Você está na página 1de 14

STF - EXTRADIÇÃO : Ext 744 BU

EXTRADIÇÃO - DELITOS COMUNS - REGULARIDADE FORMAL DO PEDIDO EXTRADICIONAL - SÚMULA 421/STF - INTELIGÊNCIA DO ART. 89 DO ESTATUTO DO ESTRANGEIRO - POSSIBILIDADE DE IMPOSIÇÃO DA PENA DE MORTE - NECESSIDADE DE COMPROMISSO FORMAL DE COMUTAÇÃO - PEDIDO DEFERIDO, COM RESTRIÇÃO. PROCESSO EXTRADICIONAL - EXAME DO CONJUNTO PROBATÓRIO - IMPOSSIBILIDADE - SISTEMA DE CONTENCIOSIDADE LIMITADA ESTATUTO DO ESTRANGEIRO (ART. 85, § 1º) - CONSTITUCIONALIDADE

Salvar • 0 comentários • Imprimir • Reportar Publicado por Supremo Tribunal Federal - 14 anos atrás

0
ResumoEmenta para Citação Inteiro Teor (pdf)
Andamento do Processo

Dados Gerais
Processo: Ext 744 BU Relator(a): CELSO DE MELLO Julgamento: 01/12/1999 Órgão Julgador: Tribunal Pleno Publicação: DJ 18-02-2000 PP-00054 EMENT VOL-01979-01 PP-00041 RTJ VOL-00172-03 PP-00751 Parte(s): GOVERNO DA BULGÁRIA EMIL TODOROV IVANOV

Ementa
EXTRADIÇÃO - DELITOS COMUNS - REGULARIDADE FORMAL DO PEDIDO EXTRADICIONAL - SÚMULA 421/STF - INTELIGÊNCIA DO ART. 89 DOESTATUTO DO ESTRANGEIRO - POSSIBILIDADE DE IMPOSIÇÃO DA PENA DE MORTE - NECESSIDADE DE COMPROMISSO FORMAL DE COMUTAÇÃO - PEDIDO DEFERIDO, COM RESTRIÇÃO. PROCESSO EXTRADICIONAL - EXAME DO CONJUNTO PROBATÓRIO - IMPOSSIBILIDADE - SISTEMA DE CONTENCIOSIDADE LIMITADA - ESTATUTO DO ESTRANGEIRO (ART. 85, § 1º) - CONSTITUCIONALIDADE . - O modelo extradicional vigente no Brasil - que consagra o sistema de contenciosidade limitada, fundado em norma legal reputada compatível com o texto da Constituição (Estatuto do Estrangeiro, art. 85, § 1º)- não autoriza que se renove, no âmbito da ação de extradição passiva promovida perante o Supremo Tribunal Federal, o litígio penal que lhe deu origem, nem que se efetive o reexame do quadro probatório ou a discussão sobre o mérito da acusação ou da condenação emanadas de órgão competente do Estado estrangeiro. Doutrina. Precedentes. DOCUMENTOS EM LÍNGUA ESTRANGEIRA - TRADUÇÃO DEFICIENTE POSSIBILIDADE DE COMPREENSÃO DO CONTEÚDO DAS PEÇAS DOCUMENTAIS - INOCORRÊNCIA DE DEFEITO FORMAL . - A eventual ocorrência de impropriedades léxicas, a verificação de desvios sintáticos, a configuração de incorreções gramaticais ou a inobservância dos padrões inerentes à norma culta, só por si, não imprestabilizam a tradução produzida, pelo Estado estrangeiro, no processo extradicional, se se evidenciar que o conteúdo dos documentos, formalmente vertidos para o português, reveste-se de inteligibilidade. Precedentes. EXTRADITANDO QUE TEM COMPANHEIRA BRASILEIRA - INEXISTÊNCIA DE OBSTÁCULO À EXTRADIÇÃO - SÚMULA 421/STF . - A existência de relações familiares, a comprovação de vínculo conjugal ou a convivência more uxorio do extraditando com pessoa de nacionalidade brasileira constituem fatos destituídos de relevância jurídica para efeitos extradicionais, não impedindo, em conseqüência, a efetivação da extradição do súdito estrangeiro. A superveniência da nova ordem constitucional não afetou a validade da formulação contida na Súmula 421/STF, que continua em regime de integral aplicabilidade. Precedentes. BONS ANTECEDENTES E EXERCÍCIO DE ATIVIDADE PROFISSIONAL LÍCITA NO BRASIL - POSSIBILIDADE DE EFETIVAR-SE A EXTRADIÇÃO

