Você está na página 1de 2

FALSO CRENTE

A falsa doutrina é tão perigosa quanto o falso pregador. É impossível separar o falso pregador da falsa
doutrina. Um está para o outro. O falso profeta é o pregador oficial da falsa doutrina.
Quando se diz “falso pregador”, que ninguém entenda ser uma personagem assustadora que fala
abertamente tudo o que é contrário à boa Palavra divina. Muito pelo contrário! O falso pregador é aquele que
tem a extraordinária argúcia de usar corretamente vários textos da Bíblia e torcer o seu contexto. Com sutileza
é capaz de usar “cem textos” sem contexto.
Quando o falso profeta faz isso, ele contamina a doutrina verdadeira. É como se um copo cheio de boa
água recebesse uma gota de veneno.
Todos sabem que o caos da humanidade se deu porque o diabo torceu sutilmente a Palavra de Deus.
Considere que a antiga serpente não negou a existência do Senhor, não negou Seu poder criador, simplesmente
torceu a Verdade com uma maliciosa gota de falsidade. Naquele exato momento desabrocha a falsa doutrina. O
dragão foi o primeiro a colocar veneno na Água do Evangelho da Graça.

Por que o cristão deve ter aversão pela falsa doutrina? Porque o próprio Deus a odeia: “Tenho, todavia,
contra ti algumas coisas, pois que tens aí os que sustentam a doutrina de Balaão... outrossim, também tu tens
os que da mesma forma sustentam a doutrina dos nicolaítas... as quais eu também odeio (Apocalipse
2.14,15;6c).
Os cristãos são exortados a não se deixarem envolver pela falsa doutrina: “não vos deixeis envolver por
doutrinas várias e estranhas...” (Hebreus 13.9) “...não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para
outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que
induzem ao erro”. (Ef 4.14)

Os falsos pregadores, tanto do passado quanto do presente, se deleitam com questões misteriosas,
revelações exclusivas, experiências pessoais, fenômenos extraordinários e são mestres ao adicionarem esses
temas às carências humanas. Os tais, são especialistas em colocar a “gota de veneno” para dar algo mais aos
anseios do coração do homem. É por aí que eles atraem e cativam os seus ouvintes, de tal modo, que é
impossível essas pessoas serem convencidas de que estão sendo enganadas.

Todos devem estar em estado de alerta, porque há muito que não se via tanto falso pregador e tanta
falsa doutrina. É necessário que o filho de Deus “não dê ouvido às palavras dos profetas que entre vós
profetizam e vos enchem de vãs esperanças; falam as visões do seu coração, não o que vem da boca do
SENHOR” (Jeremias 23.16)

É incrivelmente interessante como a falsa doutrina atrai o falso crente. Enquanto o crente verdadeiro
ouve a voz de Cristo, o falso ouve a voz do falso cristo. Enquanto o filho de Deus tem o coração inclinado pelo
Espírito Santo para a Palavra de Deus, o filho das trevas o tem inclinado para o “pai da mentira”.
Você já notou que o falso crente se agrada com a comunhão na congregação, participa calorosamente
das discussões nos grupos de estudo, aprecia as festas organizadas e se regozija intensamente com os cânticos
congregacionais? É verdade! ele participa e se satisfaz com tudo isto, menos com uma coisa: a pregação
expositiva e sistemática da boa doutrina! Aí ele fica impaciente, sonolento, enfadado, distraído, etc. Esse tipo
de “crente” incrédulo é aquele que tem sempre as mesmas dúvidas, faz sempre as mesma perguntas, suas
palavras não têm edificação espiritual e jamais recebe com gratidão as palavras ensinadas pelos pregadores da
Verdade. Ele está sempre questionando com incredulidade. Polemiza teologia, não por amor a Verdade, mas
porque ama o debate. Aprecia citar as palavras dos falsos pregadores, aprende com a maior facilidade o que
dizem os falsos profetas e seguem as suas práticas sem cerimônias.
“Haverá tempo” pregou Paulo “em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de
mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos” (2 Timóteo 4.3). Esses tais
“se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas” (2 Timóteo 4.4).
É verdade! A alma desse “crente” incrédulo se satisfaz na fantasia da falsa doutrina que lhe estimula a
cobiça e vice-versa.
Lamentavelmente a igreja contemporânea está cheia de falsos crentes que amam a falsa doutrina e
adoram os falsos profetas. Por serem tantos em nosso meio, perdemos as nossas características e a autêntica
personalidade cristã.

