Você está na página 1de 28
AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E PRINCÍPIOS Acerca dos princípios que regem a

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E PRINCÍPIOS

Acerca dos princípios que regem a administração pública, assinale a opção correta.

01.(CESPE-UnB/AGU/2008) Relativamente aos critérios de delimitação do âmbito do Direito Administrativo, julgue os itens a seguir.

a)Na França, formou-se a denominada Escola do Serviço Público, inspirada na jurisprudência do Conselho de Estado, segundo a qual a competência dos tribunais administrativos passou a ser fixada em função da execução de serviços públicos.

b)Pelo critério teleológico, o Direito Administrativo é considerado como o conjunto de normas que regem as relações entre a administração e os administrados. Tal critério leva em conta, necessariamente, o caráter residual ou negativo do Direito Administrativo.

02.(CESPE-UnB/PROCURADOR FEDERAL/2007) De acordo com os postulados extraídos da teoria do órgão, aplicável à administração pública, julgue os itens seguintes.

a)Foi o jurista alemão Otto Gierke quem estabeleceu as linhas mestras da teoria do órgão e indicou como sua principal característica o princípio da imputação volitiva.

b)No direito brasileiro, os órgãos são conceituados como unidades de atuação integrantes da estrutura da administração direta e da estrutura da administração indireta e possuem personalidade jurídica própria.

c)As ações dos entes políticos como União, estados, municípios e DF concretizam-se por intermédio de pessoas físicas, e, segundo a teoria do órgão, os atos praticados por meio desses agentes públicos devem ser imputados à pessoa jurídica de direito público a que pertencem.

03. - Q142854 ( CESPE - 2011 - TJ-PB - Juiz / Direito Administrativo / Princípios da Administração Pública; )

a) De acordo com precedente histórico do STF, é possível, sem ofensa ao princípio da indisponibilidade do interesse público, a União firmar compromisso arbitral, mesmo em situação excepcional, desde que relativamente a direitos patrimoniais do Estado.

Consoante a jurisprudência do STF, é

possível a arguição do princípio da isonomia como fundamento de pedido de servidor público, pretendendo benefício ilegalmente concedido a outros servidores.

De acordo com o STF, atende à

b) c) d) e)
b)
c)
d)
e)

ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA

razoabilidade e aos princípios previstos no art. 37, caput, da CF norma estadual que determine a obrigatoriedade de o custo da publicidade constar dos comunicados oficiais.

Conforme decisão do STF, é prescindível a

edição de lei que fixe a idade limite para o

ingresso nas forças armadas, de modo que não ofende o princípio da legalidade norma, nesse sentido, estipulada somente em edital de concurso da administração pública.

Ainda que muito discutido na doutrina

brasileira, o princípio da proteção à confiança legítima do administrado não é adotado pelo STF, que privilegia o princípio da legalidade.

04.(CESPE-UnB/ADVOGADO/IBRAM/DF/2009) As inúmeras tarefas atribuídas à administração pública, desde o estabelecimento do paradigma do Estado Social, provocaram a crise do modelo burocrático weberiano de administração. Como nova proposta

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

1

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho de modelo administrativo, surgiu o Estado gerencial ou de governança,

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

de modelo administrativo, surgiu o Estado gerencial ou de governança, que tem preocupação maior com os resultados efetivamente obtidos. Considerando algumas das medidas implementadas após a reforma administrativa no ordenamento jurídico brasileiro, julgue os itens.

a) A agência executiva, nova categoria de

pessoa administrativa com natureza jurídica distinta, caracteriza-se pela celebração de contrato de gestão com o ministério supervisor.

b) As agências reguladoras, que controlam,

em regra, a prestação de serviços públicos e de atividade econômica, somente podem ser criadas no âmbito federal.

a)Se determinada associação, com natureza de pessoa jurídica privada, sem fim lucrativo, que tinha por objeto a proteção e a preservação do meio ambiente, firme contrato de gestão com o poder público, por meio do qual passe a ser qualificada como organização social, então, com essa qualificação, ela poderá celebrar contratos de prestação de serviços com o poder público, para desempenhar as atividades contempladas no contrato de gestão, sem que haja necessidade de prévia licitação.

c) d) e)
c)
d)
e)

As empresas públicas, reguladas pela Lei

das Sociedades por Ações (Lei n.º 6.404/1976), devem ter a forma jurídica de sociedades anônimas.

Aos empregados submetidos ao regime de

pessoal das sociedades de economia mista e sujeitos à obrigatoriedade do concurso público é garantida a estabilidade estatutária.

b)Uma autarquia pode ser qualificada como agência executiva desde que estabeleça contrato de gestão com o ministério supervisor e tenha também plano estratégico de reestruturação e de desenvolvimento institucional em andamento.

O princípio da imunidade tributária relativa

aos impostos sobre a renda, sobre o patrimônio e sobre os serviços federais, estaduais e municipais é extensivo às fundações instituídas e mantidas pelo poder público, independentemente de estas possuírem personalidade de direito público ou de direito privado.

c)Para a realização de objetivos de interesse comum, a União, o Distrito Federal (DF), os estados e os municípios podem contratar consócio público.

d)No intuito de exercer controle sobre a prestação dos serviços públicos e sobre o exercício de atividades econômicas por pessoas jurídicas privadas, as agências reguladoras exercem seu poder regulamentar, sendo possível a instituição de normas técnicas inovadoras no ordenamento jurídico brasileiro.

06.(CESPE-UnB/ANALISTA/STJ/2008) Julgue os itens que se seguem, relativos à organização administrativa da União, das autarquias e das fundações.

05. - Q142856 ( CESPE - 2011 - TJ-PB - Juiz / Direito Administrativo / Administração Direta; Administração Indireta; )

Acerca da administração direta e indireta, assinale a opção correta. NULA

Entre as prerrogativas processuais impostas em favor das autarquias públicas federais está a intimação pessoal de seus procuradores federais de todos os atos do processo.

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

2

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho 07.(CESPE-UnB/AGU/2008) Relativamente à administração indireta, julgue o

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

07.(CESPE-UnB/AGU/2008) Relativamente à administração indireta, julgue o item seguinte.

As agências reguladoras são autarquias sob regime especial, as quais têm, regra geral, a função de regular e fiscalizar os assuntos relativos às suas respectivas áreas de atuação. Não se confundem os conceitos de agência reguladora e de agência executiva, caracterizando-se esta última como a autarquia ou fundação que celebra contrato de gestão com o órgão da administração direta a que se acha hierarquicamente subordinada, para melhoria da eficiência e redução de custos.

08. - Q152150 ( CESPE - 2011 - TRF - 5ª REGIÃO - Juiz / Direito Administrativo / Agências Reguladoras; Administração Indireta; )

É característica da natureza de autarquia especial conferida à Agência Nacional de Energia Elétrica, agência reguladora criada pelo Estado brasileiro,

a)

concursados para atribuições efetivas.

b) a independência administrativa.

c) o mandato variável de seus dirigentes.

d) a exoneração sumária de seus dirigentes.

e) a vinculação financeira a órgãos da

administração direta.

b)As sociedades de economia mista integram a administração, estão sujeitas à supervisão de uma secretaria e não podem gozar de benefícios fiscais que não sejam extensivos ao setor privado.

c)Considere a seguinte situação hipotética. Determinada norma presente em uma constituição estadual condiciona a nomeação de pessoa para cargo em fundação pública do Poder Executivo à prévia aprovação da assembléia legislativa. Além disso, tal norma permite a livre exoneração dessa pessoa pelo governador. Nessa situação, a lei em questão ofende o princípio da separação dos poderes.

10. - Q152149 ( CESPE - 2011 - TRF - 5ª REGIÃO - Juiz / Direito Administrativo / Princípios da Administração Pública; Administração Direta; Administração Indireta; )

A respeito do regime jurídico e das características das empresas estatais empresas públicas e sociedades de economia mista , assinale a opção correta.

A instituição de empresa estatal pode ser

realizada no mesmo ato jurídico de criação de secretaria de um estado-membro da Federação.

As empresas estatais não estão obrigadas a

obedecer aos princípios de impessoalidade, moralidade, eficiência e publicidade.

As empresas estatais exploradoras de

atividade econômica de produção ou comercialização de bens ou de prestação de

serviços sujeitam-se ao regime jurídico próprio das empresas privadas.

a) b) c)
a)
b)
c)

a contratação de servidores não

09.(CESPE-UnB/PGE/ES/2008) Em relação à administração indireta estadual, julgue os itens seguintes de acordo com o entendimento do STF.

a)A única diferença entre sociedade de economia mista e empresa pública é a composição do capital.

d) A responsabilidade civil das empresas

estatais pelos atos ilícitos civis praticados por seus agentes é objetiva.

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

3

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho e) As empresas estatais podem ser dotadas de personalidade jurídica

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

e) As empresas estatais podem ser dotadas de personalidade jurídica de direito privado ou de direito público.

dispensa de licitação, depende de ela ter um plano estratégico de reestruturação e de desenvolvimento institucional em andamento ou, alternativamente, da celebração de contrato de gestão com o respectivo ministério supervisor.

11.(CESPE-UnB/AGU/2008) Acerca do denominado terceiro setor, julgue o item que se segue.

13.(CESPE-UnB/Juiz Substituto/TRF5/2006) Uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, que tem como objeto social a promoção da cultura, defesa e conservação do patrimônio histórico e artístico, requereu ao Ministério da Justiça sua qualificação como organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP). Analisado o requerimento, que foi instruído com os documentos exigidos, e constatado o atendimento dos requisitos legais, foi concedida a essa pessoa jurídica a qualificação requerida. Com base na situação hipotética acima, julgue os itens a seguir.

na situação hipotética acima, julgue os itens a seguir. As entidades de apoio são pessoas jurídicas

As entidades de apoio são pessoas jurídicas de direito privado sem fins lucrativos, que podem ser instituídas sob a forma de fundação, associação ou cooperativa, tendo por objeto a prestação, em caráter privado, de serviços sociais não exclusivos do Estado. Tais entidades mantêm vínculo jurídico com a administração pública direta ou indireta, em regra, por meio de convênio. Por sua vez, os serviços sociais autônomos são entes paraestatais, de cooperação com o poder público, prestando serviço público delegado pelo Estado.

a)Desde que atendidas as exigências legais, a concessão a uma pessoa jurídica de direito privado da qualificação de OSCIP é ato que se insere dentro do poder discricionário da administração pública, que avaliará a oportunidade e a conveniência para a sua prática.