PENA DE MORTE . em pena privativa de liberdade. dessa função política. Inteligência do art. o poder de representar o Estado acreditante ("État d'envoi") perante o Estado acreditado ou Estado receptor (o Brasil. necessariamente. a pena de morte. . o compromisso de comutar.COMPROMISSO DE COMUTAÇÃO . VALIDADE DO MANDADO DE PRISÃO EXPEDIDO POR REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO ESTRANGEIRO REQUERENTE . no caso). ressalvadas. exclusivamente. 5º. a . Precedentes. . ao Presidente da República. Hipótese inocorrente no caso. Desse modo. 3 . Basta que se cuide de autoridade investida. derivando.Compete. . a) . 89 doEstatuto do Estrangeiro. não exige que a ordem de prisão contra o extraditando tenha emanado.outorga.permite a sua aplicação. o Chefe da Missão Diplomática pode assumir. no Brasil. Precedentes. em pena privativa de liberdade. a pena de morte.Artigo 3º. Esse compromisso pode ser validamente prestado antes da entrega do extraditando ao Estado requerente. XLVII. deliberar sobre a conveniência. ENTREGA IMEDIATA DO EXTRADITANDO . O compromisso diplomático em questão traduz pressuposto da entrega do extraditando. 1. nas hipóteses de imposição do supplicium extremum. caso em que se tornará dispensável a exigência de comutação. Precedentes. nos termos da legislação do próprio Estado requerente.O ordenamento positivo brasileiro. exige que o Estado requerente assuma.PODER DISCRICIONÁRIO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA . A Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas . não obstante o súdito estrangeiro esteja sendo processado criminalmente no Brasil ou aqui sofrendo execução penal em face de condenação imposta pela Justiça brasileira. as situações em que a lei brasileira . no que concerne aos processos extradicionais. de atribuição para decretar a prisão. quanto a esta. um complexo de atribuições e de poderes reconhecidos ao agente diplomático que exerce a atividade de representação institucional de seu País. atividade profissional lícita não impedem a extradição. EXTRADIÇÃO . Precedentes. a oportunidade ou a utilidade da entrega imediata do extraditando ao Estado requerente.fundada naConstituição Federal (art. formalmente. à Missão Diplomática. de autoridade estrangeira integrante do Poder Judiciário. em nome de seu Governo.. n.A circunstância de o súdito estrangeiro possuir bons antecedentes sociais e o fato de exercer. . e não do deferimento do pedido extradicional pelo Supremo Tribunal Federal. uma vez deferido o pedido extradicional pelo Supremo Tribunal Federal. o compromisso oficial de comutar.O ordenamento positivo brasileiro.

PRETENDIDO EFEITO INFRINGENTE . segundo a sua conveniência e oportunidade.2010.3 anos atrás 0 ResumoEmenta para Citação Inteiro Teor (pdf) Andamento do Processo Dados Gerais Processo: Ext 1153 Relator(a): Min. a decisão sobre a imediata entrega será submetida ao juízo de conveniência e oportunidade do Presidente da República. na linha da jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (confira-se. Finalidade para a qual não se prestam os embargos de declaração. neste julgamento. Embargos de declaração desprovidos. 3. . Equivale a dizer: considerando que o extraditando responde a uma outra ação penal aqui no Brasil. ALEGADAS OMISS ÕES NO AC ÓRDÃO EMBARGADO . Não há como acolher o pedido de impedir a execução desta extradição até o cumprimento das “penas para as quais está condenado e aquelas que porventura lhe venham a ser impostas”. AYRES BRITTO Julgamento: 17/12/2010 Órgão Julgador: Tribunal Pleno Publicação: DJe-034 DIVULG 18-02-2011 PUBLIC 21-02-2011 EMENT VOL-02467-01 PP-00001 MIN. rejeitou os embargos de declaração. O objetivo real do embargante é reexaminar o mérito do pedido extradicional. da relatoria do ministro Março Aurélio). por unanimidade e nos termos do voto do Relator. 17.EMB. Ausentes. a título de amostragem a Ext 758. sobre a imediata entrega do estrangeiro requestado. que avaliará se poderá o requerido ser extraditado antes do término da persecução penal no Brasil. AUS ÊNCIA DE IRREGULARIDADES NO AC ÓRDÃO EMBARGADO . PRETENDIDO EFEITO INFRINGENTE . nos termos da pacífica jurisprudência deste nosso Tribunal (Exts 947-ED. EMBARGOS DESPROVIDOS . os Senhores Ministros Celso de Mello e Gilmar Mendes. EMBARGOS DESPROVIDOS .STF . AYRES BRITTO GOVERNO DO URUGUAI Parte(s): ERNESTO ANDRÉ VARGAS VILLANUEVA LUIS EDUARDO DE LA ROSA D'AVILA Ementa E MENTA: EMBARGOS DE DECLARA Ç ÃO. NA EXTRADIÇÃO : Ext 1153 E MENTA: EMBARGOS DE DECLARA Ç ÃO. EXTRADI Ç ÃO. Acórdão que deu pela presença dos elementos autorizativos da extradição instrutória. ALEGADAS OMISS ÕES NO AC ÓRDÃO EMBARGADO .DECL. as normas que se contêm no Estatuto do Estrangeiroautorizam ao Presidente da República decidir.12. 936-ED. 2. As supostas irregularidades apontadas pela defesa técnica neste recurso foram rechaçadas pelo acórdão embargado. Isso porque. Presidiu o julgamento o Senhor Ministro Cezar Peluso.Plenário. AUS ÊNCIA DE IRREGULARIDADES NO AC ÓRDÃO EMBARGADO . 1. EXTRADI Ç ÃO. 720-ED). Decisão Decisão: O Tribunal. Salvar • 0 comentários • Imprimir • Reportar Publicado por Supremo Tribunal Federal .

