . tem-se: s s e (165.20·148.70)/22.5·(69 – 22. ok! 91.4·(Mg + Mq) = 1.arb = 148.69 = 1665.75.2 – 148.8 = 18. Msd = 1.8 = 18.calc = 151.36) = (165.2 – σpd.Supondo y ≤ h = 25 cm: Acc = b·y = 35·y.85 ‰ Pelo diagrama tensão-deformação.14 + 4.66) → → σpd.95 ‰ < 10‰ ok! εpid = 6.2 – σpd. Pelo diagrama tensão-deformação.8 = 23.71 = 11.49/0. Compatibilidade de deformações: εcd/x = εpid/(d – x) → εpid = εcd·(d – x)/x = = 3. 1ª Interação → equilíbrio Rcc = Rpt: 91.46 kN.38 kN/cm² ≠ σpd.20·151.14 ‰ → εpd = εpid + εpnd = 7.calc)·(35 – 7.8 = 22.70 = 7.2 – 148.7)·(35 – 11.69 kN/cm².calc = 151.62 = 91.70 cm.27·11.75 = 101238 kNcm.38 = 1695.7·y = 1695. MRd = Rpt·z = σpd·Ap·z = 151.5·(69 – 23.49/2 = 59.71 = 11.16/0.11 cm.33 → y = 18.calc)·(35 – 7. tem-se: (165. Rpl = Ap·σcd.