Você está na página 1de 7

PAVILHÃO MULTIUSOS MUNICIPAL PROJECTO LICENCIAMENTO ARQUITECTURA | MEMÓRIA DESCRITIVA

INTRODUÇÃO

O projecto do Pavilhão Multiusos / Praça da Feira, pela sua escala de intervenção, aproximadamente 25.000m 2 de implantação e pela sua localização central produzirá na cidade de Lamego um forte impacto, que importa desde logo analisar, minimizando os efeitos negativos e potenciando os efeitos positivos. Para que melhor compreendamos a escala da intervenção, mais do que dizer que abrange uma área de 25.000 m2, parece mais relevante estabelecer um paralelo com o Bairro do Castelo, cuja área de implantação será sensivelmente igual à da presente intervenção.

PRINCIPIOS DE INTERVENÇÃO A intervenção proposta, apoia-se num conjunto de princípios e ideias, que permitirão a revitalização de uma área da cidade, em estado expectante, cuja transformação trará uma inegável melhoria de qualidade de vida urbana, materializada na nova oferta de equipamentos e áreas de espaço público.

1. Minimizar o impacto, que a grande volumetria do pavilhão multiusos, terá sobre a cidade, aproveitando os desníveis do terreno, para o integrar na paisagem, tornando-se a sua cobertura num espaço utilizável, tipo praça e o seu alçado principal, numa monumental escadaria.

2. Permitir que o parque urbano, previsto no P.U., se articule directamente com o grande eixo urbano da cidade de Lamego (Nossa Senhora dos Remédios), estabelecendo um contínuo de percursos pedonais/ ciclovias, melhorando de forma decisiva a oferta de espaço público da cidade.

3. Constituir uma grande praça, com carácter multiusos, antecâmara do pavilhão, vocacionada para a realização da feira semanal, mas também aberta a todo o tipo de actividades, beneficiando da escadaria do pavilhão multiusos como anfiteatro, do muro/ edifício comercial como cenário e do magnífico parque do Santuário dos Remédios como enquadramento de fundo.

1

muro/ edifício comercial como cenário e do magnífico parque do Santuário dos Remédios como enquadramento de
muro/ edifício comercial como cenário e do magnífico parque do Santuário dos Remédios como enquadramento de
muro/ edifício comercial como cenário e do magnífico parque do Santuário dos Remédios como enquadramento de
muro/ edifício comercial como cenário e do magnífico parque do Santuário dos Remédios como enquadramento de

PAVILHÃO MULTIUSOS MUNICIPAL PROJECTO LICENCIAMENTO ARQUITECTURA | MEMÓRIA DESCRITIVA

4. Aproveitar a cobertura do pavilhão para criar uma praça, com características de “interface”, permitindo a articulação pedonal entre a praça/feira, o parque urbano, o complexo de piscinas e

o parque de estacionamento automóvel de apoio a estes equipamentos.

5. Integrar o parque urbano com toda a frente construída da cidade a nascente, estabelecendo novos percursos e novas travessias da ribeira do Coura, de forma a que o parque possa “penetrar” na cidade, eliminando o efeito de “traseiras” que este conjunto de edifícios hoje ostenta.

6. Valorizar o edifício distinguido com o prémio Valmor, a nascente da área de intervenção, dos arquitectos Jorge Gigante e Francisco Melo, enquadrando a nova praça e a escadaria do pavilhão multiusos com o seu alçado principal.

7. Encostar o parque de estacionamento automóvel, com capacidade para 201 lugares, ao limite norte do pavilhão multiusos, enterrado sob o arranque do parque urbano, cuja

organização em três pisos permite acessos em ambas as cotas

da área de intervenção.

8. Repensar a estrutura viária envolvente, de forma a que uma intervenção com esta envergadura, não se traduza num agravar das dificuldades da circulação automóvel, mas sim pelo contrário, seja vista como uma oportunidade para abrir novos arruamentos, definir sentidos únicos de trânsito e disciplinar o estacionamento automóvel.

