Você está na página 1de 62

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

Eng.Eng. JoaquimJoaquim GomesGomes PereiraPereira Eng.Eng. EletricistaEletricista ee dede SeguranSeguranççaa nono
Eng.Eng. JoaquimJoaquim GomesGomes PereiraPereira
Eng.Eng. EletricistaEletricista ee dede SeguranSeguranççaa nono TrabalhoTrabalh
Coordenador da NR10NR10

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

MINISTÉRIO MINISTMINISTÉÉRIORIO DO DODO TRABALHO TRABALHOTRABALHO E EE EMPREGO EMPREGOEMPREGO REGULAÇÃO
MINISTÉRIO MINISTMINISTÉÉRIORIO DO DODO TRABALHO TRABALHOTRABALHO E EE EMPREGO EMPREGOEMPREGO
REGULAÇÃO REGULAREGULAÇÇÃOÃO DAS DASDAS RELAÇÕES RELARELAÇÇÕESÕES TRABALHISTAS TRABALHISTASTRABALHISTAS
LEGISLAÇÃO LEGISLALEGISLAÇÇÃOÃO E EE AUDITORIA AUDITORIAAUDITORIA FISCAL FISCALFISCAL
CLT CLTCLT / // Legislações LegislaLegislaççõesões complementares complementarescomplementares / // acordos acordosacordos e ee convenções convenconvenççõesões
≈ ≈ 3.000 3.000 Auditores Auditores Fiscais. Fiscais.
Saúde SaSaúúdede e ee Segurança SeguranSeguranççaa no nono Trabalho TrabalhoTrabalho
Capítulo CapCapíítulotulo V VV da dada CLT- CLTCLT-- Port. PortPort 3.214/78 3.214/783.214/78 e ee Legislações LegislaLegislaççõesões complementares complementarecomplementare
33 33 Normas Normas Regulamentadoras Regulamentadoras - - NR NR
NR-10 - Segurança em instalações e serviços em eletricidade
NRNR--1010
- Segurança em instalações e serviços em eletricidade
2

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

OO modelomodelo econômicoeconômico adotadoadotado nosnos anosanos 9090 Transformação na organização do trabalho e
OO modelomodelo econômicoeconômico adotadoadotado nosnos anosanos 9090
Transformação na organização do trabalho e da
produção (dimensões econômicas, sociais, políticas)
Gestão da produção / reorganização do trabalho /
inovação tecnológica.
Redução de mão de obra ( Reengenharia, downsizing,
PDV)
Terceirização / cooperativação do trabalho
Precarização de segurança e saúde no trabalho
ACIDENTESACIDENTES NONO TRABALHOTRABALHO
3

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

Acidentes AcidentesAcidentesAcidentes no nonono trabalho trabalhotrabalhotrabalho
Acidentes AcidentesAcidentesAcidentes
no nonono trabalho trabalhotrabalhotrabalho

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Panorama nacional
Panorama nacional de óbitos no trabalho Levantamento sobre a massa registrada - informações INSS 2000
Panorama nacional de óbitos no trabalho
Levantamento sobre a massa registrada
-
informações INSS
2000
2001
2002 2003
2004
2005
2006
27 milhões
29 milhões
30 milhões
31milhões
33 milhões
35milhões
37milhõ
3.0943.094 2.7532.753
2.9682.968 2.6342.634
2.8392.839
2.7082.708 2.7172.71
0,0114 %
0,0094 %
0,0099 %
0,0085 %
0,0086 %
0,0077 %
0,0073 %

Panorama de óbitos no trabalho - trabalhadores do setorsetor eleléétricotrico. - Informações - Fundação COGE

2000

101 mil

6464

0,063 %

2001

97 mil

7777

0,079 %

2002

96 mil

7878

0,081 %

2003

97 mil

8080

0,082 %

2004

96 mil

6161

0,063 %

2005

98 mil

7575

0,077 %

2006

101 mil

9393

0.092%

ANO Massa Registrada

Óbitos trabalho

% óbitos x massa

ANO

Massa Registrada

ÓÓbitosbitos AcidAcid nono trabalhotrabalho

% óbitos x Massa

OMPARAOMPARAÇÇÃO:ÃO:

2000 2001 2002 2003 2004 2005 ÓBITOS SETOR ELÉTRICO x NACIONAL 4,24,2 5,75,7 5,95,9 7,07,0
2000
2001
2002 2003
2004 2005
ÓBITOS
SETOR ELÉTRICO
x
NACIONAL
4,24,2
5,75,7
5,95,9
7,07,0
4,54,5
1010
X
maior
X
maior
X
maior
X
maior
X
maior
X
maior