12.(CESPE-UnB/Juiz Substituto/TRF5/2006) Com relação à administração indireta e às agências reguladoras e executivas, julgue os itens seguintes.

a)Não há restrição legal para que empresa pública contrate com sua subsidiária, com dispensa de licitação, prestação de serviços ou aquisição de bens.

b) A vinculação entre o poder público e uma OSCIP é feita por meio de termo de parceria; os bens imóveis adquiridos por ela com recursos provenientes da celebração do termo de parceria são gravados com cláusula de inalienabilidade.

b) Embora a Constituição Federal adote a livre concorrência como um dos princípios da ordem econômica, é possível, visando a proteção do meio ambiente, estabelecer tratamento diferenciado entre empresas, conforme o impacto ambiental dos produtos e de seus processos de elaboração.

c) Na situação considerada, por incluir entre o seu objeto social a promoção da cultura, a referida pessoa jurídica, desde que cumpridos os demais requisitos exigidos em lei, também poderia ser qualificada como organização social. Nesse caso, a parceria entre ela e o poder público seria feita por meio de um contrato de gestão que, na sua elaboração, entre outros preceitos, deve observar os princípios da impessoalidade e economicidade.

c)As agências reguladoras são autarquias sob regime especial, que é caracterizado pela independência administrativa, pela autonomia financeira e pelo poder normativo atribuídos a essas agências.

d)A qualificação de uma autarquia como agência executiva, o que lhe assegura aumento dos valores de contratação de obras e serviços de engenharia com

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

4

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho 14. - Q152148 ( CESPE - 2011 - TRF -

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

14. - Q152148 ( CESPE - 2011 - TRF - 5ª REGIÃO - Juiz / Direito Administrativo / Entidades paraestatais - Terceiro Setor; )

B)A fundação pública decorre da conjugação de

esforços entre diversos sujeitos de direito, o que lhe

confere a natureza associativa.

Entre os setores do Estado, destaca-se o denominado terceiro setor conceito surgido com a reforma do Estado brasileiro , que compreende os serviços não exclusivos do Estado e abrange a atuação simultânea do Estado com outras organizações privadas e não estatais, como as organizações sociais (OSs) e as organizações da sociedade civil de interesse público (OSCIPs). Considerando as semelhanças e as diferenças entre essas duas entidades paraestatais, assinale a opção correta.

a)

gestão com a OSCIP.

b)

tramitar no Ministério da Justiça.

c) As OSs são regidas pela Lei n.º 9.790/1999.

d) As OSCIPs são regidas pela Lei n.º

9.637/1998.

e)

lucrativo ou econômico.

Nem a OS nem a OSCIP podem ter fim

15.(OAB 2009.2)Assinale a opção correta acerca das

fundações.

A)Fundação pública é pessoa jurídica instituída por lei

para o desempenho de atividade de natureza

econômica, de interesse coletivo, mantida com

recursos públicos.

C)Tanto as fundações públicas quanto as autarquias

desempenham atividades de interesse coletivo que

exigem a atuação de uma entidade estatal, por

intermédio da aplicação de prerrogativas próprias do

direito público. PODER DE POLÍCIA a
direito público.
PODER DE POLÍCIA
a

O poder público deve celebrar contrato de

O processo de habilitação de OS deve

d)É possível o recebimento, pelas fundações privadas,

de incentivos e subsídios oriundos dos cofres públicos,

circunstância que implicará a incidência de

instrumentos de controle de sua atividade.

16.(CESPE/PGE/AL/2009) A doutrina nacional e

internacional do direito administrativo muito critica

expressão poder de polícia. Trata-se de designativo

manifestamente infeliz. Engloba, sob um único nome, coisas radicalmente distintas, submetidas a regimes de inconciliável diversidade: leis e atos administrativos; isto é, disposições superiores e providências subalternas. Celso Antônio Bandeira de Mello. Curso de direito administrativo. 13.ª ed. São Paulo: Malheiros Editores, p. 687 (com adaptações). Ao incluir as convenções de direitos humanos na constituição da Argentina, os juristas não podem partir do poder do Estado como noção fundamental de um sistema. Devem partir das liberdades públicas

e dos direitos individuais. Poderá haver limitações a tais direitos, mas aquele que explica e analisa o sistema jurídico administrativo não pode partir da limitação para, somente depois, entrar nas

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

5

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho limitações das limitações. Augustín Gordillo. Tratado de derecho

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

limitações das limitações. Augustín Gordillo. Tratado de derecho administrativo. 8.ª ed. Buenos Aires:

F.D.A., 2006, cap. V, p. 2-3 (com adaptações). Acerca do poder de polícia, assunto tratado nos textos acima, assinale a opção correta.

a) O STF emitiu decisão favorável à delegação

do poder de polícia, mediante edição de lei, a

pessoa jurídica de direito privado.

b) Forma de conferir liberdade ao

administrador público, o poder discricionário permite que a autoridade, mediante os critérios de conveniência e oportunidade, opte pela ação que melhor propicie a consecução do interesse público, atuação que se sobrepõe aos limites da lei.

A) Nenhum dos aspectos do poder de polícia pode ser

exercido por agente público sujeito ao regime

celetista.

c) d) e)
c)
d)
e)

B)

pessoas políticas da Federação que detêm o poder de editar as leis limitativas da liberdade e da propriedade

Diz-se originário o poder de polícia conferido às

O poder regulamentar permite que o ato

normativo derivado inove e aumente os direitos e obrigações previstos no ato de natureza primária que o autoriza, desde que tenha por objetivo o cumprimento das determinações legais.

dos cidadãos. Poder de polícia delegado é aquele outorgado a pessoa jurídica de direito privado, desprovida de vinculação oficial com os entes públicos.

C) No exercício da atividade de polícia, a administração só atua por meio de atos concretos previamente definidos em lei. Esses atos devem ser praticados sob o enfoque da proporcionalidade, de forma a evitar a prática de um ato mais intenso e extenso do que o necessário para limitar a liberdade e a propriedade no caso concreto.

Segundo o STF, é inconstitucional, por

ofensa ao princípio da livre concorrência, lei municipal que impeça a instalação de estabelecimentos comerciais do mesmo ramo em determinada área.

O poder de polícia no ordenamento jurídico

brasileiro é tratado, exclusivamente, no âmbito infraconstitucional.

D) Os atos de polícia podem constituir-se em consentimentos, ou seja, quando a administração responde afirmativamente a um pedido para o exercício de atividade econômica em via pública, está praticando um ato de polícia. Nesse caso, apesar de consentir, o Estado impõe condicionantes de forma a limitar a liberdade do agente econômico.

E) A coercibilidade é a característica do poder de polícia que possibilita à administração praticar atos, modificando imediatamente a ordem jurídica.

respeito aos

meios de atuação do poder de polícia, julgue os próximos itens.

18.(CESPE/PGE/PB/2008) No que diz

17. - Q142857 ( CESPE - 2011 - TJ-PB - Juiz / Direito Administrativo / Poderes Administrativos; )

No que concerne aos poderes da administração, assinale a opção correta.

I-Segundo entendimento majoritário na doutrina e na jurisprudência, admite-se a delegação do poder de polícia a pessoa da iniciativa privada prestadora de serviços de titularidade do estado.

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

6

II-A autorização é o ato administrativo vinculado e definitivo pelo qual a administração reconhece que

II-A autorização é o ato administrativo vinculado e definitivo pelo qual a administração reconhece que o particular detentor de um direito subjetivo preenche as condições de seu gozo.

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

20.(CESPE-UnB/AGU/2008) Relativamente às formas de provimento dos cargos públicos, julgue o item seguinte.

III-A licença não pode ser negada quando o requerente satisfaça os requisitos legais para sua
III-A
licença
não
pode
ser
negada
quando
o
requerente
satisfaça
os
requisitos
legais
para
sua
obtenção.
IV-O alvará pode ser de licença ou de autorização.
Estão certos apenas os itens
A)I e II.
B)I e III.
C)I e IV.
D)II e III.
E)III e IV.
O ato de designação de alguém para titularizar cargo
público denomina-se provimento, que, segundo Celso
Antônio Bandeira de Mello, pode ser originário ou
derivado. O aproveitamento, forma de provimento
derivado horizontal, consiste na transferência
efetuada para prover o servidor em outro cargo mais
compatível com sua superveniente limitação de
capacidade física ou mental, apurada em inspeção
médica, distinguindo-se da reversão ou provimento
derivado horizontal.
21.(CESPE/PGM/Natal/2008) Assinale a opção
correta com respeito à investidura e ao exercício de
função pública.
AGENTES
PÚBLICOS
E
IMPROBIDADE
ADMINISTRATIVA
19.(CESPE-UnB/ADVOGADO/IBRAM/DF/2009) Para
manifestar a sua vontade, o Estado se utiliza de
agentes públicos, em sentido amplo. Quanto a esses
agentes públicos, julgue os itens a seguir.
A)Segundo a CF, os cargos públicos são acessíveis
apenas aos brasileiros que preencham os requisitos
estabelecidos em lei, excluindo-se, portanto, a
possibilidade de os estrangeiros ocuparem cargos
públicos.
a)O atual entendimento do STJ é no sentido de que o
estágio probatório compreende o período entre o
início do exercício do cargo e a aquisição de
estabilidade no serviço público, que, desde o advento
da Emenda Constitucional (EC) n.º 19/1998, tem a
duração de três anos.
B)As funções de confiança e os cargos em comissão
podem ser preenchidos por servidores que não
ocupem cargo efetivo, nos casos, condições e
percentuais mínimos previstos em lei.
C)A CF proíbe a vinculação ou a equiparação de
qualquer espécie remuneratória para efeito de
remuneração de pessoal do serviço público.
b) Considere que um servidor receba R$ 10.000,00 de
remuneração, composta de 50% do valor em
vencimento básico e 50% em gratificação específica.
Considerando essa composição, uma lei nova que
reestruture sua carreira não pode diminuir o
percentual da gratificação específica, ainda que
mantida, ao final, a mesma remuneração.
D)A CF veda a acumulação de cargos e empregos
públicos, mas permite, excepcionalmente, a
acumulação de dois cargos de professor ou dois
cargos científicos ou técnicos.