Eis um axioma: O pregador de falsas doutrinas e os falsos crentes se atraem mutuamente, ambos se
satisfazem no que falam e no que ouvem. Nenhum deles tem prazer na “lei do Senhor”, na sã doutrina.
Por considerar questões doutrinárias como fundamentais e essenciais para a vida cristã, o Espírito Santo
é enfático em relação aos pregadores de falsa doutrina: eles não devem ser acatados. “... se alguém vem ter
convosco e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem lhe deis as boas-vindas”(2 João 1.10). Paulo
clamava: “Rogo-vos, irmãos, que noteis bem aqueles que provocam divisões e escândalos, em desacordo com a
doutrina que aprendestes; afastai-vos deles”... “...porque esses tais não servem a Cristo, nosso Senhor, e sim a
seu próprio ventre; e, com suaves palavras e lisonjas, enganam o coração dos incautos” (Romanos 16.17,18).
Pedro advertia: “e muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da
verdade”(2 Pedro 2.2).

Atenção! Estamos vivendo os últimos dias, eis porquê eles são tantos e a cada dia se multiplicam e “...
enganarão a muitos”. (Mateus 24.5).

Porventura, você ainda não percebeu, que de um tempo para cá, tantas coisas têm sido ditas e feitas
em nome da Santa Doutrina Cristã?
Você ainda não percebeu que ao Evangelho estão associando coisas absurdamente escandalosas e
inimagináveis?
Não se deixe enganar, pois a “antiga serpente”(o diabo) e “o falso profeta” (o falso pregador), “sabendo
que pouco tempo lhes resta” estão disseminando a falsa doutrina para envergonhar o evangelho e perseguir
moralmente aos verdadeiros cidadãos dos céus.
Isaías pregava a plenos pulmões: “À lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais
verão a alva” (Is 8.20). O profeta está ensinando que a única fonte autorizada como Palavra de Deus é a
Escritura Sagrada. É pelo contexto bíblico que aprouve ao Senhor falar ao homem. Então, procure identificar o
falso pregador! Não lhe dê crédito pelo simples fato dele se auto apresentar como homem de Deus! Leia o que
diz o Espírito Santo pela pena de João: “amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos
se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora” (I João 4.1). Provar os espíritos
significa testar os pregadores à luz da Escritura Sagrada.
Examine a Palavra de Deus, ela é a lâmpada que desmascara o maldito pregador.

“...Aquele que tem sede” disse Jesus enfaticamente, “venha e beba de graça da água da vida”
(Apocalipse 22.17). Então, busque beber a Água da Vida e não a água misturada com veneno. Esta água é a
água da morte eterna.
O falso pregador, por não crer na suficiência das Escrituras, coloca veneno na Água, e quem, em sã
consciência, beberia dessa água sabendo que alguém colocou uma gota de veneno? Mas é o que tem
acontecido com muita gente em muitas igrejas “evangélicas” em nossos dias.

O que você está procurando ouvir: a simples, mas verdadeira Palavra de Cristo, ou as palavras que
satisfazem a cobiça da carne?
Você é daqueles que bebe de tudo o que lhe dão, sem discernir a Água pura da água misturada com
veneno?
Você é daqueles que dá crédito a qualquer um que se levanta e diz que veio em nome de Jesus?
Saiba que o falso pregador será severamente julgado. Mas ele não estará sozinho nesse julgamento
divino, juntamente com ele estarão todos os que deram crédito ao que ele pregou!

E para finalizar, deixo meu singelo comentário a todos aqueles que aplicam e adaptam as escrituras as
suas necessidades ou para encobrir seus erros dizendo que a bíblia foi escrita a dois mil anos atrás e merece
ser vista com outros olhos.
Pois bem, quando indagaram Jesus sobre seu nome este respondeu “Eu sou”; Portanto cuidado ao tomar
atitudes abomináveis aos olhos do Senhor e não voltar atrás porque na sua Igreja ou para seu pastor isto é uma
prática comum e aceitável;
Vou á balada pois preciso me divertir, Deus não me quer triste. Pulo Carnaval porque Deus é moderno;
Posso buscar a justiça humana para dirimir meus problemas pois é previsto em lei.
Ou pior, mas a pessoa que assim ensina é um teólogo, ou doutor em teologia cristã.
Jesus era marceneiro e o era para deixar claro que os títulos de nada servem. A letra mata e o espírito
quem vivifica.
Mas eu falo em línguas estranhas....Será que você realmente é tomado pelo espírito do Senhor ou
durante um momento na sua vida falou algumas palavras e estas tornaram-se repetitivas nas suas orações.
Porque não evoluiu mais e não falou cada vez melhor e de uma forma mais íntima com seu Deus?
Mas na minha vida tudo foi sempre uma escolha. Faça a sua e que Deus os abençoe.

Marco Antonio de Castro


Cristão desviado e radical nas coisas dos céus