Questão sobre existência jurídica. a título de preliminar de mérito. para fim de obstar a acolhimento de pedido de extradição. EXTRADIÇÃO. Preliminar acolhida. . I. Crime político. inc. art. Crimes comuns configurados. Refúgio ao extraditando. da Lei nº9. validez e eficácia de ato administrativo que conceda refúgio ao extraditando é matéria preliminar inerente à cognição do mérito do processo de extradição e. 2. no processo de extradição. da CF. Carência de motivação política. Passiva. Votos vencidos.215/61 (Estatuto dos Refugiados). sem conotação de reação legítima contra atos arbitrários ou tirânicos. Passiva. Prática sob império e normalidade institucional de Estado Democrático de direito. CEZAR PELUSO Julgamento: 16/12/2009 Órgão Julgador: Tribunal Pleno Publicação: DJe-067 DIVULG 15-04-2010 PUBLIC 16-04-2010 EMENT VOL-02397-01 PP-00001 GOVERNO DA ITÁLIA ANTONIO NABOR AREIAS BULHÕES CESARE BATTISTI LUIZ EDUARDO GREENHALGH E OUTRO(A/S) Parte(s): SUZANA ANGÉLICA PAIM FIGUERÊDO GEORGHIO ALESSANDO TOMELIN ROSA MARIA ASSEF GARGIULO LUÍS ROBERTO BARROSO RENATA SARAIVA Ementa EMENTAS: 1. § único. Preliminar rejeitada. art. Refúgio ao extraditando. Admissibilidade. no julgamento da causa. deve ser conhecida de ofício ou mediante provocação de interessado jurídico na causa. Ineficácia jurídica conseqüente. alínea g. Não caracterização. validade e eficácia. inc. 1º. Cognição oficial ou provocada. Não correspondência entre os motivos declarados e o suporte fático da hipótese legal invocada como causa autorizadora da concessão de refúgio. 168. Fato excludente do pedido. Passiva. Contraste. Concessão no curso do processo. Voto vencido. ademais. art. 102. XL.EXTRADIÇÃO : Ext 1085 EMENTAS: Salvar • 0 comentários • Imprimir • Reportar Publicado por Supremo Tribunal Federal . Ato administrativo vinculado. da Lei nº 8. EXTRADIÇÃO. com norma legal proibitiva do reconhecimento dessa condição. Quatro homicídios qualificados. e 3º. em recurso administrativo. Questão conhecida.3 anos atrás 0 ResumoEmenta para Citação Inteiro Teor (pdf) Andamento do Processo Dados Gerais Processo: Ext 1085 Relator(a): Min. e art. pelo Ministro da Justiça. inc. pelo Ministro da Justiça. 5º. Aplicação do art. mediante provocação ou de ofício.474/97. 1º. Não configura crime político. Alcance do art. inc. Desnecessidade de ajuizamento de mandado de segurança ou outro remédio jurídico. I. inc. Votos vencidos. Questão sobre sua existência jurídica. cometidos por membro de organização revolucionária clandestina. da CF. EXTRADIÇÃO. Concessão no curso do processo. Inteligência dos arts. 3. I. 3º do CPC. como tal. para esse fim.072/90. 1-F do Decreto nº 50. do CC.STF . Nulidade absoluta pronunciada. Ato administrativo vinculado. III. Eventual nulidade absoluta do ato administrativo que concede refúgio ao extraditando deve ser pronunciada.