2006

1212

X.maio

5

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Objetivos

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Objetivos Objetivos
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Objetivos Objetivos

ObjetivosObjetivos dada atualizaatualizaççãoão dada NR10NR10

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

controlecontrole dosdos riscosriscos emem InstalaInstalaççõesões ElEléétricastricas
controlecontrole dosdos riscosriscos emem
InstalaInstalaççõesões ElEléétricastricas
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Procedimentos

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

ProcedimentosProcedimentos destinadosdestinados aoao controlecontrole dosdos riscosriscos emem InstalaInstalaççõesões ElEléétricastricas

ao ao controle controle dos dos riscos riscos em em Instala Instala ç ç ões ões

8

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Procedimentos

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

ProcedimentosProcedimentos destinadosdestinados aoao controlecontrole dosdos riscosriscos emem InstalaInstalaççõesões ElEléétricastricas

ao ao controle controle dos dos riscos riscos em em Instala Instala ç ç ões ões
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Medidas

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

Medidas de ação em resgate e primeiros socorros envolvendo instalações elétricas

s a aç es e serv ços e r cos Medidas de ação em resgate e
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Evitar

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

Evitar acidentes com lesões ou fatalidades

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Evitar acidentes
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Evitar acidentes
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Evitar

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

Evitar Acidentes com perdas materiais

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Evitar Acidentes
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos NR10

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

NR10NR10 SeguranSeguranççaa emem InstalaInstalaççõesões ee ServiServiççosos emem EletricidadeEletricidade

GestãoGestão em segurança e saúde com instalações e serviços com energia elétrica

e

Responsabilidadesesponsabilidades

em

todo

o

processo

de

trabalho.

serviços com energia elétrica e Responsabilidades esponsabilidades em todo o processo de trabalho. 13
serviços com energia elétrica e Responsabilidades esponsabilidades em todo o processo de trabalho. 13
serviços com energia elétrica e Responsabilidades esponsabilidades em todo o processo de trabalho. 13
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos ONDE

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

ONDEONDE SESE APLICA?????APLICA?????

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos ONDE ONDE
14
14

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

MaioresMaiores impactosimpactos dada NR10.NR10.
MaioresMaiores impactosimpactos
dada NR10.NR10.
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos MaioresMaiores impactosimpactos

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

É aplicada a todas as fases de geração, transmissão, distribuição e consumo, incluindo as etapas
É aplicada a todas as fases de
geração, transmissão, distribuição e
consumo, incluindo as etapas de
projeto, construção, montagem,
operação, manutenção das
instalações elétricas, e quaisquer
trabalhostrabalhos realizadosrealizados nasnas suassuas
proximidadesproximidades

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos TRABALHOS EM

TRABALHOS EM PROXIMIDADES

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos TRABALHOS EM

– egurança em ns a aç es e serv ços e

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos TRABALHOS EM

r cos

TRABALHOS EM PROXIMIDADES

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos TRABALHOS EM
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos 10.2.

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

10.2. Todas as empresas estão obrigadas a manter esquema unifilares atualizados das instalações elétricas dos seus estabelecimentos

estão obrigadas a manter esquema unifilares atualizados das instalações elétricas dos seus estabelecimentos 19
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos 10.2.8

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

10.2.8 Medidas de proteção coletiva

☺☺ PriorizaPriorizaççãoão –
☺☺
PriorizaPriorizaççãoão –
proteção coletiva ☺☺ PriorizaPriorizaççãoão – ☺ ☺ Desenergiza Desenergiza ç ç ão ão da da

DesenergizaDesenergizaççãoão dada instalainstalaççãoão eleléétrictricaa

da instala instala ç ç ão ão el el é é tric tric a a A

A desenergização é um conjunto de ações coordenadas entre si, seqüenciadas e controladas, Seccionamento; Impedimento de reenergização; Comprovação da ausência de tensão elétrica; Aterramento do circuito ou conjunto elétrico com equipotencialização dos condutores dos circuitos; proteção dos elementos energizados existentes na zona controlada (Anexo I); Sinalização de impedimento de energização.

destinadas a garantir a efetiva ausência de tensão no circuito, trecho ou ponto de trabalho, durante todo o tempo de intervenção e sob controle dos trabalhadores envolvidos.