22. - Q142860 ( CESPE - 2011 - TJ-PB - Juiz / Direito Administrativo / Agentes Públicos - Disposições Constitucionais; )

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

7

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho No que concerne aos agentes públicos, assinale a opção correta.

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

No que concerne aos agentes públicos, assinale a opção correta.

a) Os notários e os registradores são titulares

de cargo público efetivo, exercem atividade

estatal e são, de acordo com entendimento do STF, considerados servidores públicos.

C)Aqueles que são contratados para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público são considerados, segundo legislação, como empregados públicos e são regidos exclusivamente pela CLT.

D)Aqueles que são contratados para atender necessidade temporária de excepcional interesse público devem ser selecionados por meio de concurso público.

E)Segundo a doutrina, os funcionários das concessionárias de serviço público não podem ser considerados agentes em colaboração com o poder público.

24.(CESPE-UnB/AGU/2008) Ora, um Estado funcionalmente eficiente demanda um Direito

Público que privilegie, por sua vez, a funcionalidade. Um Direito Público orientado por uma teoria

A administração privada

é sabidamente livre para perseguir as respectivas finalidades a que se proponha e, assim, a falta de resultados não traz repercussões outras que as decorrentes das avenças privadas, como ocorre, por exemplo, nas relações societárias. Distintamente, a administração pública está necessariamente vinculada ao cumprimento da Constituição e, por isso, os resultados devem ser alcançados, de modo que se não o forem, salvo cabal motivação da impossibilidade superveniente, está-se diante de uma violação praticada pelo gestor público, pois aqui existe relevância política a ser considerada. Diogo de Figueiredo Moreira Neto. Quatro paradigmas do direito administrativo pós-moderno. Belo Horizonte:

Ed. Fórum, 2008, p. 110-11 (com adaptações). Considerando o texto acima e com base nos princípios que regem a administração pública, julgue

os próximos itens.

b)

conselheiro do tribunal de contas, para efeitos da SV n.º 13, é de natureza política.

funcional da eficiência. ( )
funcional da eficiência. (
)

A Lei n.º 9.962/2000, que disciplina o

A vedação imposta pela SV n.º 13 do STF é

De acordo com o STF, o cargo de

c)

cargos públicos, exceto em empresas públicas e sociedades de economia mista, que se

É vedada a acumulação remunerada de

submetem ao regime celetista de direito privado, no qual predomina a autonomia de vontades.

d)

regime de emprego público, é aplicável apenas no âmbito da administração federal, não podendo ser utilizada pelos estados ou pelo DF, os quais, ao contratarem por esse regime, deverão obedecer ao disposto na Consolidação das Leis do Trabalho.

e)

direcionada tanto aos cargos administrativos quanto aos cargos e funções políticas.

23.(CESPE/ANALISTA/TJRJ/2008) Acerca dos agentes públicos, assinale a opção correta.

A)Os delegados de serviço notarial e de registro, uma vez que são selecionados por meio de concurso público, são considerados servidores públicos propriamente ditos.

B)A moderna doutrina arrola os juízes como agentes políticos, por exercerem também uma parcela da soberania do Estado.

a)Com base no princípio da eficiência e em outros fundamentos constitucionais, o STF entende que viola a Constituição a nomeação de cônjuge, companheiro

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

8

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na administração pública direta e indireta em qualquer dos poderes da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas.

benefícios previdenciários ou assistenciais de

parentes até o companheiro.

segundo grau, e de cônjuge ou

26.(CESPE-UnB/DPGU/Defensor/2007) Cada um dos próximos itens contém uma situação hipotética acerca do regime jurídico dos servidores públicos previsto na Lei n.º 8.112/1990, seguida de uma assertiva a ser julgada.

Lei n.º 8.112/1990, seguida de uma assertiva a ser julgada. b) Segundo o STF, a falta

b) Segundo o STF, a falta de defesa técnica por advogado, no âmbito de processo administrativo disciplinar, não ofende a CF. Da mesma forma, não há ilegalidade na ampliação da acusação a servidor público, se, durante o processo administrativo, forem apurados fatos novos que constituam infração disciplinar, desde que rigorosamente observados os princípios do contraditório e da ampla defesa. O referido tribunal entende, também, que a autoridade julgadora não está vinculada às conclusões da comissão de processo administrativo disciplinar.

a)145 Paulo, servidor público federal, detentor de cargo efetivo de auditor fiscal da previdência social, já havia adquirido a estabilidade no serviço público quando foi aprovado em concurso público para o cargo de analista do TCU, no qual tomou posse, assumindo a função em 15/1/2007. Nessa situação, conforme jurisprudência dos tribunais superiores, Paulo pode requerer a sua recondução ao cargo que ocupava anteriormente até 15/1/2009, mesmo sendo bem avaliado no estágio probatório em curso.

b)146 Antônio, ex-servidor público federal, foi punido com a pena de cassação de aposentadoria por meio de portaria do ministro de Estado competente, publicada no dia 10/2/2007. Nessa situação, conforme jurisprudência do STF, essa punição não poderia ser aplicada, já que, com a EC n.º 20/1998, o regime previdenciário próprio dos servidores públicos passou a ser contributivo, o que afastou a relação jurídica estatutária da relação jurídica previdenciária dos servidores públicos.

c)Considere que Platão, governador de estado da Federação, tenha nomeado seu irmão, Aristóteles, que possui formação superior na área de engenharia, para o cargo de secretário de estado de obras. Pressupondo-se que Aristóteles atenda a todos os requisitos legais para a referida nomeação, conclui-se que esta não vai de encontro ao posicionamento adotado em recente julgado do STF.

25.(CESPE-UnB/DPGU/Defensor/2007) Julgue os itens a seguir.

27- Q152153 ( CESPE - 2011 - TRF - 5ª REGIÃO - Juiz / Direito Administrativo / Lei nº 8.112-1990 - Regime Jurídico dos Servidores Públicos Federais; )

a)147 Os atos de improbidade administrativa importarão a suspensão dos direitos políticos, a perda da função pública, a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário, na forma e gradação previstas em lei, sem prejuízo da ação penal cabível.

b)148 Ao servidor público federal é proibido atuar, como procurador ou intermediário, junto a repartições públicas, salvo quando se tratar de

Jorge, servidor público federal, acusou sua colega de trabalho, Lúcia, também servidora pública federal, de ter-lhe atirado, enfurecida, durante o expediente de serviço e dentro do local de trabalho, o telefone celular a ele pertencente, o que lhe teria provocado lesão grave e a destruição do aparelho. Em sua defesa, Lúcia alegou que, no dia da mencionada agressão, não comparecera ao local de trabalho.

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

9

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho alegou que não teria agido com culpa, pois mudou de

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

alegou que não teria agido com culpa, pois mudou de domicílio para atender ao interesse público. Além disso, comprovou o ressarcimento aos cofres públicos da importância de nove reais referente ao combustível utilizado. Nessa situação, ao julgar a demanda apresentada, o juiz pode-se valer do princípio da insignificância para absolver o prefeito, uma vez que a lesão ao bem jurídico protegido pela lei foi mínima.

O STJ fixou entendimento no sentido de que a

contratação de agentes públicos sem a realização de concurso público enseja violação ao princípio da moralidade. Isso não quer dizer, contudo, que os responsáveis pela contratação devam ser condenados

ressarcir o erário, pois essa condenação depende da

demonstração do enriquecimento ilícito e do prejuízo

C) Em ação de improbidade administrativa, se verificado que o ato praticado pelo agente público ou beneficiário caracterizasse como culposo, não pode o juiz da causa condená-los a ressarcir o dano ao erário.

Segundo orientação do STF, os agentes políticos

respondem por improbidade administrativa com base na Lei n.º 8.429/1992 independentemente da sujeição dos mesmos aos crimes de responsabilidade

tipificados nas respectivas leis especiais.

Nos termos da Lei n.º 8.429/1992, as ações de

improbidade podem ser propostas em até 5 anos após

conhecimento do fato pela administração pública.

29.(CESPE/PGE/CE/2008) Francisco, presidente de determinada autarquia estadual, contratou os serviços de vigilância da empresa Zeta, com dispensa de licitação, argumentando que não havia tempo hábil para realizar procedimento licitatório e que a

Com base nessa situação hipotética e na Lei n. o 8.112/1990, que dispõe sobre os deveres e obrigações do servidor público, assinale a opção correta com relação à responsabilização administrativa, civil e criminal da referida servidora.

a) A responsabilidade civil-administrativa não

resulta de ato omissivo praticado por servidor

no desempenho do cargo ou função.

b)

inibe a aplicação de sanção administrativa, e vice-versa.

c)

aparelho de telefone celular de Jorge enseja a

responsabilização administrativa de Lúcia.

d)

em razão de ela comprovar que não compareceu ao trabalho no dia em que Jorge sofreu a agressão, não caberá aplicação de sanção administrativa contra a servidora.

Caso ocorra a absolvição criminal de Lúcia,

e)

abrange as contravenções imputadas ao servidor, nessa qualidade.

A responsabilidade penal em geral não

B) a para a administração. D) E) o
B)
a
para a administração.
D)
E)
o

A existência de sanção penal contra Lúcia

O prejuízo decorrente da destruição do

28.(CESPE/PGE/AL/2009) Acerca da improbidade administrativa e do princípio da moralidade, assinale a opção correta.

A) Considere a seguinte situação hipotética. O prefeito de determinado município resolveu mudar-se de sua casa de campo para a cidade com o propósito de ficar mais perto dos problemas urbanos. Para isso, utilizou um caminhão da municipalidade para transportar móveis de seu uso particular. Após a instauração de ação de improbidade, o prefeito admitiu os fatos, mas

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

10

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho autarquia não poderia ficar sem aquele serviço. Posteriormente,

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

autarquia não poderia ficar sem aquele serviço. Posteriormente, descobriu-se que a empresa Zeta pertencia a Carlos, amigo de Francisco, e que a emergência alegada fora criada intencionalmente pelo próprio agente público, que deixou de iniciar processo licitatório mesmo ciente de que o contrato anterior estava prestes a vencer. Os valores pagos à empresa Zeta eram 50% maiores que os preços praticados no mercado. Descobriu-se, também, que Carlos depositara valores em dinheiro nas contas de Francisco. Diante desses fatos, o governador demitiu Francisco da presidência da autarquia e o Ministério Público (MP) do estado denunciou-o, juntamente com Carlos, por crimes de dispensa ilegal de licitação e corrupção. Com base nessa situação hipotética, assinale a opção correta.

as partes poderão realizar transação com o objetivo de extinguir a ação de improbidade administrativa.