Decisão Preliminarmente. o Tribunal rejeitou questão de ordem suscitada pela Senhora Ministra Cármen Lúcia no sentido de julgar o Mandado de Segurança nº 27. Preliminar repelida. Nulidade inexistente. Votação.875 antes do pedido de extradição. § 1º. Extensão da cognição do Supremo Tribunal Federal. e o voto do Senhor Ministro Joaquim Barbosa. Entrega do extraditando ao Estado requerente. Princípio legal da chamada contenciosidade limitada. Ausência absoluta de prova de risco atual de perseguição. pediu vista dos autos o Senhor Ministro Março Aurélio. EXTRADIÇÃO. defeito formal da documentação apresentada e ilegalidade da extradição.1º. Defesa exercida em plenitude. Precedentes. Restrição às matérias de identidade da pessoa reclamada. 78 e 85. julgou prejudicado o pedido de mandado de segurança. o pedido de extradição para regular execução de sentenças definitivas de condenação por crimes comuns.085. Submissão absoluta ou discricionariedade do Presidente da República quanto à eficácia do acórdão do Supremo Tribunal Federal. Joaquim Barbosa e Março Aurélio. deve o Presidente da República observar os termos do Tratado celebrado com o Estado requerente. O Ministro Presidente do Supremo Tribunal Federal tem sempre voto no julgamento dos processos de extradição. os votos dos Senhores Ministros Eros Grau e Cármen Lúcia. alegação de insuficiência das provas ou injustiça da sentença cuja condenação é o fundamento do pedido. Eventual deficiência na tradução dos documentos que. Em seguida. 80. EXTRADIÇÃO. I. consistente em fundado receio de perseguição política. 5. Decisão administrativa baseada em motivação formal de justo receio de perseguição política. Executória. no processo de extradição passiva executória. em plena normalidade institucional de Estado Democrático de direito. quanto à entrega do extraditando. Mera resistência à necessidade de execução das penas. pelo . Defeito irrelevante. da Lei nº 6. inc. Possibilidade. não o torna inepto. o Tribunal homologou o pedido de desistência do recurso de agravo regimental na Extradição nº 1. 8. se não compromete a plena compreensão dos textos e o exercício do direito de defesa. Inteligência do art. Interpretação do art. Amplitude das questões oponíveis pela defesa. Executória. vencidos os Senhores Ministros Cármen Lúcia. EXTRADIÇÃO. Passiva. Passiva.homicídio praticado por membro de organização revolucionária clandestina. Aplicação do item 56 do Manual do Alto Comissariado das Nações Unidas . Decretada a extradição pelo Supremo Tribunal Federal. Resultado proclamado à vista de quatro votos que declaravam obrigatória a entrega do extraditando e de um voto que se limitava a exigir observância do Tratado.085 e indeferiu o pedido de sustentação oral em dobro. Documentos vazados em língua estrangeira. Voto necessário do Ministro Presidente do Supremo Tribunal Federal. Executória. Execução. Não constitui objeto cognoscível de defesa. vencidos a suscitante e os Senhores Ministros Eros Grau. Votou o Presidente. Não reconhecimento. 4. Joaquim Barbosa e Março Aurélio. Tradução algo deficiente. por reconhecer nos autos da extradição a ilegalidade do ato de concessão de status de refugiado concedido pelo Ministro de Estado da Justiça ao extraditando. instruem o pedido de extradição.815/80. no que foi acompanhado pelos Senhores Ministros Ricardo Lewandowski. Pedido fundado em sentenças definitivas condenatórias por quatro homicídios. Julgamento. Preliminar rejeitada. Em seguida. Obrigação apenas de agir nos termos do Tratado celebrado com o Estado requerente. Preliminar repelida. da Lei nº 9. Quatro votos vencidos que davam pelo caráter discricionário do ato do Presidente da República. Interpretação dos arts. Eros Grau.815/80. O Tribunal.ACNUR. Inconsistência. Passiva. Precedentes. Pedido. Votou o Presidente.474/97. Autenticidade não contestada. Instrução. pela prejudicialidade do pedido. Falaram. sem nenhum propósito político imediato ou conotação de reação legítima a regime opressivo. porém. EXTRADIÇÃO. EXTRADIÇÃO. quando não há prova de nenhum fato capaz de justificar receio atual de desrespeito às garantias constitucionais do condenado. tendo em vista o julgamento conjunto. por maioria. 6. Carlos Britto e Ellen Gracie. dupla tipicidade e duplo grau de punibilidade. § 1º. Causa que envolve questões constitucionais por natureza. vazados em língua estrangeira. 7. Não caracteriza a hipótese legal de concessão de refúgio. de ampla compreensão. Questões conexas sobre a natureza do delito. deferindo o pedido da Extradição nº 1. da Lei nº 6. Voto vencido. após o voto do Senhor Ministro Cezar Peluso (Relator). 77. julgando extinto o pedido de extradição em função da concessão de refúgio pelo Ministro de Estado da Justiça. Crimes comuns. Deferimento do pedido. Refúgio concedido ao extraditando. Impossibilidade conseqüente de apreciação do valor das provas e de rejulgamento da causa em que se deu a condenação. proferidas com observância do devido processo legal. Sentenças proferidas em processos que respeitaram todas as garantias constitucionais do réu.