Redução total do risco elétrico nas intervenções com

i

t

l

õ

lét i

20

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos 10.2.8

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

10.2.8 Medidas de proteção coletiva Impedimento da reenergização

de proteção coletiva Impedimento da reenergização MULTIBLOQUEIO TRAVADO COM CADEADOS NUMERADOS ETIQUETAS 21

MULTIBLOQUEIO

de proteção coletiva Impedimento da reenergização MULTIBLOQUEIO TRAVADO COM CADEADOS NUMERADOS ETIQUETAS 21

TRAVADO COM CADEADOS NUMERADOS

ETIQUETAS

de proteção coletiva Impedimento da reenergização MULTIBLOQUEIO TRAVADO COM CADEADOS NUMERADOS ETIQUETAS 21
de proteção coletiva Impedimento da reenergização MULTIBLOQUEIO TRAVADO COM CADEADOS NUMERADOS ETIQUETAS 21

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos 10.2.8 Medidas

10.2.8 Medidas de proteção coletiva VERIFICAÇÃO DE AUSÊNCIA DE TENSÃO

Catetegorias para Instrumentos de Medição: Nível de energia de impulsos de tensão são dependentes da
Catetegorias para Instrumentos de Medição:
Nível de energia de impulsos de tensão são
dependentes da localização. Quanto mais próximo
a fonte de energia, maior o risco de ocorrências
perigosas e maior deve ser a categoria.
IEC 61010 define 4 localizações ou Categorias:
CAT IV
Origem da instalação - cabines de
entrada e outros cabeamentos externos
CAT III
Distribuição da instalação, incluindo
barramentos principais, alimentadores e cargas
permanentemente instaladas
CAT II
Tomadas ou plugues; cargas removíveis.
CAT I
Circuitos eletrônicos protegidos.

22

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Medidas

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

MedidasMedidas dede proteproteççãoão IndividuaisIndividuais

E, quando as medidas de proteção coletiva não forem suficientes ou completas então aplicam-se os EPI - EquipamentoEquipamento dede ProteProteççãoão

individuaisindividuais

de de Prote Prote ç ç ão ão individuais individuais ☺ Calçado –(serv. Elétricos); ☺ Capacete

Calçado –(serv. Elétricos); Capacete de segurança; Luvas isolantes (outras); Óculos de segurançaç Vestimentas de trabalho ; Cinto de segurança (c/trava qedas) Talabarte; Outros em atendimanto ao risco

de trabalho ; ☺ Cinto de segurança (c/trava qedas) ☺ Talabarte; ☺ Outros em atendimanto ao
:
:
de trabalho ; ☺ Cinto de segurança (c/trava qedas) ☺ Talabarte; ☺ Outros em atendimanto ao
de trabalho ; ☺ Cinto de segurança (c/trava qedas) ☺ Talabarte; ☺ Outros em atendimanto ao

MedidasMedidas dede proteproteççãoão IndividuaisIndividuais

egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos EPI: Vestimentas
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos EPI: Vestimentas

EPI: Vestimentas de trabalho com proteção contra a inflamabilidade:

AnAnááliselise dede risco;risco;

CCáálculolculo dada EnergiaEnergia incidenteincidente comcom decisãodecisão sobresobre oo usouso ee escolhaescolha dede classeclasse dada vestimenta;vestimenta; (NFPA.70(NFPA.70--EE IEEE)IEEE)

AdequaAdequaççãoão -- confortoconforto dodo trabalhador;trabalhador;

SistematizaSistematizaççãoão periodicidadeperiodicidade dede trocatroca ee higienizahigienizaçção.ão.

24
24

– egurança em ns a aç es e serv ços e

– egurança em n s a aç es e serv ços e Boas práticas - INVÓLUCROS

Boas práticas -

INVÓLUCROS

– egurança em n s a aç es e serv ços e Boas práticas - INVÓLUCROS

r cos

– egurança em n s a aç es e serv ços e Boas práticas - INVÓLUCROS

– egurança em ns a aç es e serv ços e

– egurança em n s a aç es e serv ços e Barreiras . r cos

Barreiras

– egurança em n s a aç es e serv ços e Barreiras . r cos

.