RESPONSABILIDADE CIVIL

30.(CESPE-UnB/PGE/ES/2008) José era presidente de empresa pública estadual. Depois de prisão preventiva de estrepitosa repercussão na mídia nacional, viu-se denunciado por peculato culposo por haver inserido, em conluio com empregado do departamento de pessoal, servidores fantasmas na folha de pagamento da empresa. A sentença de primeiro grau o condenou a sete meses de detenção, o que foi confirmado pelo tribunal de justiça, ali havendo o trânsito em julgado. Paralelamente, tramitava tomada de contas especial relativa ao episódio e que, após meticulosa apuração, eximiu José de toda a responsabilidade. A isso seguiu-se pedido de revisão criminal em que o tribunal de justiça o absolveu por negativa de autoria e não houve recurso das partes. José propôs, então, ação de indenização pelo rito ordinário contra o estado, decorrente não apenas do erro na condenação criminal, mas também da prisão preventiva e da ação difamatória de membro do Ministério Público. Diante da situação hipotética acima apresentada, julgue os itens que se seguem.

acima apresentada, julgue os itens que se seguem. A)Francisco não poderá ser processado por improbidade

A)Francisco não poderá ser processado por improbidade administrativa com base na Lei n.º 8.429/1992 porque, em razão da demissão, não será considerado mais agente público.

B)Carlos não pode ser sujeito passivo da ação de improbidade administrativa de que trata a Lei n.º

8.429/1992.

C)A ação de improbidade administrativa só poderá ser ajuizada se ficar constatado prejuízo financeiro aos cofres públicos.

a)A decisão da tomada de contas que eximiu José de responsabilização administrativa, se ocorrida antes da sentença, implicaria exoneração de condenação criminal.

D)A ação de improbidade administrativa poderá ser proposta pelo MP ou pela pessoa jurídica interessada. Caso a ação seja ajuizada pelo MP, a pessoa jurídica interessada poderá atuar ao lado do autor da ação ou abster-se de contestar o pedido, desde que isso se afigure útil ao interesse público.

os

representantes da pessoa jurídica lesada e proponham a recomposição dos prejuízos causados,

E)Caso

os

envolvidos

procurem

o

MP

ou

b)Não gera preclusão a inexistência do reconhecimento do direito à indenização no acórdão de revisão criminal.

c)A responsabilidade civil pelo erro judiciário constitui garantia fundamental e será apurada com base na teoria objetiva.

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

11

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho d)A mera prisão cautelar indevida, nos termos da atual jurisprudência

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

d)A mera prisão cautelar indevida, nos termos da atual jurisprudência do STF, já é suficiente para gerar o direito à indenização.

moratórios fluem a partir do evento danoso, no percentual de 12% ao ano.

31 - Q142858 ( CESPE - 2011 - TJ-PB - Juiz / Direito Administrativo / Responsabilidade Civil do Estado; )

33.(CESPE-UnB/PROCURADOR/SEAD/SE/2009)

Um policial militar de determinado estado da Federação foi morto no horário em que prestava serviço. Na ocasião, ele tentava salvar a vida de uma senhora de 70 anos que estava sendo assaltada por dois bandidos. O policial recebeu dois tiros no tórax disparados pelos assaltantes. Nessa situação, há

responsabilidade civil objetiva do Estado, que arcará com a respectiva indenização à família do policial, uma vez que o direito administrativo brasileiro adota

Acerca da responsabilidade civil do Estado, assinale a opção correta.

a)

equívoco do juiz, o ordenamento jurídico não

permite a reparação dos eventuais prejuízos em ação contra o Estado, mas tão somente contra o próprio magistrado.

b)

do Estado deve ser aplicada de modo absoluto, não sendo admitida hipótese de exclusão nem de abrandamento.

A teoria da responsabilidade civil objetiva

c) Mediante expressa determinação legal, o Estado poderá responder civilmente por danos causados a terceiros, ainda que sua atuação tenha ocorrido de modo regular e conforme com o direito.

d)

no âmbito cível ensejam a responsabilidade objetiva do Estado.

Segundo o STF, os atos jurisdicionais típicos

e)

Estado, incide a responsabilidade objetiva, bastando a comprovação do nexo causal entre a omissão e o prejuízo causado ao particular.

Na hipótese de conduta omissiva do

a teoria do risco integral. a A) é
a teoria do risco integral.
a
A)
é

Em face da prolação de sentença penal com

34.(CESPE-UnB/ANALISTA/STJ/2008)

João ingressou com ação de indenização contra determinado estado da Federação, fundada na responsabilidade objetiva do estado, diante do dano a ele causado pelo servidor público Mário, que teria

agido com culpa. Nessa situação, se o juízo não aceitar

denunciação à lide do servidor que causou o dano, o estado não perderá, por esse motivo, o direito de ingressar posteriormente com ação de regresso contra Mário.

35. (CESPE/PGE/AL/2009) Acerca da responsabilidade civil do Estado e dos prestadores de serviços públicos, assinale a opção correta.

É firme e atual o entendimento do STF de que a

responsabilidade civil das pessoas jurídicas de direito

privado prestadoras de serviço público de transporte

objetiva relativamente aos usuários do serviço, não se estendendo a pessoas outras que não ostentem a condição de usuário.

B) Não resta caracterizada a responsabilidade civil

objetiva do Estado se um policial militar, em seu período de folga e em trajes civis, efetua disparo com

32.(CESPE-UnB/AGU/2008)

Para sua configuração, a responsabilidade do Estado demanda os seguintes pressupostos: conduta comissiva ou omissiva, ocorrência de dano, bem como nexo de causalidade entre a conduta e o dano. No caso de responsabilização do Estado, os juros

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

12

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho arma de fogo pertencente à corporação e atinge pessoa inocente,

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

arma de fogo pertencente à corporação e atinge pessoa inocente, provocando-lhe danos.

C) O Estado não é objetivamente responsável por

dano causado por funcionário de fato.

D) A responsabilidade civil pelos atos causados pelos

agentes das empresas públicas e sociedades de economia mista prestadoras de atividade econômica é

objetiva.

E)

por agente público considerado culpado prescreve em 5 anos. IV-A orientação dominante na jurisprudência e na doutrina é de ser cabível, em casos de reparação do dano, a denunciação da lide pela administração a seus agentes. Estão certos apenas os itens

A) I e II.

B) I e IV. C) II e III. D) I, III e IV. E) II,
B) I e IV.
C) II e III.
D) I, III e IV.
E) II, III e IV.
b)
c)

Considere a seguinte situação hipotética. Geraldo

foi condenado e submetido a regime prisional aberto. Em sete ocasiões, Geraldo praticou a falta grave de evasão, sem que as autoridades responsáveis pela execução da pena lhe passassem para o regime fechado. Na oitava fuga, Geraldo estuprou Vânia justamente no período em que deveria estar recolhido à prisão. Nessa situação, está configurado o nexo de causalidade entre a omissão do Estado e o evento danoso a ensejar a responsabilidade civil do

37.(PGE/PGEPA/2009) Em relação à responsabilidade civil do Estado é INCORRETO afirmar:

a) Um ato danoso causado pelo motorista de um órgão do Poder Judiciário enseja a responsabilidade civil objetiva do Estado, desde que presentes os pressupostos de sua configuração.

Com o intuito de igualar, para fins de sujeição à

ente público.

teoria da responsabilidade objetiva, as pessoas de direito público e aquelas que, embora com personalidade jurídica de direito privado, executem funções que, em princípio, caberiam ao Estado, a Constituição Federal de 1988 inovou abrangendo nessa regra as empresas públicas e as sociedades de economia mista que se dedicam à exploração de atividade econômica.

36.(CESPE/PGE/PB/2008) A obrigação do Estado de indenizar o particular independe de culpa da administração, visto que a responsabilidade é objetiva. O agente público causador do dano deverá ressarcir a administração, desde que comprovada a existência de culpa ou dolo do agente. Com relação aos efeitos da ação regressiva do Estado contra o agente público, julgue os seguintes itens.

Tema de extrema relevância tem sido relativo à

responsabilidade primária e subsidiária do Estado. Assim, se o dano for causado por funcionário de empresa que executa obra e serviço público por força de contrato administrativo, a responsabilidade do Estado será subsidiária.

d) As pessoas jurídicas de direito privado prestadoras

de serviços públicos, abrangidas pelo artigo 37, parágrafo 6 da Constituição Federal, têm o mesmo privilégio que têm as pessoas públicas no que toca à prescrição qüinqüenal de ações indenizatórias de

I-Os efeitos da ação regressiva transmitem-se aos herdeiros e sucessores do agente público culpado, respeitado o limite do valor do patrimônio transferido. II-A ação regressiva pode ser movida mesmo após terminado o vínculo entre o agente e a administração pública. III-A ação por meio da qual o Estado requer ressarcimento aos cofres públicos de prejuízo causado

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

13

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho terceiros em virtude de danos causados por seus agentes. CONTROLE

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

terceiros em virtude de danos causados por seus agentes.

CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO

38.(CESPE-UnB/ANALISTA/TRT17/2009) Acerca do controle da administração pública e dos princípios que lhe são aplicáveis, julgue os itens seguintes. a)As sociedades de economia mista e as empresas públicas que prestam serviços públicos estão sujeitas ao princípio da publicidade tanto quanto os órgãos que compõem a administração direta, razão pela qual é vedado, nas suas campanhas publicitárias, mencionar nomes e veicular símbolos ou imagens que possam caracterizar promoção pessoal de autoridade ou servidor dessas entidades.

função pública, suspensão dos direitos políticos durante o período de oito a dez anos e proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de dez anos.

da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de dez anos. 40.(CESPE-UnB/ANALISTA/STJ/2008) Julgue os itens que se

40.(CESPE-UnB/ANALISTA/STJ/2008) Julgue os itens que se seguem, relativos à organização administrativa da União, das autarquias e das fundações.