2009.2009. Presidência do Senhor Ministro Gilmar Mendes. 18. o Tribunal assentou o caráter discricionário do ato do Presidente da República de execução da extradição.11.875) Dra. Não votou o Senhor Ministro Celso de Mello por ter declarado suspeição. Ausentes. Ricardo Lewandowski. por unanimidade.2009. por haver declarado suspeição no julgamento da Extradição nº 1.085 e MS 27. O Tribunal. por maioria. Ausentes os Senhores Ministros Celso de Mello e Dias Toffoli. o Senhor Ministro Eros Grau. e reconheceu a necessidade do voto do Presidente. a Senhora Ministra Ellen Gracie. retificou-a. vencidos os Senhores Ministros Março Aurélio e Carlos Britto.requerente e impetrante (Ext 1. 19. o Dr.09. Ausentes.085. Ellen Gracie e Gilmar Mendes (Presidente). 146 do Regimento Interno. o Dr. para acompanhar o Relator. em representação do Tribunal no exterior e. Plenário. reajustou o voto proferido anteriormente o Senhor Ministro Março Aurélio.2009. Ausente. nos termos dos votos proferidos pelos Senhores Ministros Carmen Lúcia. O Tribunal rejeitou a questão de ordem suscitada pelo advogado do extraditando. Decisão: O Tribunal rejeitou as questões de ordem suscitadas pelo Senhor Ministro Março Aurélio da necessidade de quorum constitucional e da conclusão do julgamento sobre a prejudicialidade do mandado de segurança. Carlos Britto. Em seguida. Ministro Gilmar Mendes. 12. Plenário.Decisão: Prosseguindo no julgamento. o Tribunal. justificadamente. .Decisão: Suscitada pelo Relator questão de ordem no sentido de retificar a proclamação da decisão. o Senhor Ministro Celso de Mello.11. o julgamento foi suspenso. Ausente. tendo em vista a matéria constitucional. Joaquim Barbosa. quanto à vinculação do Presidente da República ao deferimento da extradição. acolheu-a. os Senhores Ministros Celso de Mello e Dias Toffoli. indeferindo o pedido de extradição. o Tribunal.085. deferiu o pedido de extradição. Ricardo Lewandowski. Plenário. o Senhor Ministro Dias Toffoli.875). Por maioria. Ficaram vencidos quanto a este capítulo decisório os Ministros Cezar Peluso (Relator). por haverem declarado suspeição na Extradição nº 1. Fabíola Souza Araújo.085 e MS 27. representando a Advocacia-Geral da União. Votou o Presidente. a (MS 27. justificadamente. 1. Ministro Gilmar Mendes. neste julgamento. o Tribunal deliberou pela permanência de Sua Excelência na relatoria do acórdão.11. Antônio Nabor Areias Bulhões. Ellen Gracie e o Presidente. Presidência do Senhor Ministro Gilmar Mendes. Após o voto do Senhor Ministro Março Aurélio. 09.12.085. vencidos a Senhora Ministra Cármen Lúcia e os Senhores Ministros Eros Grau. por maioria. 16. Plenário. vencidos os Senhores Ministros Relator. o Tribunal reconheceu que a decisão de deferimento da extradição não vincula o Presidente da República. o Senhor Ministro Joaquim Barbosa e. Roberto Monteiro Gurgel Santos. o Dr. Plenário. Março Aurélio e Eros Grau. sobre a prescrição executória da pena. o Senhor Ministro Joaquim Barbosa. por maioria.2009. licenciado. pelo Ministério Público Federal. pelo impetrado . Luís Roberto Barroso e. no sentido da aplicação do art. para constar que. por haverem declarado suspeição na Extradição nº 1.875). Joaquim Barbosa e Março Aurélio. Decisão: Suscitada questão de ordem pelo Relator. pelo extraditando e litisconsorte passivo (Ext.

com. art.EXTRADIÇÃO : Ext 1008 CB Extradição: Colômbia: crimes relacionados à participação do extraditando . 33 da L.474/97.em ação militar das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC). cuja constitucionalidade é reconhecida: ausência de violação do princípio constitucional da separação dos poderes. enquanto dure.então sacerdote da Igreja Católica . 33 (Estatuto do Refugiado). 9474/97. Questão de ordem. Salvar • 0 comentários • Imprimir • Reportar Publicado por Supremo Tribunal Federal . Questão de ordem.o poder privativo de conceder asilo ou refúgio. 3.CONARE: pertinência temática entre a motivação do deferimento do refúgio e o objeto do pedido de extradição: aplicação da Lei 9.7 anos atrás 0 ResumoEmenta para Citação Anúncios do Google Advogado Online Recife www.lafayetteadv. A circunstância de o prejuízo do processo advir de ato de um outro Poder . cuja constitucionalidade é reconhecida: ausência de violação do princípio constitucional da separação dos poderes.a quem incumbe. Reconhecimento do status de refugiado do extraditando.CONARE: pertinência temática entre a motivação do deferimento do refúgio e o objeto do pedido de extradição: aplicação da Lei 9.desde que compreendido na esfera de sua competência .não significa invasão da área do Poder Judiciário. por atribuição constitucional.então sacerdote da Igreja Católica . art.br Melhores Especialistas num Escritório próximo a você. .STF . Inteiro Teor (pdf) Andamento do Processo Dados Gerais Processo: Ext 1008 CB Relator(a): GILMAR MENDES Julgamento: 21/03/2007 Órgão Julgador: Tribunal Pleno Publicação: DJe-082 DIVULG 16-08-2007 PUBLIC 17-08-2007 DJ 17-08-2007 PP-00024 EMENT VOL-02285-02 PP00216 GOVERNO DA COLÔMBIA FRANCISCO ANTONIO CADENA COLLAZOS OU OLIVERIO MEDINA OU CAMILO LOPEZ OU Parte(s): CURA CAMILO HÉLIO SILVA BARROS Ementa Extradição: Colômbia: crimes relacionados à participação do extraditando . 1. sem julgamento do mérito e determinada a soltura do extraditando. É válida a lei que reserva ao Poder Executivo . a competência para tomar decisões que tenham reflexos no plano das relações internacionais do Estado . o reconhecimento administrativo da condição de refugiado. 4. por decisão do comitê nacional para refugiados . De acordo com o art. é elisiva. 2.em ação militar das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC). extinto o processo. da extradição que tenha implicações com os motivos do seu deferimento. 33(Estatuto do Refugiado). Reconhecimento do status de refugiado do extraditando. por decisão do comitê nacional para refugiados .474/97. Pedido de extradição não conhecido. por definição.

