Você está na página 1de 10

Aparecida Rodrigues de Oliveira Nilza Maria da Rocha Matias Sheila Gomides de Oliveira

Formação pela Escola e Plano de Ações Articuladas

Nome da multiplicadora: Aliny Tutora: Maria Marta

ATIVIDADE FINAL

urso: PNAE

eres! "# de A$ril de "%&#'

-+EFE+<N IA( ././. .. E4I(TENTE ENT+E P./.L).NT+.NT+.LE (. .LE (.P. . 0)E 1 .+ 0)EM2 #-A +ELA. "-.. IAL DEVE (E+ E4E+ ID.( DAD. .( :-P+.N L)(/. E P. IAL' 9-ANALI(E D.()M*+I.(TA DE (.8E( D.L5TI A( P67LI A(! A.D).NT+. IAL2 3.LE (. FNDE E .M. &-INT+.

garantir o desenvolvimento social.ederal de /011 %ue permite a participação da sociedade no acompanhamento e veri#icação da gestão de recursos empregados nas pol&ticas públicas como) .&-INT+. erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais$ -e modo geral o controle Social é a ação e!ercida de #orma organizada sistem+tica e individualizada pela sociedade civil sobre o (stado$ (ntretanto é um direito do cidadão brasileiro con%uistado na *onstituição .D)./.2N-(3 acompanha atividades re#erentes : %ualidade da Nossa (ducação a mesma e!erce o controle %ue podem apontar #alhas ou .. O controle Social é entendido como a participação do cidadão na gestão pública e no entanto e!ercido por "rgãos #iscalizadores$ Segundo o %ual o povo é titular leg&timo do poder estatal cu'o e!erc&cio pode ser direto ou por meio de representantes$ (n%uanto republicano o (stado brasileiro deve priorizar os direitos #undamentais tais como) *onstituir uma sociedade livre 'usta e solid+ria.2N-(3<$ A .2N-(3 4NA5( 4NA( e 4-(-$ O controlo social ou controle social é um mecanismo e!ercido pela sociedade sobre o governo$ 4or meio do %ual a sociedade é envolvida no e!erc&cio da re#le!ão e discussão para politização de problem+ticas %ue a#etam a vida coletiva$ (ste modelo de gestão cria um pro#issional de articulação e negociação %ue #omenta a cooperação e %ue atua no plane'amento e na coordenação com #oco no interesse coletivo$ (ste o 4oder (!ecutivo ser+ #iscalizado pela população por meio da opinião pública e através do controle e!terno utilizado pelo 4oder 6egislativo com a participação do 5ribunal de *ontas$ Segundo (d7ard Ross o controle social é o con'unto de sanç8es positivas e negativas %ue uma sociedade recorre para assegurar a con#ormidade das condutas dos modelos normas e valores culturais estabelecidos$ -esta #orma a integração da sociedade com a administração pública tem a #inalidade de solucionar problemas e de#ici9ncias sociais com mais e#ici9ncia e empenho$ Sendo assim este trabalho tem por #inalidade colocar em discussão %uest8es #undamental da problem+tica do *onselho de Acompanhamento e *ontrole Social %ue pode ter a participação dos segmentos Sociais em todo o processo de gestão dos recursos destinados : (ducação .