Considere a seguinte situação hipotética. André pretende impetrar mandado de segurança contra ato do conselho curador do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, o qual é presidido pelo ministro de estado do trabalho e emprego. Nessa situação, o STJ é competente para julgar a ação mandamental.

b)O controle financeiro exercido pelo Poder Legislativo com o auxílio do Tribunal de Contas alcança qualquer pessoa física ou entidade pública que utilize, arrecade, guarde, gerencie ou administre dinheiro, bens e valores públicos. Em razão do sistema de jurisdição única adotado no Brasil, as pessoas privadas, físicas ou jurídicas, estão sujeitas apenas ao controle de legalidade exercido pelo Poder Judiciário, não sendo passíveis de controle legislativo.

41.(CESPE-UnB/DPGU/Defensor/2007) Quanto a controle da administração pública e bens públicos, julgue o item seguinte.

141 De acordo com o STF, o TCU não tem competência para julgar contas das sociedades de economia mista exploradoras de atividade econômica, ou de seus administradores, já que os bens dessas entidades não são públicos, mas, sim, privados.

39.(CESPE-UnB/AGU/2008) Com relação ao controle jurisdicional da administração pública, julgue os itens que se seguem.

a)A Lei n.º 4.717/1965 possibilita que a AGU se abstenha de contestar o pedido formulado em uma ação popular, podendo ainda atuar ao lado da parte autora, desde que isso se afigure útil ao interesse público.

INTERVENÇÃO NA PROPRIEDADEA PRIVADA

42.(CESPE-UnB/AGU/2008) Acerca das servidões administrativas e das desapropriações, julgue os itens a seguir.

b) Com base na Lei n.º 8.429, de 2 de junho de 1992, a AGU poderá, em litisconsórcio ativo com qualquer cidadão, ajuizar ação de improbidade administrativa. Caso a conduta da parte ré da mencionada ação não tenha importado enriquecimento ilícito, mas causado prejuízo ao erário, estará tal parte sujeita às seguintes cominações: ressarcimento integral do dano, perda da

a)Servidão administrativa é um direito real de gozo que independe de autorização legal, recaindo sobre imóvel de propriedade alheia. Sejam públicas ou privadas, as servidões se caracterizam pela perpetuidade, podendo, entretanto, ser extintas no caso de perda da coisa gravada ou de desafetação da

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

14

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho coisa dominante. Em regra, não cabe indenização quando a servidão,

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

coisa dominante. Em regra, não cabe indenização quando a servidão, incidente sobre imóvel determinado, decorrer de decisão judicial.

b)Segundo reiterados julgados do STF, na desapropriação, direta ou indireta, a taxa dos juros compensatórios é de 12% ao ano. A referida Corte, ainda em matéria de desapropriação, entende que a área de terreno reservado é suscetível de indenização.

II. Não há como acolher o pedido de desistência da ação apresentado pelo expropriante quando não for possível a restituição do imóvel, objeto da ação expropriatória, no estado em que se encontrava antes da imissão provisória, como, por exemplo, o imóvel, objeto da desapropriação, ter sido invadido por

terceiros em virtude de negligência do autor da ação

expropriatória. III. indenização. IV. a) b) Os itens I, II e III estão corretos. c)
expropriatória.
III.
indenização.
IV.
a)
b)
Os itens I, II e III estão corretos.
c)
d)
Os itens I, II e IV estão corretos.
BENS PÚBLICOS

43.(CESPE-UnB/DPGU/Defensor/2007) Considerando que uma concessionária de serviço público de energia elétrica pretenda utilizar uma propriedade de cerca de quatro mil metros quadrados situada no centro de determinado município, julgue os itens seguintes, relativamente ao processo de desapropriação dessa propriedade.

Havendo a incorporação do bem expropriado ao

patrimônio público, se tiver sido nulo o processo de

desapropriação, o proprietário não pode pretender o retorno do bem a seu patrimônio, tampouco postular

O prazo prescricional para propor ação que vise

indenização por restrições decorrentes de atos do Poder Público extingue-se em cinco anos, de acordo com a legislação em vigor e jurisprudência pátria.

a)143 Havendo autorização no contrato de concessão, a concessionária de serviço público pode promover essa desapropriação, mas não pode declará-la de utilidade pública, pois essa competência cabe somente ao poder concedente ou mesmo à Agência Nacional de Energia Elétrica.

Somente os itens I e III estão corretos.

Somente os itens I, III e IV estão incorretos.

b)144 Conforme jurisprudência do STJ, os juros compensatórios, na desapropriação direta, são devidos a partir da imissão provisória na posse pela concessionária do serviço público, no percentual de 12% ao ano, já que o STF suspendeu, por meio de medida cautelar em ADIN, a MP que o fixava em 6% ao ano, independentemente da data em que ocorresse essa imissão na posse.

45 - Q152156 ( CESPE - 2011 - TRF - 5ª REGIÃO - Juiz / Direito Administrativo / Bens Públicos; )

Considerando que se incluem entre os bens públicos expressos na CF os terrenos de marinha e os terrenos acrescidos, assinale a opção correta com base na CF e no Decreto-lei n.º 9.760/1946.

44.(PGE/PGEPA/2009) No que tange à desapropriação analise as proposições abaixo e assinale a alternativa CORRETA:

I. Desaparecidos os motivos que provocaram a iniciativa do processo expropriatório, tem, o expropriador, o poder jurídico de desistir da desapropriação, inclusive no curso da ação judicial. Contudo, se já tiver havido pagamento parcial, ao menos, isso não será possível.

a) Os terrenos de marinha são considerados

bens públicos dominicais em qualquer circunstância.

b) Os terrenos de marinha são considerados

bens públicos de uso comum se, na área a

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

15

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho eles correspondente, existirem praias marítimas. c) Os terrenos de

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

eles correspondente, existirem praias marítimas.

c) Os terrenos de marinha são bens de

propriedade dos estados- membros da Federação nos quais estejam localizados.

47 - Q142859 ( CESPE - 2011 - TJ-PB - Juiz / Direito Administrativo / Bens Públicos; )

Com relação aos bens públicos, assinale a opção correta.

d) Os direitos dos foreiros podem ser

transmitidos por ato causa mortis, com anuência da União.

e)

em regra, bens públicos especiais.

a) b) c) d) e) dominicais.
a)
b)
c)
d)
e)
dominicais.

Os terrenos de marinha são considerados,

Adota-se no Brasil a teoria clássica do

domínio eminente para justificar ser o patrimônio do Estado constituído por bens do seu domínio efetivo e, indiretamente, pelos

bens na posse de particulares.

A imprescritibilidade dos bens públicos

somente foi adotada a partir da vigência do Código Civil de 1916, razão pela qual era admissível, até aquela época, a aquisição de bens públicos por usucapião.

No ordenamento jurídico pátrio, há um

único regime jurídico aplicável a todos os bens públicos.

Os bens públicos de uso especial destinam-

se à utilização do Estado para fins econômicos

que gerem alguma forma de renda para o erário.

Não é possível penhorar bens públicos, com

exceção dos que se classificam como

46- Q152152 ( CESPE - 2011 - TRF - 5ª REGIÃO - Juiz / Direito Administrativo / Bens Públicos; )

Com base na CF e no Decreto-lei n.º 25/1937, assinale a opção correta a respeito de tombamento de bens.

a)

objeto de tombamento.

Somente os bens privados constituem

b)

pedido do proprietário desde que a coisa se revista dos requisitos necessários para constituir parte integrante do patrimônio histórico e artístico nacional.

Os bens privados podem ser tombados a

c)

mediante determinação do presidente do IPHAN, com a anuência do particular proprietário do bem.

O tombamento compulsório ocorre

d) O ato de tombamento pode ser revogado,

mas não anulado.

e) Estão autorizados a proceder ao

tombamento de bens a União e os municípios,

mas não os estados-membros da Federação.

48.(PGE/PGEPA/2009) Analise a proposição abaixo e assinale a alternativa CORRETA: o Estado do Pará resolveu vender a particulares área de terreno onde atualmente se localiza uma praça. O processo foi distribuído para elaboração de parecer com essa informação. Como Procurador do Estado você concluiria, acerca da venda, que:

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

16

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho a) Depende, além de outros requisitos, da desafetação do bem,

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

a) Depende, além de outros requisitos, da desafetação

do bem, por meio de lei, e da utilização do

procedimento licitatório sob a modalidade leilão.

b) Não é possível por se tratar de bem de uso comum

do povo por natureza.

c) Depende, além de outros requisitos, da desafetação

do bem, por meio de lei, e da utilização do

procedimento licitatório sob a modalidade concorrência.

d)

destinação de praça.

parecer da assessoria jurídica da fundação, a modalidade de licitação será a tomada de preços, pois trata-se de um trabalho técnico. Nessa situação, o parecer da assessoria jurídica, quando à escolha da modalidade da licitação, atendeu aos comandos da Lei n.º 8.666/1993, que regulamenta as licitações e os contratos no âmbito da administração pública.

a) b)
a)
b)

Não é possível porque não pode deixar de ter essa

51(CESPE-UnB/ADVOGADO/HEMOBRAS/2009) A respeito do direito administrativo, julgue os itens abaixo.

LICITAÇÕES

49.(CESPE-UnB/PGE/ES/2008) Em relação às licitações, aos contratos administrativos e às concessões de serviços públicos, julgue os itens subseqüentes.

a)Os serviços técnicos especializados dispensam a exigência de licitação.

b) O princípio da adjudicação obrigatória ao vencedor impede que a administração pública celebre o contrato com preterição da ordem de classificação das propostas ou com terceiros estranhos ao procedimento licitatório.

a)É abusivo exigir, em edital de licitação, que, na fase de habilitação, as empresas participantes comprovem capital mínimo circulante ou patrimônio líquido de 10% do valor da contratação.

52 - Q152154 ( CESPE - 2011 - TRF - 5ª REGIÃO - Juiz / Direito Administrativo / Licitações; )

Conforme o disposto no art. 3.º da Lei n. o 8.666/1993, a licitação destina-se a garantir a observância do princípio constitucional da isonomia e a selecionar a proposta mais vantajosa para a administração. Com relação ao dever constitucional de licitar e à possibilidade excepcional de não fazê- lo, assinale a opção correta.

b)É lícita constrição judicial sobre patrimônio de concessionária de serviço público por dívida de empresa que anteriormente explorava o serviço e contraída na respectiva exploração.

c)A administração pode rescindir o contrato administrativo em razão de seu descumprimento, mas não pode promover retenção do pagamento que lhe é devido.