Presidiu o julgamento o Senhor Ministro Gilmar Mendes (Vice-Presidente). Plenário. 21.5. na qual se compreende a prática de eventuais crimes contra a pessoa ou contra o patrimônio no contexto de um fato de rebelião de motivação política (Ext. o Tribunal. Decisão Vencido o Relator. Caso em que de qualquer sorte.2007. entendeu pelo não-conhecimento da extradição.03. 493). Falou pelo extraditando o Dr. julgando extinto o processo e determinando a expedição de alvará de soltura. incidiria a proibição constitucional da extradição por crime político. Ulisses Borges de Resende. Licenciada a Senhora Ministra Ellen Gracie (Presidente). por maioria. . Redigirá o acórdão o Senhor Ministro Sepúlveda Pertence.

STF – EXTRADIÇÃO : Ext 1298 DF Dados Gerais Processo: Ext 1298 DF Relator(a): Min. 1ª Turma. Presidência do Senhor Ministro Luiz Fux. 91da Lei nº 6. PRESCRIÇÃO.815/1980 (Estatuto dos Estrangeiros) e do Tratado de Extradição específico. Pedido de extradição formulado pelo Governo da Espanha que atende aos requisitos da Lei nº 6. nos termos do voto da Relatora. DUPLA INCRIMINAÇÃO. Extradição deferida. 4. Unânime. 231do Código Penal. CORRESPONDÊNCIA COM OS CRIMES DE TRÁFICO INTERNACIONAL DE PESSOA PARA FIM DE EXPLORAÇÃO SEXUAL E DE SEQUESTRO E CÁRCERE PRIVADO. 8. Não ocorrência de prescrição e inexistência de óbices legais. Decisão A Turma deferiu o pedido de extradição.10. NÃO OCORRÊNCIA. Dupla incriminação atendida.815/1980. 3. INEXISTÊNCIA DE ÓBICES LEGAIS À EXTRADIÇÃO. . O compromisso de detração da pena. CRIMES DE PROSTITUIÇÃO E DETENÇÃO ILEGAL. Crime de detenção ilegal que se amolda ao crime de sequestro e cárcere privado do art. 5. 148 do mesmo diploma. O mesmo é válido para os demais compromissos previstos no art. 2. deve ser assumido antes da entrega do preso. Crime de prostituição que corresponde ao crime de tráfico internacional de pessoa para fim de exploração sexual do art. considerando o período de prisão decorrente da extradição. ENTREGA CONDICIONADA À ASSUNÇÃO DE COMPROMISSO QUANTO À DETRAÇÃO DA PENA.2013. ROSA WEBER Julgamento: 08/10/2013 Órgão Julgador: Primeira Turma Publicação: ACÓRDÃO ELETRÔNICO DJe-210 DIVULG 22-10-2013 PUBLIC 23-10-2013 Parte(s): GOVERNO DA ESPANHA JUAN CARLOS GARCIA DOMINGUEZ HEVERTON ANDRADE FERREIRA Ementa EMENTA EXTRADIÇÃO. 1. não obstando a concessão da extradição.

EXTRADIÇÃO : Ext 1251 ** Extradição instrutória. O fato de o extraditando ter filho brasileiro não constitui óbice ao deferimento da extradição. 7. nos termos do voto do Relator. o Senhor Ministro Ricardo Lewandowski. deferiu a extradição. 04. GILMAR MENDES Julgamento: 04/06/2013 Órgão Julgador: Segunda Turma Publicação: AC?RD?O ELETR?NICO DJe-117 DIVULG 18-06-2013 PUBLIC 19-06-2013 GOVERNO DA FRANÇA CHADI NASSAR Parte(s): CLAYTON WESLEY DE FREITAS BEZERRA LUIZ EDUARDO GREENHALGH Ementa Extradição instrutória. o Senhor Ministro Celso de Mello. justificadamente.06. contrabando e formação de quadrilha. 6. Alegações de insuficiência de provas da participação do estrangeiro nos fatos delituosos e de julgamento à revelia devem ser suscitadas perante a Justiça francesa. Superveniência de sentença condenatória com aplicação de pena de 10 anos de reclusão. Crimes de tráfico internacional de entorpecentes. Pedido deferido. deste julgamento.9 meses atrás 0 ResumoEmenta para Citação Andamento do Processo Dados Gerais Processo: Ext 1251 ** Relator(a): Min. Atendimento dos requisitos formais. 3. por unanimidade. 2. 4. .2013. Não participou. Dupla tipicidade e punibilidade. 5.STF . justificadamente. Possibilidade de conversão da extradição instrutória em extradição executória. Sistema de contenciosidade limitada peculiar ao processo de extradição. 2ª Turma. Ausente. Decisão Decisão: A Turma. Salvar • 0 comentários • Imprimir • Reportar Publicado por Supremo Tribunal Federal .

