Você está na página 1de 8

Errata

Livro As Últimas do Português – volume I – 3ª edição Autor: Décio Sena

Caro leitor

Devido a conflito entre softwares na diagramação, alguns termos sublinhados foram impressos sem o grifo. Por isso, disponibilizamos esta errata com as questões corri- gidas, para que o entendimento delas não fique prejudicado.

Obrigado e bom estudo!

03) (Fundação Carlos Chagas – IPEA) Na frase Preferimos confiar e acre-

ditar nas coisas

ao mesmo tempo, dois verbos que têm a mesma regência: confiar em, acreditar em. Do mesmo modo, está também correta a seguinte cons- trução: Preferimos

, a expressão sublinhada complementa corretamente,

a) nos desviar e evitar as coisas

b) nos contrapor e resistir às coisas

c) ignorar e desconfiar das coisas

d) subestimar e descuidar das coisas

e) não suspeitar e negligenciar as coisas

04) (Fundação Carlos Chagas – IPEA) Ambos os elementos sublinhados estão empregados de modo correto na frase:

a) Quando penso em fazer algo de que ninguém tenha ainda experimentado, arrisco-me a colher as desventuras com que me alertaram meus pais.

b) A autoridade dos pais, pela qual os adolescentes costumam se esquivar, não deve ser imposta aos jovens, cuja a reação tende a ser mais e mais libertá- ria.

c) Nas sociedades mais antigas, em cujas venerava-se a sabedoria dos ancestrais, não se manifestava qualquer repulsa com os valores tradicionais.

d) Os pais experientes, a cujas recomendações o adolescente não costuma estar atento, não devem esmorecer diante das reações rebeldes.

e) A autoridade da experiência, na qual os pais julgam estar imbuídos, costuma mobilizar os filhos em buscar seu próprio caminho.

da experiência, na qual os pais julgam estar imbuídos, costuma mobilizar os filhos em buscar seu

10) (Analista Judiciário/Tribunal Regional Federal/FCC) Está correto o emprego da expressão sublinhada na frase:

a) Os vilões de Shakespeare, cujas falas incomodavam o público, por vezes mereciam deste violentos revides.

b) Intervenções do público ameaçavam comprometer a trama, aonde seus fios eram expostos aos gritos por um espectador mais afoito.

c) Esta é uma peça cujos os atores optaram por estabelecer um desempenho interativo, contando com o máximo interesse do público.

d) O temor do autor do texto deve-se à possibilidade que ele venha a ser levado à força ao palco.

e) Ao tempo de Shakespeare, em cujo as peças eram levadas diante de um grande público, eram comuns as réplicas do auditório.

11) (Analista Judiciário/Especialidade: Arquivologia/TRT/FCC) Na frase Admite-se uma cesta de bens e serviços à qual todo mundo deveria ter acesso, o segmento sublinhado pode ser corretamente substituído, sem prejuízo de sentido, por:

a) a que todos deveriam ser acessíveis.

b) para a qual todo mundo estaria disponível.

c) cujo alcance fosse possível a todos.

d) de cuja todos pudessem ter acesso.

e) pela qual todo mundo poderia contar.

15 a 19) (Técnico Judiciário/TJ-MG/FUMARC) Responda às questões de

15 a 19, tendo em vista a regência das palavras sublinhadas. Assinale

para cada questão:

a) se apenas I e II estiverem corretas;

b) se apenas I e III estiverem corretas;

c) se apenas II e III estiverem corretas;

d) se I, II e III estiverem corretas.

15)

I. Referentemente ao assunto, não houve mais o que discutir.

II. Sua obediência aos pais foi determinante na avaliação dos juízes.

III. O filme certamente é impróprio para menores de 18 anos.

16)

I. Procedemos à leitura da ata, tão logo retornamos.

II. Os convidados não puderam aspirar ao perfume dos vasos no salão.

III. Convidei-os para meus representantes na próxima reunião.

2

17)

I. Os americanos não perdoaram as barbaridades cometidas.

II. Informaram os candidatos da importância dos documentos.

III.

A cena à qual assistiram chegou a ser grotesca.