irregularidades %ue eventualmente pode ser cometidas e também orienta as autoridades constitu&das no uso de suas prerrogativas legais %ue adotem as provid9ncias necess+rias : realidade %ue cada caso venha a e!igir$ 4or tanto a integração da sociedade com a administração pública tendo como #inalidade solucionar os problemas e as de#ici9ncias sociais bem como a participação da comunidade envolvida sendo um instrumento democr+tico visando a participação dos cidadãos no e!erc&cio da democracia social como #ator de avaliação para a criação e metas a serem alcançadas no =mbito de algumas pol&ticas publicas$ Neste conte!to o *ontrole Social é a descentralização do (stado o %ual motiva grupos de pessoas a buscarem soluç8es para os problemas %ue permeiam a sociedade tendo amparo legal e constitucional ou se'a é a participação social na gestão pública$ Nesses termos o Governo .ederal ou se'a a previsão orçament+ria a distribuição e aplicação dos recursos #inanceiros e comprovação ou prestação de contas$ (sses procedimentos possibilitam o melhor desenvolvimento e aplicação dos recursos públicos no %ual é imprescind&vel o acompanhamento da comunidade$ .undo Nacional de -esenvolvimento da (ducação< ..N-( e o *ontrole Social tem a garantia de prover os recursos #ornecidos do Governo .ederal obtém a a'uda do cidadão no pro'eto orçament+rio das contas publicas através do plane'amento acompanhamento monitoramento e avaliação na e!ecução das pol&ticas e programas sociais$ 4orem trata>se de uma ação con'unta entre (stado e sociedade em %ue o ei!o central é o compartilhamento de responsabilidades com vistas a aumentar o n&vel da e#ic+cia e e#etividade da e!ecução dos serviços$ Segundo (d7ard Ross todo cidadão tem o dever de #iscalizar a gestão pública para o cumprimento dos deveres sociais$ Sendo %ue a sociedade em con'unto com a administração pública tem o dever de atuar visando o bem comum para as #uturas geraç8es$ 4ara tanto a de#inição de controle social de acordo com .M(* ?@// p$ AB< CD o direito da participação da sociedade no acompanhamento e veri#icação da gestão dos recursos #ederais empregados nas pol&ticas públicasE$ (sses mecanismos permite a participação de %ual%uer pessoa independentemente de crença religiosa etnia #iliação partid+ria convicção #ilos"#ica na con%uista dos direitos #undamentais$ (ssas raz8es vale dizer %ue o .

am&lia segundo o %ual estabelece o controle social como um de seus componentes %ue garante a participação e#etiva da sociedade na e!ecução do programa$ . 0)E 1 . IAL2 O controle social entendido como a participação do cidadão na gestão pública é um mecanismo de prevenção da corrupção e de #ortalecimento da cidadania$ No 3rasil a preocupação em se estabelecer um controle social #orte e atuante torna>se ainda maior em razão da sua e!tensão territorial e do grande número de munic&pios %ue possui$ Assim o controle social revela>se como complemento indispens+vel ao controle institucional e!ercido pelos "rgãos #iscalizadores$ 4ara %ue os cidadãos possam desempenh+>lo de maneira e#icaz é necess+rio %ue se'am mobilizados e recebam orientaç8es sobre como podem ser #iscalizados os gastos públicos$ Segundo %ual este é um instrumento democr+tico no %ual h+ a participação dos cidadãos no e!erc&cio do poder colocando a vontade social como #ator de avaliação para a criação e metas a serem alcançadas no =mbito de algumas pol&ticas públicas ou se'a é a participação do (stado e da sociedade con'untamente em %ue o ei!o central é o compartilhamento de responsabilidades com o intuito de tronar mais e#icaz alguns programas públicos$ Assim a ampliação incide de maneira e!pressiva na administração %ue se pode citar constitucionalmente a edição de lei regulamentando as #ormas de participação do administrado se'a direta ou indiretamente$ O e!emplo disso pode ser a 6ei %ue cria o 4rograma 3olsa .LE (.como é o caso das associaç8es #undaç8es sindicatos etc$<$ ?J *ontrole Knstitucional %ue é e!ercido por entidades e "rgãos do 4oder 4ublico institu&dos de interesse da coletividade$ .6ei nF /@$1AGH?@@I<$ -+>se então a e#etivação do *ontrole Social de duas maneiras) /J *ontrole Natural %ue é e!ecutado diretamente pelas comunidades .como é o caso dos 4RO*ON Ministério 4úblico etc$<$ 4ortanto *ontrole Social é uma maneira de estabelecer um compromisso entre o poder publico e a sociedade com a #inalidade de encontrar sa&da para os problemas econLmicos e sociais$ .NT+."-.