GOVERNO DE PORTUGAL. Salvar • 0 comentários • Imprimir • Reportar Publicado por Supremo Tribunal Federal . O Tratado de Extradição firmado entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República Portuguesa. em seu artigo XIII. que “ a pessoa detida para efeito de extradição pode declarar que consente com sua entrega imediata à parte requerente e que renuncia ao processo judicial de extradição.STF . Nos termos da jurisprudência do STF em situação análoga (Ext 1144.09. prevê.815/80).325/94. PRESSUPOSTOS E REQUISITOS ATENDIDOS. No caso. promulgado pelo Decreto 1. é o da Lei 6. entre nós. foi dispensado o interrogatório. prevê o Tratado um procedimento especial. deferiu a extradição do cidadão português Antônio Manuel Gonçalves Mendes e determinou. Atendidos os pressupostos e requisitos próprios. adotar o procedimento especial previsto no Tratado. que a ordem seja cumprida de imediato. Em casos tais. GOVERNO DE PORTUGAL. . estando detido. PRESSUPOSTOS E REQUISITOS ATENDIDOS.EXTRADIÇÃO : Ext 1304 DF Ementa: EXTRADIÇÃO. EXTRADIÇÃO DEFERIDA. em substituição ao processo extradicional comum (que. nos termos do voto do Relator. DJ de 20. apresentou formalmente o pedido de extradição voluntária. o Extraditando. EXISTÊNCIA DE TRATADO BILATERAL PREVENDO DE EXTRADIÇÃO VOLUNTÁRIA. 1.7 meses atrás 0 ResumoEmenta para Citação Inteiro Teor (pdf) Andamento do Processo Dados Gerais Processo: Ext 1304 DF Relator(a): Min. DISPENSA DE INTERROGATÓRIO. no caso.2009). independentemente da publicação do acórdão. EXISTÊNCIA DE TRATADO BILATERAL PREVENDO DE EXTRADIÇÃO VOLUNTÁRIA. depois de advertida de que tem direito a este processo” . mais célere. 2. não subsiste razão para. Tendo o procedimento comum sido cumprido em todas as etapas. Decisão A Turma. defere-se o pedido de extradição. EXTRADIÇÃO DEFERIDA. Ellen Gracie. ainda. DISPENSA DE INTERROGATÓRIO. Min.25.06. 2ª Turma. por unanimidade. TEORI ZAVASCKI Julgamento: 25/06/2013 Órgão Julgador: Segunda Turma Publicação: ACÓRDÃO ELETRÔNICO DJe-156 DIVULG 09-08-2013 PUBLIC 12-08-2013 GOVERNO DE PORTUGAL ANTÓNIO MANUEL GONÇALVES MENDES OU ANTÓNIO GONÇALVES MENDES Parte(s): BIEVENIDO SANDRO ANDRADE FIUZA ISMAEL BARBOSA DE SOUSA Ementa Ementa: EXTRADIÇÃO.2013.

4 anos atrás 0 ResumoEmenta para Citação Anúncios do Google Baixar Livro Grátis Em Pdf iba. EXTRADIÇÃO . define-se a preferência na extradição pelas datas dos pedidos formulados. presente a norma do artigo 75 do Código Penal e.CRIME DE QUADRILHA . o Senhor Ministro Menezes Direito. n. A circunstância de o extraditando ter contra si processo-crime no Judiciário brasileiro não obstaculiza a extradição. e.STF . 369. incumbe ter como de boa origem o pedido de extradição. o fato de o artigo 288 do Código Penal exigir. licenciado. Existindo duplicidade de pedido. e prejudicado o pedido na Extradição 1. EXTRADIÇÃO .PRISÃO PERPÉTUA. No deferimento da extradição. 346-357 LEXSTF v. a associação de mais de três pessoas. Ausentes.EXTRADIÇÃO.DUPLICIDADE DE PEDIDO. o Senhor .br Os Melhores Livros Estão no iba.093-0. 345-356 GOVERNO DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA PABLO JOAQUIM RAYO MONTANO OU PABLO JOAQUIN RAYO MONTANO OU PABLO RAYO Parte(s): MONTANO OU DON PA OU EL TIO OU EL LOCO MARCUS VINÍCIUS CAMILO LINHARES E OUTRO(A/S) MILTON FERNANDO TALZI Ementa PROCESSO-CRIME .com. quanto ao crime de conspiração para o tráfico de entorpecentes. sendo idênticas as penas previstas para os tipos. Baixe e Leia Agora! Inteiro Teor (pdf) Andamento do Processo Dados Gerais Processo: Ext 1051 Relator(a): Min. por unanimidade e nos termos do voto do Relator. Decisão O Tribunal. 2009. portanto.051-4. 31. Impõe-se a observância da dupla tipicidade e. p. n. prevalecendo aquele formalizado em primeiro lugar. 31.CONSPIRAÇÃO .EXTRADIÇÃO : Ext 1051 PROCESSO-CRIME . EXTRADIÇÃO . Salvar • 0 comentários • Imprimir • Reportar Publicado por Supremo Tribunal Federal . a impossibilidade de o extraditando cumprir pena perpétua cerceadora da liberdade de ir e vir. deferiu em parte o pedido formulado na Extradição 1.COMPETÊNCIA .EXTRADIÇÃO. 2009. para a configuração do crime de quadrilha ou bando.COMPETÊNCIA .DUPLA TIPICIDADE .PROCESSO-CRIME EM CURSO NO BRASIL. p. Compre. justificadamente. deve-se impor cláusula. a Senhora Ministra Ellen Gracie.LAVAGEM DE RECURSOS. neste julgamento. assim. MARCO AURÉLIO Julgamento: 21/05/2009 Órgão Julgador: Tribunal Pleno Publicação: DJe-148 DIVULG 06-08-2009 PUBLIC 07-08-2009 EMENT VOL-02368-01 PP-00063 LEXSTF v. Havendo notícia de prática delituosa voltada a introduzir tóxico no território do Governo requerente. EXTRADIÇÃO . 368.