18)

I. Custou-lhe bastante avaliar as questões de família.

II. Os atos terroristas implicaram a desconfiança das nações.

III. Ninguém comunicou as mulheres o desaparecimento de seus fi- lhos

19)

I. Quando chegamos ao colégio, as aulas já estavam suspensas.

II. Os filhos só lhes obedecem porque têm medo de sua reação.

III. Ninguém lhes avisou da necessidade de novos ajustes.

26) (Oficial de Justiça Avaliador/TRT/ACCESS) Os termos sublinhados foram CORRETAMENTE substituídos por um pronome pessoal, EXCETO na frase da alternativa:

a) Deixaram as chaves no carro.

Deixaram-nas no carro.

b) Comuniquei o fato ao diretor ontem.

Comuniquei o fato a ele ontem.

c) Já pagaram ao empregado o salário?

Já pagaram-no o salário?

d) Ele tem de permitir a saída do carro.

Ele tem de permiti-la.

e) Pusemos o livro na estante.

Pusemo-lo na estante.

27) (Agente de Segurança Judiciária/TRT/ACCESS) Segundo a norma culta, há ERRO de regência com o verbo sublinhado na alternativa:

a) Eu devo obedecer ao meu amigo.

b) Esqueci-me do nome dele.

c) Ao falarem de Imortalidade disse que aspirava a ela.

d) Prefiro ouvir música do que ver televisão.

e) Os deputados acusados já não podiam renunciar a seus mandatos.

3

31) (Auxiliar Judiciário/Tribunal de Alçada Criminal/FESP) “Eis o motivo profundo pelo qual as favelas seguem – e prosseguem.” Sem alteração de sentido, a expressão sublinhada acima pode ser subs- tituída por:

a) como

b) porque

c) pelo que

d) por que

e) por onde

32) (Técnico Judiciário-Área FIM/TRT/FESP) De acordo com a norma culta, a regência do verbo sublinhado está incorreta em:

a)

O

sucesso, quem não o aspira?

b)

Ele prefere ser preso a ir para a guerra.

c)

Os objetivos a que eles visam são torpes.

d)

Você assistiu a todos os jogos do Flamengo?

e)

Ninguém tinha coragem de desobedecer a ele.

33) (Técnico Judiciário-Área FIM/TRT/FESP) Há erro no emprego do pronome sublinhado, de acordo com a regência verbal, em:

a) Os cheques que ele visava eram de outra agência.

b) Os prêmios a que ele aspirava não serão concedidos.

c) São várias as cláusulas do contrato das quais ele desconfia.

d) Os programas a cuja elaboração ele assistira foram elogiados.

e) As propostas que o advogado se refere não explicitam as condições de venda.

47) (Auxiliar Judiciário/TRE/FESP) Das alternativas abaixo, a que apre- senta o termo sublinhado substituído, incorretamente, por um pronome pessoal é:

a) Basta seguir o exemplo do Supremo.

Basta seguir-lhe.

b) Lembremos o caso da nomeação de parentes.

Lembremo-lo.

c) Os magistrados solicitaram recursos extras ao Tesouro.

Os magistrados solicitaram-nos ao Tesouro.

d) Os juízes tentaram repor as perdas do plano Bresser.

Os juízes tentaram repô-las.

e) julgamento do mérito da ação talvez acate a acusação do Procurador-Geral.

O

O

julgamento do mérito da ação talvez a acate.

4

48) (Auxiliar Judiciário/TRE/FESP) Há erro no emprego do pronome relativo sublinhado (preposicionado ou não) na seguinte frase:

a)

Desconheço a artista de que falas.

b)

Este é o livro de cujo autor ele faz alusão.

c)

Os crimes pelos quais ele foi julgado eram antigos.

d)

O

juiz de cujas sentenças ele recorreu vai entrar de licença.

e)

As decisões do STF às quais ele se referia eram todas de grande utilidade.

50) (Auxiliar Judiciário/TRE/FESP) De acordo com a norma culta, há erro de regência, quanto ao verbo sublinhado, em:

a) Quem ofende, não perdoa.

b) Não devemos chamá-lo de herói.

c) preciso informar-lhes da nova legislação.

d) diretor não queria visar aquele documento.

e) Os candidatos aspiravam a um cargo mais elevado.

É

O

que a percebe apenas como

meio de ascensão social

A forma sublinhada é do pronome pessoal oblíquo átono de terceira pessoa. Que frase a seguir usa indevidamente um dos pronomes destacados?