É dispensável a licitação para a aquisição de

bem fornecido por uma única empresa.

É necessária a licitação no caso de dação

50.(CESPE-UnB/PROCURADOR/SEAD/SE/2009)

em pagamento.

A fundação estadual de saúde de determinado estado da Federação deliberou, por meio de seu órgão competente, pela realização de licitação para contratação de empresa para construir a nova sede da fundação, orçada no valor de R$ 2.500,00. Segundo

c) É inexigível a licitação para a contratação de

obra de pequeno valor.

d) Dispensa-se a licitação quando o prazo

necessário à realização do procedimento

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

17

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho licitatório for incompatível com a urgência na execução do contrato.

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

licitatório for incompatível com a urgência na execução do contrato.

54-(CESPE/PGE/PI/2008) Com relação a licitações e contratos, assinale a opção correta.

e) Nos casos de inexigibilidade de licitação, há possibilidade de competição entre particulares.

A)O princípio do sigilo na apresentação das propostas

foi implicitamente revogado com o advento da CF de

1988 e legislação posterior, que determina que o procedimento licitatório será regido pelo princípio da publicidade.

a
a

53.(CESPE-UnB/AGU/2008) Relativamente às licitações, contratos administrativos e convênios, julgue os itens a seguir.

B)Segundo o princípio da adjudicação compulsória, a administração pública está obrigada a atribuir o objeto da licitação ao vencedor, não sendo mais permitida, nessa fase, a revogação.

a)

modalidades diversas de licitação, conforme o valor da contratação a ser feita pela administração pública. Apenas no caso de consórcios formados por mais de três entes da Federação, a referida lei toma por base valores diferentes de contratação para definir a modalidade de licitação cabível.

A Lei n.º 8.666, de 21 de junho de 1993, prevê

C)Conforme o princípio do julgamento objetivo, o julgamento das propostas deve ser feito de acordo com os critérios fixados no instrumento convocatório.

D)De acordo com o princípio da moralidade, o vencedor da licitação tem direito subjetivo à adjudicação do objeto licitado.

b)

Lei n.º 8.666, de 21 de junho de 1993, são taxativas, não comportando ampliação, segundo entendimento de Maria Sylvia Zanella Di Pietro. Já em relação à inexigibilidade, a referida lei não prevê um numerus clausus. No caso de doação com encargo, estabelece o mencionado diploma legal que deverá a administração pública realizar licitação, dispensada no caso de interesse público devidamente justificado.

As hipóteses de dispensa de licitação previstas na

E)O princípio da vinculação ao instrumento convocatório destina-se exclusivamente a garantir o direito dos licitantes perante a administração pública.

55.(CESPE/PGE/PI/2008) Ainda no que se refere a licitações e contratos, assinale a opção correta.

A)Tomada de preços é a modalidade de licitação entre interessados do ramo pertinente ao seu objeto, cadastrados ou não, escolhidos e convidados, em número mínimo de três, pela unidade administrativa,

c)Segundo as normas aplicáveis às transferências de recursos da União, é vedada a celebração de convênios e contratos de repasse entre órgãos e entidades da administração pública federal, caso em que deverá ser firmado termo de cooperação, definido como instrumento administrativo por meio do qual a transferência dos recursos financeiros se processa por intermédio de instituição ou agente financeiro público federal, atuando como mandatário da União.

qual afixará, em local apropriado, cópia do

instrumento convocatório e o estenderá aos demais cadastrados na correspondente especialidade que manifestarem seu interesse com antecedência de até 24 horas da apresentação das

propostas.

B)Concurso é a modalidade de licitação entre quaisquer interessados para escolha de trabalho técnico, científico ou artístico, mediante a instituição de prêmios ou remuneração aos vencedores,

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

18

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho conforme critérios constantes de edital publicado na imprensa oficial com

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

conforme critérios constantes de edital publicado na imprensa oficial com antecedência mínima de 45 dias.

C)De acordo com a Lei n.º 8.666/1993, é lícita a criação de outras modalidades de licitação, bem como a combinação das modalidades já existentes.

D)correta, pois, geralmente, as contratações de serviços de publicidade são de baixo valor, o que assegura a contratação direta, sem licitação. E errada, pois prefeituras são impedidas de contratar serviços de publicidade.

D)É inexigível a licitação referente a compras ou contratações de serviços para o abastecimento de navios, embarcações, unidades aéreas ou tropas e seus meios de deslocamento quando em estada eventual de curta duração em portos, aeroportos ou localidades diferentes de suas sedes, por motivo de movimentação operacional ou de adestramento.

57.(CESPE/PGE/CE/2008) Acerca dos processos licitatórios, assinale a opção correta.

E)É inexigível a licitação na contratação de fornecimento ou suprimento de energia elétrica e gás
E)É inexigível a licitação na contratação de
fornecimento ou suprimento de energia elétrica e gás
natural com concessionário, permissionário ou
autorizado, segundo as normas da legislação
específica.
56. (CESPE/PGE/PB/2008) Um prefeito, tendo
realizado contratação direta de um publicitário para
a realização dos serviços de publicidade institucional
da prefeitura, justificou o seu ato sob o argumento
de que, por se tratar de serviço técnico de notória
especialização, não seria exigível a licitação. Na
situação apresentada, a atitude do prefeito, à luz da
Lei de Licitações, deve ser considerada
A)correta, visto que, de fato, por constituir serviço
técnico de notória especialização, a mencionada
contratação dispensaria procedimento licitatório.
B)errada,
pois
não
se
trata
de
hipótese
de
inexigibilidade
de
licitação,
mas
de
dispensa
de
licitação.
ATOS ADMINISTRATIVOS

A)Considera-se deserta a licitação quando nenhum dos interessados é selecionado em decorrência de inabilitação ou desclassificação.

B)A modalidade de licitação denominada pregão, nos termos da legislação vigente, somente pode ser adotada no âmbito da União.

C)É inexigível a licitação para a compra ou locação de imóvel destinado ao atendimento das finalidades precípuas da administração, desde que o preço seja compatível com o valor de mercado.

D)Na modalidade de licitação denominada pregão, caso o licitante vencedor seja inabilitado, o pregoeiro deverá declarar a licitação fracassada e realizar novo julgamento.

E)Havendo interesse público superveniente, a administração poderá deixar de firmar o contrato, ainda que o resultado da licitação já tenha sido homologado.

C)errada, pois serviços de publicidade não podem ser classificados como de notória especialização, sendo necessário o procedimento de licitação para a contratação desse tipo de serviço.

58.(CESPE-UnB/ADVOGADO/IBRAM/DF/2009) A Lei n.º 4.717/1965, ao regular a ação popular, estabelece, em seu art. 2.º, as hipóteses de nulidade de atos lesivos ao patrimônio das entidades definidas em seu art. 1.º. A doutrina administrativista majoritária utiliza aquele

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

19

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho dispositivo como norteador da definição dos elementos dos atos

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

dispositivo como norteador da definição dos elementos dos atos administrativos e das situações de invalidade. A respeito dos atos administrativos, invalidade e controle, julgue os próximos itens.

a)Consoante disposto na Lei n.º 9.784/1999, que regula o processo administrativo, a administração tem o dever de anular os atos administrativos eivados de vício de legalidade, no exercício de sua autotutela, podendo convalidar aqueles que apresentem defeitos sanáveis, desde que não acarretem lesão ao interesse público e nem prejuízo a terceiros.

direitos adquiridos poderão ser revogados unilateralmente pela administração.

b)O direito de a administração anular os atos administrativos de que decorram efeitos favoráveis para os destinatários expira em cinco anos, contados da data em que foram praticados, salvo comprovada má-fé.

da data em que foram praticados, salvo comprovada má-fé. 60.(CESPE-UnB/PGE/ES/2008) Em cada um dos itens seguintes,

60.(CESPE-UnB/PGE/ES/2008) Em cada um dos itens seguintes, é apresentada uma observação feita por secretário estadual sobre atos administrativos que sua pasta realizara. Julgue-as de acordo com o entendimento predominante no STJ e no STF.

b)Conforme entendimento do Superior Tribunal de Justiça (STJ), o controle jurisdicional a respeito do ato administrativo que impõe sanção disciplinar restringe- se aos seus aspectos meramente formais.

a)Um servidor deve pedir demissão porque irá tomar posse em outro cargo público.

c)Conforme a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF), não cabe impetração de mandado de segurança quando o ato coator puder ser impugnado por recurso administrativo provido de efeito suspensivo.

b)A circunstância de haver removido um servidor do hospital estadual localizado na capital para longínqua cidade no interior, como punição pelas reiteradas ausências aos plantões, não caracteriza desvio de finalidade porque, como secretário, agi dentro de minha competência de lotar servidores onde for melhor para o interesse público.

D) Considere que a administração pública, em interpretação equivocada da lei, tenha incorporado à remuneração de um servidor, duas vantagens que não poderiam ser cumuladas, e que após cinco meses dessa incorporação, percebendo o equívoco na concessão, passou a descontar 10% da remuneração mensal do servidor, até a integral restituição. Nessa situação, segundo o entendimento do STJ, essa restituição foi feita validamente, uma vez que observou o limite legal de desconto na remuneração mensal, previsto no patamar de 30%, nos termos da Lei n.º 8.112/1990.

c)Como secretário, expedi ato administrativo enunciativo para disciplinar o funcionamento da administração e a conduta funcional dos servidores da secretaria sob minha responsabilidade.

d)Como secretário estadual, não posso determinar a demolição de prédio com alvará de construção legalmente expedido, mesmo diante de lei nova que, em tese, proibiria a edificação, porque não se pode retroagir a nova norma para prejudicar o direito adquirido e o ato jurídico perfeito.

59.(CESPE-UnB/ANALISTA/TRT17/2009) Com relação aos atos administrativos, julgue os itens

a)Tendo em vista razões de conveniência e oportunidade no atendimento do interesse público, mesmo os atos administrativos dos quais resultarem

61.(CESPE-UnB/AGU/2008) Acerca da advocacia pública consultiva, julgue o item a seguir.