2009. segundo a sua conveniência e oportunidade.05. Presidiu o julgamento o Senhor Ministro Cezar Peluso (Vice-Presidente). Acórdão que deu pela presença dos elementos autorizativos da extradição instrutória.Ministro Gilmar Mendes (Presidente). As supostas irregularidades apontadas pela defesa técnica neste recurso foram rechaçadas pelo acórdão embargado. da relatoria do ministro Março Aurélio). Salvar • 0 comentários • Imprimir • Reportar Publicado por Supremo Tribunal Federal .com. PRETENDIDO EFEITO INFRINGENTE . Na LFG Você é Aprovado. sobre a . EMBARGOS DESPROVIDOS . O objetivo real do embargante é reexaminar o mérito do pedido extradicional. nos termos da pacífica jurisprudência deste nosso Tribunal (Exts 947-ED. PRETENDIDO EFEITO INFRINGENTE . 1. ALEGADAS OMISS ÕES NO AC ÓRDÃO EMBARGADO .VIDE EMENTA STF . as normas que se contêm no Estatuto do Estrangeiroautorizam ao Presidente da República decidir. 936-ED. Isso porque. AUS ÊNCIA DE IRREGULARIDADES NO AC ÓRDÃO EMBARGADO . EXTRADI Ç ÃO. Plenário. 720-ED).br Curso Preparatório para Exame OAB. ALEGADAS OMISS ÕES NO AC ÓRDÃO EMBARGADO . EMBARGOS DESPROVIDOS . Não há como acolher o pedido de impedir a execução desta extradição até o cumprimento das “ penas para as quais está condenado e aquelas que porventura lhe venham a ser impostas” . Milton Fernando Talzi. NA EXTRADIÇÃO : Ext 1153 E MENTA: EMBARGOS DE DECLARA Ç ÃO.DECL. Inscreva-se Inteiro Teor (pdf) Andamento do Processo Dados Gerais Processo: Ext 1153 Relator(a): Min. Falou pelo extraditando o Dr. a título de amostragem a Ext 758.lfg. Finalidade para a qual não se prestam os embargos de declaração.EMB. 2. AYRES BRITTO Julgamento: 17/12/2010 Órgão Julgador: Tribunal Pleno Publicação: DJe-034 DIVULG 18-02-2011 PUBLIC 21-02-2011 EMENT VOL-02467-01 PP-00001 MIN. AYRES BRITTO GOVERNO DO URUGUAI Parte(s): ERNESTO ANDRÉ VARGAS VILLANUEVA LUIS EDUARDO DE LA ROSA D'AVILA Ementa E MENTA: EMBARGOS DE DECLARA Ç ÃO. AUS ÊNCIA DE IRREGULARIDADES NO AC ÓRDÃO EMBARGADO . na linha da jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (confira-se. EXTRADI Ç ÃO. Resumo Estruturado . 21.3 anos atrás 0 ResumoEmenta para Citação Anúncios do Google Curso Preparatório p/ OAB www.

que avaliará se poderá o requerido ser extraditado antes do término da persecução penal no Brasil. 17. Equivale a dizer: considerando que o extraditando responde a uma outra ação penal aqui no Brasil. Resumo Estruturado AGUARDANDO INDEXAÇÃO . os Senhores Ministros Celso de Mello e Gilmar Mendes. 3. por unanimidade e nos termos do voto do Relator.imediata entrega do estrangeiro requestado. Embargos de declaração desprovidos. rejeitou os embargos de declaração. Presidiu o julgamento o Senhor Ministro Cezar Peluso. Ausentes. neste julgamento. Decisão Decisão: O Tribunal.2010.12. a decisão sobre a imediata entrega será submetida ao juízo de conveniência e oportunidade do Presidente da República.Plenário.