Você está na página 1de 17

Análise de dados qualitativos

Graham Gibbs

Laboratório de Pesquisa Profas. Claudia B M Abreu e Lucila Pesce

A ideia de análise sugere algum tipo de transformação

Processar dados (muitas vezes volumosos) por meio de procedimentos analíticos com o objetivo de produzir uma análise clara, compreensível, criteriosa, confiável e até original

Dados qualitativos:

Entrevistas individuais ou grupos focais e suas transcrições, Observação participante, Correio eletrônico, Páginas de internet, Propaganda: impressa, filmada ou televisionada, Gravações de vídeo, Documentos, Diários, Chats na internet Fotografias, Filmes, Vídeos

ATENÇÃO - O tipo mais comum de dado qualitativo usado em análise é o texto,
ATENÇÃO - O tipo mais comum de dado qualitativo usado em análise é o texto,
que pode ser uma transcrição de entrevistas ou notas de campo ou tipos de
documentos

Na pesquisa qualitativa, há uma forte ênfase na exploração da natureza de um determinado fenômeno. A preocupação com o individuo (pessoa, lugar, evento, contexto etc.) costuma se manifestar no exame de estudos de caso.

Metodologia

Descrição rica: muitas vezes o que se descreve é novo ou esquecido ou ignorado. A descrição é detalhada e contribui para uma compreensão e uma eventual análise do contexto estudado. Segundo Geertz, é uma descrição ‘densa’, ou seja, uma descrição que demonstre a riqueza do que está acontecendo e enfatiza a forma como isso envolve as intenções e estratégias das pessoas. A partir dessa descrição pode-se dar um passo adiante e oferecer uma explicação para o que está acontecendo.

Indução e dedução: há 2 lógicas contrastante de explicação, a pesquisa qualitativa usa as duas

Indução: é a produção e a justificação de uma explicação geral com base em acúmulo de grandes quantidades de circunstâncias específicas, mas semelhantes.

Dedução: uma determinada situação se explica pela dedução a partir de um enunciado sobre as circunstâncias. Grande parte da pesquisa quantitativa é dedutiva em sua abordagem.

Preparação dos dados

1.

Transcrição

tempo: cerca de 4 a 6 vezes o tempo envolvido na coleta

Dica: tente transcrever “pouco a pouco e com frequência”
Dica: tente transcrever “pouco a pouco e com frequência”

Nem sempre a transcrição é necessária, depende muito do tipo de análise que será realizada . Alguns pesquisadores defendem a análise direta de uma gravação em vídeo ou áudio, pois assim há probabilidade de olhar o todo e não se prender a detalhes do que foi dito Sempre é melhor realizar sua transcrição pessoalmente, pois já conhece o tema e os erros serão menores e também porque pode iniciar insights para a análise Estratégias de transcrição: literal ou partes dela Transcrições organizadas e escritas na forma mais usual é muito mais fácil de ler e de analisar, desde que a desorganização da fala e o uso de linguagem não estejam diretamente relacionados com seu objeto de investigação

Abreviações : faça uma tabela Pausas: usar ( ) Repetições: quero dizer, ou seja, outro
Abreviações : faça uma tabela
Pausas: usar (
)
Repetições: quero dizer, ou seja, outro modo de dizer, o que eu quero dizer
Após
a
transcrição
da
entrevista,
é
possível
mostrá-la
aos
respondentes
para

verificação e análise na cópia impressa

2. Notas de campo

As notas de campo são anotações contemporâneas realizadas no ambiente de pesquisa, podem ser produzidas no campo ou logo após sair dele. Você deve registrar o mais rápido possível e separar suas anotações em:

o registro do que aconteceu, ou seja, a descrição de coisas que ocorreram o registro de suas próprias ações, perguntas e reflexões sobre o que aconteceu

CÓDIGOS E CODIFICAÇÃO (Gibbs)

Código: a codificação é uma forma de indexar ou categorizar o texto para estabelecer uma estrutura de ideias temáticas em relação a ele Codificação baseada em conceitos Codificação baseada em dados

CATEGORIAS DE CODIFICAÇÃO (Bogdan e Biklen)

O investigador desenvolve um sistema de codificação para organizar os dados À medida que vai lendo os dados, repetem-se ou destacam-se palavras, frases, padrões de comportamento, formas dos sujeitos pensarem e acontecimentos Algumas abordagens teóricas e disciplinas acadêmicas sugerem determinados esquemas de codoficação

Passos:

1. Percorrer os dados na procura das regularidades e padrões bem como de tópicos presentes nos dados 2. Escreve palavras e frases que representam estes tópicos e padrões

As categorias constituem um meio de classificar os dados descritivos que recolheu de forma a que o material contido num determinado tópico possa ser apartado dos outros dados. As famílias de codificação a seguir podem indicar algumas possibilidades para desenvolver suas categorias de codificação:

Códigos de contexto (ex. descrição da escola/da sala/da residência)

Códigos de definição de situação ( concepções)

Perspectivas tidas pelos sujeitos (normas, jargões técnicos, modos de agir)

Pensamentos dos sujeitos sobre pessoas e objetos (percepções)

Códigos de processos (apontam períodos de tempo, estágios, fases, passagens, passos, carreiras, cronologia)

Códigos de atividade (brincar, estudar, escrever, ler, lanchar)

Códigos de acontecimento (algo particular: desentendimento, despedida)

Códigos de estratégias (estratégias dos professores, dos alunos, dos trabalhadores, dos artistas)