PROGRAMA

O pavilhão multiusos de Lamego terá uma área bruta de construção de

7.933 m2, apoiado por um parque de estacionamento com capacidade

para 201 lugares.

O pavilhão dispõe de quatro acessos diferenciados:

1. Os acessos para o público em geral, a partir da praça da feira, sendo um deles efectuado por rampa;

2

diferenciados: 1. Os acessos para o público em geral, a partir da praça da feira, sendo
diferenciados: 1. Os acessos para o público em geral, a partir da praça da feira, sendo
diferenciados: 1. Os acessos para o público em geral, a partir da praça da feira, sendo
diferenciados: 1. Os acessos para o público em geral, a partir da praça da feira, sendo
diferenciados: 1. Os acessos para o público em geral, a partir da praça da feira, sendo

PAVILHÃO MULTIUSOS MUNICIPAL PROJECTO LICENCIAMENTO ARQUITECTURA | MEMÓRIA DESCRITIVA

2. Um acesso para funcionários, no alçado lateral do pavilhão;

3. Um acesso para os protagonistas dos espectáculos/ eventos a realizar no pavilhão;

4. E dois acessos para cargas e descargas junto à entrada do parque de estacionamento.

O público a partir da praça da feira, desce para um grande átrio, que faz

a distribuição pelas diversas valências do pavilhão. No átrio estão os gabinetes de recepção/ acolhimento, bengaleiros, dois

bares, um auditório para 120 pessoas, instalações sanitárias de apoio geral, e os acessos à nave polivalente.

A nave polivalente, com 2.410 m2 de área, funciona à cota inferior,

permitindo que a partir do átrio se faça o seu perímetro em galeria

superior.

A nave dispondo de um sistema de bancadas telescópicas, permite que

o pavilhão optimize a sua polivalência, permitindo a realização de uma grande diversidade de eventos, que vão desde congressos ou concertos, até todos os eventos desportivos susceptíveis de serem realizados em recinto coberto.

Os funcionários acedem lateralmente ao edifício, tendo no piso zero a área administrativa, com recepção, serviços administrativos, gabinetes e salas de reuniões. No piso 1, uma área mais técnica com a sala de projecção, régie, os gabinetes de tradução simultânea e zonas técnicas de apoio. Os protagonistas dos diversos eventos a decorrer no pavilhão, descem ao piso inferior, onde dispõem de uma área privada de balneários, vestiários, sanitários e camarins com todos os necessários espaços de apoio. Os jornalistas, para além dos espaços delimitados nas galerias dispõem de uma área reservada, ao nível do recinto, com sala de imprensa e sala de conferências de imprensa.

A montagem dos diversos eventos, obriga a uma estrutura independente

de cargas e descargas, que permita o transporte de grandes volumes, à

cota do recinto de jogo, localizada no piso -1. Este acesso será garantido por uma plataforma elevatória com 25 m2 de área, com acesso no alçado lateral do pavilhão, bem como por uma rampa/túnel para acesso directo de veículos pesados ao interior do recinto.

3

lateral do pavilhão, bem como por uma rampa/túnel para acesso directo de veículos pesados ao interior
lateral do pavilhão, bem como por uma rampa/túnel para acesso directo de veículos pesados ao interior
lateral do pavilhão, bem como por uma rampa/túnel para acesso directo de veículos pesados ao interior
lateral do pavilhão, bem como por uma rampa/túnel para acesso directo de veículos pesados ao interior
lateral do pavilhão, bem como por uma rampa/túnel para acesso directo de veículos pesados ao interior

PAVILHÃO MULTIUSOS MUNICIPAL PROJECTO LICENCIAMENTO ARQUITECTURA | MEMÓRIA DESCRITIVA

A cobertura do pavilhão funciona como praça, espaço público de

interface entre a praça da feira, as piscinas e o parque urbano.

Esta praça, pelas necessidades de ventilação e iluminação do pavilhão será pontuada por elementos escultóricos, que ocultam os equipamentos de ventilação e os lanternins de iluminação da nave principal do pavilhão.