– egurança em n s a aç es e serv ços e Barreiras . r cos

r cos

– egurança em n s a aç es e serv ços e Barreiras . r cos

26

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

CONTROLE DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS . ENVÓLUCRO
CONTROLE DOS RISCOS EM
INSTALAÇÕES ELÉTRICAS
.
ENVÓLUCRO
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos CONTROLE DOS
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos CONTROLE DOS
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos CONTROLE DOS

27

CONTROLE DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Seccionamento automático de alimentação – egurança em n s

CONTROLE DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Seccionamento automático de alimentação

egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

.

DDR - DISP. DIF. RESID. (ADICIONAL)

• O DDR É UM DISPOSITIVO DE

DIF. RESID. (ADICIONAL) • O DDR É UM DISPOSITIVO DE PROTEÇÃO COMPLEMENTAR (CORRENTE DE ATUAÇÃO IGUAL
DIF. RESID. (ADICIONAL) • O DDR É UM DISPOSITIVO DE PROTEÇÃO COMPLEMENTAR (CORRENTE DE ATUAÇÃO IGUAL

PROTEÇÃO COMPLEMENTAR

(CORRENTE

DDR É UM DISPOSITIVO DE PROTEÇÃO COMPLEMENTAR (CORRENTE DE ATUAÇÃO IGUAL OU INFERIOR A 30 mA)

DE ATUAÇÃO IGUAL OU INFERIOR A 30 mA)

• BANHEIRAS, CHUVEIROS, ÁREAS EXTERNAS

• ESTA NÃO É UMA MEDIDA DE PROTEÇÃO COMPLETA.

• NÃO DISPENSA O USO SIMULTÂNEO DE PELO MENOS UMA DAS MEDIDAS DE PROTEÇÃO CONTRA CONTATOS DIRETOS.

NÃO PROMOVE PROTEÇÃO TOTAL.

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos CONTROLE

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

CONTROLE DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Seccionamento automático de alimentação

aç es e serv ços e r cos CONTROLE DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Seccionamento automático
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos CONTROLE

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

CONTROLE DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

ATERRAMENTOATERRAMENTO ::

TERRA

- É uma massa condutora com potencial elétrico

convencionado igual a zero.

FUNCIONALFUNCIONAL:: É a ligação à terra de um dos condutores do sistema (geralmente o neutro) e visa garantir o funcionamento correto, seguro e confiável da instalação. (Fi

azul

)

PROTEPROTEÇÇÃO:ÃO: ÉÉ oo conjuntoconjunto dede medidasmedidas destinadasdestinadas aa

comporcompor oo sistemasistema dede proteproteççãoão contracontra choqueschoques eleléétricostricos

provocados por contatos indiretos. (Fio verde

provocados por contatos indiretos

verde e amarelo

ou

)

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos 31
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Sinalização

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

Sinalização de Segurança

É uma medida simples e eficaz para prevenir acidentes de origem elétrica

A sinalização é um procedimento de segurança que promove a identificação (indicação,

avisos

bloqueios, de direção,

(proibição, impedimentos) nos ambientes de trabalho.

A sinalização pode ser fornecida através de sistemas luminosos, sonoros ou visuais.

.

),

as orientações (instruções de

) e advertências

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Sinaliza

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

SinalizaSinalizaççãoão dede seguranseguranççaa

Nas instalações e serviços em eletricidade deve ser adotada sinalização adequada de segurança, destinada à
Nas instalações e serviços em eletricidade deve ser
adotada sinalização adequada de segurança,
destinada à advertência e à identificação, obedecendo
ao disposto na NR-26 – Sinalização de Segurança, de
forma a atender, dentre outras, as situações a seguir:
a)
identificação de circuitos elétricos;
b)
travamentos
e
bloqueios
de
dispositivos
e
sistemas de manobra e comandos;
c)
restrições e impedimentos de acesso;
d)
delimitações de áreas;
e)
sinalização
de
áreas
de
circulação,
de
vias
públicas,
de
veículos
e
de
movimentação
de
cargas;
f) sinalização de impedimento de energização.

