Você está na página 1de 4

Palmas, 08 de abril de 2014 EXECUÇÃO NO PROCESSO COLETIVO Prova: 22/04 Trabalho: 29/04 Conceitos e diferenças Direitos individuais homogêneos difusos e coletivos

Sobre ação coletiva: falar sobre Ação Civil Pública, Ação Popular, Mandado de Segurança Coletivo, Improbidade Administrativa (falar sobre uma delas). 8 folhas manuscrito, pode entregar antes da data

 Se for de fazer ou não fazer  Se for de dar segue o rito do artigo 461 do CPC  Se for de pagar, divide-se em duas partes: a) Regime jurídico da pretensão coletiva: A legitimidade é do autor da coletiva, se o autor não executar qualquer outro legitimado pode executar e se ninguém executar deve o MP executar. O dinheiro da execução coletiva vai para quem? Depende, se for ação de improbidade administrativa, o dinheiro vai para a PJ lesada. Nos demais casos, existe um Fundo de Direitos Difusos (FDD). A previsão deste Fundo está no art. 13 da Lei 7347/85 da ACP. Depende da natureza da sentença para direcionar o dinheiro para o Fundo, existe dos Municípios, dos Estados, DF. - difusos coletivos: liquidação da execução da pretensão coletiva – art. 15 da Lei da ACP. - liquidação da pretensão individual decorrente art. 103 e 104 CDC: A legitimidade é da vítima e eventuais sucessores. A competência pode ser o juízo da condenação ou o domicílio do autor. Art. 101, I CDC. b) Regime jurídico dos direito individuais homogêneos - liquidação da pretensão individual correspondente – art. 97 CDC. A legitimidade é das vítimas e eventuais sucessores. A competência pode ser o juízo da condenação ou o domicílio do autor. - liquidação da execução coletiva da pretensão correspondente – art. 98 CDC. Os legitimados coletivos poderão ingressar com a ação de execução coletiva da pretensão individual porque em tese possui mais “força” para tanto. É como se o legitimado fornecesse uma procuração àqueles que podem ingressar com a ação coletiva (MP, Defensoria Pública etc.). - liquidação e execução da pretensão coletiva residual – art. 100 CDC. Os legitimados são os previstos no art. 5º da Lei da ACP. O destinatário do dinheiro é o Fundo e é proposto no Juízo da condenação.

FIM DA TEORIA GERAL DO PROCESSO COLETIVO AÇÃO CIVIL PÚBLICA a) Generalidades Diz que o prazo seria de 5 anos por aplicação integrativa da Lei da Ação . V – ordem econômica. §1º da Lei 6938/81. e numa segunda acepção ACP seria qualquer ação não penal ajuizada pelo MP ou afins para tutela dos direito meta individuais. Essas ações deveriam ser obrigatoriamente não penais. julgado das revisões do plano de saúde. ou coletivo. O STJ interpreta o art. mas a devolução do dinheiro não prescreve.Previsão legal: surgiu no art. ao patrimônio público não prescrevem. ação anulatória de casamento. III. ou individual homogêneo. 21 prevê prescrição em 5 anos. histórico. A regulamentação e a consolidação vieram em um segundo momento da Lei 7347/85 (Lei da ACP) e na CF no art. que trata da Política Nacional do Meio Ambiente. Na ACP há divergência. 37.PRESCRIÇÃO É a reparação dos danos ao erário. 470 do STJ: o MP não tem legitimidade para pleitear em ACP a indenização decorrente do DPVAT. 329 do STJ: o MP tem legitimidade para propor a ACP em defesa do patrimônio público. 23 da Lei de Improbidade). §5º da CF. b) Entende que o prazo de prescrição segue o direito material.Existe apenas 3 súmulas sobre ACP. Ação civil ex delito. turístico e paisagístico. 14. Existem duas posições: a) Popular. Na ação popular o art. IV – a qualquer outro interesse difuso. As sanções da improbidade administrativa prescrevem. porque a Lei não prevê. Na improbidade administrativa a prescrição também é de 5 anos (art. ou ressarcitória dos seguintes interesses e direitos meta individuais: I – meio ambiente. são elas: 643 do STF: o MP tem legitimidade para propor a ACP cujo fundamento seja a ilegalidade de reajuste de mensalidades escolares. ***PROVA . II – consumidor. estético. . Ex. b) Objeto tutelado na ACP É a tutela preventiva inibitória ou de remoção do ilícito. III – bens e direitos de valor artístico.Com relação à nomenclatura (nome): numa primeira acepção ACP seria qualquer ação ajuizada pelo MP ou afins. . 129. Ainda posteriormente ao CDC que potencializou a ACP.

VI – ordem urbanística. I – MEIO AMBIENTE No que se refere ao MA os autores falam em quatro tipos: a) MA Natural: art. Tutela preventiva: busca evitar a ocorrência do ilícito. visual etc. d) MA do Trabalho: se dá na constância das relações de emprego. Não deve ser vinculada somente ao dinheiro. 3º da Lei 6938/81 (de Política Nacional do MA) – flora. c) MA Cultural: relacionado à cultura do povo – Cristo Redentor RJ. tendo em vista que é sinônimo da reparação do dano. Tem alguns autores que jogam este item no MA Artificial. O termo deveria ser tutela reparatória. Pelourinho na Bahia. b) MA Artificial: que é o MA das Cidades. por obra humana. se relaciona com o patrimônio histórico e cultural. Tutela ressarcitória: pressupõe o dano. engloba a ordem urbanística – poluição sonora. . visa ressarcir o prejuízo causado. fauna. Pode ser inibitória ou de remoção do ilícito.

a b D D E D B B D E rafaelsohnfischer@gmail. 2.Questionário de fixação do conteúdo da prova de quinta Responsabilidade Civil Conferir na internet para verificar se estão corretas 1. 10. 3. 9. 7. 6.com . 5. 4. 8.