A praça da feira, com 11.300 m2 de área, será um espaço polivalente,

que para além de funcionar como espaço público exterior de apoio ao pavilhão, poderá manter a sua tradicional feira semanal, bem como receber um grande número de eventos e actividades ao ar livre, potenciadas pela sua nova configuração e enquadramento arquitectónico e paisagístico. Podemos dizer que a praça se divide em duas áreas distintas: uma zona

arborizada, com uma plantação de árvores ritmada, que permita criar sombras, que convidam à paragem e ao convívio; Uma zona completamente livre, no alinhamento da escadaria do pavilhão, enquadrada pelo muro que define a frente urbana, com características multiusos, permitindo a realização de todo o tipo de eventos ao ar livre, dispondo da escadaria do pavilhão a funcionar como auditório, e tendo a mata do santuário como pano de fundo.

A praça, será servida por um pequeno edifício de comércio e serviços,

com 700 m2 de área. Este edifício, vem colmatar a ausência de frente

urbana, do recinto da feira, funciona em dois pisos e alberga um bar, vários espaços comerciais e instalações sanitárias de apoio.

O parque urbano, remata na praça superior do pavilhão multiusos,

permitindo ligações à cota alta, e cota baixa acompanhando a ribeira do

Coura e ligando à cidade a nascente.

a ribeira do Coura e ligando à cidade a nascente. SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS 1. Pavilhão Multiusos O
a ribeira do Coura e ligando à cidade a nascente. SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS 1. Pavilhão Multiusos O
a ribeira do Coura e ligando à cidade a nascente. SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS 1. Pavilhão Multiusos O

SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS

1. Pavilhão Multiusos

O sistema construtivo adoptado para a construção do pavilhão multiusos, apoia-se na solução tradicional de parede, pilar e laje em betão armado, com excepção da grande nave central, que, devido ao seu vão de 35 metros, será executada num sistema de estrutura metálica ou recorrendo a vigas de betão pré-fabricado.

As alvenarias exteriores, serão constituídas pela alvenaria estrutural em

betão armado, isolamento térmico e revestimento exterior, com

4

serão constituídas pela alvenaria estrutural em betão armado, isolamento térmico e revestimento exterior, com 4

PAVILHÃO MULTIUSOS MUNICIPAL PROJECTO LICENCIAMENTO ARQUITECTURA | MEMÓRIA DESCRITIVA

PROJECTO LICENCIAMENTO ARQUITECTURA | MEMÓRIA DESCRITIVA placagem de granito, com 6 cm de espessura, grampeado à

placagem de granito, com 6 cm de espessura, grampeado à alvenaria de betão. A cobertura, que funcionará como praça, será impermeabilizada com duas telas asfálticas cruzadas, aplicadas sobre a camada de forma. Sobre as telas, será feito o isolamento térmico, com poliestireno exturdido com 4 cm de espessura. O acabamento final varia entre o lajeado de granito com 6m na zona da praça e os degraus em granito maciço na escadaria. Os vãos exteriores serão executados em alumínio anodizado, à cor natural, com vidros duplos. Os lanternins na praça das esculturas serão construídos em alvenaria de bloco de cimento, com isolamento térmico pelo exterior, revestidos a chapa de aço corten. Os espaços interiores, serão compartimentados em alvenaria de tijolo tradicional, com as espessuras definidas nas diversas peças desenhadas do projecto. Os pavimentos interiores serão em betão acabado à talocha mecânica, para pintar a tinta epoxy. No auditório o pavimento será em soalho de madeira de takula para acabar com verniz de polioretano de três componentes. As alvenarias interiores, terão sempre um lambrim até 2 metros, para pintar a tinta epoxy, com a mesma referência do pavimento, sendo o restante pano de alvenaria rebocado e pintado. No auditório o lambrim será executado em madeira, com tábua igual ao pavimento em qualidade e tipo de acabamento. Os tectos serão na sua maioria falsos, em gesso cartonado, com propriedades acústicas, para pintar a tinta plástica. Nas zonas técnicas, os tectos serão directamente estucados para pintar. As esquadrias interiores, conforme a situação serão metálicas, ou em madeira, em ambos os casos para esmaltar. Os volumes autónomos dos bares, recepção, tribunas e comentadores, serão construídos em estrutura metálica autónoma revestidos a chapa de aço, com isolamento acústico no interior. As bancadas telescópicas, funcionarão electricamente em estrutura metálica, com cadeiras em polipropileno, rebatíveis.