No que tange às repercussões da natureza jurídico- administrativa do parecer jurídico, o STF entende que:

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

20

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho quando a consulta é facultativa, a autoridade não se vincula

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

quando a consulta é facultativa, a autoridade não se vincula ao parecer proferido, de modo
quando a consulta é facultativa, a autoridade não se
vincula ao parecer proferido, de modo que seu poder
de decisão não se altera pela manifestação do órgão
consultivo; por outro lado, quando a consulta é
obrigatória, a autoridade administrativa se vincula a
emitir o ato tal como submetido à consultoria, com
parecer favorável ou contrário, e, se pretender
praticar ato de forma diversa da apresentada à
consultoria, deverá submetê-lo a novo parecer; por
fim, quando a lei estabelece a obrigação de decidir à
luz de parecer vinculante, essa manifestação de teor
jurídico deixa de ser meramente opinativa, não
podendo a decisão do administrador ir de encontro à
conclusão do parecer.
63 - Q142855 ( CESPE - 2011 - TJ-PB - Juiz / Direito
Administrativo / Atos Administrativos; )
Com relação ao ato administrativo, assinale a opção
correta.
a) O motivo do ato administrativo vinculado
confunde-se com a motivação, razão pela qual
a ausência de qualquer deles, por si só, não
vicia o ato.
b)
Há tendência na doutrina e na
62.(CESPE/PGM/Natal/2008) Considerando a
doutrina e a jurisprudência majoritárias acerca da
invalidação dos atos administrativos, assinale a
opção correta.
jurisprudência administrativa no sentido de
que a presunção de legitimidade como
atributo do ato administrativo deve ser
considerada como prerrogativa indevida em
favor da administração pública.
c)
De acordo com a jurisprudência majoritária
dos tribunais superiores, a aposentadoria de
A)Com
base
em
seu poder de autotutela, a
administração pública pode invalidar atos
administrativos insanáveis, sendo imprescindível a
observância do devido processo legal em todos os
casos.
servidor público é ato administrativo
composto, que somente se perfaz com o
exame realizado pelo respectivo tribunal de
contas.
d)
Os princípios da solenidade e do excesso de
B)Com base em seu poder de autotutela, a
administração pública pode invalidar atos
administrativos insanáveis. Nesse caso, quando
houver repercussão na esfera dos direitos individuais,
deverá ser observado o devido processo legal.
formalismo incidem tanto sobre o meio de
exteriorização do ato administrativo (forma)
quanto sobre o de comprovação do ato
(prova).
e)
Conforme decisão do STF, a invalidação do
C)O poder de autotutela da administração pública,
que lhe permite invalidar atos administrativos, só
pode ser exercido quando o desfazimento do ato não
repercuta no âmbito dos direitos individuais dos
administrados. Nesse caso, a administração pública
deve recorrer ao Poder Judiciário, pleiteando o
desfazimento do ato em juízo.
ato administrativo não terá necessariamente
efeitos retroativos quando incidente sobre
ato ampliativo de direitos, caso seja
comprovada a boa-fé do administrado
beneficiado pela ilegalidade insanável.

D)O poder de autotutela da administração pública, que lhe permite invalidar atos administrativos, não atinge os beneficiários do ato que estejam de boa-fé.

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

21

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho 64. - Q142861 ( CESPE - 2011 - TJ-PB -

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

64. - Q142861 ( CESPE - 2011 - TJ-PB - Juiz / Direito Administrativo / Atos Administrativos; )

Acerca do controle jurisdicional de legalidade dos atos administrativos, assinale a opção correta.

65.(CESPE/ADVOGADO/HEMOBRAS/2009) A respeito do direito administrativo, julgue os itens abaixo.

a)O mérito administrativo consiste no poder conferido por lei ao administrador para que ele, nos atos discricionários, decida sobre a oportunidade e conveniência de sua prática.

a)

administrativos permite, atualmente, que o magistrado substitua o administrador e reavalie o mérito do ato administrativo, com a

A evolução no controle judicial dos atos

com a A evolução no controle judicial dos atos É ilegítima a verificação, pelo Poder O

É ilegítima a verificação, pelo Poder

O STJ firmou jurisprudência no sentido de

b) Os atos administrativos possuem presunção de legitimidade.

66.(PGE/PGEPA/2009) Das proposições abaixo, duas estão CORRETAS e duas INCORRETAS, analise-as e após assinale a resposta CORRETA:

I. O instituto da coisa julgada, conceituado por alguns doutrinadores, é “a imutabilidade que adquire a prestação jurisdicional do Estado, quando entregue definitivamente”. A definitividade da decisão administrativa, quando ocorre, é relativa, porque pode ser ainda apreciada pelo Poder Judiciário, não podendo este, contudo, decidir de forma contrária à decisão proferida no âmbito administrativo.

II. Prescrição administrativa, no conceito de certo doutrinador, é a situação jurídica pela qual o administrado ou a própria Administração perdem o direito de formular pedidos ou firmar manifestações em virtude de não o terem feito no prazo adequado. Todavia, a perda do prazo para interposição de recurso administrativo pelo administrado caracteriza hipótese de decadência para parte da doutrina pátria, vez que provoca a perda da faculdade de recorrer.

III. Ocorrendo a prescrição administrativa, o interessado não poderá mais ingressar em juízo para alcançar seu objetivo, vez que a prescrição administrativa provoca a perda do direito de ação.

IV.No curso de um processo administrativo, de acordo com a legislação em vigor, se o recorrente alegar que a decisão administrativa contraria enunciado de súmula vinculante, deve a autoridade decisória, no caso de não a reconsiderar, consignar de forma

finalidade de alterar a conveniência e oportunidade manifestadas pela administração na realização do referido ato.

b)

possível o controle judicial das omissões administrativas ilícitas, em razão da discricionariedade conferida ao administrador para decidir o momento de agir.

A doutrina majoritária entende não ser

c)

judicial de ato parlamentar (político), na hipótese de ofensa a direito público subjetivo previsto na CF, razão pela qual tal controle

O STF decidiu pela legitimidade do controle

não se caracterizaria como interferência na esfera de outro poder.

d)

Judiciário, da regularidade do ato discricionário no que se refere às suas causas, motivos e finalidades.

e)

que o exame dos atos da banca examinadora e das normas do edital de concurso público pelo Poder Judiciário não se restringe aos princípios da legalidade e da vinculação ao edital.

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

22

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho explícita, os motivos da aplicabilidade ou inaplicabilidade da súmula,

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

explícita, os motivos da aplicabilidade ou inaplicabilidade da súmula, antes da remessa do recurso à autoridade superior.

a) Os itens I e III estão INCORRETOS e os itens II e IV

CORRETOS.

b) Os itens I e II estão INCORRETOS e os itens III e IV

CORRETOS.

c)

CORRETOS.

d)

CORRETOS.

Os itens II e III estão INCORRETOS e os itens I e IV

C)Consoante com a lei, no contrato administrativo, as partes podem, em comum acordo, aumentar ou diminuir ilimitadamente o quantitativo inicialmente contratado, em atenção ao princípio da liberdade contratual.

D)Caso a TERRAPLAN não execute o contrato na forma em que pactuado, a administração poderá rescindi-lo unilateralmente, executar a garantia contratual, mas não poderá reter os créditos decorrentes do contrato nem aplicar qualquer sanção à empresa.

Os itens I e IV estão INCORRETOS e os itens II e III

ADMINISTRATIVOS / CONSÓRCIOS /
ADMINISTRATIVOS
/
CONSÓRCIOS
/

68.(CESPE/PGE/PB/2008) A respeito dos contratos administrativos, assinale a opção incorreta.

CONTRATOS

A)É possível a existência de contrato administrativo com prazo de vigência indeterminado.

SERVIÇOS PÚBLICOS

67.(CESPE/ADVOGADO/CEHAP/PB/2009) No processo de urbanização de determinada área, o estado da Paraíba contratou a empresa TERRAPLAN para a execução dos serviços de terraplanagem. Durante a execução do contrato, a administração verificou que era grande a demanda por moradia na região. Assim, resolveu celebrar termo aditivo para aumentar a área beneficiada pelos serviços, o que ocasionaria um acréscimo de 22% no valor do contrato. Considerando a situação hipotética apresentada, assinale a opção correta.

B)Fato do príncipe é situação ensejadora da revisão contratual para a garantia da manutenção do equilíbrio econômicofinanceiro do contrato.

C)Força maior e caso fortuito são eventos imprevisíveis e inevitáveis, que geram para o contratado excessiva onerosidade ou mesmo impossibilidade da normal execução do contrato.

D)Ocorre fato da administração quando uma ação ou omissão do poder público especificamente relacionada ao contrato impede ou retarda a sua execução.

A)A empresa TERRAPLAN pode se negar a celebrar o termo aditivo e, consequentemente, a executar o serviço adicional, uma vez que a modificação do contrato depende da vontade de ambos os contratantes.

E)Interferências imprevistas consistem em elementos materiais que surgem durante a execução do contrato, dificultando extremamente a sua execução e tornando-a insuportavelmente onerosa.

B)A empresa TERRAPLAN terá de executar o serviço adicional independentemente de sua vontade, porquanto os contratos administrativos podem ser alterados unilateralmente pela administração quando necessário o acréscimo no quantitativo do objeto. Esse acréscimo, contudo, não pode superar em 25% o valor inicialmente previsto no contrato.

69.(CESPE/PGE/CE/2008) Assinale a opção correta com relação a contratos administrativos.

a)Quando a administração celebra contratos administrativos, as cláusulas exorbitantes existem implicitamente, ainda que não expressamente previstas. Quando a administração celebra contratos

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

23

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho de direito privado, as cláusulas exorbitantes têm de ser expressamente

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

de direito privado, as cláusulas exorbitantes têm de ser expressamente previstas, com base em lei que derrogue o direito comum.

reestruturação e desenvolvimento institucional, voltado para a melhoria da qualidade de gestão e para a redução de custos.

B)Uma das peculiaridades do contrato administrativo é a possibilidade de a administração rescindi-lo unilateralmente. Porém, essa faculdade somente poderá ser exercida se houver inadimplemento por parte da contratada.

III. As organizações sociais enquadram-se no que o

Plano Diretor da Reforma do Aparelho de Estado denomina de serviços exclusivos, que são aqueles que

o próprio Estado realiza ou subsidia. O Estado tem

IV. o a) Somente o item I é CERTO. b) Somente o item II é
IV.
o
a) Somente o item I é CERTO.
b) Somente o item II é CERTO.
c) Somente o item III é CERTO.
d) Somente o item IV é CERTO
indeterminado.

interesse nesses serviços porque os considera de alta relevância para os direitos humanos ou porque envolvem economias externas.