59) (Taquígrafo/Câmara Municipal/FJG) “ ”

a)

Não lhe agrada semelhante profecia?

b)

A

resposta do professor não o satisfez.

c)

Ajudá-lo-ei a preparar as aulas.

d)

O poeta assistiu-a nas horas amargas.

e)

Eu lhe lembrarei das datas.

68) (Caixa Econômica Federal/FCC) Do século XVII ao XX circulou na Eu- ropa, com bastante intensidade, o mito de uma arcádia campestre. Muitos escritores ingleses sustentaram também esse mito durante séculos; os textos desses autores ingleses são até hoje bastante populares.

Reescrevendo-se o segundo período e substituindo-se os termos grifados acima por pronomes correspondentes, obtém-se corretamente:

a) Muitos escritores ingleses, os quais textos são até hoje bastante populares,

o sustentaram também durante séculos.

b) Muitos escritores ingleses, cujos textos são até hoje bastante populares, sustentaram-lhe também durante séculos.

c) Muitos escritores ingleses, cujos os textos são até hoje bastante populares, sustentaram-no também durante séculos.

d) Muitos escritores ingleses, cujos textos são até hoje bastante populares, sustentaram-no também durante séculos.

e) Muitos escritores ingleses, que os textos deles são até hoje bastante popu- lares, sustentaram-lhe também durante séculos.

5

69) (Oficial de Justiça/TJ-Santos-SP/Empasial-SP) Em todas as opções, a expressão destacada está empregada correta- mente, conforme as normas cultas da língua padrão, exceto em :

a) O verso a que se refere o poeta é mais belo, mais variado e mais imprevisto.

b) Acataremos as ordens do Presidente, de cuja probidade não temos o direito de duvidar.

c) Encontrei um amigo de infância cujo nome não me lembrava.

d) Aqui está a foto a que me referi.

e) O projeto a que estão dando andamento é incompatível com as tradições da firma.

90) (Auditor Tributário do Distrito Federal/FCC) Está correto o emprego da expressão sublinhada na frase:

a) É preferível de que haja menos autoritarismo.

b) A alternativa a cuja jamais se deveria recorrer é a do autoritarismo.

c) É grande a perplexidade de que estão tomados os latino-americanos.

d) É formidável a avenida por cuja podem trilhar os aventureiros de sempre.

e) Grande é o dilema com o qual vem experimentando a opinião pública brasi- leira.

97) (Analista de Informações/Presidência da República/CESPE/UnB) Leia o texto seguinte, em que algumas ocorrências da preposição de estão sublinhadas, na forma de contração ou não.

Políticos e jornalistas condicionam-se mutuamente. Se um quer, o ou- tro acaba aceitando de (A) que a verdadeira questão é a briga político- eleitoral, e assim o assunto aparecerá na primeira página, travestido de (B) “grave crise”, quando, na verdade, na maioria dos casos não passa de uma bolha de sabão – uma fantasia destinada a ser esquecida na próxima esquina, ou uma previsão equivocada. Com isso, a imprensa ajuda a fixar a idéia de (C) que a esfera política é principalmente uma arena onde políticos ambiciosos lutam pelo domínio, e a tornar ainda mais distante a noção do (D) que deveria ser: uma estrutura na qual os cidadãos tratem dos (E) problemas coletivos. Roberto Pompeu de Toledo, VEJA, 1/4/98 (com adaptações).

Assinale a opção que corresponde ao emprego incorreto da preposição, segundo as regras de regência da norma culta.

a) (A)

b) (B)

c) (C)

d) (D)

e) (E)

6

99) (Analista Judiciário-Execução de Mandado/TRF/UFRJ) No trecho “Grave e solitário, o tronco vive num estado de impermeabilidade ao som, a que os humanos só atingem por alguns instantes.”, é opcional a ocorrência da preposição “a” antes do complemento do verbo ATINGIR, pois este verbo pode ser transitivo direto ou transitivo indireto no padrão culto escrito. A mesma dupla regência só é admissível em:

a) Ele era um escritor que desdenhava a fama a que aspiravam seus compatriotas;

b) A solução a que os médicos recorreram produziu resultados animadores;

c) A igreja a que me refiro foi construída no século XVII;

d) A unificação do objetivo a que visavam seus integrantes explica o sucesso da equipe;

e) Este é uma tese a que muitas pessoas preferem aderir por pura comodidade.

7