33

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Sinaliza

– egurança em

ns a aç

es e serv ços e

r cos

SinalizaSinalizaççãoão dede SeguranSeguranççaa

a) identificação de circuitos elétricos;
a)
identificação
de
circuitos elétricos;
r cos Sinaliza Sinaliza ç ç ão ão de de Seguran Seguran ç ç a a

34

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Sinaliza

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

SinalizaSinalizaççãoão dede seguranseguranççaa

b) travamentos e bloqueios de dispositivos e sistemas de manobra e comandos;
b) travamentos e bloqueios de dispositivos e
sistemas de manobra e comandos;
ão ão de de seguran seguran ç ç a a b) travamentos e bloqueios de dispositivos
ão ão de de seguran seguran ç ç a a b) travamentos e bloqueios de dispositivos
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Sinaliza

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

SinalizaSinalizaççãoão dede seguranseguranççaa

c) restrições e impedimentos de acesso;
c) restrições e impedimentos de
acesso;
e r cos Sinaliza Sinaliza ç ç ão ão de de seguran seguran ç ç a
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Sinaliza

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

SinalizaSinalizaççãoão dede seguranseguranççaa

d) delimitações de áreas; e) sinalização de áreas de circulação, d vias públicas, de veículos e d movimentação de cargas;

áreas; e) sinalização de áreas de circulação, d vias públicas, de veículos e d movimentação de
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Sinaliza

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

SinalizaSinalizaççãoão dede seguranseguranççaa

f) sinalização de impedimento
f) sinalização de impedimento
e serv ços e r cos Sinaliza Sinaliza ç ç ão ão de de seguran seguran
e serv ços e r cos Sinaliza Sinaliza ç ç ão ão de de seguran seguran
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos 10.3.

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

10.3. Segurança em Projeto

CONTROLE DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ADMINISTRATIVOS

Obriga a introdução de conceitos de segurança em projetos de instalações elétricas:

Previsão de dispositivos que permitam travamento; Planejamento de espaçamento e distanciamento seguros; Previsão de “aterramento elétrico”; Indicação da posição “liga - desliga” de dispositivos de manobra; Planejamento de prevenção contra as influências externas; Previsão disposições contra incêndios e explosões; Descrição do princípio funcional dos elementos de proteção destinados à segurança das pessoas; Descrição da compatibilidade dos dispositivos de proteção.

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos 10.3. Segurança

10.3. Segurança em Projeto

n s a aç es e serv ços e r cos 10.3. Segurança em Projeto Indicação

Indicação da posição “liga - desliga” de dispositivos de manobra

posição “liga - desliga ” de dispositivos de manobra Indicação do estado energia vermelho vermelho -
posição “liga - desliga ” de dispositivos de manobra Indicação do estado energia vermelho vermelho -
posição “liga - desliga ” de dispositivos de manobra Indicação do estado energia vermelho vermelho -

Indicação do estado energia vermelhovermelho - impedimento de trabalho - ligado VerdeVerde - liberado para o trabalho / desligado

energia vermelho vermelho - impedimento de trabalho - ligado Verde Verde - liberado para o trabalho
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos CONTROLE

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

CONTROLE DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

PROCEDIMENTOS

DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência
DOS RISCOS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROCEDIMENTOS Elaborar e implantar procedimentos operacionais (Seqüência

Elaborar

e implantar procedimentos

operacionais (Seqüência de operações a serem desenvolvidas para realização de um determinado trabalho) contendocontendo passopasso aa passopasso

asas instruinstruççõesões ee orientaorientaççõesões dede seguranseguranççaa nono trabalho.trabalho.

Todos os serviços em instalações elétricas devem ser planejados, programados e realizados em conformidade com procedimentos de trabalho específicos e adequados.

Os procedimentos devem ser divulgados, conhecidos, entendidos e cumpridos por todos os trabalhadores.

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos •

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

10.6. Segurança em Instalações Energizadas

Estabelece critérios para proteção em trabalhos com instalações elétricas energizadas. (Cria as zonas de
Estabelece critérios para proteção em trabalhos com
instalações elétricas energizadas. (Cria as zonas de “risco”
e “controlada” no entorno de pontos ou conjuntos energizados)

ZONA

LIVRE

ZONA LIVRE B A ZONA R CONTROLADA R ZONA DE PONTO RISCO E ENERGIZADO I
ZONA
LIVRE
B
A
ZONA
R
CONTROLADA
R
ZONA DE
PONTO
RISCO
E
ENERGIZADO
I
R
A
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Treinamento:

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

Treinamento: Desenvolver e atualizar em SST os “autorizados”

Institui o treinamento de segurança em serviços e instalações elétricas para profissionais autorizados a intervir em instalações elétricas

em serviços e instalações elétricas para profissionais autorizados a inte rvir em instalações elétricas 43
em serviços e instalações elétricas para profissionais autorizados a inte rvir em instalações elétricas 43

43

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos TREINAMENTO

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos TREINAMENTO Carga
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos TREINAMENTO Carga

TREINAMENTO Carga Horária:

básico (min. 40 hs.) e complementar (mais 40 hs – SEP e proximidades)

Conteúdo :

Anexo à Norma

Forma: Modular ou conjunto com outros treinamentos

Aproveitamento: Metódo de avaliação

Professores: Profissionais habilitados ( Elétrica / segurança / medicina)

Reciclagem: Treinamento de reciclagem bienal ou ainda em outras condições.