5

bancadas telescópicas, funcionarão electricamente em estrutura metálica, com cadeiras em polipropileno, rebatíveis. 5

PAVILHÃO MULTIUSOS MUNICIPAL PROJECTO LICENCIAMENTO ARQUITECTURA | MEMÓRIA DESCRITIVA

PROJECTO LICENCIAMENTO ARQUITECTURA | MEMÓRIA DESCRITIVA PARQUE DE ESTACIONAMENTO O parque de estacionamento será

PARQUE DE ESTACIONAMENTO

O parque de estacionamento será executado em estrutura de betão

armado, com parede contínua e laje maciça.

A cobertura depois de devidamente impermeabilizada, com telas

asfálticas e anti-raizes, será coberta com terra vegetal para relvar e

arborizar. Os pavimentos interiores, serão directamente acabados à talocha mecânica, sobre as lajes de betão armado.

As paredes e os tectos ficarão em betão à vista, com as respectivas pinturas de sinalização.

O parque terá entradas de ventilação natural em todos os pisos,

minorando as necessidades de ventilação mecânica.

As esquadrias interiores serão metálicas para pintar.

EDIFICIO COMERCIAL

Este edifício será executado num sistema estrutural de parede e laje maciça.

A cobertura será do tipo invertida, com camada de forma, telas

asfálticas, isolamento térmico e acabamento a gravilha de granito amarelo. As alvenarias exteriores serão revestidas a capoto, para pintar a cor branca, com lambrim de um metro de altura em chapa de granito amarelo. A compartimentação interior, será feita em alvenaria de tijolo tradicional para rebocar, nas espessuras definidas nas peças desenhadas do projecto de arquitectura. Os pavimentos interiores, serão executados em auto-nivelante epoxy em cor a definir. Os vãos exteriores serão executados em alumínio anodizado à cor natural com vidro duplo. As esquadrias interiores, serão em madeira para esmaltar em cor a definir. Os tectos, consoante as situações, serão falsos em gesso cartonado ou estucados em ambos os casos para pintar.

6

Os tectos, consoante as situações, serão falsos em gesso cartonado ou estucados em ambos os casos

PAVILHÃO MULTIUSOS MUNICIPAL PROJECTO LICENCIAMENTO ARQUITECTURA | MEMÓRIA DESCRITIVA

PROJECTO LICENCIAMENTO ARQUITECTURA | MEMÓRIA DESCRITIVA CAFÉ SOBRE A PRAÇA DAS ESCULTURAS Este edifício,

CAFÉ SOBRE A PRAÇA DAS ESCULTURAS

Este edifício, assume-se como um volume pousado sobre a praça, optando-se assim por uma solução estrutural mais aligeirada, recorrendo a perfis metálicos para pilares e cobertura.

O edifício será integralmente revestido a chapa de aço corten, pelo

interior e exterior, em pavimento, paredes e tectos, com isolamento térmico e acústico, no interior dos painéis.

PRAÇA DA FEIRA

A praça da feira será pavimentada em cubo de granito reaproveitando o actualmente existente.

A marcação dos postos da feira, será feita de uma forma subtil,

recorrendo a barras chatas de ferro, colocadas a cutelo. Toda a praça, será infra-estruturada com abastecimento de água, esgotos e abastecimento de energia eléctrica de forma a que a feira

possa optimizar as suas condições de funcionamento.

Matosinhos, 10 de Agosto de 2007

Pedro Guimarães

arquitecto

7

feira possa optimizar as suas condições de funcionamento. Matosinhos, 10 de Agosto de 2007 Pedro Guimarães