M. .. IAL DEVE (E+ E4E+ ID.NT+. 0)EM2 .LE (. um pro#essor da educação b+sica pública.3.no m&nimo< escolhido nos grupos %ue o representam assim distribu&dos) dois representantes do 4oder (!ecutivo um obrigatoriamente da Secretaria da (ducação. E P.+ D constitu&do por um colegiado representado por membros da sociedade envolvidos nas atividades da educação$ (ssas pessoas elabora o seu pr"prio regimento interno disciplinando sua organização adaptada : realidade do munic&pio$ No entanto possui autonomia pr"pria pois não h+ subordinação e não est+ vinculado : administração pública$ Seu mandato é de ate ? anos podendo ser renovado por igual per&odo com autorização do poder competente$ Nesta premissa o colegiado elegera o presidente do conselho razão pela %ual o representante do governo não poder+ ocupar essa #unção por motivo da impossibilidade de #iscalizar os recursos destinados ao bene#icio$ O *onselho é constitu&do por @0 membros . um diretor escolhido na escola b+sica pública um servidor técnico>administrativo dois representantes dos pais de alunos dois representantes dos estudantes secundaristas$ um indicado pela entidade de estudantes .

8E( D. E4I(TENTE ENT+E P.N-( e *ontrole Social encontram>se na necessidade de acompanhamento de toda a gestão pública dos recursos #ornecidos pelo Governo .#-A +ELA. ao monitoramento permanente das atividades plane'adas e e!ecutadas.ederal ou se'a a previsão orçament+ria a distribuição e aplicação dos recursos #inanceiros e comprovação ou prestação de contas do emprego desses recursos$ (sse procedimento possibilita o melhor desenvolvimento e aplicação dos recursos públicos e o papel dos membros do conselho é essencial para a #idedignidade e responsabilidade social perante o dinheiro público isto é um ato democr+tico e participativo$ O controle deve ser entendido como um processo amplo permanente e cont&nuo %ue visa) : orientação aos gestores. IAL' A relação %ue e!iste entre pol&ticas públicas aç8es do . : correção de eventuais irregularidades.LITI A( P67LI A(! A.LE (.NT+. FNDE E ./. e : avaliação e gerenciamento de riscos$ 4odendo então si dizer %ue as relaç8es e!istentes entre essas tr9s vertentes estão voltadas para a capacidade %ue tem a sociedade organizada de atuar nas pol&ticas públicas em con'unto com o (stado para estabelecer suas necessidades interesses e controlar a e!ecução dessas pol&ticas$ . : #iscalização das atividades.

( A ação do .N-($ .( DAD.4rograma dinheiro direto na (scola< O 4--( tem por #inalidade prestar assist9ncia #inanceira :s escolas públicas da educação b+sica das redes estaduais municipais e do -istrito .N-( escolhida para esta an+lise #oi o 4--( .inanci+veis$ Ap"s ser decidida a -iretora 'untamente com o 4residente e o 5esoureiro se reuni novamente para #azer tr9s tomadas de preços para assim de#inir a aplicação do dinheiro mas geralmente a maior parte é reservada para gastos com capital como carteiras escolares *ai!a ampli#icada e material de e!pediente$ Os recursos são destinados : cobertura de despesas de custeio manutenção e de pe%uenos investimentos e!ceto gastos com pessoal$ (sta escola por ter poucos alunos : verba repassada e pouco %uando a escola %uer ad%uirir algum bem %ue tenha um custo muito elevado o mesmo programa o uso da verba para o ano seguinte e declarar o valor %ue não #oi utilizado na prestação de contas in#ormando o motivo da prorrogação do saldo$ A -iretora da escola a#irma %ue o dinheiro do programa e muito importante para a escola e para garantir os recursos do ano seguinte a escola encaminha a prestação de contas dos recursos recebidos a secretarias de educação até A/ de dezembro do ano do repasse$ -e posse dessas prestaç8es de contas a secretaria da educação analisa os dados$ Ap"s emitir seu parecer a mesma envia a an+lise : Secad para apreciação validação e encaminhamento ao .ederal e :s escolas privadas de educação especial mantida por entidades sem #ins lucrativos$ O ob'etivo desses recursos é a melhoria da in#raestrutura #&sica e pedag"gica o re#orço da autogestão escolar e a elevação dos &ndices de desempenho da educação b+sica$ Os recursos do programa são trans#eridos de acordo com o número de alunos de acordo com o censo escolar do ano anterior ao do repasse$ A escola visitada #az parte deste programa desde /001 mas para ser en%uadrada nesse programa teve %ue montar seu conselho escolar #ormado por dez membros %ue representam pais pro#essores alunos e #uncion+rios$ A presidente do conselho a#irma %ue a cada A@ dias h+ uma reunião com os membros M 'untos plane'am e decidem com o %ue se devem empregar os recursos os itens a serem ad%uiridos e suas #inalidades registrado em ata$ Sempre respeitando as normas das Aç8es .inanci+veis e Não .9-ANALI(E D.