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos •

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

10.7.

Trabalho envolvendo alta tensão.

Diferencia níveis de tensão e estabelece condições para atividades realizadas envolvendo alta tensão. Os serviços
Diferencia níveis de tensão e estabelece
condições para atividades realizadas envolvendo
alta tensão.
Os serviços com AT e no SEP não podem
ser realizados individualmente;
Os equipamentos, ferramentas e dispositivos
isolantes ou equipados com materiais isolantes,
usados em AT, devem ser submetidos a testes
elétricos;
Equipamento de comunicação permanente
com equipe e Centro de Operação.
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos 10.8.

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

10.8. Habilitação e Autorização dos Profissionais

Define o entendimento quanto a: profissional qualificado; habilitado; pessoa capacitada; Autorização -
Define o entendimento quanto a:
profissional qualificado;
habilitado;
pessoa capacitada;
Autorização
-
Trabalhadores
capacitados
ou
qualificados com avaliação e aproveitamento
satisfatório no treinamento básico (todos) e
complementar (SEP); Exames médicos;
Sistema
de
identificação
que
permita
saber
permanentemente
cada trabalhador
a
abrangência
de
autorização
de
Ter essa condição consignada no sistema de registro
de empregado;
46
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos 10.9.

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

10.9. Proteção contra incêndio e

Explosão

Adoção de proteção contra incêndio e explosão, conforme dispõe a NR 23 – Proteção Contra
Adoção de proteção contra incêndio e explosão,
conforme dispõe a NR 23 – Proteção Contra Incêndios.
Cria a obrigatoriedade de certificação no SBC de
equipamentos, materiais e dispositivos destinados à
ambientes com atmosferas potencialmente explosivas
(áreas classificadas).
Para “Áreas classificadas” ou com acentuado risco de
incêndio ou explosões, devem ser adotados dispositivos
de proteção especiais;
Dispositivos de descarga para o acúmulo de eletricidade
estática.

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

Área classificada – Ambientes - ExEx

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Área classificada

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Área classificada

Área classificada

ÁÁrearea nana qualqual aa probabilidadeprobabilidade dada presenpresenççaa dede atmosferaatmosfera explosivaexplosiva éé taltal queque exigeexige precauprecauççõesões parapara construconstruççãoão,, instalainstalaççãoão ee utilizautilizaççãoão dede equipamentosequipamentos eleléétricostricos

ccaalolorr oxoxiigêgêninioo
ccaalolorr
oxoxiigêgêninioo

combustcombustíívelvel

ccaalolorr oxoxiigêgêninioo combust combust í í vel vel COMBUSTÍVEL + + OXIGÊNIO NO AR + +

COMBUSTÍVEL ++ OXIGÊNIO NO AR ++ CENTELHA = EXPLOSÃO

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Estudo e

Estudo e delimitação de “Área classificada”

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos Estudo e
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos As

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

As ações de emergência com instalações /serviços elétricos devem constar do plano de emergência da empresa.

devem constar do plano de emergência da empresa. 8 - Análise ergonômica Atividades de campo; 9
8 - Análise ergonômica Atividades de campo; 9 - Meios e equipamentos de resgate adequados
8 - Análise ergonômica Atividades de
campo;
9 - Meios e equipamentos de resgate adequados
às atividades em campo;
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos 10.13.

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

10.13. Responsabilidade

As responsabilidades são solidárias a todos os contratantes e contratados envolvidos;

R$R$ 1,001,00 RealReal 22 metaismetais solidsolidááriorio umum ssóó valorvalor

Mudança de comportamento EMPRESARIAL

Alteração na visão de responsabilidade solidária quanto a implementação da NR10 à todos os contratados envolvidos;

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos 10.13.