C)Caracteriza-se o fato do príncipe quando a administração, como parte contratual, torna impossível a execução do contrato ou provoca seu desequilíbrio econômico.

Se a demissão de servidor público estável for

invalidada por sentença judicial será ele reintegrado e

eventual ocupante de sua vaga, se estável, será reconduzido ao cargo de origem, com direito à indenização, ou posto em disponibilidade com remuneração integral.

D)Álea administrativa é todo acontecimento externo ao contrato, estranho à vontade das partes, imprevisível e inevitável, que causa um desequilíbrio muito grande, tornando a execução do contrato excessivamente onerosa para o contratado.

E)Entre as modalidades de contrato administrativo estão a concessão de serviço público, o contrato de obra pública, a permissão de uso de bem público e a autorização administrativa.

71.(CESPE/Procurador Consultivo/TCEPE/2004) Com referência a concessões e permissões de serviços públicos, julgue os itens subseqüentes.

a)Quando a permissão se der a título precário, será dispensada a licitação.

70.(PGE/PGEPA/2009) Analise as proposições abaixo e assinale a alternativa CORRETA:

b)As permissões de serviço público são formalizadas mediante contrato de adesão.

I.

organização social, poderá receber, do Poder Público, recursos orçamentários e bens, móveis ou imóveis,

A pessoa jurídica, uma vez qualificada como

c)É vedada a concessão de serviço público por prazo

necessários ao cumprimento do contrato de gestão, mediante concessão de uso, após o devido processo de licitação pública.

72.(CESPE/AGU/2008) Acerca das parcerias público- privadas, julgue o seguinte item.

II. Existem normas infraconstitucionais prevendo a

possibilidade de autarquias e fundações receberem a

qualificação de agências executivas desde que celebrem contrato de gestão com o respectivo Ministério Superior e tenham plano estratégico de

Concessão patrocinada é a concessão de serviços públicos ou de obras públicas de que trata a Lei n.º 8.937/1995, quando envolver, adicionalmente à tarifa cobrada dos usuários, contraprestação pecuniária do

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

24

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho parceiro público ao parceiro privado. Por sua vez, concessão

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

parceiro público ao parceiro privado. Por sua vez, concessão administrativa é o contrato de prestação de serviços de que a administração pública seja a usuária direta ou indireta, ainda que envolva execução de obra ou fornecimento e instalação de bens.

da pessoa jurídica de direito público interno que transferiu a execução dos serviços se comprovar que esse ente público concorreu para a ocorrência do evento danoso. Dessa forma, a responsabilidade subsidiária do concedente pressupõe a existência de culpa concorrente.

73.(CESPE/ADVOGADO/CEHAP/PB/2009) As parcerias público-privadas (PPPs) abrem oportunidade para ampliar a participação do setor privado na provisão de serviços, em especial no setor de infraestrutura, potencializando ganhos de eficiência e desoneração dos contribuintes. Constituem, assim, instrumento fundamental para ampliar os investimentos públicos. O sucesso do programa de PPP depende da adequada modelagem dos projetos, identificando com clareza os benefícios líquidos associados e sua sustentabilidade financeira. Internet: <www.tesouro.fazenda.gov.br> (com adaptações). Considerando o texto acima e o tema da descentralização dos serviços públicos, assinale a opção correta.

adequado dos a) b) em ambas as situações. c)
adequado
dos
a)
b)
em ambas as situações.
c)

74 - Q152151 ( CESPE - 2011 - TRF - 5ª REGIÃO - Juiz / Direito Administrativo / Parcerias Público-Privadas; )

Considere as situações hipotéticas I e II, a seguir.

I O Estado brasileiro deseja transferir para o setor privado o serviço de conservação e manutenção de estradas com a instituição da cobrança de pedágio, cuja arrecadação será suficiente para a remuneração de serviços e obras necessários ao atendimento

usuários.

II O Estado brasileiro deseja transferir para o setor privado a conservação e a manutenção de presídios, serviço que, por não ser autossustentável financeiramente, demandará o aporte de recursos públicos.

A)Enquanto as concessões comuns, reguladas por lei, são divididas em concessões de serviço público simples e concessões de serviço público precedidas de execução de obra pública, as PPPs se dividem em concessão patrocinada e concessão administrativa.

Com base nessas situações e na Lei n.º 11.079/2004, que dispõe sobre PPPs, assinale a opção correta.

É admissível a celebração de contrato de

B)A celebração de contrato de PPP, qualquer que seja o valor envolvido na contratação, é autorizada por lei.

PPP na situação I, de acordo com a discricionariedade do administrador.

C)Como os serviços públicos objeto de concessão e de permissão são prestados por pessoas jurídicas de direito privado, os danos causados por estas aos usuários dos serviços devem ser reparados, desde que comprovados o nexo de causalidade e a culpa da concessionária/permissionária na ocorrência do evento danoso.

É vedada a celebração de contrato de PPP

Cabe a celebração de contrato de PPP tanto

na situação I quanto na situação II, independentemente de o empreendimento ser autossustentável financeiramente ou não.

D)A doutrina brasileira é unânime ao afirmar que, caso a concessionária não tenha condições financeiras de reparar o dano por ela causado ao usuário dos serviços prestados, o lesado somente poderá cobrar

d) Permite-se a celebração de contrato de PPP

apenas na situação I, que trata de

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

25

empreendimento autossustentável financeiramente. e) Apenas na situação II, que trata de empreendimento não

empreendimento autossustentável financeiramente.

e) Apenas na situação II, que trata de empreendimento não autossustentável financeiramente, admite-se a celebração de contrato de PPP.

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

77.(CESPE-UnB/Procurador Consultivo/TCEPE/2004) Com referência a concessões e permissões de serviços públicos, julgue os itens subseqüentes.

a)Quando a permissão se der a título precário, será dispensada a licitação.

b)As permissões de serviço público são formalizadas mediante contrato de adesão. 75.(CESPE-UnB/AGU/2008)
b)As permissões de serviço público são formalizadas
mediante contrato de adesão.
75.(CESPE-UnB/AGU/2008) Relativamente aos
consórcios públicos, julgue o item seguinte.
c)É vedada a concessão de serviço público por prazo
indeterminado.
No caso de constituir associação pública, o consórcio
público adquirirá personalidade jurídica de direito
público, mediante a vigência das leis de ratificação do
protocolo de intenções. Nesse caso, a associação
pública integrará a administração indireta de todos os
entes da Federação consorciados. A União somente
participará de consórcios públicos de que também
façam parte todos os estados em cujos territórios
estejam situados os municípios consorciados.
76.(PGE/PGEPA/2009) No que se refere aos
consórcios públicos é INCORRETO afirmar:
a) Os
objetivos
dos
consórcios
públicos
serão
determinados pelos entes da Federação que se
consorciarem, observados os limites constitucionais.
b)
Configura improbidade administrativa a celebração
de qualquer ajuste para a gestão associada sem a
observância das formalidades previstas na Lei n.
11.107/2005 que dispõe sobre normas gerais de
contratação de consórcios públicos.

c) Para o cumprimento dos objetivos do consórcio

público, este poderá promover desapropriações nos termos do contrato de consórcio de direito público.

d) O consórcio público adquirirá personalidade

jurídica de direito privado, no caso de constituir associação pública.

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

26

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho GABARITO 23)-B 1)-A)CERTO 24)-A)CERTO B)ERRADO B)CERTO C)CERTO

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

GABARITO 23)-B 1)-A)CERTO 24)-A)CERTO B)ERRADO B)CERTO C)CERTO 2)-A)ERRADO B)CERTO 25)-A)CERTO C)CERTO B)CERTO
GABARITO
23)-B
1)-A)CERTO
24)-A)CERTO
B)ERRADO
B)CERTO
C)CERTO
2)-A)ERRADO
B)CERTO
25)-A)CERTO
C)CERTO
B)CERTO
3)-A
26)-A)CERTO
B)ERRADO
4)-A)C
B)C
27)-D
C)E
28)-B
D)C
29)-D
30)-A)ERRADO
5)-E
B)CERTO
6)-CERTO
C)CERTO
7)-ERRADO
D)ERRADO
8)-B
9)-A)E
31)-C
B)C
32)-ERRADO
C)E
33)-ERRADO
34)-CERTO
10)-C
35)-E
11)-ERRADO
36)-A
12)-A)E
37)-B
B)C
38)-A)CERTO
C)C
B)ERRADO
D)C
39)-A)CERTO
13)-A)E
B)ERRADO
B)C
C)C
40)-ERRADO
14)-E
41)-ERRADO
15)-D
42)-A)ERRADO
16)-D
B)ERRADO
17)-D
18)-E
43)-A)CERTO
19)-A)CERTO
B)ERRADO

B)ERRADO

 

44)-D

20)-ERRADO

45)-B

21)-C

46)-B

22)-D

47)-B

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

27

AGU/DPU Direito Administrativo Mathes Carvalho 48)-C 71)-A)CERTO 49)-A)CERTO B)ERRADO B)CERTO C)ERRADO C)CERTO

AGU/DPU

Direito Administrativo Mathes Carvalho

48)-C 71)-A)CERTO 49)-A)CERTO B)ERRADO B)CERTO C)ERRADO C)CERTO 72)-CERTO 73)-A 50)-ERRADO 74)-E 51)-A)ERRADO
48)-C
71)-A)CERTO
49)-A)CERTO
B)ERRADO
B)CERTO
C)ERRADO
C)CERTO
72)-CERTO
73)-A
50)-ERRADO
74)-E
51)-A)ERRADO
75)-C
B)CERTO
76)-D
77)A)ERRADO
52)-D
B)CERTO
53)-A)ERRADO
C)CERTO
B)CERTO
C)ERRADO
54)-C
55)-B
56)-C
57)-E
58)-A)CERTO
B)ERRADO
C)CERTO
D)ERRADO
59)-A)ERRADO
B)CERTO
60)-A)ERRADO
B)ERRADO
C)ERRADO
D)CERTO
61)-CERTO
62)-B
63)-E
64)-C
65)-A)ERRADO
B)ERRADO

66)-A

67)-B

68)-A

69)-A

70)-B

Complexo de Ensino Renato Saraiva | www.renatosaraiva.com.br | (81) 3035 0105

28