(TA DE (.L).N L)(/../.:.-P+.P. A nossa proposta de uma poss&vel solução para suprir as necessidades da escola com gastos %ue não pode ser comprados com o 4--( é %ue a escola 'untamente com os conselheiros organizem eventos para a comunidade dentro dos pro'etos (scolar para %ue ad%uiram mais capitais mais con%uistas para a escola$ *om isso teremos duas vertentes trabalhando 'untas para melhoria da educação e da escola$ 4ois podemos perceber %ue a participação de membros de conselho escolar na #iscalização dos recursos públicos destinados aos bene#&cios educacionais é no entanto #undamental para garantir o bem social$ (ssas pessoas 'untamente com o poder legislativo au!iliado pelo tribunal de contas tem a premissa primordial de acompanhar a e!ecução desses serviços e!ecutados pelo poder e!ecutivo$ Ou se'a sabemos %ue tanto o conselho escolar como %ual%uer cidadão tem a #unção essencial de #iscalizar os recursos #inanceiros garantidos : comunidade escolar$ (ssa ideia de #iscalização tem orientação na constituição #ederal principalmente %uando o poder legislativo au!iliado pelo tribunal de contas #iscaliza as contas e repasses de subvenç8es por meio de convenio ou contrato de gestão a entidades personi#icadas na a#erição da garantia dos bene#&cios sociais$ 4or outro lado podemos perceber %ual%uer desvio de #inalidades do dinheiro publico o gestor ser+ responsabilizado$ -e modo geral a analise da gestão pública na destinação desses meios se #az por ato vinculado o %ue permite maior possibilidade de controle da população$ Nesse sentido a #alta de compromisso público pode implicar em atos de improbidade administrativa bem como os %ue atentam contra os princ&pios da administração pública acarretando na perda ou suspensão dos direitos pol&ticos$ Assim pode se perceber %ue a participação do cidadão na #iscalização do dinheiro público se posta ade%uadamente : previsão dos direitos sociais visados pela comunidade$ (ntretanto o acompanhamento da e!ecução e da organização das contas públicas se #az necess+rio pelo tribunal de contas %ue permite maior controle dos #eitos realizado pelo e!ecutivo$ -este modo a transpar9ncia das e!ecuç8es para o bem comum seria um #ator preponderante para uma democracia mais en#uscada na constituição #ederal$ .

.-+EFE+<N IA( http)HHpt$7iNipedia$orgH7iNiH*ontroleOsocial Acesso em /G de março de ?@/I$ http)HHpt$slideshare$netHnoeassuncao/Hpdde>na>escola>pro#> Acesso em /B de março de ?@/I$ http)HH777$mds$gov$brHbolsa#amiliaHcontrolesocial Acesso em /B de março de ?@/I$ http)HH777$portaldatransparencia$gov$brHcontroleSocialH*onselhosMunicipaise*o ntroleSocial$asp Acesso em /0 de março de ?@/I$ SAN5OS Pose dos .K6QO *arvalho$ Manual de direito administrativo$?@$ed$6umen Puris)Rio de Paneiro ?@@1$ -ispon&vel em) Rhttp)HH777$mds$gov$brHbolsa#amiliaHcontroleOsocialHcontrole> social>no>pb#HS Acesso em ?@ de março de ?@/I http)HH777$7ebartigos$comHartigosHo>%ue>e>controle>socialH?A?11H Acesso em ?@ de março de ?@/I http)HH777$portaldatransparencia$gov$brHcontroleSocialH Acesso em ?? de março de ?@/I http)HH777$conselhoseducacao$r'$gov$brHdo7nloadH#undebHapostilasHcontroleSocia l*onselheiros$pd# Acesso em ?I de março de ?@/I$ http)HHrepositorio$unb$brHbitstreamH/@I1?H0?/1H/H?@//OMarcusTinciusdeAzevedo 3raga$pd# Acesso em ?1 de março de ?@/I$ .