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

10.13. Responsabilida

de

As responsabilidades quanto a NR10 são solidárias a todos os contratantes e contratados envolvidos;

Direito de saber (Convenção 161 da OIT – Decreto 127 de 22/05/1991);– Informar e instruir os trabalhadores sobre os riscos a que estão expostos;

10.14. Disposições finais

Exercer o direito de recusa com evidências de riscos

graves e iminentes para sua segurança (Convenção 155 da OIT – Decreto 1.254 de 10/09/1994);

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

MAIORESMAIORES DIFICULDADESDIFICULDADES NANA IMPLEMENTAIMPLEMENTAÇÇÃOÃO DADA NR10.NR10.
MAIORESMAIORES
DIFICULDADESDIFICULDADES NANA
IMPLEMENTAIMPLEMENTAÇÇÃOÃO DADA
NR10.NR10.

– egurança em ns a aç es e serv ços e

– egurança em n s a aç es e serv ços e DIFICULDADE DIFICULDADE - -
DIFICULDADE DIFICULDADE - - 1 1

DIFICULDADEDIFICULDADE -- 11

DIFICULDADE DIFICULDADE - - 1 1
DIFICULDADE DIFICULDADE - - 1 1

r cos

ProntuProntuáário:rio: ORGANIZAORGANIZAÇÇÃOÃO

Prontu á á rio: rio: ORGANIZA ORGANIZA Ç Ç ÃO ÃO COMO COMO ORGANIZAR ORGANIZAR AONDE
Prontu á á rio: rio: ORGANIZA ORGANIZA Ç Ç ÃO ÃO COMO COMO ORGANIZAR ORGANIZAR AONDE
Prontu á á rio: rio: ORGANIZA ORGANIZA Ç Ç ÃO ÃO COMO COMO ORGANIZAR ORGANIZAR AONDE

COMO COMO ORGANIZAR ORGANIZAR

AONDE AONDE

???? ????

QUEM QUEM ORGANIZA ORGANIZA

???? ????

???? ????

QUEM QUEM ASSINA ASSINA DOCUMENTOS, DOCUMENTOS,

???? ????

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos DIFICULDADE DIFICULDADE
DIFICULDADE DIFICULDADE - - 2 2

DIFICULDADEDIFICULDADE -- 22

DIFICULDADE DIFICULDADE - - 2 2
DIFICULDADE DIFICULDADE - - 2 2
aç es e serv ços e r cos DIFICULDADE DIFICULDADE - - 2 2 TREINAMENTO TREINAMENTO
aç es e serv ços e r cos DIFICULDADE DIFICULDADE - - 2 2 TREINAMENTO TREINAMENTO

TREINAMENTOTREINAMENTO

Aplicação: AUTORIZADOS PRÓPRIOS E DE TERCEIROS (TURN OVER) Forma: Compacto / Modular ou conjunto com
Aplicação:
AUTORIZADOS PRÓPRIOS E DE TERCEIROS
(TURN OVER)
Forma: Compacto / Modular ou conjunto com outros
treinamentos
????
Aproveitamento: Metódo de avaliação
Professores: Profissionais habilitados ( Elétrica /
segurança / medicina)
Reciclagem:
egurança em n s a aç es e serv ços e OUTRAS OUTRAS DIFICULDADES DIFICULDADES
egurança em n s a aç es e serv ços e OUTRAS OUTRAS DIFICULDADES DIFICULDADES

egurança em ns a aç es e serv ços e OUTRASOUTRAS DIFICULDADESDIFICULDADES

e serv ços e OUTRAS OUTRAS DIFICULDADES DIFICULDADES – r cos ••VestimentasVestimentas comcom
e serv ços e OUTRAS OUTRAS DIFICULDADES DIFICULDADES – r cos ••VestimentasVestimentas comcom

r cos

••VestimentasVestimentas comcom proteproteççãoão àà InflamabilidadeInflamabilidade
••VestimentasVestimentas comcom proteproteççãoão àà InflamabilidadeInflamabilidade
(dimensionamento(dimensionamento // especificaespecificaççãoão //
fornecimento);fornecimento);
••AA implementaimplementaççãoão dodo conceitoconceito desenergizadesenergizaççãoão
(Travamento(Travamento // eqtoeqto dede medimediççãoão // aterramento)aterramento)
••TestesTestes dede rigidezrigidez dieldieléétricatrica (isola(isolaççãoão eleléétrica)trica)
IPIIPI // EPCEPC // Ferramental;Ferramental;
••OrganizaOrganizaççãoão parapara garantirgarantir oo trabalhotrabalho
acompanhadoacompanhado dede autorizadosautorizados emem (AT(AT // SEP)SEP) (não(não
podempodem serser realizadosrealizados individualmente);individualmente);
••ElaborarElaborar ee implantarimplantar procedimentosprocedimentos
operacionaisoperacionais contendocontendo passopasso aa passopasso asas
instruinstruççõesões ee orientaorientaççõesões dede seguranseguranççaa nono
trabalho.trabalho.
57

