Você está na página 1de 15
Gestão de Negócios Internacionais Aula-tema 06: O Setor Externo da Economia Brasileira
Gestão de Negócios Internacionais
Aula-tema 06: O Setor Externo da Economia Brasileira
O Setor Externo da Economia Brasileira Estratégias Brasileiras 1968 Abertura de mercados Ampliar negociações com o
O Setor Externo da Economia Brasileira
Estratégias Brasileiras
1968
Abertura de
mercados
Ampliar
negociações
com o resto
do mundo
2-15
O Setor Externo da Economia Brasileira Abertura Comercial do Brasil 1968 1973 Medidas fiscais facilitadoras Subsídios
O Setor Externo da Economia Brasileira
Abertura Comercial do Brasil
1968
1973
Medidas fiscais facilitadoras
Subsídios
Isenções
Créditos
Novo regime cambial
3-15
O Setor Externo da Economia Brasileira Crises do Petróleo 1974 e 1979 Superinflação Aumento da dívida
O Setor Externo da Economia Brasileira
Crises do Petróleo
1974 e 1979
Superinflação
Aumento da dívida externa
4-15
O Setor Externo da Economia Brasileira Fundo Monetário Internacional Política Econômica Reducionista 5-15
O Setor Externo da Economia Brasileira
Fundo Monetário Internacional
Política Econômica Reducionista
5-15
O Setor Externo da Economia Brasileira 1984 - Retomada do crescimento econômico, obtendo: Superávit comercial Aumento
O Setor Externo da Economia Brasileira
1984 - Retomada do crescimento econômico, obtendo:
Superávit comercial
Aumento das exportações
Crescimento das reservas internacionais
Expansão de empregos e salários
6-15
O Setor Externo da Economia Brasileira 1985 Posse e morte de Tancredo Neves; Posse de José
O Setor Externo da Economia Brasileira
1985
Posse e morte de Tancredo Neves;
Posse de José Sarney.
Objetivo do governo Sarney:
Combate à inflação
Combate ao déficit público
7-15
O Setor Externo da Economia Brasileira Plano Cruzado I e II – 1986 Objetivo: Moeda passa
O Setor Externo da Economia Brasileira
Plano Cruzado I e II – 1986
Objetivo:
Moeda passa de Cruzeiro para Cruzado
Inflação zero
Congelamento de preços, salários e aluguéis
Explosão do consumo
Inflação disfarçada
8-15
O Setor Externo da Economia Brasileira Plano Bresser - 1987 Objetivo: Conter a inflação Conter o
O Setor Externo da Economia Brasileira
Plano Bresser - 1987
Objetivo:
Conter a inflação
Conter o déficit público
Desvalorização cambial
9-15
O Setor Externo da Economia Brasileira Plano Verão - 1988 Objetivo: Redução da Inflação Contenção da
O Setor Externo da Economia Brasileira
Plano Verão - 1988
Objetivo:
Redução da Inflação
Contenção da demanda
Aumento da taxa de juros
Congelamento de preços
10-15
O Setor Externo da Economia Brasileira Plano Collor - 1990 Objetivo: Moeda passa para Cruzeiro Capital
O Setor Externo da Economia Brasileira
Plano Collor - 1990
Objetivo:
Moeda passa para Cruzeiro
Capital público confiscado
Aumento de impostos
Criação de tributos
Redução de tarifas de importação
11-15
O Setor Externo da Economia Brasileira Plano Real – 1993 Objetivo: Fundo Social de Emergência (FSE);
O Setor Externo da Economia Brasileira
Plano Real – 1993
Objetivo:
Fundo Social de Emergência (FSE);
PAI (Programa de Ação Imediata);
Indexação da economia (Unidade Real de Valor);
Moeda passa para Real.
12-15
O Setor Externo da Economia Brasileira Governo Lula - 2003 Mudanças: Não houve mudanças na condução
O Setor Externo da Economia Brasileira
Governo Lula - 2003
Mudanças:
Não houve mudanças na condução da política
econômica.
Renovação do acordo com o FMI e quitação da dívida.
Maior credibilidade internacional para o País.
Aumento da participação do Brasil na OMC.
13-15
O Setor Externo da Economia Brasileira Concluindo ... Após tantos planos econômicos, fica claro que o
O Setor Externo da Economia Brasileira
Concluindo ...
Após tantos planos econômicos, fica claro que o Plano
Real foi responsável pela maior mudança no setor
externo da economia brasileira, trazendo estabilidade
financeira, proporcionando maior interesse do capital
externo e aumento da competitividade do País.
14-15
Professora Conteudista Esp. Elaine Cristina Silva Capelli Leitor Crítico Esp. Alexandre Najm Revisora Textual Lílian Moreira
Professora Conteudista
Esp. Elaine Cristina Silva Capelli
Leitor Crítico
Esp. Alexandre Najm
Revisora Textual
Lílian Moreira Mendes
Editoração
Flávia Passarelli Lopes
Leandro Cano Sartori
*Se houver dúvidas, entre em contato com seu professo r-tutor.
15-15