Códigos de relação e estrutura social (organizações formais e informais)

Códigos de métodos (identifica o material pertinente para os procedimentos de investigação, problemas, alegrias, dilemas e coisas semelhantes)

Sistemas de codificação preestabelecidos

Descrições

Escola

Sala de aula

Professor (a)

Crianças

Físico

Localização escola Sua história Descrição física Uso do espaço Equipamentos adequações Paredes Arranjo lugares Organização Resultados escolares Peculiaridades sala

na

Estilo Descrição física História do professor Como atua Dia típico Relação com as crianças Pessoa adicional na sala Uso de materiais Relação com outros colegas

Descrição físicas Descrição acadêmica Modo de vestir Background Relação entre os colegas Dia típico Distribuição na sala

Histórico

População

estudantil

Vizinhança

Professores

e

Distinções

especiais

Reputação

dos

Comunidade

escolar

 

Localização

da

Recapitulando

1. Dados – são os materiais descritivos recolhidos no processo de trabalho de campo ( transcrições de entrevistas, notas de campo, artigos de jornal, dados oficiais, memorandos, documentos)

2. Classificação do material

3. Ordenar os dados: E1 E2 E3; sala A, sala B; PPP 1, PPP 2

4. Leitura do material e categorias de codificação ( autonomia A, resistência R, dependência D)

5. Leia novamente e coloque os códigos no material descritivo

6. Os dados podem também ser apresentados em tabelas, quadros e ilustrações

Muitos confundem, mas existe diferença entre tabelas e quadros.

De acordo com ABNT (2002b, apud FRANÇA, 2003, p. 95) “as tabelas apresentam informações tratadas estatisticamente enquanto que os quadros contêm informações textuais agrupadas em colunas”

As tabelas e os quadros devem conter um título claro e conciso, sem abreviações, localizado acima deles. O título deve indicar, além da natureza do assunto, as abrangências geográfica e temporal dos dados numéricos.

Quadros

É formado por linhas horizontais e verticais, sendo, portanto fechado. Normalmente é usado para apresentar dados secundários, e pode estar ligado ao referencial teórico para explicitar diferentes concepções, apresentar comparações, destaques da legislação entre outros. Apresenta também os resultados da pesquisa, normalmente apresenta resultados qualitativos (textos). O número do quadro e o título vêm acima do quadro, e a fonte, deve vir abaixo, conforme o exemplo:

QUADROS Unifesp Quadros são caracterizados pela disposição do conteúdo em linhas e colunas, cujo teor dos textos e números não recebe tratamento estatístico. Os lados laterais dos quadros são fechados com traços verticais e as colunas são separadas por linhas verticais e horizontais.

Quadro 1 Competências do Profissional

Saberes

Saber agir

Saber mobilizar

Saber comunicar

Saber aprender

Saber comprometer-se

Saber assumir responsabilidades

Ter visão estratégica

Conceituações

Saber o que e por que faz. Saber julgar, escolher e decidir.

Saber mobilizar recursos de pessoas, financeiros, materiais, criando sinergia entre eles

Compreender, processar, transmitir informações e conhecimentos, assegurando o entendimento da mensagem pelo outro.

Trabalhar o conhecimento e a experiência. Rever modelos mentais. Saber desenvolver- se e propiciar o desenvolvimento dos outros.

Saber engajar-se e comprometer-se com os objetivos da organização.

Ser responsável, assumindo riscos e as consequências de suas ações, e ser, por isto, reconhecido.

Conhecer e entender o negócio da organização, seu ambiente, identificando oportunidades e alternativas

Fonte: FLEURY & FLEURY (2001, p.22)

As tabelas consistem em elementos demonstrativos de síntese e unidades autônomas de forma a apresentar informações tratadas estatisticamente. Em sua apresentação devem constar os seguintes elementos, conforme determinado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 1993):

a) ter numeração independente e consecutiva;

b) título colocado na parte superior, precedido pela palavra Tabela e de seu

número de ordem em algarismos arábicos;

c) fontes consultadas para a construção da tabela, bem como notas

eventuais devem aparecer no rodapé, após o fio de fechamento;

d) as tabelas devem ser mencionadas o mais próximo possível do trecho a

que se referem;

e) caso a tabela não caiba em uma folha, deve ser continuada na folha

seguinte e, nesse caso, não é delimitada por traço horizontal na parte inferior, sendo o título e o cabeçalho repetidos na folha seguinte; f) nas tabelas utilizam-se fios horizontais e verticais para separar os títulos das colunas no cabeçalho e fechá-las na parte inferior. Não se deve usar de fios verticais para separar as colunas ou fechar os lados ou fios horizontais para separar as linhas.

1.4 ILUSTRAÇÕES

São exemplos de ilustrações: quadros, lâminas, fotografias, gráficos, organogramas, fluxogramas, esquemas, desenhos, entre outros. Ilustrações são definidas como elementos demonstrativos de síntese que constituem unidades autônomas, nas quais explicam ou complementam visualmente o texto. A identificação das ilustrações deve ocorrer na parte superior precedida da palavra designativa (figura, quadro, fluxograma, entre outros) seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto em algarismos arábicos, travessão e do respectivo título. Conforme a ABNT NBR 14724/2011, “na parte inferior da ilustração deve-se indicar a fonte consultada (elemento obrigatório, mesmo que seja produção do próprio autor (2011, p.11)”, e legendas explicativas se necessário. A ilustração deve ser citada e inserida o mais próximo possível do texto a que se refere.