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

A.I. 432567 8 -05
A.I.
432567
8 -05

NORMA – NR10

AAççõesões fiscalizatfiscalizatóóriasrias dodo MTEMTE SOBRESOBRE AA NR10NR10 NONO ANOANO DEDE 20052005
AAççõesões fiscalizatfiscalizatóóriasrias dodo MTEMTE SOBRESOBRE AA
NR10NR10 NONO ANOANO DEDE 20052005
OU
OU
NR10 AAççõesões fiscalizatfiscalizatóóriasrias dodo MTEMTE SOBRESOBRE AA NR10NR10 NONO ANOANO DEDE 20052005 OU 58
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos AÇÕES

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

AÇÕES FISCAIS DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO - MTE SOBRE A NR-10 NO ANO DE 2006 E 2007

Total de Itens Verificados em Segurança e Saúde no Trabalho

2006

2007

Total

976.903

1.085.169

Irregularidades auditadas NR10

2006

2007

Indústria

3.902

5399

Comércio

1.859

2311

Serviços

896

1154

Construção Civil

913

1471

Transporte

 

437

582

Outros

624

1036

Total de Itens

 

8 631

11 953

59

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

AAççõesões fiscalizatfiscalizatóóriasrias dodo MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO - MTEMTE sobresobre aa NR10NR10
AAççõesões fiscalizatfiscalizatóóriasrias dodo MINISTÉRIO DO TRABALHO E
EMPREGO - MTEMTE sobresobre aa NR10NR10 nono anoano dede 20062006

Atividade

 

ANO Agricultura

2006

60

Comércio

1.632

Construçao

748

Educação

50

Hotéis/Rest

167

Indústria

3.048

Inst. Financ.

73

Saúde

158

Serviços

749

Transporte

369

Outros

16

Total de Itens

7.070

Regularizado na Ação Fiscal

2007

65

1.904

1.068

55

187

3.292

103

228

716

410

202

8.230

 

Irregular -

Irregular - Autuado

Notificado

2006

2007

2006

2007

2

8

5

53

22

34

205

373

49

124

116

279

4

7

2

4

5

14

36

114

227

740

1.880

3

12

2

8

1

40

42

40

109

107

329

17

11

51

161

1

9

4

34

260

532

1.301

3.191

TOTAL DE ITEN

2006

2007

67

12

1.859

2.31

913

1.47

57

6

185

22

3.902

5.39

88

10

206

27

896

1.15

437

58

21

24

8.631

11.95

– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos NORMA

– egurança em ns a aç es e serv ços e

r cos

NORMA – NR10

NR10NR10 –– BASEBASE LEGALLEGAL NONO ORDENAMENTOORDENAMENTO JURJURÍÍDICODICO NACIONALNACIONAL
NR10NR10 –– BASEBASE LEGALLEGAL NONO
ORDENAMENTOORDENAMENTO JURJURÍÍDICODICO NACIONALNACIONAL

MINISTMINISTÉÉRIORIO DADA JUSTIJUSTIÇÇA:A:

AcõesAcões trabalhistastrabalhistas CCííveisveis Criminais;Criminais;

MINISTMINISTÉÉRIORIO PPÚÚBLICOBLICO DODO TRABALHOTRABALHO-- MPT:MPT: TAC,TAC, MultasMultas vultuosas;vultuosas;

MINISTMINISTÉÉRIORIO DADA PREVIDÊNCIAPREVIDÊNCIA SOCIAL:SOCIAL: AAççõesões Regressivas;Regressivas;

MINIST É É RIO RIO DA DA PREVIDÊNCIA PREVIDÊNCIA SOCIAL: SOCIAL: A A ç ç ões
– egurança em n s a aç es e serv ços e r cos “

– egurança em ns a aç

es e serv ços e

r cos

A luta atual está no campo social, através da redução das desigualdades sociais, e uma delas é possibilitar o trabalho para todos, com boas

condições de segurança e saúde”

(Peter

Ducke)

MUITO OBRIGADO Joaquim Gomes Pereira
MUITO OBRIGADO
Joaquim Gomes Pereira